Pesquisar este blog

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Tito 3:5

Tito 3:5 - Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo.
NÃO PELAS OBRAS DE JUSTIÇA QUE HOUVÉSSEMOS FEITO. Ninguém será salvo pela sua própria justiça nem pelas boas obras praticadas para com o seu semelhante, porque a obra de salvação e justificação provém de Deus em Cristo Jesus, que nos reconciliou consigo mesmo, por Jesus Cristo, nosso Senhor. Esta é sem dúvida uma das grandes declarações do evangelho em favor da justiça de Deus e não dos homens. As obras de justiça praticadas pelos homens não lhes dar o passaporte para a vida eterna, porque isso apenas cumpre uma função para a qual o homem foi criado.

MAS SEGUNDO A SUA MISERICÓRDIA. Esta é a expressão sine quanon do evangelho da verdade da nova aliança de Deus com a humanidade no que concerne ao processo de Salvação dos homens. Se alguém tem o direito de ser participante da salvação, isso não é pela sua própria justiça pessoal, mas depende inteiramente da misericórdia de Deus, que deu o seu unigênito Filho para salvar a humanidade perdida. O amor de Deus ativou seus mais profundos sentimentos de misericórdia pela humanidade, ao ponto dele redimir por Cristo os homens e reconciliá-los consigo mesmo.

NOS SALVOU. O uso do verbo no passado aponta para a obra perfeita de redenção já realizada por Cristo Jesus, o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo. Romanos 3:23-26 - Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus. Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus. Para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus. O homem entra com a fé e somente a fé.

PELA LAVAGEM DA REGENERAÇÃO. A raça humana estava perdida e em apuros diante da justiça divina, e, portanto, precisava de um processo radical de regeneração, uma vez que o ser humano havia perdido o rumo para o qual tinha sido criado, vivendo absolutamente para a carne e as concupiscências do mundo. Essa regeneração da alma é em essência o resgate realizado pela redenção em Cristo.

E DA RENOVAÇÃO. A regeneração tem como resultado a renovação da alma e do espírito do ser humano para novos propósitos de vida. Por isso que se faz necessário o homem nascer de novo (João 3:3,5) para que se torne em uma nova criatura perante Deus. É justamente isso que nos ensina o mesmo autor em (2 Coríntios 5:17).

DO ESPÍRITO SANTO. O agente causador desta regeneração e renovação do novo homem é efetivamente o Espírito Santo de Deus. Não se percebe facilmente a ação do Espírito do Senhor na vida das pessoas, porque sua função é glorificar o Filho de Deus, Jesus Cristo, mas é ele quem torna o pecador em um fiel servo de Cristo.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Tito 3:4

Tito 3:4 - Mas quando apareceu a benignidade e amor de Deus, nosso Salvador, para com os homens.
MAS QUANDO APARECEU. Esta referência ao tempo, diz respeito à manifestação do Messias prometido no planeta terra para implantar a nova dispensação da graça, pelo conhecimento do evangelho das boas novas aos homens. O próprio Paulo em outra parte de sua literatura religiosa ele diz: Mas vindo à plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho Jesus, nascido de mulher, nascido sob a lei (Gálatas 4:4). Essa é também uma referência a uma das mais antigas promessas de Deus para a humanidade descrita em Gênesis 3:15 - E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar. A semente da mulher é justamente Jesus de Nazaré, que venceu a satanás.

A BENIGNIDADE. A vinda do Messias de Deus ao planeta terra para implantar a nossa dispensação da graça foi um projeto de Deus para redenção da humanidade, que respinga benignamente em toda a criação. A epifania do Emanuel de Deus, ou seja, Deus entre os homens foi à perfeita manifestação da misericórdia do Criador sobre os seres humanos e sua criação por inteira. Deus em Cristo Jesus estava demonstrando a plenitude de sua bondade sobre os homens perdido, abrindo assim, a possibilidade de redenção para todo aquele que crer no seu Filho Jesus Cristo. Em fim, a obra perfeita de Cristo, pela sua expiação, promoveu a reconciliação com Deus.

E O AMOR DE DEUS. O mesmo autor expressa muito bem este mesmo pensamento ao afirmar: Romanos 5:8- Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. E o evangelho em miniatura nos fala exatamente sobre este amor de Deus pelo mundo, conforme esta escrito em João 3:16 - Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Foi movido por este tão grande amor, que o Criador remiu sua criação, principalmente os seres humanos que ganhou a esperança de vida eterna e salvação em Cristo Jesus. A vinda do Messias, o Cristo foi a maior prova deste amor infinito de Deus pelos homens.

NOSSO SALVADOR. Normalmente é o Senhor Jesus Cristo que é chamado pela mensagem do evangelho de salvador, e não Deus Pai. No Novo Testamento encontramos por vinte e quatro vezes esta mesma palavra, “Salvador”, sendo que dezesseis são dirigidas a Cristo e oito a Deus, o Pai. No Velho Testamento essa palavra é atribuída diretamente ao Deus de Israel, como o Deus que dar livramento aos seus servos. Todavia, na mensagem do evangelho essa palavra fala de Deus como salvador por meio do seu Cristo, mediante a missão do Messias. Seja como for, tanto Deus Pai como Cristo é quem salva realmente o pecador dos seus pecados e da condenação.

PARA COM OS HOMENS. Na realidade, toda a criação foi atingida pela redenção que há em Cristo Jesus. Mas o grande beneficiado com esta redenção realizada por Deus mediante a expiação de Cristo foi efetivamente o homem. É tanto que, o Messias de Deus se manifestou como homem para salvar os homens perdidos.

Tito 3:3

Tito 3:3 - Porque também nós éramos noutro tempo insensatos, desobedientes, extraviados, servindo a várias concupiscências e deleites, vivendo em malícia e inveja, odiosos, odiando-nos uns aos outros.
PORQUE TAMBÉM NÓS ÉRAMOS. Este texto responde ao que foi escrito no texto anterior em que o autor descreve sobre a necessidade de servos mansos no tratamento para com os outros. Se hoje nós somos pessoas que se esforçam para vivermos uma vida mais justa, não podemos nos esquecer de que antes de nos convertermos ao evangelho de Cristo, vivíamos como os incrédulos vivem no mundo. De forma que eu não posso condenar os outros, por aquilo que eu fazia quando ainda estava na mesma situação do meu próximo. Deve haver compreensão nisto.

NOUTRO TEMPO INSENSATOS. Quem éramos nós antes de se convertermos ao evangelho da graça? Éramos justamente iguais em comportamento e modo de vida aos que hoje ainda estão vivendo para as paixões da carne. Não tínhamos sensibilidade para as coisas do reino de Deus, porque éramos programados, como qualquer homem natural, a vivermos somente para as coisas desta vida e deste mundo. O homem natural não tem sensibilidade para as coisas do Espírito de Deus, porque desde a mais tenra idade já é programado a ser mundano e terreno. E vive em torno dos seus sentidos físicos.

DESOBEDIENTES EXTRAVIADOS. Quem éramos nós antes de nos convertermos ao evangelho? Pessoas desobedientes aos mandamentos de Deus, sem dar nenhuma importância ao evangelho da libertação nem acreditar nas coisas de que falam as escrituras. Desobedientes também as leis civis do nosso país e transgressores das leis dos homens. Transviados dos bons costumes e de tudo que representa a ética cristã e social, até porque o homem natural sempre que tem oportunidade de tirar proveito pessoal de qualquer situação, ele não se importar com nenhuma regra ética ou moral.

SERVINDO A VÁRIAS CONCUPISCÊNCIAS E DELEITES. Antes de passarmos pelo processo do novo nascimento éramos pessoas dominadas pelas várias concupiscências carnais. Quando vivemos de conformidade com o evangelho, vivemos para o espírito e para a alma, mas aqueles que vivem para os deleites da carne, procuram satisfazer aos vícios mais degradantes da sociedade. Porque o espírito busca as coisas de Deus, enquanto que a carne busca os prazeres do mundo.

VIVENDO EM MALÍCIA E INVEJA, ODIOSOS. Essas são características próprias daqueles que ainda não se converteram pelo poder do evangelho de Cristo. O homem natural é dominado pela malícia, se deixa levar pela inveja para com o seu semelhante e o seu coração tem facilidade de ser infectado pelo ódio e pela raiva.

ODIANDO-NOS UNS AOS OUTROS. Antes de sermos transformados em uma nova criatura pela influencia do evangelho das boas novas, o que prevalecia em nossos corações era o ódio por aqueles que de alguma maneira nos faziam oposição ou nos contrariasse. Quem não tem Deus em sua vida, só pensa em prejudicar o seu próximo.

Tito 3:2

Tito 3:2 - Que a ninguém infamem, nem sejam contenciosos, mas modestos, mostrando toda a mansidão para com todos os homens.
QUE A NINGUÉM INFAME. O autor continua com suas instruções para com a igreja de Creta no que tange a ética cristã ou a doutrina do evangelho de Cristo. Encontramos na mensagem do evangelho da verdade todos os ensinos necessários para vivermos de tal modo a sermos exemplos de vida para toda a sociedade. O que os discípulos de Cristo precisam é conhecer a palavra do evangelho e por em prática todos os conselhos transmitidos por Cristo e os seus apóstolos e escritores do novo testamento e da palavra de Deus. Paulo recomenda a Tito que ensina aos cristãos de Creta de que não sejam difamadores da vida alheia nem com calúnia nem falso testemunho.

NEM SEJAM CONTENCIOSOS. Uma pessoa contenciosa e alguém que se deixa dominar pelo egoísmo de achar que é dono da verdade e quem os outros têm que se submetem as suas ideias e conceitos. O contencioso está sempre a espreitar a alguém para a contenda de ideias, sem, no entanto respeitar as vontades do próximo, e os cretenses eram mestres em com arrogância buscar dominar e escravizar a mente dos outros por meio de suas filosofias impositivas. O que o autor recomendava era de que os irmãos fossem pessoas que respeitassem a opinião dos outros, até porque Deus criou o homem com livre arbítrio para fazer suas escolhas, e isso deve ser respeitado.

MAS MODESTOS. Esta palavra quer dizer: Cordato, gentil, tolerante, maleável e educado. Em vez de tentar empurrar de ouvido adentro de forma forçada as suas próprias ideias, quem é modesto procura com sentimento de compreensão dialogar de forma educada com os outros. Muitos cristãos precisam rever suas formas de transmitirem o evangelho para que possam se adequar a esta recomendação do evangelho das boas novas. Quem prega o evangelho não tem o direito de forçar as pessoas a se converterem a sua religião, uma vez que, quem convence o pecador dos suas falhas é o Espírito de Deus pela palavra e não o pregador. É o que diz a palavra.

MOSTRANDO TODA A MANSIDÃO. Muitos pregadores quando transmitem a mensagem do evangelho para os pecadores, mais parecem que vão implantar a grande tribulação antes da vinda de Cristo. O que é o evangelho? São boas novas! E o que são boas novas? É uma boa mensagem em que os ouvintes se sintam bem em ouvi-la. As boas novas tem que ser transmitidas de tal maneira que produza paz, alegria e bem-estar. Mostrar mansidão não é gritar desesperadamente nos ouvidos dos pecadores tentando forçar uma suposta conversão. Tem muitos tipos de mensagens que funciona como o estopim do que se pode chamar de pressão psicológica e isso não é bom.

PARA COM TODOS OS HOMENS. Não podemos fazer acepção de pessoas naquilo que fazemos ou falamos. Assim como se vive quando está dentro da igreja, da mesma forma se deve viver no meio da sociedade. O seguidor de Cristo, como luz do mundo e sal da terra deve em todos os aspectos demonstra espírito de mansidão e compreensão para com todas as pessoas. Certamente o autor tem em mente o combate ao que parece ser pessoas de dupla personalidade, na igreja é um cordeirinho e fora da igreja é um lobo. As pessoas do mundo ao olhar para um servo de Cristo tem que ver nele a diferença entre os que servem a Deus e os que não servem.

Tito 3:1

Tito 3:1 - Admoesta-os a que se sujeitem aos principados e potestades, que lhes obedeçam, e estejam preparados para toda a boa obra.
ADMOESTA-OS. Admoestar neste caso é ensinar a doutrina cristã aos irmãos sobre os quais Tito era o líder. Significa também aconselhar a igreja de Cristo que estava em Creta a que vivesse de forma a glorificar o nome de Cristo e honrar o evangelho das boas novas. Mas também quer dizer que se necessário for corrigir alguns que porventura andavam de forma desordenada. Seja como for, o que o autor desejava era de que Tito usasse da autoridade que lhe foi outorgada como voz de comando, até porque ele foi consagrado e ordenado pelo apóstolo como ministro da igreja.

A QUE SE SUJEITEM. Paulo determina a Tito que ele aconselhe aos irmãos daquela igreja que fossem sujeitos as autoridades do estado e a todos aqueles que lhes eram seus superiores. Em uma outro de suas cartas ele determina o mesmo, Romano 13:1 - Toda a alma esteja sujeita às potestades superiores; porque não há potestade que não venha de Deus; e as potestades que há foram ordenadas por Deus. Por isso quem resiste à potestade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação. Porque os magistrados não são terror para as boas obras, mas para as más. Queres tu, pois, não temer a potestade? Faze o bem, e terás louvor dela.

AOS PRINCIPADOS. Os cristãos de Creta deviam cumprir seus deveres para com Deus, mas também deviam se lembrar de que eram cidadãos civis. E como tal, deviam se submeter aos governantes. Principado neste texto se refere aos governantes humanos e aos administradores públicos ou autoridades civis, que neste caso está em foco às autoridades ligadas ao império romano ou as autoridades locais. E os seguidores de Cristo estariam dando um bom exemplo como cidadãos, a partir do momento que obedecessem as leis do seu País, do seu Estado ou de sua Cidade.

E POTESTADES, QUE LHES OBEDEÇAM. Dentro da hierarquia de poder, potestades, significam as autoridades de menor poder diante do Estado. E neste ponto desta epístola quer dizer: Todo aquele que está em posição de superioridade a outrem. De forma que, os irmãos deviam ser sujeitos às próprias autoridades da igreja, como também tinham o dever de se sujeitarem aos seus próprios patrões, além é claro das autoridades públicas, como governadores, prefeitos, autoridades do exército e todas as demais pessoas que representavam o domínio e o poder do império romano e do próprio País. Esperava-se que os seguidores de Cristo fossem obedientes em tudo.

E ESTEJAM PREPARADOS PARA TODA BOA OBRA. O autor recomenda que os cristãos fossem pessoas praticantes do amor fraternal em toda forma de viver, não somente na comunidade cristã, mas também no meio social em que viviam. Em uma interpretação para os dias de hoje, poderíamos dizer que se espera que os cristãos sejam bons exemplos de serviços voluntários em favor do seu próximo, principalmente para suprir as necessidades dos que mais precisam. Em casos de calamidades públicas, não se pode esperar somente do poder público, todos podem ajudar de alguma maneira.

sábado, 20 de dezembro de 2014

Tito 2:15

Tito 2:15 - Fala disto, e exorta e repreende com toda a autoridade. Ninguém te despreze.
FALA DISTO. Falar do que? O autor desta carta recomenda que o seu amigo Tito pregue sobre o conteúdo desta epístola na igreja que ele administra e por onde passar anunciado os ensinos do evangelho das boas novas de Cristo. O desejo de Paulo era de que a mensagem da salvação fosse anunciada de todas as formas, aconselhando a todos os homens que se convertam e deixem as coisas profanas do mundo para viverem para as coisas de Deus e do seu reino. Além do mais, o apóstolo também recomenda a Tito que ensine a doutrina do evangelho de Cristo, a fim, de que os cristãos vivam uma vida digna do nome de Cristo com o bom testemunho.

EXORTA. Esta palavra tem o significado na maioria dos textos do evangelho de “aconselha”, isso porque a nova dispensação não expressa a rigidez da antiga aliança, mas sim, denota um tempo de democracia cristã, onde ninguém é obrigado a fazer nada, porque tudo é por amor e de forma voluntária. Na realidade, o autor tinha a compreensão de que a igreja precisavam mesmo era de conselheiros e não de líderes carrascos com suas imposições impraticáveis. Jesus criticou o comportamento dos escribas e fariseus no tocante a colocarem fardos pesados e difíceis de suportar nos ombros dos outros, quando nem eles mesmos queriam levar. É bom lembrar que estamos no tempo da nova dispensação da graça e não no período a lei de Moisés.

E REPREENDE. O que Paulo recomenda a Tito era de que ele colocasse as coisas em ordem para que a igreja de Creta não virasse a casa de mãe Joana. Na realidade espera-se de um líder cristãos, aquele que administra a igreja de Cristo, ou templo religioso do cristianismo, que ele seja uma pessoa organizada e que procure dentro do possível incentivar os seguidores do evangelho a que respeitem o templo, como local de reunião da comunidade cristã, onde se cultua e se adora a Deus. Essa repreensão a que se refere o autor diz respeito a conversar com aquelas pessoas que não estão de acordo com a doutrina do evangelho e aconselhar para que se concerte.

COM TODA AUTORIDADE. Tito, ao que tudo indica era um jovem líder cristão, que foi ordenado por Paulo ao ministério, mas que por ser ainda muito jovem, alguns dos mais antigos não queriam lhe respeitar como líder da igreja de Creta. Neste ponto, Paulo lembra a Tito e certamente aos demais líderes locais da igreja de Creta, que Tito era uma autoridade eclesiástica que representava a Cristo e também ao grande apóstolo Paulo, que o havia consagrado ao ministério. De forma que Paulo, tal como era, dava carta branca a Tito para que pregasse, ensinasse e exortasse com autoridade.

NINGUÉM TE DESPREZE. É provável que o autor tinha em mente aqueles que se achando mais velhos que Tito, e se achavam no direito de menosprezarem o jovem ministro, Tito. Também pode-se conjecturar que alguns do apóstolos de Jerusalém visitassem aquela cidade, onde Tito era o ministro do evangelho, e procurassem impor restrições ao ministério de Tito. Coisa que Paulo não admitia, nem aceitava.

Tito 2:14

Tito 2:14 - O qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniquidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras.
O QUAL. Se refere a Cristo Jesus, que prometeu que haveria de voltar para buscar os remidos que ele comprou com o seu precioso sangue na cruz do Calcário. O qual diz respeito a Jesus, o Nazareno, o Messias de Deus, que veio para cumprir as promessas do Pai, no que concerne a salvação da humanidade. Foi ele quem instituiu a nova aliança da graça de Deus e nos deixou o evangelho das boas novas como legislação do cristianismo. Ele era o Emanuel de Deus, que se manifestou na terra como sendo Deus entre os homens. É o Cristo de Deus que cumpriu todos os requisitos de Salvador. O qual é o Bom Pastor, que deu a sua vida pelas suas ovelhas.

SE DEU A SI MESMO POR NÓS. Sobre isso já estava prometido, conforme Isaías 53:4-7 - Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos. Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca.

PARA NOS REMIR DE TODA INIQUIDADE. A morte de Cristo na cruz do Calvário tinha o peso da redenção da humanidade. Cristo não pecou, não errou nem falou, mas ele si deu a si mesmo em preço de redenção. Ele era o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, com isso entende-se que ele foi imolado e sacrificado em lugar dos pecadores. O castigo que nos trás a paz estava sobre ele e pelas suas pisaduras fomos sarados, esse foi o trabalho de reconciliação que Jesus realizou entre Deus e os homens. Quando se diz que Cristo é o “remidor” é porque ele nos comprou para si mesmo com o sacrifício voluntário de si mesmo. Cristo morreu para nos dar vida.

E PURIFICAR PARA SI UM POVO SEU ESPECIAL. O sacrifício remidor do Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo tem o efeito de perdão divino para os remidos em Cristo Jesus. A igreja de Cristo conta com o perdão de Deus em Cristo Jesus, uma vez que a remissão implantada por Cristo, restabelece o vínculo de reconciliação com o Criador, portanto, a paz entre Deus e os homens é o que prevalece na nova dispensação da graça. Os remidos em Cristo gozam dos privilégios da graça divina, porque é o novo Israel de Deus, que pela expiação de Cristo tem promessa de vida eterna. E isso inclui o perdão das iniquidades, e a santificação do espírito e da alma.

ZELOSO DE BOAS OBRAS. Quando se diz que os remidos de Cristo é um povo zeloso é porque é um povo que se dedica de corpo, alma e espírito as coisas do reino de Deus e que procura dentro do possível buscar as coisas do céu. A igreja de Cristo é a representação real do reino de Cristo na terra, por isso, que os seguidores do Senhor Jesus valoriza mais as coisas do evangelho do que as coisas materiais. E quando se afirma que os discípulos de Cristo é um povo de boas obras é que os salvos se esforçam o máximo para dar bom testemunho de que Cristo é o Senhor de suas vidas.

Tito 2:13

Tito 2:13 - Aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Salvador Jesus Cristo.
AGUARDANDO. No texto anterior o autor recomenda sobre o modo de vida que deve ser participantes aqueles que se dizem ser representantes do reino de Deus. Para restes é aconselhável a renúncia das coisas que contribuem para a impiedade, sem deixar se dominar pelas concupiscência do mundo, sendo convidados a participarem de uma vida sem vícios, com atos e ações que se caracterizam pela justiça, buscando o reino de Deus em primeiro lugar e as coisas que são de cima. Aguardando o grande e tão esperado dia do arrebatamento, que representa a redenção da igreja da terra.

A BEM-AVENTURADA ESPERANÇA. A grande esperança da igreja é justamente participar do arrebatamento prometido por Cristo, ele disse: Vou preparar-vos lugar, e quando eu for e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também. A bem-aventurança dos remidos por Cristo é ter o privilégio de ser participante do arrebatamento da igreja. O dia da vinda do Cristo de Deus para buscar os salvos será um dia de grande alegria e triunfo para os que foram comprados pelo sacrifício do Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.

E O APARECIMENTO DA GLÓRIA. Este aparecimento da glória de Cristo nos fala de sua manifestação para arrebatar a sua igreja que ele comprou com o seu precioso sangue. Sobre isso está escrito em Atos 1:9-11 - E, quando dizia isto, vendo-o eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos. E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois homens vestidos de branco. Os quais lhes disseram: Homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir. Ai será quando a igreja vai ver o Cristo glorificado como ele é.

DO GRANDE DEUS. O humilde Jesus de Nazaré, rejeitado pelos Judeus, escarnecido pelo povo, e condenado a morte de cruz pelas autoridades romanas, ele é chamado e reconhecido como o grande Deus. Isso para os seguidores do judaísmo era inconcebível, Mas, para nós que seguimos o cristianismo e a mais pura verdade. O próprio Jesus falou: Eu e o pai somos um (João 10:30). Filipe disse a Jesus: Mostra-nos o Pai, o que nos basta. Jesus lhe respondeu: Há tanto tempo estou convosco e não tende me visto. Jesus era o Emanuel, ou seja: Deus conosco, Deus entre os homens.

NOSSO SALVADOR. O próprio nome “Jesus” que dizer Salvador. Mateus 2:21 - E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados. O messias de Deus se manifestou na terra em sua primeira vinda para salvar a sua igreja, e esta salvação envolve a remissão dos nossos pecados pela reconciliação realizada por Cristo Jesus. A expiação foi o preço desta redenção feita por Cristo.

JESUS CRISTO. Jesus é o nome próprio do Filho de Deus e tem o significado de Salvador da humanidade. O nome Jesus nos fala sobre a humanidade do Filho de Deus. E Cristo nos fala sobre o Messias que veio para redimir a humanidade do pecado e da perdição.

Tito 2:12

Tito 2:12 - Ensinando-nos que, renunciando à impiedade e às concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria, e justa, e piamente.
ENSINANDO-NOS QUE. A manifestação da graça de Deus por meio do Salvador Jesus Cristo nos foi dada como lição pedagógica para finalidades bem definidas. Isso porque todos aqueles que aceitam esta graça divina e recebem a Cristo Jesus como Senhor e Salvador passam a viver um estilo de vida diferente dos demais seres humanos. Porque nasceram de novo para uma nova e abençoada vida com Cristo e para Cristo. Quem está em Cristo, nova criatura é as coisas velhas são passadas, eis que tudo se fez novo. É a isso que se dar o nome de regeneração espiritual.

RENUNCIANDO À IMPIEDADE. Quem se converte da incredulidade para o cristianismo passa a viver não mais para o mundo, mas para as coisas que são de cima. Esta renúncia a que se refere o autor diz respeito a não fazer mais a própria vontade, nem o que o mundo oferece, mas viver conforme a vontade do Deus único e verdadeiro. E renunciar a impiedade é optar sempre pelo bem e pelo que é bom, é se monitorar a cada momento para evitar os erros comuns do homem natural para viver uma vida espiritual em que busca agradar a Deus em tudo que faz e pratica.

E ÀS CONCUPISCÊNCIAS MUNDANAS. Renunciar as concupiscências é não mais viver para os desejos da carne, mais buscar a todo o momento seguir a direção do Espírito de Deus. As concupiscências são justamente os apetites desordenados da natureza humana que leva o ser humano aos vícios degradantes da sociedade. As concupiscências mundanas dizem respeito às coisas que o mundo oferece para satisfazer a carne, mas que produzem a morte do espírito e da alma. A vida cristã autêntica é uma vida de renúncia do mundanismo, e das nossas vontades da carne.

VIVAMOS NESTE PRESENTE SÉCULO SÓBRIA. O evangelho é um manual no qual contem as diretrizes de como viver buscando o reino de Deus em primeiro lugar. O modo de vida de quem serve a Cristo tem que ser diferente dos que vivem para o mundo e suas concupiscências. O que Cristo espera de nós que somos seus discípulos é que façamos a diferença no meio desta sociedade contemporânea. Viver ama vida sóbria é ter auto controle sobre tudo que faz e pratica. O mundo vive embriagado.

JUSTA. Espera-se de um representante do reino de Deus que ele seja um ser humano melhor do que os que vivem impiamente. Razão porque precisamos monitorar os nossos próprios atos a fim de vivermos de tal maneira a que o nosso testemunho venha a glorificar a Cristo nosso Senhor e Salvador. A sociedade cobra de nós que sejamos praticantes dos mandamentos de Cristo, e não apenas cristãos de aparência.

E PIAMENTE. Viver neste presente século piamente, conforme o ponto de vista do autor é viver dedicado inteiramente para as coisas de Deus. Os sinais da vinda de Cristo têm si cumprido a cada dia nos dando a entender de que já estamos de saída da terra. Portanto, buscar se preparar para o arrebatamento da igreja é a melhor opção.

Tito 2:11

Tito 2:11 - Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens.
PORQUE A GRAÇA. Este é um dos textos do evangelho de Cristo que traz grande esperança para a humanidade. Esta graça de Deus nos fala dos favores do Criador em prol da raça humana, onde os homens não mereciam as bênçãos de Deus, mas por misericórdia do Senhor, todos são beneficiados de alguma maneira com os favores divino. Quando Deus por amor infinito pela humanidade enviou Cristo Jesus, ele estava manifestando esta graça salvadora para com o mundo. Na época em que Cristo veio como o Messias de Deus, a humanidade só merecia o castigo e a destruição. No entanto, esta graça de Deus reverteu o quadro em favor dos seres humanos.

DE DEUS. Quando o autor nos fala a respeito da “graça de Deus”, Ele nos esclarece de que todos os benefícios que os seres humanos recebem dos céus, é porque provem de Deus. Desde os começos da humanidade que os homens deram as costas para seu criador. Porem, o Senhor por sucessivos atos de misericórdia foi preservando a raça humana da destruição. Até que o Deus de amor com sua graça fez um grande ato de soberana benevolência em favor do mundo, por meio da redenção realizada por Cristo Jesus. Tudo provem de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo, por Cristo Jesus. Deus deu o seu Filho amado para morrer em lugar dos pecadores remidos.

SE HÁ MANIFESTADO. A manifestação desta graça de Deus se deu quando o Senhor nos enviou o Messias para concretizar uma perfeita obra de redenção. Encontramos inúmeras profecias no velho testamento em que Deus prometia a vinda do salvador. E vindo à plenitude dos tempos Cristo se manifestou para por em prática esta graça de Deus Pai. Quem tiver de herdar a vida eterna, não é porque merece, mas porque Deus em Cristo Jesus manifestou seus favores para com a humanidade. Graça é um favor não merecido, de forma que o mundo não merecia a vinda do Salvador, Jesus Cristo, todavia, Deus por amor singular a sua criação, deu seu Filho como remidor.

TRAZENDO SALVAÇÃO. A salvação é vista na velha dispensação como o livramento do perigo e da morte. Já na nova aliança de Deus com a humanidade, esta salvação além de englobar os velhos significado, tem um sentido mais profundo de vida eterna com Deus nas masões celestiais. A manifestação da graça de Deus por meio de Cristo Jesus foi para dar aos homens, que nele crer, a esperança de vida eterna. Depois da vinda do Messias de Deus, todo aquele que crer que Jesus é o Messias de Deus e guarda os seus mandamentos contidos no evangelho, tem a salvação por herança. Porque pela graça sois salvos, por meio da fé, é dom de Deus (Efésios 2:8). Simples assim.

A TODOS OS HOMENS. Essa expressão não é automática como muitos pensam. Este é apenas um texto, que faz parte de um grande contexto dentro da mensagem do evangelho. Um estudo mais profundo deste assunto, nos leva a reflexão de que se faz necessário o exercício da plena fé em Cristo Jesus e na mensagem do evangelho.

Tito 2:10

Tito 2:10 - Não defraudando, antes mostrando toda a boa lealdade, para que em tudo sejam ornamento da doutrina de Deus, nosso Salvador.
NÃO DEFRAUDANDO. O apóstolo continua neste ponto dando os seus conselhos práticos para os servos cristãos, que podem ser todos aqueles que são trabalhadores assalariados ou os que viviam sob o regime de escravidão, mas que eram cristãos. Neste caso, defraudar quer dizer, ser infiel para com os seus patrões. O conselho do autor era de que os servos não desviassem o que era do seu patrão, nem para si, nem para outros. Esperava-se que assim como eles eram fieis para com o Senhor Jesus Cristo nas coisas de Deus, que fossem igualmente fieis aos seus patrões.

ANTES MOSTRANDO TODA. O que Paulo recomenda neste particular era de que houvesse transparência nos serviços prestados aos servos para com os seus patrões ou donos, no caso dos escravos. Que eles não escondessem nada dos seus superiores, mas que com extrema fidelidade no que faziam demonstrassem a todos que estavam dando um bom testemunho de cristãos que eram. Nada de camuflarem situações para levar vantagem, mas com a verdade buscassem fazer o que era correto diante dos seus superiores e diante dos demais que também eram servos.

A BOA LEALDADE. Somente através do temor a Deus era que os servos cristãos podiam demonstrar esta boa lealdade aos seus patrões. O ser humano natural busca tirar vantagens pessoais sempre que surge a oportunidade. No entanto, com o servo que diz ser discípulo de Cristo, não deve ser assim. Antes, precisa provar a todos de que assim como ele é na presença das pessoas, também se comporta quando sozinha em qualquer situação. Porque quem é servo de Cristo sabe que o Senhor é Onisciente e Onipresente, ele sabe de tudo e está em todos os lugares ao mesmo tempo.

PARA QUE EM TUDO. Seja servo, seja livre, a nossa vida é a bíblia dos que não servem a Deus, de maneira que eles descobrem a vontade de Deus por meio do nosso testemunho de vida. Todos aqueles que fazem parte da igreja de Cristo são convocados a viverem um bom testemunho de vida em todas as áreas de sua existência. Os erros de um servo de Cristo diante da sociedade redonda em o evangelho ser envergonhado pelo seu mau testemunho. Devemos dar bom exemplo em tudo que fizer ou falarmos, porque desta forma estaremos glorificando a Cristo.

SEJA ORNAMENTO DA DOUTRINA DE DEUS. Quando se fala sobre ornamento, está se falando daquele que deixa uma coisa mais bonita e melhor. Quando na realidade vivemos um bom testemunho de vida diante da sociedade, demonstramos para os incrédulos que vale a pena servir ao reino de Deus. Servimos diante da sociedade de ornamento para representar perante o mundo que a melhor opção de vida é buscar o reino de Deus em primeiro lugar e as coisas que são de cima. Por meio do nosso testemunho de vida tornamos o evangelho mais atrativo e desejável pela sociedade.

NOSSO SALVADOR. A mensagem central do evangelho é de que Cristo é o nosso salvador, no entanto, tudo provem de Deus, que estava em Cristo reconciliando consigo mesmo o mundo. Deus é o nosso salvador, quando por amor ilimitado nos deus o seu Filho unigênito como mediador de uma nova aliança. A aliança da graça.

Tito 2:9

Tito 2:9 - Exorta os servos a que se sujeitem a seus senhores, e em tudo agradem, não contradizendo.
EXORTA. Esta palavra tem o significado na maioria dos textos do evangelho de “aconselha”, isso porque a nova dispensação não expressa a rigidez da antiga aliança, mas sim, denota um tempo de democracia cristã, onde ninguém é obrigado a fazer nada, porque tudo é por amor e de forma voluntária. Na realidade, o autor tinha a compreensão de que os servos precisavam mesmo era de conselheiros e não de imposições duras com suas regras impraticáveis. Jesus criticou o comportamento dos escribas e fariseus no tocante a colocarem fardos pesados e difíceis de suportar nos ombros dos outros, quando nem eles mesmos queriam levar. Portanto, exortar e aconselhar, onde a pessoa que está sendo aconselhada é quem deve decidir.

AOS SERVOS. Estes servos a que se refere o autor podem ser vistos como vários tipos de pessoas. Eles podem representar os auxiliares da igreja que estavam a serviço do ministério e da comunidade cristã. Também podem representar todos àqueles que eram empregados de senhores cristãos ou não. Por fim, pode ser que o autor esteja se dirigindo aos antigos escravos. Neste tempo em que Paulo escreveu esta carta, ainda não tinha sido abolida a escravidão no mundo. Portanto, era grande a quantidade de escravos que faziam parte da igreja de Cristo. Eram servos de cristo e dos homens.

A QUE SE SUJEITEM. O fato de serem servos de Cristo, não mudava a situação social a que viviam. E como Cristo que eram precisavam dar bons exemplos de servos que eram dos seus senhores. Aqueles que faziam parte da igreja de Cristo e seguidores do evangelho das boas novas tinham por obrigação a serem melhores como servos dos seus senhores do que os não convertidos para não envergonharem o evangelho. Porque na realidade de quem diz que é servo de Cristo, a sociedade cobra mais.

A SEUS SENHORES. Estes senhores podem ser os líderes das comunidades cristãs locais, como também a todos aqueles que ocupavam posição de grande responsabilidade diante da igreja. Também podem ser todos aqueles que tinham posses financeiras e com empregados a sua disposição. No entanto, é mais provável que o apóstolo se refira aos senhores de escravos dos tempos mais antigos. Nos tempos mais remotos, quem tinha grandes riquezas compravam pessoas como se fossem mercadorias e as tornavam seus donos e, portanto, seus escravos sociais.

E EM TUDO AGRADEM. O conselho do apóstolo a Tito era de que ele ensinasse aos servos a que buscassem agradar aos seus senhores. Nem todos os senhores de escravos eram carrascos, e aqueles escravos que fossem mais submissos se tornavam pessoas de confiança e passavam a gozar de certos privilégios sobre os demais.

NÃO CONTRADIZENDO. Aqueles servos que desobedecesse às ordens dos seus senhores seriam mais castigados. Mas aqueles que buscassem agradar aos seus senhores eram recompensados com trabalhos mais leves e até com melhores condições de vida do que os demais. O conselho era para o bem dos servos cristãos.

Tito 2:8

Tito 2:8 - Linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós.
LINGUAGEM SÃ. O autor tanto aconselha ao próprio Tito, como também transmite sua doutrina quanto ao modo de falar dos cristãos. Essa linguagem sã diz respeito ao mundo de falar que não sirva de escândalo para o evangelho de Cristo. Espera-se que um servo de Deus e principalmente um líder cristão, como é o caso de Tito, use a sua voz para falar das coisas do reino de Deus e não para ficar falando coisas que não convém a alguém que diz que é testemunha de nosso Senhor Jesus Cristo. A linguagem sã é aquela que produz vida e que pode levar a outrem a se converter.

E IRREPREENSÍVEL. Em uma conversa existe o transmissor e o receptor das palavras. De forma que se faz necessário que aquele que serve a Cristo monitore o que ele esta transmitindo para os seus ouvintes para que não venha a envergonhar o evangelho que transmite. E isso também serve para o estilo de pregação que se faz, porque se tem alguém transmitindo a palavra, também tem alguém ouvindo. E a nossa pregação deve ser de acordo com o evangelho para que os infiéis não se escandalizem. Tem alguns tipos de mensagens, que melhor fosse não ser transmitidas, porque mais gera confusão do que edificação de vidas e salvação.

PARA QUE O ADVERSÁRIO. Este adversário pode ser o diabo com os seus demônios, mas também pode ser os opositores do evangelho de Cristo. Neste tempo em que foi escrita esta carta, o império romano se destacava como opositor da pregação do evangelho de Cristo, porque as autoridades do império foram responsáveis pela morte de Cristo e não satisfeitos com isso, buscavam de todas as formas destruírem a religião fundada pelo Senhor Jesus, que era o cristianismo. Sem contar com os judaizantes, com os falsos mestres gnósticos e os líderes das religiões pagas que se levantavam a todo o momento contra o evangelho da verdade de Cristo Jesus.

SE ENVERGONHE. Se os cristãos se comportassem de maneira irrepreensível no modo de falar e pregar a palavra de Deus, os judaizantes que se oponham as verdades de que Jesus era o Messias, os falsos mestres gnósticos que transtornavam o evangelho de Cristo com suas filosofias sufistas, os líderes das religiões pagãs e o império romano, além do próprio satanás com os seus demônios ficariam todos envergonhados diante do sucesso da pregação do evangelho das boas novas de Cristo Jesus. A receita para vencer o adversário neste particular era saber se expressar.

NÃO TENDO NENHUM MAL DE QUE DIZER DE NÓS. Só lembrando do caso do Senhor Jesus, os seus adversários buscavam motivos de que o acusar pelo que ele dizia e testemunhava para o prender e o mata-lo. Assim, acontecia com os cristãos primitivos, os adversários do evangelho buscavam reprovar o que os pregadores falavam para ter de que os acusarem diante das autoridades romanas. Se os pregadores do evangelho falassem alguma coisa contra outras religiões e as leis dos homens eram logo presos.

Tito 2:7

Tito 2:7 - Em tudo te dá por exemplo de boas obras; na doutrina mostra incorrupção, gravidade, sinceridade.
EM TUDO. No texto anterior o autor se dirige aos jovens, rapazes e moças. Como Tido era um jovem líder da igreja de Creta, Paulo recomenda que ele antes de dar conselhos aos demais jovens, ele mesmo deve em tudo ter uma vida exemplar diante da igreja de Cristo e da sociedade, a fim de que os demais possam seguir o seu bom exemplo de vida. Sendo Tito um exemplo de vida cristã ideal, ele teria autoridade para pregar a doutrina no evangelho para os demais que estavam sob sua supervisão.

TE DÁ POR EXEMPLO. É justamente o que se esperava de um líder, era de que ele desse o exemplo para que os seus liderados pudesse seguir os seus ensinos. Comumente as pessoas desenvolvem o habito de seguir o exemplo dos seus mestres. Paulo escrevendo em 1 Coríntios 11:1 – Ele disse: Sede meus imitadores, assim como eu sou de Cristo. O exemplo de vida que um líder dá serve mais como lição do que milhões de palavras em forma de teoria. Um mau testemunho de um líder pode levar a muitos ao erro. Portanto, Tito tinha a responsabilidade de ser um espelho.

DE BOAS OBRAS. Não somente o apóstolo Paulo, mas também a Igreja de Creta esperavam que Tido fosse um líder praticante de boas obras. A lei de Cristo nos leva em duas direções, a primeira ao amor incondicional que devemos ter para com o nosso Deus e Pai. E a segunda é que devemos amar ao nosso próximo como a nós mesmos. E este amor fraternal que deve haver entre os seguidores de Cristo se percebe por meio de boas ações que praticamos para com todos e com os irmãos.

NA DOUTRINA. Certamente o autor está se referindo ao conjunto de normas e mandamentos deixados por Cristo e transmitidos pelos apóstolos. Principalmente por Paulo que foi u grande apóstolo dos gentios, e como tal foi o fundador da igreja de Creta, assim como de muitas outras. É bem provável que o apóstolo se refira a boa parte de suas cartas que já circulavam pelas igrejas, assim bem como seus ensinos transmitidos de forma oral, quando esteve presente entre os irmãos de Creta.

MOSTRA INCORRUPÇÃO. Na doutrina mostra incorrupção. Paulo recomenda a Tido que ele ensina a doutrina sem alteração, assim como ele recebeu do próprio apóstolo. Aquilo que estava escrito nas cartas, bem como tudo que Paulo ensinou pessoalmente na igreja de Creta, devia se conservado na sua integra, sem ser adulterado, nem transtornado, como faziam os judaizantes e os mestres gnósticos. Tido não podia nem devia interpretar de maneira distorcida as doutrinas cristãs.

GRAVIDADE, SINCERIDADE. A palavra gravidade neste ponto se refere à autoridade. Com isso entendemos que o autor manda que Tido pregue a doutrina cristã com autoridade, até porque ele estava falando das coisas escritas por Paulo, que também era um apóstolo de Cristo. A igreja de Creta tinha que perceber que Tido estava ensinado com sinceridade, sem a manipulação do conteúdo da palavra de Deus.

Tito 2:6

Tito 2:6 - Exorta semelhantemente os jovens a que sejam moderados.
EXORTA. Esta palavra tem o significado na maioria dos textos do evangelho de “aconselha”, isso porque a nova dispensação não expressa a rigidez da antiga aliança, mas sim, denota um tempo de democracia cristã, onde ninguém é obrigado a fazer nada, porque tudo é por amor e de forma voluntária. Na realidade, o autor tinha a compreensão de que os mais jovens precisam mesmo é de conselheiros e não de líderes carrascos com suas imposições impraticáveis. Jesus criticou o comportamento dos escribas e fariseus no tocante a colocarem fardos pesados e difíceis de suportar nos ombros dos outros, quando nem eles mesmos queriam levar.

SEMELHANTEMENTE. O evangelho é completo como obra literária no tocante aos seus ensinos para todas as classes de pessoas. Tanto tem conselhos práticos para os irmãos, quanto para as senhoras casadas mais idosas, quanto para as jovens senhoras recém-casadas e para os mais jovens, moças e rapazes. Assim como anteriormente foi expresso conselhos para as outras classes de pessoas da igreja, os jovens, rapazes e moças, não poderiam ficar de fora. Quando se faz um estudo detalhado no conteúdo do evangelho de Cristo, se percebe que a vontade de Deus para os jovens é de que vivam uma vida dedicados ao reino de Deus e de Cristo.

OS JOVENS. Certamente o autor se dirige aos jovens, rapazes e moças que faziam parte da igreja de Cristo, tanto na igreja de Creta, quanto em todo o mundo e em todos os tempos. Os jovens da igreja são o cartão postal do povo de Deus e é na verdade uma classe de pessoas da comunidade cristã que merecem um cuidado especial por parte do ministério e dos mais experientes da igreja. O departamento de jovens é um dos setores mais vulneráveis da igreja, uma vez que os jovens são influenciadores no meio da sociedade. Quando um jovem fracassa na fé, todos que fazem parte da sua família são atingidos direta ou indiretamente. Razão porque os jovens da igreja carecem de todo apoio do ministério e de todos os mais idosos.

A QUE SEJAM. Os mais jovens da igreja só precisam ser bem instruídos nos caminhos do evangelho para seguirem para o resto de suas vidas com um bom testemunho de seguidor do Senhor Jesus. Daí a responsabilidade dos que são mais experientes na comunidade cristã em conduzirem os jovens no bom caminho de Cristo. Como os mais jovens são atraídos por novas aventuras, por estarem em uma etapa da vida de novas descobertas, cabe os líderes da igreja, cuidarem em aproveitar isso e levarem os mais jovens a prática de atividades voltadas para o crescimento espiritual na presença de Deus. Os mais jovens tem um potencial extraordinário em realizar feitos com empenho e dedicação, basta quem sejam pelos mais velhos, bem orientados.

MODERADOS. Este deve ser o estilo de vida e o perfil que os mais jovens devem ser instruídos a viverem. Uma vida moderada é ter um testemunho de quem não vive para o embalo no qual os jovens que não são convertidos vivem. Um jovem viver uma vida moderada é viver uma vida simples, envolvido com as atividades próprias das coisas da igreja. Não se pode servir a dois senhores, ou o jovem se dedica as coisas do reino de Deus, ou se ele envolver-se com as coisas profanas do mundo, não tem como agradar a Deus. As mesmas regras que valem para os adultos valem para os jovens.

Tito 2:5

Tito 2:5 - A serem moderadas, castas, boas donas de casa, sujeitas a seus maridos, a fim de que a palavra de Deus não seja blasfemada.
A SEREM MODERADAS. A carta foi dirigida a Tito que era o líder da igreja cristã na cidade de Creta. Ele devia ensinar as mulheres mais velhas a darem bons exemplos de vida cristã para as mulheres mais jovens. Estas senhoras mais jovens deveriam ser moderadas, e isso nos leva a pensar que elas tinham como lema de vida viverem de forma equilibrada no que concerne as atividades religiosas. Como eram jovens senhoras recém-casadas precisam cuidar em primeiro plano de solidificar seus lares. Até porque o começo de um matrimônio é a base para sustentação do casamento.

CASTAS. Esse deve ser um comportamento de quem deve zelar pela sua estrutura familiar no que concernem as senhoras mães de família e esposas. Uma esposa casta é aquela que faz dedicação absoluta aos seus deveres como gerenciadora do lar, como uma verdadeira mãe de família e uma esposa ideal. Em outras referências do evangelho se exorta a que as mulheres cristãs não fiquem batendo perna de casa em casa em atividades de falatórios e caluniando a vida dos outros. Há um conceito na sociedade que as mulheres falam demais, coisa que entre as cristãs não pode ser.

BOAS DONAS DE CASA. Neste ponto, o autor foi direto ao assunto por ele abordado indicando como deve ser uma serva de Deus. Boa dona de casa, que é aquela que cumpre de forma plena suas funções como dona de casas. É aquela esposa que cuida bem dos seus afazeres domésticos, é uma mãe cuidadosa para com as crianças, além de fazer com amor e dedicação suas obrigações como boa esposa. Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor excede ao de rubis. É isso que se espera da mulher cristã. É que ela se posicione como adjuntora dos seus filhos e companheira do seu marido.

SUJEITAS A SEUS MARIDOS. No judaísmo, se defendia uma sujeição incondicional da mulher aos seus maridos, que na conjuntura atual pode-se dizer que havia um censo de escravidão. Já no cristianismo, a figura feminina veio a ser valorizada como alguém que participa em pé de igualdade ao seu marido, mesmo com o reconhecimento de que ela deva reconhecer que o homem é o cabeça no lar. Neste tempo, ainda existiam resquícios de machismo exagerado dentro da estrutura familiar.

A FIM DE QUE A PALAVRA DE DEUS. O conselho do apóstolo era para que a harmonia reinasse entre os casais. Todo casal cristão deve colocar como ponto de apoio na convivência familiar à palavra de Deus. O evangelho é completo e contem mandamentos e ensinamentos para todas as áreas da vida. A palavra de Deus deve ser usada como um manual em que as famílias podem e devem se utilizar dela como base para a construção de uma família sólida. É só seguir o que está escrito.

NÃO SEJA BLASFEMADA. A realidade é que a sociedade se escandaliza ao ver que os lares cristãos vivem em pé de guerra por descumprirem e desonrarem a palavra de Deus. A partir do momento em que os vizinhos ou conhecidos de um lar cristão percebem que eles não são praticantes do evangelho de Cristo, os incrédulos passam a blasfemar da palavra de Deus. Isso porque o casal cristão deve ser um bom exemplo de boa convivência diante da sociedade. É o que se espera e deve ser.

Tito 2:4

Tito 2:4 - Para que ensinem as mulheres novas a serem prudentes, a amarem seus maridos, a amarem seus filhos.
PARA QUE ENSINEM. O bom testemunho das mulheres mais velhas tem um efeito pedagógico na vida das mulheres mais jovens. A partir do momento que as mulheres mais jovens perceberem que as senhoras de mais idade são sérias no seu modo de viver seguirão esse exemplo e passarão a se modularem pelo bom comportamento das mais idosas. Se as senhoras mais jovens perceberem que as irmãs mais velhas da igreja são pessoas reservadas e que buscam a santidade de vida, elas terão a tendência de viverem uma vida casta buscando em tudo agradar ao Senhor que as chamou para a santificação de vida. Essas mulheres idosas serão influenciadoras.

AS MULHERES NOVAS. Essas mulheres novas podem ser as jovens da igreja, as filhas dos cristãos que fazem parte da mocidade da igreja de Cristo. Como também podem ser as jovens senhoras casadas que fazem parte da igreja cristã. Essas mulheres mais jovens seguirão intuitivamente os bons exemplos dados pelas irmãs mais idosas da igreja, de forma que as mais jovens serão imitadoras das mais velhas. O certo é que as mais velhas servem de espelho para as mais jovens e que também serão conselheiras destas que estão entrando em uma nova experiência de senhoras recém-casadas, que terão a responsabilidade de cuidarem dos maridos e dos filhos.

A SEREM PRUDENTES. O apelo do autor é que as irmãs da terceira idade ou as mais experientes possam ensinar as mais jovens a serem pessoas simples no seu modo de viver. Elas deverão ser prudentes em tudo que fazem e que dizem principalmente na vida familiar. Esta vida prudente diz respeito às atividades espirituais, mais também a vida social e em família. A jovem senhora que age com prudência ela cuida em cumprir suas responsabilidades sociais, espirituais e familiares. Ser prudente é agir com moderação sempre, tendo a cautela de pensar antes de agir, calculando os pros e os contras, no sentido de saber que toda ação tem uma reação.

A AMAREM SEUS MARIDOS. No judaísmo era ensinado que as mulheres dedicassem todo seu amor ao seu esposo. Esse princípio também foi herdado pelo cristianismo, com a diferença da valorização da figura feminina no ceio da família. Não somente neste ponto, mas em outras referências do evangelho encontramos essa mesma recomendação às mulheres que fazem parte da igreja de Cristo, que dediquem seu amor ao seu marido. Esse amor das irmãs ao esposo se traduz em cuidado para com ele. Porque desde o princípio que Deus criou a mulher para ser uma ajudadora e companheira do seu marido. Isso inclui respeito, consideração e atenção.

A AMAREM SEUS FILHOS. Por fim, as mulheres mais jovens da igreja serão alunas das mais idosas ao perceberem o quanto elas são amorosas para com seus filhos. Muito mais amor do que ao marido, devem as mulheres cristãs dedicar todo seu amor para com o fruto do seu ventre. Elas tem essa missão dada por Deus como progenitora.

Tito 2:3

Tito 2:3 - As mulheres idosas, semelhantemente, que sejam sérias no seu viver, como convêm a santas, não caluniadoras, não dadas a muito vinho, mestras no bem.
AS MULHERES IDOSAS, SEMELHANTEMENTE. No texto anterior o autor havia dado seus conselhos a Tito com instruções para os mais idosos do sexo masculino, principalmente para aqueles que desejavam fazerem parte do ministério. Agora, ele se dirige as mulheres idosas que faziam parte da igreja de Cristo que estava na cidade de Creta e que serve para as irmãs idosas que fazem parte da igreja de Cristo em todas as partes do mundo. As instruções do apóstolo se dirigem também a todas as idades, com conselhos gerais e também individuais, sempre buscando o melhor.

QUE SEJAM SÉRIAS NO VIVER. A exortação em forma de conselho do grande apóstolo dos gentios era de que a mulheres idosas da igreja de Creta fossem pessoas de bons exemplos de vida. Quando se recomenda que elas fossem sérias, isso nos remete a pensar que elas deveriam ser pessoas dadas ao respeito, merecedoras do respeito de todos, principalmente das pessoas mais jovens. Alguém tinha que olhar para elas e dizer; Eis ai uma serva de Deus que merece todo o nosso respeito e reverência. Estas servas de Deus deveriam ser dignas de um testemunho respeitoso.

COMO CONVÊM A SANTA. Como convém a uma mulher que vive a santidade de vida. O autor apela que as irmãs mais idosas da comunidade cristã sejam pessoas que busca a santidade de vida pessoa. Mulheres santas são aquelas que se dedicam completamente ao reino de Deus e as coisas que são de cima. Devem ser mulheres que dão bons testemunhos como boas esposas e verdadeiras mães que cumprem seus deves para com a família. Uma mulher santa é aquela que ganha o respeito de todos como sendo uma serva de Deus, e que tem bom testemunho de vida.

NÃO CALUNIADORA. Existe aquele conceito social de que as mulheres falam demais. Talvez este conceito já existisse na cidade de Creta, motivo pelo qual o autor exorta suas leitoras mais idosas da igreja que fossem diferentes do que achava a sociedade. Como servas de Deus, as irmãs não podiam se dar ao costume de falar da vida alheia nem inventar calúnias a quem quer que seja.

NÃO DADA A MUITO VINHO. Na cultura judaica era costume dos Judeus comemorarem suas solenidades com a ingestão de vinho em quantidades bem moderadas. Ao que tudo indica, esta tradição foi conservada pelos cristãos primitivos, onde se permitia a ingestão de vinho em quantidade moderada. Quando se diz: Não dada a muito vinho, subtende de que era permitido se tomar vinho, porem em pequena quantidade. Isso era permitido para o bem da saúde e não como vício.

MESTRAS DO BEM. As irmãs mais idosas da igreja estavam sendo, pelo autor, estimuladas a serem bons exemplos na prática do bem. Estas irmãs mais idosas fazendo o bem sem olhar a quem, seriam espelhos de bons testemunhos para as gerações mais jovens. Os mais jovens aprendem com o exemplo dos mais idosos.

Tito 2:1-2

Tito 2:1-2 - TU, porém, fala o que convém à sã doutrina. Os velhos, que sejam sóbrios, sensatos, prudentes, sãos na fé, no amor, e na paciência.
TÚ, POREM, FALA O QUE CONVÉM. Paulo havia deixado Tito em Creta para que pusessem as coisas em ordem, e constituir cooperados para levar avante a obra de Deus naquela região. No capítulo anterior o apóstolo tinha dado várias ordens sobre como deveriam ser estes obreiros, além de falar também sobre alguns que estavam procurando ensinar coisas inconvenientes, como os judaizantes e os falsos mestres gnósticos. Neste capítulo dois, o autor começa se dirigindo em primeiro lugar ao próprio Tito, lhe aconselhando que pregasse de forma conveniente a palavra de Deus.

A SÃ DOUTRINA. Anteriormente Paulo já havia falado sobre esta doutrina. Tito 1:9 - Retendo firme a fiel palavra, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para admoestar com a sã doutrina, como para convencer os contradizentes. Esta sã doutrina a que se refere o apóstolo diz respeito aos ensinos transmitidos pelo Senhor Jesus, como também as doutrinas ensinadas pelos apóstolos, sejam por meio da pregação oral ou por meio dos evangelhos escritos ou pelas cartas. É bem provável que neste tempo já existisse boa parte das cartas de Paulo em circulação.

OS VELHOS QUE SEJAM SÓBRIOS, SENSATOS, PRUDENTES. Agora, o autor se dirige aos mais velhos que faziam parte da igreja de Cristo em Creta. Na verdade, os mais jovens costumam seguir o exemplo dos mais experientes. Paulo diz a Tido que exorte aos mais idosos da igreja que sejam pessoas que deem bons exemplos de vida diante da sociedade, dos seus familiares e principalmente dos mais jovens. Agindo sempre com lucidez e com moderação de comportamento. Espera-se que os mais velhos em idade possam mostrar um comportamento prudente em tudo que faz e que fala.

SÃO NA FÉ. O que o apóstolo esperava dos mais idosos da igreja de Creta era de que eles gozassem de boa saúde espiritual e firmeza na fé. Saúde na fé é viver buscando o reino de Deus em primeiro lugar e as coisas que são de cima. É ter plena comunhão com os céus e com os irmãos. É praticar absolutamente a confiança de que Deus é poderoso para fazer muito mais do que pedimos ou pensamos, segundo o seu poder que opera em nosso favor. Ser são na fé é se firmar cada vez mais no evangelho.

NO AMOR. O apóstolo pede que os mais velhos que fazem parte da igreja de Cristo em Creta e em qualquer parte do mundo sejam praticantes do amor fraternal. A lei de Cristo ou seja, a essência do evangelho de Cristo, nos remete em duas direções. Primeira em direção a Deus, o amando acima de qualquer coisa e depois em direção a prática do amor fraternal para com os domésticos da fé e para com todos. Quem diz que é um cristão e não ama o seu próximo, precisa se converter ou nascer de novo.

E NA PACIÊNCIA. Sadios na fé, praticante do amor fraternal e controlados pela paciência. O que o autor está dizendo é que os mais idosos precisam ter auto controle sobre suas ações e palavras. Eles precisam dar exemplo de suportabilidade nas provações, a fim de que os mais jovens vejam isso e se firmem nos caminhos do Senhor também. Os mais velhos são espelhos para os mais jovens, a partir do momento em que refletem bons exemplos de seguidores de Cristo Jesus nosso Senhor.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Tito 1:16

Tito 1:16 - Confessam que conhecem a Deus, mas negam-no com as obras, sendo abomináveis, e desobedientes, e reprovados para toda a boa obra.
CONFESSAM QUE CONHECEM A DEUS. Continuam as denúncias do escritor contra os dois grupos que vinham prejudicando a igreja de Cristo na ilha de Creta e região onde Tito era supervisor ou bispo. E neste ponto o apóstolo nos faz saber que tanto os judaizantes defensores do judaísmo, como também os falsos mestres gnósticos faziam parte da comunidade cristã. Estes confessavam de que faziam a vontade de Deus e que seus ensinos eram baseados nos conhecimentos que tinham de Deus. Andavam de casa em casa buscando semearem suas ervas daninhas das heresias por eles anunciadas. Até davam testemunho de que eram discípulos de Deus, mas o objetivo de suas atividades era afastar os cristãos do evangelho das boas novas.

MAS NEGAM-NO COM AS OBRAS. Paulo nos deixou o ensino por meio deste texto de que nem mesmo pelo fato de alguém dar testemunho de que é um servo de Deus, pode na verdade ser. Porque mais forte do que palavras é o testemunho de vida pelo que a pessoa faz. Não adianta ser um cristão confesso apenas e não um cristão prático. Quem tem boca diz o que quer, principalmente para enganar os outros, mas o certo é que ninguém consegue enganar a Deus. E o tempo é um fator importante na comprovação de que os feitos em consonância com a vontade de Deus é quem vai dizer quem é quem. Os opositores do cristianismo confessavam de que conheciam a Deus, mas o que eles estavam fazendo comprovava o contrário de suas palavras.

SENDO ABOMINÁVEIS. Estes hereges sobre os quais Paulo tenta combater eram detestáveis pelo que estavam fazendo contra o evangelho de Cristo. Uma coisa abominável é algo que causa nojo e náusea só de olhar, quanto mais cheirar. Biblicamente falando é algo que Deus não aceita, mas repudia porque é totalmente contrário a sua vontade. Estas duas facções (Manutenção do judaísmo dentro do cristianismo e o gnosticismo) investiram pesado contra o cristianismo em seus começos. E o temor que Paulo tinha era de que eles conseguissem êxito em suas investidas, uma vez que a igreja sempre foi composta de pessoas simples da sociedade. Enquanto que estes mestres heréticos eram muito perigosos e astutos.

E DESOBEDIENTES. Existe o erro por inocência ou por falta de conhecimento. Mas o que os judaizantes e os falsos mestres gnósticos estavam fazendo contra a nova aliança de Cristo com a igreja era algo programa e planejado. Por um lado, os defensores do judaísmo, não aceitavam que o cristianismo fosse substituir a sua religião. E por outro lado, o império romano investia de forma camuflada por meio do gnosticismo para tentar transformar o cristianismo em mais uma religião cultural, onde o conhecimento secular era mais importante do que os mistérios do reino de Deus. Gnosticismo vem de gnose, que é conhecimento esotérico e com base no asceticismo, e não no conhecimento de Deus e de sua soberana vontade.

REPROVADOS PARA TODA BOA OBRA. A boa obra a que se refere o escritor diz respeito à obra genuína do reino de Deus e do evangelho. Os judaizantes em vez de ficarem tentando levar a igreja para o judaísmo, deviam era pregar o evangelho de Cristo. Assim como os gnósticos, deviam era ajudar a Tito na obra de Deus lá em Creta.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Tito 1:15

Tito 1:15 - Todas as coisas são puras para os puros, mas nada é puro para os contaminados e infiéis; antes o seu entendimento e consciência estão contaminados.
TODAS AS COISAS SÃO PURAS. O que o escritor está tentando fazer é combater certas práticas exageradas dos legalistas Judeus e dos ascetas gnósticos com seus rituais e puritanismos. A palavra de Deus nos ensina de que todas as coisas foram feitas por Cristo e para Cristo, entende-se por isso que as coisas criadas são abençoadas pelo Criador. E todas as coisas que há na terra foram criadas para o bem dos seres humanos. De forma que tudo que existe neste mundo é bom, desde que seja usado para o bem e de forma a cumprir o propósito para o que foi criado. O Criador fez todas as coisas para o que é bom, o problema é que o ser humano interfere e manipula muitas coisas para uma disfunção e usa para o que é ruim.

PARA OS PUROS. Todas as coisas são puras para os puros. Os puros a quem se refere o escritor não dizem respeito às pessoas perfeitas, mas sim aos que sempre são influenciados a fazerem o bem e o que é bom. Exemplo: alguém pode utilizar uma faca para lhe ser útil nas atividades domésticas, mas outra pessoa pode usar esta mesma faca como arma para tirar a vida do seu próximo. De forma que a maioria dos objetos nãos são maus em si mesmo, mas depende da maneira para o que é usado e no que é utilizado. Quem realmente é bom, no sentido moral, e se caracteriza por ter boas virtudes, até do que aparentemente é mau, ele vai usar para o que é bom.

MAS NADA É PURO. No caso dos legalistas judaizantes e dos puritanos e ascetas gnósticos, eles classificam aquilo que não estavam de conformidade com seus rituais como impuras todas as coisas. Para os legalistas judeus, o resto da raça humana que não faziam parte de suas cerimônias de purificação eram todos considerados impuros. E para os puritanos gnósticos, quem não fizesse parte de seus rituais ascéticos eram todos considerados por eles como contaminados. É tanto que para eles todos os tipos de alimentos tinham que passarem pro seus rituais de purificação antes de serem ingeridos por eles. O cristianismo representa a libertação de tudo isso.

PARA OS CONTAMINADOS E INFIÉIS. Nada é puro para os contaminados e infiéis. Os legalistas judaizantes transformaram a legislação mosaica em intermináveis preceitos e inumeráveis rituais de cerimonialismos. Já os falsos mestres gnósticos que seguiam um emaranhado interminável de rituais pagãos, juntavam todos os modismos das religiões culturais para formarem seus costumes de purificação. A estes dois grupos de puritanos e ascetas o escritor chama de contaminados e infiéis, isso porque eram eles os impuros e contaminados e não os objetos por eles supostamente purificados. O cristianismo no seu começo teve dois inimigos perigosos, de um lado os judaizantes e do outro o gnosticismo disfarçado de cristianismo, infiltrado no meio da cristandade.

ANTES O SEU ENTENDIMENTO E CONSCIÊNCIA ESTÃO CONTAMINADOS. O escritor mostra neste ponto a raiz do problema. Ser puro ou impuro não depende do objeto em si, mas como este objeto é visto por quem dele usa. Os legalistas judaizantes tinham uma dieta rigorosa em seus hábitos alimentares. E os puritanos gnósticos em seus asceticismos consideravam praticamente todos os tipos de alimentos impuros e que precisavam ser submetidos aos seus rituais de purificação. Asceticismo puro.

domingo, 14 de dezembro de 2014

Tito 1:14

Tito 1:14 - Não dando ouvidos às fábulas judaicas, nem aos mandamentos de homens que se desviam da verdade.
NÃO DANDO OUVIDO. O que Paulo recomenda neste texto é que o seu filho na fé, tivesse controle sobre as coisas que aconteciam com as igrejas na ilha de Creta, para que os seguidores de Cristo não dessem atenção aos ensinos deturpados transmitidos pelos judaizantes, nem dessem ouvidos as heresias pregadas pelos falsos mestres gnósticos. Acredita-se que a vontade do apóstolo era de que Tito fizesse chegar a todas as famílias que faziam parte da igreja de Cristo, essa mensagem, uma vez que os cultos eram realizados nos lares, e não em um templo, como acontece nos dias de hoje. Quando esses hereges chegassem em algum lar cristão, não era para serem ouvidos, porque o que eles transmitiam, não edificava a igreja que seguia o evangelho. Com isso Tito fechava a porta da igreja para a heresia e os falsos ensinos.

A FÁBULAS. Esta é uma referência direta a toda e qualquer narrativa fictícia com conotações religiosas. As fábulas são histórias inventadas para se demonstrar algum tipo de exemplo. Não é a mesma coisa que parábola, uma vez que a parábola é uma narrativa que ilustra a realidade, enquanto que as fábulas falam de algo irreal. Era costume dos retóricos oradores gregos usarem fábulas em seus sermões para impressionarem os seus ouvintes. Os falsos mestres gnósticos também se utilizavam de tais artifícios para confundirem a fé dos cristãos. Os que tentavam perseguir o cristianismo para preservarem o judaísmo também estavam se utilizando das fábulas.

JUDAICAS. Neste ponto Paulo destaca as fábulas judaicas. Assim como os gnósticos usavam as fábulas mitológicas da literatura pagã, os judaizantes que tentavam manter no cristianismo os padrões do judaísmo, da mesma forma davam sabor mitológico às narrativas das escrituras apócrifas da literatura judaica. E quando se referiam as narrativas das escrituras religiosas dos judeus, acrescentavam elementos fictícios, para tentarem mistificar o que a respeito da nova aliança estava escrito nas antigas profecias messiânicas. Quando sabemos que o evangelho de Cristo é claro e simples de se compreender, até mesmos as referencias mais antigas a seu respeito.

NEM AOS MANDAMENTOS DE HOMENS. Escreveu Paulo: Não deem ouvidos as fábulas judaicas nem a mandamentos de homens. O que estava escrito nas antigas escrituras a respeito de Cristo e da nova aliança da graça era conhecido da igreja. E as novas revelações dadas pelo Espírito Santo sobre o novo testamento, mesmo de forma oral, também já estavam bem expostas pelas principais lideranças da igreja primitiva. Estes mandamentos de homens a que se refere o apóstolo, diz respeito às interpretações ideológicas dos que se dizem interpretes das sagradas escrituras. O evangelho de Cristo é compreendido por qualquer pessoa.

QUE SE DESVIAM DA VERDADE. Desviar-se da verdade do evangelho é dar uma interpretação ao texto fora da realidade, o que o escritor chama de fábula. Esse negócio de mensagem profunda do evangelho pode ser um artifício para se misturar a mensagem do evangelho com elementos mitológicos. Qualquer mensagem fora da realidade é fábula, ninguém vive de ficção, mas da realidade. Tem muita gente se desviando da verdade do evangelho e tomando o rumo das fábulas religiosas.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Tito 1:12-13

Tito 1:12-13 - Um deles, seu próprio profeta, disse: Os cretenses são sempre mentirosos, bestas ruins, ventres preguiçosos. Este testemunho é verdadeiro. Portanto, repreende-os severamente, para que sejam sãos na fé.
UM DELES, SEU PRÓPRIO PROFETA. “Um deles”, certamente Paulo se refere à Epimênides de Cnossos, um escritor muito conhecido dos seus leitores. Além de ser conhecido como escritor grego ele era tido por muitos como um dos profetas pagãos. O escritor não se refere a qual de suas literaturas ele estava escrevendo, mas na frase seguinte usa uma de suas citações para ilustrar bem o estado moral dos hereges que se infiltravam nas igrejas cristãs para tentarem deturpar a genuína mensagem do evangelho de Cristo. Paulo também era conhecedor da cultura da época e usou do material que os próprios mestres gnósticos utilizavam para combatê-los.

DISSE: OS CRETENSES SÃO SEMPRE MENTIROSOS. O que disse o profeta dos falsos mestres gnósticos? Os cretenses são sempre mentirosos! Cretenses eram os filósofos de Creta, e Creta era uma ilha para onde estava escrevendo o apóstolo Paulo. Não que todos os cidadãos de Creta fossem mentirosos, mas o que eles consideravam profeta deles dirigiu esta palavra aos chefes religiosos do gnosticismo. Com isso o apóstolo estava alertando a igreja de Creta de que os ensinos gnósticos eram fundamentalmente baseados na mentira, portanto, não mereciam nenhum crédito.

BESTAS RUINS, VENTRES PREGUIÇOSOS. Neste ponto, o apóstolo faz duas acusações fortes contra os judaizantes, e também e principalmente contra os falsos mestres gnósticos. Esta expressão “bestas ruins” é uma colocação dura e que descreve o quanto os opositores do evangelho eram bestiais e maléficos em suas investidas contra a verdade das doutrinas do cristianismo. “Ventres preguiçosos”, na verdade Paulo quis dizer que estes malandros não queriam trabalhar, mas se aproveitavam da simplicidade da igreja para tirarem proveitos financeiros do suor dos outros.

ESTE TESTEMUNHO É VERDADEIRO. Paulo não escreve que o profeta deles fosse verdadeiro, mas que sua citação se encaixava muito bem, no tocante ao que eram realmente os falsos mestres do gnosticismo. Conhecedor que era destes hereges gnósticos da ilha de Creta, o apóstolo ataca diretamente os opositores do evangelho com o testemunho de alguém que os próprios mestres gnósticos consideravam ser ele um profeta. Paulo utilizou o que eles diziam ser verdade, contra eles próprios.

PORTANTO, REPREENDE-OS SEVERAMENTE. O apóstolo transmite segurança ao seu filho na fé para que ele usasse de autoridade no combate a estes falsos mestres. Em outras palavras é como se Paulo tivesse dito a Tito: Não alisa esta gente porque são perniciosos no meio da igreja, mas seja duro com eles. Repreende-os severamente, se tiver algum que seja membro da igreja, usa da disciplina para que se convertam.

PARA QUE SEJAM SÃOS NA FÉ. Mais uma vez o apóstolo nos dá a entender que estes mestres gnósticos eram pessoas infiltradas no seio da igreja. Talvez muitos deles ou quase todos fossem até membros das igrejas cristãs. Com isso aprendemos que nem todos que ensinam nas igrejas transmitem a sã doutrina do evangelho. Não é pelo fato de alguém utilizar da bíblia que seja um verdadeiro ensinador do cristianismo.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Tito 1:10-11

Tito 1:10-11 - Porque há muitos desordenados, faladores, vãos e enganadores, principalmente os da circuncisão. Aos quais convém tapar a boca; homens que transtornam casas inteiras ensinando o que não convém, por torpe ganância.
PORQUE HÁ MUITOS DESORDENADOS. Paulo estava denunciando aqueles que eram insubordinados e que não tinham nem o seu apoio nem muito menos dos seus cooperadores que haviam sido consagrados por ele. A estes ele chamava de indisciplinados, rebeldes e que não respeitavam as autoridades das igrejas. Muitos dos supostos líderes de Jerusalém e de Israel, que se intitulavam cristãos, mas que de fato estavam a serviço do judaísmo e não do cristianismo, se alto intitulavam de líderes pelo fato de serem descendentes do povo Judeu, de onde veio o fundador do cristianismo. Não eram poucos, mas muitos os judaizantes dentro das igrejas cristãs.

FALADORES VÃOS E ENGANADORES. Faladores vãos, estes não eram legítimos líderes das igrejas cristãs. Eram pregadores itinerantes do judaísmo, que se infiltravam no meio da comunidade cristã para produzirem confusão, mais do que edificação de Deus. Falavam para os cristãos de que mesmo se convertendo ao cristianismo, precisavam guardar a legislação mosaica. Paulo os classifica de enganadores, uma vez que os seguidores de Cristo não são obrigados mais a cumprirem a lei, porque Cristo os libertou do julgo da lei, cumprindo ele toda a lei em nosso lugar. O que estes enganadores falavam não tinha nenhum valor, porque não passava de heresias.

PRINCIPALMENTE OS DA CIRCUNCISÃO. Paulo nos dá a entender que suas reprimidas também são dirigidas aos falsos mestres gnósticos, que tentavam introduzir no cristianismo elementos da mitologia das religiões pagãs. Mas, neste ponto, principalmente os judaizantes, que por pertencerem a Israel, com facilidade tinham aceitação no ceio da igreja cristã. Por incrível que pareça, até dos apóstolos de Cristo, haviam deles que defendiam na igreja a manutenção de práticas do judaísmo.

AOS QUAIS CONVÉM TAPAR A BOCA. A recomendação de Paulo ao seu filho na fé Tito é que aonde ele tinha influência nas igrejas cristãs, que identificasse esses judaizantes, como também os falsos mestres gnósticos e fechasse a parta para eles. Não permitisse que eles pregassem para a igreja nem ensinassem de casa em casa nos lares cristãos. Tito como representante de Paulo tinha que tomar as devidas providências.

HOMENS QUE TRANSTORNAM CASAS INTEIRAS. Até 312 de nossa era cristã não era permitido pelo império romano à construção de templos cristãos. Portanto, os cultos e as atividades das igrejas eram realizadas nos lares dos seguidores de Cristo. Com isso dificultava um pouco para os líderes da igreja manter o controle sobre os que se infiltravam nos lares cristãos com suas heresias e seus ensinos transtornadores.

ENSINANDO O QUE NÃO CONVÉM, POR TORPE GANÂNCIA. Paulo que foi o fundador da maioria das igrejas, assim como também seus cooperadores já havia instruído as igrejas sobre os pontos fundamentais da nova aliança de Deus com a humanidade por meio de Cristo e da nova aliança da graça. Mas os judaizantes e os falsos mestres gnósticos iam de casa em casa tentando desfazer o que o apóstolo e os seus auxiliares já haviam ensinado. O interesse dos hereges era ganhar dinheiro por torpe ganância. Assim como nos dias atuais existem muitos profissionais do evangelho.

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Tito 1:9

Tito 1:9 - Retendo firme a fiel palavra, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para admoestar com a sã doutrina, como para convencer os contradizentes.
RETENDO FIRME A FIEL PALAVRA. Neste ponto de sua epístola pastoral, Paulo recomenda que os obreiros devam ser diligentes no uso da palavra do evangelho, no sentido de fazer um bom combate contra os falsos mestres das heresias gnósticas e dos legalistas Judeus. Portanto, os líderes que deveriam ser consagrados ao ministério teriam por obrigação de serem conhecedores dos ensinos doutrinários do cristianismo para terem eficiência no combate aos ensinos dos falsos mestres. Somente usando a autoridade da fiel palavra do evangelho é que encontrariam forças para saírem vencedores. O apóstolo durante os tempos que estivera nas igrejas da Ásia cuidou em discipular bem os obreiros para que fossem firmes no conhecimento da nova aliança.

QUE É CONFORME A DOUTRINA. Assim como a velha aliança de Deus com Israel tem o seu conjunto de normas, o que é chamada de legislação mosaica. Na nova aliança não é diferente, Cristo quando esteve em Israel para implantar a nova aliança de Deus com a humanidade transmitiu seus ensinos em como se deve seguir o cristianismo por ele fundado. Além do mais, os apóstolos por ele chamados, como foi o caso de Paulo também, receberam revelações especiais e instruções dadas pelo Espírito Santo de Deus, em como fazer a vontade de Cristo e do reino de Deus. É justamente a estes ensinos do novo testamento, juntamente com as profecias messiânicas, que formam o conjunto doutrinário do novo pacto de Cristo e de Deus com a humanidade.

PARA QUE SEJA PODEROSO. Os judaizantes que não aceitaram a Jesus de Nazaré como sendo o Messias enviado por Deus Pai (João 1:10), procuravam de todas as formas destruir o cristianismo. Assim como as religiões pagãs que se baseavam nas filosofias mitológicas das religiões naturais, buscavam por meio dos falsos ensinos heréticos combaterem a nova religião de Cristo. E os líderes do cristianismo nas igrejas precisavam serrem poderosos nas palavras do evangelho para suplantarem os que lhes faziam oposição por meio do judaísmo e do gnosticismo. Os novos obreiros a serem consagrados deveriam ser mais fortes do que os inimigos do evangelho.

TANTO PARA ADMOESTAR COM A SÁ DOUTRINA. Os bispos e presbíteros eram responsáveis pelo ensino doutrinário das igrejas de Cristo. Com isso tinham a responsabilidade de alimentarem bem os seguidores de Cristo na sã doutrina para não se desviarem dos caminhos do Senhor e voltarem para o judaísmo ou para o paganismo. Cabiam aos obreiros locais ensinarem as coisas do reino de Deus e projetar a igreja em buscar as coisas que são de cima para não caírem nas armadilhas dos ensinos heréticos dos enganadores judaizantes nem dos falsários gnósticos.

COMO PARA CONVENCER OS CONTRADIZENTES. Tanto os legalistas judaizantes quanto os falsos mestres gnósticos faziam parte e estavam infiltrados nas igrejas cristãs. E os líderes das comunidades cristãs não podiam expulsá-los, mas tinham que com muita sapiência os convencê-los de que estavam errados, e que precisavam retornar para o evangelho de Cristo. O líder local não podia desistir destes seus opositores, mas precisava convencê-los de que eles precisavam de salvação em Cristo.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Tito. 1:8

Tito. 1:8 - Mas dado à hospitalidade, amigo do bem, moderado, justo, santo, temperante.
MAS DADO A HOSPITALIDADE. Nos textos anteriores Paulo destaca sobre o que não deve ser um obreiro cristão. Neste texto ele mostra como deve ser um administrador eclesiástico. E com sua lista de virtudes, escreve de que o obreiro deve ser amante da hospitalidade. Essa é uma qualidade de alguém que se caracteriza por ser acolhedor. Neste período da igreja primitiva os missionários eram muito perseguidos, portanto tinha que sair às pressas para outras cidades para não serem presos e mortos. Também era uma época de expansão da mensagem do evangelho pelo mundo, em que Deus se utilizava dos pregadores itinerantes para saírem de cidade em cidade pregando a mensagem poderosa do evangelho libertador de Cristo Jesus o salvador. Portanto, os obreiros locais precisavam acolher estes missionários do reino de Deus.

AMIGO DO BEM. Falando sobre Cristo, o evangelho nos ensina de que ele ia por toda parte, fazendo o bem a todos (Atos 10:38). E esse deve ser um exemplo de todo líder religioso que deseja seguir as pisadas do Mestre (1 João 2:6). De todos os membros da igreja de Cristo, do que mais se espera que seja uma pessoa que faz o bem a todos sem olhar a quem, deve ser o líder, seja ele um presbítero, um evangelista, um bispo ou um pastor. Isso porque ele funciona perante a sociedade como um espelho, que dar testemunho do rebanho. Amigo do bem é aquela pessoa que sempre estar disponível a ajudar aos que mais precisam, sem esperar ser recompensado de volta.

MODERADO. Essa é uma virtude de quem é cauteloso em tudo que diz e que faz. É alguém imparcial, e que não é tendencioso nem para um extremo nem para outro, mas que se posiciona em uma área de equilíbrio nos assuntos mais polêmicos. Não deve ser radical em suas ideologias pessoas para não incorrer no erro de ser taxado de autoritário ou intransigente. Estamos vivendo na dispensação da graça, mas existem obreiros que são tão radicais que aplicam a palavra de Deus como se estivesse no tempo da lei, e isso não se encaixa no perfil de quem deve ser moderado. Quem é moderado, nem afrouxa a doutrina, nem também é espancador.

JUSTO, SANTO. Justo dentro do arcabouço do evangelho é diferente do pensamento judaico. Justo no tempo da lei era todo aquele que guardava todos os mandamentos da legislação mosaica, sem transgredir a nenhum deles. Justo na nova aliança da graça é todo aquele que é justificado pelo sacrifício do Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Já à palavra “santo” quer dizer: Separado para o Senhor ou dedicado ao serviço do reino de Deus. O líder deve ser totalmente voltado para o reino de Cristo.

TEMPERANTE. Esta é uma virtude de quem tem autocontrole sobre suas ações e palavras. É alguém que tem o domínio próprio e que sabe se dirigir no caminho do evangelho com dignidade. Um líder religioso não pode ser ignorante nem de temperamento agressivo, que fala tudo que vem no pensamento, e que faz tudo que vem na mente. Ninguém é obrigado a ter que suportar um líder bruto e ignorante.

domingo, 7 de dezembro de 2014

Tito 1:7

Tito 1:7 - Porque convém que o bispo seja irrepreensível, como despenseiro da casa de Deus, não soberbo, nem iracundo, nem dado ao vinho, nem espancador, nem cobiçoso de torpe ganância.
PORQUE CONVÉM QUE O BISPO SEJA IRREPREENSÍVEL. O cargo de presbítero em termos de ofício também era chamado de Bispo ou ancião. Mas o escritor dar-nos a entender que temos neste caso uma função específica para o bispo supervisor. Este era encarregado de administrar os demais presbíteros e ser, além disto, supervisor de uma área muito maior do que uma igreja local. O bispo era alguém que cuidava do ensino e da pregação da palavra de Deus. Assim como os presbíteros do texto anterior, também precisava ser irrepreensível, tendo um bom testemunho diante da sociedade, como também diante da igreja e dos demais presbíteros do ministério.

COMO DESPENSEIRO DA CASA DE DEUS. A palavra despenseiro descreve sobre a graduação dentro do ministério daquele que era administrador da igreja e que cuidava dos interesses gerais da comunidade. Até porque a função de bispo dentro da comunidade cristã cabia aquele que governava sobre a igreja e sobre o ministério ou ministérios quando atingia uma área maior do que a igreja local. Além do mais era o responsável sobre a ministração das doutrinas fundamentas da ética cristã. Nem todos os que faziam parte do ministério poderiam usar da palavra para doutrinar a igreja de Cristo, mas somente aqueles que ocupavam posições de mestres ou doutores.

NÃO SOBERBO, NEM IRACUNDO. E segue as características daqueles que deveriam fazer parte do ministério e que ocupavam a posição de bispo da igreja de Cristo. Não poderia ser uma pessoa soberba nem alguém que se achava melhor do que os outros. Não poderia ser uma pessoa orgulhosa e que por ocupar uma posição de destaque procuram pisar os demais. O bispo tinha que ser uma pessoa humilde e simples o suficiente para ter o sentimento de que todos são iguais perante Deus. Também não poderia ser uma pessoa iracunda, que é a mesma coisa que uma pessoa que se ira com qualquer coisa. Esse é o tipo de pessoa mal humorada, sempre de cara fechada.

NEM DADO AO VINHO, NEM ESPANCADOR. Os cristãos nem proibiam nem também liberavam, o uso do vinho, mas defendiam de que se alguém dele quisesse usar, assim o fizesse de forma muito moderada. Timóteo era um Bispo e também presbítero e Paulo fez uma recomendação um tanto estranha para ele do ponto de vista de alguns cristãos mais radicais nos dias de hoje. 1 Timóteo 5:23 - Não bebas mais água só, mas usa de um pouco de vinho, por causa do teu estômago e das tuas frequentes enfermidades. Além do mais o bispo, não poderia ser espancador. Mas que ensinassem como amor e carinho, sem desejar espancar a igreja com a palavra.

NEM COBIÇOSO DE TORPE GANÂNCIA. O bispo, que também era um pastor ou um presbítero, não poderia fazer de sua missão uma profissão. Não poderia visar tirar lucro com o seu ministério. Não poderia se enquadrar nas características de um mercenário que faz a obra de Deus por dinheiro. O bispo não poderia ser ganancioso nem vender a palavra de Deus nem as orações. Não poderia ser cobiçoso.

sábado, 6 de dezembro de 2014

Tito 1:6

Tito 1:6 - Aquele que for irrepreensível, marido de uma mulher, que tenha filhos fiéis, que não possam ser acusados de dissolução nem são desobedientes.
AQUELE QUE FOR IRREPREENSÍVEL. O apóstolo começa a descrever as características daqueles que deveriam ser consagrados por Tito em cada cidade para administrarem as igrejas locais. E a primeira destas características é que o presbítero deve ser irrepreensível. Isto fala de alguém que tem uma vida digna de ser classificada realmente de luz do mundo e sal da terra. Alguém de um testemunho que não envergonha em nada o evangelho que segue e que ao olhar para tal pessoa, o mundo possa ver Cristo através do que ele faz e fala, por meio das suas ações. Para ser consagrado ao ministério, esse alguém não pode ter em sua vida motivos de acusações, nem das pessoas que fazem parte da sociedade, nem da igreja.

MARIDO DE UMA MULHER. Estas igrejas eram fundadas no mundo gentílico, onde os costumes matrimoniais eram totalmente diferentes de Israel. A legislação mosaica não permitia a bigamia dentro da construção de um lar ou de uma família. Mas, na sociedade pagã daquela época, os homens tinham quantas mulheres desejassem, de conformidade com suas posses financeiras. No entanto, na igreja cristã isto não era permitido, principalmente para os líderes cristãos que faziam parte do ministério. De forma que, para ser um ministro do evangelho o homem não podia em hipótese alguma ser um adultero, nem praticante da bigamia.

QUE TENHA FILHOS FIÉIS. Na época da igreja primitiva e conforme os ensinos do evangelho pregado por Paulo, o ministério de um obreiro dependia em muito da sua conjuntura familiar. As consagrações eram feitas olhando para o exemplo do lar em que vivia o obreiro. Hoje as coisas andam na contramão destas verdades, onde os obreiros são consagrados sem nenhuma regra quanto ao sua vida conjugal, nem muito menos sem observar se seus filhos vivem ou não de conformidade com o evangelho. Como que um obreiro pode doutrinar a vida dos outros, se ele não tem controle sobre os seus próprios filhos e filhas? Essa é uma pergunta muito importante?

QUE NÃO POSSA SER ACUSADO DE DISSOLUÇÕES. Os filhos dos obreiros não podiam ser acusados de uma vida dissoluta, caso contrário, esse obreiro não poderia ser consagrado ao ministério. A mesma expressão foi usada na parábola do filho pródigo, que desperdiçou os seus bens vivendo dissolutamente. Esse é o tipo de vida sem regras nem limites, onde a pessoa procura se volta totalmente para os desejos da carne e os prazeres da vida. Este é o tipo de vida em que o jovem se entrega aos vícios sem se submeter aos limites impostos pelos seus pais, nem mesmo pelos bons costumes da sociedade. É o que pode se chamar de vida para o erro e para o mal.

NEM SÃO DESOBEDIENTES. As autoridades da igreja teriam que serem criteriosas na consagração de novos obreiros. Conhecendo o modo de vida em que viviam os filhos e filhas dos auxiliares, porque os tais só poderiam ser consagrados se seus filhos e filhas fossem obedientes, primeiro aos pais, depois aos ensinos do evangelho. Sendo bem claro, ninguém poderia ser consagrado ao ministério se tivessem filhos e filhas desviados do evangelho. É bom lembrar que os presbíteros da época de Paulo eram os que hoje são chamados de pastores. Só muda o título, mas as funções são as mesmas.