Pesquisar este blog

domingo, 23 de outubro de 2016

Efésios 1:10

Efésios 1:10 - De tornar a congregar em Cristo todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra.
DE TORNAR A CONGREGAR. O que se percebe nesta declaração forense de Paulo é que na época em que Deus agiu enviado o Messias, na ótica divina, o que se via era o caos universal da criação inteira. Tornar a congregar é uma afirmativa de que todas as coisas estavam desordenadas no cosmo. Ou Deus agia com justiça e com peso de ira total contra sua criação ou redimia a mesma, por meio de uma intervenção misericordiosa, o que fez, por meio da vinda do Emanuel, o Cristo de Deus.

EM CRISTO. O grande projeto surgiu no coração de Deus e o empreendimento devia ser colocado em ação imediatamente. No entanto, Deus usou o executor deste grande projeto que foi o seu Filho Jesus. A proeminente missão do Messias era de apaziguar o impasse e produzir a reconciliação entre o Criador e a criação por inteira. O ser humano por mais espiritual que seja não tem a capacidade de visualizar a plenitude dos benefícios da vinda do Cristo a terra. É algo além da capacidade humana.

TODAS AS COISAS. Nesta frase se percebe a dimensão do alcance da redenção cósmica realizada pelo Filho de Deus. Quando se refere a todas as coisas é que o universo por completo e em todas as esferas se encontrava em decadência e degeneração. Olha que temos uma mente um tanto fértil no tocante a compreensão do evangelho das boas novas, mas chega uma hora desta que ficamos como que tateando, por não saber descrever aquilo que conseguimos enxergar na visão espiritual, do assunto profundo em que envolve essa declaração de Paulo.

NA DISPENSAÇÃO. Quanto ao assunto em pauta, os comentaristas bíblicos se dividem em dois grupos. Os que defendem a teologia dos pactos e do outro lado existem os que falam sobre a teologia das dispensações. Quanto aos dispensacionalistas eles falam sobre algumas dispensações, tais quais: Da criação ao dilúvio, do dilúvio a Moisés, de Moisés aos profetas, dos profetas a Cristo, dispensação da graça, dispensação do milênio e por fim dispensação eterna.

DA PLENITUDE DOS TEMPOS. Esta dispensação da plenitude dos tempos representa o agir de Deus em um determinado tempo na cronologia divina. E o pensamento do escritor focaliza a dispensação da graça em que Deus estava agindo por meio de Cristo para reconciliar consigo mesmo todas as coisas. Essa dispensação também conhecida como tempo favorável, em que Cristo promoveu a paz do cosmo com Deus pelo sacrifício de si mesmo. Melhorando infinitamente o aceso a Deus.

TANTO AS QUE ESTÃO NOS CÉUS COMO AS QUE ESTÃO NA TERRA. Veja-se que a palavra está no plural “céus” se referindo aos vários níveis de céus, que conforme a crença dos hebreus eles dividiam em sete. Quanto a terra se trata da menor porção do universo cósmico. Mas foi aonde Cristo veio implantar esta dispensação da graça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário