Pesquisar este blog

domingo, 21 de janeiro de 2018

1 Coríntios 6:11

1 Coríntios 6:11 - E é o que alguns têm sido; mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus, e pelo Espírito Santo do nosso Deus.
E É OS QUE ALGUNS TÊM SIDO. Paulo lança sua crítica contundente contra a alguns que faziam parte da igreja cristã de Corinto, mas que ainda não tinha se enquadrado nos padrões estabelecidos pelas doutrinas cristãs. O que determina se alguém realmente é um cristão verdadeiro é efetivamente a mudança de vida que tal pessoa apresenta, depois de ter aceito a Cristo como Senhor e Salvador. Alguns daquela comunidade cristã de Corinto estavam vivendo na igreja, como viviam lá no mundo.

MAIS HAVEIS SIDO LAVADOS. É provável que o autor se refira aos preparativos iniciais que os seus filhos na fé tenham participado, quando ainda da fundação daquela igreja. Paulo pregou o evangelho, eles creram nas boas novas de Cristo, aceitaram ao Senhor Jesus, chegaram a participar do batismo em água. No entanto, aquele batismo não teve uma realidade profunda, no sentido de representar a mudança de vida.

MAIS HAVEIS SIDO SANTIFICADOS. Além de ganhar para Cristo os seus leitores, o apóstolo dos gentios passou aproximadamente um ano e meio aplicando o verdadeiro e eficaz discipulado, preparando os novos convertidos para a caminhada cristã. Além de que Apolo foi deixado por Paulo naquela igreja para regar as plantinhas recém convertidos ao reino de Cristo. Mas nem isso era suficiente para eles.

MAIS HAVEIS SIDO JUSTIFICADOS. Paulo era especialista em demostrar aos seus ouvintes e filhos na fé da eficácia da obra de redenção realizada por Cristo para justificar a todos que o aceitavam como Senhor e Salvador. E na realidade, os efeitos benéficos da morte expiatória do Cordeiro de Deus estavam disponíveis para todos os leitores desta carta. Todavia, alguns daquela igreja desprezavam a morte de Cristo.

EM NOME DO SENHOR JESUS. Paulo se sentia decepcionado com alguns daquela comunidade cristã, porque eles estavam menosprezando o poder que há no nome de Cristo. De fato, tinham confessado de princípio o nome do Senhor Jesus Cristo, mas com a ausência de Paulo, estavam negando o nome do Senhor Jesus. Tudo que Paulo fez e executou para o bem daquela igreja tinha sido no nome poderoso de Cristo.

E PELO ESPÍRITO SANTO. Desde os primeiros momentos, quando da fundação daquela comunidade cristã, que era marcante e poderosa a presença do Espírito de Deus entre os que aceitavam a Cristo. A prova disto é que eram abundantes as manifestações dos dons espirituais entre os da igreja de Corinto. Porem, nem isso tinha importância para alguns que resistiam em não ser guiado pelo Paráclito, o Espírito Santo de Deus.

DO NOSSO DEUS. O Espírito Santo é de Deus porque vem diretamente do Pai aos seus filhos. Ainda no tempo da velha dispensação, Deus prometeu o derramamento do seu Espírito Santo sobre a sua família na terra. Quando Jesus exerceu seu ministério, ele confirmou tal promessa aos seus seguidores. E a partir do dia de pentecostes, o Espírito de Deus veio para ficar com a igreja remida de Cristo na terra, até o arrebatamento da mesma. Alguns de Corinto estavam desprezando o Espírito de Deus.

sábado, 20 de janeiro de 2018

1 Coríntios 6:10

1 Coríntios 6:10 - Nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.
NEM OS LADRÕES. No capítulo anterior, o autor desta carta já havia alertado aos seus filhos na fé que não se associassem com aqueles que se dizendo irmãos fossem praticantes desta lista de vícios que ele enumera neste versículo. Há quem diga que esta palavra “ladrão” citada por Paulo se refere à exploração financeira que os profissionais do evangelho viviam fazendo contra a igreja de Cristo, o que se pode chamar de comércio da fé, por parte dos que vendem a palavra de Deus ou o louvor.

NEM OS AVARENTOS. Esta avareza sobre a qual fala o escritor diz respeito à ganância financeira de alguns ou de muitos que vendem até a sua alma ao adversário por amor excessivo ao dinheiro. Essa mesma ganância já havia dominado a muitos líderes religiosos que buscavam tirar proveito financeiro da igreja de Cristo, vendendo seus supostos serviços prestados ao povo de Deus, o que é a venda de indulgência.

NEM OS BÊBADOS. A questão do alcoolismo é antiga, e a título de hoje é um dos vícios mais comuns no meio da sociedade. Desde os tempos da igreja primitiva que os verdadeiros líderes do cristianismo buscavam combater esta chaga social, porque a bebedice tem provocado prejuízos irreparáveis no meio da sociedade, das famílias e na vida pessoal de muitas pessoas. Não tem lugar na igreja para quem tem esse vício.

NEM OS MALDIZENTES. Esse é o tipo de pessoa que vive reclamando por tudo, para ela ninguém está certo, porque somente ela está com a razão. Os maldizentes também são murmuradores, isso porque este tipo de gente vive insatisfeito com sua própria qualidade de vida, não aceita a opinião nem o conselho de ninguém, e geralmente os maldizentes são ao mesmo tempo falastrão, porque blasfemam de tudo e de todos.

NEM OS ROUBADORES. Neste texto, a palavra “roubadores” é vista um pouco diferente de ladrões, porque os ladrões muitas vezes usam do engano para tomarem posse do que não é seu. Já os roubadores são aqueles que tomam por assalto aquilo que pertence aos outros. Neste caso, roubadores usam de meios violentos para saquear os bens que não lhe pertencem. Em muitos casos, este tipo de crime também é chamado de latrocínio, que é o roubo seguido de morte das suas vítimas.

HERDARÃO. Os injustos, os devassos, os idólatras, os adúlteros, os efeminados, os sodomitas, os ladrões, os avarentos, os bêbados, os maldizentes, e nem os roubadores herdarão o reino de Deus. Se os praticantes destes pecados não se arrependerem ainda com vida e deixarem estes vícios, quando partirem desta vida para a outra, o evangelho está dizendo que tais pessoas não terão direito a salvação.

O REINO DE DEUS. O reino de Deus também é chamado de reino dos céus ou reino de Cristo. Esta expressão pode ser vista em dois tempos: O primeiro em se tratando dos dias de hoje, que representa o governo de Deus ou de Cristo sobre a vida e o coração das pessoas nesta dimensão da existência humana. E o segundo diz respeito à vida eterna ou eternidade futura com Deus e com Cristo nas mansões celestiais. Não ter direito a participar do reino eterno de Deus é ser condenado perante a justiça divina.

1 Coríntios 6:9

1 Coríntios 6:9 - Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas.
NÃO SABEIS QUE OS INJUSTOS. Certamente o escritor desta carta já havia ensinado naquela igreja de Corinto sobre o que ele passa a lhes advertirem nesta passagem do Novo Testamento. Estes injustos sobre os quais Paulo se refere dizem respeito aos homens sem Deus, o que o evangelho chama de incrédulos, são os ímpios, os ateus confessos ou não. Uma observação mais acurada nos faz ver que o autor faz separação entre aqueles que faziam parte da igreja, dos homens profanos do mundo.

NÃO HÃO DE HERDAR. O apóstolo dos gentios fala de Salvação, de vida eterna, de repouso eterno com Cristo, que os injustos não terão participação quando partirem desta vida para a outra. Aqueles que nesta dimensão da vida dão as costas para o evangelho da libertação, não aceitando a Cristo como Senhor e Salvador, quando forem tragados pela morte, serão recolhidos pelas trevas para um lugar de sofrimento.

O REINO DE DEUS? O reino de Deus também é chamado de reino dos céus, que já nesta vida na terra representa o domínio de Deus sobre a vida e sobre o coração das pessoas. O reino de Deus, quanto à vida futura, diz respeito a entrada nas mansões celestiais dos salvos e remidos de Cristo Jesus. De forma que, os que não fazem a vontade de Deus nesta terra, não terão participação da vida eterna em Cristo Jesus.

NÃO ERREIS: NEM OS DEVASSOS. O conselho de Paulo aos seus filhos na fé, que também serve para nós que vivemos nestes últimos dias é: Não erreis. Quem tem a chamado de Cristo para fazer parte do reino de Deus e executar a sua vontade, não pode viver ao bel prazer. Os devassos são todos aqueles que vivem conforme os padrões do mondo, sendo dominado pelos desejos da carne e a soberba da vida.

NEM OS IDÓLATRAS. Em termos religiosos, os idólatras são todos aqueles que vivem adorando e venerando os ídolos e as imagens de esculturas. O ser humano idolatra adora e venera os ídolos que procuram substituir o lugar devido a Deus. O ser humano foi criado por Deus para amar ao Senhor mais do que qualquer coisa, bem como servi-lo durante todo a sua vida, e ainda adorar somente ao Criador de todas as coisas.

NEM OS ADÚLTEROS. Neste texto, esta palavra representa todas as formas de relações sexuais ilícitas. Seja o próprio adultério, que é a relação sexual ilícita entre duas pessoas casadas com conjugues diferentes. Seja a prevaricação, que é o sexo entre uma pessoa casada e outra solteira, ou ainda a fornicação que é o sexo entre duas pessoas solteiras. A cidade de Corinto era conhecida como uma prostituta.

NEM OS EFEMINADOS, NEM OS SODOMITAS. Os efeminados são os homens que se deixam levar pelo homossexualismo, e que faz sexo com outro homem. Já a sodomia caracteriza o homossexualismo tanto masculino quanto feminino. Paulo escrevendo aos (Romanos 1:22-23) ele deixa bem claro que Deus é contra o homossexualismo de um modo geral. Que fique bem claro neste texto que, os praticantes do homossexualismo não herdarão o reino de Deus, nem terão direito a vida eterna.

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

1 Coríntios 6:7-8

1 Coríntios 6:7-8 - Na verdade é já realmente uma falta entre vós, terdes demandas uns contra os outros. Por que não sofreis antes a injustiça? Por que não sofreis antes o dano? Mas vós mesmos fazeis a injustiça e fazeis o dano, e isto aos irmãos.
NA VERDADE É JÁ REALMENTE UMA FALTA ENTRE VÓS. Uma igreja rica em termos econômicos, que continha em suas fileiras pessoas que se achavam as mais sábias do mundo, que acumulava para se mesma os melhores pregadores e mestres humanos. Mas que estava cheia de defeitos crassos, que não havia de verdade apreendido com o apóstolo dos gentios, que na fundação daquela comunidade cristã gastou tempo e se gastou a se mesmo para fazer um bom discipulado e ensinar as doutrinas cristãs.

TERDES DEMANDAS UM CONTRA O OUTRO. Para o autor era mais que natural ter demandas dos não convertidos contra os servos de Deus, porque desde os começos do cristianismo que os incrédulos investiram contra os filhos de Deus. Todavia, Paulo não esperava que os irmãos se levantassem uns contra os outros dentro daquela igreja. Os cristãos de Corinto gostavam das disputas acirradas que geravam contendas.

PORQUE NÃO SOFREIS ANTES A INJUSTIÇA? A vida do Senhor Jesus foi um exemplo de como suportar as injustiças dos infiéis, ele, o Senhor Jesus, que só fez o bem a todos, mas que foi duramente injustiçado pelos seus oponentes. O próprio Paulo também já havia passado por muitas injustiças, até mesmo na igreja de Corinto. Assim sendo, ele tinha autoridade para pedir aos irmãos que suportassem as injustiças.

PORQUE NÃO SOFREIS ANTES O DANO? Este dano, sobre o qual fala o escritor pode ser material ou de outra ordem também. Em se tratando de prejuízos materiais, o cristão verdadeiro é ensinado de que as coisas deste mundo não devem ter domínio sobre sua vida, porque o mais importante é ter a promessa de vida eterna. Já em se tratando de danos morais e sentimentais, isso faz parte das injustiças deste mundo.

MAS VÓS MESMOS FAZEIS A INJUSTIÇA. Percebe-se que muitos dos que faziam parte da igreja cristã de Corinto, já não andavam mais conforme foram ensinados pelo próprio Paulo, razão porque, o apóstolo dos gentios teve que escrever duas grandes cartas para esta comunidade cristã, na tentativa de corrigir muitas distorções entre os irmãos. Os membros daquela igreja estavam agindo como se fossem incrédulos.

E FAZEIS O DANO. O materialismo tinha ganhado a batalha contra os filhos na fé de Paulo em Corinto, ao ponto dos irmãos valorizarem muito mais o dinheiro, do que a comunhão uns com os outros. Isso porque, uns estavam trapaceando aos outros em seus negócios e contratos. Por outro lado, haviam aqueles que buscavam denegrir a imagem do seu irmão, quem sabe levantando falsos testemunhos e mentido.

E ISTO AOS IRMÃOS. Em Corinto, verdadeiras batalhas internas eram feitas entre os que faziam parte daquela comunidade cristã. Não cessavam os rachas entre os irmãos, e isso era demostrado por meio do partidarismo. Contendas, divisões e facções era o que não faltava. E tudo isso só mostrava ao apóstolo Paulo o quanto os seus filhos na fé se tornaram carnais. As exortações do escritor eram no sentido de que os irmãos se unissem, buscando o bem uns dos outros e praticando ajustiça mútua entre todos.

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

1 Coríntios 6:5-6

1 Coríntios 6:5-6 - Para vos envergonhar o digo. Não há, pois, entre vós sábios, nem mesmo um, que possa julgar entre seus irmãos? Mas o irmão vai a juízo com o irmão, e isto perante infiéis.
PARA VOS ENVERGONHAR O DIGO. As recorrentes interrogações feitas pelo autor nos faz compreender o sentimento de crítica de Paulo aos seus leitores, no sentido de despertá-los para uma realidade que eles mesmos não percebiam. Paulo conhecia bem os seus filhos na fé, que faziam parte da igreja cristã de Corinto, e com isso ele tinha certeza que poderia com seus argumentos estimulá-los a que tomassem atitudes corretas, no sentido de resolverem estas questões de forma interna na igreja.

NÃO HÁ, POIS, ENTRE VÓS SÁBIOS? Os líderes da igreja local de Corinto eram sábios o suficiente para que pudessem criar uma comissão eclesiástica, no sentido de revolverem estas querelas entre os próprios irmãos da comunidade cristã. O que estava efetivamente faltando era se organizarem, além de se unirem com o mesmo objetivo, para que uma comissão administrativa tentasse resolver os problemas.

NEM MESMO UM. Não se sabe ao certo quem de fato era neste momento o líder local da igreja cristã na cidade de Corinto. Há quem diga que, Paulo havia deixado naquela comunidade cristã Apolo, que esteve por um bom tempo envolvido com as atividades eclesiásticas naquela igreja. Todavia, não se sabe por que o apóstolo dos gentios não se dirige diretamente a Apolo para que ele tomasse a frente neste negócio.

QUE POSSA JULGAR. O judaísmo tinha, portanto, um ou mais tribunais voltados para jugar questões entre os próprios judeus, que alguns apontam em direção ao Sinédrio. Na igreja cristã ligada as lideranças de Jerusalém também já tinham as comissões que julgavam as questões entre os irmãos. Já nas igrejas gentílicas, Paulo estava organizando as administrações locais para que também tivessem estas comissões.

ENTRE SEUS IRMÃOS? Dentro deste mesmo tema, vale a regra dos julgamentos propostos por Paulo no capítulo anterior, em que, aqueles casos mais simples de disciplina, as lideranças locais deveriam decidir entre eles. Já nos casos mais sérios de exclusão, a igreja local por completa deveria de forma democrática participar. Nestes julgamentos entre os irmãos, os líderes poderiam se valer estas mesmas regras.

MAS O IRMÃO VAI A JUÍZO COM O IRMÃO. Se na realidade Paulo havia estabelecido às regras de quando ele fundou aquela igreja, ou durante o período de discipulado, quando ele preparava as lideranças locais para administrarem as comunidades cristãs, o certo é que ainda não estava em vigor na igreja de Corinto. A prova disto é que, em vez dos problemas, desta ordem, serem resolvidos na igreja, iam perante os tribunais.

E ISTO PERANTE INFIÉIS. Na linguagem nossa do sertão, o apóstolo Paulo passou um verdadeiro carão, naqueles que se diziam tão sábios na igreja cristã de Corinto. Era como se o apóstolo tivesse dito: Que falta de vergonha da vossa parte, será que vocês não têm capacidade de revolver coisas tão simples? Estes infiéis sobre os quais fala o escritor dizem respeito aos juízes incrédulos que faziam parte dos tribunais civis do estado. Certamente o que Paulo estabelece aqui ficou como regra nas igrejas cristãs.

1 Coríntios 6:3-4

1 Coríntios 6:3-4 - Não sabeis vós que havemos de julgar os anjos? Quanto mais às coisas pertencentes a esta vida? Então, se tiverdes negócios em juízo, pertencentes a esta vida, pondes para julgá-los os que são de menos estima na igreja?
NÃO SABEIS VÓS QUE HAVEMOS DE JULGAR. Estas coisas que o autor expõe em seus argumentos já eram do conhecimento dos seus filhos na fé da igreja cristã na cidade de Corinto. Quando o apóstolo dos gentios esteve fundando aquela comunidade cristã, certamente ensinou aos líderes locais sobre como resolverem as questões mais importantes ou não da comunidade cristã. Portanto, Paulo estabeleceu a forma democrática com a igreja para que os problemas fossem resolvidos na própria igreja.

OS ANJOS? O fato que os remidos em Cristo Jesus hão de julgar os anjos, não está muito claro dentro das Sagradas Escrituras, porem, está patente na mensagem do Novo Testamento que os salvos em Cristo chegarão a um alto padrão de perfeição, acima até mesmo dos anjos. Já nesta esfera da existência humana, os anjos estão a serviço daqueles que hão de herdar a salvação e isso fala do valor dos remidos.

QUANTO MAIS ÀS COISAS PERTENCENTES A ESTA VIDA? Estes dois versículos estão cheios de interrogações, porque é perceptível o tom de crítica do escritor aos seus leitores, eles que se achavam tão sábios, tão eloquentes, tão entendidos, mas que não se achavam capazes de resolverem problemas tão triviais? Tudo indica que não queriam resolver os problemas locais para não saírem mal na foto com os culpados.

ENTÃO, SE TIVERDES NEGÓCIOS EM JUÍZO. Os casos de litígios entre os próprios irmãos da igreja, não deveriam ser levados perante as autoridades seculares deste mundo, ou seja, perante os tribunais humanos. Assim como os judeus tinham os seus tribunais de ordem religiosa, da mesma forma, a igreja cristã deveria jugar os casos de discórdias entre os irmãos, mas que fosso o juiz, a própria igreja, e não os incrédulos.

PERTENCENTES A ESTA VIDA. É natural que haja discórdias entre aqueles que fazem parte da igreja de Cristo, porque nem todos pensam de um mesmo modo sobre questões controvertidas. Como também é natural que haja negócios injustos no meio da comunidade cristã, porque a igreja é composta de seres humanos cheios de falas. Portanto, vez por outra vão surgirem demandas a serem resolvidas dentro da igreja.

PONDE PARA JULGÁ-LOS. Não há dúvida que estas mesmas recomendações já haviam sido feitas por Paulo, quando da fundação daquela igreja. Porque além de evangelizar, Paulo preparava as comunidades cristãs com o discipulado e com a preparação das lideranças locais para resolverem os problemas locais em reuniões administrativas com toda a comunidade cristã, de forma mais democrática e transparente possível.

OS QUE SÃO DE MENOS ESTIMA NA IGREJA? Finaliza então, o apóstolo dos gentios fazendo uma crítica sarcástica por demais. Era como se o escritor lhes dissesse: Se não há entre vós pessoas de capacidade e de sabedoria suficiente para julgar estas coisas tão triviais do dia a dia, então coloquem os irmãos mais simples da igreja para julgar tais coisas, porque eles saberão tratar dos casos com justiça e em verdade. Esta crítica de Paulo foi estarrecedora, para não dizer pesada, para quem se achavam sábios.

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

1 Coríntios 6:2

1 Coríntios 6:2 - Não sabeis vós que os santos hão de julgar o mundo? Ora, se o mundo deve ser julgado por vós, sois porventura indignos de julgar as coisas mínimas?
NÃO SABEIS VÓS. O que o autor passa de informações neste texto, que ora estamos comentando, já era do conhecimento dos seus leitores, certamente quando o apóstolo esteve pregando o evangelho da nova dispensação, na fundação daquela comunidade cristã. Além de que, a igreja cristã de Corinto era uma das mais cheia de conhecimento, uma vez que, por aquela igreja já haviam passado grandes pregadores, e Apolo era neste momento um dos ensinadores da palavra de Deus naquele lugar.

QUE OS SANTOS. Estes “santos” sobre os quais fala o escritor, não dizem respeito a mortos canonizados por uma instituição religiosa, mas dizem respeito aos seguidores de Cristo na cidade de Corinto, que também eram os leitores desta mesma carta. A palavra “Santo” se referindo aos servos de Deus, nos fala daqueles que são separados do mundanismo, e ao mesmo tempo dedicados à causa do reino de Cristo.

HÃO DE JULGAR O MUNDO? Essa declaração feita por Paulo nos ensina da importância futura, dos que nesta terra buscam glorificar o nome de Deus, ao confessarem a Cristo como Senhor e Salvador. Neste mundo, os servos de Cristo, na maioria dos casos, são pessoas simples, desprovidas de poder político e econômico, mas que, por fazerem parte da igreja de Cristo, no futuro serão pessoas importantes.

ORA, SE O MUNDO. Neste caso, não se trata do mundo cósmico, no entanto, o escritor esta falando a respeito dos homens incrédulos deste planeta terra. Os homens que nesta vida são mais influentes perante a sociedade, no futuro serão julgados pelos simples servos de Cristo, que neste mundo são desprovidos de valor perante a sociedade. No reino de Cristo, haverá justiça, e quem estará no banco dos réus são aqueles que não reconhecem o verdadeiro valor que tem a igreja remida de Cristo.

DEVE SER JULGADO POR VÓS. Ainda na antiga dispensação já havia o prenúncio de que os filhos de Deus haverão de reinar com Cristo. Daniel 7:27 - E o reino, e o domínio, e a majestade dos reinos debaixo de todo o céu serão dados ao povo dos santos do Altíssimo; o seu reino será um reino eterno, e todos os domínios o servirão, e lhe obedecerão. Há quem diga que no milênio será assim e na eternidade também.

SOIS PORVENTURA INDIGNOS. O apóstolo dos gentios não poupa sua crítica aos seus leitores, eles que conheciam estas verdades, desde o começo de suas caminhadas no evangelho da verdade. Eles mesmos que se achavam mais inteligentes do que todo mundo, tinham vários mestres e ensinadores, talvez os melhores daquela região. Será que não tinha capacidade de resolverem as questões mais triviais da igreja local?

DE JULGAR AS COISAS MINIMAS? Os problemas que vinha se arrastando a tempo na comunidade cristã de Corinto, já deveriam ter sido resolvidos por eles mesmos. Estavam esperando que Paulo fosse até aquela cidade para então resolver? E pelo que se ver, não eram problemas insolúveis, até porque, quando Paulo esteve entre eles, por mais de um ano e meio, lhes ensinou de como resolverem tais problemas.

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

1 Coríntios 6:1

1 Coríntios 6:1 - Ousa algum de vós, tendo algum negócio contra outro, ir a juízo perante os injustos, e não perante os santos?
OUSA. Grande parte dos comentaristas do Novo Testamento afirmam que, os capítulos cinco a sete desta carta, Paulo escreveu em resposta a uma suposta carta enviada pelos seus filhos na fé em Corinto, no sentido de orientar sobre tomadas de decisões quanto a assuntos locais e pontuais que estavam ocorrendo naquela comunidade cristã. Como fundador que era daquela igreja, mesmo estando ausente no momento, mas o apóstolo queria dar sua opinião pessoal sobre tais assuntos.

ALGUM DE VÓS. O tema abordado por Paulo nesta secção de sua carta, não era uma questão generalizada, mas que se não resolvido o problema, poderia mais tarde ser uma epidemia que viesse a fugir de controle no seio da comunidade cristã de Corinto. Alguns de vós, fala a respeito de membros da igreja de Corinto que não estavam respeitando as lideranças locais como pessoas que resolvessem tais casos.

TENDO ALGUM NEGÓCIO. O que o escritor está tratando nesta sua Escritura, não diz respeito apenas a assuntos de ordem religiosa, mas abrange todas as áreas comuns da vida dos irmãos daquela igreja. Há quem diga que estes negócios se tratavam de acordos quebrados, dívidas não pagas por alguns irmãos, palavras sem comprimento, e outras tantas demandas que estavam provocando escândalos na igreja local.

CONTRA OUTRO. A convivência dos seguidores de Cristo uns com os outros termina criando laços de amizades e irmandade entre os servos de Deus. Porem, nem todos seguem a risca os ensinos e as doutrinas cristãs. No caso de Corinto, aqueles irmãos que tinham pouco temor a Deus, por fim, enganavam os bem intencionados em seus negócios, e aqueles que se sentiam injustiças procuravam a justiça dos homens. Ao tomar conhecimento sobre estes fatos, Paulo queria estabelecer regras sobre isso.

IR A JUÍZO. Como nos dias de hoje existem os tribunais de justiça, naquela época não era diferente, e quem se sentia injustiça ou lesado em negócios financeiros procuravam tais tribunais. Em se tratando dos casos de um irmão da igreja contra o outro, o que Paulo recomendava era de que as lideranças locais fizessem uma reunião democrática, e eles mesmos buscassem resolver as demandas dos irmãos.

PERANTE OS INJUSTOS. Não que Paulo estivesse dizendo que os julgamentos dos tribunais de justiça humana fossem injustos em seus julgamentos. O que o escritor tenta dizer nesta sua colocação é que os irmãos, invés de julgarem tais casos com as lideranças da igreja, que era o correto, procuravam os homens sem Deus para julgarem coisas mínimas, que poderiam ser fáceis de resolver na paz e na harmonia.

E NÃO PERANTE OS SANTOS. Como resolver estas causas? Primeiro as lideranças da igreja ouviriam os dois lados da questão, buscando um acordo de paz entre as partes. Se não fosse resolvido pelos líderes, então a igreja seria convocada em assembleia administrativa, o caso seria exposto para toda a igreja, e a própria igreja julgaria quem estava com a razão. Esse seria um tribunal eclesiástico com autoridade para resolver tais demandas. Era isso que acontecia no caso dos membros do judaísmo.

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

1 Coríntios 5:12-13

1 Coríntios 5:12-13 - Porque, que tenho eu em julgar também os que estão de fora? Não julgais vós os que estão dentro? Mas Deus julga os que estão de fora. Tirai, pois, dentre vós a esse iníquo.
PORQUE, QUE TENHO EU EM JULGAR TAMBÉM. Os opositores de Paulo em Corinto viviam lhe acusando, de ser o apóstolo dos gentios, muito complacente com os incrédulos, com suas mensagens sobre a graça de Deus, a misericórdia e o amor do Senhor. Porque na realidade, o evangelho é de boas novas, e assim sendo, os pregadores do evangelho devem transmitir uma mensagem atrativa para aqueles que ainda não nasceram de novo, a fim de despertar interesse pelo reino de Cristo.

OS QUE ESTÃO DE FORA? Uma das metas prioritárias do ministério e chamada de Paulo era pregar o evangelho das boas novas de Cristo para aquelas pessoas que ainda não conheciam o Cristo de Deus. Em seus trabalhos missionários, o apóstolo não vivia condenando as pessoas nem julgando as mesmas, mas em sua mensagem Cristocêntrica, o apóstolo dos gentios buscava mostrar a salvação em Cristo Jesus.

NÃO JULGAIS VÓS OS QUE ESTÃO DENTRO. Agora, caiu na rede é peixe, e depois de se converter ao cristianismo, o apóstolo procurava de todas as formas fazer um bom discipulado nos novos convertidos para que vivessem de conformidade com as doutrinas cristãs. E o escritor, Paulo, esperava que seus ensinos em Corinto fossem aplicados, no sentido de disciplinar e até excluir se necessário fosse, os insubmissos.

MAS DEUS JULGA. Paulo não queria ser juiz dos que ainda não conheciam as verdades do evangelho de Cristo. Deus como Criador de todas as coisas e juiz dos vivos e dos mortos é quem tem o direito de por no banco de réu a todos aqueles que não aceitam a mensagem do evangelho de Cristo, que tem chegado a todos os recantos do mundo. Paulo buscava transmitir uma mensagem atrativa, a quem ainda não era convertido.

OS QUE ESTÃO DE FORA. O autor fala a respeito daquelas pessoas que não conheciam o plano da salvação de Deus por meio de Cristo Jesus. O apóstolo dos gentios deixa bem claro que, os pregadores do evangelho não devem condenar as pessoas que ainda não conhecem o evangelho, e que somente o juiz dos vivos e dos mortos é quem vai fazer isso, no tempo próprio do grande trono branco, juízo final.

TIRAI, POIS, DENTRE VÓS. Mas, em se tratando daqueles que conhecem as verdades das doutrinas cristãs, os líderes locais das igrejas de Cristo deveriam aplicar a disciplina, naqueles que praticassem pecados mais leves. Porem, a exclusão da comunhão, aqueles que conhecendo a verdade, escandalizam o evangelho de Cristo, envergonhando a comunidade cristã, o que acontece muito, nas igrejas da atualidade.

A ESSE INÍQUO. Em se tratando do caso em que Paulo aborda no começo deste capítulo, aquele que forçou a ex-esposa do seu próprio pai, ou seja, sua madrasta, esse deveria ser de forma sumária excluído da comunhão da igreja, até para não incentivar os demais a viverem uma vida carregada de pecados graves. Não ficando de fora os devassos, os avarentos, os idolatras, os beberrões, os maldizentes, os roubadores e todos aqueles que transgredissem deliberadamente as doutrinas cristãs.

1 Coríntios 5:11

1 Coríntios 5:11 - Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais.
MAS AGORA VOS ESCREVI. Percebe-se a preocupação de Paulo com o bem-estar espiritual da igreja de Cristo, que não poderia ser afetada com os pecados individuais de alguns que não queriam largar sua vida pecaminosa, mas que também queriam fazer parte da comunidade cristã, o que não podia. Não há dúvida nesta declaração do autor que ele se refere ao conteúdo próprio desta sua carta, e com todo empenho buscando resolver, mesmo a distância, problemas de pecados de estimação de alguns.

QUE NÃO VOS ASSOCIEIS. O escritor repete sua exortação, agora de maneira mais clara, que os líderes da igreja cristã de Corinto precisavam tomar atitudes mais fortes, no sentido de afastar da comunhão da igreja de Cristo, aqueles que estavam praticando seus pecados deliberadamente, provocando escândalos dentro da igreja cristã de Corinto. Nestes casos citados pelo autor, tinha que haver a exclusão mesmo.

COM AQUELES QUE, DIZENDO-SE IRMÃO. Na época em que Paulo escreveu esta sua carta, se infiltravam no seio da igreja, muitos que se faziam de cristãos, mas no fundo, no fundo eram judaizantes. Como também muitos seguidores do gnosticismo se faziam de irmãos para transtornarem o evangelho de Cristo. Por fim, grande parte dos que se infiltrava na comunidade cristã, não haviam deixado o mundanismo.

FOR DEVASSO. OU AVARENTO. Estes mesmos que se infiltravam no seio da igreja de forma camuflada, ali estavam com intenções fraudulentas, porque desejavam mesmo era tirar proveito financeiro das igrejas de Cristo. Mas em suas vidas particulares não passavam de homens profanos, que as ocultas guardavam seus intentos malignos de explorarem o povo simples e humilde que serviam a Cristo Jesus na sua igreja.

OU IDÓLATRAS, OU MALDIZENTES. O partidarismo na igreja cristã de Corinto demonstra sua tendência religiosa à prática da idolatria. O respeito e a reverência exacerbada aos líderes cristãos, já descaminhava para a idolatria de algumas personagens do meio cristão. Além de serem avarentos, estes camaradas viviam reclamando por mão conseguirem sugar o leite, a lã e a carne das ovelhas de Cristo.

OU BEBERRÃO, OU ROUBADOR. Estes homens devassos queriam manter seus vícios degradantes, mesmo fazendo parte da igreja cristã de Corinto. Paulo não permitia que aqueles que faziam parte da igreja do Senhor Jesus vivessem participando da bebedice, porque este vício sempre foi causa de grande miséria na vida das pessoas. Outros eram roubadores, que enganavam com falácia seus ouvintes no comercio da fé.

COM O TAL NEM AINDA COMAIS. Não é que um mesmo individuo fosse praticante de todos estes pecados, mas o escritor fala de modo genérico, porque algum poderia ser praticante de apenas um destes vícios. E quem se enquadrasse nesta lista de pecados, deveria ser excluído da comunhão da igreja, principalmente da Santa Ceia do Senhor. As refeições coletivas e em família era um ato de comunhão também, e neste caso, Paulo exorta que os irmãos não tenham comunhão com os praticantes destes pecados.

1 Coríntios 5:10

1 Coríntios 5:10 - Isto não quer dizer absolutamente com os devassos deste mundo, ou com os avarentos, ou com os roubadores, ou com os idólatras; porque então vos seria necessário sair do mundo.
ISSO NÃO QUE DIZER ABSOLUTAMENTE. Este versículo é uma continuação do texto anterior em que o escritor faz uma recomendação muito séria, aconselhando aos servos de Cristo que não se associassem com aqueles que se dizendo irmãos fossem pessoas de mau testemunho, tanto no mundo, e principalmente no seio da igreja. Mas no tocante aqueles que ainda não eram pessoas convertidas, que houvesse compreensão da parte dos irmãos, porque era necessário conviver com elas.

COM OS DEVASSOS. Estes são todos aqueles que são programados pela sociedade sem Deus a praticarem tudo aquilo que vem na mente, porque são dominados pelas concupiscências da carne e pela soberba da vida. O homem natural se deixa levar pelos vícios degradantes de uma sociedade corrompida, ao ponto de achar que o ser humano só existe para esta dimensão da sua existência, negando a sua eternidade.

DESTE MUNDO. O escritor fala sobre o sistema terreno de viver a existência nesta vida presente, bem como de tudo aquilo que serve de engano, no sentido de entrelaçar os filhos dos homens na degradação moral e ética. A terra esta cheia de homens profanos, que só acreditam nas coisas materiais, ou seja, naquilo que se pode ver, ouvir, tocar e ter acesso por meio dos sentidos físicos, o materialismo prático.

OU COM OS AVARENTOS, OU ROUBADORES. O avarento é aquele tipo de ser humano que coloca como seu deus os bens materiais, ele mata e faz qualquer coisa para adquirir riquezas. E os roubadores são aqueles que tomam dos outros, aquilo que não lhe pertence. Geralmente os ladrões são ao mesmo tempo avarentos, porque colocam a vida dos outros e a sua própria em risco pela ganância financeira do dinheiro.

OU COM OS IDÓLATRAS. A idolatria religiosa é aquela em que os politeístas deixam de adorar e confiar no verdadeiro Deus, para adorar ou venerar os ídolos e as imagens de escultura, um dos mais terríveis pecados contra Deus. Já a idolatria social diz respeito ao ser humano deixar de ter Deus em primeiro lugar, para ser dominado pelos ídolos diversos. A pessoa pode ter como ídolo a si mesmo, o dinheiro, outro homem e etc.

PORQUE ENTÃO SERIA NECESSÁRIO. Há uma necessidade da nossa convivência em sociedade, foi para isso que nascemos neste tão vasto planeta terra, para viver em sociedade e desfrutarmos das experiências com o nosso próximo. Temos os nossos familiares que ainda não se converteram, temos os nossos amigos do dia a dia, colegas de trabalho ou de estudos, além dos nossos conhecidos, com quem lidamos.

SAIR DO MUNDO. Não tem como viver nesta terra sem o contato com as pessoas, sejam elas da denominação da qual fazemos parte, ou da sociedade de um modo geral. Não ter contato com as pessoas é impossível. Nesta terra, a maioria das pessoas são incrédulas, de forma que, para vivermos a nossa experiência como ser humano, precisamos conviver em sociedade. Caso contrário, seria necessário sair deste mundo. Somente nas mansões celestiais é que, somente haverá pessoas do reino de Deus.

domingo, 14 de janeiro de 2018

1 Coríntios 5:8-9

1 Coríntios 5:8-9 - Por isso façamos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da malícia, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade. Já por carta vos tenho escrito, que não vos associeis com os que se prostituem.
POR ISSO FAÇAMOS A FESTA. O autor esta falando nesta frase sobre a comemoração de um novo tempo, em que Deus estava tratando com a humanidade de maneira favorável. A igreja de Cristo tinha mais que motivo de fazer festa de alegria, porque o tempo da graça de Deus foi derramado sobre todos, e a igreja de Corinto era um testemunho de que Deus não faz acepção de pessoas. Os leitores de Paulo, antes de se converterem eram pessoas terríveis, como todos os moradores de Corinto também.

NÃO COM O FERMENTO VELHO. Há quem diga que o grupo de Cefas na igreja cristã em Corinto estava querendo levar os seguidores do evangelho a cumprirem as exigências da legislação de Moisés, o que Paulo não aceitava. Mas este fermento velho tem mais a ver com a vida velha de quando os irmãos daquela igreja ainda não haviam se convertido do paganismo para o cristianismo. Essa é a tese mais defendida.

NEM COM O FERMENTO DA MALDADE E DA MALÍCIA. O homem natural é programado a defender seus interesses, custe o que custar, nem que para isso ele tenha que prejudicar o seu próximo. A malícia caracteriza, neste caso da cidade de Corinto, todos os pecados sexuais daqueles que não viviam para Cristo. De forma que, os cristãos são exortados a deixarem a maldade dos ímpios e a malicia da carne.

MAS COM OS ÁZIMOS DA SINCERIDADE E DA VERDADE. Ao falar sobre os ázimos, o escritor está pensando nos pães ázimos, sem fermento, que eram compartilhados no tempo da páscoa pelos judeus. A sinceridade que Paulo pede dos seus filhos na fé, é que eles vivessem uma vida cristã sem falsidade, nem engano, mas que buscassem a verdade do evangelho de Cristo. O cristão verdadeiro tem que ser diferente de todos.

JÁ POR CARTA VOS TENHO ESCRITO. Há várias hipóteses sobre esta colocação feita por Paulo, e algumas delas sem comprovação. Alguns comentaristas afirmam que o escritor se refere sobre o que ele já escreveu até este ponto de sua carta. Mas ele não fala sobre este assunto. Outros dizem que trata de uma carta que foi perdida. Já outros defendem que diz respeito à parte da segunda carta, mas não há provas disto.

QUE NÃO VOS ASSOCIEIS. O apóstolo dos gentios estava se referindo a comunhão cristã com aqueles que vivem escandalizando o evangelho de Cristo. De acordo com o que se sabe, existem aqueles casos mais toleráveis, em que se aplica a disciplina, e dá um tempo para que o infrator se arrependa e se volte para a comunhão da igreja. Mas há aqueles casos de exclusão, não têm volta, porque o escândalo foi terrível.

COM OS QUE SE PROSTITUEM. No começo deste capítulo, Paulo dá um exemplo deste tipo de prostituição, em que o elemento nocivo forçou a ex-mulher do seu próprio pai, que era sua madrasta. Porem, a prostituição envolvia o próprio ato de adultério, bem como a prevaricação como também a fornicação. A vida cristã não tem lugar para a prática do sexo ilícito. A cidade de Corinto era tomada de prostíbulos e contava até mesmo com as prostitutas religiosas, que se prostituíam nos templos pagãos.

sábado, 13 de janeiro de 2018

1 Coríntios 5:7

1 Coríntios 5:7 - Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós.
LIMPAI-VOS, POIS. O autor insiste em conscientizar aos seus leitores sobre as medidas necessários que deveriam tomar quanto àquele que estava escandalizando a igreja de Cristo com seu pecado inaceitável. Não importava se esse individuou era influente ou não dentro daquela comunidade cristã, mas para Paulo, ele deveria ser excluído da comunhão cristã para que a igreja de Cristo ficasse limpa desta chaga. Se não houvesse essa exclusão, outros membros seriam contaminados do mesmo modo.

DO FERMENTO VELHO. O que estava acontecendo naquela igreja e com alguns membros da comunidade cristã de Corinto era coisa de incrédulo e não de pessoas que diziam confessar o nome de Cristo. Neste caso, o fermento velho fala sobre a vida pregressa daqueles que agora diziam serem discípulos de Cristo. Quem aceita a Cristo como Senhor e Salvador não pode viver do mesmo jeito que vivem os ímpios.

PARA QUE SEJAIS. Assim como a legislação de Moisés exigia que os prosélitos do judaísmo se adaptassem as normas da lei de Moisés, com o cristianismo também era assim, quando alguém deixava o paganismo pelo cristianismo tinha que renunciar a tudo que o mundo oferece, para então viver para o reino dos céus. A vida cristã requer um novo estilo de procedimento, em que se busca fazer a vontade de Deus.

UMA NOVA MASSA. Quando se fala em uma nova vida em Cristo, é porque tal pessoa tem que passar pelo novo nascimento, ser transformado em uma nova criatura, passar pelo processo da regeneração espiritual, e a partir de então viver a santificação de vida. Essa santificação implica em renunciar as coisas deste mundo enganador, bem como em se dedicar de corpo, alma e espírito as coisas de Deus e da verdade.

ASSIM COMO ESTAIS SEM FERMENTO. O escritor fala de um novo tempo em que os seus leitores não mais vivem de acordo com a velha dispensação, porque Deus pela sua graça e misericórdia enviou seu Filho, Cristo Jesus, o Messias, para livrar o seu povo dos seus pecados. A igreja de Cristo foi liberta do mundo, das algemas da lei e da ira futura, por isso que a nova dispensação tem base em melhores promessas.

PORQUE CRISTO, NOSSA PÁSCOA. Cristo é o nosso Cordeiro pascal. Na instituição da páscoa, quando da saída do Egito, o sangue dos cordeiros era o sinal, em que o anjo da destruição passava por cima. Com Cristo, o Cordeiro de Deus, muito mais, porque ele prodigalizou para sua igreja uma redenção completa e perfeita. O sacrifício do Cordeiro de Deus tira o pecado do mundo, porque sua propiciação fez a reconciliação.

FOI SACRIFICADO POR NÓS. Os sofrimentos, crucificação e morte de Cristo Jesus, representa o sacrifício do Cordeiro de Deus em nosso lugar. Quem merecia o castigo que recaiu sobre o Cristo de Deus éramos nós. Mas por amor a humanidade, Deus enviou seu Filho unigênito para morrer em nosso lugar. Por isso que o profeta Isaías escreveu que, o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. O sacrifício de Cristo foi em nosso lugar, por conta de nossa redenção.

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

1 Coríntios 5:6

1 Coríntios 5:6 - Não é boa a vossa jactância. Não sabeis que um pouco de fermento faz levedar toda a massa?
NÃO É BOA. Além de conhecer bem a todos aqueles que faziam parte da igreja cristã de Corinto, por ser ele o fundador daquela comunidade cristã, Paulo estava bem informado de tudo que vinha transcorrendo naquela igreja. E não eram boas as mensagens que já haviam chegado até o autor desta carta, sobre os seus filhos na fé na cidade de Corinto. O escritor esperava coisas melhores daquela gente, no entanto, se encontrava decepcionado com o comportamento dos líderes locais e de todos.

A VOSSA JACTÂNCIA. As principais personagens daquela igreja estavam se vangloriando de coisas, que ao contrário deveriam mesmo era se envergonharem, isso porque estavam permitindo que o mundo entrasse na igreja, por meio de pessoas que escandalizavam a comunidade cristã. Os coríntios estavam se orgulhando de coisas que não se devia nem se nomear no meio do povo de Deus e na igreja de Cristo.

NÃO SABEIS. Os discípulos de Cristo naquela cidade se achavam os mais sábios de todos, passavam por lá os mais eloquentes pregadores daquela época, os líderes locais se achavam os mais espertos de todos que faziam parte das igrejas daquela época também. Mas não tinham visão para o que era correto, ao ponto de permitirem que os membros daquela comunidade cristã se conformassem com as coisas doeste mundo.

QUE UM POUCO. Os chamados pecados menos graves podem levar uma igreja por inteira a se desviar da verdade do evangelho. E isso se dá quando os líderes locais deixam de aplicar a correta e justa disciplina nos membros que fazem os seus deslizes e ficam por isso mesmo. A título de hoje, está difícil de se aplicar até mesmo a mais moderada disciplina, quanto mais o que se pode chamar de exclusão da igreja.

DE FERMENTO. O fermento se tornou um provérbio no meio do povo de Deus, como sendo a essência da hipocrisia religiosa, das doutrinas heréticas e do artificialismo cristão. No caso da aplicação desta metáfora por Paulo, neste texto, ele alerta aos seus leitores que, os erros que estavam sendo aceitos naquela igreja, se não fossem sanados e resolvidos, com o passar do tempo, poderiam contaminar toda a igreja local de Cristo naquele lugar, e até chegar em outras igrejas cristãs no mundo gentílico.

FAZ LEVEDAR. Este levedar, neste texto, fala da multiplicação da essência da massa e da multiplicação do seu conteúdo. No tocante aos pecados aceitos na igreja cristã de Corinto, tem o significado de multiplicação de ações erradas, que deveriam ser cortadas pela raiz, porque se assim não fosse, não demoraria muito, até que as coisas comuns lá do mundo fossem completamente aceitas e até aprovadas na igreja.

TODA A MASSA? Os líderes locais das igrejas tem um papel muito importante no tocante ao combate ao pecado dentro da comunidade cristã. A palavra de Deus nos faz entender que, aqueles erros praticados pelos membros das comunidades cristãs de pequena gravidade devem ser aplicada a correta disciplina. Já aqueles pecados mais graves, que causam escândalos e afetam a imagem da igreja, devem os seus praticantes ser excluídos da comunhão da igreja, é assim que ensina a bíblia.

1 Coríntios 5:4-5

1 Coríntios 5:4-5 - Em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, juntos vós e o meu espírito, pelo poder de nosso Senhor Jesus Cristo. Seja entregue a Satanás para destruição da carne, para que o espírito seja salvo no dia do Senhor Jesus.
EM NOME DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. O nome de Cristo Jesus é o nome mais poderoso que se possa imaginar, porque o nome do Filho de Deus foi dado pelo próprio Deus, antes mesmo do seu nascimento, quando o anjo do Senhor apareceu ao nobre casal José e Maria. Nestes dois versículos encontramos a repetição por três vezes do título mais completo no nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, porque o que está se afirmando dentro deste texto é algo que envolve o grande poder de Cristo.

JUNTOS VÓS E O MEU ESPÍRITO. No texto anterior, o autor afirma que estaria ausente no corpo, porem, presente em espírito juntamente com a igreja cristã de Corinto, no momento em que os irmãos se reunissem para deliberar sobre a exclusão do elemento nocivo que estava escandalizado a comunidade cristã de Corinto. Tem um ditado que diz: A união faz a força, e tem tudo a ver com o que diz Paulo nesta sua afirmativa.

PELO PODER DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. No início, o apóstolo dos gentios dá o indicativo que esta ação da igreja juntamente com ele usaria o nome de Cristo Jesus como autoridade. Mas agora, nesta sua colocação, Paulo afirma que o próprio poder que há na pessoa bendita de Cristo Jesus era quem determinaria o resultado de tal ação da igreja do Senhor Jesus. A igreja pode determinar algo em nome de Cristo.

SEJA ENTREGUE A SATANÁS. O que Paulo escreve neste texto é algo esclarecedor sobre algumas coisas que somente o homem espiritual pode entender. Primeiro, o escritor afirma que existe uma forma operante neste mundo, que pode exercer influência sobre determinadas áreas da existência humana, e este ser espiritual do mal se chama satanás, que é adversário de Deus e de Cristo Jesus e dos filhos dos homens.

PARA DESTRUIÇÃO DA CARNE. A oração da igreja juntamente em comum acordo com o apóstolo Paulo, tiraria a proteção de Deus da vida do tal elemento incestuoso, e com isso, o adversário teria livre permissão para destruir a saúde do corpo desta pessoa excluída da comunhão da igreja. Esse fato foi parecido com o caso de Jó, e o próprio Paulo tinha em sua carne um mensageiro de satanás para lhe humilhar. Há quem diga que, as enfermidades em muitos casos servem como meio de purificação do espírito.

PARA QUE O ESPÍRITO SEJA SALVO. Neste caso, o escritor fala da unidade espiritual do ser humano, que é justamente a sua parte essencial e eterna. O corpo é matéria, e o pó, volte ao pó, mas o espírito é indestrutível. Baseado em textos como esse é que os defensores da predestinação defendem que os remidos serão salvos de todo jeito. Ser salvo é desfrutar da vida eterna em Cristo Jesus para todo o sempre, eternamente.

NO DIA DO SENHOR JESUS CRISTO. Este dia do Senhor pode ser compreendido como o dia em que o Senhor recolhe para si aqueles que irão para o paraíso. Como também este dia do Senhor pode ser visto como o dia do arrebatamento da igreja em que os vivos serão transformados e os mortos em Cristo ressuscitação para entrarem na nova Jerusalém de Deus. Este pode ainda ser o dia do julgamento no tribunal de Cristo.

1 Coríntios 5:3

1 Coríntios 5:3 - Eu, na verdade, ainda que ausente no corpo, mas presente no espírito, já determinei, como se estivesse presente, que o que tal ato praticou.
EU, NA VERDADE. Paulo usa o “eu” enfático, porque tinha autoridade própria para isso, enquanto que, por exemplo, os líderes legalistas se apoiavam na autoridade do grupo apostólico de Jerusalém. Apolo, não tinha tal autoridade, porque era comissionado e apoiado pelo próprio Paulo. Jesus usava os termos, na verdade, na verdade, que é a mesma coisa que Paulo dizer, na verdade, para enfatizar que, o que passa a dizer era a realidade dos fatos em transparência e em sinceridade mesmo.

AINDA QUE AUSENTE. E essa era justamente uma das acusações que os oponentes de Paulo em Corinto faziam contra ele, mas isso na tentativa de tomar a sua liderança naquela comunidade cristã. Não que Paulo desejasse estar ausente, mas como ele era um missionário transcultural, tinha que levar o evangelho em muitas partes do mundo gentílico. Há quem diga que ele estivesse em Éfeso ou na Macedônia.

NO CORPO. O ser humano, seja ele quem for, em suas limitações não tem como ocupar mais de um lugar físico ao mesmo tempo. Paulo, apesar de ser um gigante na fé, não tinha o atributo de Onipresença, porque este é um atributo exclusivo de Deus. Portanto, não poderia estar no corpo presente em mais de um lugar ao mesmo tempo. De forma que seu corpo estava provavelmente na cidade de Éfeso.

MAS PRESENTE NO ESPÍRITO. É difícil de interpretar esta colocação feita pelo escritor, porque existem algumas possibilidades, que para alguns, humanamente falando é complicado de entender. O próprio Paulo passou por experiência de arrebatamento em espírito, que ele próprio faz transparecer que, se no corpo ou fora do corpo, não sabe, mas ele foi arrebatado até ao terceiro céu, que é a presença de Deus mesmo. Mas o apóstolo pode estar se referindo as suas ações presente em Corinto.

JÁ DETERMINEI. Da mesma forma é difícil ter certeza destas mesmas palavras, em como Paulo determinou alguma coisa quanto àquele que deveria ser excluído da comunhão cristã da igreja de Corinto. Não se sabe se Paulo se refere a esta carta, se por meio de um representante ou ainda por meio de suas orações. Porem, é certo afirmar que o escritor já havia decidido o que fazer com o individuou incestuoso.

COMO SE ESTIVESSE PRESENTE. Seja por escrito ou por intermédio dos seus representantes na igreja cristã de Corinto, mas as deliberações de Paulo quanto a este negócio tinha que se tornar realidade. Isso porque, ele como uma autoridade eclesiástica, e como fundador daquela comunidade cristã, tinha o direito de tomar decisões deliberativas, mesmo estando, como ele já disse ausente no corpo físico.

QUE O QUE TAL ATO PRATICOU. Não se sabe ao certo o nome deste homem que estava provocando escândalo para a comunidade cristã de Corinto. O que se presume é que este homem era alguém influente, ao ponto de meter medo nas lideranças locais, para que não tomassem nenhuma atitude contra ele. Sendo desta forma necessária uma intervenção do próprio Paulo neste negócio. Esse falso cristão havia tomado, ainda que a força, a própria mulher de seu Pai, que era sua madrasta.

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

1 Coríntios 5:2

1 Coríntios 5:2 - Estais ensoberbecidos, e nem ao menos vos entristecestes por não ter sido dentre vós tirado quem cometeu tal ação.
ESTAIS. Percebe-se que o autor está furioso, humanamente falando, por saber que na igreja que ele próprio fundou estivesse acontecendo coisas horrendas, em termos de práticas anticristãs, e isso com a anuência das lideranças locais. Não se sabe quanto tempo já se passaram desde que Paulo teve que sair da igreja de Corinto para levar o evangelho em outras localidades, mas certamente já se havia passado o tempo suficiente para que o mundo estivesse entrando de forma forte naquela igreja.

ENSOBERBECIDOS. Esse termo usado pelo escritor já é recorrente, demostrando o quanto as lideranças locais da igreja cristã de Corinto estavam fora do plano de Deus, ao aceitar que pessoas infiltradas no seio daquela igreja estivessem corrompendo a comunidade cristã por inteira, uma vez que, aceitavam pessoas imundas fazerem parte da igreja local, como se tudo estivesse bem, e tal coisa fosse normal, o que não era.

E NEM AO MENOS VOS ENTRISTEÇAIS. As lideranças locais da igreja de Corinto deveriam estar envergonhadas com tal situação, mas em vez disso estavam sendo tomados pelo sentimento de soberba. O pecado que estava reinando dentro daquela comunidade cristã deveria provocar a tristeza que produz arrependimento, mas ao contrário, as lideranças da igreja de Corinto estavam conformadas com tal situação.

POR NÃO TER SIDO. Não era nem para Paulo estar escrevendo sobre este assunto, porque ele preparava as lideranças locais de tal maneira que eles mesmos sabiam de como tomarem as devidas providências nestes casos. Como nenhuma providência ainda não havia sido tomada, isso ensina sobre que tal individuou era forte naquela igreja, e que por outro lado, os líderes locais estavam esperando a chegada de Paulo.

DENTRE VÓS TIRADO. Existem casos em que se faz necessário à aplicação correta da disciplina, no sentido de corrigir certas situações de membros das igrejas e até membros do ministério. Todavia, existem casos mais graves que se faz necessário que se aplique a exclusão de tal individuou do rol de membros da comunidade cristã, porque do contrário, mais pessoas serão prejudicadas e até pode levar ao desviou e a apostasia da maioria dos membros da igreja. Os casos graves cabem então, a exclusão.

QUEM COMETEU. Não se sabe ao certo quem de fato era este homem carnal que fazia parte da igreja de Corinto, e que estava levando os costumes do mundo para dentro da igreja cristã. Nos dias atuais, pode-se dizer que existem casos parecidos, em que membros influentes das denominações vivem cometendo pecados graves, mas por serem pessoas importantes perante a sociedade, nenhuma providência é tomada.

TAL AÇÃO. No primeiro versículo deste capítulo faz menção da ação deste homem pervertido e diz que ele havia forçado a se relacionar com a mulher do seu próprio pai. Essa ação maligna praticada por esse individuou nem mesmo a sociedade ímpia aceitava, nem a comunidade judaica também, e nem mesmo as leis romanas que eram feitas por homens imorais, não permitiam. De forma que, dentro da igreja cristã de Corinto, nem em qualquer outra, não poderia ser aceito tal pecado capital.

1 Coríntios 5:1

1 Coríntios 5:1 - Geralmente se ouve que há entre vós fornicação, e fornicação tal, que nem ainda entre os gentios se nomeia, como é haver quem abuse da mulher de seu pai.
GERALMENTE SE OUVE. Certamente, o autor desta carta se refere às informações chegadas até a ele pelos que eram da casa de Cloé, que lhes trouxeram uma carta dos líderes da igreja de Corinto, falando sobre diversos assuntos que estavam acontecendo naquela igreja. E que Paulo dá resposta nos capítulos cinco a sete desta mesma carta. Além do mais, Paulo tinha em todas as igrejas fundadas por ele os seus informantes, que o mantinha por dentro de todo que acontecia em tais igrejas fundadas por ele.

QUE HÁ ENTRE VÓS FORNICAÇÃO. Em linhas gerais, esta palavra “fornicação” é utilizada nas páginas do Novo Testamento para descrever os atos sexuais entre pessoas solteiras ou entre uma pessoa solteira e outra casada, que neste caso, o solteiro comete fornicação e o casado pratica prevaricação. Porem, esta mesma palavra também pode ser posta como a designação dos variados pecados sexuais.

E FORNICAÇÃO TAL. O caso que estava acontecendo na igreja de Corinto, e ao que tudo indica era de conhecimento público, se notabilizava pelo fato de que tal pessoa envolvida era alguém influente da igreja, que estava causando um escândalo de grandes proporções. Há quem diga que o tal individuou era uma das lideranças da igreja local de Corinto, mas que ninguém tinha coragem de disciplinar este sujeito.

QUE NEM AINDA ENTRE OS GENTIOS. O fato era tão grave que nem mesmo entre aqueles que não seguiam os caminhos do evangelho se via tal acontecimento. Existe o que se pode chamar de malha moral da sociedade em que até mesmo aquelas pessoas que não seguem uma religião reprovam determinadas práticas que vão contra os bons costumes da sociedade e das famílias. Existem as boas tradições culturais dos povos.

SE NOMEIA. O que estava acontecendo na igreja de Corinto, neste caso, não era permitido em hipótese alguma, é tanto que havia mandamento a este respeito na lei de Moisés, conforme Levítico 18:8 - Não descobrirás a nudez da mulher de teu pai; é nudez de teu pai. Já no que diz respeito às leis romanas, também não era permitido que um homem se deitasse com a mulher de seu Pai, fosse ela quem fosse.

COMO É HAVER QUEM ABUSE DA MULHER. Os comentaristas, bem como os historiadores falam que o tal individuou convivia com uma mulher que anteriormente teria sido mulher de seu pai. E há quem diga, que tal caso, houve uma batalha de tal individuou para tomar a ex-mulher do seu próprio pai, razão porque nem mesmo a mulher consentia de bom grado isso, por isso que fala haver alguma forma de abuso.

DE SEU PAI. Conforme as determinações do judaísmo, tal pessoa que abusasse da mulher do seu pai, sem ser a sua legítima mãe, porem madrasta, ganharia como recompensa pela sua loucura a pena de morte, sendo apedrejado pela própria população. A cidade de Corinto era uma das mais voltadas daquela época para a prostituição, mas nem mesmo na sociedade profana tal coisa era permitida, quanto mais na igreja de Cristo. Portanto, esse era um caso que tinha de ser resolvido.

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

1 Coríntios 4:20-21

1 Coríntios 4:20-21 - Porque o reino de Deus não consiste em palavras, mas em poder. Que quereis? Irei ter convosco com vara ou com amor e espírito de mansidão?
PORQUE O REINO DE DEUS. Este mesmo reino de Deus também pode ser chamado de reino dos céus ou ainda reino de Cristo, e nos fala sobre o domínio de Deus sobre a vida e o coração das pessoas. Como também este reino de Deus nos ensina sobre o poder de Deus e de Cristo sobre os céus o mundo e todos que nele habitam. O ser humano natural não percebe que o Criador de todas as coisas governa sobre todas as coisas, mas quem é espiritual sabe que o Deus eterno tem o domínio sobre todos.

NÃO CONSISTE EM PALAVRAS. Certamente o escritor está dentro deste versículo dando uma cutucada em seus oponentes na igreja cristã de Corinto, isso porque se criou um sistema naquela igreja que o mais importante era pregar com sapiência e eloquência a palavra. E para isso, alguns se fundamentalizavam na oratória e na retórica grega, usando as ciências do saber como base, e não o poder de Deus.

MAS EM PODER. Paulo não tinha como seus opositores, a arte da homilética perfeita, mas o Espírito de Deus o tomava com poder, isso na realização de maravilhas, bem como na exposição do evangelho com poder, ao ponto de convencer judeus e gentios que Jesus Cristo era efetivamente o Messias de Deus. Deus aprovava o ministério de Paulo, realizando por seu intermédio grandes coisas pelos seus ouvintes.

QUE QUEREIS? Paulo faz saber aos seus leitores que eles teriam a opção de escolher o seu comportamento quando chegasse na igreja de Corinto. Uma das acusações dos adversários de Paulo naquela comunidade cristã era de que ele era ousado por carta, mas presente era medroso. Mas isso não é o que se ver nesta colocação feita pelo apóstolo, isso porque, ele se coloca a disposição da igreja para agir como queriam.

IREI TER CONVOSCO. Já era certo de que o apóstolo dos gentios estava se preparando para chegar mais uma vez a cidade de Corinto, com o objetivo de fazer uma visita àquela igreja. O desejo íntimo do apóstolo era de que dessa vez, fosse como da primeira, quando fundou aquela comunidade cristã, mas se fosse necessário combater fortemente algumas irregularidades naquela igreja, assim seria feito com sua chegada.

COM VARA OU COM AMOR. Essa expressão “com vara” não quer dizer que Paulo fosse com um cacete na mão espancando quem lhe contrariasse, mas essa é uma força de expressão editorial para demostrar a forma mais dura de agir. Com amor, nos ensina sobre a real personalidade do apóstolo Paulo, ele que por meio dos seus escritos demonstra o quando era amoroso para com seus filhos na fé e com todos.

E ESPÍRITO DE MANSIDÃO. Percebe-se que esta primeira carte, pode ter sido escrita antes da primeira visita de Paulo a igreja de Corinto, porque o escritor deseja que os líderes locais resolvam os problemas antes de sua chegada. Já a Segunda epístola aos Coríntios foi escrita entre a primeira e a segunda visita aquela igreja. Em ambas, Paulo tinha o mesmo objetivo que era alertar aos seus leitores sobre a necessidade de mudanças no comportamento deles, para que o apóstolo não usasse a disciplina.

1 Coríntios 4:19

1 Coríntios 4:19 - Mas em breve irei ter convosco, se o Senhor quiser, e então conhecerei, não as palavras dos que andam ensoberbecidos, mas o poder.
EM BREVE. Era de fato urgente a necessidade de Paulo ter que comparecer naquela igreja para então dar continuidade aos trabalhos de discipulado com seus filhos na fé. Apesar de no primeiro momento, quando da fundação daquela comunidade cristã, o apóstolo dos gentios ter dedicado cerca de um ano e meio, ensinando as doutrinas cristãs adequadas para que a igreja de Cristo se desenvolvesse em sua espiritualidade da melhor maneira possível, mas parece que não foi o suficiente.

IREI TER CONVOSCO. A chegada do apóstolo para conviver mais uma temporada com os irmãos em Corinto, resolveria algumas querelas internas daquela igreja, além de fechar a boca de alguns oponentes de Paulo, que o acusavam de que ele havia abandonado aquela comunidade cristã. Essa era a sua primeira visita que Paulo estava planejando fazer para Corinto, tendo possivelmente feito uma segunda também.

SE O SENHOR QUISER. Por que o escritor fala desta forma? Primeiro porque ele costumava depender completamente de Cristo para realizar suas diversas atividades em torno do reino de Deus. Depois, Paulo não recebia ajuda financeira das igrejas e nem de ninguém para realizar a obra de Deus, e assim sendo, primeiro ele precisava trabalhar com suas próprias mãos, ganhar o dinheiro para então depois viajar.

E ENTÃO CONHECEREI. Alguns adversários de Paulo na igreja de Corinto andavam como que se gabando de serem mais habilitados do que o apóstolo dos gentios para fazer a obra de Deus, é tanto que, desejavam tomar a liderança local daquela comunidade Cristo de Paulo, quem sabe tornando aquela igreja independente do ministério geral de Paulo no mundo gentílico. Paulo queria conhecer esses camaradas.

NÃO AS PALAVRAS. Conforme a indireta do autor desta carta, estes oponentes de Paulo eram mesmo falastrões, que só sabiam falar, mas que não se via nenhuma virtude de Deus e do Espírito Santo em suas vidas. Hoje, o que mais tem são pregadores carregados de sermões emocionais, eloquentes, cheios do conhecimento teológicos, filosóficos e sociológicos, mas sem o poder de Deus. Sermões bonitos, pontilhados de frases chocantes, não quer dizer que o pregador é um homem de Deus.

DOS QUE ANDAM ENSOBERBECIDOS. No texto anterior o apóstolo fala sobre alguns que andavam ensoberbecidos. Pela colocação feita por Paulo, podemos conjecturar que estes grupos separatistas na igreja de Corinto eram aqueles que se deixavam dominar pela soberba, pelo fato de que eram bons pregadores da retórica, e que faziam seus sermões baseados nas regras perfeitas da Homilética popular grega.

MAS O PODER. Se Paulo não era lá um pregador que se enquadrasse nos ditames da homilética dos grandes oradores daquela época, mas seu simples ministério era acompanhado de grandes manifestações do poder do Espírito de Deus. De forma que, em um tom de crítica, Paulo alerta que ao chegar na igreja de Corinto, queria ver com os próprios olhos quem realmente era aprovado por Deus. Se multiplicam os sermões, as pregações e as palavras, porem é como se Deus estivesse muito distante.

1 Coríntios 4:18

1 Coríntios 4:18 - Mas alguns andam ensoberbecidos, como se eu não houvesse de ir ter convosco.
MAS ALGUNS. Temos então, mais um texto que faz transparecer a divisão que havia na igreja cristã de Corinto, motivo de preocupação por parte de Paulo, uma vez que, o faccionismo naquela comunidade cristã só fazia enfraquecer o povo de Deus naquele lugar. As informações que chegaram até ao apóstolo dos gentios eram de que tinha em Corinto, alguns que andavam inchados pelo fato de que o fundador daquela comunidade cristã não estava presente para cuidar pessoalmente daquela igreja.

ANDAM. A metáfora do andar cristão é muito utilizada pelo escritor para descrever o modo em que estavam se comportando aqueles que se diziam ser servos de Cristo. No caso em foco, este andar dos filhos na fé de Paulo nos fala das ações de alguns em não aceitarem o fato de que Paulo fosse um missionário transcultural, levando o evangelho em outros lugares, mas que ele vivesse apenas para cuidar da igreja de Corinto.

ENSOBERBECIDOS. Na realidade, havia um grupo dentro da igreja de Cristo em Corinto que acusavam a Paulo de ter abandonado aquela comunidade cristã. Estes mesmos que faziam tais acusações injustas contra o fundador daquela igreja, é porque desejavam que outra pessoa se tornasse o líder local daquela comunidade cristã. Fala-se no grupo ligado ao apóstolo Pedro, mas pode ser o grupo ligado a Apolo.

COMO SE EU. O fato é que Paulo ficou responsável pela evangelização do mundo gentílico, incluindo continentes inteiros com várias nações, Portanto, como o apóstolo não podia estar presente em todas as igrejas ao mesmo tempo, ele enviava seus companheiros de ministério, como também se comunicava com as igrejas por meio de suas cartas. Apolo estava em Corinto com o apoio de Paulo, Timóteo já havia sido enviado, Tito exerceu atividades naquela igreja, bem como outros também.

NÃO HOUVESSE. Somente na fundação daquela comunidade cristã, o apóstolo dos gentios ficou mais ou menos um ano e meio, e podemos contabilizar pelo menos mais duas visitas de Paulo a igreja cristã de Corinto. Assim sendo, os comentaristas falam de que por mais de três anos Paulo ficou juntamente com seus filhos na fé naquela cidade. Vontade era o não faltava por parte de Paulo de estar com seus leitores.

DE IR TER. É provável que, neste momento em que o apóstolo escrevia essa sua primeira carta aos Coríntios, ele ainda não fizera sua primeira visita àquela igreja, depois do momento de fundação daquela comunidade cristã. Já em sua segunda carta, aprendemos que o escritor já havia feito uma primeira visita àquela igreja, e que já estava em curso sua segunda visita, o que certamente aconteceu tempos depois.

CONVOSCO. Por fim, vale a pena salientar, o que afirmam alguns interpretes deste texto, que os que andavam indiferentes com Paulo eram justamente aqueles que faziam parte do seu partido. Isso porque queriam mesmo era que o apóstolo dedicasse mais tempo àquela comunidade cristã, porque gostavam de verdade do apóstolo e desejavam sua presença naquele lugar por mais tempo. E podemos conjecturar que pela vontade de Paulo assim seria, mas, ele como missionário transcultural não podia.

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

1 Coríntios 4:17

1 Coríntios 4:17 - Por esta causa vos mandei Timóteo, que é meu filho amado, e fiel no Senhor, o qual vos lembrará os meus caminhos em Cristo, como por toda a parte ensino em cada igreja.
POR ESTA CAUSA VOS MANDEI TIMÓTEO. Sabendo Paulo que à igreja em Corinto estava se comportando diferente das demais igrejas por ele fundadas, então, o apóstolo resolve mandar um dos seus amigos de ministério para tentar contornar a situação. Timóteo era filho de mãe judia, mas de pai grego, ele que desde muito jovem vinha sendo instruído nos costumes dos judeus por sua mãe e por sua avó, mas que de foto, se converteu ao cristianismo por meio da pregação do apóstolo Paulo.

QUE É MEU FILHO AMADO. Como missionário que era e pregador incansável do evangelho de Cristo, por onde passava anunciava as boas novas de Cristo Jesus, o Salvador. E tendo encontrado Timóteo, o levou a ter um encontro com Cristo. O fato de Paulo chamar a Timóteo de amado, isso nos ensina sobre a sua maneira amorosa de tratar seus companheiros de ministério, o que deveria servir de lição para muitos.

E FIEL NO SENHOR. Desde os primeiros momentos de sua conversão ao cristianismo que Paulo vinha acompanhando o crescimento e desenvolvimento espiritual de seu Filho na fé, Timóteo. Por isso que o escritor declara que Timóteo era fiel no Senhor, e isso fala do compromisso que este jovem ministro do evangelho tinha com a causa do reino de Cristo. Infelizmente esta missão de Timóteo não foi bem sucedida.

O QUAL VOS LEMBRARÁ. Como Paulo não podia estar ao mesmo tempo dando assistências a muitas igrejas fundadas por ele, então, o apóstolo trabalhava com uma boa equipe de cooperadores, estes mesmos que cumpriam missões em lugar de Paulo nas igrejas o representando. E Timóteo foi bem instruído por Paulo de como deveria agir quando chegasse na comunidade cristã que estava na grande cidade de Corinto.

OS MEUS CAMINHOS EM CRISTO. No primeiro momento, podemos dizer que Timóteo falaria de como Paulo vivia envolvido em suas muitas atividades para dar conta de suas missões transculturais, tendo que viajar para vários países. No entanto, o que o autor desejava mesmo era repassar por meio de seu filho na fé para a igreja de Corinto de como funcionavam as igrejas por ele fundadas no mundo gentílico.

COMO POR TODA A PARTE ENSINO. Quando o missionário chega de princípio em uma determinada cidade, ele cuidava em primeira mão de semear as boas novas do evangelho de Cristo. E, na medida em que pessoas se convertiam do paganismo ao cristianismo, o apóstolo trabalhava intensamente com o discipulado. Como era de costume, Paulo também formava o corpo ministerial da igreja local com suas regras.

EM CADA IGREJA. Nas igrejas fundadas por Paulo no mundo gentílico existiam as regras ministeriais gerais, mas também existiam as regras ministeriais locais, conforme a necessidade de cada comunidade cristã. Porem, as igrejas ligadas às lideranças da igreja matriz de Jerusalém funcionavam diferente, por isso que, a chegada dos representantes de Jerusalém nas igrejas gentílicas provocava transtorno, Porque as regras ministeriais aplicadas por Paulo eram diferentes das dos demais apóstolos.

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

1 Coríntios 4:15-16

1 Coríntios 4:15-16 - Porque ainda que tivésseis dez mil aios em Cristo, não teríeis, contudo, muitos pais; porque eu pelo evangelho vos gerei em Jesus Cristo. Admoesto-vos, portanto, a que sejais meus imitadores.
PORQUE AINDA QUE TIVÉSSEIS DEZ MIL AIOS. O “aio” era um tipo de instrutor que ensinava a criança no caminho em que deveria andar, até que ele se tornasse adulto, e que pudesse se tornar responsável pelos seus próprios atos. A igreja de Corinto era do tipo que gostava de acumular seus muitos mestres humanos com o objetivo de crescer no conhecimento das ciências. Apolo, por exemplo, se encaixou muito bem como pregador naquela igreja, porque ele era de fato um homem eloquente no falar.

EM CRISTO. A sociedade de Corinto era fascinada pela cultura do saber e essa faceta também predominava dentro da igreja cristã daquela cidade. De forma que, os que faziam parte daquela comunidade cristã andavam a procura de bons pregadores que pudessem transmitir suas mensagens profundas e carregadas de filosofia, sociologia, pedagogia do ensino, ideologias humanas e teologia, com mistura de gnosticismo.

NÃO TERÍEIS, CONTUDO, MUITOS PAIS. Ainda que eles acumulassem dez mil mestres, ensinadores, pregadores e aplicadores da retórica e da oratória convencional dos gregos, contudo, não poderiam ter muitos pais na fé. Porque quem fundou aquela comunidade cristã em meio às muitas perseguições e dificuldades foi justamente o apóstolo Paulo. Todos eles, senão quase todos eram seus filhos na fé em Cristo.

PORQUE EU PELO EVANGELHO. Quando ainda predominavam as trevas do paganismo naquela cidade, quando ninguém queria levar as boas novas aquela gente, o apóstolo dos gentios enfrentou a tudo e a todos para chegar com o evangelho da libertação aos seus leitores de agora. Por isso que o escritor não aceitava, e por isso lutava, para que naquela igreja não houvesse tanto partidarismo, tanto faccionismo e divisões.

VOS GEREI EM JESUS CRISTO. Foi Paulo quem primeiro pregou o evangelho de Cristo naquela cidade, o que gerou a fé necessária naquela gente, ao ponto de aceitarem a Cristo como Senhor e Salvador, e com isso, nasceram de novo, porque se tornaram em novas criaturas, sendo regenerados para uma nova vida em Cristo Jesus. Quando esta carta foi escrita, muitos queriam ser líder em Corinto, mas foi Paulo quem fez tudo.

ADMOESTO-VOS, PORTANTO. Como pai na fé dos que seriam receptores desta correspondência, é que o escritor se posta a lhes advertirem de que seguissem seus ensinos, de quando ele esteve naquele lugar, bem como por meio de suas cartas. Duas grandes cartas servem como prova substancial de que Paulo só queria o bem de todos aqueles que faziam parte da igreja cristã que estava na cidade de Corinto.

A QUE SEJAIS MEUS IMITADORES. Paulo não era contra, que os irmãos de Corinto multiplicassem seus mestres, ensinadores e pregadores, contudo, que reconhecessem que ele, como fundador que era daquela igreja servisse de exemplo a ser seguido por todos eles. Todos eles conheciam de perto o comportamento de Paulo, ele que ficou um bom tempo entre os seus leitores, e com isso, deu um bom testemunho de quem efetivamente servia a Deus. Sede meus imitadores como eu sou de Cristo.

1 Coríntios 4:13-14

1 Coríntios 4:13-14 - Somos blasfemados, e rogamos; até ao presente temos chegado a ser como o lixo deste mundo, e como a escória de todos. Não escrevo estas coisas para vos envergonhar; mas admoesto-vos como meus filhos amados.
SOMOS BRASFEMADOS. Não só na igreja de Cristo em Corinto, mais em outras tantas, haviam levantes dos falsos líderes contra a pessoa de Paulo e principalmente contra seu ministério, que era um ministério diferente do ministério exercido por aqueles que faziam parte da igreja matriz de Jerusalém. Depois que Paulo fundou grandes igrejas no mundo gentílico, muitos dos líderes legalistas desejavam invadir os campos missionários de Paulo, e se tornarem líderes locais das igrejas fundadas por Paulo.

E ROGAMOS. A igreja de Corinto era um exemplo das lutas que o apóstolo dos gentios tinha que enfrentar, para manter unidas as igrejas gentílicas fundadas por ele, sob sua administração geral, apesar de que Paulo mesmo constituía lideranças locais para tomarem conta das igrejas em cada cidade e região. O rogo de Paulo se traduz pelo seu trabalho de reconciliação com as igrejas e as lideranças pela unidade.

ATÉ AO PRESENTE TEMOS CHEGADO A SER COMO LIXO DESTE MUNDO. O escritor sofria terrível desprezo por parte daqueles que se achavam melhores do que ele. Na igreja de Corinto, chegavam a acusar a Paulo de que ele não era um verdadeiro apóstolo de Cristo, porque não tinha convivido pessoalmente com o Senhor Jesus. Depois o acusavam de não receber dinheiro, porque não era apóstolo de Cristo.

E COMO ESCÓRIA DE TODOS. Quando o autor diz que era considerado como lixo, isso nos fala do quanto os seus oponentes o desvalorizavam diante da própria igreja de Cristo. E quando o escritor fala de escória, ele está falando do resto de algo que é desprovido de qualquer valor. O lixo ainda pode ser reciclado, mas o refugo do lixo para nada presta. Era o que diziam de Paulo, que ele não servia para nada.

NÃO ESCREVO ESTAS COISAS PARA VOS ENVERGONHAR. Os opositores de Paulo viviam se orgulhando de serem lideranças representantes de Jerusalém, apresentando suas credenciais de autoridades apostólicas de Cristo. Outros se gabavam de serem possuidores da sabedoria pela prática da retórica e da oratória perfeita. Enquanto isso, Paulo demostrava humildade e simplicidade, afirmando que ele teve que passar pelas mesmas coisas que o seu Mestre Jesus Cristo teve que atravessar em seu ministério.

MAS ADMOESTO-VOS. Admoestar é aconselhar para o que é bom e correto, e no caso de Paulo, foi assim desde o princípio, quando ele esteve entre os coríntios pregando o evangelho e lhes ensinando as doutrinas cristãs. Mesmo que ficassem estremecidos com o escritor, mas suas intenções eram as melhores possíveis. Mesmo estando ausente no momento, mas por carta, Paulo buscava edificar seus filhos na fé.

COMO MEUS FILHOS AMADOS. Na verdade, os leitores desta carta eram de fato filhos na fé de Paulo, porque eles foram gerados pelas mensagens transmitidas pelo apóstolo dos gentios, quando em Corinto esteve pregando as boas novas do evangelho libertador do Senhor Jesus Cristo. Além de serem filhos na fé do apóstolo, eles também eram pessoas muito amadas de Paulo, porque moravam em seu coração.

domingo, 7 de janeiro de 2018

1 Coríntios 4:12

1 Coríntios 4:12 - E nos afadigamos, trabalhando com nossas próprias mãos. Somos injuriados, e bendizemos; somos perseguidos, e sofremos.
E NOS AFADIGAMOS. Os apóstolos de Jerusalém já contavam com uma grande equipe, arrebanhada pelo próprio cristo, para evangelizar o país de Israel e arredores. Enquanto que, o mundo gentílico, composto por todas as demais nações do mundo civilizado de então, contava somente com Paulo para chegar com o evangelho das boas novas de Cristo. Assim sendo, o apóstolo dos gentios tinha que fazer quase tudo sozinha quando desbravava um novo campo missionário para Cristo Jesus.

TRABALHANDO. Ao chegar em uma nova cidade para evangelizar, o apóstolo dos gentios começava do zero e tinha que levar as boas novas aos quatro cantos de tal cidade. Os novos convertidos ele tinha que trabalhar por meio do discipulado para que se firmassem no evangelho, além de ter que preparar novos obreiros locais para tomarem conta da nova comunidade cristã, só depois partia para outra localidade.

COM NOSSAS PRÓPRIAS MÃOS. Neste versículo, mais uma vez, o escritor, como em muitos outros textos dos seus escritos nos faz saber qual era o seu comportamento e de seus companheiros de ministério, quanto à parte financeira dos seus trabalhos. Na realidade, Paulo não aceitava nenhum tipo de ajuda financeira nem da igreja nem de quem quer que seja para realizar a obra de Deus. Isso era regra nas igrejas gentílicas.

SOMOS INJURIADOS. Dentro da própria igreja em Corinto, Paulo era injuriado porque não aceitava recompensas financeiras para pregar a palavra de Deus. Porque tinha lá o grupo ligado às lideranças da igreja matriz de Jerusalém, chamado o partido de Cefas, que aceitavam ajudas financeiras para realizarem a obra do reino de Cristo. Sem falar de outras tantas falsas acusações que faziam contra o apóstolo por exercer um ministério independente, pregando o evangelho da incircuncisão aos gentios.

E BENDIZEMOS. Apesar de não ter convivido pessoalmente com o Senhor Jesus durante seu ministério terreno, porem, Paulo sabia de como agiu o Mestre em cada momento de sua vida, e isso por revelações de Deus. Assim como Cristo não reagia contra os seus ofensores, da mesma forma Paulo fazia, e em vez de amaldiçoar seus adversários, dentro e fora das igrejas, ele orava por eles para que se convertessem.

SOMOS PERSEGUIDOS. Assim como o Senhor Jesus viveu a todo o momento sendo perseguidores pelos seus compatriotas judeus, não foi diferente com Paulo que era um exemplo de verdadeiro representante de Cristo nesta terra. Os judaizantes, os falsos irmãos da própria igreja, os líderes das demais religiões pagãs daquela época, e as autoridades romanas, não largavam de perseguir a Paulo que pregava o evangelho.

E SOFREMOS. Depois do Senhor Jesus, nenhum dos demais apóstolos de Cristo sofreu tanto, o quando o apóstolo dos gentios. Muitas vezes para escapar da morte teve que fugir as presas de uma cidade para outra, sem ter descanso de dia nem de noite, porque o diabo com os seus demônios estavam usando muitas pessoas para tentar tirar a vida de Paulo, com o objetivo de deter o crescimento da igreja de Cristo no mundo gentílico. A falta de recursos também gerava muito sofrimento para Paulo.

sábado, 6 de janeiro de 2018

1 Coríntios 4:11

1 Coríntios 4:11 - Até esta presente hora sofremos fome, e sede, e estamos nus, e recebemos bofetadas, e não temos pousada certa.
ATÉ ESTA PRESENTE HORA. Desde que começou a fazer missões em prol do reino de Cristo, que o autor desta carta vinha sendo perseguido pelos inimigos de Cristo e de sua igreja. O diabo com os seus demônios sabendo de quão grande missão Paulo tinha e de tão importante era suas atividades para o avanço do cristianismo na terra, então arregimentava todos que ele exercia influência para tentar deter ao apóstolo dos gentios para que ele não fizesse os seus trabalhos de evangelismo no mundo.

SOFREMOS. O escritor não tinha uma vida nada fácil, pois a todo o momento estava passando por momentos de aflições, porque eram muitos seus oponentes, dentro e fora das igrejas. Depois que Paulo deixou o judaísmo pelo cristianismo, os judaizantes passaram a persegui-lo de forma implacável, além de que em todas as cidades aonde Paulo chegava já existiam as religiões pagãs, que seus líderes se sentiam ameaçados com o evangelho pregado por Paulo, e passavam a persegui-lo dia e noite sem parar.

FOME. Era uma regra estabelecida por Paulo, para ele e para seus amigos de ministério que, nas igrejas fundadas por ele, ninguém recebia salário da igreja, nem ajuda financeira de quem quer que seja, para fazer a obra de Deus. Com isso, Paulo trabalhava com suas próprias mãos para se manter. Por isso que ele muitas vezes passava por necessidades, tendo várias vezes de passar até fome de pão e alimentos.

E SEDE. Como missionário que era, o apóstolo dos gentios tinha que viver em viagens constantemente em busca de levar as boas novas do evangelho do Senhor Jesus onde Cristo ainda não era conhecido. Portanto, em suas viagens, Paulo teve que suportar sede, porque tinha que viajar pelos mares, onde não tinha água potável, além de ter que viajar por grandes travessias de desertos, de cidade para cidade.

E ESTAMOS NUS. Dentro dos escritos de Paulo podemos aprender que houve momentos em que ele passou por instantes de estrema pobreza para fazer seus trabalhos de missões. Isso não acontecia com as lideranças da igreja matriz, porque, ao que tudo indica, eles cobravam para pregar e aceitavam ajudas financeiras das igrejas para exercer o ministério. Com Paulo era diferente por isso sofria até falta de roupa.

E RECEBEMOS BOFETADAS. É provável que o escritor se refira aos maus-tratos físicos que ele recebeu dos judaizantes e que ele descreve em 2 Coríntios 12:24-25 - Recebi dos judeus cinco quarentenas de açoites menos um. Três vezes fui açoitado com varas, uma vez fui apedrejado, três vezes sofri naufrágio, uma noite e um dia passei no abismo. Por isso que Paulo declara que tinha as marcas de Cristo em seu corpo.

E NÃO TEMOS POUSADA CERTA. João Batista exerceu seu ministério no deserto, Jesus não tinha onde reclinar a cabeça e Paulo era um verdadeiro peregrino na terra, isso porque, era um missionário transcultural, que vivia de cidade em cidade, pregando as boas novas de Cristo. Além de que, a maior parte do seu tempo, Paulo vivia fugindo de um lugar para outro, por conta das perseguições que tinha que enfrentar por ser um representante de Cristo. Ele não tinha residência fixa, e nem construiu uma família.

1 Coríntios 4:10

1 Coríntios 4:10 - Nós somos loucos por amor de Cristo, e vós sábios em Cristo; nós fracos, e vós fortes; vós ilustres, e nós vis.
NÓS SOMOS LOUCOS. Paulo escreve um “nós” editorial, mas de fato se reporta a se mesmo falando do conceito que os seus oponentes lhe davam quanto a sua maneira de transmitir o evangelho de Cristo e as doutrinas cristãs. Aqueles que trabalhavam contra o ministério de Paulo faziam de tudo para poder desclassifica-lo em suas atividades, mas o objetivo final era de fato deter a marcha da igreja, que vinha crescendo muito em todas as partes do mundo gentílico, pelas atividades de Paulo.

POR AMOR. Desde os primeiros momentos em que o apóstolo dos gentios teve o seu encontro pessoal com o Salvador da humanidade, que ele viu nascer em sua alma um amor descomunal pelas coisas do reino de Deus. E agora, não media esforços para executar sua importante missão em levar as boas novas de Cristo, principalmente onde o Senhor Jesus ainda não era conhecido, desbravando novos campos missionários.

DE CRISTO. Dentre todos os apóstolos da igreja primitiva, ninguém mais que Paulo foi mais perseguido dentro e fora das igrejas, e isso por amor a Cristo. Muitas perseguições o apóstolo dos gentios teve que enfrentar dos seus próprios compatriotas, os judeus, bem como das demais lideranças religiosas das falsas religiões, sem falar na implacável oposição do império romano contra ele.

E VÓS SÁBIOS EM CRISTO. Mas, enquanto os opositores de Paulo o tachavam de louco, pela forma como ele pregava o evangelho, o importante era que vidas estavam sendo alcançadas pela graça divina. E aqueles que se rendiam aos pés de Cristo se tornavam sábios, porque recebiam o Espírito Santo de Deus, e com isso recebiam a verdadeira sabedoria que vem do alto, com as revelações de Deus. Os leitores desta carta eram pessoas privilegiadas, porque conheciam os mistérios do céu.

NÓS FRACOS. Os oponentes de Paulo o acusavam de fraco, porque achavam que ele havia se acovardado em não permanecer como liderança local na igreja de Corinto. Também o acusavam de ser fraco, pelo fato de que ele não pregava com base nas regras da oratória e da retórica filosófica dos gregos. Além do mais, diziam que Paulo era fraco, por conta de suas frequentes enfermidades, o espinho na carne.

E VÓS FORTES. Porem, para o apóstolo dos gentios, o mais importante era olhar para a cidade de Corinto e saber que naquele lugar tinha uma igreja poderosa, que andava nos caminhos do evangelho de Cristo. A igreja de Cristo em Corinto era uma das mais fortes daquela região, é tanto que, muitos até vindos de Jerusalém queriam se tornar o líder local daquela comunidade cristã, razão das lutas e batalhas internas.

VÓS ILUSTRES, E NÓS VIS. Antes do evangelho chegar na cidade de Corinto, aquela sociedade era a mais depravada que se possa imaginar. Depois que Paulo chegou com sua mensagem sobre as boas novas de Cristo, Deus usou de misericórdia e graça com aquela gente, e nestes dias, a igreja cristã de Corinto era um orgulho para o cristianismo. Mesmo que para isso, o fundador daquela comunidade cristã tenha tido que enfrentar tantas perseguições. Paulo sofreu muito por amor aquela igreja.