Pesquisar este blog

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Apocalipse 1:9

Apocalipse 1:9 - Eu, João, que também sou vosso irmão, e companheiro na aflição, e no reino, e paciência de Jesus Cristo, estava na ilha chamada Patmos, por causa da palavra de Deus, e pelo testemunho de Jesus Cristo.
EU, JOÃO, QUE TAMBÉM SOU VOSSO IRMÃO. O apóstolo faz questão de se identificar para os seus leitores como sendo alguém que também fazia parte da família de Deus na terra, que é a igreja, como irmão daqueles para quem estava escrevendo seu livro profético. Neste mesmo livro, João também se identifica como alguém que era servo de Jesus Cristo. Este João, que escreveu o livro das revelações, chamado de Apocalipse é o apóstolo João que também é o autor do evangelho segundo João, além das três epístolas pastorais. Ele é o apóstolo do amor, que tinha grande comunhão com Cristo.

E COMPANHEIRO NA AFLIÇÃO. Como apóstolo de Jesus de Nazaré, acompanhou todas as perseguições que o Cristo de Deus teve que enfrentar. Participou pessoalmente dos muitos momentos de aflições e tribulações que o Cordeiro de Deus teve que suportar para servir de sacrifício de redenção pela sua igreja. Como fazia parte do grupo dos doze, ele teve que passar por duras perseguições tanto dos Judeus, quanto do império romano, que depois de matarem a Cristo, procuravam destruir o cristianismo. João tinha pleno conhecimento das aflições que a igreja de Cristo vinha enfrentando para sobreviver em meio a tantas perseguições e aflições.

E NO REINO, E PACIÊNCIA DE JESUS CRISTO. Mas também, o apóstolo carregava consigo a esperança de que fazia parte do reino de Deus e de Cristo, por isso que tinha a confiança de ser na eternidade participante do governo do Senhor Jesus. Reino de Cristo este, que ele conquistou a duras penas, e com muita paciência e perseverança Deus o fez Senhor e Cristo. Jesus, como Filho de Deus e príncipe, não precisava passar por tudo que teve que enfrentar. Mas, como um guerreiro do reino de Deus, desejava ser merecedor do reino e do domínio que passou a governar.

ESTAVA NA ILHA DE PATMOS. Nesta época, Patmos era um conjunto de ilhas vulcânicas do mar Egeu, ao sudoeste de Samos, ao sul de Mileto. Atualmente também é chamada de palmosa e fica cerca de oitenta quilômetros de Éfeso. Essa ilha tem dezesseis quilômetros de comprimento e dez de largura. É uma ilha totalmente estéril e rochosa em quase sua totalidade. No tempo do imperador Domiciano essa ilha era usada no confinamento de presos do Estado romano. Não somente o apóstolo João, mas também muitos cristão ficaram presos em Patmos.

POR CAUSA DA PALAVRA DE DEUS. O apóstolo João, bem como os demais do grupo dos dozes e também os pregadores itinerantes do evangelho neste mesmo período viviam em torno da propagação das boas novas do reino de Deus e de Cristo. E por conta disto, eram perseguidos, presos e mortos por causa da palavra de Deus e do evangelho que pregavam. João estava preso em Patmos por causa de suas pregações.

E DO TESTEMUNHO DE JESUS CRISTO. Os Judeus juntamente com o império romano e os pecadores mataram a Jesus de Nazaré por não aceitarem de que ele era o Messias de Deus. Mas, nem por isso, os pregadores do evangelho deixaram de anunciarem e provarem pelas escrituras e pela vida de Jesus, que ele era o Emanuel de Deus.

Apocalipse 1:8

Apocalipse 1:8 - Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim, diz o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso.
EU SOU. Esta é uma afirmativa diretiva ao Deus único e verdadeiro, Criador de todas as coisas, mas que também pode ser atribuída a Cristo Jesus, o Filho de Deus. Quando Deus chamou a Moisés para tirar os filhos de Israel do Egito, Moisés disse ao Senhor: Êxodo 3:13-14 - Então disse Moisés a Deus: Eis que quando eu for aos filhos de Israel, e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós; e eles me disserem: Qual é o seu nome? Que lhes direi? E disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós. O ser humano, comparado a Deus não é nada, mas o Senhor é tudo em todos, hoje e sempre.

O ALFA E O ÔMEGA. O alfa é a primeira letra do alfabeto grego e fala sobre o princípio da sabedoria e do conhecimento. Em se tratando de Deus como Alfa, o evangelho nos ensina de que o Senhor é a fonte primária de todas as coisas, e que neles mesmo não dependeu de ninguém, porque ele é alto-existente e existe por si mesma. Já o Ômega é a última letra do alfabeto grego e descreve que todas as coisas desta vida dependem da sabedoria e do conhecimento. Mas, em se tratando de Deus como ômega, o evangelho nos transmite a lição que todas as coisas que existem ou possa existir termina em Deus, porque dele é a última palavra em todas as coisas.

O PRINCÍPIO E O FIM. Com isto concorda Isaías 44:6 - Assim diz o SENHOR, Rei de Israel, e seu Redentor, o SENHOR dos Exércitos: Eu sou o primeiro, e eu sou o último, e fora de mim não há Deus. Quando se diz que Deus é o princípio é que nele todas as coisas tem sua origem. Nada do que existe tem em si mesmo a sua fonte originária, porque tudo provem de Deus. E quando se diz que Deus é o fim é que o livro do Apocalipse é um livro profético, com temas escatológicos para os tempos do fim, com isso, aprendemos que o Senhor estará participando ativamente dos últimos eventos, da história da humanidade na terra e efetuando o último capítulo desta dispensação.

DIZ O SENHOR. Deus é o Senhor absoluto em todos os aspectos e atributos. Ele tem o domínio completo em todas as esferas da existência dos mundos e do cosmo. O seu governo é de ponta a ponto em todo o universo e nada foge do controle de suas ações. O ser humano por mais influente que possa parecer que é diante do nosso Deus é nada e não passa de nada. Porque o poder do homem é limitado no tempo e no espaço, porem o poder de Deus é ilimitado e eterno, no passado e no futuro. A autoridade máxima esta nas mãos do Deus majestoso Criador dos céus e da terra.

QUE É, QUE ERA, E QUE HÁ DE VIR. Os homens a quem se atribuem autoridade e poder transitório teve início no seu nascimento e terá o seu fim quando vestir o palito de madeira e descer a sepultura. No entanto, o Deus único e verdadeiro é agora no presente, sempre foi na eternidade passada e nunca deixará de existir.

O TODO-PODEROSO. Quando as sagradas escrituras afirmam de que Deus é o Todo-poderoso é que o seu poder não tem limites nem fim. Ele tem todo poder e força nos céus e na terra. E por meio do seu poder é que ele governa e domina todo o cosmo.

Apocalipse 1:7

Apocalipse 1:7 - Eis que vem com as nuvens, e todo o olho o verá, até os mesmos que o traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Sim. Amém.
EIS QUE VEM. O Messias de Deus se manifestou na terra como sendo o Emanuel, ou seja, Deus entre os homens, e cumpriu com sucesso absoluto a sua missão redentora para salvar os pecadores. Depois de sua ressurreição houve a sua ascensão para se assentar a Destra da majestade celestial, mas prometeu que voltara em duas etapas futuras a terra. A primeira para arrebatar para si mesmo a sua igreja que ele comprou com o seu sacrifício de amor e a segunda para estabelecer o seu reino de mil anos sobre a terra. É justamente sobre esta segunda etapa de vinda de Cristo que o autor se reporta nesta referência bíblia. Com isto concorda o restante da mensagem deste mesmo texto exposto pelo vidente João escritor do Apocalipse.

COM AS NUVENS. Na sua ascensão para estar à destra de Deus nas maiores alturas também foi visto este evento com a participação deste fenômeno natural, a presença de nuvens (Atos 1:9-11). Na primeira etapa de sua vinda para arrebatar os remidos não será diferente. Já na segunda etapa de sua vinda, estas nuvens (além das nuvens atmosféricas) tem um sentido figurado para representar os milhares de anjos que estarão acompanhando o Rei dos reis e Senhor dos senhores na sua volta triunfal a terra para batalhar pelo seu povo. Como também esta nuvem nos fala dos salvos que também voltarão a terra para participarem do governo de Cristo. De forma que nesta etapa da vinda de Cristo milhares participarão deste evento glorioso.

E TODO OLHO O VERÁ. Na vinda do Messias prometido por Deus poucos tiveram o privilégio de contempla-lo com os seus olhos, até porque ele concentrou suas atividades em Israel. Já na sua vinda para arrebatar a sua igreja da terra, a maioria dos comentaristas bíblicos concordam de que somente os que forem dignos de participarem do arrebatamento é que poderão ver o Filho de Deus vindo sobre as nuvens dos céus. Mas, na segunda etapa de sua vinda para reinar sobre a terra, todas as pessoas que estiverem sobre a terra hão de contemplar a volta do Leão da Tribo de Judá, até porque ele virá para estabelecer seu reino milenial sobre Jerusalém e de lá reinará com a sua igreja sobre todo o planeta terra. Todo honra e glória ao Rei Jesus.

ATÉ MESMO OS QUE O TRANSPASSARAM. Principalmente o Israel de Deus verá a volta gloriosa do Filho de Davi vindo para ajudá-lo. Os Judeus que rejeitaram o seu Messias foram cordatos nesta dispensação dos privilégios que desfrutavam com o seu Deus para que Cristo estabelecesse a nova aliança da graça. Mas, este mesmo Israel voltara a ter novamente plena comunhão com o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus durante o reinado de Cristo na terra. Por ignorância e incredulidade crucificaram o seu Messias, mas no futuro e durante o período do governo milenial de Cristo sobre a terra, eles reconhecerão que aquele mesmo Jesus de Nazaré que crucificaram na cruz do Calvário, era de fato o Messias de Deus e Emanuel.

E TODA TRIBO DA TERRA SE LAMENTARÃO SOBRE ELE. SIM. AMÉM. Com a exaltação de Israel como nação, os demais povos da terra serão castigados, porque durante a grande tribulação as demais nações do mundo se renderão aos enganos do anti-cristo e farão batalha contra o povo de Deus. Mas Cristo virá para defender a Israel.

Apocalipse 1:6

Apocalipse 1:6 - E nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai; a ele glória e poder para todo o sempre. Amém.
E NOS FEZ. Tudo que somos ou venhamos a ser devemos a Cristo Jesus, pelo seu grande amor com que nos amou e nos resgatou para si mesmo. Com relação às coisas da terra e a esta vida, o homem pode adquirir pela sabedoria e inteligência que o Criador lhe proporcionou muita coisa. Mas, com respeito às coisas do reino de Deus, o homem não tem nada, porque tudo provem de Cristo em nossas vidas. Todo aquele que exerce algum ministério no reino de Cristo não é pela sua capacidade pessoal, mas sim, pelos dons que o Espírito Santo desenvolve na vida de cada um para o que for útil. É Cristo que nos faz ser alguma coisa e que faz tudo por nós.

REIS. No tocante as coisas do reino de Deus e a igreja de Cristo, somos participantes do governo do Senhor Jesus na terra. Antes mesmo da vinda do Messias para implantar o reino de Deus na vida das pessoas, já havia a promessa da participação dos remidos no reino de Cristo. Daniel 7:27 - E o reino, e o domínio, e a majestade dos reinos debaixo de todo o céu serão dados ao povo dos santos do Altíssimo; o seu reino será um reino eterno, e todos os domínios o servirão, e lhe obedecerão. Principalmente no reino milenial de Cristo na terra, estaremos reinando com ele e na eternidade também.

E SACERDOTES. Este sacerdote a que se refere o autor do Apocalipse não diz respeito a figura de um líder religioso que se tem interpretado por interesses excursos. Mas, diz respeito ao serviço prestado ao reino de Deus por todos aqueles que se engajam em de alguma forma representar o reino de Cristo na terra. Na atual dispensação só há um sacerdote eterno segundo a ordem de Melquizedeque, que é Jesus Cristo, o Filho de Deus. Todos os demais são sacerdotes no sentido de prestadores de serviços voluntários e por amor ao reino do Senhor Jesus. Neste sentido, todos são sacerdotes.

PARA DEUS E SEU PAI. Na legislação mosaica estabelecia uma linhagem sacerdotal a partir da tribo de Levi e todos que ocupassem esta posição tinham que ser desta mesma clã familiar. Assim como também, os reis da monarquia israelita deveriam serem da tribo de Judá. Com a implantação feita por Cristo de uma nova ordem para a humanidade tudo mudou e agora todos podem participar do reino de Deus como reis e sacerdotes do reino espiritual do Cristo de Deus, a quem pertence o poder.

A ELE GLÓRIA E PODER. A Cristo é que devemos tributar toda glória e poder. A mente limitada dos seres humanos por mais iluminada que possa ser não tem como reconhecer e calcular o valor de Cristo em trazer infinitos benefícios a sua igreja que ele resgatou com o seu sacrifício de amor. Com sofrimentos imensuráveis o Cristo de Deus teve que suportar a humilhação por meio da qual foi exaltado soberanamente por Deus Pai. E tendo sido exaltado por Deus recebeu todo poder no céu e na terra. Ao assentar a destra de Deus Pai nas maiores alturas Cristo foi coroado de glória e poder.

PARA TODO O SEMPRE. AMÉM. O homem por mais elevado que seja na sociedade, a sua glória é passageira e o seu poder limitado, porque mais cedo ou mais tarde há de passar. Mas o Cristo de Deus tem um domínio eterno e o seu poder jamais há de passar. Sua posição de proeminência perante toda a criação é para todo o sempre.

Apocalipse 1:5

Apocalipse 1:5 - E da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dentre os mortos e o príncipe dos reis da terra. Àquele que nos amou, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados.
E DA PARTE DE JESUS CRISTO. O autor continua em sua saudação aos seus leitores refletindo que a graça e a paz de Deus Pai para com os homens passam por Jesus Cristo, o Filho de Deus. Até porque Cristo veio em sua missão messiânica para estabelecer a nova aliança da graça divina que veio por meio da paz que ele conquistou pela reconciliação das criaturas com o Criador. O homem, Jesus de Nazaré, que é o Emanuel, ou seja, Deus entre os homens cumpriu com sucesso absoluto a sua missão de redentor da humanidade pelo sacrifício de si mesmo.

QUE É A FIEL TESTEMUNHA. O escritor do Apocalipse quando fala sobre o testemunho de Jesus Cristo, ele trata de algo real e não empírico. Neste período, assim como hoje, a história verídica sobre tudo que aconteceu com Jesus de Nazaré já era conhecida por todos. O que os apóstolos e a igreja vinham testemunhando e os escritores do novo testamento escrevendo sobre o Cristo de Deus não era factoide, mas eram fatos verídicos sobre tudo que Deus havia prometido com relação ao seu Messias que havia de se manifestar na terra como o Emanuel, Deus conosco.

O PRIMOGÊNITO DENTRE OS MORTOS. Era crença religiosa entre os Judeus a ressurreição de mortos e o velho testamento fala sobre isso. O ministério do Senhor Jesus deu veracidade real a esta verdade, quando ele próprio pelo seu grande poder ressuscitou pessoas dentre os mortos. No entanto, todos os casos de ressurreições, as pessoas voltaram a morrer novamente. Mas o Cristo de Deus, como primogênito dentre os mortos, ele ressuscitou e não tornou mais a morrer, subiu aos céus e está vivo para todo o sempre. Por isso que ele é o Senhor da vida e da ressurreição.

E O PRÍNCIPE DOS REIS DA TERRA. Esta expressão usada pelo autor se refere à posição proeminente de Cristo sobre todos e sobre tudo. Na realidade o seu domínio e governo é sobre tudo e sobre todos. Daniel 7:14 - E foi-lhe dado o domínio, e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será destruído. Essa era uma profecia messiânica que já falava sobre o Cristo de Deus. A ele pertence o poder.

AQUELE QUE NOS AMOU. Deus pergunta: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Cristo responde: Eis-me aqui, envia-me a mim (saias 6:8). O amor de Cristo pela humanidade foi o combustível motivador pelo qual ele se deu a si mesmo em resgate de muitos. Foi este amor que fez com que ele suportasse tantos sofrimentos por nós.

E EM SEU SANGUE NOS LAVOU DOS NOSSOS PECADOS. O autor esta se reportando sobre o sacrifício voluntário do Filho de Deus em nosso lugar. É a isso que a palavra de Deus chama de redenção, porque pelo seu sacrifício ganhamos o perdão de Deus.

Apocalipse 1:4

Apocalipse 1:4 - João, às sete igrejas que estão na Ásia: Graça e paz seja convosco da parte daquele que é, e que era, e que há de vir, e da dos sete espíritos que estão diante do seu trono.
JOÃO. Este é o João que também foi o escritor do evangelho segundo João e das três epístolas universais. No Apocalipse ele é tratado como servo de Jesus Cristo, já na sua terceira idade e próximo do final de sua vida na terra deu todas as provas de que realmente sérvia ao Senhor Jesus durante toda a sua vida. Fazia parte do grupo apostólico e era classificado como aquele que ere bem chegado ao Senhor Jesus, assim como Pedro também era. Ele próprio se classificou de presbítero que é a mesma coisa que bispo ou ancião. Na realidade ele era a principal liderança da igreja de Cristo na Ásia Menor, e líder da igreja na cidade de Éfeso, com isso ele era reconhecido como supervisor da comunidade cristã na Ásia Menor.

AS SETE IGREJAS QUE ESTÃO NA ÁSIA. Estas sete igrejas sobre as quais o autor do livro do Apocalipse se refere diz respeito a: Éfeso, e a Esmirna, e a Pérgamo, e a Tiatira, e a Sardes, e a Filadélfia, e a Laodicéia. Quando se fala somente sobre estas sete igrejas, não quer dizer que na Ásia Menor só houvesse sete comunidades cristas estabelecidas nesta época. No entanto, se refere as sete igrejas matrizes daquela região em que os seus líderes também eram responsáveis por uma área maior, além da comunidade local. O número sete tem vários significados dentro das sagradas escrituras e principalmente neste livro que é um livro que usa muita simbologia.

GRAÇA E PAZ SEJA CONVOSCO. Esta era e sempre foi à saudação usada nos tempos da igreja primitiva no mundo gentílico. Já na igreja mãe em Jerusalém, composta de Judeus convertidos ao cristianismo entre eles, manteve a tradição judaica de saudar uns aos outros apenas com a palavra paz. Em algumas comunidades só de gentios, às vezes eles usavam entre si apenas a palavra graça. Hoje, cada denominação tem sua própria maneira de saudação entre os seus membros e isso é de menos importância. O importante mesmo é que esta graça e esta paz representam a forma graciosa com que o Cristo de Deus estabeleceu a paz entre Deus e os homens pela reconciliação.

DA PARTE DAQUELE QUE É. O escritor aos Hebreus declara o seguinte: Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e eternamente. A ressurreição do Senhor Jesus é um dos pilares de sustentação do cristianismo, porque se ele não tivesse ressuscitado seria apenas mais um dentre tantos profetas que cumpriram o seu ministério, mas desapareceram e foram esquecidos da história da humanidade. Quando se diz que Jesus Cristo é, isso significa dizer que ele não foi extinto pela morte física, como um simples mortal, mas ele reviveu, ressuscitou e esta vivo e ativo hoje e sempre.

QUE ERA E QUE HÁ DE VIR E DA DOS SETE ESPÍRITOS QUE ESTÃO DIANTE DO SEU TRONO. O autor fala sobre a eternidade passada do verbo de Deus, com isso ele nos ensina de que Jesus de Nazaré sempre existiu, mesmo antes do seu nascimento e manifestação na terra. O escritor também nos fala a respeito da vinda do Filho de Deus para arrebatar a sua igreja que ele comprou com o seu sacrifício. Na tradição judaica fala sobre sete arcanjos poderosos que estão na presença do trono de Deus.

Apocalipse 1:3

Apocalipse 1:3 - Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.
BEM-AVENTURADO. Só no novo testamento encontramos esta expressão por mais de quarenta vezes e em toda a bíblia o dobro disto. E descreve sobre aqueles que são sortudos porque foram alcançados pela felicidade. Esta expressão fala sobre os que realmente são felizes em seus feitos e em tudo que fazem. De forma que todos aqueles que se deparam com a mensagem deste livro profético pode dizer que é uma pessoa feliz. Sinto-me abençoado por Deus me conceder o privilégio de ser um comentarista deste livro escatológico e você que esta lendo o nosso comentário também é uma pessoa bem-aventura por estar conhecendo esta mensagem.

AQUELE QUE LÊ. Existem muitas maneiras de se conhecer o conteúdo do livro do Apocalipse, e uma delas é a leitura. O autor deste comentário teve o privilégio de ler ainda quando criança, o seu primeiro livro, que foi quase todo o novo testamento, menos o livro do Apocalipse, porque para a época entendi que não estava preparado para conhecer os fortes eventos que estão previstos para acontecerem nos últimos dias. Depois de convertido, já li dezenas de vezes e é um dos livros que mais gosto de estudar, porque é um livro profético e escatológico com notícias futuras.

E OS QUE OUVEM. Bem-aventurados os que ouvem as profecias que estão contidas neste livro profético. Alguém pode dizer que não conhece a mensagem do livro do apocalipse porque não sabe ler. No entanto, Deus tem iluminado aos seus atalaias que gostam de pregar sobre temas escatológicos para anunciarem as profecias deste livro que falam dos eventos que estão se cumprindo neste últimos dias, de forma que ninguém pode dizer que não ouviu ainda nenhuma pregação sobre os fatos previsto nas profecias do Apocalipse, ou seja, das coisas que estão para acontecer.

AS PALAVRAS DESTA PROFECIA. O livro do Apocalipse é o único livro profético do novo testamento. Quase todo o conteúdo deste livro escatológico é de cunho profético e revela as coisas que estão e ainda hão de acontecerem, antes mesmo que estes fatos sucedam. No período da velha dispensação, Deus se utilizou dos seus profetas para falar sobre os eventos que aconteceram antes e durante o tempo da vinda do Messias, Jesus de Nazaré. Já na nova dispensação, o Senhor deixou para a história da humanidade esta obra literária de cunho profético para falar do futuro.

E GUARDAM AS COISAS QUE NELA ESTÃO ESCRITAS. Bem-aventurado os que guardam as coisas que estão escritas neste livro do Apocalipse. Este verbo “guardar” a que se reporta o autor, diz respeito à por em prática as recomendações e profecias que falam sobre os últimos acontecimentos com a humanidade. Quem conhece as profecias que estão para se cumprirem durante a grande tribulação, se pregara para participar do arrebatamento da igreja e poder escapar do que está por vir a terra.

PORQUE O TEMPO ESTÁ PRÓXIMO. Todos que conhecem a mensagem do apocalipse e vivem pelo evangelho de Cristo, sabe de que estamos vivendo os últimos tempos previstos pelas profecias deste livro. Os sinais que Cristo deixou como aviso, dos fatos que antecedem o arrebatamento da igreja, estão se cumprindo e Jesus está voltando.

Apocalipse 1:2

Apocalipse 1:2 - O qual testificou da palavra de Deus, e do testemunho de Jesus Cristo, e de tudo o que tem visto.
O QUAL. O autor se refere ao apóstolo João que também foi o escritor do evangelho segundo João e das três epístolas universais. No Apocalipse ele é tratado como servo de Jesus Cristo, já na sua terceira idade e próximo do final de sua vida na terra deu todas as provas de que realmente sérvio ao Senhor Jesus durante toda a sua vida. Fazia parte do grupo apostólico e era classificado como aquele que era bem chegado ao Senhor Jesus, assim como Pedro também era. Ele próprio se classificou de presbítero que é a mesma coisa que bispo ou ancião. Na realidade ele era a principal liderança da igreja de Cristo na Ásia Menor, e líder da igreja na cidade de Éfeso, com isso ele era reconhecido como supervisor da comunidade cristã na Ásia Menor.

TESTIFICOU. Como um dos primeiros apóstolos do Senhor Jesus viu e acompanhou todos os ensinos transmitidos pelo grande Mestre, Jesus de Nazaré. E tendo com Cristo aprendido as coisas do reino de Deus, depois da ascensão de Cristo passou a exercer plenamente o seu ministério de pregação, testificando das coisas concernentes ao evangelho da grade de Deus. Permanentemente exercia seu ministério em testificar e provar pelas sagradas escrituras de que Jesus de Nazaré era o Messias enviado e ungido por Deus como Salvador e mediador de uma nova aliança de Deus com a humanidade. Tanto dava testemunho nas igrejas de Cristo como também em suas campanhas evangelísticas, além das suas obras literárias que nos deixou por escrito.

DA PALAVRA DE DEUS. Não há dúvida de que a mensagem transmitida pelo apóstolo, como também seus escritos e o livro do Apocalipse, sobre o qual estamos comentando era e é de fato a palavra de Deus. O autor está sendo apenas um instrumento nas mãos de Deus para transmitir a sua bendita palavra. Com isso entende-se que o escritor foi na realidade inspirado por Deus para nos deixar esta tão significante obra literária de cunho religioso, como sendo o único livro profético do novo testamento, com sua mensagem na grande maioria de temas puramente escatológicos, ou seja, falando das coisas que se sucederiam no futuro. O livro do Apocalipse não tem em seu conteúdo uma mensagem humana, mas sim, de Deus.

E DO TESTEMUNHO DE JESUS CRISTO. Os apóstolo que conviveram todo o tempo do ministério de Jesus de Nazaré, com ele tinham mais que legitimidade para darem testemunho da veracidade de que o Cristo de Deus era o Emanuel de Deus. Os Judeus e o império romano mataram ao Cristo de Deus por não aceitarem de que Jesus de Nazaré era de fato o Messias. Com a morte de Jesus, agora, estas mesmas forças opostas tentavam acabarem com a religião fundada por Cristo, que era o cristianismo. E o apóstolo João, assim como os demais do grupo dos doze, tiveram papeis fundamentais na sustentação da legitimidade do testemunho de Jesus como sendo o rei da descendência de Davi, sacerdote eterno e profeta ungido de Deus.

E DE TUDO O QUE TEM VISTO. Certamente o autor se reporta ao que viu durante o ministério de Cristo como sinais de que ele era efetivamente o Messias de Deus. No entanto, mais especificamente as visões que ele teve sobre a mensagem do livro do Apocalipse. As revelações deste livro foram dadas a João em forma de visões.

Apocalipse 1:1

Apocalipse 1:1 - Revelação de Jesus Cristo, a qual Deus lhe deu, para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer; e pelo seu anjo as enviou, e as notificou a João seu servo.
REVELAÇÃO DE JESUS CRISTO. A primeira palavra deste maravilhoso livro escatológico já retrata o seu conteúdo futurístico dos desvendamentos das coisas que a partir de então passariam a terem lugar na história de igreja de Cristo e da humanidade. Esta revelação dada por Jesus Cristo nos fala dos acontecimentos previstos no cronograma das realizações futuras de Deus com o mundo. Muitas das revelações contidas nas previsões deste livro já se cumpriram, porem, a grande maioria ainda se dará, principalmente depois do arrebatamento da igreja de Cristo.

A QUAL DEUS LHE DEUS. Como Deus é a fonte primária de todas as coisas e em essência da sabedoria divina, tudo provem dele em Cristo Jesus. O autor deixa claro o intercâmbio entre o Deus Pai e o seu filho Jesus Cristo, demonstrando assim de que Jesus e Deus são um em propósitos e comunhão. O que está escrito neste livro das revelações passou pelo aval do Deus único e verdadeiro, Criador de todas as coisas e que é o Deus que anuncia as coisas futuras, antes mesmo de elas acontecerem. Isso porque ele é o Deus de sabedoria e que conhece todas as coisas eternamente.

PARA MOSTRAR AOS SEUS SERVOS. Esta frase nos revela o destino do conteúdo literário do livro do Apocalipse, que são os servos de Jesus Cristo. Por isso que o mundo não acredita nas coisas que estão escritas neste livro, como profecias escatológicas para os últimos dias. Os servos de Jesus Cristo do qual o autor escreve neste ponto de sua obra, diz respeito a todos aqueles que servem fielmente ao Cristo de Deus, são aqueles que nasceram de novo e que buscam o reino de Deus em primeiro lugar e as coisas que são de cima, tudo de conformidade com o evangelho.

AS COISAS QUE BREVEMENTE DEVEM ACONTECER. No período em que foi escrito o livro do Apocalipse, a igreja primitiva vivia como se a vinda de Cristo fosse se dá naquele mesmo tempo, sem, no entanto, entenderem de que havia um hiato de tempo entre a vinda do Messias como homem, e a sua vinda para arrebatar a sua igreja que ele comprou com o seu sacrifício. Desde que estas revelações foram dadas ao apóstolo João, muitas coisas já se cumpriram e outras tantas estão se cumprindo em nossos dias, mas a grande maioria das previsões são para um futuro breve. A grande verdade reveladora é que tudo que está previsto há de ter cumprimento.

E PELO SEU ANJO AS ENVIOU, E AS NOTIFICOU A JOÃO SEU SERVO. A revelação do livro do Apocalipse teve sua fonte originária em Deus, foi dada a Jesus Cristo, que por sua vez enviou pelo seu anjo, que repassou estas revelações a João, servos de Cristo e João, agora, tinha a responsabilidade de repassar tais revelações à igreja do Senhor Jesus. O envolvimento de todas estas personagens dá veracidade ao conteúdo escrito neste livro, que contem muito elementos simbólicos, mas, que são verdadeiros.

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Judas 1:25

Judas 1:25 - Ao único Deus sábio, Salvador nosso, seja glória e majestade, domínio e poder, agora, e para todo o sempre. Amém.
AO ÚNICO. Tudo que se pode ser dito sobre o Deus no velho testamento, também pode ser dito a respeito de Cristo, o Filho de Deus. Todos os atributos que as santas escrituras atribuem ao Deus de Israel são encontrados no Messias de Deus, o fundador do cristianismo. Agora, a mesma coisa não pode ser dita a nenhuma das falsas divindades das religiões pagãs, porque os seus ídolos são mentiras e enganos, conforme está escrito na palavra de Deus. O Deus único e verdadeiro é o Criador de todas as coisas, enquanto que, as falsas divindades são criação da imaginação dos líderes religiosas das seitas heréticas, que honram mais a criatura do que o Criador.

DEUS SÁBIO. A sua sabedoria de Deus é sem limites. Ele sabe de tudo, porque é Onisciente e Onipresente. Conhece a nossa história como a palma de suas próprias mãos. Não tem amnésia, pelo contrário tem conhecimento absoluto de tudo que já ocorreu desde o princípio. Ele sabe o que nos ocorre no dia a dia. E além de conhecer antecipadamente o nosso Destino, propõe o melhor para o nosso futuro. Pela sua grande sabedoria é que o Criador projetou todas as coisas para glória do seu nome e é pela sua imensa sabedoria que ele faz acontecer tudo que tem programado para a história da humanidade e do cosmo. E o próprio Cristo é chamado de sabedoria de Deus, isso porque a vinda e a missão do Messias de Deus foi um ato de pura sabedoria.

SALVADOR NOSSO. Há quem diga que esta expressão do autor diz respeito diretamente a Cristo, porem, o velho testamento fala do Deus de Israel como Salvador, e o novo testamento nos ensina sobre o Deus salvador por meio do seu Messias, Cristo Jesus o enviado e ungido de Deus Pai. Agora, esta palavra “Salvador” está ligada diretamente ao nome próprio do Emanuel de Deus “Jesus”, uma vez que o nome próprio Jesus, quer dizer: Salvador, conforme se aprende em (Mateus 1:21).

SEJA GLÓRIA E MAJESTADE. Portanto, tanto ao Deus de Israel quanto ao seu Messias, Cristo Jesus, sejam dadas glória e majestade. Essa é mais uma das doxologias empregadas no novo testamento para enaltecer ao Deus único e verdadeiro, Criador de todas as coisas, a quem devemos render glórias e atribuir-lhe toda a majestade. Isso porque ele é o Deus que está revestido em plena glória, a quem pertence toda a majestade. Esses são termos dirigidos as autoridades máximas, como figura de linguagem. No caso de Deus e do seu Cristo é uma frase bem coloquial e justa.

DOMÍNIO E PODER. Antes mesmo da sua vinda, ao Messias de Deus já eram atribuídos estes atributos de divindade. Daniel 7:14 - E foi-lhe dado o domínio, e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será destruído. Todo o domínio e o poder foram dados ao Filho de Deus (Mateus 28:18).

AGORA E PARA TODO O SEMPRE. AMÉM. Geralmente as doxologias possuem esta terminologia falando da eternidade de Deus e dos seus atributos. Todo que se poder ser visto em Deus e no seu Cristo até o momento, isso vai ser vista também para toda a eternidade futura. Deus é imutável e Jesus Cristo é o mesmo eternamente. Amém.

Judas 1:24

Judas 1:24 - Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar, e apresentar-vos irrepreensíveis, com alegria, perante a sua glória.
ORA, AQUELE. Este pronome tanto pode ser atribuído a Deus Pai, quanto ao Senhor Jesus Cristo. Na maior parte do seu escrito o autor direcionou suas recomendações aos seus leitores quanto aos perigosos hereges que rondavam a comunidade cristã com o objetivo de tentarem impedir o crescimento do cristianismo na terra e a marcha da igreja do Senhor Jesus. Em seus conselhos aos seus leitores o escritor demonstrou preocupação, no sentido de que eles tivessem muito cuidado com os que estavam a serviço do judaísmo e dos mestres gnósticos para que os seus leitores não se deixassem ser enganados. Agora, o autor em sua doxologia assegura de que eles podiam contar com o apoio do Senhor, que lhes dava suporte para resistirem ao mal.

QUE É PODEROSO. Jesus falou aos seus discípulos em Mateus 28:18 - E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra. Mas, como foi que Jesus alcançou tal poder da parte do Pai? Filipenses 2:9-11 - Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome. Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra. E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o SENHOR, para glória de Deus Pai. E este poder de Cristo Jesus está à disposição dos remidos, de todos aqueles que ele comprou com o seu sacrifício na cruz do calvário. Além é claro de que ele tem compartilhado deste poder com os seus seguidores, que o amam.

PARA VOS GUARDAR DE TROPEÇAR. Neste ponto o autor demonstra o lema de sua preocupação em escrever aos seus leitores, que era justamente o tropeço de alguns em cederem às falsas filosofias gnósticas e as fábulas judaicas. Que houvesse da parte dos seus leitores dentro do possível uma firme resistência aos falsos ensinos dos hereges, porque eles não estavam sozinhos nesta batalha contra o mal. O poder de Cristo estava em ação para lhes guardar de tropeçarem nas armadilhas daqueles que procuravam distorcer o evangelho de Cristo e transtornar as boas novas do reino de Deus. Neste caso, a proteção de Cristo é indispensável para evitar a queda.

E APRESENTAR-VOS IRREPREENSÍVEL. A igreja de Cristo nos primeiros séculos da era cristã vivia como se a vinda de Cristo fosse eminente e se desse a qualquer momento, e este tem sido na realidade o combustível de vanguarda da igreja em todos os tempos. Os remidos do Senhor Jesus vivem como que a qualquer momento se dará o arrebatamento dos escolhidos de Cristo. Os apóstolos e os líderes da igreja primitiva estavam a todo o momento preparando a igreja para a volta do Filho de Deus. O evangelho retrata os ministros do evangelho como aqueles que têm a responsabilidade de alertarem sempre a noiva sobre o encontro com o noivo, Cristo.

COM ALEGRIA PERANTE A SUA GLÓRIA. O autor faz com que os seus leitores visualizem o dia glorioso do arrebatamento da igreja e sua entrada triunfal com Cristo nas mansões celestiais. Em que o Cristo de Deus vai apresentar perante o Pai a sua igreja imaculada, pura e santa perante a majestade celestial. Já se tornou um jargão entre os pregadores afirmarem de que a igreja remida pelo Cordeiro de Deus é a sua maior glória. A igreja representa a magnífica glória de Cristo contra o mal.

Judas 1:22-23

Judas 1:22-23 - E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento. E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne.
APIEDAI-VOS DE ALGUNS. O autor chama a atenção de todos os discípulos de Cristo para a sua responsabilidade com a evangelização dos não convertidos ao cristianismo. Certamente pensando em toda e qualquer atividades dos servos de Deus para testemunhar do evangelho com dignidade de vida, seja por meio da pregação das boas novas ou com práticas de boas obras que engrandecem o reino de Deus. Cada um dos que se dizem seguidores de Cristo de conformidade com o seu evangelho deve exercer misericórdia sobre os que vivem alienados da palavra de Deus, sabendo de que o Senhor Jesus nos deixou a responsabilidade de pregar o evangelho a toda criatura. E somente alicerçados no amor fraternal é que se pode fazer isso.

USANDO DE DISCERNIMENTO. Nem todos estão perdidos e nem todos serão salvos. Quando o escritor fala de que se deve se apiedar-se de alguns é porque com discernimento espiritual podemos perceber quem tem a possibilidade de vir a receber a Cristo como Senhor e Salvador. Por outro lado, existe infelizmente uma grande parte dos pecadores revoltados que não adianta lhes pregar o evangelho, porque são incrédulos confessos que não aceitam as verdades sobre Deus e o seu reino. Mas, mediante a sabedoria do Espírito de Deus podemos descobrir aquelas pessoas que tem uma chamada de Deus em suas vidas e que ainda não se renderam ao evangelho da graça de Deus porque lhes falta o conhecimento de Cristo Jesus.

E SALVAI ALGUNS COM TEMOR. Esta mensagem não quer dizer que podemos salvar a quem quer que seja diretamente, até porque só existe um Salvador que é Cristo Jesus, o autor da vida eterna. Este salvar a que se refere o autor diz respeito a livrar de alguma coisa perigosa e quem traz prejuízos. A mesma consciência que temos de que se não vivermos dignamente para Deus e o reino de Cristo teremos grande prejuízos na eternidade, com este mesmo sentimento, devemos ajudar as pessoas que ainda não se entregaram a Cristo, no sentido de lhes fazerem compreender que viver para Cristo e com Cristo, o destino eterno é diferente dos que nesta vida ignoram a missão redentora do Messias de Deus. Quando evangelizamos as pessoas, não é querendo que elas mudem de religião, mas sim, modem de destino para sua vida.

ARREBATANDO-OS DO FOGO. Esta expressão do autor sagrado fala sobre a condenação dos que não recebem a Cristo como Senhor e Salvador. Quem conhece as verdades da palavra de Deus sabe de que os que partirem desta vida sem Cristo, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, vai para o lago de fogo e enxofre, o que o livro do Apocalipse chama de segunda morte. Este lago de fogo, que o antigo testamento chama de hades e o grego do novo testamento classifica de inferno é um lugar terrível de sofrimento eterno, reservado para o diabo, seus demônios e todos aqueles que se mantém rebelados contra Deus e contra o seu Cristo. Quando ajudamos a alguém a se converter, estamos livrando tal pessoa da condenação eterna.

ODIANDO ATÉ A TÚNICA MANCHADA DA CARNE. Está é uma colocação feito pelo escritor se reportando ao pecado e não ao pecador. O nosso combate não é contra o pecador, a quem devemos ajudar a ser salvo, mas sim contra os pecados da carne.

Judas 1:21

Judas 1:21 - Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.
CONSERVAI-VOS. O escritor como um bom conselheiro que era, procura deixar sua marca pelo seu cuidado para com os seus leitores. Como representantes do reino de Deus e seguidores do Senhor Jesus, temos o dever de monitorar o nosso modo de vida, em vez de ficar fiscalizando a vida dos outros. Existem todas as recomendações na palavra de Deus em como devemos nos envolver em nosso desenvolvimento espiritual. E nada mais correto do que se dedicar a oração, a meditação, a leitura da bíblia e de literaturas cristãs, além é claro da prática do amor fraternal.

A VÓS MESMOS. No que diz respeito à vida espiritual, temos que em primeiro plano cuidar de nós mesmos em como agradar a Deus e andar de conformidade com o evangelho da verdade. Tem muita gente que dá prioridade em fiscalizar o que os outros fazem ou deixam de fazer, como se fossem juízes da vida alheia. Cada um de nós precisamos sim, monitorar as nossas ações e atos, no sentido de vivermos de forma digna perante o Senhor e em nosso relacionamento para com o nosso próximo. Cada pensamento, palavras e obras, devem estar de acordo com a vontade de Deus.

NO AMOR DE DEUS. Tudo que pensarmos, falarmos e fizermos devem estar direcionados ao grande amor de Deus para conosco. Este amor de Deus que é infinito, é demonstrado de todas as formas e momentos para com as nossas vida, por isso que devemos recebe-lo, reconhece-lo e retribuí-lo, até porque o Senhor, pelo seu imenso amor para conosco, tem feito por nós muito mais que merecemos. Todos que fazem parte do reino de Cristo foram alcançados pelo tão grande amor de Deus. Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.

ESPERANDO A MISERICÓRDIA. Ninguém que um dia se converteu pelo poder do evangelho, assim o fez porque era bonzinho. E ninguém que hoje serve ao reino de Deus, assim a faz, porque é correto em todo que faz. E ninguém vai alcançar as heranças eternas de Deus por seus próprios méritos, tudo provem de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo, mediante a manifestação de sua misericórdia para conosco em Cristo. A nossa esperança deve estar focada na misericórdia de Deus.

DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. O Senhorio de Cristo pode ser visto em toda a extensão do novo testamento e é selada pela sua ressurreição dentre os mortos e sua ascensão para se assentar a destra de Deus. Jesus é o nome próprio do Filho de Deus, também conhecido como Jesus de Nazaré e quer dizer, Salvador. O sobrenome Cristo quer dizer, enviado ou ungido, e nos fala sobre o Messias e sua missão na terra.

PARA A VIDA ETERNA. O cristão verdadeiro toma posse da vida eterna, pela sua fé e esperança na misericórdia de Deus. Esta vida eterna, nos fala do destino eterno dos salvos e remidos por Cristo Jesus, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.

Judas 1:20

Judas 1:20 - Mas vós, amados, edificando-vos a vós mesmos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo.
MAS VÓS. O autor até então vinha fazendo suas advertências sobre os judaizantes e os falsos mestres gnósticos e todos aqueles que se infiltravam no meio da comunidade cristã com o intuito de semeares suas heresias, tentando transtornar o evangelho de cristo. Agora, o escritor se dirige aos seus leitores lhes aconselhando de que deveriam viver de modo totalmente diferente dos hereges, que trabalhavam contra o reino de Deus e lutavam contra o evangelho libertador do Senhor Jesus. Vós neste caso, é a mudando da mensagem do autor, agora se dirigindo aqueles que viviam para Cristo.

AMADOS. O autor tem mais uma vez a direção certa para a sua carta, que são todos aqueles que viviam para o reino de Deus, buscando as coisas que são de cima. “Amado”, esta era e sempre foi uma forma amorosa dos cristãos tratarem uns aos outros. Alias, o amor fraternal é que deve prevalecer entre todos aqueles que servem ao grande mestre do amor, Jesus Cristo. Nisto consiste a lei de Cristo, cinquenta por cento para Deus e cinquenta por cento para o próximo. Amarás o Senhor teu Deus de toda a tua alma e o teu próximo como a ti mesmo, este é o mandamento de Jesus.

EDIFICANDO-VOS A VÓS MESMOS. O autor demonstra sua preocupação com o bem estar espiritual dos seus leitores ao passar seus conselhos mais proveitosos, no sentido de que os seguidores de Cristo fossem bem sucedidos em suas experiências com Deus. Este tema aqui abordado pelo escritor nos fala de nossa comunhão com Deus e da nossa forma de buscarmos as coisas espirituais que edificam a nossa alma. E trata de forma especial em como devemos cuidar da nossa alma e do nosso espírito no desenvolvimento dos dons e habilidades no reino de Deus e de Cristo.

SOBRE A VOSSA SANTÍSSIMA FÉ. Um dos temas mais recorrentes nas páginas do novo testamento é justamente a importância da fé cristã, até porque sem a fé, ninguém tem como agradar a Deus. A fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das que não se veem (Hebreus 11:1). Quando se fala em santíssima fé, é que o autor chama a atenção dos seus leitores para a forma mais pura e sincera de se exercer a nossa confiança em Deus. Mesmo que esta fé seja pequena, mas é indispensável.

ORANDO. A oração é dentre outras virtudes uma das importantes formas de se alcançar o desenvolvimento espiritual da nossa alma e do nosso espírito. Por meio da oração é que se estabelece comunhão e comunicação com o Criador e de forma espontânea expomos diante do nosso Deus, nossa adoração, petições e intercessões.

NO ESPÍRITO SANTO. A oração feita no Espírito Santo é justamente aquela em que há o apoio do Espírito do Senhor naquilo que devemos falar com Deus. O Espírito Santo nos ajuda nos momentos de oração porque diz a bíblia que não sabemos o que havemos de pedir, mas ele intercede por nós, com gemidos inexprimíveis.

Judas 1:18-19

Judas 1:18-19 - Os quais vos diziam que nos últimos tempos haveria escarnecedores que andariam segundo as suas ímpias concupiscências. Estes são os que causam divisões sensuais, que não têm o Espírito.
OS QUAIS VOS DIZIAM QUE NOS ÚLTIMOS TEMPOS. O autor se refere aos apóstolos do Senhor Jesus e aos ministros do evangelho, que desde os primeiros momentos do surgimento do cristianismo vinham profetizando a respeito de fatos que estavam acontecendo com os seus leitores, no que concerne aos falsos mestres e as heresias. Desde o profeta João Batista que o Senhor havia despertado o ministério profético, depois de um jejum de mais de quatrocentos anos. E quando se fala para os últimos dias, aponta também para os dias atuais, que representam os últimos dias da igreja de Cristo no planeta terra, antes é claro do grande dia do arrebatamento. Nossa geração está vivenciando os últimos fatos que envolvem a igreja de Cristo na terra.

HAVERIA ESCARNECEDORES. Quem são estes escarnecedores dos quais fala o autor? Certamente se refere a todos aqueles que zombam de Deus e do seu Cristo e que não aceitam o evangelho que expressa os planos e projetos de Deus para a humanidade por meio da nova dispensação da graça divina. São os ateus que negam a existência do Criador e os incrédulos que não recebem a Cristo como Salvador. Já para a época em que foi escrita esta carta, representam os hereges judaizantes que procuravam deter o crescimento do cristianismo e também os falsos mestres gnósticos que com suas filosofias ascéticas buscavam prejudicar o avanço do evangelho no mundo gentílico. Estes zombadores escarneciam de Cristo e do cristianismo fundado por ele.

QUE ANDARIAM SEGUNDO AS SUAS ÍMPIAS CONCUPISCÊNCIAS. Os defensores do judaísmo e das religiões pagas andavam por todas as partes, não de conformidade com o plano e propósito de Deus, mas sim pelas suas próprias concupiscências. Assim como os líderes do cristianismo enviavam os missionários para pregarem o evangelho aonde Cristo ainda não era conhecido e para fundarem novas comunidades cristãs, atrás vinham os defensores do judaísmo e das religiões pagãs tentando desfazerem o que os pregadores itinerantes do evangelho verdadeiro ensinavam. Enquanto os missionários cristãos estavam a serviço do reino de Deus, os falsos mestres das demais religiões estavam a serviço das instituições religiosas a quem eles serviam.

ESTES SÃO OS QUE CAUSAM DIVISÕES SENSUAIS. Um pouco antes, já no início da sua carta o autor havia falado a respeito dos moradores de Sodoma e Gomorra como representantes dos pecados sensuais mais vis. Os que estavam tentando causar confusão no meio da comunidade cristã, para quem escreveu este autor, também defendiam de que as pessoas podiam praticar os pecados sexuais da carnalidade que não era pecado. Os gnósticos defendiam a carnalidade deliberada de todas as formas.

QUE NÃO TÊM O ESPÍRITO. Os praticantes das obras da carne não tem o Espírito de Deus. Sobre as obras da carne Gálatas 5:19-21 - Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus. Já quem tem os frutos do Espírito de Deus (Gálatas 5:22) age diferente.

Judas 1:17

Judas 1:17 - Mas vós, amados, lembrai-vos das palavras que vos foram preditas pelos apóstolos de nosso Senhor Jesus Cristo.
MAS VÓS. O autor até então vinha fazendo suas advertências sobre os judaizantes e os falsos mestres gnósticos e todos aqueles que se infiltravam no meio da comunidade cristã com o intuito de semeares suas heresias, tentando transtornar o evangelho de cristo. Agora, o escritor se dirige aos seus leitores lhes aconselhando de que não aceitassem estes tais ensinos transmitidos por aqueles que pregavam contra o evangelho genuíno do Senhor Jesus. Mas vós, não deveis crer no que eles pregam porque estão ao serviço do judaísmo e das religiões pagas.

AMADOS. O autor tem neste ponto uma direção certa para a sua carta, que são todos aqueles que viviam para o reino de Deus, buscando as coisas que são de cima. “Amado”, esta era e sempre foi uma forma amorosa dos cristãos tratarem uns aos outros. Alias, o amor fraternal é que deve prevalecer entre todos aqueles que servem ao grande mestre do amor, Jesus Cristo. Nisto consiste a lei de Cristo, cinquenta por cento para Deus e cinquenta por cento para o próximo. Amarás o Senhor teu Deus de toda a tua alma e o teu próximo como a ti mesmo, este é o mandamento de Jesus.

LEMBRAI-VOS DAS PALAVRAS. A amnésia não podia ter lugar na mente dos leitores deste escritor, porque ele fazia questão de trazer a memória os ensinos que a igreja primitiva vinha recebendo daqueles que eram os representantes de Cristo na terra. Na realidade, neste tempo não havia ainda um cânon pronto do novo testamento, no entanto, os apóstolos e missionários cristãos, além dos pregadores itinerantes do evangelho, estavam a todo o momento fazendo a exposição dos parâmetros da nova aliança de Deus com a igreja de Cristo. Principalmente os apóstolos do Senhor Jesus.

QUE VOS FORAM PREDITAS. Nem João Batista, como precursor do Messias, nem o próprio Senhor Jesus deixaram alguma obra literária de cunho religioso por escrito. Com isso, os apóstolos, logo de início se precaveram disto, e mais tarde na história do cristianismo é que alguns escreveram suas obras sagradas. Mas, mediante a tradição oral, os apóstolos já vinham alertando a igreja sobre o surgimento de falsos mestres tanto vindos do judaísmo quanto das demais religiões pagãs. Até porque o crescimento da igreja primitiva despertava inveja nas demais religiões mais antigas.

PELOS APÓSTOLOS. Os apóstolos de Cristo tiveram o privilégio de conviverem com o grande Mestre do cristianismo Jesus de Nazaré, o Messias de Deus e Emanuel, que é Deus entre os homens. Com isso, aprenderam do Senhor Jesus e tinham a responsabilidade de serem os condutores do evangelho poderoso de Jesus de Nazaré.

DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. O Senhorio de Cristo pode ser visto em toda a extensão do novo testamento. O nome Jesus quer dizer Salvador e nos fala a respeito do Filho de Deus. Já a palavra Cristo, nos fala a respeito da missão de Jesus de Nazaré.

Judas 1:16

Judas 1:16 - Estes são murmuradores, queixosos da sua sorte, andando segundo as suas concupiscências, e cuja boca diz coisas mui arrogantes, admirando as pessoas por causa do interesse.
ESTES SÃO MURMURADORES. O autor se refere aos falsos mestres gnósticos, que se infiltravam no seio da igreja primitiva para transtornar a mensagem do evangelho de Cristo com suas heresias enganosas, tentando tirar os cristãos do caminho do reino de Deus. Ele também se refere aos pregadores e defensores do judaísmo de sua época, que além de não terem aceito a Jesus de Nazaré como sendo o Messias de Deus, procuravam distorcer a fé dos cristãos com suas fábulas inventadas, com o objetivo de confundir os pensamentos dos que seguiam a Jesus e o recebiam como salvador. Estes hereges se espalhavam na mesma proporção dos missionários cristãos, murmurando contra os que pregavam o evangelho genuíno e contra o Cristo de Deus e sua religião, o cristianismo, que estava prejudicando o judaísmo e as demais religiões do mundo.

QUEIXOSOS DA SUA SORTE. A religião da vez era o cristianismo, portanto, tanto o judaísmo quanto as demais religiões mais antigas estavam em decadência. Com isso culpavam ao cristianismo pelo fracasso de suas religiões pagãs. Tanto os judaizantes quanto os falsos mestres gnósticos tentavam propagar o ódio contra os seguidores da nova religião, o cristianismo, se queixando de que Jesus tinha fundado essa nova religião no mundo para prejudicar as demais que já existiam há muito tempo. Só que, as religiões pagas sempre foram criadas para atenderem aos interesses dos seus fundadores, enquanto que, o cristianismo foi fundado por Cristo de acordo com a promessa de Deus, sem fins lucrativos e com o objetivo do bem universal de todos.

ANDANDO SEGUNDO AS SUAS CONCUPISCÊNCIAS. Os defensores do judaísmo e das religiões pagas andavam por todas as partes, não de conformidade com o plano e propósito de Deus, mas sim pelas suas próprias concupiscências. Assim como os líderes do cristianismo enviavam os missionários para pregarem o evangelho aonde Cristo ainda não era conhecido e para fundarem novas comunidades cristãs, atrás vinham os defensores do judaísmo e das religiões pagãs tentando desfazerem o que os pregadores itinerantes do evangelho verdadeiro ensinavam. Enquanto os missionários cristãos estavam a serviço do reino de Deus, os falsos mestres das demais religiões estavam a serviço das instituições religiosas a quem eles serviam.

E CUJA BOA DIZ COISAS MUITO ARROGANTES. Tudo de mais verdadeiro que os missionários cristãos ensinavam sobre o Messias, provando pelas literaturas religiosas dos judeus e pela própria vida e ministério de Cristo, de que Jesus de Nazaré era o Emanuel de Deus. Por outro lado, os defensores do judaísmo e os falsos mestres gnósticos procuravam distorcer tudo isto, tentando provarem o contrário. Para tanto, usavam das mais sórdidas acusações, contra o Cristo de Deus e o seu evangelho.

ADMIRANDO AS PESSOAS POR CAUSA DO INTERESSE. Estes manipuladores das falsas religiões se infiltravam nas casas e lares das pessoas usando do expediente da bajulação, mas no fundo no fundo queriam mesmo era tirarem proveito da simplicidade das pessoas para ganharem dinheiro pregando suas filosofias sofistas. Os falsos pregadores sempre têm seus interesses financeiros em primeiro lugar.

Judas 1:15

Judas 1:15 - Para fazer juízo contra todos e condenar dentre eles todos os ímpios, por todas as suas obras de impiedade, que impiamente cometeram, e por todas as duras palavras que ímpios pecadores disseram contra ele.
PARA FAZER JUÍZO CONTRA TODOS. Pela severidade das palavras de juízo usada pelo autor, fica mais clara a intenção do escritor de que se trate na realidade da segunda etapa da vinda de Cristo com os milhares dos seus anjos para julgar o mundo e estabelecer seu governo milenial na terra. Desde a sua vinda como o Messias de Deus que o Cristo é visto como sendo o Cordeiro de Deus, e assim o será até o arrebatamento da igreja. No entanto, depois disto, ele já é visto como o Leão de Judá, e como juiz dos vivos e dos mortos, principalmente durante a grande tribulação.

E CONDENAR DENTRE TODOS OS ÍMPIOS. Estes ímpios a quem se refere o autor, diz respeito aos incrédulos, aos ateus e aos alienados de Deus. São todos aqueles que durante sua existência terrena não deram importância a Cristo e nem ao seu evangelho. São os materialistas que só dão valor as coisas materiais e terrenas e que não buscam o reino de Deus nem as coisas que são de cima. São aqueles que vivem como se Deus para eles não existisse, e ignoram de que todos hão de darem contas dos seus feitos, de suas obras e ações diante do seu criador. Estes são todos os ateus.

POR TODAS AS SUAS OBRAS DE IMPIEDADE. As obras de impiedade a que se reporta o autor diz respeito justamente às maldades que os homens que não tem Cristo em seus corações praticam deliberadamente. As pessoas que vivem para Deus não estão imunes de errarem, mas os que são dominadas pelo sentimento da perversidade é que sentem prazer em fazerem coisas maléficas, porque o seu apetite é de prejudicar a todos. Os ímpios alimentam suas intenções mais obscuras pela prática desenfreada de maldades e perversidades realizadas. Isso satisfaz seus desejos maléficos.

QUE IMPIAMENTE COMETERAM. Os sentimentos mais maldosos que há na alma dos ímpios se exteriorizam em suas ações mais bestiais possíveis. Existem atos tão terríveis praticados pelos homens ímpios que nem mesmo os animais irracionais são capasse de praticarem. Quando há a possessão pelos demônios na vida de um ser humano sem Deus este individuo passa a praticar qualquer coisa na vida, sem respeito nenhum ao seu próximo nem muito menos ao seu Criador, que é Deus. O homem alienado e distante de Deus fica vulnerável ao domínio das forças maléficas do diabo.

E POR TODAS AS DURAS PALAVRAS QUE ÍMPIOS PECADORES DISSERAM CONTRA ELE. São malévolas as palavras caluniosas que os homens ímpios e ateus falam contra Deus. Os incrédulos estufam o peito em agressões baratas e em xingamentos horríveis contra o Criador. Os que vivem alienados do Senhor alimentam um ódio terrível com Cristo, ao ponto de o desprezarem veementemente. Essa aversão a tudo que representa Deus e o seu reino, os ímpios demonstram por meio de acusações injustas que fazem ao Criador. Suas palavras são sempre depreciativas com Deus.

Judas 1:14

Judas 1:14 - E destes profetizou também Enoque, o sétimo depois de Adão, dizendo: Eis que é vindo o Senhor com milhares de seus anjos.
E DESTES. O autor se refere aos falsos mestres gnósticos, que se infiltravam no seio da igreja primitiva para transtornar a mensagem do evangelho de Cristo com suas heresias enganosas, tentando tirar os cristãos do caminho do reino de Deus. Ele também se refere aos pregadores e defensores do judaísmo de sua época, que além de não terem aceito a Jesus de Nazaré como sendo o Messias de Deus, procuravam distorcer a fé dos cristãos com suas fábulas inventadas, com o objetivo de confundir os pensamentos dos que seguiam a Jesus e o recebiam como salvador. Em fim, o escritor se reporta também sobre os homens ímpios que rebelam contra os plenos do Criador e os seus projetos para a humanidade e o seus programas de governo universal.

PROFETIZOU TAMBÉM. O ministério profético vinha sendo posto em evidência desde o princípio da raça humana, demonstrando de que Deus conhece todas as coisas antes mesmo delas virem a acontecer. Quando se diz: “Também”, é porque o Senhor usou muitos dos seus profetas para anunciarem os eventos escatológicos dos tempos da igreja primitiva, como e principalmente as coisas dos últimos dias da humanidade. E que o Senhor sempre teve os seus atalaias no planeta terra para proclamarem suas realizações e forma de governar. A citação feita pelo autor nos fala da antiguidade do ministério profético e de que ele nunca há de cessar no meio do povo de Deus.

ENOQUE. Existem na literatura judaica dois volumes de livros que se atribui a Enoque do qual fala o livro do Gênesis. É provável que estes livros tenham sido escritos no Egito na metade do primeiro século de nossa era cristã e trata das viagens visionárias do Enoque chamado profeta, em que ele ver acontecimentos escatológicos de várias etapas da história do cristianismo na terra. Nesta época era comum alguém usar do artifício literário para escrever em nome de outrem suas obras pseudoepígrafas. Existem milhares destas obras não canônicas antigas.

O SÉTIMO DEPOIS DE ADÃO. Em se tratando do personagem histórico do antigo testamento ele foi o sétimo depois de Adão e que a duração de sua vida foi de trezentos e sessenta e cinco anos, até que foi arrebatado pelo Senhor, que passou a ser usado como tipologia para representar os remidos do Senhor que haverão de participarem do arrebatamento da igreja. Uma de suas marcas de vida era de que andava com Deus em uma demonstração de comunhão plena com o seu Criador. Enoque deixou um exemplo para todo ser humano de que viver com Deus é melhor.

DIZENDO: EIS QUE É VINDO O SENHOR COM MILHARES DOS SEUS ANJOS. Há quem diga que esta visão do profeta Enoque seja sobre a vinda de Cristo para julgar os ímpios e o mundo e para implantar o seu governo milenial na terra. E não da primeira etapa de sua segunda vinda para arrebatar a igreja. Se olharmos para o texto que se segue na perspectiva de julgamento é forte esta tese, sem, no entanto negar que também haverá a participação dos anjos de Deus no dia do arrebatamento da igreja.

Judas 1:13

Judas 1:13 - Ondas impetuosas do mar, que escumam as suas mesmas abominações; estrelas errantes, para os quais está eternamente reservada a negrura das trevas.
ONDAS IMPETUOSAS DO MAR. O autor compara os defensores judaizantes com suas inumeráveis fábulas enganosas e os falsos mestres gnósticos, as ondas impetuosas do mar, certamente com o seu poder de destruição e que representa um perigo avassalador. Estes pregadores falsos que se infiltravam no meio da igreja primitiva tinham seus intentos malignos de tentarem com suas heresias tirarem os convertidos ao cristianismo para retornarem ou ao judaísmo ou para as religiões pagãs. O alerta do escritor era de que estes hereges eram tão destruidores quanto às impetuosas ondas do mar, que por onde passam destrói tudo que encontra pela frente.

QUE ESCUMAM. Tudo que há de podre nas águas dos mares e dos oceanos eles tentam colocar para fora por meio de suas ondas espumantes. Os judaizantes dos primeiros séculos de nossa era cristã alimentavam um ódio terrível de Cristo e dos seus seguidores, porque entendiam de que o cristianismo surgiu contra o judaísmo. Da mesma forma, os gnósticos que eram líderes das demais religiões que já existiam antes do cristianismo, fomentaram uma raiva indomável contra a igreja de Cristo, uma vez que os seguidores das religiões pagãs deixavam suas religiões tradicionais para se converterem ao cristianismo, como sendo a nova aliança de Deus com os homens.

AS SUAS PRÓPRIAS ABOMINAÇÕES. Estas abominações que os mares e oceanos procuram colocar para fora de suas águas por meio de suas ondas espumantes, são os cadáveres dos peixes e de animais marinhos que morrem e apodrecem rapidamente. No caso dos falsos mestres judaizantes e gnósticos essas abominações representam suas heresias abomináveis que eles procuravam transmitir para os cristãos mais simples, com o objetivo de transtornarem a mensagem do evangelho de Cristo. Eram seus falsos ensinos e pregações distorcidas com segundas intenções.

ESTRELAS ERRANTES. Ao pesquisarmos um pouco sobre este assunto dentro da astronomia, logo se descobre de que existem estas chamadas estrelas sem destino nem lugares certos, conhecidas de estrelas errantes, que se movem continuamente de um lugar para outro sem, contudo terem a sua própria orbita. Assim eram os hereges judaizantes e os falsos mestres gnósticos, andavam errantes sem saberem a que lugar chegar nem encontravam repouso para suas mensagens heréticas, a prova disto é que o cristianismo sobreviveu aos mais astutos ataques maléficos.

PARA AS QUAIS ESTÁ ETERNAMENTE RESERVADA. No entanto, estes hereges procuravam por meio de suas práticas contra o cristianismo estabelecerem os seus próprios destinos. Até porque estes falsos pregadores judaizantes e gnósticos estavam a serviço dos líderes do judaísmo e das religiões pagãs conscientemente, com metas bem claras de tentarem deter o avanço do cristianismo.

A NEGRURA DAS TREVAS. O resultado destes trabalhos e atividades daqueles que tratavam de prejudicar o crescimento da igreja de Cristo era justamente caírem sob o juízo da perdição eterna. No universo existem os chamados buracos negros, por quem são sugadas as estrelas errantes, o fim dos hereges será nas trevas eternas.

Judas 1:12

Judas 1:12 - Estes são manchas em vossas festas de amor, banqueteando-se convosco, e apascentando-se a si mesmos sem temor; são nuvens sem água, levadas pelos ventos de uma para outra parte; são como árvores murchas, infrutíferas, duas vezes mortas, desarraigadas.
ESTES SÃO MANCHAS EM VOSSAS FESTAS DE AMOR. A maioria dos comentaristas e escritores mais antigos concordam de que estas festas de amor a que se refere o autor diz respeito a ceia do Senhor que era celebrada como ato de plena comunhão entre os que faziam parte da igreja primitiva. Nestas festas, além da participação dos cristãos verdadeiros havia também a infiltração dos judaizantes e falsos mestres gnósticos, que ali estavam para manchar o ambiente que deveria ser totalmente santo. A simplicidade em pureza da maioria dos que seguiam o reino de Deus os faziam pensar de que no meio deles não havia falsários e enganadores. Ainda hoje é assim, achamos de que no nosso meio não tem penetras com segundas intenções.

BANQUETEANDO-SE CONVOSCO. Os defensores do judaísmo que procuravam deter o crescimento do cristianismo com suas fábulas engenhosas participavam da santa ceia normalmente como se fossem convertidos ao cristianismo, mas no fundo no fundo, a intenção era ter acesso à comunidade cristã para plantares suas raízes de discórdias e heresias no meio da cristandade. Da mesma forma, os falsos mestres gnósticos se banqueteavam juntamente com os seguidores de Cristo, sem nenhum pudor, porem tinham como objetivo ganhar a confiança dos mais simples para lhes desviarem dos caminhos das boas novas do evangelho de Cristo Jesus, o Salvador.

E APASCENTANDO-SE A SI MESMOS SEM TEMOR. Esta é uma expressão bíblia para representar aqueles que participam das coisas ou atividades da igreja com segunda intenções e interesses pessoais, e não coletivos. Essa falta de temor a que se reporta o autor é suprida pela hipocrisia no mais algo grau de manifestação, uma vez que a falsidade é quem domina tais indivíduos que se infiltram no meio do povo de Deus para tirarem proveito da simplicidade da maioria. Quem se apascenta a si mesmo só está preocupado com o seu bem-estar pessoal, mesmo que para tanto venha a prejudicar ao seu próximo. Estes são os que só se interessam pelo leite das ovelhas.

SÃO NUVENS SEM ÁGUA, LEVADAS PELOS VENTOS DE UMA A OUTRA PARTE. A nuvem se água é enganosa, porque nos lugares mais áridos, se espera que dela venha a chuva e nada. Estas nuvens sem água ficam perambulando pela atmosfera para chamar a atenção de quem precisa do inverno, mas que nunca chega.

SÃO COMO ÁRVORES MURCHAS, INFRUTÍFERAS, DUAS VEZES MORTAS, DESARRAIGADAS. A árvore murcha nem está morta nem viva totalmente, não dá frutos nem serve para queimar e aquecer o ambiente. O autor ver também de outra forma os enganadores no meio do povo de Deus, porque são madeiras podres e infectadas de bactérias que não servem nem como estrume, desarraigadas.

Judas 1:11

Judas 1:11 - Ai deles! porque entraram pelo caminho de Caim, e foram levados pelo engano do prêmio de Balaão, e pereceram na contradição de Coré.
AI DELES. A palavra “ai” no contexto geral das sagradas escrituras representa uma das mais fortes formas de reprimendas da parte de Deus contra os seus inimigos e opositores. Como o autor nesta parte de sua carta se dirige aos inimigos e opositores do evangelho de Cristo e de sua igreja, não poderia ser diferente. A expressão “deles” usada pelo escritor diz respeito aos judaizantes que se infiltravam no seio da comunidade cristã para por meio de suas fábulas inventadas tentarem confundir o evangelho das boas novas de Cristo, como também se refere aos falsos mestres gnósticos que com suas filosofias ascéticas procuravam transtornar a mensagem central do evangelho.

PORQUE ENTRARAM PELO CAMINHO DE CAIM. Conforme ficamos sabendo por meio do primeiro livro da bíblia, Caim foi tomado de inveja do seu irmão pela qualidade da comunhão que Abel vinha desenvolvendo com Deus. No caso dos judaizantes e dos falsos mestres gnósticos, eles também estavam sendo tomados e dominados pela inveja pelo alto grau de espiritualidade que os cristãos vinham desenvolvendo com Deus por Cristo Jesus. E como Caim procurou tirar do seu caminho àquele que era o produto de sua inveja, no caso seu irmão Abel, da mesma forma os judaizantes e os falsos mestres gnósticos procuravam por todos os meios eliminar o cristianismo.

E FORAM LEVADOS PELO ENGANO. Neste caso, a inveja dos judaizantes e dos falsos mestres gnósticos estava lhes conduzindo ao engano e os mantendo no paganismo. Isso porque os judaizantes não aceitavam a nova realidade da aliança da graça divina que o Senhor estava estabelecendo com a humanidade, por isso que perseguiram e mataram o fundador do cristianismo, e perseguiam sua igreja. Da mesma forma, os falsos mestres gnósticos visualizavam a nova religião criada por Cristo como uma ameaça as antigas tradições religiosas do paganismo. Quando o cristianismo surgiu, todas as nações e cidades antigas já tinham suas religiões naturais, e o cristianismo era visto como ameaça.

DO PRÊMIO DE BALAÃO. As narrativas que se referem a esta personagem trazem polêmicas, porque mostra o interesse financeiro de uma líder pelo uso das coisas espirituais. Balaão foi um dos implantadores das chamadas indulgências, que é a venda por dinheiro, dos supostos serviços prestados a Deus. Esta velha prática das indulgências chegou ao arraial dos cristãos da igreja primitiva e pode ser notada nos dias de hoje por todos aqueles que vendem os supostos serviços prestados a Deus em favor do próximo. A título de hoje a venda das indulgências é praticada por aqueles que pregam a palavra de Deus por dinheiro, dos que fazem do ministério de louvor um meio de vida, dos que fazem suas orações por interesses financeiros e dos profissionais do evangelho. Mercenários.

E PERECERAM NA CONTRADIÇÃO DE CORÉ. Neste caso, Coré representa todos àqueles que não aceitavam a nova realidade de Deus por meio de uma nova aliança da graça implantada por Cristo Jesus, o fundador do cristianismo. Assim como veio o merecido castigo contra Coré, não seria diferente, no caso dos judaizantes e dos mestres gnósticos.

Judas 1:10

Judas 1:10 - Estes, porém, dizem mal do que não sabem; e, naquilo que naturalmente conhecem, como animais irracionais se corrompem.
ESTES, POREM. O autor se refere aos falsos mestres gnósticos, que se infiltravam no seio da igreja primitiva para transtornar a mensagem do evangelho de Cristo com suas heresias enganosas, tentando tirar os cristãos do caminho do reino de Deus. Ele também se refere aos pregadores e defensores do judaísmo de sua época, que além de não terrem aceito a Jesus de Nazaré como sendo o Messias de Deus, procuravam distorcer a fé dos cristãos com suas fábulas inventadas, com o objetivo de confundir os pensamentos dos que seguiam a Jesus e o recebiam como salvador. Em fim, o escritor se reporta também sobre aqueles que ficam falando o que não se deve contra o diabo e seus demônios, que são inimigos perigosos e destruidores, conforme texto anterior.

DIZEM MAL. No texto anterior temos o seguinte: Mas o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo, e disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar juízo de maldição contra ele; mas disse: O Senhor te repreenda. Quando se tem um adversário perigoso, quanto menos falar sobre ele, melhor será. Isso é válido também no campo espiritual, uma vez que, se não temos nenhuma comunhão com o diabo, porque ficar o insultando, ou falando o que não se deve sobre ele? Conforme as sagradas escrituras, nem mesmo o arcanjo Miguel tentou insultá-lo, nem também o próprio Cristo o amaldiçoou no momento de sua tentação, apenas o repreendeu. Como este inimigo é terrível e invisível, deixa que Deus nos defenda dele.

DO QUE NÃO SABEM. Quem vive praguejando, insultando, confrontando ou amaldiçoando os agentes do império das trevas e do mal, é porque não sabe o quanto o diabo e os seus demônios são perigosos e terríveis. A guerra espiritual é mais perigosa do que qualquer outra, porque a luta é contra inimigos invisíveis, que não se tem como combatê-los com armas humanas, e enquanto estivermos nesta esfera de existência terrena, só contamos com os nossos sentidos físicos para sobreviver. Os prejuízos da guerra espiritual não envolvem valores terrenos, mas são consequências eternas para a alma, razão porque é preciso se ter muito cuidado para não ser abatido por aquele que tem as funções de matar, roubar e destruir.

E NAQUILO QUE NATURALMENTE CONHECEM. As sagradas escrituras foram escritas para falarem a respeito de Deus e a forma como ele trabalha pelo seu povo. Além é clara de descrever sobre a biografia de Cristo Jesus o Filho de Deus e a sua nova aliança com a igreja que ele remiu com o seu sacrifício de amor. De forma que a bíblia não se preocupa em falar muito a respeito do diabo e os seus aliados, os demônios. Mas as poucas referências aos agentes das trevas e do mal que estão contidas na palavra de Deus é o suficiente para conhecermos o quanto o inimigo de Deus e do seu povo é maléfico e aplicado à causa do mal contra o Criador e todas as suas criaturas.

COMO ANIMAIS IRRACIONAIS SE CORROMPEM. Como se diz em um jargão popular: Tá tudo dominado. Os judaizantes que se levantavam contra o cristianismo em defesa do judaísmo, os falsos mestres gnósticos que tentavam transtornarem o evangelho de Cristo, com suas heresias enganosas e aqueles que vivem confrontando um inimigo perigoso que não se ver com os olhos físicos nem se percebe com os sentidos naturais.

Judas 1:9

Judas 1:9 - Mas o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo, e disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar juízo de maldição contra ele; mas disse: O Senhor te repreenda.
MAS O ARCANJO MIGUEL. Miguel é um anjo poderoso de guerra que está na presença do trono de Deus para defender o reino do Senhor. O seu nome significa; aquele que vive ante a face do Senhor. Conforme as tradições e crenças dos judeus ele sempre foi o anjo enviado por Deus para proteger a Israel dos seus inimigos. As referências a este anjo se encontram em (Daniel 10:13,21; Judas 1:9 e apocalipse 12:7). Já a palavra arcanjo significa; alta autoridade celestial, que comanda grandes legiões em uma extensa área. Esta palavra só se encontra neste texto e em (1 Tessalonicenses 4:6), mas provavelmente também quer dizer principado em (Colossenses 1:16). Na literatura religiosa dos Judeus esses anjos poderosos são encarregados por numerosas somas de seres celestiais, como se fossem comandantes.

QUANDO CONTENDIA COM O DIABO. O diabo também é chamado de satanás e ainda de lúcifer. Antes de sua rebelião juntamente com os demônios ele era conhecido como anjo de luz, e que estava na presença do trono de Deus e o servia como um arcanjo poderoso. No entanto, se rebelou contra o seu Criador e foi precipitado de sua habitação para viver em trevas e em prisões eternas. Com isso passou a ser chamado de adversário de Deus e do seu reino. Não deixou de ser anjo, porem, das trevas e do mal. Esta contenda entre o arcanjo Miguel e o diabo citada pelo autor não se encontra nas sagradas escrituras canônica, porque faz parte das tradições religiosas dos Judeus e das literaturas apócrifas de Israel, que serviu de inspiração para o escritor sagrado.

E DISPUTAVA A RESPEITO DO CORPO DE MOISÉS. Esta passagem a que refere o autor diz respeito ao livro chamado assunção de Moisés, conforme as tradições dos pais da igreja e alguns escritores mais antigos. A questão não tem uma explicação explícita sobre este debate entre o arcanjo Miguel com o diabo sobre o corpo de Moisés, mas o que se sabe e que o corpo de Moisés não foi encontrado, porque foi sepultado nas montanhas. Deus havia dito que ele serviria ao Senhor naquele monte, e se seu corpo tivesse sido encontrado, poderia ser que os filhos de Israel levassem os seus restos mortais para a terra de Canaã, quando na verdade, Deus havia dito que ele não atravessaria o Rio Jordão para entrar na terra de Canaã, terra que manava lei e mel.

NÃO OUSOU PRONUNCIAR JUÍZO DE MALDIÇÃO CONTRA ELE. Esta passagem nos dá a oportunidade para escrever sobre o cuidado que se deve ter com o que vai se falar sobre o diabo e os seus demônios. Se um arcanjo poderoso do reino de Deus, não quis pronunciar maldições nem ameaças e nem muito menos acusações contra o diabo, é porque existe alguma proibição da parte de Deus quanto a isso. É melhor ignorá-lo e fazer de conta que ele não existe, do que ser marqueteiro do seu nome. Tem muita gente que fala mais no nome do diabo e dos demônios do que no nome de Jesus.

MAS DISSE: O SENHOR TE REPREENDA. Nós não temos que viver confrontando contra o inimigo de nossas almas, pelo menos é o que este texto tem a ensinar, porque essa é uma questão que tem que ser resolvida com Deus. Tem muita gente chamando o diabo para a briga e não sabe o quanto ele é perigo, se não fosse à misericórdia de Deus ele nos devoraria no primeiro embate. A guerra espiritual é de Deus com ele.