Pesquisar este blog

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

1 Coríntios 2:5

1 Coríntios 2:5 - Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus.
PARA QUE. O escritor mostra neste texto sua real preocupação para com seus filhos na fé, no sentido de lhes proteger de algo que pudesse lhes prejudicar em suas caminhadas no evangelho de Cristo. O que temos neste texto é o motivo com que Paulo não falasse nem pregasse conforme os padrões e costumes impostos pelos líderes legalistas nem pelos pregadores de filosofias. A forma com que o fundador daquela igreja ensinava a palavra de Cristo era com sinceridade de Deus.

A VOSSA FÉ. Quando o apóstolo dos gentios pôs seus pés na cidade de Corinto para realizar suas campanhas evangelísticas, ele tinha alvos bem definidos para com os seus ouvintes, que era justamente criar uma fé verdadeira em seus corações, a fim de entregarem suas vidas aos cuidados de Cristo. Esta fé, sobre a qual fala o autor diz respeito à entrega da alma aos cuidados de Cristo, o que os coríntios tinham feito.

NÃO SE APOIASSE. O autor fala sobre a base da fé dos seus leitores, que também significa fundamento de sustentação. Com isso, Paulo deixa bem claro que, suas atividades em torno da palavra de Deus, por meio da pregação e ensino, eram para que os seus filhos na fé em Corinto se apoiassem em algo sólido, e não em coisas humanas que são passageiras. Mas no poder de Deus, que vem pelo Espírito Santo.

EM SABEDORIA. Os pregadores vindos das bandas de Jerusalém ou líderes legalistas da igreja matriz exerciam suas atividades baseados na sabedoria da lei, porque para os judeus, a verdadeira sabedoria era o conhecimento da legislação de Moisés. Para os partidários da filosofia sufista, a sabedoria consistia na eloquência da oratória bem elaborada, com suas técnicas perfeccionistas. Essa era a sabedoria terrena.

DOS HOMENS. A sabedoria dos homens, não é a mesma coisa que a sabedoria que vem do alto. A sabedoria dos homens é aquela adquirida pelos esforços humanos, como acúmulo de conhecimentos das ciências humanas. Já a sabedoria que vem do alto é dada gratuitamente por Deus, mediante a iluminação do Espírito de Deus. Esta sabedoria que vem de cima é exercida por meio dos dons espirituais e ministeriais, e somente os que buscam o reino de Deus e as coisas que são de cima recebem de Deus.

MAS NO PODER. Este poder de Deus sempre esteve em ação desde a fundação do mundo, mostrando aos filhos dos homens que existe um Criador e Governante universal. Este mesmo poder foi manifesto na pessoa bendita de Cristo Jesus e continua sendo derramado pelo Espírito Santo. Este poder de Deus está presenta na vida de todos os verdadeiros representantes do reino de Deus e de Cristo na terra.

DE DEUS. A genuína fé que as pregações e ensinos de Paulo geraram nos seus filhos na fé, que faziam parte da igreja de Corinto, estava apoiada no poder de Deus. Desta forma, as heresias pregadas pelos falsos ensinadores naquela comunidade cristã, não podiam abalar a confiança dos leitores desta importante missiva. Paulo, não somente pregava o evangelho das boas novas, mas ele cuidava do discipulado dos novos convertidos, até que se firmassem na fé, só depois partia para outras localidades.

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

1 Coríntios 2:4

1 Coríntios 2:4 - A minha palavra, e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração de Espírito e de poder.
A MINHA PALAVRA. Com quem Paulo se comunicava, ele não falava de outra coisa, senão do evangelho das boas novas de Cristo. O apóstolo dos gentios se achava muito devedor ao Senhor Jesus pelas grandes e preciosas promessas que o Mestre lhe havia já feito, principalmente no tocante a vida eterna. Além de que, sua missão era sempre levar cativos os seus ouvintes ao conhecimento de Cristo, como um missionário do reino de Deus, e com isso, não perdia a oportunidade de falar do Senhor Jesus.

E A MINHA PREGAÇÃO. Neste caso, o escritor fala de suas campanhas evangelísticas em que ele juntamente com seus companheiros de ministério se propuseram em pregar o evangelho libertador do Senhor Jesus aos moradores de Corinto. E depois de conquistar vidas para o reino dos céus naquela cidade, então, tinha início uma nova etapa, que era efetivamente o discipulado cristão, com as doutrinas cristãs.

NÃO CONSISTIRM EM PALAVRAS. Como Paulo havia recebido as revelações do evangelho diretamente dos céus, ele pregava e ensinava de modo diferenciado, porque suas mensagens eram carregadas de poder e da sabedoria que vem do Espírito de Deus. Um elemento diferenciador nos trabalhos de Paulo era de que ele não fazia prosélitos para si mesmo, mas ganhava discípulos para o reino de Deus e de Cristo.

PERSUASIVAS. Certamente há nesta expressão de Paulo, um tom de crítica àqueles que se infiltraram na igreja de Corinto, com o objetivo de criar facções naquela comunidade cristã. Eles que usavam da persuasão e dissimulação para conquistarem para si mesmo prosélitos e não para Cristo. No caso de Paulo, ele falava e pregava com sinceridade o evangelho da verdade, mesmo que tivesse de desagradar a alguns.

DE SABEDORIA HUMANA. Não há dúvida que o escritor se refere ao modo de pregar dos seus oponentes naquela igreja, sejam os líderes legalistas da igreja matriz, sejam os pregadores de filosofias da religião. O apóstolo dos gentios falava e pregava com a sabedoria que vem do alto, mediante a revelação dos mistérios de Deus, sendo usado pelo Espírito de Deus. E suas palavras não eram meras locuções de falas vazias, porque suas pregações estavam acompanhadas do poder que vinha de Deus e de Cristo.

MAS EM DEMONSTRAÇÃO DE ESPÍRITO. A palavra “Espírito” em nossa versão bíblica esta com a primeira letra maiúscula, indicando que Paulo falava e pregava, não com base em sabedoria meramente humana, mas ele dependia das revelações do Espírito Santo de Deus para transmitir suas mensagens. Hoje, o que mais têm são pregadores cheios da sabedoria humana, porem, vazios da presença do Espírito Santo.

E DE PODER. Em demonstração de Espírito e de poder, isso nos ensina sobre a pregação acompanhada de autoridade que vem de Deus, sobre a vida e as palavras de quem prega o evangelho de Cristo. A manifestação deste poder, nas mensagens transmitidas por Paulo era vista, quando as pessoas se rendiam para Cristo, o aceitando como Senhor e Salvador. Além de que, o que ele falava se cumpria na vida das pessoas, porque eram palavras ditas pela direção do Espírito de Deus e de Cristo.

1 Coríntios 2:2-3

1 Coríntios 2:2-3 - Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado. E eu estive convosco em fraqueza, e em temor, e em grande tremor.
PORQUE NADA ME PROPUS SABER ENTRE VÓS. É provável que o autor se refira a quando ele esteve entre os seus leitores para levar o evangelho, como primeiro missionário cristão naquela cidade. Chegando naquele lugar, o que interessava para o apóstolo dos gentios era pregar as boas novas aquelas pessoas e vê-los se entregando totalmente ao reino de Deus. Chegando em Corinto, Paulo não procurou saber como eram os costumes e as tradições daquela gente, mas se ocupou em anunciar a Cristo.

SENÃO A JESUS CRISTO. É de se pensar que Simão ao chegar naquela igreja procurou saber como eram as tradições daquele lugar, no sentido de não desagradar aos seus ouvintes. O mesmo pode-se dizer quanto a Apolo, ele que com sua sabedoria humana e sua eloquência oratória, propôs em pregar o que agradava ao povo. Enquanto que a única preocupação de Paulo era fazer conhecido a Jesus Cristo, o Salvador de todos.

E ESTE CRUCIFICADO. Mais uma vez, nesta sua carta, o escritor nos faz saber que suas pregações em Corinto eram essencialmente Cristocêntricas. Já os líderes legalistas de Jerusalém, ao chegarem no mundo gentílico procuravam evitar em falar da crucificação de Jesus, porque isso era escândalo para os judeus e loucura para os gregos. Não para Paulo, que explicava no evangelho os benefícios da redenção.

E EU ESTIVE CONVOSCO. Não temos como saber se Paulo se refere também a sua segunda visita, ou se ele apenas se reporta a sua primeira visita a Corinto, quando de sua campanha evangelística naquela cidade para fundar aquela comunidade cristã. Os leitores desta carta sabiam do que Paulo estava escrevendo e de como a presença do apóstolo dos gentios foi importante para eles e ainda seria também.

EM FRAQUEZA. Não se sabe ao certo sobre que tipo de fraqueza se refere o escritor, mas podemos conjecturar que Paulo pode estar se referindo ao seu estado de saúde. Na sua Segunda carta aos Coríntios o autor fala a respeito de um espinho na carne, o que os comentaristas chamam de enfermidade, que poderia ser problemas de visão, ou enfermidades outras, como ataque de malária, bem como ataques epiléticos. Já os críticos chegam a afirmar que Paulo estava meio frio na fé e desanimado da missão.

E EM TEMOR. Ao mesmo instante, o apóstolo dos gentios estava tomado de temor que o fazia se esforçar ao máximo para não desistir da sua missão, mesmo que tivesse de passar por momentos de perigos. O temor positivo é motivador porque leva aos servos de Cristo a irem até as últimas consequências em realizar suas missões em prol do reino de Cristo. Paulo sabia que estava realizando aquela obra na presença de Deus.

E EM GRANDE TREMOR. Já este tremor citado pelo escritor, diz respeito a seus receios humanos de que a qualquer momento poderia ser atingido pelo perigo e até mesmo pela morte. Antes de chegar à cidade de Corinto Paulo tinha sido expulso de Atenas, pelos opositores do evangelho. Portanto, ainda restava em seu coração o receio de que em Corinto, as coisas dessem erradas. Este tremor fala do medo de alguma coisa contrária, como também é uma defesa natural contra os perigos eminentes.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

1 Coríntios 2:1

1 Coríntios 2:1 - E eu, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não fui com sublimidade de palavras ou de sabedoria.
E EU, IRMÃOS. O “eu” enfático do autor é para diferenciá-lo dos demais pregadores que já haviam neste tempo em que Paulo escreve essa sua carta, se apresentado naquela igreja. Simão, Apolo e outros que estavam se apresentando como pregadores naquela comunidade cristã eram diferentes de Paulo, porque certamente pregavam bonito, com seus discursos eloquentes, carregados de palavra emocionais. Paulo com simplicidade e humildade, falava da crucificação de Cristo pela humanidade.

QUANDO FUI TER CONVOSCO. Na sua Segunda carta aos Coríntios, Paulo fala de uma segunda visita a igreja de Corinto, e que estava se preparando para fazer a terceira viagem até aquela igreja. Mas, neste caso, é provável que o apóstolo dos gentios se refira a quando esteve pela primeira vez na cidade de Corinto para anunciar o evangelho de Cristo pela primeira vez, quando teve a oportunidade de fundar a igreja.

ANUNCIANDO-VOS. Ao ter se convertido do judaísmo para o cristianismo, Paulo passou mais ou menos três anos e meio, entre o deserto da Arábia e Damasco, depois foi a Jerusalém e saindo de lá, já começou sua grande missão em levar as boas novas de Cristo aos gentios. A cidade de Corinto, como centro cultural, era muito importante na estratégia de Paulo para evangelizar a grande região da Acaia e Macedônia. Corinto tinha destacado-se como berço da cultura grega, e Paulo chegava com o evangelho.

O TESTEMUNHO. O escritor fala a respeito do evangelho simples que ele pregava em suas campanhas evangelísticas no mundo gentílico. Os líderes legalistas não gostavam de pregar sobre o Cristo crucificado, porque isso era uma loucura. Apolo em suas pregações mais eloquentes estava mais voltado para a teologia do que para a mensagem da cruz. Mas Paulo pregava sobre a redenção e propiciação em Cristo.

DE DEUS. A mensagem anunciada por Paulo trazia consigo o conteúdo esclarecedor de que Deus, pelo seu grande amor enviou seu Filho Jesus para reconciliar todas as coisas com o Criador por meio da expiação de si mesmo, como sendo o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Deus estava testemunhando ao mundo por meio de Jesus Cristo, porque o Filho de Deus também era o Emanuel, ou seja, Deus conosco.

NÃO FUI COM SUBLIMIDADE DE PALAVRAS. Os pregadores penetras, ao chegarem na igreja de Corinto, se adequavam a cultura local, no sentido de pregarem com eloquência e sabedoria humana. Com Paulo era diferente, porque ele não modificava a mensagem do evangelho por ele anunciado para agradar a quem quer que seja. Paulo se esforçava ao máximo, para que sua mensagem fosse sempre Cristocêntrica.

OU DE SABEDORIA. Em uma cidade voltada para a cultura, para a sabedoria humana e como berço do saber grego, os pregadores eram tentados a polir seus discursos para não serem rejeitados pelos seus ouvintes. Porem, Paulo não se amoldava as exigências do momento, mas pregava o mesmo evangelho, que era escândalo para os judeus e loucura para os gregos, o evangelho de Cristo, e esse crucificado. A eficácia do evangelho não depende da sabedoria de quem prega, porque ele é o poder de Deus.

1 Coríntios 1:30-31

1 Coríntios 1:30-31 - Mas vós sois dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção. Para que, como está escrito: Aquele que se gloria glorie-se no Senhor.
MAS VÓS SOIS DELE. Mas vós sois de Deus. Não pertencemos a este mundo nem nos conformamos com ele. Somos de Deus porque ele nos escolheu como propriedades exclusivas dele. Somos de Deus porque ele nos escolheu em Cristo antes da fundação do mundo. Somos de Deus porque ele nos elegeu para a salvação e a vida eterna.

EM CRISTO JESUS. Somos de Deus em Cristo Jesus nosso Senhor. Isto porque foi Cristo quem nos comprou com o seu precioso sangue derramado por nós no alto do gólgota. Somos de Deus em Cristo porque ele foi crucificado em nosso lugar, cumprindo por nós o sacrifício da propiciação, e pela redenção nos reconciliou com Deus. Jesus é o nome próprio e Cristo é tudo que representa Jesus de Nazaré, o nosso Redentor.

O QUAL FOI FEITO PARA NÓS POR DEUS. Cristo Jesus representa para nós tudo de bom da parte de Deus. Se somos alguma coisa é porque Cristo Jesus nos supervalorizou pela sua morte vicária em nosso lugar. Deus honrou a Jesus Cristo em tudo, quando lhe deus um nome que é sobre todo o nome (Filipenses 2:9).

SABEDORIA. Cristo Jesus foi feito para nós por Deus à verdadeira sabedoria. Somente aqueles que são beneficiados com os efeitos positivos da redenção realizada por Cristo Jesus é que compreendem o quanto a vinda do Messias foi para nós um ato de extrema sabedoria de Deus. Porque ele nos revelou todo conhecimento sobre o Pai.

E JUSTIÇA. Cristo Jesus foi feita para nós por Deus a justiça. Esta expressão se refere à justiça divina na pessoa bendita de Cristo, como justiça de Deus. Nele se cumpre a justificação dos redimidos, porque ele é a nossa justificação perante Deus. A nossa dívida para com a justiça de Deus foi quitada e posta na conta de Cristo. 1 João 2:2 -Filhinhos, não pequeis, mas se alguém pecar, temos um advogado para com o Pai, Jesus Cristo. Quando cremos no nome de Cristo, somos perdoados diante de Deus.

E SANTIFICAÇÃO. Cristo Jesus foi feita para nós por Deus Santificação. Romanos 3:23 Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus. Essa era a nossa condição, mas o Senhor Jesus nos lavou com o seu sangue e nos purificou. Somos aceitos diante da santidade de Deus pela redenção e expiação feita por Cristo Jesus.

E REDENÇÃO. Cristo Jesus foi feita para nós por Deus redenção. O seu sacrifício em nosso lugar produziu a paz entre nós e o nosso Deus. Isaías 53:4-5 - Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.

AQUELE QUE SE GLORIA, GLORIE-SE NO SENHOR. O mundo considera os verdadeiros cristãos menos que nada. Somos considerados pela sociedade a escória da terra. Somos fracos e frágeis. Para que reconheçamos que todo glória só pertence a Deus.

domingo, 10 de dezembro de 2017

1 Coríntios 1:28-29

1 Coríntios 1:28-29 - E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são. Para que nenhuma carne se glorie perante ele.
E DEUS ESCOLHEU. A escolha de Deus. João 15:16 - Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda. Foi Deus quem tomou a iniciativa nesta escolha dos que fazem parte do seu reino. Salmos 100:3 - Sabei que o Senhor é Deus; foi ele quem nos fez povo seu, e não nós, e ovelhas do seu pasto. Falar da escolha de Deus é falar da sua chamada

AS COISAS VIS. Não é que os seguidores do cristianismo não tenham nenhum valor. O que Paulo esta escrevendo para os seus leitores é que para o mundo, os cristãos verdadeiros são vis. Para os ateus confessos ou práticos os que buscam a Deus são a escória do mundo, porque eles consideram os seguidores de Cristo como o lixo da sociedade. A igreja de Cristo cheira mal como coisa podre para o mundo dos ímpios.

DESTE MUNDO. A palavra mundo neste texto, não se refere ao mundo cósmico e sim ao mundo dos seres humanos. Paulo esta se referindo aos homens de forma genérica. Foi do meio da sociedade que Deus escolheu o seu povo, aqueles que são chamados para uma nova vida em Cristo, conforme os parâmetros do evangelho das boas novas. Dentre todos os seres humanos tem alguns que Deus olhou dos mais altos céus e disse: Você me pertence. Tu a que tomei desde os fins da terra, e te chamei.
E AS DESPREZÍVEIS. Certamente o pensamento do apóstolo estava focado nos fatos que vinham ocorrendo desde o momento da morte do grande líder do Cristianismo, Jesus Cristo. O mundo (império romano) desprezava tanto a igreja, que deseja banir de uma vez por todas o cristianismo da terra. O mundo despreza a igreja de Cristo.

E AS QUE NÃO SÃO. O mundo não considera o cristão como um cidadão comum da sociedade. A igreja de Cristo não faz parte das estatísticas dos dominadores poderosos da política e das riquezas econômicas. A prova disto é que os governos não apoiam as atividades do reino de Deus na terra. Mesmo sabendo de que o evangelho contribui para melhorar a sociedade como um todo, porque quem se converte muda de vida.

PARA ANIQUILAR AS QUE SÃO. Deus chamou dentre a sociedade os que são chamados de loucos, os fracos, os vis, os desprezíveis e os que não têm nenhum valor para o mundo, a fim de aniquilar os que se acham importantes na sociedade. Porque para Deus os ateus, os ímpios e os incrédulos não têm nenhum valor perante o Senhor. O mundo despreza a igreja de Cristo, mas ele é abandonado por Deus. E o fim dos seres humanos sem Deus é a separação eterna do Criador, que é a segunda morte.

PARA QUE NENHUMA CARNE SE GLORIE PERANTE ELE. Nenhum ser humano pode se achar importante ao ponto de querer se comparar com Deus. Nem os cristãos, porque são considerados como a escória da sociedade pelo mundo. Nem os que se acham importantes nesta terra, porque perante Deus são de nenhum valor. Ninguém pode querer roubar nada, da glória que só pertence ao Deus Criador de todas as coisas.

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

1 Coríntios 1:27

1 Coríntios 1:27 - Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes.
MAS DEUS ESCOLHEU. A escolha de Deus. João 15:16 - Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda. Foi Deus quem tomou a iniciativa nesta escolha dos que fazem parte do seu reino. Salmos 100:3 - Sabei que o SENHOR é Deus; foi ele que nos fez povo seu, e não nós, e ovelhas do seu pasto. A escolha de Deus faz parte de nossa eleição também.

AS COISAS LOUCAS. Não é que os cristãos são loucos, pelo contrário, os que optaram por seguir a Cristo, assim o fazem por serem inteligentes. O que Paulo esta escrevendo neste texto é que, aqueles que são considerados pelo mundo dos incrédulos como loucos, estes são os escolhidos de Deus. Os ímpios consideram os que buscam o reino de Deus em primeiro lugar como loucos. No entanto, é a estes que Deus os chama para lhe servir. O que é loucura para o mundo para Deus é a verdadeira sabedoria.

DESTE MUNDO. Deus escolheu as coisas loucas deste mundo. A palavra mundo neste texto não se refere ao mundo cósmico, e sim, ao mundo dos seres humanos. Paulo esta se referindo aos homens de forma genérica. Foi do meio da sociedade que Deus escolheu o seu povo, aqueles que são chamados para uma nova vida em Cristo, conforme os parâmetros do evangelho das boas novas. Dentre todos os seres humanos tem alguns que Deus olhou dos mais altos céus e disse você me pertence.

PARA CONFUNDIR. Esta escolha de Deus, das pessoas que a sociedade muitas vezes não dar nenhum valor, foram elas escolhidas pelo grande Deus para confundir os que se acham mais importantes na nata da sociedade. Os que se acham mais sábios e inteligentes se sentem confusos por ver que eles são rejeitados por Deus, enquanto que o Senhor chama para si os que são considerados como ninguém da sociedade.

AS SÁBIAS. Há uma certa perplexidade naqueles que fazem parte da elite da sociedade, o fato de que os que buscam as coisas que são de cima, tem sido os escolhidos e eleitos de Deus. Os que frequentam as melhores universidades e faculdades, como também os melhores centros de ensino científicos do mundo, não compreendem e desdenham dos mais simples e humildes, que pertencem ao povo que são eleitos por Deus para a salvação e a vida eterna. Tudo isso parece um paradoxo.

E DEUS ESCOLHEU AS COISAS FRACAS DESTE MUNDO. Os cristãos são considerados como sendo um povo fraco e débil, pelos que se acham colunas das massas da sociedade. Os ricos e poderosos do mundo blasfemam do Criador, por ele ser seguido pelos que eles consideram as escórias da sociedade e que chamam de povinho crente.

PARA CONFUNDIR AS FORTES. Deus escolheu, os que são chamados pelo mundo de fracos e pobres, de povinho sem valor, de gente sem sabedoria e sem estudo, para confundir os que se acham fortes, os poderosos, os ricos e os que se acham sábios.

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

1 Coríntios 1:26

1 Coríntios 1:26 - Porque, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados.
PORQUE, VEDE, IRMÃOS. O apóstolo dos gentios conclama os irmãos da igreja que está na cidade de Corinto, a uma reflexão sobre aqueles que estão com Cristo e que vivem para o reino de Deus. É como se ele tivesse dito: Dá uma olhada entre vós mesmos quem é que faz parte do rebanho do Senhor? Quem são na realidade os membros do corpo de Cristo? Todos vós sois irmãos em Cristo e vede se tem ai no vosso meio muitos sábios nos conhecimentos seculares ou se tem muitos de vós que sois nobres por pertencerem a elite da sociedade? O povo de Deus é simples.

A VOSSA VOCAÇÃO. Esta vocação a qual se refere o escritor, diz respeito a chamado para ser de Cristo. E fazem parte desta vocação aqueles que reconheceram de que eram pecadores destituídos da glória de Deus e que num verdadeiro ato de arrependimento se converteram ao cristianismo para remissão dos pecados dantes cometidos sobe a paciência de Deus. Aceitaram por fé a Cristo como Senhor e Salvador, bem como sua obra de redenção pela reconciliação com Deus Pai.

QUE NÃO SÃO MUITOS OS SÁBIOS. Não são muitos os filósofos nem os escribas conhecedores das ciências e do conhecimento, que se convertem ao cristianismo. Não são muitos os formados e doutores que humildemente confessam que Cristo é o seu Senhor. Não são muitos os poliglotas da cultura e dos conhecimentos gerais que nascem de novo para uma nova vida com Cristo, conforme o evangelho. Não são muitos os que frequentam as melhores universidades e faculdades ou institutos do saber científico que se rendem as boas novas do evangelho, ao darem testemunho de que são discípulos de Jesus de Nazaré, mas sãos os mais simples e humildes do povo.

SEGUNDO A CARNE. Não são muitos segundo a carne que dentre vós são sábios e que fazem parte da comunidade daqueles que buscam o reino de Deus em primeiro lugar. Esta expressão “segundo a carne” diz respeito a esta vida na terra, ou se refere também aos padrões das classes sociais. O que Paulo estava tentando dizer aos irmãos é que segundo os padrões do mundo, os que se acham sábios “raríssimas exceções” é que fazem parte dos que são novas criaturas em Cristo e que fazem parte da igreja.

NEM MUITOS OS PODEROSOS. Não são muitos os poderoso que fazem parte da igreja remida de Cristo. A nata da sociedade não quer compromisso com uma verdadeira transformação de vida, conforme os padrões do evangelho das boas novas. Os ricos economicamente, quase todos, estão ocupados com suas atividades materiais e não buscam as coisas que são de cima. Os poderosos politicamente e os mais influentes da sociedade longe estão de querer negócio com Cristo e o seu reino.

NEM MUITOS OS NOBRES QUE SÃO CHAMADOS. Não são muitos os nobres que reconhecem de que precisam de Cristo. Não são muitos dos que se acham importantes que confessam Jesus como Salvador. Não são muitos os que se acham inteligentes que andam com Cristo por serem guiados pelo Espírito de Deus. Poucos são os chamados dentre os mais nobres da sociedade, como os que se acham sábios, e poderosos.

1 Coríntios 1:25

1 Coríntios 1:25 - Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens.
PORQUE A LOUCURA DE DEUS. O que Paulo, de forma paradoxal e ousada quer dizer com essa declaração é no tocante ao que os homens acham, e nos seus conceitos sobre Deus. O que os ateus chamam de loucura da parte de Deus, o apóstolo diz que isso é superior ao que chamam de sabedoria humana. Exemplo: Os Judeus classificam de maldição e escândalo e os gregos chamam de loucura o conceito de Cristo ter sido crucificado em lugar dos pecadores. O que não cabe na cabeça dos incrédulos veio a ser para os cristãos algo de um valor incalculável de benéfico, como propiciação.

É MAIS SÁBIA. As atitudes do Criador, que os homens chamam de insanidade, supera a sabedoria dos homens, que se acham alto suficientes. A sabedoria benéfica se demonstra em atitudes que produzem efeitos positivos para todos. Foi justamente o que Deus fez em dar como presente o seu unigênito Filho, como propiciação pelos pecados da humanidade. Coisa que os que se mantêm indiferentes para com o seu Criador não compreendem e chama de absurdo, chegando a pensar que é loucura.

DO QUE OS HOMENS. Como Paulo estava escrevendo para os moradores de Corinto, um dos grandes centros da sabedoria secular da Grécia. Ele ataca diretamente e com força total os que se achavam os homens mais inteligentes de sua época. Que eram os oradores da suposta oratória perfeccionista da retórica grega, como também os escribas dominadores das ciências do conhecimento. Juntando todos estes supostos sábios da cultura grega, não passavam de nada, comparados com os efeitos benevolentes e graciosos da crucificação de Jesus de Nazaré, em prol da humanidade.

E A FRAQUEZA DE DEUS. O fato de o grande Deus Todo-poderoso se fazer homem, como foi no caso do “Emanuel” que é Deus entre os homens. Isso, na mente dos seres humanos sem Deus é considerado como fraqueza da parte do Criador e Dominador do universo. Os ímpios não aceitam o fato de que o Messias, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. (Filipenses 2:6-8). Os ateus não aceitam que Deus se fez carne e habitou entre nós.

É MAIS FORTE. O que para o mundo é um ato de fraqueza, da parte de Deus, no caso a humanidade de Cristo, quando Deus se humanizou entre os homens. Os gregos chamavam Jesus de “fraqueza de Deus”, mas esta fraqueza foi forte o suficiente para fazer muito mais pela humanidade e pela criação, do que todos os supostos homens fortes que já fizeram parte da humanidade, com seus supostos conhecimentos.

DO QUE OS HOMENS. Qual o ser humano que já superou a Jesus de Nazaré, em poder e em força? A resposta é nenhum! Qual o homem mais sábio do mundo que teve a capacidade de influenciar tantas vidas o quanto Jesus fez em seus ensinos? Nenhum!

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

1 Coríntios 1:24

1 Coríntios 1:24 - Mas para os que são chamados, tanto judeus como gregos, lhes pregamos a Cristo, poder de Deus, e sabedoria de Deus.
MAS PARA OS QUE SÃO CHAMADOS. Os chamados a que Paulo se refere dizem respeito a todos aqueles que tendo conhecimento de Deus aceitam o Deus Criador como Senhor e sustentador de todas as coisas. Os chamados são todos aqueles que aceitaram as boas novas de Cristo como sendo mais importante do que a filosofia dos gregos. Os chamados são todos quanto acreditam que Jesus de Nazaré, o mesmo que foi crucificado no madeiro é o Cristo de Deus e Salvador do mundo. Os chamados de Deus são aqueles que aceitam a nova aliança de Deus para a humanidade por meio da obra redentora e reconciliadora de Cristo Jesus o Messias de Deus e Emanuel.

TANTO JUDEUS. Dentre os chamados estão os Judeus que esperavam o Messias e que acreditaram de que Jesus de Nazaré foi a vinda mesmo do Cristo de Deus. Nem todos os Judeus foram contra Jesus, e a prova disto é que a igreja primitiva foi composta nos seus começos pela grande maioria de Judeus que se converteram ao cristianismo. Além é claro dos apóstolos de Cristo que eram Judeus contando também com o próprio Paulo que foi o escritor desta epístola. Os judeus foram o Israel de Deus.

COMO GREGOS. Agora, no pensamento de Paulo, a grande e importante realidade é que a igreja de Cristo, depois do primeiro século da nossa era cristã, teve sua maioria de membros dentre os gregos, Ou seja, dentre os não judeus que eram chamados também de como gentios. Daí a importância do ministério apostólico de Paulo, que foi chamado e enviado a pregar o evangelho aos gentios. O Cristo de Deus sempre foi mais bem aceito dentre as demais nações do mundo, do que dentre os Judeus, seus conterrâneos. Razão porque a igreja está espalhada por todas as nações do mundo.

LHES PREGAMOS. O apóstolo Paulo era pertencente ao judaísmo, mas veio a se converter ao cristianismo. E a partir de então, não tinha mais compromisso com o legalismo judaico. Nem tão pouco usava da filosofia retórica e da oratória tecnicamente perfeita dos gregos para pregar as boas novas do evangelho poderoso de Cristo. Este evangelho que é o poder de Deus para salvação dos que nele crer.

A CRISTO. A pregação de Paulo era sempre a respeito do Messias prometido nas Sagradas Escrituras veterotestamentárias. Quando abria sua boca tanto perante os Judeus como diante dos gregos era para dizer que o Emanuel de Deus (Deus conosco) tinha se manifestado na terra na pessoa bendita de Cristo Jesus, o Nazareno. E que a crucificação de Jesus era o cumprimento das promessas de redenção e propiciação na reconciliação do homem perdido com o Deus Criador, porque isso produziu a paz.

PODER DE DEUS. Cristo é o poder de Deus. E todo o seu ministério deu provas cabais da manifestação das virtudes do Deus poderoso na sua vida. Os milagres e prodígios realizados pelo Senhor Jesus era o poder de Deus operando em favor dos homens.

E SABEDORIA DE DEUS. Cristo é a sabedoria de Deus. A prova disto é que o seu nascimento, vida, crucificação, morte e ressurreição tem levado multidões sem limites a mudarem de vida, a fim de serem seus discípulos, e portanto, novas criaturas.

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

1 Coríntios 1:22-23

1 Coríntios 1:22-23 - Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria. Mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos.
PORQUE OS JUDEUS. Os Judeus eram moradores da Judeia. Os israelitas que voltaram do cativeiro para a província da Judeia e os seus descendentes passaram a ser chamados de judeus, porque a maioria deles eram da tribo de Judá (Esdras 4:12 e Neemias 1:2). Já no Novo Testamento o termo também é usado para designar aqueles que seguiam o judaísmo e que, às vezes, atacavam a fé cristã, chegando a perseguir os cristãos (Mateus 28:15, João 1:19, Atos 14:19). Jesus teve muitos problemas com os seus compatriotas Judeus que passaram a prossegui-lo por questões religiosas.

PEDEM SINAL. Os Judeus estavam tão cegos quanto à vinda do Messias, que não perceberam que Jesus de Nazaré era a chegada do Cristo de Deus. Quanto a esta expressão usada por Paulo ela é confirmada no Novo Testamente em passagens tais como Marcos 8:11-12 - E saíram os fariseus, e começaram a disputar com ele, pedindo-lhe, para o tentarem, um sinal do céu. João 4:48 - Então Jesus lhe disse: Se não virdes sinais e milagres, não crereis. Eles queriam provas de que Jesus era o Messias de Deus.

E OS GREGOS. Os Gregos eram os cidadãos da Grécia. (Atos 16:1) Nos fala a respeito de Timóteo que era filho de uma judia, porem o seu pai era da Grécia. (Romanos 1:16) Diz que o cidadão grego era para os Judeus aqueles que não eram Israelitas. (Atos 6:1) Também eram considerados gregos os Judeus que falavam o idioma grego e que viviam na dispersão, chamados helenistas. E grego era o idioma pelo qual foi escrito o Novo Testamento. Este idioma foi importante na expansão do evangelho de Cristo.

BUSCAM SABEDORIA. A filosofia, a cultura e a língua dos gregos se espalharam pelo mundo bíblico no tempo das conquistas de Alexandre, o imperador romano. Os grandes oradores dos tempos bíblicos do Novo Testamento eram os gregos que cultuavam a sabedoria como única fonte de iluminação do intelecto humano. A busca por conhecimentos gerais era mesmo o que mais ocupava as atividades dos povos da Grécia, que ficava no sul da Europa, incluindo cidades significativas daquela época.

MAS NÓS PREGAMOS A CRISTO CRUCIFICADO. Enquanto os Judeus pediam sinais e os Gregos buscavam a sabedoria secular. Os pregadores das boas novas do cristianismo pregavam sobre o Messias de Deus, que foi o enviado e ungido de Deus, Jesus de Nazaré, que por sua vez, como Cordeiro de Deus, era o Cristo crucificado. O mesmo que serviu de expiação e de propiciação pelos nossos pecados em um ato de reconciliação entre os homens e o Deus Criador, por meio da sua propiciação.

QUE É ESCÂNDALO PARA OS JUDEUS. Os Judeus viam a crucificação de Jesus de Nazaré como uma maldição, sem entenderem que ele foi maldito em nosso lugar. Como também viam este fato como um escândalo religioso e político na sociedade.

E LOUCURA PARA OS GREGOS. Para os Gregos a pregação da cruz era uma coisa de louco. Para os que se achavam os sábios da filosofia Grega uma mensagem de um homem crucificado no madeiro não tinha nenhum valor. Eles não criam na redenção.

sábado, 2 de dezembro de 2017

1 Coríntios 1:21

1 Coríntios 1:21 - Visto como na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação.
VISTO COMO NA SABEDORIA DE DEUS. A sabedoria de Deus é infinita e ilimitada. Não há quem possa sondar os conhecimentos de Deus. O homem por mais inteligente que possa ser não tem a capacidade nem de começar a entender a insondável sabedoria do Criador. Basta olhar até onde vai a nossa visão míope ao nosso redor e quem é um pouco inteligente logo percebe pelas coisas criadas e sustentadas pelo poderoso Deus da sabedoria que o grande arquiteto do universo tem conhecimento de todas as coisas. Sua sabedoria é superior a tudo e a todos, ninguém é sábio como Deus.

O MUNDO. Na maioria das vezes em que as Escrituras se referem ao mundo, está se tratando dos seres humanos de forma genérica. Os homens que tem a sua disposição a imensidão das coisas criadas não direciona sua atenção na potencialidade de conhecer como deve o seu Criador. Tem pessoas que passam a vida toda em busca do conhecimento secular (e não há nada de errado nisto), mas, não dedicam um dia de suas atividades para buscar conhecer a Deus assim como ele é. Conhecer a Deus é acumular sabedoria para a eternidade e conhecimento para a vida eterna.

NÃO CONHECEU A DEUS. O mundo não conheceu a Deus. A prova disto é que a maioria dos seres humanos deram as costas para o seu Criador. Os homens mais arrogantes chegam à petulância tal de negarem a existência do grande arquiteto do universo. O orgulho dos ímpios é tão grande ao ponto de se manterem alienados do seu Criador, confessando com palavras ou por obras que Deus não existe. Tornam-se indiferentes para com o Senhor, vivendo como se não fossem dar conta dos seus atos perante o juiz dos vivos e dos mortos. São os incrédulos que negam a Deus.

PELA SUA SABEDORIA. Quanto mais os rebeldes se aprofundam nos conhecimentos seculares mais se distanciam do Deus Criador. Era para ser o contrário, quanto mais o homem adquirisse sabedoria era para tornar-se mais próximo do Deus da sabedoria, ele que é a fonte do conhecimento e da verdadeira inteligência. Mas, o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos para que não compreenderem de que tudo de bom que adquirimos ou recebemos e temos provem do Deus Onisciente.

APROUVE A DEUS. Todavia é do agrado de Deus olhar para a terra e ver que existem aqueles que reconhecem a sua grandeza, que são justamente os seus servos e servas. O Criador tem neste vasto mundo dos seres humanos os seus queridos que foram iluminados com a sabedoria que vem do alto e receberam luz para conhecerem aquilo que lhes é permitido conhecer sobre o Deus Todo-poderoso, que sabe de tudo.

SALVAR OS CRENTES. São a estes que Deus o Pai agracia com sua bondade benevolente e com seu amor infinito. Dando-lhes a esperança de salvação e de vida eterna. Os que depositam a sua fé no Deus Criador são salvos da ignorância mundial.

PELA LOUCURA DA PREGAÇÃO. Para o mundo dos indiferentes para com o Criador, a mensagem do evangelho parece loucura. Mas, para os que depositam a sua confiança no Deus Criador, a loucura da pregação é meio de libertação, salvação e vida eterna.

1 Coríntios 1:19-20

1 Coríntios 1:19-20 - Porque está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios, E aniquilarei a inteligência dos inteligentes. Onde está o sábio? Onde está o escriba? Onde está o inquiridor deste século? Porventura não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo?
PORQUE ESTÁ ESCRITO. O texto que está diante de Paulo é uma citação livre que ele faz do Antigo Testamento, referente a Isaías 29:14 - Portanto eis que continuarei a fazer uma obra maravilhosa no meio deste povo, uma obra maravilhosa e um assombro; porque a sabedoria dos seus sábios perecerá, e o entendimento dos seus prudentes será aniquilado. Ou algo parecido com o salmos 33:10 - O Senhor desfaz o conselho dos gentios, e quebranta os intentos dos povos. Em todas as suas epístolas Paulo escreve “está escrito” se referindo as escrituras do Velho Testamento, tentando provar para os seus leitores, que Jesus de Nazaré era o Messias prometido nas Escrituras veterotestamentárias. E que a nova aliança de Deus com a humanidade é o cumprimento da antiga aliança de Deus com o seu povo Israel.

DESTRUIREI A SABEDORIA DOS SÁBIOS. O conhecimento secular era o tesouro da cultura popular da Grécia e, portanto, em Corinto como sendo o cérebro mesmo dos povos gentios da época de Paulo. Os poliglotas retóricos da boa oratória, faziam os seus discípulos aos milhares levando-os a crerem que a cultura era tudo na vida de uma pessoa. Mas, o evangelho das boas novas destruía a filosofia convencional dos gregos, quando transformava vidas pela eficácia da mensagem da cruz. Com isso o evangelho provava ser mais poderoso do que os conhecimentos teóricos dos gregos.

E ANIQUILAREI A INTELIGÊNCIA DOS INTELIGENTES. Os grandes oradores da cultura grega se achavam os homens mais inteligentes do mundo. Multiplicavam seus conceitos retóricos como sendo a fonte mesma de todo o conhecimento. Todavia, chegando de mansinho, o evangelho pregado por Paulo, convencia e tinha mais efeito na vida das pessoas, do que a cultura massificada e cauterizada na mente daqueles, que se deixavam dominar por conceitos e teorias vagas de palavras sem efeitos.

ONDE ESTÁ O SÁBIO? O sábio a que se refere Paulo, é justamente aquele que com habilidade faz a exposição de suas ideias, por meio de suas oratórias tecnicamente perfeitas, para convencer os seus ouvintes de que, a sabedoria secular é iluminadora.

ONDE ESTÁ O ESCRIBA? Os escribas deste texto eram os guardiões da sabedoria grega, em escritos das tradições e costumes milenares do conhecimento e dos documentos das civilizações mais remotas, daqueles povos ditos sábios. Os interpretes literários.

ONDE ESTÁ O INQUIRIDOR DESTE SÉCULO? Tanto os sábios dos discursos oratórios perfeitos, quanto os escribas interpretes dos documentos antigos da cultura grega, se perdiam diante da mensagem da cruz pregada por Paulo. Estes chamados inquiridores do conhecimento se tornavam nulos diante do Cristo crucificado anunciado por Paulo.

PORVENTURA NÃO TORNOU DEUS LOUCA A SABEDORIA DESTE MUNDO? A prova maior da veracidade desta expressão de Paulo é que, a mensagem da cruz tem sobrevivido e resistido ao tempo, chegando aos nossos dias com total potencialidade.

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

1 Coríntios 1:18

1 Coríntios 1:18 - Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus.
PORQUE. O escritor desta carta, dar continuidade neste texto, ao que vinha falando anteriormente sobre a mensagem da cruz, que Cefas (Pedro) não ousava nem falar porque como Judeu que era considerava a crucificação como uma maldição ou coisa escandalosa. Já o eloquente Apolo também não pregava certamente sobre um assunto de pouco importância para quem tem conhecimentos mais profundos na exposição de suas retóricas de oratórias emocionantes. Todavia, para Paulo falar da crucificação do Senhor Jesus era muito mais importante do que qualquer outra tema teológico.

A PALAVRA DA CRUZ. Esta expressão escrita por Paulo representa muito mais que palavras, porque diz respeito a tudo que envolve a obra redentora do Cristo de Deus para o benefício de toda a humanidade, e porque não dizer de toda a criação? Isso porque, a mensagem da cruz nos fala do ato de expiação que Jesus realizou para justificação de todo aquele que crer em seu poderoso nome. Também diz respeito à reconciliação forense que o Cordeiro de Deus executou para trazer o homem de volta aos braços do Deus Criador. A palavra da cruz nos fala da propiciação de Cristo em nosso lugar, por isso que a escritura diz: O castigo que nos traz a paz estava sobre ele.

É LOUCURA. Este tipo de mensagem sobre um homem sendo crucificado para salvar a humanidade era considerada uma mensagem ultrapassada para quem tinha na ponta da língua um discurso polido com palavras e adjetivos mais sofisticados. Todos aqueles que pregam sobre o evangelho da cruz é ignorado nos círculos dos chamados grandes pregadores das multidões nos dias de hoje. Quem prega um evangelho simples é logo sufocado pelos pregadores avivalistas que ovacionam as multidões com suas preleções carregadas de palavras emocionantes. Mas para Paulo era a mensagem de poder.

PARA OS QUE PERECEM. Os que perecem são aqueles que rejeitam a mensagem da cruz de Cristo. São aqueles que preferem viver de acordo com o mundanismo e as concupiscências da carne, do que aceitarem conscientemente de que a obra de redenção, propiciação e expiação realizada por Cristo é suficiente para redimir o mais vil pecador. Os que perecem são os que rejeitam o Cordeiro de Deus como Salvador.

MAS PARA NÓS. Paulo se inclui no grupo dos que tem compreendido que o sacrifício do Cordeiro de Deus foi para resgatar um povo que necessita do perdão dos seus pecados, pelo preço pago na no alto do gólgota. A remissão esta no sacrifício da cruz.

QUE SOMOS SALVOS. Para nós que somos salvos. Salvos não porque merecem, mas salvos porque o obra de Cristo foi perfeita para nos dar a possibilidade de ter uma vida futura feliz na presença de Deus e de Cristo. Salvos porque o preço da redenção pago pelo Cordeiro de Deus nos dar a chance de viver com o Pai numa eternidade feliz.

É O PODER DE DEUS. A mensagem da cruz é o poder de Deus. A pregação mais poderosa não é aquela que massageia o ego dos ouvintes, mas sim, é aquela que com clareza fala do valor da reconciliação do pecador com o seu Criador por meio de Cristo Jesus. A mensagem da cruz é forte porque transforma o pior dos pecadores.

1 Coríntios 1:17

1 Coríntios 1:17 - Porque Cristo enviou-me, não para batizar, mas para evangelizar; não em sabedoria de palavras, para que a cruz de Cristo se não faça vã.
PORQUE CRISTO. Cristo quer dizer: Enviado de Deus e ainda ungido de Deus. E em uma transliteração do hebraico para o grego, Messias quer dizer, Cristo. Ele é o Emanoel, que traduzido quer dizer, Deus conosco. É o servo de Deus sofredor do qual tanto falaram os profetas. É o Filho de Deus Unigênito. Ele é Rei dos reis e Senhor dos senhores. O bom Pastor que deu a sua vida pelas suas ovelhas. O Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Cristo é Jesus de Nazaré, mas também o Salvador do mundo.

ENVIOU-ME. Paulo era um enviado de Cristo. Com isto, ele estava escrevendo aos que faziam parte da igreja de Cristo em Corinto, de que foi enviado aos povos como apóstolo dos gentios, pelo próprio Senhor Jesus Cristo, e não por homens nem por um sistema religioso do reino dos homens. Apesar de não ter o apoio financeiro do ministério apostólico para executar suas viagens missionárias, mas a comissão designada por Cristo em sua vida dava provas de que ele era um ungido de Deus pelo reino de Cristo Jesus na terra. Paulo, não se achava inferior a nenhum dos apóstolos.

NÃO PARA BATIZAR. Como na igreja de Corinto estavam praticando a inversão de valores, quanto ao batismo em água. Porque estavam valorizando mais o batismo em si, como também os batizadores, mais do que o próprio Cristo Jesus, em nome do qual eles eram batizados. Paulo tentava desmistificar este tema, com a assertiva de que não foi enviado nem chamado por Cristo para estar dando ênfase demasiada ao batismo.

MAS PARA EVANGELIZAR. Neste ponto de sua epístola, o apóstolo revela o real motivo de sua chamada para a obra do reino de Cristo. A principal função do seu apostolado era pregar as boas novas do evangelho glorioso de nosso Senhor Jesus Cristo, expondo de forma contundente os parâmetros da nova aliança de Deus com a humanidade por meio de seu Filho, Jesus Cristo, ele que também era o Redentor.

NÃO EM SABEDORIA DE PALAVRAS. Como Paulo tinha um ministério diferente dos apóstolos originais, como Cefas (Pedro), por exemplo, que é citado neste mesmo capítulo desta carta, que eram enviados a convencerem os Judeus de que Jesus era o messias. Já Paulo pregava para os gentios, que não conheciam as promessas messiânicas veterotestamentarias. Com isso, Paulo usava de simplicidade na pregação do evangelho libertador para de todas as formas convencer os gentios sobre cristo.

PARA QUE A CRUZ DE CRISTO. Para os Judeus seguidores da legislação mosaica, a crucificação na cruz era motivo de escândalo e de maldição. Mas para os gentios que não conheciam a velha aliança de Deus com Israel, a crucificação era sinônimo de sacrifício, sofrimento e dor. E o apostolo dos gentios tomava o exemplo da crucificação do Cordeiro de Deus, Jesus Cristo, Como meio eficaz de expiação pelos pecados da humanidade. Era uma mensagem simples, porem, muito eficaz e aceita pelos gentios.

NÃO SE FAÇA VÃ. Talvez Cefas não falasse na igreja de Corinto na crucificação de Cristo por achar que isso fosse vã. Assim como também Apolo em suas pregações eloquentes nem tocasse neste assunto. Todavia, era a mensagem predileta de Paulo.

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

1 Coríntios 1:15-16

1 Coríntios 1:15-16 - Para que ninguém diga que fostes batizados em meu nome. E batizei também a família de Estéfanas; além destes, não sei se batizei algum outro.
PARA QUE NINGUÉM DIGA. Continuam as controvérsias sobre o combate do apóstolo Paulo, no que diz respeito ao status cool que estavam dando ao serem batizados pelos principais líderes da igreja em Corinto. O contexto nos deixa transparecer de que, o partido que mais se fortalecia dentro da comunidade cristã de Corinto era justamente o do apóstolo Paulo. Porem, como o fundador daquela igreja Paulo sabia do perigo que isto representava, dentro dos parâmetros do cristianismo, procurava então, veementemente apagar o foco da idolatria aos líderes cristãos daquela época.

QUE FOSTES BATIZADO. Nem mesmo aqueles mais fervorosos defensores do implantador da igreja em Corinto podiam usar o combustível da prova razoável, em afirmarem de que foram batizados pelo grande apóstolo dos gentios. O combate era inevitável, e Paulo usava desta epístola para atenuar o que estavam dando tanto valor, que era a supervalorização dos batizadores e não do batismo em si, e em nome de quem eram os cristãos batizados, no caso, em nome do Senhor Jesus. Se Paulo era o grande líder, ou Pedro que representava o grupo dos apóstolos originais e a igreja mãe de Jerusalém, e ou ainda Apolo o pregador eloquente que ovacionava as multidões com suas pregações profundas e emocionantes. Isso tudo era de menos valor.

EM MEU NOME. A cultura pagã da mitologia religiosa dos tempos mais antigos batizavam os membros de suas seitas em nome das personagens mais importantes da sociedade, até mesmo dos supostos heróis que já haviam morrido. Sorrateiramente depois da saída de Paulo em viagem missionária, as facções que estavam se formando na igreja em Corinto tentavam trazer este costume do paganismo para dentro do cristianismo. Razão do combate de Paulo nesta carta, a tais tradições e costumes.

E BATIZEI TAMBÉM. Não se sabe ao certo, se o próprio Paulo teve um raio de luz na lembrança de que tinha batizado alguns poucos seguidores de Cristo. Ou se o seu amanuense (quem escrevia por Paulo) o lembrou, quem sabe o próprio Estéfanas que estava por perto. Em texto anterior ele falou que tinha batizado a família de Cloé o seu amigo que lhe hospedava quando estava em Corinto. Mas neste momento, ele cita mais uma família que fora por ele batizada, todavia, não em seu nome.

A FAMÍLIA DE ESTÉFANAS. Mas uma família completa, que se converteu do paganismo ao cristianismo e foram todos batizados pelo apóstolo Paulo. Estéfanas quer dizer aquele que usa coroa, porque é príncipe. Este era mais um daqueles que apoiava o ministério do apóstolo Paulo tanto na cidade de Corinto quanto em Éfeso.

ALÉM DESTES. Neste momento Paulo faz uma pausa e coloca sua memória em atividade buscando localizar em seu banco de dados memorial se mais alguém além dos já citados ele tinha batizado ainda. Ao que tudo indica mais ninguém. E completa.

NÃO SEI SE BATIZEI ALGUM OUTRO. Fazendo um alto exame de sua consciência não encontrou nenhum dado registrado, de mais nomes ou grupos familiares que tenha efetuado a ordenança do batismo, em nome do Senhor Jesus, e não em seu nome.

1 Coríntios 1:13-14

1 Coríntios 1:13-14 - Está Cristo dividido? foi Paulo crucificado por vós? ou fostes vós batizados em nome de Paulo? Dou graças a Deus, porque a nenhum de vós batizei, senão a Crispo e a Gaio.
ESTÁ CRISTO DIVIDIDO? A resposta a esta pergunta é não. A operação chamada divisão por menor que seja tem como resultado a diminuição do objeto dividido. Com isso Paulo especula dos líderes da igreja que estava na cidade de Corinto se eles não percebiam que o partidarismo não seria uma forma de diminuir a Cristo? Cristo é Deus e Deus não divide sua glória com ninguém. O fato de ser direcionada uma reverência exacerbada a Cefas, Apolo ou a Paulo isso era uma forma de idolatria cristã, coisa que não é permitida no cristianismo. Só quem é digno de toda adoração ou veneração é o fundador do Cristianismo, Cristo Jesus nosso Senhor e único salvador.

FOI PAULO CRUCIFICADO POR VÓS? A resposta a esta pergunta também é não. Porque na verdade foi o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo quem foi crucificado no alto do gólgota em prol da humanidade. O sacrifício do Cordeiro da expiação já estava previsto nas profecias messiânicas em Isaías 53:4-5 - Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.

OU FOSTES VÓS BATIZADOS EM NOME DE PAULO? A resposta mais uma vez é não. O batismo cristão praticado na igreja de Cristo nos tempos primitivos era conforme o Senhor Jesus deixou como ordenança registrado por Mateus 28:18-19 - E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Em se tratando dos homens, o batismo cristão é em nome de Cristo. Atos 19:5 - E os que ouviram foram batizados em nome do Senhor Jesus.

DOU GRAÇAS A DEUS. Paulo rechaça a idolatria disfarçada dos líderes da igreja de Corinto com uma expressão irónica, ao mesmo tempo dá graças a Deus, porque não exerceu plenamente o ministério de batismo em Corinto. Ao que tudo indica a ordenança do batismo cristão mesmo sendo em nome de Cristo, estava havendo uma distorção no sentido de que o batizador tinha mais valor do que o batismo em si.

PORQUE A NENHUM DE VOS BATIZEI. O ministério de Paulo estava mais voltado ao evangelismo e a pregação das boas novas de Cristo Jesus. Assim como ao ensino cristão de uma conduta voltada para o reino de Deus e de Cristo.

SENÃO A CRISPO. Crispo significa pessoa de cabelo crespo. Ele era o chefe da sinagoga na cidade de Corinto. Ele se converteu ao cristianismo e trouxe muitos da cidade de Corinto ao Senhor Jesus. Era uma das lideranças daquela igreja.

E A GAIO. Boa parte dos comentaristas bíblicos concordam em afirmar de que este Gaio era quem hospedava a Paulo quando este chegava em Corinto de suas viagens. Como ele se tornou amigo pessoal do apóstolo Paulo solicitou que este o batizasse.

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

1 Coríntios 1:12

1 Coríntios 1:12 - Quero dizer com isto, que cada um de vós diz: Eu sou de Paulo, e eu de Apolo, e eu de Cefas, e eu de Cristo.
QUERO DIZER COM ISTO. Esta frase do apóstolo Paulo nos remete ao que ele vinha escrevendo nos textos anteriores desta mesma epístola. Quando se refere ao comportamento dos líderes e da igreja no tocante as dissensões. Ao que tudo indica o racha estava estabelecido naquela comunidade cristã que ficava na cidade de Corinto. As contendas em torno dos ensinos e pregações era o que prevalecia e cada um que se achasse donos da verdade. Ou Paulo estava expressando de forma exagerada a sua preocupação com a obra da igreja em Corinto ou realmente aquela comunidade e principalmente os seus líderes estavam precisando se converter novamente. Estas mesmas coisas acontecem nas igrejas dos dias de hoje. Tudo isso é recorrente.

CADA UM DE VÓS DIZ. O partidarismo ideológico estava prevalecendo entre aqueles que ensinavam na igreja de Corinto e o fisiologismo pragmático dominava aqueles que pregavam para a igreja. Os líderes estavam como que voltando ao paganismo nos seus moldes de culto a personalidades. É a idolatria evangélica disfarçada dos nossos dias, onde supostos líderes religiosos são tão venerados quanto os ídolos e as imagens de esculturas das religiões ditas pagãs. Essa praga da hipocrisia religiosa tem se infiltrado de tal maneira nas igrejas atuais, ao ponto de Cristo ser substituído sorrateiramente por líderes, pregadores, cantores e oradores que se acham os reis da cocada preta.

EU SOU DE PAULO. Estavam formados quatro grupos distintos na igreja de Corinto, e o primeiro deles era o grupo de “Paulo”. Ensinam-nos os comentaristas bíblicos de que o apóstolo foi um dos mais importantes fundadores da igreja local da cidade de Corinto, como sendo o primeiro missionário a explorar a Grécia, portanto, Corinto. Antes de o evangelho chegar, os cidadãos daquele lugar viviam embrenhados na idolatria do paganismo adorando e venerando seus líderes vivos e mortos. Enquanto Paulo estava entre eles, isso não era permitido, foi só Paulo se afastar um pouco e eles começaram a voltar a esta prática que não é permitida jamais pelo cristianismo verdadeiro.

E EU DE APOLO. O segundo grupo era o de “Apolo”. Que era um Judeu de Alexandria, muito eloquente, instruído na fé cristã por Áquila e Priscila. Tornou-se poderoso pregador do evangelho em Éfeso e em Corinto. Os veneradores de Apolo eram aqueles que colocavam o saber acima das revelações e da inspiração. Os que hoje acham de que não precisa estudar para pregar a palavra de Deus acusam os teólogos de serem do partido de Apolo. Já os estudiosos da teologia se defendem sustentando a tese de que a revelação e a inspiração foi um ministério exercido na igreja primitiva quando ainda não havia o Novo Testamento escrito nem a bíblia como temos nos dias de hoje.

E EU DE CEFAS. Este foi o nome aramaico que Jesus deu a Pedro (João 1:42). Era o terceiro grupo que veneravam a Pedro como rejeição ao nome de Paulo e de Apolo como sendo lideranças da igreja em Corinto. Esse grupo deu muito trabalho a Paulo.

E EU DE CRISTO. O quarto grupo eram daqueles que permaneciam nos ensinamentos de Paulo e de Apolo de que deviam adorar e venerar somente a Cristo Jesus como único e suficiente Salvador. Estes romperam definitivamente com a idolatria.

1 Coríntios 1:11

1 Coríntios 1:11 - Porque a respeito de vós, irmãos meus, me foi comunicado pelos da família de Cloé que há contendas entre vós.
PORQUE A RESPEITO DE VÓS. Paulo era um missionário e pregador itinerante. Por onde passava pregava exaustivamente as boas novas do evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo. Falando e anunciando de que Jesus de Nazaré era o Messias de Deus, que é o Cristo, enviado e ungido de Deus como salvador da humanidade. Depois de implantada a igreja local, ele partia para um outro campo missionário. Porem, não abandonava as comunidades cristãs já fundadas e estabelecia. Ele ficava em contato direto e permanente com os líderes locais por meio dos seus informantes.

IRMÃOS MEUS. Apesar de Paulo ter se transformado no grande apóstolo Paulo e por consequente uma das maiores liderança da igreja primitiva no mundo gentílico, ele se considerava igual aos demais irmãos. Diferente de muitos líderes dos dias de hoje, que se consideram semideuses perante a igreja, ou são idolatrados pelos menos esclarecidos das verdades do evangelho. A maioria já perdeu esta identidade cristã tão importante, quando não são mais chamados de “meus irmãos”, mas por títulos que os põe acima dos demais membros da igreja de Jesus Cristo, o que não deveria acontecer.

ME FOI COMUNICADO. A igreja de Corinto tinha uma importância especial para Paulo. É tanto que o apóstolo lhes escreveu duas grandes epístolas, em termos de conteúdo. Estivesse onde estivesse e fazendo qualquer coisa, quando ele via qualquer um dos irmãos da igreja que estava na cidade de Corinto, ele buscava saber como estavam às coisas por lá. E encontrando uma família que fazia parte daquela comunidade cristã, logo cuidou em pedir um relatório completo de como andava a obra de Deus naquela cidade. Ele se encontrava em Éfeso, de onde escreveu esta epístola, mas, fazia os discípulos de Cristo em Corinto terem consciência de que ele estava sabendo de tudo.

PELOS DA FAMÍLIA DE CLOÉ. Cloé é um nome próprio feminino que quer dizer verde, no sentido de jovem, ou alguém inexperiente, e sem maturidade. Ao que tudo indica ante de se converter ao cristianismo pertencia ao paganismo, como uma pessoa que foi consagrada pelos seus pais a deusa Demétria (deusa da terra e da agricultura). Esta jovem ao que podemos conjecturar se não era de Corinto, mas conhecia muito bem o que se passava naquela igreja. Há quem diga de que ela era de Éfeso, mais que visitava constantemente a igreja de Corinto, ao ponto de fornecer as informações a Paulo.

QUE HÁ CONTENDA. No relatório repassado pela jovem cloé ao apóstolo Paulo, o que mais chamou a atenção do fundador da igreja que estava em Corinto, foram justamente às disputas em forma de contendas que haviam. É provável que houvesse mais de uma liderança na igreja, que entre si, queriam ocupar a proeminência.

ENTRE VÓS. As contendas e as dissensões eram entre as lideranças que tomavam conta da igreja de Corinto. Eles estavam se digladiando entre si por questões ideológicas, porque haviam vários grupos, os de Paulo, Apolo, Cefas e de Cristo.

terça-feira, 28 de novembro de 2017

1 Coríntios 1:10

1 Coríntios 1:10 - Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos uma mesma coisa, e que não haja entre vós dissensões; antes sejais unidos em um mesmo pensamento e em um mesmo parecer.
ROGO-VOS, POREM, IRMÃOS. O apóstolo Paulo estava dando início a uma nova secção de seus escritos. Falando desta feita sobre as dissensões que haviam na comunidade cristã da cidade de Corinto. Como o escritor desta epístola se considerava o pai na fé dos irmãos da igreja de Corinto, ele tomava a liberdade de os exortarem a respeito de como deveriam se comportar uns com os outros. Mas para que não transparecesse de que ele estava usando da autoridade que lhe cabia, como fundador da igreja naquela comunidade. Humildemente lhes lançava rogos em forma de solicitação para que eles se unissem com os mesmos objetivos. Além de lhes chamar de irmãos numa atitude de igualar-se aos seus pares, no sentimento de humildade.

PELO NOME DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Percebe-se claramente o quanto Paulo em tudo buscava honrar o poderoso nome de Cristo Jesus. Por isso que ele escreveu em Colossenses 3:17 - E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai. Quanto ao Senhorio de Cristo, nos diz a palavra do Senhor em Filipenses 2:11 - E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai. Sobre “Jesus Cristo” Jesus é o nome próprio do Filho de Deus e Cristo é o adjetivo que fala dos seus atributos e principalmente de sua missão como sendo o Messias de Deus. O nome de Jesus Cristo é o mais poderoso.

QUE DIGAIS TODOS UMA MESMA COISA. Uma das igrejas que Paulo implantou em suas viagens missionárias e que mais recebeu instruções sobre o conteúdo da nova aliança de Deus com os homens por meio de Cristo, foi justamente a igreja cristã na cidade de Corinto. Todavia, ao que tudo indica estava havendo confusão no repasse destes ensinos por parte dos que ficaram responsáveis pelo discipulado cristão naquele lugar. Ou alguns dos pregadores que por lá estavam passando estavam falando de um outro evangelho, do qual Paulo não havia pregado e ensinado.

E QUE NÃO HAJA ENTRE VÓS DISSENSÕES. Enquanto o apóstolo estava presente, a coisa ia muito bem entre os líderes daquela comunidade cristã. Mas como Paulo era um missionário que cumpria missões evangelizadoras no mundo gentílico. Ao sair começavam as contendas entre os líderes da igreja. O que prevalecia era o racha e as divisões entre aqueles que deveriam contribuir para a unidade da comunidade de Cristo. Cada um que pregava uma coisa e ensinavam doutrinas deferentes.

ANTES SEJAIS TODOS UNIDOS EM UM MESMO PENSAMENTO. Como neste período ainda não havia um Novo Testamento pronto como temos hoje. Geralmente se utilizavam dos elementos do antigo pacto que foram absorvidos pela nova aliança. Com isso dependiam das interpretações alegóricas que se davam das antigas Escrituras para os novos ensinos da nova dispensação implantada pelo Messias de Deus.

E EM UM MESMO PARECER. O que Paulo desejava realmente era de que os irmãos, os líderes que ensinavam e pregavam na igreja cristã que estava na cidade de Corinto se unissem nos discursos, nas ideias e nos conceitos. Sem dissensões nem contendas.

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

1 Coríntios 1:9

1 Coríntios 1:9 - Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados para a comunhão de seu Filho Jesus Cristo nosso Senhor.
FIEL É DEUS. As Escrituras nos ensinam a respeito da fidelidade de Deus. Deuteronômio 7:9 - Saberás, pois, que o Senhor teu Deus, ele é Deus, o Deus fiel, que guarda a aliança e a misericórdia até mil gerações aos que o amam e guardam os seus mandamentos. E a fidelidade de Deus é incondicional, 2 Timóteo 2:13 - Se formos infiéis, ele permanece fiel; Porque não pode negar-se a si mesmo. Podemos depositar toda a nossa confiança no Senhor porque jamais seremos decepcionados por ele.

PELO QUAL FOSTES CHAMADOS. Com isto concorda a passagem bíblica de João 14:16 – Porque não fostes vós que me escolhestes, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeie. Foi na verdade o próprio Deus quem nos resgatou do mundo das trevas e da rebelião universal. Por isto o salmista escreveu Salmos 100:5 - Sabei que o SENHOR é Deus; foi ele e não nós que nos fez povo seu e ovelhas do seu pasto. Pela fidelidade do grande Deus podemos ter certeza de que os planos dele e os seus projetos para a humanidade terão o seu fiel cumprimento como lhe apraz. A nossa chamada é muito especial.

PARA A COMUNHÃO. Chamados para a comunhão com Cristo. Tudo partiu de Deus quando enviou o seu unigênito Filho para nos Salvar (João 3:16). E foi concretizado por Cristo quando ele serviu de expiação pelos nossos pecados (Romanos 2:24-26 - Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus; Para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus. Esta comunhão se traduz por está em Cristo.

DE SEU FILHO. Jesus é filho de Deus. Já nas profecias Messiânicas classificava o Cristo como Filho de Deus. E a forma como ele foi gerado no ventre de sua mãe comprova isto. Ele foi gerado pelo Espírito do Senhor. José foi o pai adotivo de Jesus, todavia o Pai verdadeiro de Cristo Jesus é o próprio Deus Todo-poderoso. Jesus Cristo é o Emanuel, que traduzido é: Deus conosco. Disse Jesus: Eu e o Pai somos um.

JESUS CRISTO. Jesus é o nome próprio do Filho de Deus e Cristo é o adjetivo que fala dos seus atributos e principalmente de sua missão como o Messias de Deus. Porque Cristo quer dizer; o enviado ou ungido de Deus para executar o plano da salvação. Jesus também quer dizer “Salvador”, nome que foi designado pelo próprio Deus, quando enviou o seu anjo a mãe do Salvador para por o nome do menino que havia de nascer para salvar o seu povo dos seus pecados (Mateus 1:21).

NOSSO SENHOR. O Senhorio de Cristo é reconhecido em toda a extensão do conteúdo neotestamentário. E uma das passagens mais conhecidas é a de Filipenses 2:9-11 - Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai. Dada a sua fidelidade para com o Pai em todo que executor em sua missão perfeita na terra, Deus o honrou de forma gloriosa. Cristo é Senhor de todos.

domingo, 26 de novembro de 2017

1 Coríntios 1:8

1 Coríntios 1:8 - O qual vos confirmará também até ao fim, para serdes irrepreensíveis no dia de nosso Senhor Jesus Cristo.
O QUAL. “O qual” diz respeito a uma referência ao texto anterior. Que trata da manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo. Aquilo que conhecemos como parousia, ou segunda vinda de Cristo para buscar a sua igreja. Até este momento tão importante para a igreja do Deus vivo, Paulo esperava que todos os dons espirituais estivessem à disposição da comunidade Cristã na cidade de Corinto. O escritor desta epístola nos deixa transparecer que a vinda de Cristo é dada por certa, porem, enquanto isto não acontece à igreja precisava continuar crescendo nos dons espirituais em Cristo.

VOS CONFIRMARÁ TAMBÉM. O que Paulo tinha realizado em suas atividades missionárias em prol da igreja de Cristo na cidade de Corinto era a parte que lhe cabia. E ao que tudo indica como era ele um excelente discipulador, consequentemente tinha instruído corretamente aos servos de Cristo como seguir o evangelho das boas novas. No entanto, atribuía irrestritamente a Cristo Jesus nosso Senhor a tarefa de confirmar na fé a todos que se decidiram servir ao reino de Deus, como discípulos de Cristo.

ATÉ O FIM. Como implantador de comunidades cristãs no mundo gentílico, o apostolo fazia o que era possível e o que estava ao seu alcance, para antes de seguir para uma nova missão deixar os convertidos ao cristianismo firmes, nas convicções da nova aliança de Deus com os homens. Ao partir para outros campos missionários transculturais, carregava consigo a esperança de que todos perseverassem até o fim.

PARA SERDES IRREPREENSÍVEIS. A igreja primitiva não tinha noção do intervalo de longo prazo que ocorreria entre a ascensão de Cristo e a parousia. Os cristãos dos começos da era cristã viviam como se Cristo fosse voltar naquele mesmo tempo de perseguição que eles enfrentavam do império romano. Com isto, Paulo os exortava de que vivessem de tal forma a serem irrepreensíveis para a volta de Cristo Jesus.

NO DIA. O dia de nosso Senhor. Para a mentalidade judaica, o dia do Senhor é um dia de julgamento. Já para o pensamento cristão, o dia do Senhor pode ser compreendido como o domingo que era o primeiro dia da semana, isso de conformidade com a interpretação histórica ou textual, que foi o dia da ressurreição de Cristo. Como também em uma interpretação escatológica representa o dia da volta de Cristo, que se dará em duas etapas, uma para arrebatar a igreja e outra para estabelecer o governo milenial. No caso do nosso texto em foco seria o dia do arrebatamento da igreja.

DE NOSSO SENHOR. O Senhorio de Cristo é reconhecido em toda a extensão do conteúdo neotestamentário. E uma das passagens mais conhecidas é a de Filipenses 2:10-11 - Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai. Cristo Jesus, também é Rei dos reis e Senhor dos senhores.

JESUS CRISTO. Jesus é o nome próprio do Filho de Deus e Cristo é o adjetivo que fala dos seus atributos e principalmente de sua missão como o Messias de Deus. Porque Cristo quer dizer; o enviado ou ungido de Deus para executar o plano da salvação.

sábado, 25 de novembro de 2017

1 Coríntios 1:6-7

1 Coríntios 1:6-7 - (Como o testemunho de Cristo foi mesmo confirmado entre vós). De maneira que nenhum dom vos falta, esperando a manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo.
COMO O TESTEMUNHO DE CRISTO. O testemunho de Cristo diz respeito a tudo que engloba as boas novas do evangelho de Cristo Jesus. Desde as promessas feitas por Deus em forma de profecias messiânicas como também tudo que aconteceu com o nascimento, vida, marte e ressurreição do Messias de Deus, Jesus de Nazaré. E Paulo foi o responsável por transmitir todos os parâmetros da nova aliança de Deus com a humanidade por intermédio de Cristo Jesus. Enquanto a maioria dos apóstolos originais se preocupavam em convencer os judeus a respeito de que Jesus era o Messias, Paulo recebeu a incumbência de levar o evangelho aos gentios, fora de Israel.

FOI CONFIRMADO ENTRE VÓS. Esta confirmação a que se refere o escritor diz respeito à aceitação por parte dos coríntios das boas novas pregadas pelo apóstolo Paulo. Antes de Paulo chegar naquele lugar com as novidade de Cristo o povo daquela cidade vivia para a prostituição religiosa. Os historiadores dão conta de que havia em Corinto um templo dedicado ao culto de Afrodite, deusa do amor. Nesse templo haviam pelo menos mil prostitutas religiosas, que atraíam adoradores de todo o mundo antigo para arrecadar dinheiro com o objetivo de sustentar as sacerdotisas cultuais.

DE MANEIRA QUE NENHUM DOM VOS FALTE. O desejo de Paulo é que a igreja cristã que estava na cidade de Corinto fosse realmente uma igreja completa. Onde os seguidores de Cristo naquela cidade tivessem todos os dons provenientes de Deus para lhes suprirem mutuamente todas as necessidades espirituais dos discípulos do Senhor Jesus Cristo naquele lugar. Um dos motivos desta epístola de Paulo aos coríntios foi justamente para estimular a igreja de Corinto a buscar os dons espirituais. Porque para o apóstolo uma igreja completa era uma igreja com os dons espirituais.

ESPERANDO A MANIFESTAÇÃO. Esta expressão bíblica, neste particular, nos conduz em duas direções. A primeira diz respeito à manifestação do Senhor por meio dos dons espirituais se fazendo presente no maio do povo de Deus em Corinto, a fim de lhes suprirem todas as necessidades. A segunda diz respeito à vinda do Senhor Jesus para buscar os redimidos que ele comprou com o seu precioso sangue. A volta de Cristo (parousia) era o grande anelo da igreja primitiva, assim como também o é hoje.

DE NOSSO SENHOR. O Senhorio de Cristo é reconhecido em toda a extensão do conteúdo neotestamentário. E uma das passagens mais conhecidas é a de Filipenses 2:9-11 - Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome. Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o SENHOR, para glória de Deus Pai. Cristo é Rei dos reis e Senhor dos senhores.

JESUS CRISTO. Jesus é o nome próprio do Filho de Deus e podemos dizer que Cristo é o adjetivo que fala de suas qualidades e principalmente de sua missão. Porque Cristo quer dizer o enviado, ou ungido de Deus para executar o plano da salvação. Jesus é um nome próprio e a palavra Cristo fala de quem é Jesus de Nazaré, o Messias de Deus.

1 Coríntios 1:5

1 Coríntios 1:5 - Porque em tudo fostes enriquecidos nele, em toda a palavra e em todo o conhecimento.
PORQUE EM TUDO. Tudo que somos e tudo que temos vêm de Deus por Cristo Jesus. É o que nos revela a escritura em Efésios 1:3 - Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo. Só tem a ganhar aquele que faz a opção de vida em viver ao lado de Cristo. Em todas as áreas da vida só despontam vantagens e os benefícios são incalculáveis para todos aqueles que recebem as riquezas da nova aliança de Cristo.

FOSTES. Cristo proporcionou uma graça tal diante de Deus Pai para os seus seguidores que não dá para calcular (humanamente falando) o seu valor. Viver para Cristo como seu discípulo é conquistar o coração de Deus de tal maneira que os céus se abrem para nós. Os gentios (todos nós) viviam sem chance de reconciliação com o Criador, porem, O Senhor Jesus estabeleceu a paz pela reconciliação e nos atirou diretamente nos braços de Deus. E tudo isto provem de Deus que nos reconciliou consigo mesmo.

ENRIQUECIDOS. De nada tem falta aqueles que seguem o caminho do evangelho do Senhor Jesus. Uma vez que, ele supre todas as nossas necessidades. Aprendemos isto em Filipenses 4:19 - O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus. Quem tem Cristo em sua vida tem tudo e muito mais. Viver para Cristo é ganhar vida abundante aqui na terra e vida plena na eternidade. Vale apenas renunciar tudo que o mundo oferece mais que desagrada a Deus, porque quem tem o Senhor Jesus não sente falta de nada em sua vida.

NELE. (Em Jesus Cristo). O mundo ainda existe porque Cristo interveio na história da humanidade para nos preservar. Na hipótese de Cristo não ter feito o que fez em prol da humanidade a ira de Deus e o seu furor já era o suficiente para um caos total. Por isso que, as boas novas da nova aliança de Cristo para o mundo é muito mais do que podemos imaginar ou perceber. A obra redentora de Cristo não foi somente em benefício dos seres humanos, porque ela abrange toda a criação de Deus.

EM TODA. Quando se diz: “nele” é porque em Cristo engloba a totalidade universal das bênçãos de Deus para o mundo e principalmente para a sua igreja. O mundo sem Cristo não tem noção do quanto está perdendo, por se manter alienado do Salvador. Também não é a toa que os remidos deixam de gozar os prazeres deste mundo, pela esperança de uma vida eterne feliz com Deus e com Cristo nas mansões celestiais.

A PALAVRA. A maior riqueza de um ser humano, conforme as escrituras, não é possuir bens materiais. É na realidade reconhecer de que este mundo está um caos e ser alcançado com as boas novas do evangelho glorioso de nosso Senhor Jesus Cristo. Os remidos por Cristo são ricos porque conhecem a palavra que liberta.

E EM TODO CONHECIMENTO. O mundo corre em busca dos conhecimentos científicos (não há nada de errado nisto). Todavia, desprezam o principal, que é conhecer a Cristo, a fonte de toda sabedoria. Não buscam conhecer os benefícios eternos da nova aliança de Cristo pelo mundo. Mas, o conhecimento de Cristo é tudo de que precisamos.

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

1 Coríntios 1:4

1 Coríntios 1:4 - Sempre dou graças ao meu Deus por vós pela graça de Deus que vos foi dada em Jesus Cristo.
SEMPRE. Esta é uma expressão temporal que representa um ato contínuo. Com isto o apóstolo dos gentios estava dizendo que não cessava de dar graças a Deus pelas vidas dos irmãos e das irmãs que estavam na cidade de Corinto. Bastava dobrar os joelhos ou mesmo em orações em pé ou assentado Paulo não se esquecia de louvar a Deus por todos aqueles que naquela cidade chamada “imunda” se haviam convertido ao cristianismo e as boas novas do evangelho poderoso de Cristo Jesus, o Libertador.

DOU GRAÇAS. Os discípulos de Cristo ali naquela cidade eram como a coroa de glória dos trabalhos missionários de Paulo. O apóstolo os via cada um individualmente como sendo pedras preciosas de sua coroa, no alcance crescente da graça de Deus sobre aquele povo. A cidade de Corinto era completamente dominada pela depravação pagã, e ver no meio daquela sociedade, pessoas transformadas pelo poder do evangelho pregado por Paulo, redundava em ações de graças continuamente para ele.

AO MEU DEUS. Paulo reconhecia de que o sucesso de sua missão evangelizadora em Corinto não se devia a nenhum apoio externo de nenhum outro líder religioso, nem tão poucos aos seus esforços pessoas em anunciar as boas novas de Salvação. Todavia, olhava para cima, para o seu Deus, com gratidão em seu coração pelos frutos colhidos de onde não se esperava. Paulo foi muito perseguido pelos seus compatriotas Judeus mais radicais em Corinto, e ao que tudo indica passou até perigo de morte ou de ser expulso daquele lugar. Não desistiu e conseguiu alcançar muitas vidas com as boas notícias da nova aliança de Deus com os homens, por meio do Redentor, Jesus Cristo.

POR VÓS. Paulo se refere aos seguidores de Cristo em Corinto de maneira toda especial. Até porque ele os tinha como filhos na fé, por ser o primeiro missionário a chegar à Grécia, talvez vindo de Antenas. Chegando naquela cidade ficou suspenso por ver como as pessoas viviam embrenhadas na devassidão e na pecaminosidade. Certamente, visualizou o quanto seria difícil achar aceitação à sua mensagem naquele lugar. Todavia, mesmo plantando em lugar pedregoso veio a colher os seus frutos.

PELA GRAÇA DE DEUS. O fundador da comunidade cristã em Corinto percebia que a graça de Deus havia sido derramada mais que abundante, sobre aquelas vidas que receberam de bom grado as boas novas do evangelho glorioso do Senhor Jesus Cristo. Era justamente esta graça do Deus Criador que havia dilatado os corações dos discípulos de Cristo e filhos na fé de Paulo, naquela cidade de Corinto.

QUE VOS FOI DADA. O Deus gracioso derramou dos mais altos céus esta abundante graça que foi dada gratuitamente aos que receberam a Cristo em Corinto. Tudo isso partiu da bondade de Deus em libertar os Coríntios da vida devassa em que viviam.

EM CRISTO JESUS. Esta é uma expressão usada por Paulo muitas vezes em seus escritos. E representa: Para Cristo, por Cristo e em Cristo. E todas as vezes que esta expressão é usada por Paulo é no sentido de render a Cristo a devida glória e não reter para si o que pertence somente ao Messias de Deus, Jesus Cristo nosso Senhor.

1 Coríntios 1:3

1 Coríntios 1:3 - Graça e paz da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.
GRAÇA. Graça e paz. Esta era na verdade a saudação cristã nos tempos da igreja primitiva. Nos dias de hoje cada denominação tem o seu modo próprio de saudação, até para diferenciar uma das outras. A palavra graça separada da palavra paz era uma saudação grega ou dos gentios convertidos ao cristianismo. Representando o modo gracioso como foram alcançados pelo evangelho das boas novas e receberam a Cristo como único Salvador. Na realidade os gentios ou os não Judeus eram povos que viviam separados da comunidade de Israel e não eram alcançados pela antiga aliança de Deus com o seu povo. Na nova aliança eles foram alcançados pela graça de Cristo Jesus.

PAZ. Em termos de Saudação era e sempre foi à saudação judaica dos filhos de Israel. Como sabemos, todos os bons elementos da antiga aliança foram transportados para o cristianismo, até porque o fundador da nova aliança de Deus com a humanidade era um Israelita da gema, Jesus de Nazaré. Incluir a palavra paz na saudação cristã tem todo o sentido, uma vez que, o Messias de Deus veio justamente estabelecer a paz entre Deus e os homens, e isto foi possível mediante a reconciliação realizada pelo Senhor Jesus (Romanos 5:11 - E não somente isto, mas também nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, pelo qual agora alcançamos a reconciliação).

DA PARTE DE DEUS. Tanto a graça que é um favor não merecido quanto à paz que representa a reconciliação do homem com o seu Criador, provem de Deus que reconciliou consigo mesmo o mundo (2 Coríntios 5:18 - E tudo isto provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo, por Jesus Cristo, e nos deu o ministério da reconciliação). Os gentios não mereciam a graça divina e nem se interessavam pelo reino de Deus. Todavia, o Senhor pela sua grande misericórdia abril esta porta da graça para toda a humanidade. E a obra de expiação proporcionada pelo Cordeiro de Deus provocou esta paz tão boa que hoje nós temos todos com Deus em Cristo Jesus.

NOSSO PAI. Deus é o nosso Pai celeste. Todo ser humano tem um progenitor conforme a carne e o sangue. Porem, o nosso Deus é de fato o nosso verdadeiro Pai Criador. Todos aqueles que receberam a Cristo em suas vidas por crerem no seu nome são feitos filhos de Deus, estes que foram gerados segundo a vontade de Deus (João 1:12-13 - Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome; Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus. Pertencemos a família de Deus e somos realmente irmãos de Cristo Jesus, o Primogênito do Pai.

E DO SENHOR. Graça e paz da parte de Deus e do Senhor Jesus Cristo. Sem Cristo não seria possível recebermos esta graça divina que nos alcançou. O Senhor Jesus Cristo foi o condutor e executor desta tão feliz paz que desfrutamos com o nosso Pai celestial. O mesmo Jesus de Nazaré que veio humilde também é o nosso Senhor e Rei eterno.

JESUS CRISTO. Jesus é o nome próprio e podemos dizer que Cristo é o adjetivo que fala de suas qualidades e principalmente de sua missão. Porque Cristo quer dizer o enviado, ou ungido de Deus para executar o plano da salvação. Jesus é um nome próprio e a palavra Cristo fala de quem é Jesus de Nazaré, o Messias de Deus.

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

1 Coríntios 1:2

1 Coríntios 1:2 - À igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados santos, com todos os que em todo o lugar invocam o nome de nosso SENHOR Jesus Cristo, Senhor deles e nosso.
A IGREJA DE DEUS. Quando se fala sobre a igreja de Deus é a mesma coisa que dizer igreja de Cristo. O próprio Jesus falou: Eu e o pai somos um (João 10:30). Assim como também só existe uma igreja verdadeira, que é a igreja de Deus e de Cristo. O que existe hoje são variedades de denominações que, dentre as quais esta incluída a igreja de Deus e de Cristo. Falar sobre uma denominação religiosa não é a mesma coisa que falar sobre a igreja de Deus e de Cristo, porque a igreja é espiritual e não um templo.

QUE ESTA EM CORINTO. Esta epístola de Paulo estava sendo endereçada a comunidade dos salvos e remidos por Cristo que estava na cidade de Corinto. Não era a uma denominação religiosa que tinha na cidade de Corinto. É bom lembrar que até 312 d.C. quando houve o casamento entre o cristianismo e o império romano, não era permitido se construir templos cristãos em nenhum lugar do domínio romano. Corinto era uma cidade da Grécia que significa “imoral”, foi destruída em 146 a.C e foi reconstruída em 46 d.C. Era uma cidade depravada moralmente e espiritualmente.

AOS SANTIFICADOS EM CRISTO JESUS, CHAMADOS SANTOS. A morte de Cristo foi um ato de expiação em prol de todos aqueles que o recebem pela fé como único e suficiente Salvador. Com isto, todos aqueles que o confessam, recebem dos benefícios santificadores da obra remidora do Filho de Deus. E estes são chamados santos não por se tornarem perfeitos, mas por serem separados do mundo e dedicados ao reino de Deus e de Cristo. Uma vez que a palavra “santo” quer dizer separado.

COM TODOS AQUELES QUE EM TODO LUGAR. Paulo tinha certeza de que esta sua mensagem, que de princípio estava sendo endereçada a comunidade cristã na cidade de Corinto, também chegaria a todos aqueles que em algum lugar do planeta terra invocaria o nome de Cristo. E na verdade seus escritos foram sendo conduzidos de lugar a lugar, cada vez mais distante, ao ponto de hoje estarem espalhados por todo o mundo. Até certo ponto, podemos assegurar de que esta citação do apóstolo dos gentios era uma palavra profética, que se cumpre a cada dia, ao se expandir.

INVOCAM O NOME DO SENHOR JESUS CRISTO. Não são todas as pessoas que invocam o nome de Cristo. Os judeus, por exemplo, que não se converteram ao cristianismo, nem receberam a Jesus de Nazaré como o Messias, não invocam ao Cristo de Deus. Assim como existem inúmeras pessoas que deixam de invocar o nome do Salvador para venerarem as criaturas, em forma de ídolos e imagens de escultura.

SENHOR DELES E NOSSO. Não são todas as pessoas que tem a Cristo como Senhor. Ter a Cristo como Salvador, todo mundo diz que tem, até porque todos precisam da salvação dada por Cristo. No entanto, tê-lo como Senhor poucos desejam, uma vez que, ter a Cristo como Senhor é permitir que ele domina a vida e o destino em tudo.