Pesquisar este blog

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

2 Tessalonicenses 3:17-18

2 Tessalonicenses 3:17-18 - Saudação da minha própria mão, de mim, Paulo, que é o sinal em todas as epístolas; assim escrevo. A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com todos vós. Amém.
SAUDAÇÃO DA MINHA PRÓPRIA MÃO. Paulo, geralmente inicia suas cartas e também as conclui com uma saudação geral ou dirigida especificamente para quem está escrevendo. Neste caso, sua saudação vai para toda a igreja de Cristo que estava na cidade de Tessalônica. Várias ou a maioria de suas epístolas são por ele citadas e escritas por um dos seus auxiliares. No entanto, a conclusão de suas missivas Paulo costumava assinar de próprio punho, como sinal de autenticidade. Isso fazia o apóstolo porque neste tempo circulavam muitas correspondências falsas em nome de outrem.

DE MIM, PAULO. Com isso o autor estava autografando sua carta e dizendo para os seus leitores que ela era verdadeira. Os irmãos de Tessalônica reconheceram a autenticidade desta carta como sendo de Paulo, assim como praticamente todos os comentaristas bíblicos são unânimes quanto a sua autoria. Paulo era um dos apóstolos de Cristo que fez parte do ministério cristão no tempo da igreja primitiva. Ele era conhecido como sendo o apóstolo dos gentios porque foi enviado pelo Senhor Jesus para desbravar novos campos missionários aonde não havia igrejas.

QUE É O SINAL EM TODAS AS MINHAS EPÍSTOLAS. ASSIM QUE ESCREVO. É de comum acordo entre a maioria dos comentaristas bíblicos que as epístolas de Paulo, assim como os demais escritos que compõem o cânon do novo testamento circulavam entre todas as igrejas deste tempo. No caso das cartas de Paulo, ele as autenticava com um mesmo sinal, que já era conhecido pelos líderes das igrejas para as quais ele escrevia. O autor se refere à forma literária como ele fechava ou concluía suas epístolas. É tanto que suas cartas terminam com sua saudação a igreja ou a pessoas.

A GRAÇA. No tempo do judaísmo entre os filhos de Israel a saudação comum entre eles era Paz. Já com a implantação do cristianismo depois da vinda do Messias como sendo Jesus de Nazaré, a saudação da igreja composta de gentios, era justamente, graça. Quando o cumprimento era entre judeus e gentios era graça e paz. Esta graça a que se refere o autor diz respeito aos favores da parte de Deus para toda a humanidade mediante a reconciliação realizada pelo Filho de Deus, Jesus Cristo.

DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Temos neste ponto desta carta a citação do título completo do nome de Cristo. Destacando de antemão o Senhorio de Cristo que pode ser notabilizado em toda a mensagem do evangelho das boas novas. Jesus é o nome própria do Filho de Deus, e quer dizer: Aquele que veio salvar o seu povo dos seus pecados, o Salvador. O sobrenome Cristo, nos fala a respeito da missão do Messias de Deus entre os homens e envolve tudo aquilo que diz respeito à redenção da humanidade. A palavra “Cristo” nos fala sobre a expiação dos nossos pecados.

SEJA COM TODOS VÓS. AMÉM. O que o apóstolo deseja realmente é que os efeitos da morte expiatória de Cristo Jesus possam chegar a todos os moradores de Tessalônica e que a graça salvadora do Senhor Jesus venha a conduzir aos milhares aos pés da Cruz e com isso proporcionar vida eterna aos remidos pelo sangue de Cristo.

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

2 Tessalonicenses 3:16

2 Tessalonicenses 3:16 - Ora, o mesmo Senhor da paz vos dê sempre paz de toda a maneira. O Senhor seja com todos vós.
ORA, O MESMOS SENHOR. Já chegando ao final desta segunda carta aos tessalonicenses, o apóstolo destaca o Senhorio de Cristo. Em todo o evangelho da graça se percebe o destaque que se dar ao Senhorio de Cristo. No entanto, tem um texto especial que mostra como Cristo se tornou o Senhor dos Senhores. Filipenses 2:8-11 - Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome. Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra. E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o SENHOR, para glória de Deus Pai. Esta é uma expressão exata do Senhorio de Cristo.

DA PAZ. Cristo é de fato e na verdade o Senhor da Paz. Mesmo antes de sua vinda ao mundo, o Cristo de Deus já era anunciado como o Messias que viria para estabelecer a paz entre Deus e os homens. O sacrifício do Cordeiro de Deus em um ato de expiação pelos pecados do povo foi à prova maior da reconciliação entre o Criador e suas criaturas. Quando o evangelho da paz fala sobre a redenção da humanidade, por meio de Cristo Jesus, o Salvador, ele esta se referindo a esta tão importante paz que Cristo estabeleceu entre os céus e a terra. Além do mais, o Senhor Jesus Cristo é o Senhor da paz, quando se interpõe em nossas vidas para nos dar segurança.

VÓS DÊ SEMPRE PAZ. Neste tempo em que Paulo escreveu esta carta era um tempo de guerra contra os cristãos. Os Judeus, não satisfeitos em ter matado o Cristo de Deus pendurado em uma cruz, agora, procuravam de todas as formas eliminarem a religião por Cristo fundada, o cristianismo. Sem falar nos demais líderes das religiões pagãs que tinham o cristianismo como uma ameaça, por captar os adeptos do paganismo. Em fim, o império romano de forma cruel buscava exterminar o cristianismo, porque estava sendo instrumento do império das trevas para prejudicar o crescimento e desenvolvimento da nova religião, o cristianismo imbatível.

DE TODAS AS MANEIRAS. Somente o Cristo de Deus poderia associar a verdadeira paz de todas as formas nas vidas dos seus seguidores que vinham atravessando momentos de turbulências. Paulo deseja que o Senhor Jesus entre em ação para trazer paz na vida social dos que confessavam o cristianismo como sua religião. Esta paz era mais que desejável por todos, porque o momento era de tensão. Até porque a maioria dos cristãos estavam sofrendo de alguma forma os efeitos da guerra acirrada contra os seguidores de Cristo. Eles precisavam de paz social e paz também de espírito, uma vez que a perseguição tanto era física quanto espiritual também.

O SENHOR SEJA COM TODOS VÓS. Somente a presença de Cristo na vida e nos corações dos cristãos de Tessalônica era que poderia contornar a situação difícil pela qual eles vinham passando. A presença do Senhor Jesus é autossuficiente para produzir a paz necessária que mais precisamos em nossas vidas. Mesmo que estejamos enfrentando os momentos mais difíceis da vida, mas quando sentimos a presença majestosa do Senhor Jesus em nossas vidas, ganhamos força para seguir em frente e não negar a nossa fé. Em meio às perseguições, prisões e a morte enfrentada pelos cristãos primitivos, só era possível suportar tudo com a presença de Cristo.

2 Tessalonicenses 3:14-15

2 Tessalonicenses 3:14-15 - Mas, se alguém não obedecer à nossa palavra por esta carta, notai o tal, e não vos mistureis com ele, para que se envergonhe. Todavia não o tenhais como inimigo, mas admoestai-o como irmão.
MAS, SE ALGUÉM NÃO OBEDECER. O apóstolo faz o chamado a ordem das coisas, requerendo de antemão sua autoridade como fundador daquela comunidade cristã, além de apóstolo dos gentios, comissionado pelo Senhor Jesus, o dono da igreja de Tessalônica. O que o autor efetivamente esperava dos irmãos desta igreja era de que fossem obedientes as suas palavras e principalmente os líderes da igreja que foram por ele ordenados ao ministério. Paulo já estava informado de que lá em Tessalônica tinha alguns que demonstrava atitudes de rebeldia aos seus mandamentos.

A NOSSA PALAVRA POR ESTA CARTA. Certo é dizer que quando Paulo esteve presente naquela igreja ele havia de forma exaustiva ensinado sobre como se deve comportar no meio da comunidade cristã. E se porventura alguém já tivesse se esquecido dos seus ensinos transmitidos de forma oral, agora, por meio desta carta ele volta a retirar os mesmos mandamentos. Com as recomendações e exortações feitas por meio desta missiva, ninguém tinha mais desculpa de dizer que não era ciente das regras estabelecidas pelo ministério da igreja primitiva sobre como viver.

NOTAI O TAL, E NÃO VOS MISTUREIS COM ELE. O autor se refere aqueles que buscavam tirar proveito da igreja, no sentido de não querer trabalhar com as próprias mãos para se manter, mas que buscavam explorar a igreja como mercenários da fé. Paulo recomenda que os irmãos fiquem atentos sobre estes profissionais do evangelho, que tentam usar a palavra de Deus para ganhar dinheiro. O conselho do apóstolo era de que os irmãos se comungassem com este tipo de atitude dos que pregam, cantam ou oram por recompensas financeiras. Notai o tal.

PARA QUE SE ENVERGONHE. O que o autor pretendia com estas recomendações era de que os próprios que estavam errados se achassem culpados do seu erro e se sentisse na necessidade de mudarem de atitude. O apóstolo apelava para a consciência destes supostos pregadores a fim de que eles se sentissem envergonhados do que vinham fazendo e se convertessem dos seus erros. Não dá para entender o fato de que alguém não tenha vergonha de ser um mercenário.

TODAVIA, NÃO O TENHAIS COMO INIMIGO. Neste ponto, o autor sagrado ameniza sua reprimenda, no sentido de demostrar compaixão pelos que se achavam certo, mas que no fundo no fundo estavam errados. Paulo não esperava que o ministério local fosse radical ao extremo de excluir totalmente estes profissionais do evangelho. Ele confiava de que sua exortação tivesse um efeito pedagógico para eles.

MAS ADMOESTAI-O COMO IRMÃO. O autor desta carta estava recomendando aos líderes da igreja de Tessalônica que chamassem aqueles que estavam usando o evangelho para ganhar dinheiro com o serviço cristão e lhes admoestassem, no sentido de mudarem de atitude. Estes mesmos conselhos do apóstolo se bem aplicáveis aos dias de hoje pelo fato de que o comercio da fé tem tomado espaço bastante expressivo no seio das igrejas cristãs. E isso tem sido motivo de escândalo.

2 Tessalonicenses 3:13

2 Tessalonicenses 3:13 - E vós, irmãos, não vos canseis de fazer o bem.
E VÓS. Nos textos anteriores o apóstolo vinha recomendando e exortando aos desordeiros para que vivessem do seu trabalho com sossego, sem serem um peso para a igreja de Cristo. Agora, neste ponto, o autor se dirige aos irmãos da igreja de Tessalônica para lhes transmitir um conselho prático que faz parte dos mandamentos de Cristo que é o amor fraternal uns pelos outros. Certamente Paulo quando presente entre os irmãos já havia transmitido de forma oral tais conselhos aos seguidores de Cristo naquela igreja. No entanto, como a tradição oral é um tanto vulnerável ao esquecimento, agora por carta, ele não perde a oportunidade de exortar aos discípulos de Cristo sobre como se deve ser incansáveis na prática do bem.

IRMÃOS. O costume de se chamar alguém de irmão mesmo sem pertencerem aos mesmos pais biológicos já era uma prática comum entre os israelitas. Primeiro porque eles eram conscientes de que todos são filhos de um mesmo pai e uma mesma mãe, Adão e Eva. Depois, os Judeus tinham como Pais comuns os chamados heróis da fé, Abraão, Isaque e Jacó. Como os bons costumes do judaísmo foram transferidos para o cristianismo, com essa tradição, não poderia ser diferente. Desde os tempos da igreja primitiva que os cristãos de todos os tempos se consideram irmãos uns dos outros, por terem um mesmo Pai, em Cristo Jesus Nosso Senhor.

NÃO VOS CANSEIS. Todos aqueles que pertenciam à mesma família de Deus deveriam ser incansáveis na prática de coisas boas ao seu próximo, principalmente aos domésticos da fé. Essa expressão do autor nos leva a pensar de que a obra da caridade para com o nosso semelhante deve ser permanente. Pouca gente gosta de fazer favores a uma mesma pessoa por várias vezes, no entanto, o conselho do autor é de que os irmãos de Tessalônica fossem repetitivos na doze de fazer o bem sem olhar a quem e quantas vezes fosse necessário. A igreja desta época passava por muitos problemas de perseguição e os cristãos precisavam ajudar-se mutualmente.

DE FAZER. O verbo usado neste ponto pelo autor sagrado nos leva a conjecturar de que a intenção do apóstolo era de recomendar aos irmãos que exercitassem a prática de boas obras, assim como eles já estavam bem instruídos de forma teórica. Era o momento de por em prática a teoria. O amor fraternal ensinado pelo Senhor Jesus deve sair do discurso para a prática, da teoria para a ação. Não adianta dizer que ama o próximo e na realidade não fazer nada por ele em termos reais.

O BEM. A igreja primitiva vinha desde o tempo de Cristo sendo perseguida pelos Judeus, pelos líderes das religiões pagãs, pelos gnósticos como representantes das religiões naturais e principalmente pelo império romano. A maioria dos irmãos tinham seus bens confiscados e suas propriedades tomadas pelo governo. Neste tempo, não era nada fácil se declarar um seguidor do cristianismo. Com tudo isso, os irmãos precisam se unir na prática do amor fraternal para sobreviverem a tudo isso.

sábado, 22 de novembro de 2014

2 Tessalonicenses 3:12


2 Tessalonicenses 3:12 - A esses tais, porém, mandamos, e exortamos por nosso Senhor Jesus Cristo, que, trabalhando com sossego, comam o seu próprio pão.
A ESTES TAIS. A quem o autor se refere? Aos que não querendo trabalhar com as suas próprias mãos querem se aproveitar da boa vontade da igreja para serem sustentados pelos irmãos. Aos mercenários que buscam fazer do evangelho uma profissão para ganharem dinheiro com a pregação, com o louvor ou com a oração. Aos praticantes da venda de indulgências, ou seja, aqueles que ganham dinheiro quando fazem a suposta obra de Deus, quando na realidade estão praticando ativismo religioso. Porque ninguém pode fazer do evangelho cabide de emprego.

POREM, MANDAMOS. Apesar de um ministério cristão ainda está em formação, mas, o apóstolo Paulo era organizado nas ordenanças das igrejas por ele fundadas. De forma que havia mandamentos para quem porventura fizesse parte do ministério. Os líderes da igreja cristã em Tessalônica já estavam por Paulo instruídos a cerca dos que pregavam ou ensinavam as boas novas do reino de Cristo, isso de forma oral, mas, agora estavam recebendo por escrito do apóstolo dos gentios, de como deveriam agir com aqueles que desejassem tirar proveito do evangelho de Cristo.

E EXORTAMOS. Não somente era um mandamento ou uma ordenança do escritor desta carta, mas, também era uma exortação. Exortação no sentido de conselho prático, como e principalmente uma reprimenda aos que estavam deixando de ser servos do reino de Cristo para serem mercenários ou profissionais do evangelho. Com isso, o autor deixa transparecer que haverá cobranças da parte dele, se alguém quebrasse as regras por ele estabelecidas. O apóstolo era excessivamente amoroso tanto quanto era zeloso da obra de Cristo nas igrejas por ele fundadas.

POR NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. As instruções, mandamentos e exortações feitas por Paulo neste particular não representava somente o seu deseja de por em ordem a obra de Cristo naquela igreja, mas acima de tudo eram ordenanças do criador do Cristianismo, Nosso Senhor Jesus Cristo. A expressão “nosso Senhor” nos fala a respeito do Senhorio de Cristo sobre toda a sua igreja. Jesus é o nome próprio do Filho de Deus, que quer dizer: O Salvador. E o sobrenome Cristo nos fala a respeito da missão do Messias de Deus e o seu sacrifício vicário para estabelecer a reconciliação.

QUE, TRABALHANDO COM SOSSEGO. O mandamento e a exortação de Paulo para o ministério era de que cada um tivesse seu trabalho secular ou uma profissão para se manter, e não depender da igreja para se sustentar. O pensamento de Paulo era de que a igreja não estava na obrigação de sustentar quem quer que fosse, simplesmente pelo fato de quem este alguém pregava, cantava ou orava pela igreja. A prática do comercio da fé já era combatida por Paulo, assim como deve ser nos dia de hoje.

COMAM O SEU PRÓPRIO PÃO. Nada mais claro e objetivo do que o autor esta retratando nesta frase. O seu mandamento e exortação era de que os que fazem a obra de Deus tenha o seu próprio trabalho secular para se manter e comer a sua própria custa e não a custa da igreja. Percebe-se que nos dias atuais está totalmente diferente do que era na igreja primitiva. O cristianismo está repleto de mercenários.

2 Tessalonicenses 3:10-11


2 Tessalonicenses 3:10-11 - Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto, que, se alguém não quiser trabalhar, não coma também. Porquanto ouvimos falar que alguns entre vós andam desordenadamente, não trabalhando, antes fazendo coisas vãs.
PORQUE QUANDO AINDA ESTAVA CONVOSCO. Não se sabe ao certo quanto tempo nem quantas vezes o apóstolo Paulo esteve entre os irmãos de Tessalônica. Mas, o que se sabe é que ele foi um dos principais fundadores daquela comunidade cristã. Como missionário do cristianismo, ele se deslocava de cidade em cidade em busca de levar as boas novas do evangelho da nova dispensação aonde Cristo ainda não era conhecido. No entanto, Paulo ficava em cada comunidade o tempo suficiente para preparar líderes locais para darem continuidade a obra de Cristo em cada localidade.

VÓS MANDAMOS ISTO. O que o apóstolo mandou que os irmãos de Tessalônica fizessem? Justamente o que está escrito nos textos anteriores: Porque vós mesmos sabeis como convém imitar-nos, pois que não nos houvemos desordenadamente entre vós, Nem de graça comemos o pão de homem algum, mas com trabalho e fadiga, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós. Não porque não tivéssemos autoridade, mas para vos dar em nós mesmos exemplo, para nos imitardes. Estes eram ensinos que os líderes de Tessalônica já eram conhecedores.

QUE SE ALGUÉM NÃO QUER TRABALHAR NÃO COMA TAMBÉM. Este “trabalhar” a que se refere o autor sagrado, não diz respeito à obra de Deus, mas sim as atividades seculares. Nos textos anteriores o apóstolo deixou bem claro que ele próprio trabalhava dia e noite, na construção de tendas, para se manter e não comer o pão de ninguém de graça, e que os irmãos fossem seus imitadores neste particular. Se alguém não trabalhasse nas atividades seculares, a igreja não tinha obrigação de sustenta-lo.

PORQUANTO OUVIMOS FALAR. Apesar de ausente, por conta de suas atividades evangelizadoras por todas as parte, porem, Paulo tinha o seus informantes para lhe manter bem informado dos fatos que aconteciam em todas as igrejas que ele fundou e que era supervisor, ou bispo. E as informações que tinham chegado ao apóstolo eram de que alguns, simplesmente pelo fato de pregarem a palavra de Deus, queriam ser sustentados pela igreja. Paulo não aceitava este tipo de barganha.

QUE ALGUNS ENTRE VÓS ANDAM DESORDENADAMENTE. Primeiro, estes malandros não pertenciam ao ministério ordenado pelo apóstolo Paulo. Até porque os que foram ordenados pelo grande missionário dos gentios estavam instruídos de que não deveriam ser sustentados pela igreja, mas deveriam trabalhar em suas atividades seculares para não dependerem da igreja. Certamente estes eram pregadores itinerantes, se auto intitulando de ministros do evangelho de Cristo.

NÃO TRABALHANDO, ANTES FAZENDO COISAS VÃS. Quem não trabalha em suas atividades seculares para se manter, também não deve ser sustentado pela igreja. Até porque a igreja não tem obrigação de sustentar malandro. Estes desordeiros viviam batendo perna de casa em casa dos cristãos, dizendo-se pregadores do evangelho somente para não trabalharem e se aproveitarem da boa vontade alheia.

2 Tessalonicenses 3:9

2 Tessalonicenses 3:9 - Não porque não tivéssemos autoridade, mas para vos dar em nós mesmos exemplo, para nos imitardes.
NÃO PORQUE. Se Paulo quisesse teria se aproveitado da boa vontade dos irmãos de Tessalônica e das demais igrejas por ele fundadas para explorar financeiramente a todos. Deixando de trabalhar com as próprias mãos na construção de tendas para viver a custa da igreja de Cristo. Mas ele não usou dos privilégios de que dispunha como fundador de muitas igrejas e pai na fé de grande quantidade de cristãos para ser sustentado pelos outros. Pelo contrário, ele era contra viver a custa dos cristãos, como também recomendava aos demais ministros por ele ordenado a mesma coisa.

NÃO TIVÉSSEMOS. O que o autor está tentando transmitir para os seus leitores é de que se quisesse podia muito bem parar com suas atividades seculares e viver ao bel prazer sendo sustentado com o suor dos irmãos. Ele tinha esse poder se assim quisesse usufruir dos benefícios alheios. Os seus leitores eram reconhecidamente grato ao apóstolo pelos seus trabalhos missionários naquela cidade e região. De forma que eles mesmos não se negariam a sustentar o apóstolo no que ele precisasse, não somente no sustento de alimentos, mas em suas viagens missionárias também.

AUTORIDADE. Paulo não somente era a principal liderança desta igreja que estava na cidade de Tessalônica, como também era reconhecido como sendo o apóstolo do Senhor Jesus Cristo enviado aos campos missionários aonde Cristo ainda não era conhecido. De forma que ele gozava de grande autoridade e consideração da parte de todas as igrejas por ele fundadas. Talvez, muito mais do que os apóstolos que faziam parte do grupo dos doze. Até porque os demais concentraram suas atividades em Israel, como Judeus que eram, e nas regiões da palestina.

MAS PARA VÓS DAR EM NÓS MESMOS. O comportamento de independência financeira praticado por Paulo e os demais ministros por ele ordenado tinha como finalidade dar o exemplo de que ninguém deve usar do cargo que ocupa no ministério para explorar financeiramente a igreja de Cristo. Até porque o serviço que se deve prestar na obra de Deus e pelo nosso próximo deve ser por amor e não por dinheiro. Paulo trabalhava dia e noite para se sustentar, porque ele não achava justo depender do suor dos outros para sobreviver. O homem deve comer do seu suor.

EXEMPLO. Em 1 Coríntios 11: 1 – O próprio Paulo diz: Sede meus imitadores, como eu de Cristo. Qualquer um dos ministros que foram ordenados ao ministério por Paulo que ganhassem dinheiro para fazer a obra de Deus e o serviço fraternal ao próximo, não estava seguindo o exemplo dado pelo grande apóstolo dos gentios. Todos eram conhecedores do esforço empregado por Paulo para não explorar ninguém. A mensagem deste texto é uma reprimenda forte para os profissionais do evangelho.

PARA NOS IMITARDES. O que Paulo esperava dos líderes da igreja cristã de Tessalônica era de que eles fossem bons discípulos dos seus ensinos e do seu próprio exemplo de vida no ministério. Não era aceitável por Paulo nem para o ministério, alguém pregar por dinheiro, nem fazer a obra do evangelho por recompensas financeiras. Quem ganha dinheiro para fazer as coisas para Deus é mercenário.

2 Tessalonicenses 3:8


2 Tessalonicenses 3:8 - Nem de graça comemos o pão de homem algum, mas com trabalho e fadiga, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós.
NEM DE GRAÇA. Este é um dos textos do evangelho muito claro no combate ao comercio da fé. E pela verdade das doutrinas do novo testamento, o evangelho nunca foi escrito para ser cabide de emprego para quem quer que seja. Paulo como um dos mais importante missionário enviado ao campo missionário gentílico nos deixou o exemplo de que ninguém deve usar o evangelho da nova dispensação para ganhar dinheiro, fama ou poder eclesiástico. Nos dias de hoje, os profissionais do evangelho se utilizam dos mais sórdidos meios para tirarem proveito do povo de Deus.

COMEMOS PÃO DE HOMEM ALGUM. A recomendação do Senhor Jesus é: De graça recebestes, de graça dai. Tudo que temos recebido da parte de Deus, no que concernem aos dons espirituais, Deus nos deu de forma gratuita, e da mesma forma devemos oferecer a boas novas do evangelho a quem precisa. Nem mesmo o próprio sustento, comida, o apóstolo aceitava como pagamento pelas suas atividades em prol do reino de Cristo. Quando mais altos salários ou somas significativas em dinheiro como acontece nos últimos dias. As igrejas estão cheias de mercenários.

MAS COM TRABALHO E FADIGA. Paulo trabalhava na construção de tendas para se manter como missionário e pregador do evangelho da nova aliança de Deus. Ele não aceitava ser chamado de explorador da igreja, nem que os ministros ordenados por ele fizessem isso. Certamente, administrava o seu tempo em atividades seculares para se manter e não aceitava ser sustentado por quem quer que seja. É uma vergonha para o evangelho como os mercenários da fé tem agido nestes últimos dias, e é ao mesmo tempo motivo de escândalos como tem agido os profissionais do evangelho.

TRABALHANDO NOITE E DIA. Paulo se gastava e se deixava gastar em prol do evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo. Quando não estava envolvido na obra missionária esta trabalhando nas atividades seculares para não depender da igreja. O correto é ser como foi Paulo, o obreiro deve ter e exercer sua profissão secular para se manter e manter sua família, e ao mesmo tempo, por amor, exercer seus dons no que diz respeito a obra de Deus. E não fazer da sua missão uma profissão econômica.

PARA NÃO SERMOS PESADOS. O que Paulo quis dizer com isso? É que ele não dependia da igreja para fazer a obra de Deus. Ele não aceitava ser pago para fazer a obra de Deus. Não aceitava dinheiro para pregar, cantar nem orar, nem muito menos para servir ao reino de Cristo. Quem recebe dinheiro para pregar, cantar, orar ou fazer qualquer atividade religiosa está praticando indulgência, que é abominável. O que devemos fazer pelo reino de Cristo e pelo nosso próximo deve ser por amor e não por interesses financeiros. Os sistemas religiosos estão, portanto corrompidos.

A NENHUM DE VÓS. Paulo não aceitava ser corrompido por quem quer que seja. Não aceitava ser subornado por ninguém, no que concerne a aceitar pagamento pelos seus serviços de cunho religioso. Quando alguém recebe dinheiro para fazer a suposta obra de Deus está praticando ativismo religioso e não pode dizer que serve a Deus.

2 Tessalonicenses 3:7


2 Tessalonicenses 3:7 - Porque vós mesmos sabeis como convém imitar-nos, pois que não nos houvemos desordenadamente entre vós.
PORQUE VÓS. A preocupação do autor era com os seus leitores, de forma especial aqueles que lhe conheciam de ver e não somete de ouvir falar. Paulo como missionário do reino de Cristo buscava se identificar com os seus filhos na fé, buscando neles que fossem seus imitadores. Ele escreveu: sede meus imitadores, como eu sou de Cristo (1 Coríntios 11:1). Sabendo de que os defensores do judaísmo assim como os falsos mestres gnósticos lutavam para arrebatar seguidores do cristianismo, o escritor neste ponto de sua carta faz recomendações importantes.

MESMOS SABEIS. O conteúdo transmitido pelo apóstolo não era algo de estranho aos seus leitores, até porque quando presente, por meio de suas pregações e ensinos Paulo buscou instruir os cristãos de Tessalônica a respeito dos assuntos por ele tratados nesta epístola. Neste tempo, o ministério da igreja primitiva já estava bem solidificado com muitos ministros da palavra ordenados e sendo enviados por todas as partes para ensinarem as igrejas sobre os fundamentos das doutrinas cristãs. No caso de Paulo, ele era não somente missionários, mas ensinador do evangelho de Cristo.

COMO CONVÊM. A igreja de Tessalônica tinha inteiro conhecimento das normas e conceitos da nova aliança de Deus com a humanidade. Com isso eles precisavam se desvincular das fábulas artificias dos judaizantes assim bem como das filosofias sufistas dos falsos mestres gnósticos. Os irmãos já estavam instruídos de como deviam se comportar quando da presença daqueles que buscavam transtornar o evangelho de Cristo.

IMITAR-NOS. Certamente, quando presente entre os seus leitores, Paulo deu exemplo de como deveriam se comportar os cristãos, quando recebessem a visita de algum representante dos judaizantes ou dos falsos mestres gnósticos. E o que o autor esperava era de que os irmãos, e principalmente os líderes da igreja em Tessalônica fossem imitadores dele e dos demais apóstolos e pregadores autorizados e ordenados.

PORQUE NÃO NOS HOUVEMOS DESORDENADAMENTE. Apesar de Paulo não constar na lista do grupo dos doze apóstolos, porque sua chamada se deu um pouco mais tarde, e há quem diga que os apóstolos se precipitaram em escolher Matias, e não esperarem um pouco mais, quando da conversão de Paulo. Mesmo assim Paulo tinha apoio do grupo dos doze, como missionário, como fundador de igrejas e doutrinador das tradições cristãs. De forma que ele tinha um comportamento exemplar.

ENTRE VÓS. Não se sabe ao certo quanto tempo Paulo ficou, nem quantas vezes esteve presente entre os irmãos em Tessalônica. Mas, todas as vezes que lá esteve se comportou como legítimo representante do reino de Cristo e alguém digno de ser imitado como ministro do evangelho de Cristo Jesus. Ele era um bom exemplo de vida.

2 Tessalonicenses 3:6


2 Tessalonicenses 3:6 - Mandamo-vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo o irmão que anda desordenadamente, e não segundo a tradição que de nós recebeu.
MANDAMO-VOS, POREM IRMÃOS. O que Paulo estava repassando aos seus leitores era mandamento da parte do ministério para que eles cumprissem. A igreja de Cristo deste o seu começo sempre teve o que podemos chamar de administração eclesiástica em que os verdadeiros líderes da comunidade cristã procuravam por em ordem as coisas concernentes às reuniões, cultos ou liturgias da igreja. Certamente a igreja em Tessalônica tinha o seu líder local, mas o apóstolo como fundador daquela comunidade cristã já tinha repassado as normas, como se devia ser feito.

EM NOME DE NOSSO SENHOR. O que o autor estava recomendando aos irmãos de Tessalônica não era simplesmente suas ideologias pessoas, ou seu querer em como deviam se organizar os cristãos daquela cidade. Como um missionário de Cristo e portanto, escolhido e nomeado pelo Senhor Jesus, o que Paulo pregava, ensinava ou escrevia eram mandamentos de Cristo, porque eram feitos em nome do Senhor. Assim como Cristo era o Senhor da vida do apóstolo, também era o Senhor de todos os que faziam parte da comunidade cristã que estava na cidade de Tessalônica.

JESUS CRISTO. Jesus é o nome próprio do Filho de Deus e quer dizer: Aquele que veio para salvar o seu povo dos seus pecados, ou seja: O nome Jesus quer dizer: Salvador. O seu nome não foi escolhido ou posto pelos seus pais terrenos, mas foi designado pelo próprio Deus através do seu anjo (Mateus 1:21). Já o sobrenome Cristo, nos ensina da missão redentora do Messias de Deus e de como pelo seu sacrifício de amor voluntário ele comprou para si mesmo os remidos, e isso ele o fez por meio da reconciliação entre Deus e os homens. Jesus Cristo é, portanto, o único salvador da humanidade.

QUE VOS APARTEIS DE TODO O IRMÃO. Certamente o autor esta se referindo aos que se passando por irmãos se infiltravam no meio da comunidade cristã para semearem as chamadas fábulas judaicas, como também os falsos ensinos filosóficos do gnosticismo. O apóstolo recomendava de que os irmãos não se associassem aos judaizantes nem aos falsos mestres gnósticos que procuravam transtornar a mensagem do evangelho de Cristo. Se apartar neste caso é não aceitar suas ideologias.

QUE ANDAM DESORDENADAMENTE. Todos os que faziam parte do ministério, sejam os apóstolos, os bispos, os presbíteros, os pastores, os missionários ou pregadores itinerantes, eram ordenados pelo ministério da igreja. Mas, existiam os judaizantes, os falsos mestres gnósticos, missionários pagãos e pregadores itinerantes heréticos que andavam de cidade em cidade e de lar em lar ensinando doutrinas que não eram de conformidade com as tradições do cristianismo defendido por Paulo e os apóstolos.

E NÃO SEGUNDO A TRADIÇÃO QUE DE NÓS RECEBESTES. Acredita-se que o ministério cristão, ainda que em formação, já continha às regras para que os homens de Deus se enquadrassem nos moldes para fazer parte do ministério, o que o autor chama aqui de tradição. Não era qualquer um que podia fazer parte deste ministério, mas somente aqueles que fossem escolhidos por Cristo e ordenados pelo ministério.

2 Tessalonicenses 3:4-5


2 Tessalonicenses 3:4-5 - E confiamos quanto a vós no Senhor, que não só fazeis como fareis o que vos mandamos. Ora o Senhor encaminhe os vossos corações no amor de Deus, e na paciência de Cristo.
E CONFIAMOS QUANTO A VÓS NO SENHOR. Paulo conhecia bem os irmãos da igreja de Cristo que estava na cidade de Tessalônica, ao ponto de depositar neles a confiança de que estavam dispostos a seguirem conforme os ensinos do evangelho de Cristo. O ser humano natural não é digno de confiança porque não tem o temor de Deus, e nisto ele é guiado pelos seus interesses pessoas. Mas os que são de Cristo merecem um voto de confiança, porque não fazem a sua própria vontade, mas se submetem ao querer do Senhor, com temor e reverência ao Deus Onipresente.

QUE NÃO SÓ FAZEIS COMO FAREI. O que o autor desta carta esperava e desejava era que os seus leitores fossem não somente conhecedores dos conceitos teóricos da nova dispensação da graça, por meio de Cristo. Mas que eles fossem acima de tudo praticante dos mandamentos de Cristo, conforme as boas regras das doutrinas cristãs. Não basta ser apenas ouvinte das boas novas do evangelho, mas se faz necessário se por em prática aquilo que conhecemos da vontade de Cristo Jesus.

O QUE VOS MANDAMOS. A igreja de Cristo em Tessalônica era bem instruída nos ensinos do evangelho de Cristo. Certamente era uma igreja bem visitada pelo grupo apostólico como também pelos pregadores itinerantes do evangelho, e principalmente pelo apóstolo dos gentios, Paulo. De forma que eles já eram conhecedores dos mandamentos proeminentes da nova aliança de Deus com a humanidade por meio de Cristo Jesus, o Salvador. Esperava-se apenas obediência.

ORA O SENHOR ENCAMINHE OS VOSSOS CORAÇÕES. Como não era nada fácil seguir a Cristo naquele tempo por conta das perseguições impostas pelos Judeus, pelos falsos mestres gnósticos, pelos líderes religiosos das religiões pagãs e pelo império romano. Paulo esperava ajuda do alto, da parte de Deus, no sentido de que o Senhor encaminhasse os corações dos irmãos na fé perfeito em Cristo para a salvação. Era importante o esforço dos irmãos, mas não seria suficiente sem a ajuda do alto.

NO AMOR DE DEUS. É muito fácil se apegar com amor excessivo as coisas materiais porque elas têm um efeito beneficiário imediato na vida das pessoas. O que o escritor deseja é que os irmãos sejam posicionados no amor de Deus. Isso pode ser visto no amor que Deus tem por todos os seguidores de Cristo, como também pode ser notabilizado pelo amor que devemos ter pelo nosso Deus. Deus deu em Cristo todas as provas do seu amor pelos remidos, e espera também ser correspondido.

E NA PACIÊNCIA DE CRISTO. Esta frase pode ser analisada por dois ângulos. A igreja primitiva esperava o retorno imediato de Cristo para arrebatar os salvos, sem, no entanto, distinguir que haveria um hiato de tempo entre a ascensão do Senhor Jesus e o seu retorno para realizar o arrebatamento. Como Cristo ainda não havia voltado, os irmãos precisavam de paciência. E a paciência de Cristo também nos fala sobre o seu modo paciente de suportar as perseguições sem recuar de sua missão redentora em prol da humanidade. Seja como for, a paciência deve ser uma característica cristã.

2 Tessalonicenses 3:2-3

2 Tessalonicenses 3:2-3 - E para que sejamos livres de homens dissolutos e maus; porque a fé não é de todos. Mas fiel é o SENHOR, que vos confirmará, e guardará do maligno.
PARA QUE SEJAMOS LIVRES. O apóstolo solicita as intercessões dos irmãos amados de Tessalônica para que Deus o mantenha livre. Como principal líder cristão desta época, Paulo era o mais perseguido pelos seus compatriotas Judeus, assim como também pelos líderes das demais religiões pagãs e principalmente pelo império romano. Ele era de fato um missionário desbravador do mundo até então alcançado pelo evangelho das boas novas. Por isso que teve de passar por várias perseguições, perigos de morte e prisões. Estando livre, ele podia cumprir sua missão aos gentios.

DE HOMENS DISSOLUTOS E MAUS. Neste caso, o apóstolo tanto se refere aos falsos líderes religiosos quanto às autoridades romanas que faziam de tudo para procurarem impedi-lo de pregar o evangelho. Esta é uma diretiva do autor aos judaizantes que lhe perseguiam, aos falsos mestres gnósticos que procuravam transtornar a mensagem do evangelho, os líderes das religiões pagãs da época e as autoridades que estavam a serviço do império romano em todas as partes. Estes inimigos do evangelho de Cristo eram tachados de homens dissolutos e maus, porque tudo faziam só para prejudicar.

PORQUE A FÉ NÃO É DE TODOS. Precisamos ter esta consciência de que nem todos corresponderão ao apelo do evangelho das boas novas. Verdade é que devemos pregar o evangelho da graça a todas as pessoas, mas uma outra realidade é que poucos estarão dispostos a renunciarem a vida profana para viverem de conformidade com a vontade de Deus. E ainda dentre os que são chamados existem ainda o grupo dos escolhidos. Muitos são chamados, mas poucos escolhidos.

MAS FIEL É O SENHOR. A fidelidade de Deus é incondicional. 2 Timóteo 2:13 - Se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo. O missionário confiava nesta fidelidade de Deus para com ele e para com os irmãos de Tessalônica. Assim como sabia de que estava a serviço do reino de Cristo, e com isso podia contar com a fidelidade de Deus para livrá-lo dos homens dissolutos e maus. O escritor esperava que Deus agisse para leva-lo a cumprir com sucesso sua missão.

QUE VOS CONFIRMARÁ. Também estava Paulo confiante de que o seu trabalho evangelístico na cidade de Tessalônica não seria em vão. Mas esperava que a igreja de Cristo naquela cidade se mantivesse firme naquilo que tinha aprendido com as boas novas de Cristo. Os judaizantes e os falsos mestres gnósticos rondavam a comunidade cristã tentando confundir a mente dos convertidos ao cristianismo. Sabendo disto, o escritor alertava aos seus leitores para que ficassem atentos.

E GUARDARÁ DO MALIGNO. Como um bom pai que se preocupa com os seus filhos na fé, o autor esperava que o Deus poderoso guardasse a igreja de Cristo que estava na cidade de Tessalônica. Como também o apóstolo sabia que por trás das perseguições, das prisões e mortes dos cristãos verdadeiros tinha a influencia do maligno. O diabo com seus demônios se utilizavam dos judaizantes, dos falsos mestres gnósticos, dos líderes das religiões pagãs e do império romano para atingirem os seus intentos.

2 Tessalonicenses 3:1


2 Tessalonicenses 3:1 - NO demais, irmãos, rogai por nós, para que a palavra do Senhor tenha livre curso e seja glorificada, como também o é entre vós.
NO DEMAIS, IRMÃOS. Desde o judaísmo que o costume de chamar os servos de Deus de irmãos já era prática comum entre os Israelitas. Como os bons costumes do judaísmo foram transferidos para o cristianismo, com essa boa prática não poderia ser diferente. No caso dos cristãos, todos são filhos de Deus em Cristo, conforme aprendemos em João 1:12 -13 - Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome. Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.

ROGAI POR NÓS. O que o autor está pedindo é que os irmãos de Tessalônica intercedam por ele e pelos demais pregadores do evangelho das boas novas, afim de que eles possam ter a possibilidade de pregar a palavra de Deus a tempo e fora de tempo. Também sempre foi uma prática benéfica entre todos os cristãos de todos os tempos orarem uns pelos outros para que Deus cuide dos seus filhos. Este era um tempo muito difícil para se pregar o evangelho, uma vez que o cristianismo ainda não era uma religião aceita pelo império romano, nem pelas demais religiões do mundo.

PARA QUE A PALAVRA DO SENHOR. Esta palavra a que se refere o escritor diz respeito às boas novas do evangelho libertador do Senhor Jesus. E o evangelho de Cristo é tudo aquilo que diz respeito às boas novas de Deus no que concerne à nova dispensação da graça divina para a humanidade por meio de Cristo Jesus. Neste período o cânon do novo testamento ainda estava em formação, de maneira que o evangelho era pregado pelos mensageiros do reino de Cristo, tanto nas igrejas, como também nos campos missionários. E Paulo era um destes missionários pregador.

TENHA LIVRE CURSO. Os judaizantes buscavam de todas as formas deter o crescimento do cristianismo na terra. Até porque eles não aceitaram ao Messias enviado por Deus, como sendo Jesus de Nazaré. Por outro lado, existiam as demais religiões já implantadas em cada cidade do mundo de então. E o cristianismo passou a ser uma ameaça aos interesses destas demais religiões e dos seus líderes. Em fim, o império romano procurava de todas as formas eliminar a religião fundada por Cristo. Todos estes sistemas juntos buscavam impedir que Paulo pregasse o evangelho.

E SEJA GLORIFICADA. A solicitação do autor desta epístola era de que os irmãos de Tessalônica lhe ajudassem em oração para que ele pudesse pregar a palavra de Cristo com plena liberdade. A glorificação do evangelho neste caso seria sua divulgação de forma abrangente como o Senhor Jesus determinou. Marcos 16:15 – Disse-lhes Jesus: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura.

COMO TAMBÉM O É ENTRE VÓS. Paulo conhecia bem a realidade da igreja de Tessalônica e daquela cidade no que tange a divulgação do evangelho naquele lugar. O mesmo desejo ele sentia quanto a outros lugares, aonde ele evangelizava.

2 Tessalonicenses 2:17

2 Tessalonicenses 2:17 - Console os vossos corações, e vos confirme em toda a boa palavra e obra.
CONSOLE. No texto anterior o autor estava descrevendo sobre o Senhor Jesus Cristo e Deus, o Pai. De forma que o desejo do escritor é de que Deus em Cristo Jesus console os seus leitores. Na realidade os cristãos primitivos viviam momentos de perseguições por parte das demais religiões e principalmente do império romano que não reconheceu de início o cristianismo como religião. Assim como também pairava sobre a mente dos seguidores de Cristo daquela época, a ansiedade pela volta eminente de Cristo para buscar a sua igreja. No entanto, o apóstolo esperava que Deus por Cristo consolasse os cristãos de Tessalônica, com paz e tranquilidade.

OS VOSSOS CORAÇÕES. Na maioria das vezes em que o evangelho fala sobre o coração do homem, se refere não ao órgão físico do nosso corpo, e neste caso se refere justamente ao homem interior, sua alma e seu espírito. Na época em que esta carta foi escrita haviam rumores de que o governo do anticristo já estava sendo implantado no mundo de então. Porem, a igreja tinha esperança e fé de que antes da implantação do governo do anticristo na esfera terrena, o Senhor Jesus voltaria para arrebatar os remidos que ele comprou. Como Cristo ainda não tinha voltado isso provocava inquietação e ansiedade nos corações dos cristãos daquela época.

E VOS CONFIRME. Além das consolações necessárias naquele momento de angustias e ansiedades nos corações dos servos de Cristo, o autor deseja também que Deus em Cristo Jesus dê a devida firmeza na fé e na esperança aos seus leitores. Depois de enfrentarem tantas perseguições, terem os seus bens confiscados pelo governo e sofrerem tantas angustias, não adiantava nada, se porventura se desviassem das verdades que haviam recebido e crido. O escritor sabia de que muitos em meio às perseguições negavam a fé e apostatavam do que tinham crido, por isso que ele pede a Deus por Cristo para que o Senhor dê firmeza na fé aos seus leitores.

EM TODA BOA PALAVRA. Nem toda palavra é boa, assim como nem toda palavra pregada nos púlpitos das igrejas é a palavra de Deus. A boa palavra é aquela que está de conformidade com o evangelho genuíno de Cristo Jesus. Tanto os que ensinam como os que pregam precisam dar a mais pura interpretação do que está escrito no evangelho do Senhor Jesus. Quando o autor descreve sobre um outro evangelho em (Gálatas 1:6-9) é porque existem muitos pregadores que por interesses pessoas deturpam a mensagem do evangelho de Cristo. A boa palavra sobre a qual o escritor fala diz respeito ao que se ensina ou se prega de acordo com o Espírito de Deus, e não de conformidade com as ideologias pessoas dos que pregam ou ensinam.

E OBRAS. Não é que as boas obras possa salvar a quem quer que seja, mas como discípulos de Cristo devemos dar bons exemplos de quem efetivamente segue o amor fraternal. A salvação é uma obra exclusiva da redenção já feita por Cristo em seu sacrifício expiatório e lugar dos pecadores. Quando o cristão pratica uma boa ação ele esta dando uma prova prática de que procura viver o segundo mandamento da lei de Cristo, que é o amor fraternal para com o próximo. E Paulo deseja que Deus em Cristo confirme os seus leitores não somente no evangelho, mas também nas boas obras.

2 Tessalonicenses 2:16

2 Tessalonicenses 2:16 - E o próprio nosso Senhor Jesus Cristo e nosso Deus e Pai, que nos amou, e em graça nos deu uma eterna consolação e boa esperança.
E O PRÓPRIO NOSSO SENHOR. O autor desta epistola termina este segundo capítulo de sua missiva envolvendo o próprio Senhor Jesus Cristo em amparar e consolar os cristãos de Tessalônica. Na realidade Cristo está assentado a destra de Deus nas maiores alturas, no entanto, ele próprio cuida dos interesses da sua igreja na terra e está sempre vigilante sobre tudo que acontece com os seus remidos. É tanto que, ao subir para estar junto do Pai, ele enviou o seu santo Espírito para substituir sua presença entre nós na terra. Cristo continua trabalhando pela sua igreja.

JESUS CRISTO. Jesus é o nome próprio do Filho de Deus e significa; aquele que veio para salvar o seu povo dos seus pecados. Mateus 1:21 - E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados. Quando do seu nascimento, foi determinado pelo próprio Deus Pai que este seria o seu nome próprio. O sobrenome Cristo nos fala a respeito da missão já prevista sobre o Messias de Deus e tudo que envolve a redenção da humanidade. Cristo é o enviado de Deus e ungido do Senhor para fazer a expiação dos pecados da humanidade.

E NOSSO DEUS E PAI. Como tudo que envolve a pessoa bendita de Jesus Cristo também envolve o Deus pai, porque eles são um e a mesma pessoa (João 10:30), então estas mesmas consolações que vem da parte de Cristo também vem da parte de Deus pai. Deus é o nosso Pai Criador e por meio de Cristo somos seus filhos por adoção. Todos aqueles que recebem a Cristo como Senhor e Salvador tem o direito de se fazer filho de Deus, os que creem no nome de Cristo Jesus. Assim como todo ser humano tem seu pai biológico, muito mais importante é o nosso Pai espiritual.

QUE NOS AMOU. O evangelho da graça nos fala de forma especial sobre este amor de Deus pelos remidos de Cristo. João 3:16 - Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Romanos 5:8 - Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. 1 João 4:19 - Nós o amamos a ele porque ele nos amou primeiro. Tudo que Cristo fez e realizou em prol da humanidade foi a prova maior deste tão grande amor de Deus por nós.

E EM GRAÇA NOS DEU UMA ETERNA CONSOLAÇÃO. Esta eterna consolação a que se refere o autor diz respeito à salvação e vida eterna em Cristo Jesus. E somos beneficiados com essa salvação, não por merecimento, mas pela graça de Deus, que é um favor não merecido. Efésios 2:8 – Porque pela graça sois salvos, por meio da fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus. Deus é o Pai das consolações (2 Coríntios 1:3).

E BOA ESPERANÇA. Quem não tem a esperança de vida eterna, vive esta vida terrena da forma mais intensa possível, isto porque não acredita na boa esperança do porvir. Renunciamos os prazeres do mundo em troca desta boa esperança da vida eterna, porque sabemos que tudo há na terra é passageiro, mas o céu é para sempre.

2 Tessalonicenses 2:15

2 Tessalonicenses 2:15 - Então, irmãos, estai firmes e retende as tradições que vos foram ensinadas, seja por palavra, seja por epístola nossa.
ENTÃO IRMÃOS. O autor chama os seus leitores de irmãos porque os considerava como pessoas bem chegadas e porque tanto Paulo quanto os cristãos de Tessalônica pertenciam à família de Deus, tendo como irmão mais velho, o Senhor Jesus Cristo. Todos os seres humanos são criaturas de Deus e irmãos em Adão e Eva. De acordo com o evangelho da verdade, todos aqueles que recebem a Cristo como Senhor e salvador são chamados de filhos de Deus, os que creem em seu nome (João 1:11). Desde o começo do cristianismo que todos os discípulos de Cristo são irmãos na fé.

ESTAIS FIRMES. Diante dos rumores que se ouviam a respeito das falsas doutrinas e de um outro evangelho que circulava nos arredores de Tessalônica, o autor sagrado expressa sua preocupação com os seguidores de Cristo naquela cidade. E o seu grande desejo é de que todos permanecessem firmes nos caminhos do Senhor, sem negar a fé genuína no poderoso evangelho da graça e esperando a vinda de Cristo para arrebatar a igreja, porque somente depois disto é que surgiria o anticristo. Somente firmes na fé em Cristo Jesus é que os irmãos alcançariam as promessas de Deus para a salvação.

RETENDE AS TRADIÇÕES. As igrejas conheciam os ensinos deixados por Cristo durante o seu ministério de pregação, como também os apóstolos e líderes da igreja primitiva vinham transmitindo incansavelmente as tradições concernentes à nova dispensação da graça, e o próprio Paulo, como missionário enviado aos gentios, não cessava de ensinar nas igrejas onde fundava e aonde dava assistência, sobre os fundamentos do evangelho da verdade de Cristo. Estas tradições a que se refere o escritor dizem respeito ao evangelho de Cristo, no que concerne à nova dispensação da graça.

QUE VOS FORAM ENSINADAS. A igreja de Tessalônica era bem instruída nos ensinos deixados por Cristo e os seus representantes depois de sua ascensão. Cristo durante o seu ministério de pregação entre os seus apóstolos os ensinou de que fizessem discípulos de todas as nações (Mateus 28:19-20). Com isso, os apóstolos do Senhor Jesus tinham como missão levar as boas novas do evangelho de Cristo a toda criatura (Marcos 16:15). Principalmente Paulo, que foi chamado e enviado por Cristo a pregar e ensinar as boas novas do evangelho aos povos gentílicos, e isso ele fez muito bem.

SEJAM POR PALAVRAS. O próprio Senhor Jesus exerceu plenamente o seu ministério de pregação entre o povo de Israel e por onde passava. E a maioria dos apóstolos seguindo o exemplo do Mestre se dedicaram em pregar as boas novas da graça de Deus por todas as partes, principalmente depois da ascensão do Senhor Jesus. No caso de Paulo, ele exerceu de forma vigorosa o seu ministério de pregação e ensino das tradições do cristianismo, fundado pelo Senhor Jesus, por meio da palavra pregada.

SEJAM POR EPÍSTOLAS NOSSA. Além do ministério de pregação largamente exercido pelo grande apóstolo dos gentios, Paulo foi um dos privilegiados, dentre outros, em participar da escrita do novo testamento. Sejam por meio de cartas, missivas ou epístolas, o autor fez questão de deixar registrados seus ensinos sobre as tradições do cristianismo. Ao que tudo indica, as epístolas de Paulo circulava entre as igrejas.

2 Tessalonicenses 2:14

2 Tessalonicenses 2:14 - Para o que pelo nosso evangelho vos chamou, para alcançardes a glória de nosso Senhor Jesus Cristo.
PARA O QUE. O autor vinha no texto anterior agradecendo a Deus por ter elegido os cristãos de Tessalônica para a salvação. O evangelho de Cristo aborda o tema da eleição, predestinação e escolha divina. Estes são lemas polêmicos, porem, amplamente defendidos dentro das sagradas escrituras João 15:16 - Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei. Romanos 8:30 - E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou. Salmos 100:3 - Sabei que o SENHOR é Deus; foi ele que nos fez, e não nós a nós mesmos; somos povo seu e ovelhas do seu pasto. Além de outras tantas referências que poderiam ser citadas.

PELO NOSSO EVANGELHO. O escritor esta escrevendo sobre o evangelho pregado pelos apóstolos e pelos verdadeiros representantes do reino de Deus e de Cristo. Esse evangelho é chamado de “evangelho de Cristo”, e o evangelho de Cristo é a história narrada na palavra de Deus sobre o Messias, Sobre Jesus de Nazaré e sobre a nova aliança de Deus com a humanidade para a salvação em Cristo Jesus, simples assim. O evangelho de Cristo são as boas novas de redenção pelo sacrifício do Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo, Cristo Jesus. Nesta época já havia a circulação de um outro evangelho, sobre o qual Paulo escreve em Gálatas 1:6-9. Mas o evangelho por Paulo pregado era o evangelho genuíno de Cristo Jesus, o Salvador.

VOS CHAMOU. A chamada para a salvação dos seguidores de Cristo em Tessalônica era de fato conforme o evangelho de Cristo. Esta chamada sobre a qual o autor escreve, é a mesma coisa da predestinação de Deus para a salvação em Cristo, também diz respeito à escolha do Senhor Jesus na vida de todos aqueles que recebem pela graça a promessa de vida eterna. Romanos 8:29-30 - Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou. João 15:16, também aborda este mesmo assunto.

PARA ALCANÇARDES A GLÓRIA. Isso nos fala sobre que os salvos em Cristo Jesus também receberão da mesma glória que Cristo recebeu do Pai, e o evangelho da graça nos ensina sobre isso em 2 Coríntios 3:18 - Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor. Cristo Jesus é tudo em todos, e com respeito a sua igreja ele é muito mais ainda, até porque Cristo é glorificado pela igreja e a igreja será honrada pelo Senhor Jesus. O arrebatamento dos salvos e os eventos futuros dirão o quanto a igreja será valorizada por Cristo.

DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. O Senhorio de Cristo pode ser visto em todo o conteúdo do evangelho das boas novas. Quando o autor chama Cristo de Nosso Senhor é que o Cristo de Deus é Senhor dos senhores. “Jesus” é o nome próprio do Filho de Deus e significa; aquele que veio para salvar o seu povo dos seus pecados, enquanto que, a palavra “Cristo” nos fala a respeito da missão de Jesus de Nazaré.

2 Tessalonicenses 2:13

2 Tessalonicenses 2:13 - Mas devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos amados do SENHOR, por vos ter Deus elegido desde o princípio para a salvação, em santificação do Espírito, e fé da verdade.
MAS DEVEMOS SEMPRE DAR GRAÇAS. As ações de graças sempre foi um costume religioso e cultural dos Judeus e foi passado para os cristãos de todos os tempos. Somos conscientes de que não temos nada e que tudo provêm do Criador em nosso benefício, de forma que em reconhecimento ao seu trabalhar em nosso favor, dirigimos a Deus a nossa gratidão por tudo que ele realiza em nosso benefício. Este “sempre” subtende que todos os dias devemos realizar a nossa oração de agradecimentos ao Senhor por cada coisa boa e benéfica que chega até a nossa vida.

A DEUS POR VÓS. O escritor nos ensina “a quem devemos dirigir as nossas ações de graças”, que é justamente ao Deus que criou os céus e a terra. Neste caso, o autor dirige suas ações de graças a Deus pela vida dos seguidores de Cristo na cidade de Tessalônica. E isso faz Paulo em reconhecimento da graça salvadora do Deus de Israel por aquele povo, em especial pela igreja do Senhor Jesus naquele lugar. Como missionário de Cristo enviado aos gentios, o apóstolo tinha consciência da importância que tinha a dispensação da graça, com a vida do Messias como Salvador.

IRMÃO AMADOS DO SENHOR. Essa frase escrita por Paulo pode ser entendida de duas maneiras e ambas estão corretas. Primeira no sentido de que a igreja de Cristo na cidade de Tessalônica era de fato amada pelo grande apóstolo. Depois, os irmãos de Tessalônica eram muito amados pelo Senhor Jesus. Quando o autor chama os seguidores de Cristo de Irmãos é que somos todos filhos de um mesmo Pai celeste e todos também irmãos de Cristo.

POR VOS TER DEUS ELEGIDO. O evangelho de Cristo aborda o tema da eleição, predestinação e escolha divina. Estes são lemas polêmicos, porem, amplamente defendidos dentro das sagradas escrituras João 15:16 - Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei. Romanos 8:30 - E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou.

DESDE O PRINCÍPIO PARA A SALVAÇÃO. Este “princípio” pode ser entendido como sendo a eternidade de Deus. Também pode ser compreendido como sendo o princípio da criação do homem. E em se tratando do começo da igreja, pode-se referir ao tempo da implantação da nova dispensação da graça. Seja como for, o Deus de amor sempre esteve em plena atividade para salvar a humanidade perdida.

EM SANTIFICAÇÃO NO ESPÍRITO E FÉ NA VERDADE. Da parte de Deus, ele enviou o seu Espírito Santo que ajuda sempre ao ser humana de forma especial no processo da transformação de vida. Da parte do homem entra a fé no evangelho que o conduz aos pés de Cristo o salvador. Até porque a salvação é pela fé em Cristo (Efésios 2:8).

2 Tessalonicenses 2:12

2 Tessalonicenses 2:12 - Para que sejam julgados todos os que não creram na verdade, antes tiveram prazer na iniquidade.
PARA QUE SEJAM JULGADOS. Esta expressão mostra uma das facetas ou finalidades da grande tribulação que há de ser implantada no período do governo do anticristo, que é justamente um tipo de julgamento sobre o império da iniquidade e os seguidores da nova ordem mundial. O evangelho declara que os seres humanos serão julgados conforme o que tiver feito por meio da sua vida terrena, de forma que o castigo que há de ser imposto sobre os moradores da terra no tempo da grande tribulação é o peso da justa retribuição pelo que estarão fazendo contra Deus, o seu reino e o povo de Deus, cristãos ou Judeus. Por fim, serão ainda julgados perante o grande trono branco no juízo final, conforme está escrito em Apocalipse 20:12 - E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante de Deus, e abriram-se os livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras.

TODOS OS QUE. Este “todos” a que se refere o autor, diz respeito ao próprio anticristo, o falso profeta, que há de projetar no mundo o anticristo, e satanás com os seus demônio e todos aqueles que receberão o sinal da besta (666), e seguirão os parâmetros da nova ordem mundial. Ninguém que se posicionar contra Deus e o seu povo escapará dos efeitos devastadores do julgamento de Deus no período mais intenso da grande tribulação que há de cair sobre a terra. Quem ler cuidadosamente as profecias escatológicas dos fatos que sucederão neste tempo de angustia sabe muito bem que coisas terríveis haverão de acontecer contra os inimigos de Deus.

NÃO CRERAM NA VERDADE. Os seguidores do anticristo serão levados a provarem da ira do Cordeiro, porque não receberam o amor da verdade. Esta verdade representa o evangelho eterno de Cristo Jesus e os bons planos de Deus para a humanidade. Neste tempo, como o Espírito de Deus terá sido retirado da terra, a operação do erro estará em pleno vigor, onde quase todos os seres humanos se embrenharão na carnalidade, vivendo em absoluta devassidão moral e ética. Neste tempo, a mentira estará em evidência por conta do ministério da impiedade que vai ser implantado no governo do anticristo, que será regido com bases na enganação, na mentira e na injustiça.

ANTES TIVERAM PRAZER. Quando se afirma que a operação do erro será permitida em larga escala é que o Espírito de Deus, que convence o homem de suas culpas, de que ele precisa de Cristo, porque sem Cristo o resultado é a perdição eterna, este mesmo Espírito Santo não estará mais em plenitude com os moradores da terra. O homem sem o Espírito de Deus tem a consciência morta, portanto, não sente remorso nem arrependimento pela vida devassa que possa praticar e viver. O que prevalece é a desenfreada tendência pela carnalidade, com o domínio dos vícios e da imoralidade.

NA INIQUIDADE. Antes tiveram prazer na iniquidade. Toda iniquidade é pecado, diz o evangelho da verdade. Com a implantação da nova ordem mundial e o governo do anticristo, se fará como nunca antes a apologia aberta e vida de rebelião e apostasia dos seres humanos, isso porque a principal liderança política e religiosa do mundo, o anticristo, cuidará em realizar a maior de todas as profanações das coisas de Deus.

2 Tessalonicenses 2:11

2 Tessalonicenses 2:11 - E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam na mentira.
E POR ISSO. Porque não receberam o amor da verdade. Os seguidores do anticristo serão conduzidos para a perdição eterna, porque não receberam o amor da verdade. Esta verdade representa o evangelho eterno de Cristo Jesus e os bons planos de Deus para a humanidade. Neste tempo, como o espírito de Deus terá sido retirado da terra, a operação do erro estará em pleno vigor, onde quase todos os seres humanos se embrenharão na carnalidade, vivendo em absoluta devassidão moral e ética. Neste período, a palavra de Deus não terá o mesmo efeito que nos dias de hoje, porque dispensação o evangelho da graça tem a unção de Deus pela presença do Espírito do Senhor, que torna eficaz a mensagem do evangelho na transformação de vidas.

DEUS LHES ENVIARÁ. A interpretação mais clara é: Deus permitira. Nos dias de hoje e no tempo que antecede a vida de Cristo para arrebatar a sua igreja, o Espírito de Deus opera na vida de todas as pessoas lhes convencendo do pecado, da justiça e de que todos irão prestar contas das suas obras perante o seu Criador. Mas, após o arrebatamento da igreja, conforme a crença comum do cristianismo, o Espírito de Deus também será retirado da terra e com isso os seres humanos perderam a consciência do que é certo e errado em sua essência. De forma que o homem natural, sem o Espírito Santo, não tem como ter controle sobre as obras da carne e nem o apetite desordenada da natureza recaída. Haverá um caos ético e moral.

A OPERAÇÃO DO ERRO. O que prevalecerá é um estado permanente de rebelião dos seres humanos contra as leis de Deus e a apostasia é quem há de dominar absolutamente sobre a vida do homem, genericamente falando. No governo do anticristo, será combatida toda forma de religiosidade para dar lugar ao ateísmo desregrado e a incredulidade sem limites da raça humana. O anticristo vai estabelecer na nova ordem mundial um combate sem trégua contra tudo que se chama Deus ou os objetos de adoração das religiões, principalmente o cristianismo e o judaísmo. O homem sem Deus e sem os mandamentos do Senhor para guiá-lo se torna um ser irracional do ponto de vista ético e moral, sem limites para o pecado.

PARA QUE CREIA. Este revolta generalizada preconizada na mente dos seguidores do anticristo tem como finalidade fazer uma lavagem cerebral dos homens sem Deus, no sentido de que os que receberem o sinal da besta (666) não tenham mais condições de se converterem ao evangelho eterno de Cristo. Os que se recusarem a receber o sinal do anticristo terão seus bens confiscados, serão presos, perseguidos e mortos pelo sistema do anticristo implantado em todo o planeta terra.

NA MENTIRA. O governo deste iníquo será marcado pela injustiça, pelo engano e pela mentira. Para insurgir como a principal personagem política e religiosa do mundo, o anticristo assim o fará por meio do engano, e para se manter no poder ele usará abertamente da mentira, aniquilando injustamente seus opositores.

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

2 Tessalonicenses 2:10

2 Tessalonicenses 2:10 - E com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem.
E COM TODO ENGANO. Mais uma das características do anticristo é tratar a todos e a tudo com o engano. Para chegar ao governo sobre todas as nações do mundo e ter influencia absoluta sobre todas as religiões mundiais, o homem do pecado usará do artifício da mentira e da falsidade. Depois de escolhido e eleito como um governante mundial para se manter no poder a qualquer custo também usara da mentira e do engano, e por três anos e meio conseguirá ser unanimidade entre todas as nações do mundo. Porem, na metade do seu mandato será desmascarado pelo povo de Deus como sendo o anticristo. Tanto Israel como os cristãos em todo o mundo romperá com sua aliança e então começara a grande perseguição contra o povo de Deus.

DA INJUSTIÇA. Uma outra característica do anticristo é justamente a prática da injustiça. Depois de consolidado no governo sobre todas as nações do mundo, então esse iníquo começará a mostra sua real personalidade em distorcer a verdade por meio de práticas injustas contra os mais fracos e procurando destruir os que lhe oferecerem qualquer resistência. A hostilização do homem do pecado contra os que forem considerados seus opositores levará ao povo de Deus despertar para o erro que cometeram em afirmar aliança com este injusto e mal feitor. Uma das marcas de suas injustiças é justamente perseguir e matar os que servem ao Deus verdadeiro, simplesmente pelo fato de não adorarem e em venerarem o anticristo.

PARA OS QUE PERECEM. Os que perecem pode-se dizer que é o próprio anticristo, o diabo com os seus demônios e todos aqueles que não reconhecem a Cristo como Senhor e Salvador. No tempo do governo do anticristo será um período de tremenda perdição para a humanidade, até porque apenas uma nação quebrará a aliança com o inferno, que é Israel, enquanto que, os demais povos do mundo estarão submissos ao engano e as injustiças do homem do pecado, o filho da perdição. E esta submissão requer a adoração e veneração ao anticristo como sendo deus. É tanto que, conforme o evangelho da verdade, quem receber o sinal do anticristo (666) terá o seu nome riscado do livro da vida, e quem se recusar a receber será morto pelo anticristo.

PORQUE NÃO RECEBERAM O AMOR DA VERDADE. Os seguidores do anticristo seguirão para a perdição eterna, porque não receberam o amor da verdade. Esta verdade representa o evangelho eterno de Cristo Jesus e os bons planos de Deus para a humanidade. Neste tempo, como o espírito de Deus terá sido retirado da terra, a operação do erro estará em pleno vigor, onde quase todos os seres humanos se embrenharão na carnalidade, vivendo em absoluta devassidão moral e ética. Neste período, a palavra de Deus não terá o mesmo efeito que nos dias de hoje.

PARA SE SALVAREM. Os seguidores do anticristo nem acreditarão que haverá salvação nem vida eterna. Através do engano, o anticristo se assentará no santuário de Deus, como sendo deus e pregará de que não haverá nem céus nem inferno e que o céu é justamente aqui na terra. Por isso que os seus seguidores viverão ao bel prazer, gozando de forma mais intensa possível os prazeres carnais. Até porque o mentor da nova era defenderá que ninguém vai prestar contas dos seus erros ao Criador.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

2 Tessalonicenses 2:9

2 Tessalonicenses 2:9 - a esse iníquo cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás com todo o poder e sinais e prodígios de mentira.
A ESSE INÍQUO. Esse iníquo é o homem do pecado, o anticristo, o filho da perdição, aquele que se oporá contra Deus e o seu cristo, contra os cristãos e contra Israel. Este iníquo se levantará segundo a eficácia de satanás para implantar a pior apostasia da humanidade de todos os tempos. Será um homem poderoso politicamente e terá de início o apoio dos principais líderes religiosos do mundo. Estará sendo assessorado por um falso profeta que o levará a ser divinizado entre os seus súditos, por isso que o evangelho declara que ele se assentará no trono de Deus, querendo ser Deus e exigirá adoração dos seus seguidores. Ele levantará a maior de todas as perseguições religiosa contra os cristãos e o Israel de Deus. Este iníquo também é chamado de a besta.

CUJA VINDA É. Primeiro, Cristo virá para arrebatar a sua igreja que ele comprou com o seus sacrifício expiatório. Depois, será revelado este personagem diabólico com todo seu aparato para governar a terra. Com o arrebatamento da igreja, haverá um caos total em todas as nações, com isso surgirá à necessidade de se escolher um governante global para resolver os problemas das nações. É quando entrará em ação este ser maléfico, escolhido e eleito pelas principais lideranças políticas e religiosas do mundo. O anticristo fará uma aliança para dominar entre todas as nações, com o apoio irrestrito de todos os líderes mundiais. Esta aliança será de sete anos, porem, Israel rompera em três anos e meio, somente Israel.

SEGUNDO A EFICÁCIA DE SATANÁS. Satanás se articulará de todas as formas para levantar na terra o homem do pecado, porque por meio deste iníquo, o império das trevas terá toda influencia entre os poderosos da terra. Sobre este Satanás, antes de sua rebelião contra Deus ele era chamado de lúcifer, ou seja, anjo de luz. Depois de sua queda por ter se rebelado contra o Todo-poderoso ficou sendo denominado de “o que se opõe”, porque passou a se opor a Deus e aos seus planos. No novo testamento também e chamado de adversário por se opor e investir contra Cristo e a sua obra de redenção. Com respeito aos remidos é conhecido como acusador por tentar nos prejudicar diante de Deus, e nos tenta a todo o momento buscando nos derribar da fé.

COM TODO PODER. Como será um governando de cunho global, ele será um homem poderoso na terra, com força para fazer o que bem intender, quando quiser e aonde quiser. Vai ser eleito e escolhido pelas principais lideranças políticas e religiosas do mundo, portanto, terá o apoio das forças de segurança e das forças armadas de todos os países. Todas as nações do mundo se submeterão ao seu domínio e governo.

E SINAIS E PRODÍGIOS DE MENTIRA. Juntamente com o falso profeta, que será o líder da principal religião do mundo, ele, o anticristo desenvolverá habilidades espirituais para fazer milagres e prodígios de mentira. Por isso que o evangelho recomenda de que nem todo milagre de ordem espiritual procede de Deus e de Cristo.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

2 Tessalonicenses 2:8

2 Tessalonicenses 2:8 - E então será revelado esse iníquo, a quem o Senhor Jesus aniquilará com o sopro de sua boca e destruirá com a manifestação da sua vinda.
E ENTÃO SERÁ REVELADO. Primeiro, Cristo virá para arrebatar a sua igreja que ele comprou com o seus sacrifício expiatório. Depois, será revelado este personagem diabólico com todo seu aparato para governar a terra. Com o arrebatamento da igreja, haverá um caos total em todas as nações, com isso surgirá à necessidade de se escolher um governante global para resolver os problemas das nações. É quando entrará em ação este ser maléfico, escolhido e eleito pelas principais lideranças políticas e religiosas do mundo. O anticristo fará uma aliança para dominar entre todas as nações, com o apoio irrestrito de todos os líderes mundiais. Esta aliança será de sete anos, porem, Israel rompera em três anos e meio, somente Israel.

ESSE INÍQUO. Este iníquo é o homem do pecado, o anticristo, o filho da perdição, aquele que se oporá contra Deus e o seu cristo, contra os cristãos e contra Israel. Este iníquo se levantará segundo a eficácia de satanás para implantar a pior apostasia da humanidade de todos os tempos. Será um homem poderoso politicamente e terá de início o apoio dos principais líderes religiosos do mundo. Estará sendo assessorado por um falso profeta que o levará a ser divinizado entre os seus súditos, por isso que o evangelho declara que ele se assentará no trono de Deus, querendo ser Deus e exigirá adoração dos seus seguidores. Ele levantará a maior de todas as perseguições religiosa contra os cristãos e o Israel de Deus. Este iníquo também é chamado de a besta.

A QUEM O SENHOR JESUS. Quando o anticristo se firmar no poder político como um líder mundial de grande habilidade em resolver os conflitos mundiais por meio da falsa paz e for divinizado entre os seus súditos, ele se achará igual a Deus. No entanto, entrará em ação o Senhor Jesus Cristo, em sua segunda etapa de sua vinda para guerrear em favor do povo de Deus. Na metade do seu governo global, o anticristo se achando Deus exigira adoração de todos, com isso, o povo de Deus não aceitará, é quando ele fará um censo, e quem for dele será marcado com o sinal 666, e quem não aceitar será perseguido e morto. Com o clamor do povo de Deus, Cristo voltará para socorrê-los e combater contra o anticristo e os seus aliados.

ANIQUILARÁ COM O SOBRO DE SUA BOCA. Esta expressão representa o cumprimento das profecias escatológicas que estão previstas para acontecerem no tempo da grande tribulação em relação às ações de Cristo em defender o povo de Deus e guerrear contra o anticristo e os seus aliados. Cristo voltará com a igreja que ele arrebatou e os seus anjos poderosos para vencer o anticristo e reinar na terra.

E DESTRUIRÁ COM A MANIFESTAÇÃO DA SUA VINDA. Esta vinda a que se refere o autor não diz respeito à vinda de Cristo para arrebatar a sua igreja, mas diz respeito a sua vinda para socorrer o povo de Deus e destruir o anticristo e todos os seus aliados. Cristo vencerá o trio maligno e os encerrará na prisão por mil anos.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

2 Tessalonicenses 2:7

2 Tessalonicenses 2:7 - Pois o mistério da iniquidade já opera; somente há um que agora o detém até que seja posto fora.
POIS O MISTÉRIO. Este é chamado de mistério maligno, pois contém a ação e planejamento das hostes infernais, até porque nele se encontra a personificação de tudo o que é perverso e mau contra Deus e o seu reino. É conhecido como mistério porque envolve o desvendar de algo que até então não havia acontecido na mesma proporção e na realidade, o aparecimento do anticristo pessoalmente será uma única vez no planeta terra. Antes porem, do seu surgimento o evangelho nos fala sobre manifestações de anticristos, mas não a personagem da qual o autor está descrevendo neste texto. Estes anticristos no plural são apenas pessoas que surgiram mostrando em pequenas demonstrações de como será maligno a pessoa do anticristo.

DA INIQUIDADE. Este mistério é da iniquidade porque representará de forma real a malignidade das ações e atos do homem do pecado, personificado no anticristo. No período do governo do anticristo haverá a liberação absoluta da consciência das pessoas pela operação do erro, em que o homem estará com sua consciência morta, no que tange ao remorso pelas suas ações malignas. O próprio anticristo dará total apoio as práticas de degradação moral e ética dos seres humanos estimulando a incredulidade total do homem em suas responsabilidades para com o Criador e os seus mandamentos. Sem o temor de Deus, a humanidade caminhará para um estado grave de rebelião e apostasia contra tudo que representa Deus e o seu Cristo.

JÁ OPERA. Hoje mais do que nunca se percebe a encenação de um cenário propício em que já se ver a terra se preparando para receber o seu governante maligno. Praticamente todos os sistemas dão demonstrações claras de que aos poucos o império do mal está em plena dominação no mundo. E dois destes sistemas vão se locupletando na armação do palco para o lançamento do governo do anticristo, que são justamente os sistemas político e religioso. A operação do mistério da iniquidade na política se dar pela corrupção generalizada no ente público. E na religião não está diferente, o que mais se assiste são os escândalos recorrentes das principais lideranças religiosas em todo o mundo. Tudo isso é a montagem do cenário maligno.

SOMENTE HÁ UM QUE AGORA O DETÉM. É de comum acordo entre a maioria dos interpretes bíblico de que este que está detendo a manifestação do anticristo é efetivamente o Espírito de Deus. Cristo subiu aos céus para se assentar a destra de Deus e enviou o Espírito santo para preparar a sua igreja na terra para o grande dia do arrebatamento. Enquanto a igreja estiver na terra, o Espírito santo também estará.

ATÉ QUE SEJA POSTO FORA. Com a saída da igreja de Cristo da terra, o Espirito de Deus também se retirará. Com isso se manifestará totalmente o mistério da iniquidade por meio do anticristo e seus modus operantes. Como o Espírito de Deus está reunindo todos os remidos em Cristo, ele os entregará no dia bendito da volta do Senhor.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

2 Tessalonicenses 2:5-6

2 Tessalonicenses 2:5-6 - Não vos lembrais de que eu vos dizia estas coisas quando ainda estava convosco? E agora vós sabeis o que o detém para que a seu próprio tempo seja revelado.
NÃO VOS LEMBRAS. O autor mostra o antídoto apropriado aos seus leitores, no sentido de combater qualquer dúvida sobre as verdades que ele já havia lhes ensinado sobre o assunto hora em pauta. Os Tessalonicenses não tinham razões para estarem se deixando levar pelos falsos ensinos, dos penetras judaizantes nem dos falsos mestres gnósticos, de que o anticristo já estava no mundo, no período em que esta carta foi escrita. Eles também não tinham motivos para ficarem perturbados com os anúncios falsos dos pregadores enganadores, até porque o próprio Paulo, assim como os demais defensores do evangelho verdadeiro, já haviam tratado pessoalmente destas polêmicas em todas as igrejas. Só bastava lembrar-se de tudo.

DE QUE EU VOS DIZIA ESTAS COISAS. Não se sabe ao certo quantas vezes o apóstolo esteve visitando a igreja cristã em Tessalônica. Certo é dizer que todas as vezes que esteve presente naquela comunidade cristã, buscou pregar a mensagem do evangelho das boas novas de Cristo, e uma das pautas de suas preleções foi justamente o período na manifestação do anticristo na terra, que conforme a verdade do evangelho, não se dará antes da vinda de Cristo para arrebatar a sua igreja. Como missionário que era o apóstolo se deslocava de cidade em cidade pregando as boas novas de Cristo, como também, dando assistência às igrejas por ele fundadas, sempre visitava os cristãos por onde passava ensinando a palavra de Deus.

QUANDO AINDA ESTAVA CONVOSCO. O autor confirma sua presença pessoalmente em tempo anterior com os seus leitores. Como ministro do evangelho de Cristo o apóstolo tinha uma preocupação significativa com os ensinos genuínos das doutrinas do evangelho da nova aliança da graça. Pelo que se sabe, o ministério de pregação de Paulo foi muito mais robusto em conteúdo do que suas obras literárias por escrito. De maneira que seja ensinando por meio das pregações ou escrevendo suas epístolas para as igrejas, o autor desta carta deixou registrada sua marca como alguém que dedicou sua vida a compartilhar o evangelho das boas novas de Cristo.

E AGORA VÓS SABEIS O QUE O DETÉM. Neste ponto, o autor retoma o seu tema principal do assunto que vinha tratando com os seus leitores. Quem estava sendo detido era justamente o anticristo, em que há de se manifestar somente no período próprio determinado por Deus. O Espirito de Deus que está com a igreja na terra é um dos detentores da manifestação do anticristo na terra, assim como a presença da própria igreja do Senhor Jesus. E acima de tudo é o poder de Deus quem o detém.

PARA QUE A SEU PRÓPRIO TEMPO SEJA MANIFESTO. Cristo vira para arrebatar a sua igreja e depois do arrebatamento se manifestará esta personagem maléfica, chamado o anticristo. Será um homem poderoso na política e na religião em todo o mundo.

domingo, 16 de novembro de 2014

2 Tessalonicenses 2:4

2 Tessalonicenses 2:4 - Aquele que se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus ou é objeto de adoração, de sorte que se assenta no santuário de Deus, apresentando-se como Deus.
AQUELE QUE SE OPOE. O anticristo será escolhido e eleito por todas as nações do mundo como sendo o homem mais poderoso do planeta. E quando ele se achar nesta posição de comando sobre todo o planeta terra, então se manifestará em oposição contra o criador de todas as coisas e contra o seu Cristo. Assim como lúcifer se levantou contra Deus quando da rebelião do diabo e os seus demônios, da mesma forma o anticristo se oporá ao criador com todas as suas hostes de seguidores. Este texto é bastante esclarecedor quanto às funções do surgimento do anticristo.

E SE LEVANTA CONTRA. Além de se opor a Deus e ao seu reino, o anticristo se levantará contra o Criador de todas as coisas. Com isso fica entendido que ele usará todos os recursos que estiverem ao seu alcance para combater contra Deus. É justamente neste período da apostasia final que os seguidores de Cristo, quer gentios ou Judeus serão perseguidos e mortos por defenderem a sua fé no salvador da humanidade, Cristo Jesus. Por conta desta grande perseguição do anticristo, os Judeus se converterão, reconhecerão que Jesus era o Messias, clamarão por socorro e Cristo voltará em sua segunda etapa para vencer o anticristo e seus exércitos.

TUDO O QUE SE CHAMA DEUS. Com todo poder outorgado pelas nações do mundo em suas mãos, o anticristo se achará na posição de uma divindade, de forma que ele vai exigir que os seus seguidores o adorem. Com isso, ele não permitirá que ninguém na terra adore ao Deus único e verdadeiro, nem ao Criador faça qualquer tipo de oração ou petição. Como os Judeus convertidos ao cristianismo nesta época o os gentios que servem ao Senhor Jesus não adorarão a criatura, mas somente ao Criador, então, haverá uma grande perseguição aos que se negarem a adorar o anticristo.

OU É OBJETO DE ADORAÇÃO. Assim como houve a investida do império romano contra o cristianismo primitivo, onde não era permitido a edificação de templos dedicados ao cristianismo, muito mais feroz será a perseguição do anticristo e seus aliados contra todos os seguidores de Cristo e os seus objetos simbólicos do cristianismo. É justamente neste período que os seguidores do anticristo receberá a marca da besta (666), e quem se negar a receber o sinal do anticristo, será perseguido e morto. Quem for digno de ser arrebatado por Cristo estará livre destas coisas. DE SORTE QUE SE ASSENTARÁ NO

SANTUÁRIO DE DEUS APRESENTANDO-SE COMO DEUS. Pelo evangelho sabemos que Cristo vai estabelecer o seu governo milenial sobre a terra e de Jerusalém reinara mil anos. Como o anticristo quer ser o Cristo, ele também reinará durante sete anos em Israel e de lá sobre toda a terra. Neste tempo, o templo de Jerusalém já terá sido edificado e como o anticristo será uma personagem de grande importância religiosa, será por muitos considerados como uma divindade.

sábado, 15 de novembro de 2014

2 Tessalonicenses 2:3

2 Tessalonicenses 2:3 - Ninguém de modo algum vos engane; porque isto não sucederá sem que venha primeiro a apostasia e seja revelado o homem do pecado, o filho da perdição.
NINGUÉM DE MODO ALGUM VOS ENGANE. Os falsos pregadores judaizantes ao que tudo indica estavam conseguindo espaço dentro das comunidades cristãs para ensinarem suas heresias negativas. Assim como também os falsos mestres gnósticos já estavam infiltrados no seio da igreja perturbando o pensamento dos seguidores de Cristo sobre algumas ideologias erradas sobre os fins dos tempos. E há quem diga ainda de que alguns dos pastores locais das igrejas já estavam absorvendo tais heresias e ensinando nas igrejas onde eram dirigentes. Razão porque o apóstolo Paulo alertava aos seus leitores de que não dessem crédito a estes falsos pregadores, porque a verdade não correspondia com o que eles estavam transmitindo, fosse quem fosse.

PORQUE ISSO NÃO SUCEDERÁ. Isso a que se refere o autor diz respeito aos falsos ensinos transmitidos pelos hereges perturbadores nas comunidades cristãs. Na realidade, a maioria dos cristãos do primeiro século de nossa era cristã acreditavam que a volta de Cristo se daria ainda naquela época, sem, no entanto, compreenderem de que haveria um hiato de tempo razoável entre a ascensão de Cristo e a sua segunda vinda. E os falsos mestres judaizantes e gnósticos se aproveitavam desta crença comum para afirmarem de que o anticristo já estava no mundo. No entanto, o evangelho assegura de que ele não se manifestará na terra, antes da vinda de Cristo para arrebatar a sua igreja, que ele comprou com seu sacrifício expiador.

SEM QUE VENHA PRIMEIRO A APOSTASIA. Esta apostasia a que se refere o escritor diz respeito a um estado de rebeldia generalizado na terra que haverá durante a grande tribulação. Depois do arrebatamento da igreja, as principais nações do mundo se macunarão contra Deus e o seu Cristo, no sentido de escolherem e elegerem o filho da perdição como governante universal. Inclusive o próprio Israel será enganado e de princípio aderirá a este conluio de prevaricadores contra tudo que representa o reino de Deus. Cremos que isso só se dará depois do arrebatamento.

E SEJA REVELADO O HOMEM DO PECADO. Quando acontecer esta aliança entre todas as nações do mundo de rebeldia e rebelião contra tudo que representa Deus e o seu Cristo. Estas mesmas nações escolherão e elegerão este homem do pecado que colocará em prática os seus planos maléficos contra o Cristo de Deus. É tanto, que este homem do pecado será o anticristo, ou seja, ele será o oposto de Cristo, o Filho de Deus. Mas, por meio do engano, tentará tomar o lugar de Cristo.

O FILHO DA PERDIÇÃO. Esta personagem diabólica é assim chamada porque já está determinado de que ele será lançado no lago de fogo, o que é a segunda morte. Todavia, não somente ele, mas também todos os seus seguidores serão igualmente lançados na perdição eterna, o que o evangelho chama de inferno ou lago de fogo.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

2 Tessalonicenses 2:2

2 Tessalonicenses 2:2 - que não vos movais facilmente do vosso modo de pensar, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola como enviada de nós, como se o dia do Senhor estivesse já perto.
QUE NÃO VOS MOVAIS FACILMENTE DO VOSSO MODO DE PENSAR. O autor demonstra sua preocupação com os seguidores de Cristo em Tessalônica, é tanto que no texto anterior ele os exorta em forma de rogos para esta tão importante recomendação. Os apóstolos e os líderes da igreja primitiva vinham todos cuidando em transmitirem os ensinos de Cristo para sua igreja, formando assim uma fé cristã baseada nas verdades do evangelho, visando o crescimento do cristianismo na terra.

NEM VOS PERTURBEIS. A igreja atravessava um momento difícil, porque havia a perseguição institucionalizada pelo império romano, que usava dos mais terríveis meios para deter o crescimento do Cristianismo. Os que se convertiam ao cristianismo tinham seus bens confiscados, eram presos e mortos, se não negassem a sua fé no Cristo de Deus. Além do mais, os judaizantes depois de terem matado a Jesus de Nazaré, agora buscavam por todos os meios combater o crescimento do cristianismo, além das perturbações impostas pelos líderes das demais religiões que já existiam bem antes do cristianismo em cada cidade ou país.

QUE POR ESPÍRITO. De forma que por parte da igreja do Senhor Jesus em todos os lugares havia uma perturbação de espírito avassaladora. Muitos lutavam consigo mesmo em combate aos pensamentos opostos que lhes sobrevinham. Por um lado tinham aprendido de que deveriam seguir a fé cristã para herdarem a vida eterna, e por outro lado eram bombardeados com as falsas ideologias dos mestres gnósticos e dos judaizantes, além é que de terem que lidar com as perseguições, tribulações e perturbações impostas pelos opositores do evangelho libertador de Cristo Jesus.

QUE POR PALAVRA. Os judaizantes que faziam oposição ao desenvolvimento rápido do cristianismo enviavam seus missionários por todas as partes que se infiltravam no meio da comunidade cristã para os confundirem com suas fábulas enganadoras. E os falsos mestres gnósticos da mesma forma pregavam de que o fim já era chegado e que o império romano era a manifestação do anticristo.

QUER POR EPÍSTOLA COMO ENVIADA DE NÓS. Os que transtornavam o evangelho, além de pregarem seus falsos ensinos, provavelmente escreviam falsas epístolas em nome dos apóstolos na tentativa de confundirem a fé dos seguidores do cristianismo. É isto que o autor deixa transparecer ao escrever; “epístola como enviada de nós”.

COMO SE O DIA DO SENHOR ESTIVESSE JÁ PERTO. Este dia do Senhor, neste ponto, não que dizer o dia do arrebatamento da igreja, mas sim o dia em que Deus há de julgar as nações rebeldes por meio da grande tribulação. Diante dos sofrimentos, muitos da igreja primitiva não pensavam no hiato de tempo entre a ascensão de Cristo e o seu retorno, porem pensavam que tudo isso fosse acontecer imediatamente.