Pesquisar este blog

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Lucas 1:80

Lucas 1:80 - E o menino crescia, e se robustecia em espírito. E esteve nos desertos até ao dia em que havia de mostrar-se a Israel.
E O MENINO. Esta é uma conclusão literária bem feita pelo evangelista Lucas sobre o assunto que ele vinha narrando a respeito de João Batista e o seu nascimento. Este menino se refere à voz que clama no deserto profetizado por Isaías 40:3 - Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor; endireitai no ermo vereda ao nosso Deus. O seu nascimento foi à realização de um milagre da parte de Deus na vida do seu pai Zacarias que era um homem de idade avançada e de sua mãe Isabel, que era estéril e também já contava com seus noventa anos de idade, conforme a tradição cristã. João Batista veio como o precursor do Messias de Deus.

CRESCIA. E o menino crescia. Como qualquer outra criança ele se desenvolvia na sua estrutura orgânica. Mas também crescia em outros aspectos, tal qual no conceito dos seus pais, seus familiares e também dos que lhe conheciam e conviviam com ele. O menino crescia em popularidade por onde passava porque as pessoas o viam como sendo um jovem diferente dos demais. O menino crescia na expectativa de todos ao ponto de mais tarde as pessoas chegarem a pensar de que porventura não seria ele o Messias? Coisa que ele próprio rebateu dizendo: Eu não sou o Cristo.

E SE ROBUSTECIA EM ESPÍRITO. O menino se robustecia em espírito. Este já é um outro aspecto do crescimento de João Batista. O que o autor deste evangelho quis dizer é que o menino se fortalecia em espírito. É que desde a mais tenra idade o menino já despertava suas habilidades espirituais para o reino de Deus. Isso também se refere a sua espiritualidade e comunhão com o Deus único e verdadeiro. Essa expressão nos ensina sobre a desenvoltura dos dotes espirituais que estavam sobre a vida do menino em se dedicar as coisas do reino de Deus.

ESTEVE NO DESERTO. Muitos dos grandes homens de fé, os chamados heróis da fé, tiveram que passar por este estágio de vida. Em termos alegóricos isso não quer dizer um deserto literalmente falando. Estar no deserto para se desenvolver espiritualmente é viver um tanto isolado dos padrões normais das atividades humanas para se dedicar em profundidade a comunhão com Deus. Neste caso, o deserto cria uma atmosfera de neutralidade das coisas que nos roubam o foco principal que é buscar e amar ao Senhor com todo nosso entendimento.

ATÉ O DIA EM QUE HAVIA DE MOSTRAR-SE. O tempo que João Batista ficou no deserto da Judéia foi o suficiente para uma preparação para cumprir a sua missão de precursor do Messias de Deus. Como profeta que era e como mensageiro de Deus ele precisava ser abastecido com as energias espirituais suficientes para pregar as boas novas do evangelho e anunciar a chegada do Emanuel, que é Deus conosco.

A ISRAEL. O foco das atividades ministeriais de João Batista era apresentar ao povo de Israel o seu Messias. E isso não era uma tarefa nada fácil, uma vez que os Judeus eram monoteístas, ou seja, adoravam somente o Deus verdadeiro. Convencê-los de que Jesus de Nazaré era Deus entre os homens, era osso duro de roer. Todavia, foi para isso que Deus enviou o precursor para preparar o caminho do Emanuel.

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Lucas 1:79

Lucas 1:79 - Para iluminar aos que estão assentados em trevas e na sombra da morte; A fim de dirigir os nossos pés pelo caminho da paz.
PARA ILUMINAR. Este é um texto que dá continuidade ao que Zacarias vinha falando. E o que ele tinha falado? Pelas entranhas da misericórdia do nosso Deus, Com que o oriente do alto nos visitou. Ele tinha falado sobre a intervenção de Deus na história da humanidade. Porque na verdade o que estava para acontecer com a implantação da nova aliança de Deus por meio do Messias prometido tinha objetivo que era para iluminar alguém em seu entendimento. Os Judeus estavam tão apegados aos rituais da lei que não tinham entendimento de que Deus estava agindo com uma nova ordem das coisas. Um novo tratado do espírito e não da letra.

AOS QUE ESTÃO ASSENTADOS. A quem as boas novas do evangelho irão iluminar? Aos que estão assentados. A posição de assentado nos fala de bem acomodado. É uma posição de relaxamento. Justamente o que estava acontecendo com os Judeus. Eles estavam satisfeitos em cumprirem o legalismo da legislação mosaica ao ponto de acharem de que estava tudo bem e que as coisas eram assim mesmo. Quando no fundo no fundo eles precisavam mesmo era de uma nova aliança com Deus. E João Batista falava sobre esta nova aliança, enquanto que Cristo foi o seu executor.

EM TREVAS. O evangelho estava começando a raiar para iluminar os que estavam assentados em trevas. Essa era a condição espiritual na qual se encontravam os Judeus. Bem antes deste tempo do começo de uma nova dispensação, eles se desviaram do seu Deus, razão porque tiveram que passar pelos cativeiros assírio, Babilônico e agora estavam sob o julgo de Roma. Afastados de Deus e longe da luz divina, em profundas trevas da alienação.

E NA SOMBRA DA MORTE. Esta na sombra é uma situação de acomodação. E esta na sombra da morte é aceitar que não pode se mover no sentido de inatividade. Os Judeus nesta época não queriam tomar nenhuma atitude para sair do estado de morte espiritual na qual se encontravam. Cristo como sol da justiça divina estava iluminando esta região da sombra da morte para dar vida e vitalidade. Ele veio justamente para tirar Israel e todo aquele que nele crer da neutralidade e da nulidade que a morte espiritual ocasiona nas pessoas.

A FIM DE DIRIGIR OS NOSSOS PÉS. A visita do alto significa a vinda de Deus para socorrer a humanidade por meio do Emanuel, ou seja, Deus conosco. A fim de dirigir os nossos pés. Com a chegada do Messias e a implantação da nova aliança de Deus com os seres humanos. Uma nova direção era apontada rumo à perfeita comunhão com o Criador, trazendo a humanidade de volta aos braços de Deus. Por isso que é certo dizer que são incalculáveis os benefícios para toda a criação com a nova aliança.

PELO CAMINHO DA PAZ. O resultado desta chegada de Deus entre os homens, o Emanuel, Deus conosco, que é o mesmo que Messias de Deus, Cristo, Jesus de Nazaré, foi justamente para nos direcionar para o caminho da paz. E este caminho da paz com Deus foi estabelecido por meio da reconciliação feita por Cristo entre Deus e os homens. E esta reconciliação foi executada pelo sacrifício do Cordeiro de Deus.

Lucas 1:77-78

Lucas 1:77-78 - Para dar ao seu povo conhecimento da salvação, Na remissão dos seus pecados; Pelas entranhas da misericórdia do nosso Deus, Com que o oriente do alto nos visitou.
PARA DAR AO SEU POVO. O precursor, João Batista, assim como o próprio Messias de Deus, Jesus de Nazaré foram enviados como mensageiros celestiais para o povo Judeu. Israel ficou sendo o povo de Deus porque as promessas feitas a Abraão se cumpriram em seus descendentes, quando o Senhor os resgatou do Egito com sua forte mão. Fazendo o Senhor Deus de Abraão, Isaque e Jacó, nascer uma grande nação na terra de Canaã. Com isso criou-se um vínculo de comunhão entre os Israelitas e o Deus único e verdadeiro, Criador dos céus e da terra.

CONHECIMENTO DA SALVAÇÃO. Profetizando sobre a vida do menino João Batista o seu pai Zacarias falava sobre a sua importante missão de levar ao conhecimento dos Judeus o plano da salvação por meio do Messias prometido por Deus que já era chegado e que vinha implantar uma nova aliança de Deus, não somente com Israel, mas com toda a humanidade. A antiga aliança falava de salvação em ternos de livramento dos problemas terrenos. A nova aliança fala de salvação como sendo a vida eterna. A primeira aliança era material e a segunda é espiritual.

NA REMISSÃO DOS PECADOS. Conforme a primeira aliança à remissão dos pecados era estabelecida por rituais repetitivos, com a morte sempre recorrente de animais oferecidos em sacrifícios. Na nova aliança de Cristo a remissão dos pecados foi estabelecida por um único e suficiente sacrifício do Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (João 1:29) e (Mateus 1:21). Porque Cristo foi crucificado em nosso lugar para nos remir de nossas culpas (Isaías 53:4-5).

PELAS ENTRANHAS DA MISERICÓRDIA. Movido de intima compaixão pela humanidade foi que Deus deu o seu unigênito Filho, o filho do seu amor, para salvar os pecadores da condenação eterna (João 3:16). Foi movido pela sua intima misericórdia que o pai enviou o seu Filho Jesus ao mundo para servir de expiação pelos nossos pecados (Romanos 3:24-25). Essa expiação significa o perdão dos pecados daqueles que se arrependem deles e os confessam, acompanhado de reconciliação com Deus, através do sacrifício de uma vítima inocente, no caso Cristo Jesus.

DO NOSSO DEUS. Tudo partiu do coração de Deus em nos reconciliar consigo mesmo pelo sacrifício do seu unigênito na cruz do calvário (Efésios 2:16). Vendo o Senhor que os seres humanos estavam absolutamente alienados ao ponto de não encontrarem o caminho de volta aos braços do Criador. O Senhor enviou o seu próprio Filho para resgatar o homem da perdição (João 3:17). Nesta aliança Deus entrou com a sua misericórdia, com o seu amor e com o seu perdão, enquanto que o homem entra carregado de transgressão, iniquidades e pecados. Mas o resultado e a reconciliação entre Deus e os homens (Romanos 5:6-11).

COM QUE O ORIENTE DO ALTO NOS VISITOU. Foi de cima, dos altos céus que veio a resolução eficaz em resolver o problema da inimizade entre Deus e os homens. Tudo provem de Deus que reconciliou consigo mesmo todas as coisas (2 Coríntios 5:18).

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Lucas 1:75-76

Lucas 1:75-76 - Em santidade e justiça perante ele, todos os dias da nossa vida. E tu, ó menino, serás chamado profeta do Altíssimo, Porque hás de ir ante a face do Senhor, a preparar os seus caminhos.
EM SANTIDADE. O evangelista Lucas dar continuidade no seu escrito ao que vinha descrevendo sobre o cântico de Zacarias, pai de João Batista. Em que a proposta de Deus para os descendentes de Abraão era de que eles ao entrarem na terra prometida deveriam viver em santidade perante o Senhor. Guardando os seus mandamentos e os seus estatutos, conforme determinava a lei de Moisés. Separados dos costumes das demais nações e vivendo para o serviço exclusivo do seu Deus.

E JUSTIÇA PERANTE ELE. O que Deus esperava dos filhos de Israel, até em gratidão por ter o Senhor feito tantas maravilhas para os libertarem do Egito, é que os Judeus praticassem a justiça perante o Senhor. Vivendo uma vida digna de honra ao nome do seu Deus. Andando nos seus caminhos e praticando os seus mandamentos. Ao ponto de Deus olhar dos mais altos céus e ter prazer em seu povo. Em plena fidelidade a aliança do seu Deus, em adorá-lo na beleza de sua santidade.

TODOS OS DIAS DA NOSSA VIDA. O pacto feito entre Deus e Abraão, e por consequente com os seus descendentes era um pacto eterno, enquanto existisse a nação de Israel. Assim como a antiga aliança estabelecida por meio de Moisés deveria ser para toda a existência do povo Judeu. O que de fato não aconteceu e o povo se desviou do Senhor e dos seus estatutos. O que levou os Israelitas a serem dispersos entre as nações inimigas para serem escravizados.

E TÚ, Ó MENINO. Todavia, Deus não perde nunca a batalha em prol do seu povo e estava enviando o seu Messias como libertador. Porem, antes do Emanuel chegar, Deus estava enviando ante a sua face um precursor para preparar o caminho para chegada do Cristo de Deus. O menino a que Zacarias estava se referindo era João Batistas, seu filho, sobre o qual Deus já havia prometido enviar ante o Messias.

SERÁS CHAMADO PROFETA DO ALTÍSSIMO. Zacarias não estava falando sobre o nome do menino, que ele e Isabel já haviam dado no momento de sua circuncisão. Mas ele se referia ao ofício que seria desenvolvido por João Batista. João na realidade foi o último dos profetas da antiga dispensação e o primeiro dentre tantos da nova aliança de Deus com os homens. Cristo o chamou de “um grande profeta”. E o seu ministério se destacou de tal maneiro que chegaram a imaginar se não seria ele o Cristo.

PORQUE HÁS DE IR ANTE A FACE DO SENHOR. João Batista é mais ou menos seis meses mais velho que Jesus de Nazaré. Mas esta colocação feita por Zacarias diz respeito ao ministério de João Batista que foi exercido antes do de Cristo Jesus. Conforme tomamos conhecimento no evangelho (Marcos 1:14) que Jesus só começou a exercer plenamente o seu ministério após a prisão do seu precursor.

A PREPARAR OS SEUS CAMINHOS. Esta é uma citação de Isaías 40:3 - Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do SENHOR; endireitai no ermo vereda ao nosso Deus. João veio preparar os Israelitas para a chegada do Messias de Deus.

Lucas 1:73-74

Lucas 1:73-74 - E do juramento que jurou a Abraão nosso pai, de conceder-nos que, Libertados da mão de nossos inimigos, o serviríamos sem temor.
E DO JURAMENTO. Este juramento da parte de Deus a que se refere Zacarias, diz respeito às promessas feitas por Deus aos patriarcas. Fala sobre o pacto entre Deus e Abraão, que foi também firmado e confirmado a Isaque e a Jacó. Foram as palavras faladas por Deus aos antepassados dos Hebreus, que tinham como esperança de cumprimento. A confiança do povo de Israel na sua existência como nação era baseada na crença que o Senhor não se esqueceria dos descendentes de Abraão.

QUE JUROU A ABRAÃO. Esta é uma referencia direta ao pacto entre Deus e o seu amigo Abraão. Gênesis 12:1-3 - Ora, o Senhor disse a Abrão: Sai-te da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção. E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra. O povo de Israel veio a existir como nação de conformidade com essas promessas feitas por Deus ao seu amigo Abraão.

NOSSO PAI. Os Judeus tinham orgulho em ter como raiz genealógica o patriarca Abraão, de que diziam eles, ter saído toda a nação Israelita. Os Judeus davam uma importância exacerbada as suas origens familiares, ao ponto de se ufanarem de ter como antepassado Abraão, Isaque e Jacó. DE CONCEDER-NOS QUE. Quais seriam estas concessões de Deus para Israel? A promessa do Senhor a Abraão é que os seus descendentes herdariam a terra de Canaã, a melhor terra da Palestina, terra que manava leite e mel. E Deus cumpriu a sua promessa aos filhos de Abraão, Isaque e Jacó.

LIBERTADOS DA MÃO. Mas antes de cumprir a promessa aos filhos dos patriarcas, o Senhor teve que os libertarem das mãos dos seus inimigos. Uma nação inteira estava sob o julgo da escravidão no Egito. E Deus enviou o grande legislador Moisés para com mão forte e braço estendido libertar o seu povo dos seus opressores.

DOS NOSSOS INIMIGOS. Certamente o velho sacerdote penava neste momento nos Egípcios, um dos primeiros inimigos de Israel. O povo Judeu fizera muitos inimigos durante a sua história como nação. Poucos foram os momentos de paz entre Israel e as demais nações circunvizinhas. Sem falar nos Assírios, nos Babilônicos e principalmente agora os Romanos, sob quem eles estavam subjugados.

O SERVIRÍAMOS. A esperança de Israel era que uma vez de posse da terra prometida eles iam somente desfrutarem dos benefícios daquela terra boa e larga. E assim seria efetivamente, se eles não tivessem se desviados da aliança que fizeram com o Senhor seu Deus. Porque Deus cumpriu a sua parte, mas eles foram infiéis com o Senhor. SEM TEMOR. Sem medo. Sem guerras com as demais nações e nem lutas contra os seus vizinhos. Esse era o propósito do plano do Senhor para Israel. Uma vida de tranquilidade plena. E não aconteceu porque Israel se desviou do Senhor seu Deus.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Lucas 1:71-72

Lucas 1:71-72 - Para nos livrar dos nossos inimigos e da mão de todos os que nos odeiam; Para manifestar misericórdia a nossos pais, E lembrar-se da sua santa aliança.
PARA NOS LIVRAR. Desde que Israel havia entrado na terra prometida Canaã, que as demais nações vizinhas despertavam guerras contra o povo Judeu. Quando o sacerdote Zacarias proferiu este seu cântico, Israel já havia passado pelo cativeiro Assírio e Babilônico, e por último estava sob o domínio Romano. O povo Judeu clamava por livramento do julgo Romano, porque não suportava mais a carga tributária imposta pelo império de Roma. E o Israel de Deus nesta época estava imaginando um Messias político que os libertassem da dominação imperial Romana.

DOS NOSSOS INIMIGOS. Antes mesmo de Israel ser uma nação independente já sofria com os seus inimigos Egípcios que os escravizavam. Passaram pelo árduo cativeiro Babilônico com sua opressão dolorosa. Voltaram por meio do cativeiro meio que restaurador dos sírios. E quando pesavam de que novamente seria uma nação independente, foram repentinamente subjugados pelos Romanos. Roma foi tão cruel contra Israel que terminou destruindo Jerusalém e o país inteiro no ano setenta já de nossa era cristã.

E DA MÃO DE TODOS. Roma dominava sobre Israel com mão de ferro. O historiador Judeu Flávio Josefo, em sua narrativa sobre a História dos Hebreus, deixou registrado que Roma era o pior carrasco contra Israel. Porque o império Romano tinha medo de que Israel se libertasse e se virasse vingativamente contra Roma. Os imperadores conheciam a história de superação do povo Judeu, que foram ao fim do poço várias vezes, mas por fim saiam vendendo os seus inimigos. E sempre que os Judeus se levantavam venciam os seus opositores, os derrotando.

OS QUE NOS ODEIAM. As demais nações circunvizinhas do povo de Deus odiava a Israel e lutavam para exterminá-lo. E quando estavas palavras foram proferidas pelo sacerdote Zacarias era a vez de Roma descarregar todo o seu ódio contra os Judeus. Por último, quem não conhece o sangrento massacre impetrado por Hitler contra os Judeus? E hoje Israel vive sob constante ameaça dos palestinos. Todas as nações do mundo olham para Israel com receio. Porque Israel tem o exército mais bem preparado do mundo, com as armas de guerra mais sofisticadas do planeta terra.

PARA MANIFESTAR MISERICÓRDIA A NOSSOS PAIS. O velho sacerdote Zacarias expressa sua adoração em forma de súplica para que o Deus de Israel use de misericórdia com o seu povo. E pede que o Senhor faça com eles assim como agiu com os seus antepassados, onde o grande amor de Deus foi manifesto pela sua bondade em libertar o seu povo dos seus adversários.

E LEMBRAR-SE DA SUA SANTA ALIANÇA. Nesta época que antecede a vinda do Messias de Deus, Israel não se considerava uma nação. Apesar de não terem sido deportados como foram para Babilônia, mas estavam os judeus sentindo os efeitos da opressão Romana. Zacarias fazia lembrar ao Senhor suas promessas feitas aos patriarcas, que era de tornar Israel uma grande nação.

Lucas 1:69-70

Lucas 1:69-70 - E nos levantou uma salvação poderosa Na casa de Davi seu servo. Como falou pela boca dos seus santos profetas, desde o princípio do mundo.
E NOS LEVANTOU. Deus quem estava intervindo na história da humanidade com um novo plano de salvação. Era uma nova dispensação que tomava o lugar da antiga, por meio de uma nova aliança de Deus, por meio do Messias prometido. Vendo o Senhor que os seres humanos não acertavam por si só o caminho de volta aos braços do Criador, dada a alienação que era abrangente, então Deus se levantou do seu trono de glória para agir em favor da raça humana. A vinda do Messias era o despertar de Deus para socorrer a humanidade perdida e desgarrada.

UMA SALVAÇÃO. Esta salvação escatológica proferida por Zacarias em consonância ao que já haviam vaticinado os santos profetas de Deus era a promessa de redenção feita pelo Senhor no sacrifício do Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (João 1:29). Isaías 53:4-5 - Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.

PODEROSA. Esta salvação poderosa efetuada por Deus tem chegado a todos os recantos do mundo. Ela é poderosa porque não é nacionalista, mas sim, universal e veio para remir não só os seres humanos, mas toda a criação. A salvação de Deus por meio de Cristo é poderosa porque resolveu definitivamente o problema da inimizade entre Deus e os homens por meio da grande reconciliação. Romanos 5:10-11 - Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados, seremos salvos pela sua vida. E não somente isto, mas também nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, pelo qual agora alcançamos a reconciliação.

NA CASA DE DAVI SEU SERVO. A vinda do Messias de Deus foi uma promessa feita pelo Senhor a Davi. 2 Samuel 7:14-16 - Eu lhe serei por pai, e ele me será por filho; e, se vier a transgredir, castigá-lo-ei com vara de homens, e com açoites de filhos de homens. Mas a minha benignidade não se apartará dele; como a tirei de Saul, a quem tirei de diante de ti. Porém a tua casa e o teu reino serão firmados para sempre diante de ti; teu trono será firme para sempre.

COMO FALOU PELA BOCA. Deus usou vários profetas para falar a respeito dos tempos futuros que ele estabeleceria com a chegada do Messias ao planeta terra. Hebreus 1:1 - Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho.

DOS SEUS SANTOS PROFETAS DESDE O PRINCÍPIO DO MUNDO. O que estava acontecendo e o que estava para acontecer, já era do conhecimento de todo o Israel. E os profetas eram santos homens de Deus porque eram separados para Deus e estavam ao serviço do Senhor. As profecias falando sobre a vinda do Messias estão bem distribuídas nas sagradas escritura como aviso de Deus sobre um novo tempo.

domingo, 26 de janeiro de 2014

Lucas 1:67-68

Lucas 1:67-68 - E Zacarias, seu pai, foi cheio do Espírito Santo, e profetizou, dizendo: Bendito o Senhor Deus de Israel, Porque visitou e remiu o seu povo.
ZACARIAS, SEU PAI. Ele era um sacerdote do turno de Abias, da linhagem e tribo de Levi. Era o esposo de Isabel que também era da linhagem sacerdotal. Zacarias foi aquele que estava no templo em Jerusalém quando lhe apareceu ao lado direito do altar do incenso o anjo Gabriel para como mensageiro de Deus lhe dizer que sua mulher ia dar a luz um filho. A expressão seu pai, diz respeito à citação de que o velho sacerdote era pai de João Batista, o precursor de Cristo. Zacarias veio por um milagre gerar a João Batista, segundo a tradição cristã, com 100 anos de idade.

FOI CHEIO DO ESPÍRITO SANTO. Zacarias foi cheio do Espírito Santo. A partir deste texto temos o cântico de Zacarias, que cheio do Espírito de Deus louvou ao nome do Senhor seu Deus. Assim como Isabel sua mulher e também Maria sua prima, foram cheias do Espírito de gratidão ao Deus de Israel, com Zacarias não poderia ser diferente. Com isso o Senhor Deus estava dando sinais que uma nova dispensação estava para ser inaugurada, como sendo a dispensação do Espírito Santo de Deus. Ele que estava agindo poderosamente para implantar uma nova ordem na terra.

E PROFETIZOU: DIZENDO. Na realidade o que temos a nossa frente no conteúdo do evangelho de Lucas são citações dos salmos e dos profetas, que vaticinavam a respeito da nova aliança de Deus com a humanidade mediante a vinda do Messias de Deus, que é o Emanuel, ou seja, Deus conosco. O que Zacarias passa a citar das profecias messiânicas teve o seu fiel cumprimento no novo pacto de Deus com os homens. Eram promessas outrora faladas, mas que agora começavam a ter cumprimento. Coisas grandes estavam para acontecer na terra.

BENDITO O SENHOR. Essa é uma expressão doxológica de quem realmente está cheio de Deus. Rendendo ao Senhor a divida glória que só a ele pertence. Como também de acordo dom o estilo musical sacro em Israel era uma forma de dar início a um hino de louvor ao Deus verdadeiro, Criador dos céus e da terra. Bendito o Senhor, não se refere a um ídolo nem a uma imagem de escultura, mas é uma referencia direta ao Deus de Israel, que é digno do nosso louvor e adoração.

DEUS DE ISRAEL. O Deus de Israel é aquele que fez um pacto de fidelidade a Abraão, confirmou a Isaque e reafirmou a Jacó. Ele é o Deus de Israel, porque resgatou os descendentes dos patriarcas do Egito, com mão forte e braço estendido, para lhes implantar em Canaã, terra que mana leite e mel, conforme havia prometido a Abraão seu servo. Ele é o Deus de Israel, porque fez nascer uma grande nação do nada para ser o seu governante eternamente. É tanto, que nos começos da nação israelita foi estabelecida a teocracia, onde Deus era o Rei e Governante em Israel.

PORQUE VISITOU E REMIU O SEU POVO. A mais de quatrocentos anos que Deus dava silêncio para o seu povo Israel. Mas agora ele quebrava o silêncio com indicativos de que estava agindo na terra para trazer redenção e salvação. Se o precursor estava chegando era sinal evidente de que o Messias também já estava a caminho. Certamente a virgem Maria havia lhes contado de que estava grávida do Messias.

sábado, 25 de janeiro de 2014

Lucas 1:66

Lucas 1:66 - E todos os que as ouviam as conservavam em seus corações, dizendo: Quem será, pois, este menino? E a mão do Senhor estava com ele.
E TODOS OS QUE AS OUVIRAM. Esta colocação foi feita pelo escritor deste evangelho se referindo ao que tinha citado anteriormente. E veio temor sobre todos os seus vizinhos, e em todas as montanhas da Judéia foram divulgadas todas estas coisas (Lucas 1:65). Era o início prático e não simplesmente profético das boas novas do evangelho de Cristo Jesus. A começar por João Batista que era o precursor do Messias prometido. A chegada do pregador do deserto já despontava na mente dos mais esperançosos de Israel um sinal evidente que Deus estava tratando de implantar uma nova dispensação com a humanidade.

AS CONSERVAVAM. Esta é uma expressão bíblica que se refere à credibilidade que se dar a certos fatos notórios que o desenrolar das intervenções de Deus vão acontecendo. A mais de 400 anos que o silêncio profético do Senhor era o que prevalecia em Israel, com isso, aqueles que eram tementes ao Deus verdadeiro estavam atentos a qualquer sinal religioso que indicasse uma comunicação entre os céus e a terra. Eis a razão porque este fato sobre o nascimento de João Batista e como tudo aconteceu chamava a atenção dos que tomaram conhecimento.

EM SEUS CORAÇÕES. O que estava acontecendo com o sacerdote Zacarias e com sua mulher Isabel, com o nascimento do menino João Batista era algo de significado muito claro que coisas maiores estavam para acontecer em Israel. O povo Judeu estava em uma situação de penúria e ao mesmo tempo de revolta por causa do julgo de Roma. Certamente muitos dos filhos de Israel estavam pedindo ao Senhor Deus dos Hebreus que fizesse alguma coisa no sentido de intervir na história de sofrimento pelo qual eles vinham passando com muita humilhação.

QUEM SERÁ, POIS. Os Judeus eram um povo que realmente acreditavam nas profecias e nas promessas de Deus. Nesta época havia nos mais cheios de esperança a confiança de que Deus enviaria um profeta, um rei e o Messias. O nascimento do menino João, filho de Zacarias e Isabel, gerou uma expectativa de quem seria este homem que acabará de nascer em Israel. Desde então começaram as especulações sobre quem seria o menino João. Até que já no final do seu ministério mandaram uma comissão para saber quem era ele, se seria o Cristo, e ele respondeu: Não sou o Cristo.

ESTE MENINO? Este menino não era o profeta do qual falou Moisés em (Deuteronômio 18:15,18). Não era o rei da descendência de Davi que está escrito em (2 Samuel 7:14-16). Tão pouco ele era o Messias de Deus profetizado por (Isaías 7:14). Este menino era a voz que clama no deserto. Isaías 40:3 - Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do SENHOR; endireitai no ermo vereda ao nosso Deus.

E A MÃO DO SENHOR ESTAVA COM ELE. Deus tinha negócio com a vida de João Batista e isso foi demonstrado desde que ele era ainda menino. É perceptível e não tem como negar quando o Senhor está presente na vida de uma pessoa. Essa graça de Deus na vida dos seus escolhidos é contagiante ao ponto de outras pessoas perceberem. Essa expressão quer dizer que o poder de Deus estava com João.

Lucas 1:64-65

Lucas 1:64-65 - E logo a boca se lhe abriu, e a língua se lhe soltou; e falava, louvando a Deus. E veio temor sobre todos os seus vizinhos, e em todas as montanhas da Judéia foram divulgadas todas estas coisas.
E LOGO A BOCA SE LHE ABRIL. O texto se refere ao sacerdote Zacarias, pai de João Batista e o esposa de Isabel. O fato é que estava ele servindo ao Senhor no templo em Jerusalém, como sacerdote do turno de Abias, que era o oitavo turno (1 Crônicas 24:10). Quando lhe apareceu junto ao altar do incenso um anjo chamado Gabriel o qual lhe comunicou que sua mulher ia dar a luz um filho. Ao que tudo indica Zacarias duvidou do mensageiro de Deus, por conseguinte recebeu uma repreensão, e ficou mudo até este momento. Mas era chegada a hora do fim da sua prova e ele voltou a falar. Porque Deus estava realizando mais um milagre em seu benefício.

E A LÍNGUA SE LHE SOLTOU. Descobrimos neste ponto da narrativa do evangelista Lucas que o problema na fala do sacerdote Zacarias era uma deficiência nas articulações dos músculos da língua. É provável que Zacarias teve uma patologia temporária nas alterações de fala de origem musculoesquelético. Geralmente este tipo de alteração nas alterações da fala decorre dos problemas fonológicos. Com atrofiamento dos músculos que compõe a língua tendo como consequência a perda da fala, seja do tipo permanente ou temporário.

E FALAVA, LOUVANDO A DEUS. É como se o velho sacerdote estivesse com a língua presa, sem poder falar. Todavia, mais um milagre além dos que já haviam acontecido se dava, desta vez na saúde do sacerdote Zacarias. E as suas primeiras palavras foram de louvor ao seu Deus pelos benefícios recebidos. Temos neste ponto do evangelho de Lucas mais uma doxologia em forma de louvor. Certamente o pai de João Batista ficou cheio do Espírito de Deus e em gratidão exaltava ao Senhor seu Deus, motivo maior de tanta felicidade em seu lar.

E VEIO TEMOR SOBRE TODOS OS SEUS VIZINHOS. Este temor expresso pelo escritor deste evangelho não é a mesma coisa que medo. Porem, esse é o temor reverente ao Deus que estava realizado na vida de Izabel e Zacarias tantas coisas maravilhosas. Conforme as tradições cristãs Zacarias já tinha seus 100 anos de Idade, portanto muito difícil de gerar um filho. Já sua mulher Isabel tinha seus 90 anos, além do mais era estéril e não podia gerar uma criança em seu ventre. Por fim, Zacarias estava há quase um ano sem poder falar, mais agora por meio de um milagre voltou a falar.

E EM TODAS AS MONTANHAS DA JUDÉIA. Estes fatos não ficaram modulados somente na circunvizinhança onde moravam Zacarias e Izabel. A repercussão foi tão grande que começou a se espalhar por toda a região montanhosa da Judéia, conhecida como Hebron. E a título de hoje sobre tudo planeta terra. A Judéia dos tempos de Cristo compreende aquela parte da palestina para onde voltaram os filhos de Israel ao regressarem do cativeiro Babilônico.

FORAM DIVULGADAS TODAS ESTAS COISAS. As boas novas que Deus estava realizado se propagavam rapidamente como sinais de que era o tempo da chegada de uma nova dispensação por meio da vinda do Messias de Deus como salvador da humanidade.

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Lucas 1:61-63

Lucas 1:61-63 - E disseram-lhe: Ninguém há na tua parentela que se chame por este nome. E perguntaram por acenos ao pai como queria que lhe chamassem. E, pedindo ele uma tabuinha de escrever, escreveu, dizendo: O seu nome é João. E todos se maravilharam.
E DISSERAM-LHE. NINGUÉM HÁ NA TUA PARENTELA. Quem foi que disse? Certamente os que vieram do templo de Jerusalém para circuncidar o menino. Isso porque o pai da criança era uma pessoa influente no meio religioso de Israel por ser um sacerdote do turno de Abias. Ou quem sabe os vizinhos e conhecidos que estavam presentes na celebração. Eles todos disseram: Ninguém há na tua família com este nome. A interpelação foi feita a Izabel, ela que havia dito que o nome do menino não seria Zacarias, o nome do pai, mas sim, João.

QUE SE CHAMA POR ESTE NOME. É provável que o questionamento feito a Isabel fosse em consequência que nem nisto as mulheres judias tinham apoio em suas opiniões. Os Judeus até a vinda de Cristo sempre foram machistas e descriminavam as mulheres por não lhes darem o devido valor. Um outro aspecto da controvérsia é o de que os nomes das crianças judaicas eram dados em homenagem a algum parente dos antepassados e da mesma linhagem familiar. E ao que tudo indica não havia na família de Zacarias nem de Isabel ninguém com o nome de João.

E PERGUNTARAM POR ACENO AO PAI. Como a opinião da mulher não era bem acolhida principalmente no aspecto religioso. Por uma questão cultural discriminatória. A palavra de Isabel não resolveu a questão. Com isso se dirigiram ao sacerdote Zacarias por aceno, (visto que ele não podia falar porque estava temporariamente mudo) que nome se deveria dar ao menino recém-nascido? O pai sim tinha autoridade para resolver este impasse. Porque é provável que na cerimônia da circuncisão é que se consagrava o nome religioso do menino.

COMO QUERIA QUE LHE CHAMASSEM. A responsabilidade ficou nas mãos do velho sacerdote Zacarias (velho porque segundo as tradições cristãs ele já contava com seus 100 anos de idade) que como pai da criança podia optar ou não em escolher o nome do filho. O que o sacerdote Zacarias não se recusou.

E PEDINDO ELE UMA TABUINHA ESCREVEU DIZENDO: O SEU NOME É JOÃO. Como o sacerdote Zacarias não podia falar, em consequência de que estava como que com a língua pressa até o nascimento e circuncisão do menino João, seu filho, porque duvidou da palavra do anjo Gabriel que foi enviado da parte de Deus para lhe dizer que sua mulher Isabel ia dar a luz um menino. Mesmo assim, Zacarias solicitou uma tabuinha e escreveu nela o nome do seu filho. Ao que tudo indica Zacarias e Isabel já haviam combinado sobre o nome do menino que seria João, “amado de Deus”. Com isso Zacarias dava demonstração de respeito pela opinião de sua esposa Isabel.

E TODOS SE MARAVILHARAM. E todos, os que vieram de Jerusalém da parte do templo para celebrar a cerimônia da circuncisão como também os parentes e os vizinhos de Zacarias e Isabel. Todos se maravilharam de que o nome do menino ficou sendo mesmo o que o casal havia escolhido. Se maravilhar é ficar alegres e felizes.

Lucas 1:59-60

Lucas 1:59-60 - E aconteceu que, ao oitavo dia, vieram circuncidar o menino, e lhe chamavam Zacarias, o nome de seu pai. E, respondendo sua mãe, disse: Não, porém será chamado João.
E ACONTECEU QUE. Estamos diante de um novo assunto narrado pelo médico amado, o Dr. Lucas. E diz respeito ao nascimento de João batista, sua circuncisão e o nome que lhe foi dado. Como o evangelista Lucas era criterioso em dar detalhes sobre os fatos por ele narrados. Até o momento o autor deste tratado se demorou em contar tudo que se deu antes do nascimento de João Batista e Jesus. O profeta João teve na verdade uma importância histórica nos começos do cristianismo ao ponto de Lucas dar início ao seu primeiro tratado (Lucas-Atos) falando sobre o precursor do Messias, João Batista. O que temos a frente é na prática o que já havia sido anunciado.

AO OITAVO DIA. Os Judeus eram pragmáticos e metódicos em guardarem as datas conforme as determinações da legislação mosaica e segundo as tradições dos Hebreus. E quando dizia respeito aos ritos religiosos eram até certo ponto programados a cumprirem todos como se fosse uma coisa sagrada. E os pais faziam questão, muito mais Zacarias que era um sacerdote, de consagrarem seus filhos ao seu Deus. E este oitavo dia depois do nascimento da criança do sexo masculino era fundamental na vida de um recém-nascido. Porque era o momento da circuncisão.

VIERAM CIRCUNCIDAR O MENINO. Não se fala sobre quem veio circuncidar ao menino. Certamente foi alguém do templo de Jerusalém, até porque o pai do menino não era qualquer um, mas era alguém que tinha influencia perante os líderes religiosos de Jerusalém, por ser um religioso da linhagem sacerdotal. A circuncisão fazia parte do pacto Abraâmico e que foi confirmada na lei de Moisés. Todo Israelita deveria ser circuncidado no oitavo dia. Em alguns casos, os gentios que se convertiam ao judaísmo também poderiam ser circuncidados, se assim o quisessem.

E LHE CHAMAVAM ZACARIAS. O costume da época é que os vizinhos às vezes participavam na escolha do nome do menino, em outros casos era o presidente da cerimônia que colocava o nome do menino. Isso quando os pais não queriam opinar. Como o nome de uma pessoa para os Judeus tinha um significado profético sobre o destino e o futuro do recém-nascido, quando havia uma revelação do Senhor sobre o menino os Pais quem davam o nome da criança, como foi no caso de João.

O NOME DE SEU PAI. Na celebração da circuncisão do menino filho de Zacarias e Isabel, os participantes do ritual já estavam chamando o menino pelo nome do Pai que era Zacarias. Havia entre os Judeus uma tradição de se colocar o nome do filho casula o mesmo do pai, quando este já estava idoso, para preservar na lembrança familiar o nome do patriarca, que era considerado o chefe do clã familiar.

E RESPONDENDO SUA MÃE DISSE: NÃO, POREM SERÁ CHAMADO JOÃO. Zacarias o sacerdote estava mudo desde o encontro que teve com o anjo Gabriel, por duvidar da palavra do mensageiro de Deus, portanto, não podia falar. Mas Isabel que podia falar logo replicou e disse: Não, o nome do nosso menino já foi escolhido e será João. O nome João significa “Deus é bondoso”. Foi a bondade de Deus que o fez nascer.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Lucas 1:57-58

Lucas 1:57-58 - E completou-se para Isabel o tempo de dar à luz, e teve um filho. E os seus vizinhos e parentes ouviram que tinha Deus usado para com ela de grande misericórdia, e alegraram-se com ela.
E COMPLETOU-SE PARA ISABEL. Isabel era a mulher de Zacarias o sacerdote da turma de Abias. Ela também era da linhagem sacerdotal, isso quer dizer que era da tribo de Levi de onde saiam todos os sacerdotes de Israel. Era uma mulher justa diante de Deus e que veio a ser a mãe do grande profeta, João Batista. Ela, assim como seu esposo, morava na região montanhosa da Judéia. Era uma mulher estéril que não podia gerar filhos, mas que já na sua velhice veio a ficar grávida e dar a luz um menino mediante um milagre da parte de Deus. Ficou por vários meses oculta dos vizinhos e parentes no primeiro semestre de sua gravidez, certamente com receio de que ninguém acreditasse nela.

O TEMPO DE DAR A LUZ. Era chegado o tempo de o Messias vir a terra. Por isso que Deus enviou antes dele o seu precursor, João Batista. Zacarias o pai de João batista estava ministrando no templo em Jerusalém, quando lhe apareceu o anjo Gabriel para lhe avisar de que sua mulher Isabel ia ter um filho. Voltando Zacarias para casa, sua mulher realmente ficou grávida, mesmo sendo estéril e avançada em idade. Conforme a palavra dita pelo anjo tudo transcorreu dentro de suas normalidades, até que chegou o tempo de Isabel dar a luz um menino.

E TEVE UM FILHO. Naquela época não tinha como hoje os avanços tecnológicos para saber se uma criança era do sexo feminino ou masculino antes do seu nascimento. No entanto, como o anjo havia dito que seria um menino assim foi. Um filho varão veio ao mundo e este era nada mais do que o precursor do Messias de Deus. O seu nascimento já havia sido profetizado pelo profeta Isaías 40:3 - Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do SENHOR; endireitai no ermo vereda a nosso Deus. O filho de Zacarias e de Isabel gerou uma grande expectativa em Israel, ao ponto de pensarem os líderes religiosos de que ele poderia ser o Messias. Mas ele disse que não era o Cristo.

E OS SEUS VIZINHOS E PARENTES OUVIRAM QUE DEUS TINHA USADO PARA COM ELA. Isabel ficara oculta durante a sua gestação e os seus parentes e vizinhos não acreditaram que ela estivesse grávida de uma criança. Certamente pensaram de que a sua barriga crescendo poderia ser um tumor ou algo parecido. Uma vez que ela era estéril e se nunca teve condições de gerar um bebê quando ainda era mais jovem como que agora, depois de avançada em idade poderia ter uma criança? Mas, de repente ouviram falar de que ela tinha tido um filho. Quem sabe ouviram o choro da criança?

DE GRANDE MISERICÓRDIA E ALEGRARAM-SE COM ELA. Realmente o que aconteceu com Isabel foi a grande misericórdia de Deus manifesta. Ela diz: Lucas 1:25 - Assim me fez o Senhor, nos dias em que atentou em mim, para destruir o meu opróbrio entre os homens. Somente um milagre da parte de Deus para que uma mulher estéril e já na idade de Isabel ficasse grávida. O feito foi tão maravilhoso que chamou a atenção de todos os que moravam naquela região. E muitos vieram ver e se alegrar com o milagre.

Lucas 1:56

Lucas 1:56 - E Maria ficou com ela quase três meses, e depois voltou para sua casa.
E MARIA. Não se sabe ao certo o motivo principal pelo qual Maria, esposa de José, tenha ido passar estes dias na casa de Isabel, sua prima. Talvez depois que o anjo havia lhe dito que Isabel também estava grávida, apesar de ser estéril e avançada em idade, quem sabe, sabendo Maria que ela não tinha ninguém que a ajudasse, decidiu ir lá dar uma mãozinha para sua prima? Ou, o mais provável é que ela tenha fugido do ambiente onde morava com seus pais para se esconder dos falatórios dos vizinhos e conhecidos, que sabiam de que ela era virgem. Mas que agora estava grávida e com a barriga crescendo. Maria foi a jovem agraciada para ser a mãe do salvador.

FICOU COM. Pelo que se percebe a chegada de Maria na casa de Isabel e Zacarias não foi uma simples visita. Ela veio mesmo já decidida a ficar por algum tempo com sua prima Isabel. A sua permanência naquela ocasião era muito bem vinda, até porque Isabel não tinha filhas que a ajudasse naquele momento tão difícil. Isabel teve que se ocultar durante os primeiros meses de sua gestão pelo fato de que as pessoas não iriam acreditar que ela estivesse realmente grávida. Porque além de ser estéril era também bastante avançada em idade, a tradição cristã da conta de que ela já tinha seus noventa anos de idade. Ter ficado Maria com ela foi muito importante para compartilhar este momento difícil, porem, muito importante para ela e Zacarias.

ELA. Este pronome diz respeito à Isabel, que era prima de Maria, mulher do sacerdote Zacarias, que veio a ser a mãe de João Batista. Ela que já estava no seu último trimestre de gravidez e que logo mais daria a luz um menino que seria o precursor do Messias de Deus, Jesus Cristo. Ela que esperou a vida toda para ser mãe de uma criança ou mais, porem que pelo fato de ser estéril não pode na sua juventude, mas que agora por meio de um milagre estava tendo o privilégio de conceber e trazer ao mundo um grande profeta, João Batista. Ela que era da linhagem sacerdotal e era conforme nos diz o novo testamento uma mulher justa perante Deus. Ela que teve uma missão importante como progenitora.

QUASE TRÊS MESES. Maria ficou com Isabel quase três meses. Foi o tempo suficiente para que Isabel desse a luz o seu único filho, João Batista. Durante os primeiros cinco meses Isabel se ocultou dos seus vizinhos e conhecidos, e no sexto mês Maria chegou à região montanhosa da Judéia, na casa de Zacarias e Isabel. Mais três meses ou quase três meses depois da chegada de Maria seria justamente o nascimento do menino, João Batista. Certamente Maria quando chegou à casa de Isabel ela já estava com seis meses e alguns dias. Se o parto de Isabel foi normal de nove meses, essa é a cronologia dos fatos.

DEPOIS VOLTOU. Conjecturamos que o escritor deste evangelho usou a palavra “depois” para se referir ao nascimento do menino João Batista, ou seja, depois que o menino nasceu Maria teve a disposição para voltar para a Galiléia onde morava.

PARA SUA CASA. Eis o destino da viagem de volta da jovem Maria. De volta para sua casa. Tinha que enfrentar a tudo e a todos, com a determinação de quem tinha a convicção que estava correta como sendo a mãe do salvador da humanidade.

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Lucas 1:54-55

Lucas 1:54-55 - Auxiliou a Israel seu servo, Recordando-se da sua misericórdia; Como falou a nossos pais, Para com Abraão e a sua posteridade, para sempre.
AUXILIOU A ISRAEL. Esta palavra “auxiliou” vêm no sentido de ajudar e proteger. E a palavra “Israel” diz respeito à nação e não ao nome sobreposto a Jacó, que depois de sua luta com Deus recebeu este nome. Se existe um povo que foi mais ajudado e protegido neste mundo por Deus, se chama Israel. Os Judeus apesar de suas falhas para com o seu Deus, sempre foi e continua sendo o povo especial de Jeová dos Hebreus. É tanto que o salvador do mundo, Jesus Cristo, é um Israelita de puro sangue, da tribo de Judá. E a igreja de Cristo, hoje é o Israel espiritual de Cristo Jesus.

SEU SERVO. Desde a chamada de Abraão, até a vinda do Messias, os Israelitas foram os guardiões dos pactos com o Deus único e verdadeiro. Israel não existia como nação até que o Senhor em cumprimento as promessas feitas a Abraão os tirou do Egito o os implantou na terra de Canaã. A partir de então este povo passou a ser a única nação do mundo a seguir a teocracia, com o governo do Deus único e verdadeiro. Nenhum outro país do planeta terra serviu a Deus como Israel. Só depois da vinda do Messias de Deus é que as coisas mudaram e a teocracia foi implantada na vida individual de todos aqueles que servem ao reino de Deus e de Cristo.

RECORDANDO-SE DA SUA MISERICÓRDIA. Isso porque Deus é cheio de misericórdia. Lamentações 3:22 - As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim. As misericórdias do Senhor são muitíssimas. 1 Crônicas 21:13 - Então disse Davi a Gade: Estou em grande angústia; caia eu, pois, nas mãos do SENHOR, porque são muitíssimas as suas misericórdias; mas que eu não caia nas mãos dos homens. Toda a criação é preservada por causa das misericórdias do nosso Deus. Salmos 145:9 - O SENHOR é bom para todos, e as suas misericórdias são sobre todas as suas obras. Maria não merecia, mais reconhecia de que tudo de bom que estava lhe acontecendo era fruto das misericórdias do seu Deus.

COMO FALOU A NOSSOS PAIS. O Senhor sempre ajudou a Israel, lembrando-se das suas misericórdias que havia falado aos pais. As promessas de Deus a Abraão, Isaque e a Jacó, foi de que sua bondade sempre estaria disponível aos seus descendentes. Inúmeros atos de benevolência da parte do Senhor podem ser vistos na história de Israel, em cumprimento das palavras ditas por Deus aos Pais. Uma delas é que o povo de Israel eram escravos na terra do Egito, mas, o Senhor os tirou de lá e os implantou em Canaã, terra que manam leite e mel. Terra de fartura e bonança.

PARA COM ABRAÃO E A SUA POSTERIDADE, PARA SEMPRE. O relacionamento misericordioso de Deus com o seu povo Israel teve início com o patriarca Abraão, e deu continuidade com Isaque e com Jacó. Gênesis 12:1 - ORA, o SENHOR disse a Abrão: Sai-te da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção. E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra. Até hoje, mesmo sendo estabelecida a nova aliança, mas com Israel permanece a antiga aliança de Deus, porque as sua misericórdias para com Israel são para todo o sempre.

Lucas 1:52-53

Lucas 1:52-53 - Depôs dos tronos os poderosos, E elevou os humildes. Encheu de bens os famintos, E despediu vazios os ricos.
DEPÔS DOS TRONOS. Continua Maria citando de forma adaptada o cântico de Ana, mulher de Elcana. (1 Samuel 2:1-10). Onde nos ensina o texto de que Deus é quem abaixa e quem exalta. Ele permite que os poderosos sejam honrados com posições sociais, mas também quando ele quer ele abaixa o soberbo. Como Rei dos reis e Senhor dos senhores é ele quem coloca no trono, mas também quando ele não se agrada ele tira do trono. A um exalta e a outra abaixa (1 Samuel 2:7). Certamente esta é uma profecia no tocante ao império romano que nesta época estava tendo o domínio sobre os Judeus. O império romano dominou quase que absolutamente sobre o mundo civilizado nos primeiros séculos da era cristã. Porem, aos poucos o império político foi perdendo seu apogeu ao ponto de hoje politicamente falando é apenas como que uma cidade dentro do país da Itália. Os imperadores, reis e governadores do império político de Roma foram depostos.

OS PODEROSOS. Estes poderosos dizem respeito aos reis do império romano que dominavam as nações com mão de ferro. Os chamados imperadores tinham em suas mãos o poder da vida e o poder da morte, no tocante aos seus subordinados. Os governadores províncias eram os soberanos locais que escravizavam os seus vassalos ao seu bel prazer. Eram homens considerados fortes, que submetiam a todos debaixo do seu poder. A título de hoje, eles estão representados nos políticos poderosos e intocáveis, que mesmo sendo corruptos, se safam pala impunidade.

E ELEVOU OS HUMILDES. Com o passar do tempo, as coisas foram sendo invertida. Estes humildes a que se refere o texto dizem respeito aos humilhados pelo império romano. Israel por exemplo que era um povo humilhado pelos romanos, hoje é uma nação respeitada em todo o planeta terra. Enquanto que o império político de Roma nem existe mais. Além de centenas de outros povos que na época de Cristo eram escravos de Roma, hoje são nações independentes e livres.

ENCHEU DE BENS OS FAMINTOS. A vinda do Messias de Deus ao mundo proporcionou mudanças estruturantes em todo o planeta terra. Os seres humanos nunca reconhecem nem entendem os benefícios advindos da reconciliação cósmica realizada pelo Filho de Deus. A obra de redenção feita por Cristo teve resultados não somente espirituais, mais sim, em todos os sentidos. Isso porque as bênçãos de Deus vieram para atingir a todos os quadrantes da terra. A paz estabelecida entre Deus e os homens, com a expiação realizada pelo cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, foi para que o Criador derrame sobre todos, as suas riquezas.

E DESPEDIU VAZIO OS RICOS. 1 Samuel 2:4-8 - O arco dos fortes foi quebrado, e os que tropeçavam foram cingidos de força. Os fartos se alugaram por pão, e cessaram os famintos; O SENHOR empobrece e enriquece; abaixa e também exalta. Levanta o pobre do pó, e desde o monturo exalta o necessitado, para o fazer assentar entre os príncipes, para o fazer herdar o trono de glória; porque do SENHOR são os alicerces da terra, e assentou sobre eles o mundo. Deus é o defensor dos mais fracos.

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Lucas 1:50-51

Lucas 1:50-51 - E a sua misericórdia é de geração em geração Sobre os que o temem. Com o seu braço agiu valorosamente; Dissipou os soberbos no pensamento de seus corações.
A MISERICÓRDIA DO SENHOR. Deus é cheio de misericórdia. Lamentações 3:22 - As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim. As misericórdias do Senhor são muitíssimas. 1 Crônicas 21:13 - Então disse Davi a Gade: Estou em grande angústia; caia eu, pois, nas mãos do SENHOR, porque são muitíssimas as suas misericórdias; mas que eu não caia nas mãos dos homens. Toda a criação é preservada por causa das misericórdias do nosso Deus. Salmos 145:9 - O SENHOR é bom para todos, e as suas misericórdias são sobre todas as suas obras. Maria não merecia, mais reconhecia de que tudo de bom que estava lhe acontecendo era fruto das misericórdias do seu Deus.

É DE GERAÇÃO A GERAÇÃO. As misericórdias do nosso Deus se renovam a cada manhã. Lamentações 3:23 - Novas são a cada manhã; grande é a tua fidelidade. Desde o princípio de todas as coisas que a humanidade vem sendo beneficiada desta misericórdia de Deus que não tem fim. Ela é de geração a geração porque o Senhor não muda, ele é o mesmo de sempre. Sua bondade sempre esteve à disposição das suas criaturas. E a maior demonstração desta sua generosidade foi quando deu o seu Filho unigênito para servir de sacrifício pelos pecadores (Romanos 5:8).

SOBRE OS QUE O TEMEM. Quem é que teme a Deus? São os que guardam os seus mandamentos e todos aqueles que fazem a sua vontade. São os verdadeiros adoradores que adoram ao Pai em espírito e em verdade (João 4:23-24 - Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade. Quem teme a Deus age corretamente em seus procedimentos porque sabe que um dia vai prestar contas de tudo que fez perante o seu Criador. 2 Coríntios 5:10 - Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal.

COM O SEU BRAÇO AGIU VALOROSAMENTE. Quando as escrituras falam sobre o braço de Deus é um ensino alegórico e diz respeito ao seu poder. Refere-se a sua força em execução e os seus atos poderosos. Tudo que Deus quer fazer ele faz. Efésios 3:20 - Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera. Lucas 1:37 – Porque nada é impossível para Deus. Por isso que o salmista disse salmos 126:3 - Grandes coisas fez o SENHOR por nós, pelas quais estamos alegres.

DISSIPOU OS SOBERBOS NO PENSAMENTO E NO CORAÇÃO. O cântico de Maria é uma réplica do cântico de Ana, mulher de Elcana em (1 Samuel 2:10) ela faz uma adaptação do texto para expressar de que Deus é contra os soberbos e os arrogantes. Aqui na terra o próprio Deus deu aos seres humanos o livre arbítrio para agirem como bem entenderem. Mas quando morrerem será bem diferente as coisas. Na vida após a morte biológica o que vai prevalecer é a justiça divina, conforme a obra de cada um.

Lucas 1:48-49

Lucas 1:48-49 - Porque atentou na baixeza de sua serva; Pois eis que desde agora todas as gerações me chamarão bem-aventurada, porque me fez grandes coisas o Poderoso; E santo é seu nome.
PORQUE ATENTOU NA BAIXEZA. A jovem se baseou no cântico de Ana, e fez uma citação livre de 1 Samuel 2:8 - Levanta o pobre do pó, e desde o monturo exalta o necessitado, para o fazer assentar entre os príncipes, para o fazer herdar o trono de glória; porque do SENHOR são os alicerces da terra, e assentou sobre eles o mundo. Neste ponto Maria reconhece seu estado de humildade e de simplicidade perante Deus. E ao que tudo indica ela era também pobre economicamente e socialmente.

DE SUA SERVA. Tendo o privilégio de ser um canal de bênção para a vinda do Messias ao mundo como mãe do salvador. A jovem se colocava ao serviço do Senhor como sua serva para servir de instrumento para o nascimento do Emanuel de Deus. Prontamente se coloca Maria sob a vontade de Deus em cumprir a sua missão de mãe de Jesus de Nazaré. Como serva do Senhor ela não tinha vontade própria, mas se colocava nos planos de Deus em cumprir aquilo que lhe estava designado.

DESDE AGORA TODAS AS GERAÇÕES. Como eram recorrentes as boas novas da chegada do Messias de Deus entre as jovens de Israel. Maria sabia plenamente da importância que era ser a escolhida de Deus como mãe do salvador, Jesus Cristo. Porque a promessa era de que uma virgem conceberia e daria a luz ao Messias (Isaías 7:14) e que por meio deste Cristo Deus esmagaria a cabeça de Satanás (Gênesis 3:15). Conhecendo estas palavras proféticas ela sabia que de agora em diante haveria um reconhecimento que ela estava grávida mesmo sendo virgem.

ME CHAMARÃO DE BEM-AVENTURADA. Por que Maria falou estas palavras? Porque nesta mesma época existiam inúmeras outras virgem em Israel esperando ser a mãe do Messias. Na realidade existia uma expectativa muito grande da vinda do Emanuel de Deus naquele tempo. E muitas jovens de Israel desejavam ser a mãe do Cristo de Deus. Todavia, Maria foi à bem-aventurada, a escolhida, aquela que foi chamada para cumprir este tão importante papel. Ser bem-aventurada quer dizer “ser feliz”

PORQUE ME FEZ GRANDES COISAS. Agora, ela reconhece de que foi Deus quem fez isso em sua vida. Como também fala de sua baixeza ao reconhecer de que não era merecedora desta tão grande graça da parte de Deus. O que seria Maria se não fosse Jesus na sua vida? Ela não seria absolutamente nada. Por isso é que quem merece glória não é Maria, mais sim Jesus que cruzou a sua vida, como seu filho. Em nenhum lugar das escrituras Maria tenta roubar a glória que só pertence a Deus. Os praticantes da Mariolatria é que invertem as coisas há adorando e venerando.

O PODEROSO, E SANTO É O SEU NOME. Maria reconhece de que tudo o que estava acontecendo com ela quem estava executando era o Deus poderoso a quem ela servia. Ela diz que é serva de Deus, confirma de que é o poder de Deus que esta operando em seu favor e por último, que santo mesmo só há um que é o nome do Senhor. Quem adora ou venera a Maria, mãe de Jesus, assim o faz por pura ignorância da verdade, seguindo o paganismo e não o cristianismo.

Lucas 1:46-47

Lucas 1:46-47 - Disse então Maria: A minha alma engrandece ao Senhor. E o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador.
DISSE ENTÃO MARIA. O médico amado dar início a mais uma narrativa do seu evangelho e nesta parte que temos a frente ele fala sobre o cântico de Maria, que é uma citação adaptada do texto de 1 Samuel 2:1-10. A jovem como uma mulher judia que conhecia as mais antigas escrituras se inspira no cântico de Ana, mulher de Elcana para expressar a sua alegria por ser a escolhida de Deus para ser a mãe do salvador. Era visivelmente grande a alegria da jovem em fazer a vontade de Deus e em cumprir um importante papel na história do cristianismo por ser a mulher da qual semente viria a esmagar a cabeça da serpente, conforme (Gênesis 3:15).

A MINHA ALMA. O que significa a palavra alma? A parte não-material e imortal do ser humano (Mateus 10:28), sede da consciência, da razão, dos sentimentos e das emoções (Gênesis 42:21). Os dicotomistas entendem que o ser humano é corpo e alma, sendo espírito sinônimo de alma. Os tricotomistas acreditam que o ser humano é corpo, alma e espírito. A expressão “Alma vivente” quer dizer “ser vivo” (Gênesis 2:7). Na Bíblia muitas vezes a palavra “alma” é empregada em lugar do pronome pessoal: “Livra a minha alma da espada” quer dizer “salva-me da espada” (Salmos 22:20). Outras vezes “alma” em quer dizer “pessoa” em português (Neemias 9:13).

ENGRANDECE AO SENHOR. Com a sua alma Maria engrandece ao seu Deus. Mais uma vez ela reconhece o Senhorio do Deus de Israel. E ela mesma se classifica como serva do Senhor. Ora, se ela diz que é serva e que Deus é que é o Senhor. Por que as pessoas ficam a chamando de nossa senhora? Quem pode provar nas escrituras de que Maria é nossa senhora? Agora “serva” isso sim, ela própria diz que é (Lucas 1:38,48). A frase “minha alma engrandece ao Senhor” é uma expressão de adoração. Maria adorou ao Senhor Deus Criador dos céus e da terra. Deixando o exemplo de que devemos adorar somente ao Deus único e verdadeiro.

E O MEU ESPÍRITO. O espírito do ser humano é a parte não-material, racional e inteligente do ser humano. I Tessalonicenses 5:23 - E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso SENHOR Jesus Cristo. A bíblia fala sobre o Espírito de Deus com letra maiúscula e do espírito do ser humano com letra minúscula. Romanos 8:15-16 - Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai. O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. Com o seu espírito Maria se alegrava em Deus.

ALEGRA-SE EM DEUS MEU SALVADOR. Maria declara que com a sua alma, ou seja, com a sua vida, porque alma quer dizer vida, ela engrandece ao Senhor e com o seu espírito ela se alegra em seu salvador. A maior alegria daquela jovem era em seu salvador. O seu maior prazer era no seu salvador. Seu maior contentamento era em seu salvador. Quem é o salvador de Maria? Ela diz que é Deus. Se Maria precisa de um salvador, como pode ela salvar a alguém? Onde está escrito que Maria é salvadora? Onde está escrito na bíblia que Maria pode salvar alguém?

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Lucas 1:44-45

Lucas 1:44-45 - Pois eis que, ao chegar aos meus ouvidos a voz da tua saudação, a criancinha saltou de alegria no meu ventre. Bem-aventurada a que creu, pois hão de cumprir-se as coisas que da parte do Senhor lhe foram ditas.
AO CHEGAR AOS MEUS OUVIDOS. Até aquele momento Isabel estava se escondendo de todas as pessoas. Os seus vizinhos e conhecidos sabiam que ela era estéril e ainda por cima avançada em idade. E dizer que estava esperando um filho naquelas circunstâncias seria motivo de mangação. Isolada de todas e sem poder ouvir a voz de Zacarias porque ele estava mudo até o nascimento do menino. De repente ela ouve a voz de sua prima Maria lhe cumprimentando.

A VOZ DA TUA SAUDAÇÃO. Não se sabe ao certo que tipo de saudação Maria usou naquele momento ao cumprimentar a sua prima Isabel. Provavelmente foi uma saudação do estilo judaico, tal como: Paz de Deus. Já a saudação adotada pelos cristãos primitivos conforme as cartas de Paulo era: Graça e paz. Nos dias de hoje cada denominação adota o seu próprio tipo de saudação. Enquanto que os não religiosos se cumprimentam com: bom dia, boa tarde, boa noite, tudo bem e etc.

A CRIANCINHA. Ouvindo Isabel a saudação de Maria, ouve uma reação no seu ventre com a criancinha que agora contava com os seus seis meses. Esta criancinha a que se refere o Dr. Lucas diz respeito ao precursor de Cristo Jesus, João Batista. A sua vinda ao mundo havia sido predita pelo profeta Isaías 40:3 - Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do SENHOR; endireitai no ermo vereda a nosso Deus. Ainda não havia nascido, mas o seu destino já estava traçado como aquele que prepararia o caminho para a chegada do salvador da humanidade, Jesus de Nazaré.

SALTOU DE ALEGRIA NO MEU VENTRE. Geralmente as mães só começam a sentir os pequenos movimentos dos seus bebês mais ou menos com seis meses, que era no caso de Isabel que estava no final do segundo trimestre e início do terceiro. Porem, estes movimentos são muito pequenos e sutis. Com Isabel foi diferente, ela sentiu realmente que o menino deu um salto, de alegria. Em termos alegóricos, podemos conjecturar de que aquela era a saudação de João Batista a Jesus de Nazaré.

BEM-AVENTURADA A QUE CREU. Os incrédulos não tem um estado permanente de felicidade, porque quando chegam aos seus limites se desesperam e tomam atitudes radicais que prejudicam aos outros ou a si próprios. Os que acreditam em Deus sabem de que tem a possibilidade de vivenciarem os impossíveis, porque para o nosso Deus nada é impossível. Isabel acreditou que podia ser mãe, mesmo sendo estéril e idosa. Maria acreditou que poderia ser mãe, mesmo sendo virgem e sem conhecer nenhum homem sensualmente falando, apesar de ser desposada com José.

POIS HÃO DE CUMPRIREM-SE AS COISAS QUE DA PARTE DO SENHOR LHE FORAM DITAS. Tudo aquilo que está relacionado às promessas e as palavras ditas por Deus hão de se cumprirem. Deus é fiel em cumprir aquilo que ele promete. A fidelidade de Deus é algo real na vida daqueles que nele esperam. E a sua fidelidade é incondicional, ainda que sejamos infiéis ele permanece fiel, porque não pode negar-se a se mesmo.

domingo, 19 de janeiro de 2014

Lucas 1:42-43

Lucas 1:42-43 - E exclamou com grande voz, e disse: Bendita és tu entre as mulheres, e bendito o fruto do teu ventre. E de onde me provém isto a mim, que venha visitar-me a mãe do meu Senhor?
E CLAMOU COM GRANDE VOZ. Isabel já havia alguns meses sem ouvir quem quer que seja, porque ela estava escondida de todos os seus vizinhos e conhecidos há seis meses, desde que tinha se sentido grávida de João Batista. Seu esposo o sacerdote Zacarias também não falava porque estava mudo, desde que duvidou do anjo de Deus, que Isabel, mesmo estéril e avançada em idade ficaria grávida de um menino. Quando ouviu a voz de Maria, ficou tão alegre que fora cheia do Espírito Santo. E cheia do Espírito de Deus, começou a gritar de alegria e profetizar.

BENDITA ÉS TU. Esta palavra bendita quer dizer bem-aventurada. Isabel se dirigiu a jovem Maria e a chamou de bem-aventurada porque foi à escolhida para ser a mãe de Jesus de Nazaré, o salvador. Isabel expressa um feito de grande alegria, se ela estava feliz em ser a mãe do precursor, imagine ser mãe do Messias que havia de vir ao mundo para salvar a humanidade. Dizia Isabel a Maria, você foi à sortuda de ter sido chamada para cumprir esta tão grande missão.

ENTRE AS MULHERES. Assim como Maria, que era virgem. Existiam inúmeras outras jovens também em Israel esperando ser a mãe do Cristo de Deus. Alguns comentaristas mais antigos conjecturam de que havia uma expectativa tão forte da vinda do Messias nesta época, que muitas virgens de Israel deixaram até de se casarem na esperança de que poderiam ser a mãe do salvador. Porque a promessa era de que uma virgem conceberia e daria a luz o Messias (Isaías 7:14). E dentre estas inúmeras jovens israelitas, Maria foi à bendita escolhida para ser a mãe de Jesus.

BENDITO O FRUTO DO TEU VENTRE. Agora, a verdade verdadeira era que muito mais bendito ou bem-aventurado era o fruto do ventre de Maria. Como Isabel estava cheia do Espírito Santo, e a ela foi revelado que Maria estava grávida do Cristo de Deus. O mesmo Espírito que gerou a Jesus no ventre da jovem Maria de Nazaré era o mesmo Espírito de Deus que fazia Isabel falar que Maria estava gestante do salvador do mundo. Com isso tanto Isabel, como Zacarias ficaram sabendo de que o Messias estava para nascer em Israel. O Emanuel estava para se manifestar na terra.

DE ONDE ME PROVEM ISTO A MIM. Isabel se achou privilegiada de receber a visita inesperada de sua prima Maria. Com estas palavras a idosa mulher do sacerdote se sentia feliz e mais que contente com a chegada de Maria em sua moradia. Ainda mais nestas circunstâncias, em que ela estava grávida de João Batista, o precursor do Messias e sua querida prima Maria, que também estava esperando um filho, que era nada menos do que o próprio Cristo de Deus e salvador da humanidade.

QUE VENHA VISITAR-ME, A MÃE DO MEU SENHOR. Isabel, desde que havia ficado grávida de João Batista, que estava isolada de todos e de tudo. Certamente, se protegendo de ser ridicularizada se dissesse que estava esperando um filho, naquela idade, além de ser estéril. Se antes Maria era bem vinda, agora muito mais. Ela estava se sentindo sozinha e a visita de Maria lhe provocou muita alegria mesmo.

sábado, 18 de janeiro de 2014

Lucas 1:41

Lucas 1:41 - E aconteceu que, ao ouvir Isabel a saudação de Maria, a criancinha saltou no seu ventre; e Isabel foi cheia do Espírito Santo.
E ACONTECEU QUE. Tendo a jovem Maria, ouvido a mensagem do anjo do Senhor em Nazaré da Galiléia, de que seria ela mãe do salvador da humanidade, Cristo Jesus. E que sua prima Isabel, esposa do sacerdote Zacarias também estava grávida, mesmo sendo avançada em idade, além de ser estéril. A jovem não perdeu tempo e foi às pressas visitar Isabel. E chegando a região de Judá foi direto a casa de Zacarias, e entrando ali viu a Isabel e lhe dirigiu uma saudação.

AO OUVIR ISABEL. Até aquele momento Isabel estava se escondendo de todas as pessoas. Os seus vizinhos e conhecidos sabiam de que ela era estéril e ainda por cima avançada em idade. E dizer que estava esperando um filho naquelas circunstâncias seria motivo mangação. Isolada de todas e sem poder ouvir a voz de Zacarias por que ele estava mudo, até o nascimento do menino. De repente ela ouve a voz de sua prima Maria lhe cumprimentando.

A SAUDAÇÃO DE MARIA. Não se sabe ao certo que tipo de saudação Maria usou naquele momento ao cumprimentar a sua prima Isabel. Provavelmente foi uma saudação do estilo judaico, tal como: Paz de Deus. Já a saudação adotada pelos cristãos primitivos conforme as missivas de Paulo, era: Graça e paz. Nos dias de hoje cada denominação adota o seu próprio tipo de saudação. Enquanto que os não religiosos se cumprimentam com bom dia, boa tarde, boa noite, tudo bem e etc.

A CRIANCINHA. Ouvindo Isabel a saudação de Maria, ouve uma reação no seu ventre com a criancinha que agora contava com os seus seis meses. Esta criancinha a que se refere o Dr. Lucas diz respeito ao precursor de Cristo Jesus, João Batista. A sua vinda ao mundo havia sido predita pelo profeta Isaías 40:3 - Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do SENHOR; endireitai no ermo vereda a nosso Deus. Ainda não havia nascido, mas o seu destino já estava traçado como aquele que prepararia o caminho para a chegada do salvador da humanidade, Jesus de Nazaré.

SALTOU NO SEU VENTRE. Geralmente as mães só começam a sentir os pequenos movimentos dos seus bebês mais ou menos com seis meses, que era no caso de Isabel que estava no final do segundo trimestre e início do terceiro. Porem, estes movimentos são muito pequenos e sutis. Com Isabel foi diferente, ela sentiu realmente que o menino deu um salto, quem sabe o primeiro, dentro de seu ventre. Quem sabe até aquele momento Isabel não tinha lá as suas dúvidas se sua barriga não estava crescendo em consequência de um tumor. Todavia, agora, que a criancinha dava seus primeiros sinais de vida, ele se alegrou demasiadamente.

E ISABEL FOI CHEIA DO ESPÍRITO SANTO. Com a saudação de Maria, e com os primeiros movimentos da criança em seu ventre, Isabel foi cheia do Espírito Santo. Certamente começou a glorificar a Deus e profetizar. Louvado seja o nome do Senhor.

Lucas 1:39-40

Lucas 1:39-40 - E, naqueles dias, levantando-se Maria, foi apressada às montanhas, a uma cidade de Judá, E entrou em casa de Zacarias, e saudou a Isabel.
UMA NOVA SECÇÃO DO EVANGELHO DE LUCAS. O evangelista Lucas como era cuidadoso em fazer com detalhes as suas narrativas sobre tudo o que havia acontecido com a vinda do Messias de Deus ao mundo. Neste ponto do conteúdo do seu evangelho trata da visita de Maria a sua prima Isabel, que estava grávida de João Batista, o precursor do Cristo de Deus. Falando o anjo Gabriel a jovem de que sua prima estava grávida, mesmo sendo estéril e além do mais, idosa como era, Maria queria ver de perto esta confirmação, ou seja, este milagre tremendo.

NAQUELES DIAS. Tendo à jovem recebido a visita do mensageiro de Deus de que seria a mãe do salvador. Mesmo sendo virgem, por não conhecer nenhum homem, em termos de sensualidade, apesar de ser desposada com José. Não se demorou a jovem em cuidar dos detalhes de sua viagem para a região onde morava sua prima Isabel. Certamente Maria estava curiosa em ver a Isabel para verificar em loco as informações que fora dada pelo anjo do Senhor de que ela estava gestante.

LEVANTANDO-SE MARIA. Consequentemente, a partir do momento da visita do anjo a casa de Maria em Nazaré da Galiléia, que a jovem ficou ansiosa para encontra com Isabel. Só precisou de uns poucos dias para arrumar as coisas e tomar uma atitude de visitar a casa de Zacarias para compartilhar com Isabel tudo o que estava acontecendo com ela também. Certamente houve o consentimento da parte dos familiares da jovem, como e principalmente de José, seu noivo.

FOI APRESSADA ÀS MONTANHAS. É possível que Maria já contasse com a certeza de que estava grávida. Podemos conjecturar de que ela já havia comunicado o fato a sua família e também a José seu noivo. Era um momento de dar uma fugida do ambiente para escapar da censura dos vizinhos e conhecidos. Por isso que diz o texto que ela foi apressada para a casa do sacerdote Zacarias e de sua prima Isabel. Além do mais, Isabel não tinha filhas e estava precisando de sua ajuda.

A UMA CIDADE DE JUDÁ. O escritor não se preocupou em citar o nome da cidade para a qual Maria tinha viajado. Apenas fala o nome da região onde ficava situada a tal cidade que era na região de Judá. Geograficamente falando diz respeito àquela região ao sul da Palestina ocupada pelas dez tribos de Israel quando se revoltaram sob o comando de Jeroboão I, em 931 a.C. Reino este que durou até o cativeiro Babilônico que se deu em 587 a.C. Esta região também diz respeito a Judéia, localização em que ficaram os filhos de Israel quando voltaram da Babilônia.

E ENTROU EM CASA DE ZACARIAS, E SAUDOU A ISABEL. Chegando a jovem na Judéia foi direto para a casa de Zacarias, o sacerdote. A palavra Zacarias significa “Javé se lembra”. Ele servia no templo de Jerusalém como sacerdote no turno de Abias quando recebeu a incumbência de ser o pai daquele que veio a ser o precursor do Messias. Tendo, pois Maria entrada na casa do sacerdote saudou a Isabel sua prima. O nome Isabel que dizer: aquela que tem uma aliança com Deus. Ela era da descendência sacerdotal e foi à escolhida por Deus para ser a mãe de João Batista.

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Lucas 1:38

Lucas 1:38 - Disse então Maria: Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo ausentou-se dela.
MARIA. A primeira reação do jovem foi um pensamento e uma interrogação duvidosa. Quando o anjo do Senhor Gabriel falou que ela ia conceber e ter um filho, ele replicou com o mensageiro de Deus: Como se fará isso, visto que não conheço homem algum? No primeiro momento o que prevaleceu no coração da jovem foi justamente às impossibilidades humanas. Ela sabia que humanamente falando era impossível isso acontecer visto que ela era uma jovem pura e que ainda não havia coabitado nem mesmo com José que era o seu noivo.

EIS AQUI A SERVA. Todavia, no segundo momento, quando o anjo do Senhor lhe trouxe a memória de que para Deus nada era impossível, agora, ela se coloca a disposição do Senhor seu Deus. Todos que servem a Deus não podem perder isso de vista, a certeza de que aquilo que é impossível para nós é possível para o nosso Deus. Maria se colocou como serva de Deus, principalmente nesta tão abençoada missão de ser a mãe do Messias que havia de vir ao mundo como salvador da humanidade.

DO SENHOR. A jovem se diz serva do Senhor. Ela como qualquer mulher pertencente ao judaísmo não tinha outro Senhor, senão o Deus único e verdadeiro. E como serva de Deus não podia se negar a cumprir aquilo que o Deus verdadeiro lhe determinava, que era ser um instrumento de condução para o nascimento do Emanuel de Deus na terra. A jovem nos deixou um bom exemplo de que devemos servir somente a Deus, naquilo que ele deseja na vida de cada um de nós. Como servos de Deus não devemos servir a mais ninguém senão ao único Deus verdadeiro.

CUMPRA-SE EM MIM. Essa é uma atitude de rendição à vontade de Deus. Como também é uma lição que devemos aprender. Que não seja a nossa vontade, mas a vontade do Senhor Deus Criador dos céus e da terra. Foi para isso que fomos criados e estamos na terra para nos submetermos a tudo aquilo que Deus tem para nossas vidas. Se as pessoas que veneram e adoram a Maria seguissem seu exemplo de submissão ao Senhor Deus de Israel, teríamos mais pessoas servindo a Deus do que os ídolos e as imagens de escultura.

SEGUNDO A TUA PALAVRA. Maria tinha um padrão de fé e obediência ao Senhor seu Deus que era se amparar na palavra de Deus. Quem quiser seguir o exemplo da jovem Maria deve se enquadrar no que ensina a palavra de Deus. O problema é que as pessoas ditas religiosas seguem as bulas, os manuscritos dos concílios e as tradições dos líderes religiosos e não o que está escrito na palavra de Deus. Jesus falou: errais, por não conhecerem as escrituras, nem o poder de Deus. Maria foi à escolhida para ser a mãe do salvador porque guardava a palavra de Deus.

O ANJO AUSENTOU-SE DELA. Este é o anjo Gabriel. Conforme os comentaristas cristãos ele é considerado o anjo mensageiro das boas novas da nova aliança de Deus com a humanidade. Já de acordo com as tradições judaicas ele é o anjo guardiã dos tesouros sagrados. Serve diretamente diante do trono de Deus (Apocalipse 1:4) Tendo entregado a mensagem a jovem, o anjo ausentou-se dela.

Lucas 1:36-37

Lucas 1:36-37 - E eis que também Isabel, tua prima, concebeu um filho em sua velhice; e é este o sexto mês para aquela que era chamada estéril; Porque para Deus nada é impossível.
E EIS QUE TAMBÉM ISABEL. Tendo anunciado a Maria de que ela seria mãe, mesmo sem conhecer sexualmente a nenhum homem, mas por meio de um milagre do Espírito de Deus. Fez lembra o caso de Izabel, que além de ser avançada em idade, também e principalmente era estéril, mas que estava por obra e graça de Deus esperando um menino. O nome Izabel significa, “Deus é a minha aliança”. Ela que veio a ser a mãe de João Batista, era esposa do sacerdote Zacarias. Pertencia a linhagem sacerdotal e era uma mulher justa diante de Deus.

TUA PRIMA. Isabel era da família de Maria, Algumas versões bíblicas afirmam apenas que elas eram parentas. Izabel morava nas regiões montanhosas da Judéia em uma das cidades de Judá (Lucas 1:39). Enquanto que Maria morava na Galiléia, mais precisamente na cidade de Nazaré (Lucas 1:26). A declaração feita de que Maria era prima de Isabel, nos leva a crer que Jesus era parente de João Batista. Talvez por viverem em lugares diferentes, eles não se conheciam bem.

CONCEBEU UM FILHO. A gravidez de Isabel não era mais um desejo nem uma esperança apenas, era uma realidade. Ela realmente estava com seis meses de gestação. Este filho a que se refere o escritor diz respeito a João Batista, o precursor do Messias de Deus. Ele que foi o primeiro porta voz da nova aliança de Deus com a humanidade por meio do Filho de Deus, Jesus Cristo. Ele era a voz que clamava no deserto, anunciado de que o Emanuel, Deus conosco, já estava entre o povo.

EM SUA VELHICE. O nobre casal, Zacarias e Isabel já eram avançados em idade. Isabel também era uma mulher estéril que não podia ter filhos. Além do mais era uma mulher idosa, há que diga que ela quando engravidou de João Batista já tinha 90 anos de idade, enquanto que Zacarias já tinha 100 anos. Portanto, mesmo nos dias de hoje, a medicina resolve alguns problemas de esterilidade, porem, uma mulher com 90 anos gerar um filho, somente um milagre da parte de Deus.

E É ESTE O SEXTO MÊS PARA AQUELA QUE ERA CHAMADA ESTÉRIL. Já havia seis meses de gestação daquela que era chamada estéril. Na verdade este é um dos principais motivos porque Zacarias e Isabel não tinham filhos. E descobrimos nesta frase: “Isabel era estéril”. Uma mulher ou um homem acometido da deficiência de esterilidade não tinha nesta época condições de gerar um filho. Nos dias de hoje, pelo avanço da medicina, há alguns casos reversíveis. Como também existem casos de esterilidade temporária e casos permanentes e irreversíveis.

PORQUE PARA DEUS NADA É IMPOSSÍVEL. Este é um dos textos mais conhecidos da bíblia, até mesmo por pessoas não ditas religiosas. E em seu conteúdo expressa uma das grandes verdades sobre o Criador. Para Deus, fazer uma mulher estéril e já velha dar a luz um filho, ou fazer com que uma virgem seja mãe de uma criança, para Deus isso não é nada, comparado ao que ele é capaz de realizar. O Senhor faz muito mais do que pensamos ou pedimos (Efésios 3:20). Deus é o Todo-poderoso.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Lucas 1:34-35

Lucas 1:34-35 - E disse Maria ao anjo: Como se fará isto, visto que não conheço homem algum? E, respondendo o anjo, disse-lhe: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus.
MARIA FALA COM O ANJO. Até este momento Maria permanecia calada e assombrada por estar diante de um anjo de Deus, ela se encontrava completamente emocionada. Certamente temendo que alguma coisa estivesse para acontecer. Em silêncio somente ouvindo a mensagem do enviado de Deus. E Gabriel cuidava em passar a sua mensagem a jovem. Terminando o anjo de transmitir a sua mensagem a jovem faz a sua primeira interlocução. E se comunica com o anjo do Senhor.

COMO SE FARÁ ISTO? Isto a que se refere a jovem diz respeito ao anuncio que o anjo havia lhe passado. Lucas 1:30-33 - Disse-lhe, então, o anjo: Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus. E eis que em teu ventre conceberás e darás à luz um filho, e pôr-lhe-ás o nome de Jesus. Este será grande, e será chamado filho do Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai; E reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu reino não terá fim. A jovem estava curiosa para saber como se daria este milagre. Porque para isso acontecer somente por meio de um prodígio.

VISTO QUE NÃO CONHEÇO HOMEM ALGUM. A jovem era uma virgem que ainda não havia tido nenhum tido de relação sexual com homem algum. Na realidade ela tinha um noivo chamado José, porem, ainda estavam apenas se conhecendo. Talvez ela não se lembrasse da promessa de que o Messias nasceria justamente de uma virgem. Conforme Isaías 7:14 - Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel.

DESCERÁ SOBRE TI O ESPÍRITO SANTO E A VIRTUDE DO ALTÍSSIMO TE COBRIRÁ. Eis a resposta do anjo a jovem: Esta não será obra de um homem, mas será um grande feito do Deus de Israel. Virá sobre ti não um homem, nem mesmo o seu noivo com quem estas desposadas. Todavia, descerá sobre ti o Espírito Santo. Dizia Gabriel a Maria: Quando se refere à virtude do altíssimo, isso nos fala do poder de Deus sendo manifesto na vida daquela jovem para que dela nascesse o Messias tão esperado por todo o povo de Israel. Cristo Jesus foi gerado pelo poder de Deus.

O SANTO QUE DE TI HÁ DE NASCER. Até os próprios demônios reconheceram que Jesus de Nazaré era o “santo” Filho de Deus. Marcos 1:24 - Dizendo: Ah! Que temos contigo, Jesus Nazareno? Vieste destruir-nos? Bem sei quem és: o Santo de Deus. Os líderes da igreja primitiva testemunhavam de que Jesus era o santo Filho de Deus. Atos 4:27 - Porque verdadeiramente contra o teu santo Filho Jesus, que tu ungiste, se ajuntaram, não só Herodes, mas Pôncio Pilatos, com os gentios e os povos de Israel.

SERÁ CHAMADO FILHO DE DEUS. Jesus é Filho de Deus. Já nas profecias Messiânicas classificava o Cristo como Filho de Deus. E a forma como ele foi gerado no ventre de sua mãe comprova isto. Ele foi gerado pelo Espírito do Senhor. José foi o pai adotivo de Jesus, todavia o Pai verdadeiro de Cristo Jesus é o próprio Deus Todo-poderoso. Jesus Cristo é o Emanuel, que traduzido é: Deus conosco.

Lucas 1:32-33

Lucas 1:32-33 - Este será grande, e será chamado filho do Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai; E reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu reino não terá fim.
ESTE SERÁ GRANDE. Este Jesus será grande, dizia o anjo Gabriel à mãe do menino que havia de nascer. Já existia esta profecia a respeito do Messias de Deus. Isaías 9:6 - Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. A grandeza de Cristo foi demonstrada durante toda a sua vida, pelo que falou e pelo que fez pela humanidade. Seus atos poderosos foi a mais perfeita manifestação do seu poder, jamais superado por qualquer outro.

E SERÁ CHAMADO FILHO DO ALTÍSSIMO. Até porque ele foi gerado, não por José seu pai adotivo, mas pelo Espírito de Deus. Mateus 1:19-20 - Então José, seu marido, como era justo, e a não queria infamar, intentou deixá-la secretamente. E, projetando ele isto, eis que em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber a Maria, tua mulher, porque o que nela está gerado é do Espírito Santo. O próprio Deus declara que Jesus é seu filho. Marcos 1:11 - E ouviu-se uma voz dos céus, que dizia: Tu és o meu Filho amado em quem me comprazo. E como Filho de Deus, gerado pelo Espírito do Senhor ele é o unigênito Filho de Deus (João 3:16).

E O SENHOR DEUS. Cristo foi enviado por Deus (Isaías 6:8). É o ungido de Deus (Atos 10:38). Portanto, tudo que Jesus realizou na terra teve a aprovação do Deus soberano. Foi Deus o pai quem o encheu de poder e autoridade (Mateus 28:18). É tanto que nele habitava corporalmente toda a plenitude da divindade (Colossenses 2:9). Foi o Deus Todo-poderoso que o exaltou. Filipenses 2:9 - Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome.

LHE DARÁ O TRONO DE DAVI, SEU PAI. Cristo era da descendência de Davi segundo a carne. E a bíblia está cheia de referências a este respeito. Mateus 1:1 - Jesus Cristo, filho de Davi. Mateus 12:23 - E toda a multidão se admirava e dizia: Não é este o Filho de Davi? Mateus 15:22 - E eis que uma mulher Cananéia, que saíra daquelas cercanias, clamou, dizendo: Senhor, Filho de Davi, tem misericórdia de mim, que minha filha está miseravelmente endemoninhada. Mateus 21:9 - E a multidão que ia adiante, e a que seguia, clamava, dizendo: Hosana ao Filho de Davi; bendito o que vem em nome do Senhor. Hosana nas alturas! Como é que Jesus poderia ser o filho de Davi se Davi viveu cerca de 1000 anos antes de Jesus? A resposta é que Cristo (o Messias) foi o cumprimento da profecia da descendência de Davi (2 Samuel 7:14-16). Jesus era o Messias prometido, o que significa que Ele era da descendência de Davi.

E REINARÁ ETERNAMENTE NA CASA DE JACÓ E O SEU REINO NÃO TERÁ FIM. Isaias 9:7 - Do aumento deste principado e da paz não haverá fim, sobre o trono de Davi e no seu reino, para firmá-lo e o fortificar com juízo e com justiça, desde agora e para sempre; o zelo do SENHOR dos Exércitos fará isto. Daniel 7:14 - E foi-lhe dado o domínio, e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será destruído. O reino de Cristo será sempiterno, porque ele é Rei dos reis.

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Lucas 1:30-31

Lucas 1:30-31 - Disse-lhe, então, o anjo: Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus. E eis que em teu ventre conceberás e darás à luz um filho, e pôr-lhe-ás o nome de Jesus.
DISSE-LHE, ENTÃO, O ANJO. Este é o anjo do Senhor que tem por nome Gabriel. Também conhecido como anjo mensageiro de Deus, por ser o porta voz da nova aliança de Deus com a humanidade por meio de Cristo. Ele é um dos sete anjos que assiste diretamente diante do trono de Deus (Apocalipse 1:4). Primeiro foi enviado por Deus a Izabel para anunciar o nascimento de João Batista e agora estava em Nazaré para falar com Maria de que ela seria a mãe do salvador. Os anjos de Deus estão a serviço do Senhor de do reino de Cristo, como também a serviço dos que hão de herdar a salvação (Hebreus 1:17). Existem também os anjos das trevas, chamados de demônios.

MARIA, NÃO TEMAS. Percebendo o anjo Gabriel que a jovem havia ficado por demais assustada e nervosa com sua presença e com aquela visão real, o anjo do Senhor logo cuidou em confortar o seu coração com estas palavras, “não temas”. Primeiro o anjo lhe havia dito de que “Deus era com ela” e agora, mais uma vez ele usa de palavras doces e meigas “não temas”. Nada mais confortante do que em meio a um momento de espanto se ouvir estas boas palavras, ainda mais vindas da parte de um mensageiro de Deus. E porque não dizer, do próprio Deus?

PORQUE ACHASTES GRAÇA. Esta é uma expressão religiosa em que destaca a pessoa agraciada das demais. Nesta mesma época existiam milhares de outras virgens em Israel esperando ser a mãe do salvador. Uma vez que já havia a expectativa de que Deus estava interferindo na história da humanidade por meio do seu ungido, o Cristo. Na realidade, o fato de Maria ser a escolhida para esta tão importante missão de ser a mãe do Messias, humanamente falando era algo de grande valor.

DIANTE DE DEUS. Olhando o Senhor do seu trono, atentou para aquela jovem, que era desposada com um varão, chamado José, que era da casa de Davi. A palavra “graça” quer dizer um favor não merecido. Não é que Maria fosse melhor do que outras virgens de Israel, alguém tinha que ser a escolhida, conforme (Gênesis 3:15) e tinha que ser uma virgem de entre as jovens de Israel (Isaías 7:14).

EM TEU VENTRE CONCEBERÁS. Este é o cumprimento da promessa feita por Deus sobre a vinda do Messias que nos escreveu o profeta messiânico Isaias 7:14 - Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel. Um dos sinais de que o Senhor estaria implantando uma nova dispensação seria este de uma virgem conceber em seu ventre sem a intervenção de uma relação sexual com um varão. Um milagre mesmo.

E DARÁS A LUZ UM FILHO, E POR-LHE-ÁS O NOME DE JESUS. Além de ficar grávida por meio de um milagre do Espírito Santo, ela ia dar a luz a um filho. Quando a raça humana se afastou da presença de Deus lá no Jardim do Éden, o Senhor prometeu que da semente da mulher providenciaria a redenção Genesis 3:15 - E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar. "Jesus" quer dizer salvador dos pecadores (Mateus 1:21).