Pesquisar este blog

quarta-feira, 23 de maio de 2018

1 Coríntios 15:7-8

1 Coríntios 15:7-8 - Depois foi visto por Tiago, depois por todos os apóstolos. E por derradeiro de todos me apareceu também a mim, como a um abortivo.
DEPOIS FOI VISTO. Não temos como saber se Paulo tinha a intenção de traçar um cronograma cronológico das aparições de Cristo, após ter ressuscitado de entre os mortos. O uso recorrente da palavra “depois” pode ser um indicativo de que o autor esteja realmente seguindo os conhecimentos da época sobre este fato tão interessante, que foram as muitas aparições do Senhor Jesus. Fica bem claro que, Paulo tenta defender que na realidade os seus leitores deveria crer nestas verdades.

POR TIAGO. Este não é Tiago irmão do apóstolo João, mas de acordo com a tradição cristã é o Tiago meio irmão do Senhor Jesus. Os indicativos fazem crer que os irmãos de Jesus não creram de princípio que ele fosse o Messias de Deus. Porem, depois da ressurreição do Cristo de Deus, eles passaram a crer que Jesus era o Salvador. Para tanto, o Verbo de Deus apareceu a Tiago, que se tornou uma liderança do cristianismo.

DEPOIS POR TODOS. Neste caso, não temos como saber se Paulo está falando de algo individual, em que Cristo tenha aparecido a cada um deles em particular ou se ele fala de algo que antes já tinha ventilado sobre a aparição do Senhor Jesus a todos de uma única vez. No evangelho de João temos primeiro a aparição de Jesus aos seus dez apóstolos, em que tomé estava ausente, mas em seguida Jesus aparece a todos.

OS APÓSTOLOS. Encontramos versões bíblicas que contem a palavra “discípulos”, mas já em outras encontramos a palavra “apóstolos”. É provável que o escritor esteja falando nos apóstolos de Cristo, eles que foram suas primeiras e mais importantes testemunhas sobre os eventos de suas aparições. Nesta mesma época, tinha o grupo dos apóstolos originais, menos Judas Iscariotes que o traiu, depois veio Tiago irmão do Senhor, depois Matias em lugar de Judas, e por fim, o apóstolo dos gentios, Paulo.

E POR DERRADEIRO DE TODOS. Apesar de ser o grande apóstolo dos gentios, porem, Paulo fala de forma humilde sobre o seu encontro com o Cristo ressurrecto. Todas as demais aparições do Senhor Jesus se deram antes de sua ascensão para aos céus, durante os quarenta dias em que esteve sobre a terra, depois de sua ressurreição. No entanto, esta vez que ele apareceu a Paulo se deu depois de sua ascensão aos céus.

ME APARECEU TAMBÉM A MIM. Este evento se encontra registrado em Atos 9:3-5 - E, indo no caminho, aconteceu que, chegando perto de Damasco, subitamente o cercou um resplendor de luz do céu. E, caindo em terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues? E ele disse: Quem és, Senhor? E disse o Senhor: Eu sou Jesus, a quem tu persegues. Duro é para ti recalcitrar contra os aguilhões.

COMO A UM ABORTIVO. Uma averiguação cuidadosa pode-se perceber que Paulo não está falando de Cristo, mas sim, de sua própria situação precária como alguém que não merecia nem viver. Paulo se achava o mais miserável de todos os pecadores, isso porque, ele foi um perseguidor hostil contra a igreja amada de Cristo Jesus. Neste momento em que escreve esta sua carta, o apóstolo dos gentios se considerava rejeitado pela sua própria mãe, que era a sua nação judaica, o seu próprio povo.

terça-feira, 22 de maio de 2018

1 Coríntios 15:6

1 Coríntios 15:6 - Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem também.
DEPOIS. Não há uma cronologia exata das aparições do Senhor Jesus após a sua ressurreição de entre os mortos, porem, alguns estudiosos do assunto relatam sobre pelo menos dez vezes, como segue. Ele aparece a Maria Madalena, da qual tinha expulsado sete demônios (Marcos 16:9). A um grupo de mulheres (Mateus 28:9) A dois dos seus discípulos Lucas 24:15). A Pedro, seu amigo mais próximo (Lucas 24:34). A dez de seus apóstolos no lugar chamado senáculo (João 20:19).

FOI VISTO. Oito dias depois o Cristo ressurrecto apareceu aos seus onze apóstolos (João 20:26). Passados alguns dias, apareceu a pelo menos sete dos seus apóstolos (João 21:1-2). Em outra ocasião aos seus onze apóstolos e também apareceu a Tiago, seu meio irmão (1 Coríntios 15:7). Por fim, apareceu aos seus onze apóstolos na Galileia, provavelmente no monte Tabor (Mateus 28:16-17). Temos então um esboço.

UMA VEZ. É provável que está vez citada pelo escritor diz respeito ao que está registrado em (Mateus 28:16-17), bem como o que está registrado em (Atos 1:4), tendo logo em seguida assunto ao céu, na presença de todos, como está escrito em (Atos 1:9-11). Nesta ocasião o Cristo de Deus certamente se despede dos seus seguidores, deixando seus mandamentos concernentes ao reino de Deus ou dos céus.

POR MAIS DE QUINHENTOS. Computando-se todas as aparições do Senhor Jesus aos seus amigos e seguidores mais próximos já era testemunho suficiente para comprovação de que ele efetivamente ressuscitou de entre os mortos. No entanto, o Cristo ressurrecto queria dar testemunho ainda a mais pessoas para que não restassem dúvidas quanto a sua ressurreição, pela qual venceu a morte. Quem poderia contestar de mais de quinhentas pessoas dando o mesmo testemunho?

IRMÃOS. Cristo poderia ter aparecido a outras pessoas, e certamente deve ter aparecido, que não eram suas seguidoras, apesar de não estar registrado, mas ele preferiu aparecer aos que acreditavam no seu nome, porque eram estas pessoas que a partir de sua ascensão iriam testemunhar que ele ressuscitou, conforme a verdade. Quando Paulo fala sobre “irmãos” ele se reporta sobre os seguidores de Cristo Jesus.

DOS QUAIS VIVE AINDA A MAIOR PARTE. O apóstolo dos gentios não cita os nomes dos que ainda estavam testemunhando pessoalmente da ressurreição do Senhor Jesus, mas ele tem certeza que estes ainda estavam vivos na terra. Apesar de não viver em Israel, porque Paulo era um missionário transcultural, Todavia, ele se mantinha bem informado de todo que acontecia em Jerusalém, em Israel e na Palestina.

MAS ALGUNS JÁ DORMEM TAMBÉM. É provável que mais de vinte anos já tenha se passado desde que o Senhor Jesus foi morto, ressuscitou e subiu ao céu para estar definitivamente assentado a destra de Deus. Durante este mesmo tempo, houveram muitas perseguições e não há dúvida que alguns dos seguidores mais próximos de Cristo já tenham sido mortos como mártires do verdadeiro cristianismo. Quando se fala sobre a morte, fala-se da morte física, mas para Deus, eles apenas dormiam.

segunda-feira, 21 de maio de 2018

1 Coríntios 15:4-5

1 Coríntios 15:4-5 - E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras. E que foi visto por Cefas, e depois pelos doze.
E QUE FOI SEPULTADO. No versículo anterior o autor afirma que Cristo foi morto pelos nossos pecados de acordo com o que sobre ele já estava escrito nas profecias messiânicas. Agora, Paulo diz que o mesmo Cristo foi sepultado, e isso de conformidade como dele também estava escrito. Pelas leis romanas, o Cristo não teria direito de ser sepultado, mas Deus se utilizou de José de Arimatéia, que era uma autoridade importante, para que seu corpo fosse sepultado de forma digna.

E RESSUSCITOU. Os quatros evangelhos falam da ressurreição do Cristo de Deus e este foi um dos fatos mais marcante da passagem de Cristo pela terra, porque se ele não tivesse ressuscitado a vitória não seria completa. Como o próprio Cristo havia dito que era a ressurreição e a vida, ele não poderia de forma alguma ficar preso a tumba fria, mas pelo grande poder de Deus ele ressuscitou para nunca mais morrer.

AO TERCEIRO DIA. Esse terceiro dia, do qual fala o nosso escritor, diz respeito ao primeiro dia da semana, também chamado pelos cristãos primitivos de dia do Senhor, que é justamente o domingo. É unanimidade entre todas as religiões cristãs que o Senhor Jesus Cristo foi crucificado na sexta-feira, e, portanto, ele também veio a morrer na própria sexta-feira, sábado é o segundo dia e o domingo o terceiro dia.

SEGUNDO AS ESCRITURAS. Se Paulo está se referindo as Escrituras do Velho Testamento é provável que ele se refira ao que está registrado em Oséias 6:2 - Depois de dois dias nos dará a vida; ao terceiro dia nos ressuscitará, e viveremos diante dele. Temos ainda Salmos 16:10 - Pois não deixarás a minha alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção. Conhecidas como citações messiânicas.

E FOI VISTO. A ressurreição do Senhor Jesus por si só teve o seu ponto importante como coroação de sua vitória sobre a morte. Porem, as suas aparições a várias pessoas e em circunstâncias e lugares diferentes trás consigo provas irrefutáveis de que na verdade o Filho de Deus venceu definitivamente a morte. O livro de Atos dos Apóstolos nos ensina que o Cristo ressurrecto esteve quarenta dias ainda na terra, antes de sua ascensão aos céus, aparecendo e ensinando aos seus discípulos.

POR CEFAS. O Dr. Lucas escreveu algo em seu evangelho que pode ser uma referência ao que Paulo cita neste texto, conforme Lucas 24:34 - Os quais diziam: Ressuscitou verdadeiramente o Senhor, e já apareceu a Simão. Cefas é a mesma pessoa que Simão, como também é o apóstolo Pedro. Paulo cita o nome de Cefas porque ele era uma autoridade muito respeitada por todos na igreja primitiva, bem como em Corinto.

E DEPOIS PELOS DOZE. Ainda no evangelho de (Lucas 24:36) Cristo aparece no meio dos seus apóstolos e dá provas cabais de que ele efetivamente ressuscitou de entre os mortos. (João 20:19), também é outra passagem bíblica do Novo Testamento que nos mostra que o Senhor Jesus mais uma vez apareceu aos seus apóstolos, ainda no domingo a tarde, que foi o próprio dia de sua ressurreição de entre os mortos. Todos os casos de aparições do Cristo ressurrecto foram para provar que ele ressuscitou.

1 Coríntios 15:3

1 Coríntios 15:3 - Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras.
PORQUE PRIMEIRAMENTE. Não temos como saber se o escritor fala de que ele foi o primeiro que chegou com as boas novas do evangelho de Cristo na cidade de Corinto. Ou este é apenas um recurso literário para principiar um tema que tem grande importância para quem escreve, bem como para quem também era leitor da informação a ser repassada. Acredita-se que Paulo foi o pioneiro da pregação das boas novas de Cristo naquela cidade, como também em toda a Macedônia e Acaia.

VOS ENTREGUEI. Paulo fala de suas atividades evangelísticas na cidade de Corinto, em que ele teve o privilégio de chegar com grande amor com a mensagem libertadora do evangelho da nova aliança de Deus com a humanidade naquela cidade. Com exclusividade, o apóstolo dos gentios gostava de pregar suas mensagens Cristocêntricas, falando por todas as partes da obra redentora do Filho de Deus.

O QUE TAMBÉM RECEBI. Não que Paulo houvesse convivido pessoalmente com o Senhor Jesus, como os demais apóstolos de Jerusalém. Mas, ele mesmo afirma ter aprendido sobre o evangelho que pregava por revelação direta de Deus. Gálatas 1:11-12 - Mas faço-vos saber, irmãos, que o evangelho que por mim foi anunciado não é segundo os homens. Porque não o recebi, nem aprendi de homem algum, mas pela revelação de Jesus Cristo. É exatamente sobre isso que o autor fala nesta colocação.

QUE CRISTO. É de propósito que Paulo coloca o sobrenome Cristo, e não o nome próprio de Jesus. Os falsos mestres gnósticos chegavam a afirma que o Cristo não morreu, mas apenas o homem chamado Jesus é que teve que enfrentar a morte. Portanto, para combater o engano das filosofias sufistas do gnosticismo, o escritor afirma que Cristo morreu de fato e na verdade. Não tem como separar Jesus de Cristo.

MORREU. A morte de Cristo foi uma realidade dentro da essência da mais pura verdade. As próprias autoridades religiosas e civis de Israel cuidaram para que os seguidores de Jesus não simulassem uma fraude, quanto a ressurreição de Jesus Cristo. Depois de verificarem que ele, Jesus, já estava morto, o transpassaram com uma lança, além de colocarem guardas no sepulcro de Cristo para que não tirassem o seu corpo.

POR NOSSOS PECADOS. Romanos 4:25 - O qual por nossos pecados foi entregue. Gálatas 1:4 - O qual se deu a si mesmo por nossos pecados, para nos livrar do presente século mau, segundo a vontade de Deus nosso Pai. Hebreus 1:3 - havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados. O evangelho chama esta morte substituta de Cristo em nosso lugar de expiação. Cristo era o Cordeiro de Deus que foi sacrificado.

SEGUNDO AS ESCRITURAS. Paulo fala a respeito de tudo que já estava escrito nas Sagradas Escrituras dos hebreus sobre os sofrimentos de Cristo em prol da humanidade e mais especificamente pela sua igreja remida, que ele comprou com seu precioso sangue. Existem várias partes do Velho Testamento que poderíamos citar, porem, as mais conhecidas são elas o Salmos vinte e dois, bem como a tão conhecida passagem de Isaías capítulo cinquenta e três. Tudo já estava previsto sobre Cristo.

sábado, 19 de maio de 2018

1 Coríntios 15:2

1 Coríntios 15:2 - Pelo qual também sois salvos se o retiverdes tal como vo-lo tenho anunciado; se não é que crestes em vão.
PELO QUAL. O escritor esta se reportando ao evangelho glorioso de Cristo Jesus, esse mesmo evangelho que chegou também aos gentios na cidade de Corinto, e que teve a capacidade de vencer as trevas, porque a mensagem do evangelho é pura luz. O evangelho das boas novas foi à manifestação do poder de Deus que alcançou os pecadores naquela cidade, os fazendo se transformarem em filhos de Deus, isso porque creram no poder eficaz da redenção manifesta de Cristo Jesus para todos.

TAMBÉM SOIS. Uma das grandes polêmicas entre os servos de Cristo e as pessoas do mundo é no que concerne à confissão dos remidos de que são salvos já nesta vida presente. Aqueles que foram regenerados pelo poder do evangelho libertador do Senhor Jesus exercem a sua fé de que a obra de redenção de Cristo é suficiente para lhes salvar, não porque merecem, mas porque Cristo os resgatou para seu reino e luz.

SALVOS. Paulo ilumina o entendimento dos seus leitores sobre o valor do evangelho da graça de Deus, quando afirma que, os remidos são salvos por meio deste evangelho. Na realidade o apóstolo dos gentios está de fato preparando o terreno no coração dos seus leitores para introduzir um assunto de suma importância para o cristianismo, que é a ressurreição dos salvos em Cristo que já partiram desta vida. Bem como a transformação dos vivos na vinda gloriosa do Filho de Deus, Jesus Cristo.

SE O RETIVERDES. Neste versículo o autor aponta para a possibilidade da perda de algo que constitui o centro da fé cristã, que é a salvação e vida eterna. O “se” é condicional, no sentido de que, alguém pode optar em rejeitar a mensagem do evangelho, o que constitui em prejuízos eternos. Todavia, o grande esforço de Paulo foi no sentido de pregar o verdadeiro evangelho para que os irmãos se firmassem.

COMO VO-LO TENHO. Ainda que indiretamente, o escritor dá a entender que a mensagem original do evangelho que ele pregou na cidade de Corinto havia sido desvirtuada, certamente por aqueles que pregavam um outro evangelho. A mensagem do evangelho transmitida por Paulo era digna de toda aceitação, porque ele não recebeu de homem algum, mas por revelação direta e exclusiva de Cristo Jesus.

ANUNCIADO. O apóstolo dos gentios fala de suas atividades evangelísticas, em que ele empreendeu na cidade de Corinto, quando da fundação daquela comunidade cristã. Como missionário transcultural, Paulo tinha presa em levar o evangelho ao maior número de pessoas possível, até porque ele tinha como responsabilidade evangelizar o mundo gentílico, o que ele fez com muita responsabilidade e amor ao evangelho.

SE NÃO É QUE CRESTES EM VÃO. As broncas que Paulo teve que dar aos que fazia parte da igreja cristã de Corinto, por meio de suas duas cartas, nos leva a pensar que houve momentos de dúvida por parte de Paulo se realmente os seus leitores haviam de fato se convertido ao cristianismo verdadeiro. Fala-se no cristianismo verdadeiro, porque nos dias de hoje existem várias religiões se intitulando de cristãs, mas na verdade fazem parte de um cristianismo de faixada, e não do cristianismo verdadeiro.

1 Coríntios 15:1

1 Coríntios 15:1 - Também vos notifico, irmãos, o evangelho que já vos tenho anunciado; o qual também recebestes, e no qual também permaneceis.
TAMBÉM. Neste capítulo quinze, Paulo trata em detalhes de um assunto, que para a época, não era nada fácil de compreender. Durante a velha dispensação este tema não era motivo de crença nem mesmo para o povo judeu, quanto mais para os gentios. Cristo veio trazendo uma nova luz sobre o assunto, dando exemplos de pessoas que ele próprio ressuscitou de entre os mortos. Porem, o exemplo mais forte foi justamente a sua ressurreição, como sua coroação de vitória sobre a morte.

VOS NOTIFICO. Mas, no início deste capítulo, usando como introdução, o apóstolo faz lembrar aos seus leitores de como ele chegou de mansinho com uma mensagem de boas novas, em que apresentava o Messias de Deus, Jesus Cristo, como Redentor da humanidade, porque de fato ele morreu em morte de cruz, como sendo o sacrifício do Cordeiro de Deus, mas que ao terceiro dia ressuscitou para glória de Deus Pai.

IRMÃOS. Como o assunto era até certo ponto difícil de se compreender por parte dos leitores de Paulo, então, ele trata de maneira cordial seus leitores, os chamando de irmãos. Desde os tempos mais remotos da humanidade que os seres humanos se consideravam irmãos, por se encontrarem em Adão e Eva, no começo da criação. Mas, no caso de Paulo e seus leitores, essa sempre foi uma norma entre os cristãos.

O EVANGELHO. Para Paulo, o evangelho era o poder de Deus para salvação de todo aquele que crer em sua mensagem. Além do mais, o evangelho é boas novas de salvação e libertação, isso porque, quem dar crédito a sua mensagem, recebe a Cristo como Senhor e Salvador, e com isso, ganha a salvação e vida eterna. O próprio escritor era uma prova viva e eficaz do poder transformador do evangelho de Cristo. A existência da igreja cristã na cidade de Corinto era outra prova do poder do evangelho.

QUE JÁ TENHO VOS ANUNCIADO. O apóstolo Paulo foi pioneiro em sua época, na semeadura das boas novas do evangelho de Cristo no mundo gentílico. Enquanto o grupo apostólico de Jerusalém ficou com a incumbência de transmitir o evangelho da circuncisão para os judeus, Paulo tinha as demais nações do mundo para levar o evangelho da incircuncisão, inclusive, chegou com as boas novas de Cristo em Corinto.

O QUAL TAMBÉM RECEBESTES. Certamente o apóstolo dos gentios se lembra neste momento de suas campanhas evangelísticas de quando esteve na cidade de Corinto para pregar as boas novas do evangelho poderoso do reino de Deus. E o mais importante foi que, os irmãos daquela cidade não só deram ouvidos ao que Paulo pregava, mas acima de tudo, receberam de bom grado, o evangelho das boas novas.

E NO QUAL TAMBÉM PERMANECEIS. Em vários momentos desta sua carta, bem como em sua segundo carta, Paulo deu a entender que os irmãos de Corinto estavam realmente muito fora do que era a vontade de Deus. No entanto, agora, como ele pretendia introduzir um assunto complicado, como também ele já se aproximava da conclusão desta sua carta, ele faz um certo afago aos seus leitores, confirmando de que efetivamente eles estavam em Cristo Jesus, o que deve ter alegrado aos irmãos.

sexta-feira, 18 de maio de 2018

1 Coríntios 14:38-40

1 Coríntios 14:38-40 - Mas, se alguém ignora isto, que ignore. Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar, e não proibais falar línguas. Mas faça-se tudo decentemente e com ordem.
MAS, SE ALGUÉM IGNORA ISTO, QUE IGNORE. Este “alguém” sobre o qual fala Paulo é o mesmo do versículo anterior, que se auto classificava de profeta, certamente alguém influente dentro da igreja cristã de Corinto. Não temos de forma alguma como identificar, nem levantar hipótese alguma de quem realmente seria este opositor da obra de Deus naquela comunidade cristã. Ignorar, neste caso, é não dar importância.

PORTANTO, IRMÃOS. O autor pretende terminar este capítulo, que foi escrito com assuntos bastante polêmicos, fazendo uma graça aos seus leitores, os chamando de irmãos, e isso é recorrente em seus escritos, quando ele introduz paradoxos ou temas mais duros. Ao mesmo tempo, Paulo demostra mais uma vez sua humildade, quando na realidade ele era uma importante autoridade, mas ao mesmo tempo simples.

PROCURAI, COM ZELO. É a terceira vez que o apóstolo dos gentios faz esta mesma recomendação aos seus leitores, com o intuito de ver o enriquecimento espiritual da igreja de Cristo em Corinto. O que o escritor pede na verdade aos seus filhos na fé é que eles se dedicassem ao máximo para agradar ao coração de Deus, a fim de que o Senhor, por meio do Espírito Santo derramasse mais e mais os dons espirituais.

PROFETIZAR. É de propósito que Paulo destaca mais uma vez o seu intenso desejo de que os irmãos de Corinto buscassem diligentemente o dom de profecia. Especula-se que havia efetivamente a falta de manifestações deste dom em Corinto, razão porque Paulo tem valorizado tanto este importante dom. O que podemos conjecturar é que Paulo desejava muito ver a edificação da igreja do Senhor Jesus naquele lugar, e não que prevalecesse alguns movimentos que para nada serviam, senão para confusão.

E NÃO PROIBAIS FALAR LÍNGUAS. As explicações que o apóstolo insistiu em dar neste mesmo capítulo desta carta, quanto ao falar em línguas estranhas foram para que houvesse ordem no culto. E ele deixa bem claro que, os irmãos poderiam falar em línguas, quando houvesse interpretes, desde que, não falassem várias pessoas ao mesmo tempo, mas um, dois, ou quando muitos três, portanto, um de cada vez.

MAS FAÇA-SE TUDO DESCENTEMENTE. Com grande sabedoria, Paulo fecha este capítulo com uma colocação perfeita, ao pedir aos seus leitores que não bagunçassem as reuniões da igreja de Cristo. Os líderes da igreja de Cristo, com estas palavras de Paulo, se quisessem, a partir de agora, poderiam colocar a casa em ordem, não permitindo determinadas manifestações emocionais, supostamente espiritais.

E COM ORDEM. Estas duas palavras, “descentemente e com ordem” colocavam as coisas no seu devido lugar. Faz-se necessário que haja reverência na casa de Deus, a fim de não virar bagunça. Tem pessoas que confundem emoção com unção e acha que pode fazer o que bem quiser na hora do culto, quando sabemos que a coisa não deve ser bem assim. As lideranças da igreja precisam manter o controle, e quando necessário tomar a frente, no sentido de manter a ordem na casa de Deus e de Cristo.

1 Coríntios 14:36-37

1 Coríntios 14:36-37 - Porventura saiu dentre vós a palavra de Deus? Ou veio ela somente para vós? Se alguém cuida ser profeta, ou espiritual, reconheça que as coisas que vos escrevo são mandamentos do Senhor.
PORVENTURA SAIU DENTRE VÓS. Paulo refresca a mente dos seus leitores que eles não conheciam o evangelho de Cristo, até que o apóstolo dos gentios chegou com as boas novas de salvação. Os seguidores de Cristo na cidade de Corinto só eram conhecedores da palavra do Senhor, porque Deus usou o apóstolo Paulo para semear a boa semente do reino de Deus entre eles. Eles deveriam reconhecer de fato isto.

A PALAVRA DE DEUS? Não há dúvida que o escritor se reporta sobre o poderoso evangelho de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, que era nesta mesma época a mensagem divina transmitida por Paulo e seus amigos de ministério no mundo gentílico. Por meio das boas novas do evangelho de Cristo, os homens de Deus transmitiam o plano da salvação em Cristo Jesus, mediante a boa graça de Deus.

OU VEIO ELA SOMENTE PARA VÓS? A cidade de Corinto foi um dos muitos campos missionários conquistados por Paulo e seus amigos de ministério no mundo gentílico. Além de que os demais apóstolos de Cristo estavam cumprindo suas missões em Israel e na palestina. O mesmo evangelho pregado em Corinto era a mesma mensagem que percorria o mundo civilizado de então cumprindo o ide imperativo de Cristo Jesus.

SE ALGUÉM CUIDA SER PROFETA. A partir de então, o escritor tem alguém em sua mira, no sentido de focar sua crítica. Não se sabe quem, mas a realidade é que havia alguém na igreja de Corinto que se achava profeta, e que defendia que somente suas palavras eram que devia ter autoridade naquela comunidade cristã. A ausência de Paulo de Corinto abriu espaço para alguns aventureiros se infiltrarem naquela igreja

OU ESPIRITUAL. Esse tal de profeta aventureiro, além de se vangloriar de ser um porta voz de Deus, também se achava mais espiritual do que tudo mundo, inclusive mais espiritual do que o próprio Paulo. É provável que este tal manifestasse sua suposta espiritualidade por meio de profecias, do falar demasiadamente em línguas desconhecidas, bem como por meio de eloquentes pregações do outro evangelho. Sempre existiram esses supostos super-homens na fé, que eram obreiros fraudulentos.

RECONEÇA QUE AS COISAS QUE VÓS ESCREVOS. O apóstolo fala, não somente sobre este tema desenvolvido nesta parte de sua carta, mas também sobre todo o conteúdo de sua missiva. E não somente isso, mas nesta época, era provável que outras suas cartas já fossem conhecidas das igrejas cristãs, apesar de alguns acharem que esta foi à primeira carta escrita por Paulo, o que não se prova, já outros acham que foi Gálatas.

SÃO MANDAMENTOS DO SENHOR. Verdade é que Paulo não teve o privilégio de conviver pessoalmente com o Senhor Jesus, mas nem por isso, ninguém o podia acusar de escrever suas cartas de conformidade com o seu próprio querer. O apóstolo dos gentios teve um encontro pessoal com Cristo Jesus e a partir de então passou a receber revelações profundas dos planos de Deus para sua igreja. Quem conhece a importância de Paulo sabe reconhecer que ele foi instruído por Cristo Jesus, o Mestre.

quinta-feira, 17 de maio de 2018

1 Coríntios 14:35

1 Coríntios 14:35 - E, se querem aprender alguma coisa, interroguem em casa a seus próprios maridos; porque é vergonhoso que as mulheres falem na igreja.
E SE QUEREM APRENDER. Paulo foi até certo ponto considerado um dos apóstolos mais liberais do primeiro século de nossa era cristã, inclusive pregava a libertação dos dogmas da legislação de Moisés. Mas neste caso, ele não difere em nada, no que tange aos costumes e tradições dos judeus. Os seguidores mais ortodoxos do judaísmo chegavam mesmo a dizer que as mulheres não precisavam nem praticar a religião, porque não tinham alma. Essa era uma das aberrações do judaísmo cultural.

ALGUMA COISA. Uma outra concepção errada dos homens judeus era de que, as mulheres só precisavam aprender as coisas próprias da vida doméstica. Chegando alguns casos, em que as mulheres se tornavam verdadeiras escravas, dentro do seu próprio lar. Mas no caso em foco, o autor se refere a aprender alguma coisa concernente a dimensão espiritual. Neste aspecto, as coisas melhoraram bastante.

INTERROGUEM. Neste ponto, o que o escritor pretende realmente é implantar o que acontecia nas sinagogas judaicas, em que as mulheres não tinham nenhum direito, senão de ficarem caladas o tempo todo, em absoluta submissão aos maridos e aos principais da sinagoga. As mulheres não podiam perguntar nada, não tinham o direito de pregar a palavra, nem muito menos de ler um trecho das Escrituras. Radicalismo.

EM CASA A SEUS PRÓPRIOS MARIDOS. Até certo ponto, o escritor retoma o tema da total submissão das mulheres aos seus próprios maridos. A cultura judaica era completamente machista, ao ponto de discriminar substancialmente as mulheres em todos os aspectos. Deste esta época em que foi escrita esta carta, que as mulheres cristãs vêm lutando para conquistarem seus espaços, e isso tem progredido muito.

PORQUE É VERGONHOSO. Para aquela época, essa era uma dura realidade, em que as mulheres que desejassem se preservar dos escândalos sociais, também deveriam se manter caladas. Talvez alguns achem que Paulo, neste momento tenha voltado ao judaísmo, mas essa era uma realidade dentro das culturas orientais. Ver-se que ainda nos dias de hoje, nos países orientais, muitas mulheres usam o véu e são completamente submissas aos seus maridos. Nos países ocidentais é que é diferente.

QUE AS MULHERES FALEM. Principalmente nos cultos públicos, era algo inadmissível que uma mulher se levantasse para ministrar a palavra de Deus. Durante todo o culto elas deveriam permanecer caladas, porque somente aos homens estava reservado o ministério da palavra. A título de hoje, temos muitas mulheres consideradas boas pregadoras, e em algumas denominações existem também muitas pastoras.

NAS IGREJAS. Compreender tudo isso, não é tarefa nada fácil. A diferença gritante que há do que Paulo determinou neste tema, para os dias de hoje, não sabemos como conciliar. Até que ponto se deve desobedecer uma regra clara como essa, em nome do progresso? Isso ninguém deve por um ponto final. Deus é o juiz de todas as coisas e somente ele é quem pode esclarecer os pontos em que há paradoxos em sua palavra. É bom lembrar que nesta dimensão da vida, não compreendemos todas as coisas.

quarta-feira, 16 de maio de 2018

1 Coríntios 14:34

1 Coríntios 14:34 - As vossas mulheres estejam caladas nas igrejas; porque não lhes é permitido falar; mas estejam sujeitas, como também ordena a lei.
AS VOSSAS. De repente, não mais do que de repente, o autor muda de assunto e traz dois versículos por demais polêmicos nesta sua carta aos coríntios. Na realidade estes dois versículos tem sido motivos de muitos debates e controvérsias no meio do povo de Deus, principalmente nestes últimos dias. Para as igrejas do primeiro século de nossa era cristã nem tanto, porque naquela época era assim que os homens tratavam as suas mulheres. Mas na atualidade e nas igrejas ocidentais a coisa é diferente.

MULHERES. Certamente, Paulo, neste aspecto aplica a mesma regra de que os judeus aplicavam nas sinagogas do judaísmo, em que as mulheres não tinham direito de pregar ou ensinar nas reuniões religiosas dos judeus. No cristianismo histórico, com o passar dos tempos, principalmente depois da reforma protestante, estes conceitos têm evoluído bastante, principalmente nas igrejas ocidentais que são mais democráticas. Verdade é que as denominações modernas tem abolido esta regra.

ESTEJAM CALADAS. Não há dúvida que isto foi efetivamente uma regra estabelecida por Paulo para as igrejas gentílicas fundadas por ele. Nas igrejas ligadas às lideranças de Jerusalém as regras, neste aspecto eram tão rígidas quando no mundo gentílico. Este tipo de amordaça foi mantida durante séculos como proibição solene, e como uma doutrina cristã. Hoje apenas pouquíssimas denominações mantem esta tradição.

NAS IGREJAS. Há quem diga que no tempo da igreja primitiva havia alguns tipos de trabalhos voltados diretamente para as mulheres, como temos hoje em muitas denominações o círculo de orações. Todavia, nos cultos e nas celebrações públicas das igrejas do primeiro século de nossa era cristã, não se permitia que as mulheres pregassem ou ensinassem nas igrejas. Não se sabe até quando isso prevaleceu.

PORQUE NÃO LHES É PERMITIDO FALAR. Talvez o fato de que o Senhor Jesus tenha escolhido somente homens para compor seu ministério, isso tenha influenciado essa demanda no tempo dos apóstolos. A prova disto é que não houveram consagrações de mulheres para o ministério. É provável que neste mesmo tempo, o ministério da palavra e do ensina só fosse exercido pelos ministros, sendo vetado para as mulheres. Este falar pode estar ligado diretamente ao ministério da pregação da palavra.

MAS ESTEJAM SUJEITAS. Esta sujeição das mulheres podem se referir aos próprios líderes das igrejas locais, bem como aos seus próprios maridos, bem como as regras estabelecidas por Paulo. O que o escritor tenta passar para seus leitores é que as mulheres fossem submissas às autoridades da igreja, como eram aos seus próprios maridos. Em linhas gerais houve avanços, mas os homens ainda dominam nas igrejas.

COMO TAMBÉM ORDENA A LEI. Não se sabe ao certo se Paulo está se referido a lei de Moisés, e se assim o é, certamente ele se refere ao que está escrito em (Números 30:12-13). Mas, pode ser que o apóstolo dos gentios esteja se referindo a esta regra estabelecida por ele ou ainda por alguma lei tradicional que prevalecia na cidade de Corinto. O que fica bem claro é que não era permitido as mulheres pregar ou ensinar.

terça-feira, 15 de maio de 2018

1 Coríntios 14:32-33

1 Coríntios 14:32-33 - E os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas. Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz, como em todas as igrejas dos santos.
E OS ESPÍRITOS. Conforme a palavra de Deus, existe o Espírito Santo de Deus, que sempre é posto no texto bíblico com letra inicial maiúscula. Existem os espíritos dos anjos de luz, que estão a serviço do reino de Deus. Existem os espíritos das trevas, que são o diabo com seus demônios e existe o espírito do homem. Cada ser humano tem o seu próprio espírito que é dado por Deus, que é eterno em sua existência, mesmo com a morte física ou biológica, mas este espírito sobrevive eternamente ou no paraíso ou no hades, também chamado de inferno.

DOS PROFETAS. O espírito dos profetas. Isso nos faz entender que o Espírito Santo dá o dom ao profeta, que por sua vez, pelo seu espírito transmite a mensagem de Deus para edificação da igreja de Cristo. É perfeitamente provável que haja a comunicação direta do Espírito de Deus com o espírito do profeta, em que Deus revela sua vontade por meio do dom profético. Percebe-se que neste elo, não pode haver interferência da carne, nem da sabedoria humana.

ESTÃO SUJEITOS AOS PROFETAS. Com isso, o autor deixa bem claro que, o profeta não perde o controle de suas ações, nem muito menos de suas palavras. Não há dúvida que na igreja cristã de Corinto estava havendo movimentos ou modismos em que determinadas pessoas faziam seus exibicionismos, supostamente em êxtase, para então proferir descontroladamente suas inumeráveis profetadas, o que não poderia ser, fugindo assim da ordem nos cultos públicos.

PORQUE DEUS NÃO É DEUS DE CONFUSÃO. Verdadeiras bagunças estavam sucedendo na hora dos cultos na comunidade cristã de Corinto, porque se não fosse assim, não seria necessário Paulo escrever sobre estas coisas. A partir do momento em que se perde o controle da situação, podemos julgar, conforme a palavra, que Deus não está no negócio, mas que entra em sena o emocionalismo humano, e com alguns casos em que pode até haver interferências de espíritos malignos, que tem a função de enganar as pessoas, se possível até os escolhidos.

SENÃO DE PAZ. Quando o culto tem o comando do Espírito de Deus, o que prevalece é a ordem e a decência. Um dos principais objetivos pelo qual Deus dá os dons espirituais e ministeriais, pelo Espírito Santo é para que a igreja seja edificada, exortada e consolada. Neste sentido, sempre no termino de cada trabalho, podemos concluir que a celebração foi realizada para glória de Deus, e não para a ostentação de quem quer que seja, nem mesmos dos líderes.

COMO EM TODAS AS IGREJAS. O apóstolo dos gentios já havia fundado muitas igrejas no mundo gentílico, e em todas elas haviam regras, tais como ele está expondo nesta carta, para o bom andamento da obra de Deus. Os indicativos nas fazem compreender que, somente nesta igreja de Corinto é que a coisa estava fora do padrão do cristianismo e das doutrinas cristãs, isso no que tange ao uso do dom de línguas desconhecidas, bem como do dom de profecia.

DOS SANTOS. Como em todas as igrejas dos santos. Não é difícil de se notar quando uma organização religiosa se faz uma seita herética, ao distorcer tudo aquilo que está escrito nas Sagradas Escrituras. Estes santos, sobre os quais fala Paulo, não dizem respeito aos mortos canonizados por uma instituição religiosa, mas dizem respeito aos irmãos vivos, que faziam parte das igrejas do primeiro século de nossa era cristã. Santo quer dizer separado do mundo.

sábado, 12 de maio de 2018

1 Coríntios 14:31

1 Coríntios 14:31 - Porque todos podereis profetizar, uns depois dos outros; para que todos aprendam, e todos sejam consolados.
PORQUE TODOS. Grande parte deste capítulo, Paulo utilizou para organizar a igreja cristã de Corinto sobre o falar em línguas nos cultos públicos, principalmente, quando nas reuniões de celebração da igreja haviam pessoas ainda não convertidas ao cristianismo. Porem, uma outra preocupação do apóstolo era também quanto ao falar em profecia, para que os dirigentes dos cultos tivessem controle sobre o que estava sucedendo nas celebrações da comunidade cristã, e o culto não virasse bagunça.

PODEREIS. Nem havia proibição da parte de Paulo de alguém falar em línguas desconhecida, nem muito menos de profetizar, desde que, se fizesse tudo isso com ordem e decência. A vontade do apóstolo dos gentios era de que todos os irmãos fossem na realidade usados pelo Espírito Santo com os dons espirituais e ministeriais, e não que houvesse uma algazarra total, sem que a igreja de Cristo fosse edificada.

PROFETIZAR. Tudo indica que as notícias negativas, neste aspecto sobre a igreja de Corinto estavam se espalhando pelas demais comunidades cristãs daquela época, e a prova disto é que o fundador daquela igreja teve a preocupação de escrever todo este conteúdo a este respeito. É bom que fique bem claro que Paulo não está restringindo o dom de profecia, nem muito menos o de línguas, apenas orientando os irmãos.

UM DEPOIS. As mesmas regras estabelecidas quanto ao controle sobre o dom de línguas estranhas na igreja, são também colocadas quanto ao dom de profecia. Isso porque, as mesmas coisas que estavam acontecendo com o dom de línguas, também não era diferente quanto ao dom de profecia. Parece que uns viviam atropelando aos outros, como se não houvesse respeito uns pelos outros na igreja de Corinto. Mesmo com todas estas recomendações ainda tem denominações parecidas com Corinto.

DO OUTRO. Não é difícil de notar que na igreja cristã de Corinto estava prevalecendo o emocionalismo, bem como o sensacionalismo de alguns, em torno dos dons espirituais. Neste aspecto, a comunidade cristã de Corinto não estava agindo diferente das seitas heréticas do paganismo, em que davam muito favor ao êxtase emocional, em detrimento ao que se poderia chamar de racional. Na igreja não pode ser assim.

PARA QUE TODOS APRENDAM. O dom profético é algo excelente para o bem coletivo do corpo de Cristo, que é a sua igreja. O uso racional deste dom pode de maneira abundante edificar o povo de Deus, isso porque, o Espírito Santo, como agente divino na terra, deseja de maneira permanente preparar a igreja do Senhor Jesus para a vida eterna. O dom profético também tem sempre a função pedagógica na igreja.

E TODOS SEJAM CONSOLADOS. Além da instrução que o dom de profecia pode incrementar no meio do povo de Deus, o Espírito Santo que conhece a necessidade de cada um dos servos de Cristo, pode muito bem usar os irmãos com uma mensagem de conforto. A igreja primitiva vivia sob pressão e perseguição dos inimigos do cristianismo, de forma que, todos precisavam de encorajamento para não desistir dos caminhos do evangelho. O dom profético era uma fonte de consolo para a igreja.

terça-feira, 8 de maio de 2018

1 Coríntios 14:30

1 Coríntios 14:30 - Mas, se a outro, que estiver assentado, for revelada alguma coisa, cale-se o primeiro.
MAS. Percebe-se que uma das principais preocupações do apóstolo Paulo é a ordem do culto, porque ao que tudo indica os líderes locais não estavam tendo controle, nem os irmãos daquela igreja estavam sabendo como líder com tais situações. Aquela comunidade cristã era bastante abençoada com vários dons e manifestações espirituais, porem, mais para o exibicionismo de quem a possuía, e não para glória de Deus, nem para edificação uns dos outros, como manda o evangelho da graça.

SE A OUTRO. O autor está falando sobre o dom de profecia, que assim como o dom de línguas desconhecida estava sendo usado em larga escala, gerando confusão e não harmonia como convêm. Quando o Espírito do Senhor estivesse usando a alguém, mas de repente desejasse usar a outro irmão, o primeiro deveria permitir a manifestação do dom profético em outro, para que todos fossem usados por Deus com este dom..

QUE ESTIVER ASSENTADO. Desde os começos do cristianismo que as comunidades cristãs realizam os cultos, com todos assentados no ambiente de celebração. No dia de pentecoste, estavam todos assentados, quando de repente foram cheios do Espírito Santo. Somente quem estivesse ministrando é que deveria ficar de pé, inclusive quem fosse usado com o dom profético para que todos respeitassem ao que falava.

FOR REVELADA. É, pois, notório que o dom profético vem por divina revelação do Espírito Santo ao que é devidamente usado por este dom. A bíblia nos ensina que, Deus não faz nada, sem que antes revele seus mistérios ou segredos aos seus servos, os profetas. Se os homens permitirem a direção de Deus no andamento e desenvolvimento da igreja de Cristo, tudo transcorrerá dentro da vontade de Deus, isso porque o Senhor cuidará em revelar seus planos mais importantes para seu povo.

ALGUMA COISA. Como os dons espirituais e ministeriais são dados aos servos de Deus para a edificação e crescimento do corpo de Cristo, que é a sua igreja amada, então o Senhor faz saber aos seus servos seus desígnios, a fim de fazer valer a sua soberana vontade. É lamentável dizer que, nestes últimos dias, as revelações de Deus têm sido suprimidas, quando na realidade os homens querem manda mais do que Deus.

CALE-SE. A mesma recomendação dada quanto ao dom de línguas estranhas, que fale um de cada vez, para que não haja desordem no culto, é a mesma recomendação dada também quanto ao dom de profecia. Se alguém estiver falando para a igreja, porque o dom profético tem esta finalidade, mas de repente outro recebe uma revelação mais urgente e mais importante, então o primeiro se cala e fala o segundo a revelação.

O PRIMEIRO. Não que o primeiro seja menor que o segundo, o que o apóstolo dos gentios deseja aconselhar é que haja respeito a todos, e que muitos dos irmãos sejam usados pelo Espírito de Deus, pelo dom profético, porem, um de cada vez, e não muitos falando ao mesmo tempo. Parece-nos que determinadas personagens naquela igreja se achavam acima dos outros e quando ele estava profetizando se achava o tal, ao ponto de manipular o ambiente, porque achava que somente ele era profeta.

segunda-feira, 7 de maio de 2018

1 Coríntios 14:28-29

1 Coríntios 14:28-29 - Mas, se não houver intérprete, esteja calado na igreja, e fale consigo mesmo, e com Deus. E falem dois ou três profetas, e os outros julguem.
MAS, SE NÃO HOUVER INTÉRPRETE. No versículo anterior, Paulo havia dito que, se alguém falar em línguas desconhecidas na igreja, que seja dois ou quando muitos três, e isso se houver intérprete. Agora ele diz que, se não houver intérprete, então o correto é que não se fale línguas para toda a igreja ouvir, mas que o tal irmão fale em línguas de forma baixinha, como se estivesse conversando consigo mesmo e com Deus. Até porque se falar em línguas, sem intérprete, vai atrapalhar a ordem do culto.

ESTEJA CALADO NA IGREJA. Já está bem claro que não se trata de uma reunião pessoal do servo de Deus em sua própria casa sozinha ou com seus familiares, mas que Paulo está tratando de um culto público. Neste caso, a igreja, não é um templo feito de tijolos e cimentos e de outros materiais, mas o apóstolo está falando do coletivo do povo de Deus, de quando se reúnem para cultuar ao Deus Todo-poderoso.

E FALE CONSIGO MESMO. O apóstolo dos gentios não está falando da pregação que alguém possa fazer para si mesmo, nem das ações de graças que eram feitas de público na igreja, nem tão pouco dos louvores que faziam parte da liturgia dos cultos, porem, ele se refere à oração em que alguém faz de forma secreta consigo mesmo, em que mais ninguém ouve. Esse deve ser o modo ideal de se fazer oração.

E COM DEUS. Paulo fala daquela oração em línguas, onde o que ora, assim o faz em línguas, mas bem baixinho, ao ponto dos que estiverem por perto não venham a escutar. Além de que, esta oração feita em línguas, sem que haja intérprete, o que ora com seu espírito, tem contato direto com o Espírito Santo de Deus. Este tipo de oração é aquela em que Paulo fala que o Espírito de Deus intercede por nós com gemidos inexprimíveis, mas que chega como uma carta aberta na presença de Deus. Aleluias.

E FALEM DOIS. As mesmas regras quanto aos que falam em línguas, de dois falando, quando houver intérprete, fica estabelecida também para os que profetizam. Apesar de Paulo já ter demostrado que ele dava mais prioridade ao dom de profecia, em vez do dom de línguas desconhecidas. Mas como seu objetivo era organizar as reuniões da igreja em Corinto, então ele não permite que muitos profetizem ao mesmo tempo.

OU TRÊS PROFETAS. O mesmo que o escritor falou quanto às línguas estranhas, ele repete quanto aos que profetizam. Parece que uma verdadeira confusão se estabelecia na hora dos cultos ou reuniões na comunidade cristã de Corinto. Tudo indica que os irmãos eram mesmo exagerados em tudo, quando estavam falando em línguas era um monte de gente, o que não era diferente quando profetizavam também.

E OS OUTROS JULGUEM. As línguas desconhecidas não tinham como ser julgada, principalmente quando não havia intérpretes. Já quando alguém era usado pelo dom profético, todos poderiam compreender e desta forma, tanto os líderes da igreja podiam submeter à profecia a prova, quanto toda a igreja também. Não se sabe ao certo que tipo de parâmetro era usado para julgar a profecia, certamente isso poderia ser feito pela palavra de Deus, ou pelas doutrinas cristãs já estabelecidas.

1 Coríntios 14:27

1 Coríntios 14:27 - E, se alguém falar em língua desconhecida, faça-se isso por dois, ou quando muito três, e por sua vez, e haja intérprete.
E, SE ALGUÉM FALAR. Continua o autor instruindo aos seus leitores, em como por em ordem as coisas nos cultos realizados pelos líderes da igreja cristã em Corinto. Pelo que já foi exposto anteriormente, estes que falavam assim, faziam nas orações, nos louvores, na ministração e até nas ações de graças. E isso faziam em línguas estranhas, o que gerava uma certa confusão, porque os demais não entendiam nada, e portanto, não havia a edificação da igreja, e com isso havia uma disfunção do dom espiritual.

EM LÍNGUAS DESCONHECIDAS. Estas línguas sobre as quais fala o escritor, dizem respeito a uma comunicação direta de Deus com a pessoa que tem tal dom, o dom de línguas desconhecida. Mas estas mesmas línguas também poderiam ser muito importante para a igreja em sua edificação, exortação e consolo, quando em paralelo a isso, havesse também alguém no ambiente com o dom de interpretar as línguas.

FAÇA-SE ISSO. Não se sabe ao certo se Paulo já havia instruído os irmãos de Corinto sobre estes assuntos, quando da fundação daquela comunidade cristã. Há quem diga que este modismo surgiu justamente com a ausência de Paulo naquela igreja. Porem, tendo o apóstolo conhecimento dos fatos, agora não era tarde, para que seus ensinos fossem recebidos pelos seus filhos na fé, tentando organizar os cultos naquela igreja.

POR DOIS. Não há dúvida que a desorganização era o que prevalecia naquela igreja, em que quase todos falavam em línguas desconhecidas ao mesmo tempo, sendo os cultos marcados como uma verdadeira baderna. Parece que, este número estabelecido por Paulo seria para cada culto, e não duas pessoas falando ao mesmo tempo, além de que, se não houvesse intérprete, era melhor que ninguém falasse. Uma das preocupações de Paulo era justamente com os visitantes que se escandalizavam.

OU QUANDO MUITO TRÊS. Percebendo Paulo que os irmãos de Corinto gostavam mesmo de colocarem em prática este dom de línguas desconhecida, então, ele repensa e diz que, se alguém acha que dois é pouco, então, que não mais do que três fosse permitido falar em línguas estranhas, isso em cada culto, e não três pessoas falando em línguas ao mesmo tempo. Repetindo, se houver quem faça a interpretação.

E POR SUA VEZ. Esta frase é a chave do assunto exposto neste versículo, porque colocava ordem nas coisas. Neste caso, fica bem claro então que, não eram os dois ou três falando ao mesmo tempo, mas sim, um de cada vez, para que todos pudessem ouvir e serem edificados, exortados ou consolados. Não se sabe se os irmãos tomaram os conselhos de Paulo, mas o que se nota é que eles estavam precisando desta ordem.

E HAJA INTÉRPRETE. Outro ponto importante deste versículo é o que o apóstolo dos gentios diz neste final do texto. Se não houver intérprete no ambiente do culto, então o que fala em língua desconhecida, assim o faça baixinho, consigo mesmo e Deus, para que seu próprio espírito seja edificado, por isso que Paulo não proíbe de alguém falar em línguas desconhecida. Agora, se a mensagem é para edificação de toda a igreja, se faz necessário que haja intérprete, se não, não haverá edificação da igreja.

quarta-feira, 2 de maio de 2018

1 Coríntios 14:26

1 Coríntios 14:26 - Que fareis, pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação.
QUE FAREIS, POIS, IRMÃOS? O apóstolo começa uma nova secção de sua carta falando sobre a necessidade de ordem nas celebrações da igreja. Uma pergunta que os líderes da igreja de Corinto deveriam fazer ao fundador daquela comunidade cristã, Paulo que faz a eles: Que fareis, pois, irmãos? Ao mesmo tempo, Paulo suaviza o texto, chamando seus leitores de irmãos. Esse era um tratamento de igual para igual.

QUANDO VOS AJUNTAIS. Paulo fala do momento de culto ou reunião do povo de Deus, de como eles deveriam proceder, no sentido de edificar uns aos outros, principalmente no que concerne ao uso dos dons espirituais. A celebração do culto para a igreja de Cristo é um momento solene e que merece toda reverência possível, porque quando tudo está de acordo com a vontade de Deus, o Senhor se faz presente.

CADA UM DE VÓS. Tudo indica que, nos cultos celebrados pela igreja de Corinto, as coisas não estavam de conformidade como Paulo havia ensinado, quando da fundação daquela comunidade cristã, nem muito menos como deveria ser. O correto é que haja ordem no culto, sem tumulto, nem uns atropelando os outros, mas que cada um por sua vez, de forma organizada fosse útil para o bem de todos. Com isso o autor deixa transparecer que cada um fosse usado por vez, para o culto não virar uma bagunça.

TEM SALMOS. É provável que no tempo da igreja primitiva, no tocante a participação dos louvores na igreja, às coisas transcorriam como no tempo do judaísmo, em que os Salmos era o saltério de Israel. Mas outras referências bíblicas nos faz saber que também eram entoados outros tipos de louvores, quem sabe compostos pelas lideranças da igreja, que engrandeciam a Cristo e as coisas do novo cristianismo.

TEM REVELAÇÃO. As revelações se enquadram em uma variedade de formas em que Deus se utilizava dos seus servos para edificação da igreja. Podemos falar a respeito da palavra de sabedoria, da palavra do conhecimento, das visões, do próprio dom de línguas acompanhado de interpretação, e o dom de profecia, tão defendido por Paulo, porque por meio deste dom, Deus se utilizava dos profetas para falar a verdade.

TEM LÍNGUAS, TEM INTERPRETAÇÃO. Veja-se que o apóstolo dos gentios não descarta o dom de línguas desconhecidas, o que de fato Paulo tenta explicar aos irmãos é que o dom de línguas não pode servir como único sinal de espiritualidade. Além de que, o dom de língua é importante para quem fala, porque se comunica diretamente com Deus, e com o dom de interpretação edifica todo o povo de Deus.

FAÇA-SE TUDO PARA EDIFICAÇÃO. Esta colocação feita por Paulo se traduz como o foco principal do uso dos dons e serviços na igreja de Cristo. Paulo afirma que, os dons dados pelo Espírito Santo visa primordialmente à edificação do corpo de Cristo, que é a sua igreja remida. Os dons espirituais e ministeriais não são dados a quem quer que seja para autopromoção pessoal de ninguém. Infelizmente, existem muitos até vendendo os dons que Deus lhe deu, fazendo do seu ministério uma profissão.

segunda-feira, 30 de abril de 2018

1 Coríntios 14:25

1 Coríntios 14:25 - Portanto, os segredos do seu coração ficarão manifestos, e assim, lançando-se sobre o seu rosto, adorará a Deus, publicando que Deus está verdadeiramente entre vós.
PORTANTO. No versículo anterior, Paulo vinha falando sobre a visita de algum indouto ou infiel na reunião da igreja de Cristo, e que ao participar do culto, Deus tomasse alguém em profecia para desvendar justamente algumas coisas de sua vida que supostamente ninguém sabia. Com isso, o escritor vinha exaltando o dom profético, que na opinião de Paulo era mais necessário do que o dom de línguas desconhecidas.

OS SEGREDOS DO SEU CORAÇÃO. Essa colocação feita por Paulo se refere a algo que ninguém tem conhecimento, mas que o incrédulo tem consciência que praticou e que é algo que estava oculto dos filhos dos homens, mas que Deus tem conhecimento. É provável que o apóstolo se refira ao trabalho de convencimento que o Espírito Santo faz na vida dos infiéis, conforme o evangelho de (João 16:8), por meio da profecia.

FICARÃO MANIFESTOS. Por isso que Jesus falou que, não há nada oculto, que não haja de ser manifesto, nem escondido que não haja de vir à luz. Neste caso, o visitante que ainda não é convertido tem seus segredos revelados pelo Espírito de Deus, isso por meio do dom profético. Esse é um argumento muito forte defendido por Paulo em defesa do dom profético, mostrando aos seus leitores a necessidade de se buscar mais este dom, do que o dom de línguas estranhas. O dom profético é muito importante.

E ASSIM, LANÇANDO-SE SOBRE O SEU ROSTO. Essa expressão usada pelo escritor nos ensina sobre a reação positiva do ouvinte das profecias faladas na igreja e que revela a vida e os segredos do coração dos filhos dos homens. É muito importante quando os pregadores do evangelho são usados no dom profético para semearem as boas novas do evangelho de Cristo, porque termina revelando pela palavra a vida dos ouvintes.

ADORARÁ A DEUS. O apóstolo dos gentios faz saber aos irmãos de Corinto a importância de se buscar o dom profético, porque ele além de edificar de forma marcante a igreja de Cristo, também tem uma função fundamental na evangelização dos infiéis. A igreja de hoje parece andar na contramão destes ensinos, porque os servos de Deus estão mais buscando posição, cargos e oportunidades do que os dons.

PUBLICANDO QUE DEUS. Não se sabe ao certo se Paulo está falando do mesmo momento em que o indouto ou infiel ouve a profecia, ou se o escritor esta se referindo ao que o ouvinte da profecia passa a dizer a partir daquele momento de sua vida. Seja como for, mas este é o resultado de um trabalho abençoado na igreja de Cristo, em que o Espírito Santo tem liberdade para falar por meio dos seus servos e profetas.

ESTÁ VERDADEIRAMENTE ENTRE VÓS. Percebe-se que Paulo deseja efetivamente o melhor para a igreja de Cristo em Corinto, como também ele quer que o nome de Deus seja glorificado pelo seu povo, bem como ele fica na torcida para que mais pessoas sejam atingidas pelas misericórdias de Deus e venham a se converterem. Muitos curiosos visitam a igreja de Cristo, porque ouvem falar que Deus está presente no meio do seu povo. Portanto, é importante que isso seja comprovado pelos que nos visitam.

sábado, 28 de abril de 2018

1 Coríntios 14:24

1 Coríntios 14:24 - Mas, se todos profetizarem, e algum indouto ou infiel entrar, de todos é convencido, de todos é julgado.
MAS, SE TODOS. No caso das línguas desconhecidas, ao que tudo indica, nas reuniões em que os irmãos se congregavam para cultuarem a Deus, todos falavam em línguas, seja na pregação, seja nos momentos de agradecer, nas orações e até mesmo nos momentos de louvores, porem, não havia edificação da igreja. Já no tocante a profecia é diferente, porque cada um profetiza um de cada vez, quando muitos dois ou três, todos que estiverem no ambiente compreendem o que se diz e há edificação de todos.

PROFETIZAREM. Desde os começos da humanidade que Deus sempre se utilizou dos seus profetas para expressar sua vontade. Durante a história de Israel, o povo de Deus, muitos foram os profetas que Deus levantou para falar com aquela nação. No tempo da igreja primitiva, este era até considerado um ministério, dada a importância das profecias para a igreja do Senhor Jesus. Paulo exalta este dom espiritual para igreja.

E ALGUM. No caso das línguas desconhecida, se algum indouto ou infiel participasse das reuniões da igreja, ou porque era convidado ou porque era parente ou amigo dos irmãos, os tais ficariam escandalizados, e sairiam até achando que todos estavam loucos. Mas no que diz respeito à profecia era diferente, porque Deus usa seus profetas para também falar para os que são incrédulos, revelando seus segredos.

INDOUTO OU INFIEL. O indouto ou infiel é a mesma pessoas e representa, neste caso as pessoas ainda não convertidas ao evangelho, mas que eram simpatizantes com as coisas de Deus. Certamente, nos cultos realizados pelas lideranças da igreja primitiva eram convidadas pessoas não convertidas para participarem das reuniões da igreja, sejam pessoas simpatizantes do evangelho, ou parentes e amigos dos irmãos da igreja. Isso acontece muito nos dias de hoje, a visita dos que ainda não seguem a Cristo.

ENTRAR. Neste mesmo tempo, era feito um monitoramento por parte das lideranças do cristianismo, no sentido de ver quem poderia participar dos cultos nas casas dos irmãos, porque os inimigos do evangelho poderiam se infiltrar no meio do povo de Deus para fiscalizarem as atividades da igreja de Cristo. Mas os parentes dos irmãos e amigos de mais confianças eram convidados a participarem dos cultos.

DE TODOS É CONVENCIDO. Quanto ao dom de línguas estranhas, Paulo fazia suas restrições, porem, quanto ao dom de profecias, ele incentivava, porque sabia que este dom além de servir para edificar a igreja cristã, ele também era importante no trabalho de evangelização daquelas pessoas que ainda não haviam se convertido ao cristianismo, isso porque a profecia tornava a vida dos indoutos ou infiéis conhecida.

DE TODOS É JULGADO. Deus trabalha com seus profetas revelando os segredos ocultos do povo e das pessoas. Não há dúvida que o escritor fala daquelas situações em que os não cristãos visitavam as reuniões da igreja de Cristo, e no ambiente do culto, Deus se utilizava dos seus profetas para desvendar os pecados ocultos dos visitantes ainda não convertidos. Deus é Onisciente, ele conhece todos os segredos da vida de todas as pessoas, portanto, por meio da profecia ele revela o escondido.

sexta-feira, 27 de abril de 2018

1 Coríntios 14:23

1 Coríntios 14:23 - Se, pois, toda a igreja se congregar num lugar, e todos falarem em línguas, e entrarem indoutos ou infiéis, não dirão porventura que estais loucos?
SE, POIS, TODA A IGREJA. O escritor faz então uma suposição de um culto público em que ver a possibilidade de visita de pessoas ainda não convertidas ao ambiente da reunião do povo de Deus. Quando Paulo fala em uma reunião com toda a igreja, ele pode também estar se referindo a santa ceia do Senhor, e se assim o é, abre-se a possibilidade de este evento não ser fechado somente com os membros da igreja de Cristo, mas que outras pessoas que ainda não eram convertidas, assistirem ao culto.

SE CONGREGAR. Há quem diga que a igreja cristã no tempo dos apóstolos se reunia todos os dias para celebrar ao Senhor, porem, essa tese pouco se sustenta pelo fato das perseguições que eram acirradas dos inimigos do cristianismo, contra a igreja de Cristo. Já outros afirmam que estas reuniões da igreja se davam uma vez por semana, o que é mais provável, com a hipótese de ser no domingo, o dia do Senhor.

NUM LUGAR. Este lugar, para o primeiro século da era cristã, não poderia ser jamais um templo religioso, como temos muitos nos dias de hoje. Até os anos 313 de nossa era cristã, quando o imperador Constantino, supostamente aceitou o cristianismo como religião oficial do império romano, não era permitido se construir templos dedicados ao cristianismo. A igreja se reunia de casa em casa, em lugares secretos.

E TODOS FALAREM EM LÍNGUAS. O apóstolo dos gentios fala a respeito de um suposto culto em que todos só falassem em línguas desconhecidas, o que supostamente estava acontecendo na igreja cristã de Corinto. Ora, se todos só falassem em línguas desconhecidas, não sobrava ninguém que pudesse interpretar tais línguas que estavam sendo faladas. Desta forma, não haveria edificação da igreja.

E ENTRAREM INDOUTOS OU INFIÉIS. De repente, não mais que de repente, entrasse alguém, ou algumas pessoas que não faziam parte da igreja de Cristo, visitantes. Os indoutos ou infiéis citados por Paulo, dizem respeito àquelas pessoas que não conhecem ainda as coisas concernentes ao reino de Deus, ou aqueles que são parentes ou amigos dos irmãos e que a convite dos servos de Cristo visitam a igreja. E muitas vezes esses visitantes vão à igreja por curiosidade ou para observarem as coisas.

NÃO DIRÃO PORVENTURA. Geralmente as pessoas que ainda não vivem de conformidade com o evangelho de Cristo costumam criticar o comportamento do povo de Deus, porque não compreendem que somos pessoas que vivemos no mundo, mas não somos do mundo. De forma que, sem motivos zombam de nós, quanto mais se acharem motivos, então se escandalizam, e rasgam o nosso testemunho como igreja.

QUE ESTAIS LOUCOS? As línguas, quando controladas pelos que as falam, podem ser aceitas pelos que fazem parte da igreja de Cristo, porque todos sabem que este é um dom. Mas, as pessoas que ainda não são convertidas não entendem porque falamos em línguas desconhecidas. Assim sendo, nos cultos em que tem a visita dos que não fazem parte da igreja é preciso se monitorar no tocante ao falar em línguas, porque tais pessoas vão sair da igreja falando mal do povo de Deus, dizendo que estão loucos.

quinta-feira, 26 de abril de 2018

1 Coríntios 14:22

1 Coríntios 14:22 - De sorte que as línguas são um sinal, não para os fiéis, mas para os infiéis; e a profecia não é sinal para os infiéis, mas para os fiéis.
DE SORTE QUE. Há de fato uma preocupação da parte do autor no tocante as reuniões públicas da igreja, em que por um lado os irmãos de Corinto falavam muito em línguas desconhecidas, quando por outro lado haviam visitantes que ainda não faziam parte do povo de Deus. Certamente se passava na mente de Paulo que, os incrédulos sairiam falando mal dos irmãos, como se estivessem ficando loucos. Aqueles que não são convertidos só querem motivos para blasfemar dos fiéis, os seguidores de Cristo.

AS LÍNGUAS. Como o assunto é justamente este, “as línguas desconhecidas” então Paulo se demora em convencer aos seus leitores que se controlassem, principalmente naqueles cultos públicos em que haviam visitantes não convertidos ao cristianismo. De forma alguma Paulo proíbe os irmãos de falarem em línguas estranhas, o que ele realmente pretende é instruir os seus filhos na fé sobre o que efetivamente era certo.

SÃO UM SINAL. Quando é que as línguas é um sinal para os infiéis? Primeiro, quando ela é falada por alguém, mas que este próprio alguém faz a interpretação, ou Deus usa outra pessoa no próprio ambiente para fazer a interpretação. Segundo, quando existe algum estrangeiro no ambiente, e o servo de Deus fala em línguas e a língua falada é justamente no idioma do estrangeiro, o que aconteceu no dia de pentecoste.

NÃO PARA OS FIÉIS. Estes fiéis, sobre os quais o escritor fala, dizem respeito aos servos de Cristo, que no caso em foco, eram os filhos na fé de Paulo, que faziam parte da igreja cristã de Corinto. São fiéis, porque romperam com o mundanismo para viverem de acordo com o evangelho de Cristo e as doutrinas cristãs. São fiéis ao Senhor Jesus, ele que veio como sendo o Messias de Deus, cumprindo assim a obra perfeita de redenção de sua igreja, que ele comprou com seu precioso sangue.

MAS PARA OS INFIÉIS. Os infiéis, sobre os quais Paulo se reporta nesta frase, dizem respeito às pessoas que visitavam os cultos realizados pelos líderes do cristianismo, mais que ainda não haviam se convertido ao verdadeiro cristianismo. Provavelmente, estes eram os simpatizantes da mensagem do evangelho, incluindo os familiares daqueles que já eram convertidos a Cristo, bem como os amigos dos irmãos.

E A PROFECIA NÃO É SINAL PARA OS INFIÉIS. Neste caso, o escritor afirma que a profecia não é sinal para os infiéis, porque eles não acreditam nas profecias. Quando analisamos a história dos antigos profetas de Deus, a grande maioria deles foram usados pelo Senhor para falarem ao seu povo. De forma que, Paulo esta dizendo que na igreja, o Espírito Santo usa os profetas para alertar a igreja profeticamente.

MAS PARA OS FIÉIS. Por isso que Paulo faz uma defesa forte, no sentido de alertar aos irmãos que procurem mais o dom de profecia, do que o dom de línguas. Até porque, no caso da igreja de Corinto, o dom de línguas estava sendo usado de maneira abusiva, e isso como sinal de ostentação e não para glória do nome de Cristo. Ser profeta na época da igreja primitiva era ser ministro de Cristo, até porque a igreja estava no momento de construção e desenvolvimento e precisava deste dom para ser edificada.

1 Coríntios 14:21

1 Coríntios 14:21 - Está escrito na lei: Por gente de outras línguas, e por outros lábios, falarei a este povo; e ainda assim me não ouvirão, diz o Senhor.
ESTÁ ESCRITO NA LEI. Paulo usa este tipo de citação de forma recorrente em seus escritos para afirmar que suas cartas ou seus ensinos não eram novas teses apenas como fruto de sua imaginação. Com isso, o autor também nos passa a informação que na igreja cristã de Corinto se acreditava que a nova dispensação da graça de Deus, bem como as doutrinas cristãs, estavam de acordo com os escritos mais antigos dos hebreus. Com isso, entende-se que Cefas já havia semeado a palavra naquele lugar.

POR GENTE. Não se sabe por que o escritor falou sobre a lei, porque este trecho citado por ele está registrado em Isaías 28:11 - Assim por lábios estrangeiros, e por outra língua, falará a este povo. No caso do profeta Isaías, o escritor fala em um tempo de apostasia do povo de Israel, em que eles não queriam dar ouvidos aos profetas, nem estavam dando crédito a lei do Senhor, o que gerou os cativeiros do povo de Deus.

DE OUTRAS LÍNGUAS. No caso em foco para a época do profeta Isaías, Deus estava falando que o seus povo seria levado como cativos para outras nações, o que aconteceu em 721 a.C, quando houve o cativeiro Assírio, e em 586 a.C com o cativeiro babilônica, em que Judá foi levado para Babilônia. Depois disto, mesmo com o retorno de Israel para a Palestina, eles continuaram sendo dominados pelos romanos.

E POR OUTROS LÁBIOS. Deus falava aos filhos de Israel sobre a desobediência deles, que teria como consequência a perda da independência daquela nação. O Deus de Abraão, Isaque e Jacó resgatou o seu povo do Egito, da casa da servidão, cumprindo sua promessa e os colocando em Canaã, terra de fartura, porem, os atos sucessivos de apostasia de Israel, apontava para um tempo difícil para toda a não de Israel.

FALAREI A ESTE POVO. Como Israel não estava dando ouvido a voz do Senhor, por meio dos seus profetas, então, o Senhor iria usar as circunstâncias externas para falar com os filhos de Israel. O sofrimento imposto pelos invasores daquela nação era a voz estrangeira e os lábios estranhos dizendo para os filhos de Israel que eles estava passando por tudo aquilo, porque não deram ouvidos a voz dos profetas de Deus. No caso desta carta, Deus estava usando o apóstolo dos gentios para falar com sua igreja.

E AINDA ASSIM ME NÃO OUVIRÃO. A desobediência de Israel e os atos sucessivos de rebelião com a lei de Moisés e contra a voz dos profetas de Deus gerou surdez nos ouvidos daquela nação, ao ponto de não darem ouvidos, nem as palavras de Deus e nem mesmo as duras circunstancias que eles teriam que passar. Que este exemplo usado por Paulo servisse de conselho para os seus leitores, a fim de serem poupados.

DIZ O SENHOR. Esta sempre foi uma frase utilizada pelos profetas de Deus para afirmarem que suas palavras não eram frutos de suas imaginações, mas eram mensagens recebidas e reveladas por Deus, no sentido de alertar ao povo de Deus sobre as consequências da desobediência. Com isso, Paulo estava afirmando também que suas recomendações eram mandamentos da parte de Deus, alertando seus leitores sobre as consequências, se permanecessem agindo como meninos espirituais.

quarta-feira, 25 de abril de 2018

1 Coríntios 14:20

1 Coríntios 14:20 - Irmãos, não sejais meninos no entendimento, mas sede meninos na malícia, e adultos no entendimento.
IRMÃOS. Percebe Paulo que a mensagem que ele está escrevendo neste momento era impactante e muito forte, por isso, ele procura dar uma aliviada, chamando seus leitores de irmãos. Ao mesmo tempo, essa colocação feita pelo grande apóstolo dos gentios, nos ensina sobre sua humildade, porque apesar de ser um líder em potencial do cristianismo no mundo gentílico, mas Paulo não leva isso em consideração, quando trata seus filhos na fé de pessoas iguais a ele, afirmando que é irmão de todos eles.

NÃO SEJAIS. Ao mesmo tempo, Paulo demostra sua autoridade apostólica fazendo uma exigência para que eles viessem a obedecer aos seus escritos. Quando alguém estava certo, tinha a aprovação do apóstolo dos gentios, mas quando alguém estava errado, também tinha que receber a reprimenda deste líder. O nosso escritor não passava a mão na cabeça de ninguém, quando percebia que alguém estava errado.

MENINOS. É notório que Paulo está usando mais uma de suas metáforas para ensinar verdades espirituais. Não é que os leitores de Paulo fossem crianças inocentes no que estavam fazendo na igreja cristã de Corinto. O que Paulo realmente pretende mostrar é que seus filhos na fé estavam agindo como infantes espirituais, quando na verdade já deveriam ser pessoas maduras na fé, pelo tempo de convertidos que já eram eles.

NO ENTENDIMENTO. As crianças pequenas efetivamente agem com infantilidade porque é próprio de alguém que ainda não desenvolveu raciocínio mais profundo, e assim sendo, todo mundo pode compreender as ações próprias de uma criança. Mas, no caso dos irmãos da igreja de Corinto, isso não mais era aceitável, porque Paulo lhes ensinou de como deveriam agir como pessoas adultas na fé e no evangelho.

MAS SEDE MENINOS NA MALÍCIA. Não é difícil de se fazer uma leitura das intenções de Paulo ao fazer esta sua recomendação. A realidade é que o uso inadequado do dom de línguas desconhecidas na igreja de Corinto tinha como pano de fundo, o exibicionismo de alguns, tornando este dom como um dos principais sinais, de que uma pessoa era mais espiritual do que os demais. Isso acontece nos dias de hoje.

E ADULTOS. Até certo ponto, Paulo se achava decepcionado com os seus leitores, no sentido de que, ele empregou tempo na fundação daquela comunidade cristã, ensinando de como os irmãos de Corinto crescessem e se desenvolvessem nas coisas de Deus. Todavia, no momento, o apóstolo dos gentios percebe que eles ainda se encontravam como infantes espirituais, fazendo coisas que em tese eram de crianças. Ao mesmo tempo, tudo isso era muito estranho, porque eles se achavam sábios.

NO ENTENDIMENTO. A igreja cristã de Corinto era conhecida como uma das mais compostas de homens intelectuais daquela época, o próprio Paulo empregou muito esforço para que os membros daquela igreja aprendessem as coisas de Deus. Além do mais, Paulo deixou Apolo como um dos líderes daquela comunidade cristã para lhes ensinar em profundidade as coisas espirituais. No entanto, os resultados estavam mostrando um contra senso, porque mais e mais se tornavam infantes espirituais.

terça-feira, 24 de abril de 2018

1 Coríntios 14:19

1 Coríntios 14:19 - Todavia eu antes quero falar na igreja cinco palavras na minha própria inteligência, para que possa também instruir os outros, do que dez mil palavras em língua desconhecida.
TODAVIA EU ANTES QUERO FALAR NA IGRJA. É até difícil de compreender o que estava acontecendo na igreja de Corinto e como isso estava se dando, o fato de os irmãos destacarem no superlativo o dom de línguas estranhas naquela comunidade cristã, quando sabemos que havia também o sentimento geral de se colocar em evidência a eloquência e o discurso polido, dentro das regras da oratória perfeita.

CINCO PALAVRAS. Entre os dois estremos, Paulo faz a sua escolha de falar pouco, mas falar de tal maneira que suas poucas palavras pudessem edificar a igreja de Cristo. Com isso, o apóstolo dos gentios nos ensina também que, o importante não é o tamanho da pregação, mas sim o conteúdo da mensagem transmitida. Efetivamente, para quem ama a palavra de Deus, nada mais agradável do que uma boa mensagem pregada, em que as palavras entram no mais profundo de nossa alma e espírito.

NA MINHA PRÓPRIA INTELIGÊNCIA. Paulo fala sobre a pregação inteligente, que é justamente aquele tipo de mensagem propícia para o momento, em que todos que há escutam se satisfaz em seu espírito. A mensagem sem inteligência é aquele tipo de pregação sem começo, meio e fim, em que o mensageiro se atrapalha todo, e no final das contas, ninguém entende o que ele quis realmente dizer, pregar ou ensinar.

PARA QUE POSSA TAMBÉM INSTRUIR. Eis o verdadeiro sentido da pregação na igreja, que é justamente ensinar aos ouvintes lições espirituais importantes para se viver a vida cristã de maneira digna. O que mais tem nos dias de hoje, são supostos pregadores de mensagens vazia, sem conteúdos nem sentido, onde os ouvintes voltam para casa mais vazio do que vieram para a igreja, o que não poderia acontecer.

OS OUTROS. Mas uma vez o apóstolo dos gentios aponta em direção ao que verdadeiramente deve ser usado os dons espirituais, principalmente a palavra da sabedoria e a palavra do conhecimento. É de se lamentar que, a manipulação dos cultos em muitas denominações nos dias de hoje, não se deem prioridade a mensagem da palavra de Deus, que em muitos casos é substituída por movimentos e modismos.

DO QUE DEZ MIL PALAVRAS. Parece-nos que na igreja cristã de Corinto, quem tinha oportunidade para pregar, se desbocava em línguas, como também os que cantavam, bem como os que louvavam, assim procediam todos em línguas desconhecidas. Quando na realidade, Paulo afirma neste versículo que o mais importante é transmitir uma mensagem, mesmo que seja pequena, mas que possa servir para edificar a igreja.

EM LÍNGUAS DESCONHECIDAS. É bom lembrar que, Paulo não era contra o se falar em línguas estranhas, pelo contrário, ele até diz que falava em línguas desconhecida mais do que os seus leitores. O que o escritor pretende com suas explicações e orientar aos irmãos de como usar este dom maravilhoso de maneira correta. De que adiante pregar, cantar ou orar em línguas desconhecida, se ninguém na hora do culto, não vai entender nada? É melhor falar pouco, mas que todos possam compreender tudo.

1 Coríntios 14:17-18

1 Coríntios 14:17-18 - Porque realmente tu dás bem as graças, mas o outro não é edificado. Dou graças ao meu Deus, porque falo mais línguas do que vós todos.
PORQUE REALMENTE TU DÁS BEM AS GRAÇAS. Com isso, Paulo confirma que não há nada de errado em ser usado com o dom de línguas e fazer até se quiser um culto de ações de graças a Deus, por tudo de bom que tens recebido. No entanto, essa ação não terá seu valor para a comunidade cristã, porque ninguém vai entender nada do que aconteceu. Fica então explicito que estava havendo meninice com o dom de línguas, e que o exibicionismo era perceptível por parte de muitos em Corinto.

MAS O OUTRO. Em todo o tema desenvolvido pelo escritor, inclusive passando pelo capítulo de número treze, que fala da excelência do amor, que Paulo tem demostrado que a finalidade principal do uso dos dons espirituais e ministeriais é o bem do nosso próximo. Desta forma, o apóstolo dos gentios deixa transparecer aos seus filhos na fé, que eles estavam usando o dom de línguas de forma egoística, só para se mesmo.

NÃO É EDIFICADO. Percebe-se que Paulo busca de todas as maneiras incentivar aos irmãos a que procurassem ter também o dom de interpretação de línguas, a fim de que toda a igreja pudesse receber também a comunicação divina da palavra de Deus. Caso contrário, se os irmãos continuassem apenas dando valor exagerado ao dom de línguas, sem que houvesse a devida interpretação, a igreja deixava de ser edificada.

DOU GRAÇAS. Paulo não deixa de reconhecer o valor do dom de línguas desconhecida, e de forma pública até agradece a Deus por ser usado também por esse dom maravilhoso. Neste ponto, o escritor até enche a bola dos seus leitores, porem, no texto seguinte ele faz mais explicação porque agia desta forma, desde que pudesse de alguma maneira ajudar aos irmãos da igreja, mas interpretando as línguas.

AO MEU DEUS. Ao mesmo tempo, o apóstolo reconhece que o dom de línguas desconhecidas vem de Deus, ele que é a fonte prioritária de onde emana todos os dons celestiais. Usando um bom espaço nesta sua carta explicando este tema, se o leitor não atentar para o que é dito no versículo dezessete, ele pode pensar que Paulo era contra o dom de línguas. O que Paulo pretende é realmente dá o devido valor ao dom de línguas, tirando do meio da igreja de Corinto os exageros praticados.

PORQUE FALO MAIS LÍNGUAS. No caso de Paulo, ele já havia compreendido o objetivo deste maravilhoso dom, que usado de maneira correta, traz uma enorme edificação para quem dele usufrui, bem como para toda a igreja de Cristo, quando há então a interpretação da comunicação divina. É provável que Paulo falava muito em línguas desconhecidas, porem, isso ele fazia em suas orações particulares com Deus.

DO QUE TODOS VÓS. O problema é que na igreja cristã de Corinto, este dom maravilhoso, estava sendo usado para que alguns ou muitos se ufanassem de ser mais espirituais do que os outros. Quando sabemos que os dons da parte do Espírito Santo devem ser usados pelos servos de Deus para glória de Cristo e para edificação da igreja do Senhor Jesus. Ainda hoje, o dom de línguas tem sido usado de forma egoísta por muitos, como sinal de que, uma pessoa só é usada por Deus, se falar em línguas.

1 Coríntios 14:16

1 Coríntios 14:16 - De outra maneira, se tu bendisseres com o espírito, como dirá o que ocupa o lugar de indouto, o Amém, sobre a tua ação de graças, visto que não sabe o que dizes?
DE OUTRA MANEIRA. O escritor usa de todas as formas possíveis para tentar explicar aos irmãos que não existe somente um dom espiritual a ser explorado, como o dom de línguas desconhecida. É notório que os irmãos da igreja cristã de Corinto estavam supervalorizando este dom, como se só existisse o dom de línguas estranhas. Como este tipo de manifestação se fazia ver por todos, muitos estavam valorizando demais.

SE TU BENDISSERES. Paulo nos faz saber mais uma das utilidades do dom de línguas desconhecidas, além da profecia, quando havia a interpretação, eram feitas orações em línguas, como também se louvava em línguas estranhas. Porem, neste versículo, o apóstolo dos gentios nos faz conhecer que também haviam as ações de graças por meio de línguas desconhecidas. No entanto, tudo isso deveria haver interpretação.

COM O ESPÍRITO. É como se Paulo viesse a dizer: Se você bendisser em línguas desconhecidas. Na realidade as ações de graças no meio do povo de Deus era um bom costume, até porque os servos de Deus reconheciam que tudo de bom que lhes aconteciam vinha de Deus. Neste caso, é como se alguém fosse à frente e fizesse um agradecimento perante a igreja em línguas, o que para Paulo se tornava infrutífero.

COMO DIRÁ O QUE OCUPA LUGAR DE INDUOTO, O AMÉM. Pode-se analisar pelo menos dois casos. O primeiro é que, na reunião tinha alguém que ainda não fazia parte da igreja de Cristo, por ainda não haver se convertido. No segundo caso, pode ser que Paulo esteja se referindo aos próprios membros da igreja que ouviam o testemunho de gratidão, mas não entendiam nada, porque ouviram em línguas estranhas.

SOBRE TUA AÇÃO DE GRAÇAS. Se tu bendisser ou ações de graças é a mesma coisa. O que o escritor está criticando é que se alguém faz um agradecimento público diante de toda a igreja, mas assim procede em línguas desconhecida, em vez de gerar glórias a Deus, ninguém vai entender absolutamente nada. Qualquer ato na igreja de Cristo que não seja para edificação do corpo de Cristo, é melhor que não se faça nada. Temos que entender uma coisa, os dons devem ser exercidos para o bem do nosso próximo.

VISTO QUE NÃO SABE. O dom de línguas estava fazendo tanto sucesso na igreja cristã de Corinto, que este dom e somente ele servia de termômetro de espiritualidade no meio do povo de Deus. No entanto, a crítica de Paulo é que em vez da igreja crescer e se desenvolver em espiritualidade, estava ocorrendo o contrário, porque ninguém estava compreendendo nada do que estava transcorrendo. E nada de amor fraternal.

O QUE DIZES? Confusão, para Paulo era o resultado de tanta glossolalia. Não é diferente nos dias de hoje, em que determinados modismos em várias denominações não passam de sensacionalismo dos seus líderes, mas crescimento e desenvolvimento espiritual são zero. O que tem de gente se aproveitando de um dom, em detrimento dos demais para fazer sucesso, não é brincadeira. Mas o que se ver é que o povo de Deus vai aos cultos e volta do mesmo jeito, sem ser edificado de fato e na verdade.

1 Coríntios 14:15

1 Coríntios 14:15 - Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento.
QUE FAREI, POIS? Paulo continua mostrando o seu próprio exemplo, até porque, muitos dos irmãos de Corinto seguiam o seu modelo de vida, é tanto que, ele diz em (1 Coríntios 11:1) Sede meus imitadores, assim como eu sou de Cristo. Como o apóstolo era o fundador principal daquela comunidade cristã, se ele fizesse algo, merecia credibilidade, e ficaria mais fácil dos irmãos tomarem como exemplo de vida.

ORAREI COM O ESPÍRITO. Está mais que comprovado que o apóstolo dos gentios tinha como costume uma vida de oração a Deus, até porque ele dependia em tudo das providências divinas. Neste caso, o autor fala em oração com o espírito, mas certamente ele se refere à oração que era feita em línguas, o mesmo que acontecia na igreja cristã de Corinto. Este tipo de oração deve ser compreendida como uma comunicação direta entre o espírito de quem ora e o Espírito Santo de Deus.

MAS TAMBÉM ORAREI. Não há nada de errado na oração que é feita no espírito ou com línguas estranhas, o que não se deve é somente fazer este tipo de oração, principalmente por todos os que participam dos cultos, porque então, haverá algo muito estranho, principalmente para os não convertidos que visitam a igreja. Paulo recomenda que haja orações em que todos possam ouvir e entender o que se ora.

COM O ENTENDIMENTO. O escritor fala naquela oração em que nela haja palavras compreensíveis por quem faz a oração, bem como por quem ouvem as orações dos servos de Deus. Orar com o entendimento é usar palavras compreensíveis por todos, inclusive pela própria pessoa que faz a sua oração a Deus. Paulo fala deste modo, porque as orações que são feitas em línguas, ninguém sabe o que se estar pedindo.

CANTAREI COM O ESPÍRITO. Ao que tudo indica, no tempo da igreja primitiva, havia pelo menos três funções das línguas desconhecidas. Primeira, ela servia de profecia, quando havia a devida interpretação. Segunda, se faziam orações em línguas desconhecidas na igreja de Cristo. E depois também se entoavam cânticos de louvores a Deus por meio de línguas estranhas, o que também acontece nos dias de hoje.

MAS TAMBÉM CANTAREI. Há quem diga que nos começos da igreja cristã não se incluía na liturgia dos cultos o louvor. Mas, de acordo com esta referencia bíblica e outras tantas que encontramos no Novo Testamento se presumem que o louvor fazia parte da liturgia dos cultos nas igrejas do primeiro século de nossa era cristã. O que não deve acontecer é o fato que, os louvores passem a tomar espaço mais significativo do que a ministração da palavra de Deus, como acontece nos dias de hoje.

COM O ENTENDIMENTO. Entende-se que louvar com o entendimento é acima de tudo louvar de forma racional, em que a mensagem do perfeito louvor tem como objetivo glorificar o nome de Deus e de Cristo Jesus. Nos dias atuais existe uma grande quantidade de musicas, chamadas gospel, que mais parecem músicas profanas do que o perfeito louvor que exalta a Deus e a Cristo Jesus. Cantar com entendimento é escolher aquele tipo de louvor que magnifica o nome de Cristo Jesus nosso Redentor.

segunda-feira, 23 de abril de 2018

1 Coríntios 14:13-14

1 Coríntios 14:13-14 - Por isso, o que fala em língua desconhecida, ore para que a possa interpretar. Porque, se eu orar em língua desconhecida, o meu espírito ora bem, mas o meu entendimento fica sem fruto.
POR ISSO, O QUE FALA EM LINGUA. Segue Paulo orientando os irmãos de Corinto de como deveriam agir, principalmente na hora do culto. A sociedade de Corinto ficava como que acusando os seguidores do cristianismo de pessoas rudes, porque a igreja era composta na sua grande maioria de pessoas pobres da comunidade. Por isso, o escritor entende que os seguidores de Cristo deveriam dar exemplo de dignidade.

DESCONHECIDA. As línguas desconhecidas sobre as quais fala o apóstolo dos gentios poderiam ser idiomas estrangeiros que os irmãos falavam como dom do Espírito Santo para evangelizar o mundo gentílico, como foi no caso do dia de pentecostes. Mas também, poderia ser uma língua celestial, ou a língua dos anjos, como fala um jargão no meio do povo de Deus. Neste caso, quem fala não entende o que está falando, nem muito menos quem ouve, a não ser que haja alguém com o dom de interpretação.

ORE PARA QUE A POSSA INTERPRETAR. Como diz a palavra de Deus, a oração pode muito em seus efeitos. Desta forma, Paulo incentiva aos seus leitores, principalmente aqueles que já tinham o dom de línguas, a fim de que eles buscassem por meio da oração o dom de interpretar das línguas faladas por eles próprios. Isso acontece bastante de alguém ser tomado em línguas e também interpretar tais línguas.

PORQUE SE EU ORAR EM LINHA DESCONHECIDA. Para que os irmãos não ficassem chateados por Paulo insistir neste assunto, ele toma o caso para se mesmo. Neste caso, o autor pode se referir aos momentos em que ele estivesse sozinho orando a Deus, e fosse cheio do Espírito e falasse em línguas. Mas, ele também pode se referir aos casos das orações públicas feitas pelos líderes locais em línguas desconhecidas.

O MEU ESPÍRITO ORA BEM. Novamente, o apóstolo fala das línguas faladas pelo espírito, que edifica a se mesmo, mas que não serve para edificar a igreja de Cristo. Aprendemos também nesta colocação feita por Paulo, que as línguas também eram usadas para se fazer oração. Já se fala que a oração feita em línguas, os demônios não tem como saber, e com isso, não entram em ação para impedir tais orações.

MAS O MEU ENTENDIMENTO. Percebe-se que Paulo aponta para um ponto cruciante na igreja de Corinto, porque os componentes daquela comunidade cristã gostavam da sabedoria e do desenvolvimento intelectual. Porem, no que diz respeito às orações em línguas estavam agindo o contrário, porque o entendimento não estava sendo desenvolvido, isso porque estavam orando, mas sem compreenderem o que falavam.

FICA SEM FRUTO. Neste sentido, Paulo ver um contra senso em um povo que se dizia mais sábio do que os outros. Não há dúvida que esta crítica de Paulo deve ter causado impacto na mente dos seus leitores, porque este modo de falar pode ter atingido diretamente o ego dos leitores de Paulo. Apesar de ser uma pessoa simples, mas Paulo desejava que seus filhos na fé crescessem nas coisas espirituais, até porque eles eram a coroa do seu trabalho, pois todos eles eram frutos dos labores do grande apóstolo.