Pesquisar este blog

sábado, 31 de janeiro de 2015

2 Pedro 2:18

2 Pedro 2:18 - Porque, falando coisas mui arrogantes de vaidades, engodam com as concupiscências da carne, e com dissoluções, aqueles que se estavam afastando dos que andam em erro.
PORQUE, FALANDO COISAS. O autor chama a atenção para os discursos dos hereges que procuravam transtornar o evangelho de Cristo, confundindo a mente dos cristãos primitivos para que estes se desviassem do cristianismo. Os judaizantes, que estavam a serviço dos líderes religiosos dos Judeus. Os gnósticos que defendiam suas falsas filosofias. E os místicos naturais que buscaram atrair os cristãos para as religiões de mistérios e pagãs. Gastavam todo o seu tempo buscando impedir o crescimento e desenvolvimento da religião fundada por cristo e defendida pelos seus apóstolos.

MUI ARROGANTE DE VAIDADE. A base destas coisas eram a arrogância e a vaidade que os hereges transmitiam justamente para tentarem desfazer todos os ensinos do evangelho da nova dispensação com o intuito de deterem a marcha da igreja de Cristo. De forma que procuravam distorcer as doutrinas cristãs, com suas fábulas artificias judaicas, com os falsos ensinos do gnosticismo e com os ditos mistérios das religiões naturais e pagãs. Nisto, blasfemavam do Cristo de Deus, negando que ele era o Messias prometido.

ENGODAM COM AS CONCUPISCÊNCIAS DA CARNE. Enquanto o próprio Cristo transmitiu os seus ensinos pelo Espírito de Deus, e os apóstolos e missionários cristãos pregavam e escreviam suas literaturas que hoje fazem parte do Cânon do Novo Testamento pelo mesmo Espírito. Os falsos mestres das fábulas e das filosofias humanos faziam suas missões contra o cristianismo pelas concupiscências da carne, com o objetivo de tentarem enganar os cristãos menos esclarecidos e sem maturidade espiritual.

E COM DISSOLUÇÕES. Estas dissoluções dizem respeito às confusões e contendas que os hereges levantavam contra os cristãos acerca da lei, das profecias messiânicas, das filosofias e do misticismo. Uma das teses mais defendidas pelos opositores do evangelho era justamente tentarem provar que o cristianismo não estava de conformidade com as predições dos escritos religiosos e das tradições judaicas, e com isso tentavam provar com a distorção das Escrituras que Jesus não era o Messias de Deus.

AQUELES QUE ESTAVAM SE AFASTANDO. O foco destes hereges judaizantes, gnósticos, filósofos e místicos era os cristãos de pequena fé. O campo de ação deles era justamente os novos convertidos, aqueles que ainda não estavam firmes nas doutrinas do evangelho, estes que ainda estavam tentando se afastarem das coisas do mundo. A meta destes falsos mestres era confundir os fracos na fé e nas convicções do cristianismo.

DOS QUE ANDAM EM ERRO. Estes que andam em erro, são os que ainda não haviam se convertido de verdade ao cristianismo fundado por Cristo. Eram os seguidores do judaísmo, os que andavam de conformidade com as filosofias gnósticas, os adeptos das falsas religiões e os enganados pelas religiões de mistérios. eram os incrédulos e ateus.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

2 Pedro 2:17

2 Pedro 2:17 - Estes são fontes sem água, nuvens levadas pela força do vento, para os quais a escuridão das trevas eternamente se reserva.
ESTES. O autor se refere aos que vendem os seus dons por vantagens financeiras, como foi o caso de Balaão, que esperando receber sua recompensa do rei Balaque, queria servir de tropeço para o povo de Deus. Como também se refere a todos aqueles que no tempo da igreja primitiva buscavam tirar proveito econômico dos cristãos, vendendo a palavra do evangelho. Pode-se dizer que também diz respeito aqueles que nos dias de hoje praticam a venda das indulgências, ou seja, aqueles que pregam, cantam, oram ou fazem qualquer serviço religioso por dinheiro ou recompensas.

SÃO FONTES SEM ÁGUA. Todos aqueles que fazem as coisas, em ativismo religioso, com segundas intensões para tirar proveito pessoal, pela exploração do seu próximo, são comparados a uma fonte sem água. A fonte só tem valor se dela jorrar o precioso líquido que mata a sede dos que a procuram. Se a fonte não tem água, não terá nenhum valor. Assim são aqueles que procuram vender as coisas de Deus, suas palavras são sem efeito benéfico na vida das pessoas, e em nada edificam.

NUVENS LEVADAS PELA FORÇA DOS VENTOS. Essas nuvens sobre as quais são citadas pelo escritor, dizem respeito às nuvens vazias, que não contem água em suas composições. As nuvens carregadas de partículas de água são pesadas, portanto, difíceis de serem carregadas pelo vento, com isso, ela se demora mais em sua trajetória e cumpre o papel em molhar a terra. Já as nuvens vazias, são lançadas de um lado para outro pela força do vento e nada de cair uma gota se quer de água. Ninguém deve esperar nada dos profissionais do evangelho, porque são como nuvens vazias.

PARA OS QUAIS. Para os quais, quem? Para os que deviam usar os dons e seu ministério para glória de Deus, mas são dominados pela ganância e faz do evangelho negócio. Para os mercenários, que muitas vezes estão cuidando do rebanho, mas não por amor, porem, para ganhar dinheiro com o comercio da fé. As reprimendas seguintes são para os que visam lucros financeiros com o ativismo religioso. Estes picaretas não ficarão impunes pelas suas explorações da fé alheia.

A ESCURIDÃO DAS TREVAS. Esta é uma expressão do evangelho para representar a condenação e a segunda morte, em que os que dela forem participantes serão lançados no lago de fogo e enxofre. Estes serão banidos definitivamente da luz e das beneficências do Criador, porque optaram espontaneamente pela perdição e ruína. A escuridão e as trevas já dizem tudo sobre o estado em que serão submetidos os mercenários e todos aqueles usam os dons e os ministérios para ganharem dinheiro.

ETERNAMENTE SE RESERVA. Esta frase descreve sobre o tempo em que ficarão presos na escuridão das trevas os hereges que deixam de fazer a vontade de Deus, no exercício dos dons e dos ministérios. Nunca mais sairão do abismo e da perdição. Aqueles que fazem da obra de Deus o comercio da fé, precisam refletir sobre o que diz a palavra de Deus, e antes que seja tarde demais deixarem de ser mercenário.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

2 Pedro 2:16

2 Pedro 2:16 - Mas teve a repreensão da sua transgressão; o mudo jumento, falando com voz humana, impediu a loucura do profeta.
MAS TEVE A REPREENSÃO. No texto anterior, o autor descreve a respeito da forma interesseira como Balaão se desviou da vontade de Deus para tirar proveito do ministério profético que ele tinha. Assim como, muitos nos dias de hoje, fazem do seu ministério um meio de vida para ganharem dinheiro com o dom que Deus lhe deu. Como Deus ver todas as coisas e é conhecedor das intenções dos homens, o Senhor não deixou de fazer a sua intervenção, no sentido de avisar ao profeta que ele estava errado. Bem como, o Senhor tem também avisa aos profissionais do evangelho, da atualidade, que eles estão errados.

DA SUA TRANSGRESSÃO. Primeiro, o profeta estava tomando um outro rumo em não fazer a vontade de Deus. Depois ele estava trocando por presentes o dom que não era seu, por ganancia financeira e interesse econômico. Por fim, estava tentando prejudicar o povo de Deus, em vez de ser uma benção para os escolhidos, tentava era lhes fazer sofrer e serem derrotados. Quem age na obra de Deus querendo tirar proveito pessoal dela, em vez de ser uma benção para o povo de Deus, faz é prejudicar a igreja de Cristo. Até porque, tudo deve ser para glória de Deus, e não para atender aos caprichos pessoas de quem quer que seja.

O MUDO JUMENTO. No caso, foi a jumenta de Balaão. O autor fala em jumento, se referindo ao tipo de animal. O texto citado pelo escritor, descreve o porque que a jumenta teve que falar (Números 22:23-27). Onde o Senhor enviou um anjo para intervir, no sentido de impedir que Balaão não realizasse seus intentos errados. Por três vezes o anjo se interpôs para que a jumenta de Balaão não passasse por determinado lugar e na última vez a jumenta se deitou em terra. Em todas às vezes Balaão espancou a sua pobre jumenta, que pagava o preço pelo erro daquele homem.

FALANDO COM VOZ HUMANA. O texto que se segue descreve sobre este fato. Números 22:27-30 - Então o Senhor abriu a boca da jumenta, a qual disse a Balaão: Que te fiz eu, que me espancaste estas três vezes? E Balaão disse à jumenta: Por que zombaste de mim; quem dera tivesse eu uma espada na mão, porque agora te mataria. E a jumenta disse a Balaão: Porventura não sou a tua jumenta, em que cavalgaste desde o tempo em que me tornei tua, até hoje? Acaso tem sido o meu costume fazer assim contigo? E ele respondeu: Não. A jumenta falou com Balaão.

IMPEDIU. Isso foi possível porque Balaão reconheceu o seu erro. Números 22:31,34 - Então o Senhor abriu os olhos a Balaão, e ele viu o anjo do Senhor, que estava no caminho e a sua espada desembainhada na mão; pelo que inclinou a cabeça, e prostrou-se sobre a sua face. Então Balaão disse ao anjo do Senhor: Pequei, porque não sabia que estavas neste caminho para te opores a mim; e agora, se parece mal aos teus olhos, voltarei. A intervenção de Deus foi para impedir que Balaão continuasse no erro.

A LOUCURA DO PROFETA. Essa loucura de Balaão era de que ele tentava fazer com que o povo de Deus fosse prejudicado, em vez de ser abençoado por ele. Na igreja primitiva os hereges estavam servindo de pedra de tropeço para a igreja do Senhor, assim como nos dias de hoje, muitos se postam como tropeço para a igreja de Cristo, isso porque em vez de usar o dom de Deus para abençoar o povo do Senhor, estão usando dos dons espirituais e ministeriais para tirar proveito próprio.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

2 Pedro 2:15

2 Pedro 2:15 - Os quais, deixando o caminho direito, erraram seguindo o caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça.
OS QUAIS. Pedro se refere aos judaizantes que estavam fazendo missões negativas no meio da cristandade, somente para lhes confundir a fé, usando a lei e os escritos religiosos dos antepassados para fazerem com que os cristãos se desviassem do cristianismo. Como também o apóstolo descreve sobre os falsos mestres gnósticos e os místicos das religiões naturais e pagãs, que se infiltravam no meio dos cristãos para por meio de suas filosofias levarem os cristãos menos esclarecidos a seguirem suas heresias. Nos tempos da igreja primitiva se levantaram muitos hereges para prejudicar a igreja.

DEIXANDO O CAMINHO DIREITO. Ao que tudo indica estes hereges, apostataram da fé cristã, retornaram a suas antigas religiões, e agora estavam a serviço da rebeldia, tentando levar os cristãos aos caminhos da desobediência ao evangelho. O caminho direito é o caminho das boas novas de Cristo e da nova aliança de Deus para com a humanidade por meio de Cristo. O caminho correto, de conformidade com o cristianismo fundado por Cristo é tudo aquilo que faz parte da dispensação da graça, incluindo os ensinos deixados por Cristo e os escritos do Cânon neotestamentário.

ERRARAM. Estes hereges erraram, quando deixaram de seguir os ensinos do evangelho da verdade para se aplicarem na defesa dos falsos ensinos dos homens. A legislação mosaica já não tinha mais os mesmos efeitos, depois da nova aliança de Deus por meio de Cristo. Nem as ideologias religiosas dos gnósticos serviam aos cristãos, porque as boas novas da nova dispensação da graça, a tudo isso supera. Tentar desviar os seguidores de Cristo para o paganismo era o grande erro dos hereges obstinados.

SEGUINDO O CAMINHO. Os filhos da maldição (conforme o texto anterior) deixaram de seguir o bom caminho de Cristo para apostatarem por um caminho de heresias e de rebelião contra os ensinos de Cristo. Abandonaram o caminho da verdade pelas veredas do engano e da mentira. Deram prioridade aos seus interesses gananciosos e das falsas religiões, em vez de seguires os passos do Mestre e os seus ensinos.

DE BALAÃO, FILHO DE BEOR. Os capítulos 22-23 de Números conta a história desta personagem bíblica, que de início era um servo de Deus, e que até certo ponto tinha o respeito do povo por ser um representante do Senhor, mas que se vendeu para tirar proveito econômico, com o dom que Deus lhe tinha outorgado. Esse é o tipo de pessoa que vendo o que não é seu, as virtudes espirituais não são de quem as possuem.

QUE AMOU O PRÊMIO DA INJUSTIÇA. Essa é uma expressão que representa muito bem as ações dos profissionais do evangelho, quem praticam a venda das indulgências, que é justamente a venda dos supostos serviços prestados a Deus ou ao próximo, é a cobrança pelos serviços religiosos de qualquer espécie. Quando na verdade, o que fizermos pela obra de Deus ou a serviço do nosso próximo, deve ser feito por amor e não esperando receber qualquer tipo de recompensa financeira.

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

2 Pedro 2:14

2 Pedro 2:14 - Tendo os olhos cheios de adultério, e não cessando de pecar, engodando as almas inconstantes, tendo o coração exercitado na avareza, filhos de maldição.
TENDO OS OLHOS. O autor continua com suas exortações e denúncias contra aqueles que de maneira enganosa se infiltravam no meio da igreja de Cristo, com segundas intenções. Neste ponto, Pedro fala dos olhos para representar a real visão dos hereges em se camuflarem de cristãos, mas que os seus reais motivos eram para desviar os seguidores do cristianismo para os caminhos da apostasia. Essa figura de linguagem também descreve sobre o foco, os objetivos e as intenções dos hereges.

CHEIOS DE ADULTÉRIO. Boa parte dos comentaristas concordam de que, esta palavra “adultério” se refere a adulteração da verdade e do próprio evangelho, do que a própria traição cometida entre marido e mulher e vice-versa. Os judaizantes eram especialistas em usarem a lei e as literaturas religiosas mais antigas para tentarem provar que Jesus de Nazaré não era o Messias prometido. Enquanto que os falsos mestres gnósticos e os místicos das religiões naturais e pagãs usavam suas filosofias sofistas para confundir os cristãos, defendendo que Cristo era apenas mais um aeon, ou seja um ser espiritual.

E NÃO CESSANDO DE PECAR. Estes perturbadores e opositores que se levantavam contra as verdades do evangelho puro de Cristo se dedicavam de corpo e alma em suas missões e programas, até mesmo superando muitos dos missionários cristãos. Envolviam-se de forma frenética no ativismo religioso com um apetite insaciável, em perturbar a vida dos seguidores do cristianismo verdadeiro, fundado pelo Cristo de Deus. Dia e noite andavam de porta em porta, confundindo a mente dos cristãos.

ENGODANDO AS ALMAS INCONSTANTES. A versão mais clara diz o seguinte: Enganando as pessoas que ainda não estavam verdadeiramente convertidas ao cristianismo. Sempre existiram aqueles que no início da sua fé, ou em qualquer estágio dela, ficaram coxeando entre dois pensamentos, são os inconstantes. Os hereges andavam a procura dos menos esclarecidos para plantarem em suas mentes a dúvida, e com isso tirar a pessoa dos caminhos do evangelho das boas novas de Cristo. E por incrível que pareça, muitos se deixam enganar por estes espertalhões.

TENDO O CORAÇÃO EXERCITADO NA AVAREZA. Agora o autor revela o real intento daqueles que buscavam tirar proveito dos mais simples. Quem prega, ora, canta, ou exerce qualquer atividade religiosa por interesses financeiros, nada mais é do que um herege, que ele próprio está desviado do evangelho de Cristo. Jamais o evangelho das boas novas foi deixado para ser um meio para alguém ganhar dinheiro com ele.

FILHOS DE MALDIÇÃO. Os que usam o evangelho para atender seus interesses econômicos são malditos porque ninguém tem o direito de cobrar pelos seus serviços religiosos prestados a Deus ou ao seu próximo. Tudo tem que ser feito por amor. A venda dos serviços religiosos prestados ao próximo é o que a teologia chama de venda de indulgência.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

2 Pedro 2:13

2 Pedro 2:13 - Recebendo o galardão da injustiça; pois que tais homens têm prazer nos deleites quotidianos; nódoas são eles e máculas, deleitando-se em seus enganos, quando se banqueteiam convosco.
RECEBENDO O GALARDÃO DA INJUSTIÇA. Os hereges que eram missionários do judaísmo, do gnosticismo e das religiões pagãs tentavam se misturar com os cristãos para tirarem proveito financeiro da simplicidade dos irmãos. Cobravam dinheiro ou recompensas pelos supostos serviços religiosos que realizavam pelos cristãos, o que a isso se pode chamar, a venda de indulgências. Na prática, os hereges eram profissionais da religiosidade, que buscavam a todo o custo explorar o seu próximo. A título de hoje, existem muitos profissionais do evangelho substituído esses hereges aproveitadores.

POIS QUE TAIS HOMENS. Quem eram estes homens? E o que eles faziam? O cristianismo estava crescendo de forma maravilhosa. Com isso, o judaísmo, as religiões pagas, as religiões místicas, e as antigas religiões de cada cidade, estavam perdendo seus adeptos para o cristianismo. Na tentativa de estancarem o crescimento do cristianismo, os líderes destas citadas religiões enviavam seus missionários para buscarem confundir os cristãos, usando do engano e das heresias. Eles se infiltravam no arraial dos cristãos e procuravam transtornar o evangelho de Cristo Jesus.

TÊM PRAZER NOS DELEITES QUOTIDIANO. Os hereges procuravam embutir suas ideias estranhas na mente dos cristãos, na tentativa de lhes enfraquecerem na fé, e com isso, se desviarem do evangelho e voltarem para suas antigas religiões. Eles defendiam de que, uma maneira de se purificar era dar vazão aos deleites da carne, porque o pecado não tinha mais efeito sobre eles, porque não estavam mais debaixo da lei, mas da graça, e com isso, não necessitavam segui nenhum regra ou mandamentos.

NÓDOAS SÃO ELES E MÁCULAS. Mas, na realidade os hereges, que eram os judaizantes, os falsos mestres gnósticos, e os missionários das religiões místicas e pagãs, serviam de tropeço na vida dos cristãos. Porque eles com suas artimanhas de intenções maléficas, não conseguiam deter o crescimento do cristianismo, mas tardavam sua expansão no mundo gentílico. Serviam de pedra de tropeço na comunhão entre os cristãos e o Deus Todo-poderoso, ele que é digno de toda a nossa adoração.

DELEITANDO-SE EM SEUS ENGANOS. Esses hereges se gabavam de sua sabedoria filosófica, e buscavam passar para os cristãos de que eram eles que estavam com a verdade, e não os verdadeiros apóstolos e discípulos de Cristo, que faziam parte do ministério cristão. Os hereges se vangloriavam de serem mais sábios que todos.

QUANDO SE BANQUETEIAM CONVOSCO. Ao que tudo indica, estes hereges encontravam seus espaços entre os menos esclarecidos da comunidade cristã. Ao ponto de serem aceitos como bem vindos nas celebrações e festividades das igrejas de Cristo. Os hereges agiam com dupla personalidade, porque se faziam de bons, mas suas intenções eram outras, justamente desviarem os cristãos do evangelho de Cristo.

domingo, 25 de janeiro de 2015

2 Pedro 2:12

2 Pedro 2:12 - Mas estes, como animais irracionais, que seguem a natureza, feitos para serem presos e mortos, blasfemando do que não entendem, perecerão na sua corrupção.
MAS ESTES. São várias as interpretações acerca de quem se refere o autor. Quem sabe ele se reporta sobre o diabo com os seus demônios, pode também está se dirigindo aos habitantes do mundo antigo que foram castigados pelo dilúvio, ainda pode se referir aos moradores de Sodoma e Gomorra, em fim, e principalmente, o autor deve se referir aos hereges que buscavam desviar os cristãos primitivos por meio das fábulas judaicas, das filosofias sufistas gnósticas. Seja como for, o escritor demonstra qual depreciativa eram as ações dos opositores ao Deus Criador.

COMO ANIMAIS IRRACIONAIS. Como a própria ciência chama para si, a responsabilidade de afirmar que os seres humanos pertencem ao reino animal, aqueles que se mantem no estado de rebelião contra Deus, são comparados aos animais mais irracionais que se possa imaginar. Os animais são irracionais, porque eles não têm um espírito dotado de inteligência como os seres humanos possuem. Porem, quando o homem é dominado pelas concupiscências da carne, ele aprisiona seu espírito de tal maneira que seus apetites são despertados para os prazeres carnais.

QUE SEGUEM A NATUREZA. Os animais irracionais seguem os seus instintos de sobrevivência, sem limites para os interesses próprios, mesmo que tenham que quebrar todas as regras, dos direitos que dizem respeito aos demais seres que vivem a sua volta. Os seres espirituais ou humanos que não se submetem a vontade de Deus só buscam seus próprios interesses, mesmo que saibam que existe um ser supremo, que merece respeito e consideração, porque é o Criador de todas as coisas.

FEITOS PARA SEREM PRESOS E MORTOS. No tocante aos animais irracionais, seguem os círculos da sobrevivência, onde uns tem que serem eliminados para darem continuidade aos mais fortes e oportunistas na cadeia da sobrevivência. Quanto aos rebeldes e obstinados que seguem suas próprias heresias, buscam na escuridão da vida se safarem de suas responsabilidades para com o Criador, se aproveitando do livre arbítrio, mesmo sabendo que no final de tudo, só lhes restam à condenação ou segunda morte.

BLASFEMAM DO QUE NÃO ENTENDEM. Os ímpios e os que são ateus confessos, os incrédulos e todos aqueles que vivem alienados dos plenos do Criador, por meio dos seus atos e palavras buscam ridicularizar das verdades sobre Deus e os seus planos para a humanidade. Imitam os animais irracionais, que sem entendimento seguem os seus próprios cursos naturais, que tem como fim, serem presos e mortos.

PERECERÃO NA SUA CORRUPÇÃO. Faz-se necessário que cada um daqueles que se envolvem em questões espirituais sejam cautelosos no que fazem e ensinam, para não serem identificados por Deus como instrumentos das heresias enganosas. Lamentavelmente, muitos começam bem na sua jornada cristã, mas com o passar do tempo se transforam em hipócritas da religiosidade, sendo dominados pelas suas próprias heresias.

sábado, 24 de janeiro de 2015

2 Pedro 2:11

2 Pedro 2:11 - Enquanto os anjos, sendo maiores em força e poder, não pronunciam contra eles juízo blasfemo diante do Senhor.
ENQUANTO OS ANJOS. Estes anjos sobre os quais o autor se refere dizem respeito aos anjos de Deus, que estão a serviço do reino de Cristo, e que são anjos de luz. Assim como também estão a serviço dos que hão de herdar a salvação (Hebreus 1:14). No entanto, neste ponto desta carta, estes anjos, se destacam como sendo aqueles que foram enviados por Deus para salvar a Ló, da destruição de Sodoma e Gomorra. No capítulo dezanove de Gênesis narra essa história em que o Senhor enviou dois anjos para livrar a Ló da destruição de Sodoma e Gomorra, e que eles destruíram aquelas cidades conforme as determinações do Deus que é juiz dos vivos e dos mortos.

SENDO MAIORES EM FORÇA. O apóstolo faz uma comparação entre os anjos de Deus e os moradores de Sodoma e Gomorra, e de forma categórica afirma de que, os anjos tinham mais força do que os homens daquelas cidades. Sabendo os moradores de Sodoma e Gomorra que Ló havia recebido os anjos de Deus em sua casa, foram até lá para lutarem contra Ló e contra os anjos do Senhor, Porem, lá chagando, quiseram arrombar a porta do justo Ló, pelo que os anjos de Deus com a sua força impediram que aqueles homens violentos de Sodoma e Gomorra entrassem na casa de Ló para fazerem mal, aquela família. Além do mais puseram cegueira em todos eles.

E PODER. Os anjos de Deus além de terem muita força, eles também tinham poder, que é a determinação de executar algo além do natural. Esse poder dos anjos de Deus é um poder outorgado, que vem do Deus Onipotente, Criador dos céus e da terra. E este poder exercido por aqueles anjos do Senhor foi demonstrado, quando eles prevaleceram sobre os homens de Sodoma e Gomorra, além é claro de executarem suas missões determinada por Deus, de trazer o castigo e o juízo sobre os moradores daquelas cidades prevaricadoras. Os anjos destruíram Sodoma e Gomorra com poder.

NÃO PRONUNCIARAM CONTRA ELES. Mesmo revestidos de força e poder, quem vinha de Deus, os anjos do Senhor não usam de tal autoridade para pronunciar palavras acusativas contra quem quer que seja. Eles não acusam nem os anjos das trevas, nem muito menos os homens. A carta de Judas 1:9, nos fala de um dos arcanjos de Deus que é forte e poderoso, mas que quando discutia com o diabo acerca do corpo de Moisés, não ousou pronunciar juízo de maldição contra satanás, mas simplesmente disse: O Senhor te repreenda. Nós precisamos refletir sobre isso.

JUÍZOS BLASFEMOS. Porque precisamos refletir sobre isso? Porque tem muitos cristãos que em atos sucessivos de exaltação, ficam falando e acusando os seres espirituais, em forma de insultos. Quem tem o nome de acusador é o próprio diabo, que vive a nos acusar perante o Senhor, e não nós que somos servos de Deus. Tem muitos pregadores que em seus discursos falam mais no diabo com os seus demônios do que no nome de Cristo. Não devemos blasfemar contra ninguém.

PERANTE O SENHOR. Os anjos de Deus não tem a função de acusar ninguém diante da face de Deus, nem ao diabo com os seus demônios, nem muito menos os seres humanos, que é a imagem e semelhança do Criador. O diabo sim, esse é o acusador. Portanto, se os fortes e poderosos anjos de Deus não acusam ao diabo com os seus demônios, quem é o ser humano para assim o fazer? Todo cuidado é pouco e precisamos ser cautelosos neste particular.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

2 Pedro 2:10

2 Pedro 2:10 - Mas principalmente aqueles que segundo a carne andam em concupiscências de imundícia, e desprezam as autoridades; atrevidos, obstinados, não receando blasfemar das dignidades.
MAS PRINCIPALMENTE AQUELES. Na segunda parte do texto anterior o autor estava descrevendo sobre aqueles que são injustos sobre os quais está reservado o dia do juízo para serem castigados. Como Deus criou o homem com livre arbítrio, nesta vida ele pode fazer o que bem entender que deve praticar, pode andar nos seus próprios caminhos e falar coisas arrogantes pela sua prepotência e ignorância. Todavia, um dia todos irão prestar contas dos seus feitos e de suas obras perante o Criador, porque comparecerão diante do trono branco e serão punidos pela apostasia.

QUE SEGUNDO A CARNE. O castigo já está previsto sobre todos aqueles que vivem segundo a carne e não pelo Espírito de Deus. Paulo escrevendo aos cristãos de Roma ele adverte: Romanos 8:5-8 - Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito. Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz. Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser. Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus.

ANDAM EM CONCUPISCÊNCIAS DE IMUNDÍCIA. Desde a queda da raça humana, que ocorreu lá no Jardim do Éden, que o ser humano passou a ser controlado e dominado pelas concupiscências da carne. Os desejos imundos da carne escravizam a mente dos seres humanos ao ponto de não deixar que o homem cumpra integralmente os projetos para os quais foi criado por Deus. As concupiscências da carne levam os seres humanos a viverem desagradando a Deus, ao ponto de não se submeterem a vontade do Criador, pelo contrário, vivem em plena alienação e apostasia.

DESPREZAM AS AUTORIDADES. Quem é a maior autoridade do mundo? É claro que é Deus, Pai, Filho e Espírito Santo, depois os seus anjos, que estão ao serviço do reino de Cristo. Os seres humanos que não fazem a vontade de Deus desprezam ao Criador, não aceitam a obra redentora do Cristo Salvador, nem são guiados pelo Espírito Santo de Deus. E no caso dos moradores de Sodoma e Gomorra, Eles não respeitaram os anjos de Deus, que ali estavam representando o Deus eterno.

ATREVIDOS, OBSTINADOS. Os homens que vivem alienados do seu Criador e dominados pelo sentimento de apostasia, são atrevidos e obstinados em seus intentos e ideologias de pensamentos. Basta conversar com um ateu confesso, que logo se percebe o seu atrevimento em negar a existência do Criador supremo, que fez o mundo e tudo que nele há. São obstinados porque suas mentes estão cauterizadas para negarem a verdade de que existe um arquiteto do universo.

NÃO RECEIAM BLASFEMAR DAS DIGNIDADES. São coisas horríveis que os incrédulos falam de Deus. Com suas palavras inflamadas blasfemam conscientemente do Senhor. Os incrédulos vivem como se Deus não existisse para eles, além do mais desprezam as palavras de Deus, afirmando de que não irão prestarem conta dos seus feitos perante o juiz dos vivos e dos mortos.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

2 Pedro 2:9

2 Pedro 2:9 - Assim, sabe o Senhor livrar da tentação os piedosos, e reservar os injustos para o dia do juízo, para serem castigados.
ASSIM SABE O SENHOR LIVRAR. Este texto traz um ressumo das três advertências que o autor vinha dando aos seus leitores, principalmente para aqueles que se debandam para o caminho da heresia e da rebeldia, contra a vontade de Deus. No caso do castigo dos moradores de Sodoma e Gomorra, que foi o último exemplo dado pelo escritor, ele mostrou que Deus deu livramento a Ló e a sua família, porque ele era justo aos seus olhos. Deus livra o justo do perigo e das provações. O Senhor acampa o seu anjo ao redor dos que o temem e os livra (Salmos 34:7). Essa é a promessa de Deus.

DA TENTAÇÃO. Neste caso, esta palavra significa dizer: Provação, teste, perigo, castigo, juízo e etc. No caso de Ló, Deus estava a todo o momento ajudando a ele, no sentido de livrá-lo de incorrer nos mesmos erros dos moradores daqueles cidades. No meio de uma sociedade corrompida, ninguém consegue ser fiel aos mandamentos do Senhor, se não vier ajuda da parte do Espírito de Deus. Como também está claro de que foi Deus quem livrou ao ser servo Ló do castigo imposto contras os moradores daqueles cidades.

OS PIEDOSOS. Neste caso, piedosos não quer dizer, alguém que dá esmolas aos pobres e aos necessitados. Mas, dentro deste texto, esta palavra que dizer: alguém que serve fielmente a Deus e executa a sua vontade. Piedoso neste caso também não quer dizer alguém que é devoto de sua religião, mas sim, alguém que busca o reino de Deus em primeiro lugar e as coisas que são de cima como prioridade. Piedoso neste caso é alguém que aos olhos de Deus é justo e temente ao Criador.

E RESERVA OS INJUSTOS. No entanto, ao contrário dos justos, Deus reserva os injustos para o castigo e para o juízo. Os injustos dentro da mensagem do evangelho quer dizer, todos aqueles que vivem alienados do seu Criador, vivendo para si mesmo e para o mundanismo. Os injustos são aqueles que se mantêm na incredulidade e na rebelião contra Deus e os seus mandamentos. Os injustos neste caso, são todos aqueles que mesmo conhecendo a verdade, procuram se debandarem para a apostasia, e que seguem as heresias das mentes cauterizadas para o mau e as trevas.

PARA O DIA DO JUÍZO. Este dia do juízo tem vários significado, porque se aplica de forma diferente para cada caso. Quando aplicado ao diabo e os seus demônios, se deu quando da precipitação das regiões celestes e no juízo final. No caso do tempo de Noé, descreve sobre o dilúvio. E em se tratando dos moradores de Sodoma e Gomorra, fala sobre o dia em que aquelas cidades foram destruídas pelo Senhor.

PARA SEREM CASTIGADOS. Em cada caso citado nos exemplos dados pelo escritor, percebe-se que houve penalidades para os que se rebelaram contra a vontade de Deus. Da mesma forma, serão castigados, tanto nesta vida, quanto e principalmente na futura, todos aqueles que se desviarem da verdade do evangelho para as heresias pela rebelião.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

2 Pedro 2:8

2 Pedro 2:8 - (Porque este justo, habitando entre eles, afligia todos os dias a sua alma justa, vendo e ouvindo sobre as suas obras injustas).
PORQUE ESTE JUSTO. Ló é chamado de justo, não porque ele era perfeito, mas porque ele viviam pela fé no Deus que fez céus e a terra. Era um homem diferente dos demais cidadãos daquelas cidades, porque ele procurava de todas as formas fazer a vontade de Deus e se esforçava para agradar ao Criador. Era um homem que temia a Deus, uma vez que era consciente de que tinha responsabilidades com o Deus Onisciente que sabe de tudo, sobre todos. Seus caminhos eram retos diante de Deus, suas palavras eram edificantes e seus pensamentos justos perante a face de Deus.

HABITAVA ENTRE ELES. É bem provável que Ló já havia se arrependido de ter escolhido este lugar para morar, porque via que os seus habitantes se tornaram abomináveis diante de Deus. Ele morava naquele lugar, mas seu desejo era não participar de nada do que os moradores de Sodoma e Gomorra praticavam. Ele se sentia como um peixe fora d´água, até porque, não concordava com nada, do que os moradores daquele lugar viviam fazendo. Morar ali era uma situação constrangedora para ele.

AFLIGIA TODOS OS DIAS. Essa frase descreve sobre as angustias porque passava a alma do justo Ló naquela cidade. Sua alma se sentia muito triste por não poder mudar aquela situação, vendo e ouvindo coisas horríveis dos seus conhecidos, dos seus vizinhos e quem sabe até dos amigos, mas ele se sentia impotente, porque os moradores daquele lugar estavam dominados pela carnalidade e devassidão da vida. Certamente Ló fazia sacrifícios de jejum e orações por aquele povo para que se convertessem.

A SUA ALMA JUSTA. Quando se fala sobre “alma”, muitas vezes dentro do conteúdo das Sagradas Escrituras está se escrevendo sobre a vida. Ló tinha uma vida de piedade e dedicação às coisas de Deus. Defendia as coisas corretas e lutava para que o seu próximo buscasse a Deus. Seu testemunho era o exemplo de alguém que renuncia as coisas do mundo buscando agradar ao Criador. Sua espiritualidade era de quem buscava desenvolver seus dons no trato com a vontade de Deus. Ter uma alma justa é não fazer o que quer, mas procurar dentro do possível agradar a Deus.

VENDO E OUVINDO. Não tinha como Ló fechar os olhos para tudo que acontecia em Sodoma e Gomorra, até porque por todas as partes daquelas cidades prevaleciam as aberrações e as imoralidades morais. Certamente as palavras dos moradores daquelas cidades eram de blasfêmias contra as dignidades celestiais, contra os bons costumes e também contra tudo que representa ter uma boa reputação e ética.

SOBRE AS SUAS OBRAS INJUSTAS. Estas obras injustas a que se refere o autor, dizem respeito ao modo de vida a que se submetiam prazeirosamente os moradores daquele lugar. Eram injustos consigo mesmo, porque suas obras prejudicavam suas próprias almas, eram injustos em seus comportamentos com o próximo e principalmente com Deus.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

2 Pedro 2:7

2 Pedro 2:7 - E livrou o justo Ló, enfadado da vida dissoluta dos homens abomináveis.
E LIVROU. O livramento sobre o qual o autor descreve se encontra em Gênesis 19:15-17 - E ao amanhecer os anjos apertaram com Ló, dizendo: Levanta-te, toma tua mulher e tuas duas filhas que aqui estão, para que não pereças na injustiça desta cidade. Ele, porém, demorava-se, e aqueles homens lhe pegaram pela mão, e pela mão de sua mulher e de suas duas filhas, sendo-lhe o Senhor misericordioso, e tiraram-no, e puseram-no fora da cidade. E aconteceu que, tirando-os fora, disse: Escapa-te por tua vida; não olhes para trás de ti, e não pares em toda esta campina; escapa lá para o monte, para que não pereças. Deus deu livramento a Ló e a sua família com ele.

O JUSTO. Na antiga dispensação era diferente o conceito de Justo em comparação com o tempo da nova aliança da graça de Deus com a humanidade por meio de Cristo Jesus, único mediador entre Deus e os homens. Na nova dispensação é justo todo aquele que aceita a redenção em Cristo Jesus e passa a ser justificado diante da justiça divina, mediante a expiação já realizada de forma perfeita pelo Filho de Deus. Já na antiga dispensação ser justo era de fato viver de conformidade com os mandamentos de Deus e ter aliança com o Deus Criador. Ló vivia completamente diferente dos homens ímpios de Sodoma e Gomorra, isso porque ele era um homem correto e bom em seus procedimentos para com Deus e para com os homens.

LÓ. O que se sabe sobre este homem é que, ele viveu por volta de mil e novecentos anos antes de Cristo, e que era filho do irmão mais jovem de Abraão chamado Harã, portanto, ele era sobrinho do patriarca Abraão, mas que também podia ser chamado de filho de criação, a quem o patriarca devotava grande amor e consideração. A tradição judaica afirma de que ele nasceu em Ur dos caldeus, mas posteriormente sua família migrou para a terra de Canaã, passando a viver mais ao oeste de onde procediam seus antepassados. Ao que tudo indica Harã veio a falecer ainda bem jovem e Ló ficou órfão de Pai. Como Abraão ainda não tinha filhos, então Ló passou a ser cuido e protegido pelo seu tio Abraão, que era como um pai para ele.

ENFADADO DA VIDA DISSOLUTA. Por conta de uma certa discórdia entre Abraão e seu sobrinho Ló, os dois tiveram que se separarem mais tarde, em que o jovem Ló escolheu migrar para as bandas das planícies do Jordão, que era uma terra boa (Gênesis 13:7-12). No entanto, depois de se estabelecer naquelas cercanias viu Ló que os moradores daquele lugar eram homens ímpios e repugnantes. Gênesis 13:13 - Ora, eram maus os homens de Sodoma, e grandes pecadores contra o Senhor. Com isso o justo Ló, que era diferente dos moradores daquele lugar, se sentia angustiado por ver o modo de vida depravado em que viviam os moradores daquele lugar.

DOS HOMENS ABOMINÁVEIS. O texto que já citamos, nos diz que os moradores de Sodoma e Gomorra eram maus e pecadores contra o Senhor. O que prevalecia naquelas cidades, que eram ao todo cinco, era a maldade, a desobediência contra Deus e a rebelião obstinada contra o Criador. O homossexualismo era algo aceitável como normal e incentivado a ser praticado como virtude, coisa que as Santas Escrituras, que representam a vontade de Deus, reprovam como algo repugnante.

domingo, 18 de janeiro de 2015

2 Pedro 2:6

2 Pedro 2:6 - E condenou à destruição as cidades de Sodoma e Gomorra, reduzindo-as a cinza, e pondo-as para exemplo aos que vivessem impiamente.
E CONDENOU À DESTRUIÇÃO. O autor continua com suas advertências severas em forma de avisos a todos aqueles que se debandam para o caminho da heresia e da rebelião contra Deus. Temos então, o terceiro exemplo dado pelo apóstolo, usando e citando casos dentro da literatura judaica, de como há prejuízos para todos aqueles que rejeitam os planos e a vontade soberana do Criador. As cidades citadas pelo autor desta epístola foram de fato condenadas a destruição, conforme o castigo merecido e determinado, pelo Deus que é o juiz dos vivos e dos mortos e que é um fogo consumidor. Esse relato pode ser visto em (Gênesis 19:24-29).

AS CIDADES DE SODOMA. Sodoma, O significado do nome Sodoma é incerto, mas provavelmente deriva do Vale de Sidim, que em hitita quer dizer sal. O nome fala das planícies de sal e das covas de betume de um vale que ficava próximo ao mar Morto, onde se situava Sodoma. Uma das cinco cidades do vale de Sidim, destruídas por causa de sua pecaminosidade (Gênesis 13:10; e 14; 18:16-33; 19:1-9). O local é mencionado mais de 50 vezes na Bíblia, na maioria dos quais relacionados à incomum natureza pecaminosa pela qual foi punida. Quando o Autor escreve sobre “cidades”, ele cita as duas principais, mas na realidade eram 5 cidades no vale de Sidim.

E GOMORRA. A palavra hebraica para Gomorra parece significar submersão, porque ela foi destruída pelo fogo. Gomorra foi uma das cidades da planície que foi destruída juntamente com Sodoma por conta de suas perversões sexuais, contrário à natureza, e pode-se ver isso em (Gênesis 10:19; 13:10; 19:24,28). Esta cidade se tornou um proverbio de práticas da iniquidade na sua mais alta escala de degradação, como também tipifica a destruição pelos atos sexuais mais promíscuos. Os escritures do Novo Testamento se referem a esta cidade como sendo um exemplo prático do derramamento da ira de Deus, sobre aqueles que são pervertidos.

REDUZINDO-AS AS CINZAS. Não se sabe ao certo, como seria a arquitetura urbanística destas cidades antes da grande catástrofe aqui descrita pelo grande apóstolo Pedro. Mas tomamos conhecimento neste ponto desta carta, que toda a estrutura das casas e edifícios daquelas cidades se transformaram em montões de cinzas. Com isso podemos conjecturar que houve o uso do fogo como fenômeno natural, pelo que tudo foi queimado desde os materiais mais frágeis aos mais sólidos. Labaredas de fogo e enxofre foram lançadas sobre aquelas cidades e os seus moradores.

E PONDO-AS PARA EXEMPLO AOS QUE VIVESSEM IMPIAMENTE. O autor está focalizando estes exemplos e ao mesmo tempo demonstrando que, o mesmo pode acontecer com os que transtornam o evangelho de Cristo, para defenderem heresias e levar o povo de Deus para fora do caminho e das doutrinas do evangelho verdadeiro. Certamente este texto, na história do cristianismo serviu sempre de alerta para muitos.

sábado, 17 de janeiro de 2015

2 Pedro 2:5

2 Pedro 2:5 - E não perdoou ao mundo antigo, mas guardou a Noé, pregoeiro da justiça, com mais sete pessoas, ao trazer o dilúvio sobre o mundo dos ímpios.
E NÃO PERDOOU O MUNDO ANTIGO. O autor continua mostrando aos seus leitores que, se os hereges não se converterem antes que seja tarde demais, incorrerão nas punições previstas na palavra de Deus, assim como aconteceu nos tempos antigos, em que o juízo caiu sobre os moradores da terra. O fato de Deus não ter perdoado a humanidade do tempo do dilúvio, significa que ele fez vir sobre os seres humanos o castigo, anunciado por ele e pregado pelo seu representante Noé. Com isso, o Senhor deixa claro que não perdoará aqueles que se manterem na apostasia e heresias.

MAS GUARDOU A NOÉ. A proteção de Deus é para aqueles que fazem a sua vontade e se submete aos planos do Criador. Quem anda nos caminhos do Senhor pode contar com a proteção de Deus e a segurança que vem do Senhor. Noé era em sua época, um homem justo aos olhos de Deus, assim como hoje o são todos aqueles que acreditam e aceitam a obra redentora realizada pelo Filho de Deus, Jesus Cristo. Como representante de Deus, Noé escapou do dilúvio, assim como aqueles que forem justificados pela expiação de Cristo estarão salvos da condenação eterna.

PREGOEIRO DA JUSTIÇA. Enquanto os ímpios do mundo antigo (mundo antigo quer dizer: o mundo antediluviano) continuavam na depravação e rebelião contra Deus, desviados dos propósitos para os quais foram criados. Noé se ocupava e se gastava em pregar sobre a justiça divina, avisando aos moradores da terra que, se não se convertesse dos seus maus caminhos seriam destruídos pela grande catástrofe do dilúvio. Noé tanto pregava com suas palavras, sobre o que estava para acontecer, como também por meio da construção da grande arca que o salvou com sua família.

COM MAIS SETE PESSOAS. Gênesis 7:1,5,7 - Depois disse o Senhor a Noé: Entra tu e toda a tua casa na arca, porque tenho visto que és justo diante de mim nesta geração. E fez Noé conforme a tudo o que o Senhor lhe ordenara. Noé entrou na arca, e com ele seus filhos, sua mulher e as mulheres de seus filhos, por causa das águas do dilúvio. E no mesmo dia entraram na arca Noé, seus filhos Sem, Cão e Jafé, sua mulher e as mulheres de seus filhos. Nestes trechos da palavra de Deus aprendemos que o justo recebe o livramento e traz benefícios também para os seus.

AO TRAZER O DILÚVIO. O dilúvio dos tempos de Noé, faz separação entre o mundo antigo e o novo mundo, que permanece até os dias de hoje, como também descreve sobre o castigo de Deus sobre os ímpios que se mantem no caminho da desobediência. O dilúvio é uma tipologia da condenação dos que não se convertem para Cristo pelo poder libertador do evangelho.

SOBRE O MUNDO DOS ÍMPIOS. Este mundo dos ímpios, sobre o qual escreve o apóstolo Pedro, diz respeito ao sistema dos homens, em que prevalece a incredulidade, a rebeldia e a apostasia contra o Criador. Já os ímpios a quem se reporta o autor, descreve sobre os ateus confessos ou não, que não fazem a vontade de Deus.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

2 Pedro 2:4

2 Pedro 2:4 - Porque, se Deus não perdoou aos anjos que pecaram, mas, havendo-os lançado no inferno, os entregou às cadeias da escuridão, ficando reservados para o juízo.
PORQUE, SE DEUS NÃO PERDOOU. Percebe-se o perigo na vida de todos aqueles que procuram desviar do caminho da verdade o povo de Deus. Os hereges são comparados em suas retribuições pelo erro, ao próprio diabo com os seus demônios, que foram banidos da presença de Deus. A rebelião contra o Deus de bondade e justiça é algo que tem como consequências a perdição eterna e a condenação. Deus não perdoou a Lúcifer nem aos anjos que lhe seguiram quando da rebelião nas regiões celestiais. Todos sabem de que, o diabo quis tomar o lugar de Deus, e para tanto tentou juntar uma grande parte dos anjos de luz, que juntamente com ele se rebelaram contra o Criador e deu no que deu, foram expulsos da presença do Senhor.

AOS ANJOS QUE PECARAM. Lúcifer, que depois de sua queda ficou sendo conhecido como o diabo, antes de sua rebelião era um anjo de luz, assim como os demônios também eram anjos do bem, mas, como se debandaram para o mal, juntamente com satanás, pecaram contra Deus e foram precipitados nas trevas. O pecado do diabo foi justamente a ganância por poder e por não se submeter à autoridade e a vontade de Deus, da mesma forma, um terço dos anjos que se transformaram em demônios também seguiram o exemplo de satanás. O diabo e os seus demônios formam o império das trevas, que se tornaram em inimigos de Deus e da raça humana.

MAS, HAVENDO-OS LANÇADO NO INFERNO. Todo erro tem suas consequências e todo pecado seus prejuízos. A pena da rebelião do diabo com os seus demônios foi justamente ser lançado no inferno. Conforme a mensagem do evangelho, o inferno é um lugar de terríveis sofrimentos e uma prisão de castigo. As tradições judaicas-cristãs descrevem este lugar como sendo no centro da terra, onde sua temperatura é altíssima com larvas e labaredas de fogo ardente. O inferno é a morado do diabo com os seus demônios, como também uma prisão para todos aqueles que não aceitam a redenção realizada por Cristo, por não creem que ele é o único Salvador.

OS ENTREGOU AS CADEIAS DA ESCURIDÃO. Esta é uma expressão que representa em tese, um castigo de proporções terríveis. E também representa o estado de juízo a que foram submetidos satanás com os seus demônios. O império das trevas se encontra nas mais densas trevas e em profunda escuridão e sombra de morte. Essa frase demonstra o estado irreversível a que se encontra o diabo e os seus seguidores. É a isso, que o evangelho chama de segunda morte, ou morte eterna, condenação.

FICANDO RESERVADOS PARA O JUÍZO. O diabo com os seus demônios e todos aqueles que se rebelarem contra o Criador serão submetidos ao juízo final. E serão condenados para sempre e banidos da presença de Deus eternamente. E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre (Apocalipse 20:10-15).

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

2 Pedro 2:3

2 Pedro 2:3 - E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita.
E POR AVAREZA. O autor faz um ataque direto aos mercenários, que usam a palavra de Deus para ganhar dinheiro. Mostrando o real motivo pelo qual estes profissionais do evangelho se locupletam que é justamente pela avareza. Por interesses financeiros e para tirarem vantagens, os mercenários do evangelho pregam, cantam, oram e praticam a indulgência, por ganancia pessoal. Devemos a Deus até os cabelos da nossa cabeça, tudo que somos ou representamos, então, como podemos fazer qualquer coisa pelo reino de Deus ou pelo nosso próximo por dinheiro?

FARÃO DE VÓS NEGÓCIO. Essa é uma das façanhas mais terríveis que os mercenários da fé praticam contra a igreja de Cristo. Os profissionais do evangelho usam a igreja de Cristo para se tornarem poderosos financeiramente, como se a igreja fosse uma empresa de negócios e comercio. O que é a prática de indulgências? É a venda dos “serviços religiosos” que supostamente alguém presta a Deus ou ao seu próximo! Como alguém tem a cara de pau de cobrar alguma coisa pelos seus serviços prestados a Deus? O comercio da fé tem se tornado escandaloso, bem como os que dele participa ou é cúmplice ou conivente com a exploração financeira dos fieis, prática essa combatida por Paulo.

COM PALAVRAS FINGIDAS. Os mercenários da fé e os profissionais do evangelho não merecem nenhuma credibilidade, porque suas palavras e pregações são fingidas, para tirarem proveitos econômicos dos cristãos. Jesus os classificou de ladrões e salteadores que roubam o dinheiro dos seus seguidores, com discursos forjados por interesses pessoas e econômicos. A igreja de Cristo precisa estar alerta, sobre quem é um verdadeiro ministro do evangelho, e sobre quem é um mercenário que faz a suposta obra de Deus por dinheiro. O cristão verdadeiro não pode ser conivente com o comercio da fé, nem contribuir para alimentar um sistema que usa da exploração financeira dos fieis.

SOBRE OS QUAIS JÁ DE LARGO TEMPO. Cristo disse: de graça recebestes de graça dai. Paulo escreveu sobre ele mesmo em 2 Tessalonicenses 3:7-12 Porque vós mesmos sabeis como convém imitar-nos, pois que não nos houvemos desordenadamente entre vós, Nem de graça comemos o pão de homem algum, mas com trabalho e fadiga, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós. Não porque não tivéssemos autoridade, mas para vos dar em nós mesmos exemplo, para nos imitardes. Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto, que, se alguém não quiser trabalhar, não coma também. Porquanto ouvimos que alguns entre vós andam desordenadamente, não trabalhando, antes fazendo coisas vãs. A esses tais, porém, mandamos, e exortamos por nosso Senhor Jesus Cristo, que, trabalhando com sossego, comam o seu próprio pão. Deus sempre levantou seus servos para alertar a igreja sobre o comercio da fé.

NÃO SERÁ TARDIA A SENTENÇA, E A SUA PERDIÇÃO NÃO DORMITA. Pregam, cantam, oram, por interesses econômicos e financeiros. Vai chegar o dia do acerto de contas. Jesus disse em Mateus 7:22-23 - Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade. Que esta palavra sirva de alerta para os mercenários, que praticam o comercio da fé e para a igreja de Cristo.

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

2 Pedro 2:2

2 Pedro 2:2 - E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade.
E MUITOS. O próprio Cristo teve que enfrentar muitas e diversas forças opostas a sua pessoa e ao seu ministério, isso porque a chegada do Messias de Deus criou inúmeras possibilidades de contrariar interesses. Não foi deferente depois da partida do Mestre, com os seus apóstolos e missionários do reino de Cristo. Os Judeus, os chefes das religiões pagãs e o império romano buscavam de todas as formas mais perversas possíveis impedirem a expansão do cristianismo na terra. Para tanto, os opositores do evangelho percebendo que pela força não conseguiam, então, procuravam se infiltrar no seio da igreja, se fazendo também de cristãos, para semearem suas heresias maléficas, com o intuito de transtornarem a mensagem do evangelho e confundirem os seguidores de Cristo. Tudo isso era bem planejado e orquestrado contra o cristianismo.

SEGUIRÃO. Como os doutores da lei e defensores da legislação judaica eram bem instruídos pelos líderes do judaísmo. Assim bem como os falsos mestres gnósticos sabiam do que estava intentando. Eles se macunavam juntamente para chegarem aos menos esclarecidos e tentarem confundir a mente dos novos convertidos. Desde o início da igreja que milhares de cristãos foram levados a se afastarem das verdades do evangelho por conta das investidas dos opositores da religião fundada pelo Senhor Jesus e continuada pelos seus apóstolos e missionários cristãos. O que se percebe nos dias de hoje são inúmeras seitas heréticas, que desviam as pessoas da simplicidade do evangelho para um emaranhado de doutrinas estranhas e ocultas do misticismo religioso.

AS SUAS DISSOLUÇÕES. Essas dissoluções a que se refere o autor, diz respeito às fábulas judaicas e as filosofias gnósticas que os hereges tentavam implantar na igreja de Cristo nos primeiros séculos da era cristã. Já nos dias de hoje são as teses teológicas com deformidades maléficas distorcendo a simplicidade do evangelho da verdade. As heresias sempre lançaram suas raízes no arraiam do cristianismo e se os ministros do evangelho não ficarem bastante vigilantes, elas se tornarão doutrinas aceitáveis pela comunidade cristã. Quando na realidade as heresias dos homens têm como objetivo distorcer a mensagem pura e simples do evangelho das boas novas. Todo cuidado e pouco.

PELOS QUAIS SERÁ BLASFEMADO. Na história do cristianismo os maiores escândalos foram praticados pelos que se esperavam que fossem verdadeiros líderes cristãos. De forma que o império das trevas procura de toda maneira ter influencia na vida dos que estão em grandes responsabilidades perante a igreja de Cristo. A realidade é que o mundo blasfema do reino de Deus e de Cristo por conta dos escândalos com os supostos líderes cristãos.

O CAMINHO DA VERDADE. Quando um notável líder cristão se envolve em escândalos e polêmicas, o mundo detona é contra a igreja de Cristo e as verdades do evangelho, que é o caminho da verdade. Os embaixadores do evangelho são a bíblia da sociedade, e quando os líderes cristãos não ensinam a verdade de Deus, até o mundo percebe e com isso blasfemam do evangelho, e a igreja passa por vexame pelas heresias que pregam esses supostos líderes cristãos.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

2 Pedro 2:1

2 Pedro 2:1 - E Também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição.
E TAMBÉM HOUVE ENTRE O POVO FALSOS PROFETAS. É provável que o autor esteja se referindo, ao tempo em que antecedeu a vinda do Messias para implantar a nova dispensação de Deus, com a humanidade pelo evangelho das boas novas. Os profetas que tiveram a aprovação de Deus e da comunidade de Israel, reconhecidos também pela igreja do Novo Testamento são aqueles que fazem parte do cânon do Velho Testamento. No entanto, fora estes tiveram inúmeros outros, principalmente no período do silêncio profético de Deus, durante mais ou menos quatrocentos anos.

COMO ENTRE VÓS HAVERÁ TAMBÉM FALSOS DOUTORES. Já no tempo do Novo Testamento, em vez dos falsos profetas, estavam surgindo uma safra crescente de falsos doutores da lei e mestres enganadores. Os chamados falsos doutores da lei eram aqueles que estavam a serviço do Judaísmo para por meio de suas falsas fábulas engenhosamente inventadas, tentarem confundir a fé dos cristãos pela legislação mosaica. Enquanto que os falsos mestres gnósticos estavam a serviço das religiões pagãs, que do mesmo modo tentavam impedir o crescimento do cristianismo por meio de suas heresias artificias, de cunho religioso, porem, enganadoras.

QUE INTRODUZIRÃO ENCOBERTAMENTE. Tanto os falsos doutores da lei, quanto os enganadores mestres gnósticos se utilização de artifícios fraudulentos para tentarem introduzir suas teses e filosofias de perdição. Eles andavam a procura dos cristãos mais simples e menos experientes no caminho do evangelho para os tirarem dos caminhos do Senhor. Mas, os seus objetivos era deter o crescimento do cristianismo. Para tanto, distorciam os ensinos do evangelho de Cristo usando a lei e as filosofias humanas.

HERESIAS DE PERDIÇÃO. As doutrinas da salvação estão contidas na mensagem do evangelho das boas novas de Cristo, que faz parte da nova aliança de Deus com a humanidade por meio da expiação de Cristo. Todavia, estes inimigos do evangelho da verdade, procuravam de todos os modos negarem estas verdades, e com isso manipulavam a lei e distorciam a própria mensagem do evangelho para alcançarem seus objetivos. Com isso confundiam os mais ingênuos com suas heresias de perdição.

E NEGARÃO O SENHOR QUE OS RESGATOU. Os Judeus negaram ao Senhor Jesus, como sendo o Messias enviado de Deus Pai. João 1:9-11 – (falando sobre Jesus) Ali estava a luz verdadeira, que ilumina a todo o homem que vem ao mundo. Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu. Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Já os gnósticos negavam de que o Cristo fosse o único Senhor absoluto, quando o via apenas como mais um dentro muitos outros mediadores. Os gnósticos acreditavam em Jesus apenas como um anjo de Deus ou um ser espiritual, o que eles chamava de aeons.

TRAZENDO SOBRE SI MESMOS REPENTINA PERDIÇÃO. O plano de Deus para a humanidade por meio da nova aliança de salvação em Cristo Jesus é perfeito. E negar a Cristo como único mediador entre Deus e os homens e implantador desta aliança da graça entre Deus é aceitar inexoravelmente a perdição e a condenação eterna.

domingo, 11 de janeiro de 2015

2 Pedro 1:21

2 Pedro 1:21 - Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.
PORQUE A PROFECIA. Como podemos entender a profecia? Deus é Espírito, mas como Criador que se importa e intervém na história da humanidade, ele estabelece comunicação com os homens para expressar suas vontades. Nestes atos de comunicação entre Deus e os seres humanos, ele usa seus profetas para falar o que há de acontecer, imediatamente, a médio ou longo prazo. A comunicação da mensagem de Deus por meio dos seus profetas é que se dar o nome de profecia. Geralmente a profecia é escatológica porque nela Deus revela o que há de acontecer, antes do anunciado ser feito. Somente Deus pode fazer isso.

NUNCA FOI PRODUZIDA. Falar sobre profecia não é a mesma coisa que se referir a todo o conteúdo da bíblia. Certamente isto vai de encontro com os praticantes da bibliolatria. Assim afirmam os que defendem a tese de que a bíblia contem a palavra de Deus, e não que a bíblia é a palavra de Deus. No entanto, podemos afirmar que, as partes proféticas das sagradas escrituras nunca foram produzidas como fruto da imaginação de quem quer que seja. As profecias que estão registradas desde o primeiro livro da bíblia até o seu último, e principalmente o seu último, que é o livro de apocalipse, essas sim foram produzidas pela inspiração divina.

POR VONTADE DE HOMEM ALGUM. Quando pregamos para os incrédulos sobre as coisas que estão registradas na bíblia, comumente eles afirmam: A bíblia foi feita pelos homens. Até certo ponto é compreensível que pensem assim, por não conhecerem a essência das sagradas escrituras. Mas precisamos lhes mostrar este texto como prova escriturística de que, a mensagem profética da bíblia não é de autoria de homem algum. Não é produto das ideologias de homem algum. Não é o resultado de uma obra literária meramente humana, nem da vontade dos homens.

MAS OS HOMENS SANTOS DE DEUS. A explicação real. Homens santos de Deus. Os santos a que se refere o texto, não diz respeito a quem já partiu desta vida para uma outra dimensão da existência humana. Quando se diz: Homem santo de Deus, quer dizer: homem separado para realizar a vontade de Deus em cumprir um ministério profético nesta terra. Os verdadeiros profetas de Deus foram usados pelo Senhor de forma especial para falarem as verdadeiras palavras do Senhor. Onde o único interesse que prevalecia era transmitirem uma mensagem vinda do coração de Deus para os homens. Os profetas de Deus foram instrumentos da comunicação divina de Deus para os homens.

FALARAM INSPIRADOS. As palavras pregadas e proferidas, que depois foram escritas, pelos profetas de Deus, não dependiam da inteligência ou sabedoria dos homens de Deus que profetizaram. Esta inspiração é a mais pura revelação dos mistérios de Deus aos profetas. Pode-se observar que, a maioria dos profetas foram homens simples, porem, usados pelo Espírito de Deus para transmitirem uma mensagem de Deus aos homens.

PELO ESPÍRITO SANTO. À bíblia contem uma variedade de material literário bastante diversificado, porem, o seu conteúdo profética é totalmente de cunho religioso, porque o Espírito de Deus usou os profetas para transmitirem instruções ao povo de Deus, sobre como executar a vontade do Senhor. O Espírito de Deus é o grande inspirador das literaturas religiosas do povo de Deus.

2 Pedro 1:20

2 Pedro 1:20 - Sabendo primeiramente isto: Que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação.
SABENDO PRIMEIRAMENTE ISTO. O autor continua em sua defesa a respeito do valor que se deve dar as profecias das Sagradas Escrituras dos hebreus, principalmente as que diziam respeito ao Messias. Enquanto Jesus estava presente na terra ele procurou ser o cumprimento de tais profecias e pôs em prática tudo aquilo que a seu respeito já estava prometido por Deus, mesmo antes da sua vinda. Depois da morte, ressurreição e ascensão de Cristo, os seus representantes contavam com o seu testemunho, e com as profecias comparativas de que Jesus era realmente o Messias. A igreja de Cristo acreditava, mas nem Israel e nem o mundo aceitavam estas verdades.

QUE NENHUMA. Pedro fez muitas incursões missionárias, porem, foi em seu próprio país que ele exerceu plenamente o seu ministério. Certamente os seus ensinos em sua maior parte foram transmitidos para Judeus, convertidos ou não ao cristianismo. Com isto, ele tanto pregava, como estava escrevendo para leitores que conheciam as profecias messiânicas. Porque de princípio, a grande esperança messiânica foi dada para Israel, como não reconheceram em Jesus o Messias, passou para a igreja de Cristo. De forma que o autor defende a veracidade de todas as profecias sobre Cristo.

PROFECIA. Deus é Espírito, mas como Criador que se importa e intervém na história da humanidade, ele estabelece comunicação com os homens para expressar suas vontades. Nestes atos de comunicação entre Deus e os seres humanos ele usa seus profetas para falar o que há de acontecer, imediatamente, a médio ou longo prazo. A comunicação da mensagem de Deus por meio dos seus profetas é que se dar o nome de profecia. Geralmente a profecia é escatológica porque nela Deus revela o que há de acontecer, antes do anunciado ser feito. Somente Deus pode fazer isso.

DA ESCRITURA. Na época em que Pedro escreveu esta sua epístola, era grande a quantidade de escrituras ditas de cunho religioso. No entanto, nem toda a literatura religiosa era considerada por Israel e pelos líderes da igreja como sendo profética. Mas todas as que foram reconhecidas como inspiradas por Deus mediante o seu Santo Espírito eram dignas de total confiança. É tanto que passaram a ser universalmente reconhecidas como sendo as Sagradas Escrituras, o que nós temos hoje como bíblia sagrada. Seleção de escritos inspirados por Deus para a igreja.

É DE PARTICULAR. Todos aqueles que têm o Espírito Santo, possui a capacidade de compreender a mensagem bíblica de Deus. Percebe-se que a maioria dos chamados líderes religiosos tentam monopolizarem a interpretação das Escrituras, como se fossem mais iluminados do que os demais membros do corpo de Cristo. Ledo engano, porque o nobre escritor desta carta ensina o contrário. Quem é de Cristo sabe de tudo.

INTERPRETAÇÃO. A sabedoria científica, como acúmulo de conhecimentos é para os que buscam com mais empenho estudar e obter conhecimentos. No reino de Deus é diferente, porque o desvendar dos mistérios do evangelho é dado como dom da parte de Deus para aqueles que caem na graça do Senhor. A mensagem central ou Cristocêntrica do evangelho é compreendida por todos os seguidores de Cristo por meio da revelação do Espírito Santo.

2 Pedro 1:19

2 Pedro 1:19 - E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça, e a estrela da alva apareça em vossos corações.
E TEMOS MUI FIRME A PALAVRA DOS PROFETAS. Este é um texto absolutamente esclarecedor sobre as profecias messiânicas. Porque tudo que aconteceu na história do Cristo de Deus, já estava anexado nas literaturas proféticas do Antigo Testamento. E o Novo Testamento testifica dizendo: Como Deus falou de muitas maneiras aos antepassados pelos seus profetas (Hebreus 1:1). A firmeza da palavra dos profetas está no fato de que são verdadeiras em seus conteúdos com o fiel cumprimento de suas mensagens. O autor fala de muitos profetas que foram usados por Deus, mediante o seu Santo Espírito para anunciarem as coisas que haviam de acontecer com a vinda do seu Messias prometido. Na realidade a voz era dos profetas, mas a mensagem era de Deus.

À QUAL BEM FAZEIS EM ESTAR ATENTOS. O que o autor escreve neste ponto, tinha para sua época uma importância enorme e fundamental. Quando Cristo esteve entre o povo de Deus, Israel, ele podia provar por meio dos seus sinais de que era o Messias prometido, o Emanuel, Deus entre os homens. Com a ascensão de Cristo para se assentar a destra de Deus, os mensageiros do evangelho se utilizavam da literatura religiosa de Israel, ou seja, as profecias messiânicas para tentarem provar que Jesus de Nazaré, era o profeta do qual Moisés havia predito, o Sacerdote eterno segundo a ordem de Melquisedeque e o Rei da descendência de Davi, o Messias de Deus, o Emanuel, que quer dizer, Deus conosco. Fazia-se necessário ficar atento sobre isto.

COMO UMA LUZ QUE ALUMIA EM LUGAR ESCURO. Certamente haviam muitas dúvidas entre o povo, se realmente Jesus era ou não o Messias, apesar de todas as provas e evidências que ele próprio forneceu durante o seu ministério. É certo se dizer que, na época em que o Cristo de Deus veio ao planeta terra, o cenário era desolador e denso em trevas profundas. A mais ou menos quatrocentos anos que se tinha o silêncio profético em que o Senhor cessou de falar por meio dos seus profetas. Israel seguia as palpadelas no caminho escuro e escorregadio. A única luz que restava eram as profecias messiânicas, que focaliza a estrada da esperança, com indicação de retorno aos braços de Deus. Portanto, tinham que se apegarem a este único raio de luz.

ATÉ QUE O DIA AMANHEÇA. O autor continua em sua apresentação alegórica sobre o estado espiritual de Israel e da humanidade. Era a noite escura do conhecimento e do reconhecimento em Jesus de Nazaré, como sendo o Messias de Deus. O sol da justiça apareceu para dissipar as trevas e a densa escuridão, mas não foi aceito pelo povo de Israel nem pelo mundo de então, conforme o evangelho de (João 1:11). O amanhecer deste novo dia pode acontecer a qualquer momento com a volta do Filho de Deus.

E A ESTRELA DA ALVA APAREÇA EM NOSSOS CORAÇÕES. A esperança do escritor agora aponta para o retorno de Cristo, por saber que muitos continuam não recebendo a Jesus como sendo o Messias. A estrela da alva, diz respeito ao sol da justiça que é o Cristo de Deus, que há de voltar para arrebatar para si mesmo a sua igreja que ele comprou com o seu voluntário sacrifício expiatório em prol da humanidade. As profecias escatológicas tem se cumprido e Jesus está às portas.

2 Pedro 1:17-18

2 Pedro 1:17-18 - Porquanto ele recebeu de Deus Pai honra e glória, quando da magnífica glória lhe foi dirigida a seguinte voz: Este é o meu Filho amado, em quem me tenho comprazido. E ouvimos esta voz dirigida do céu, estando nós com ele no Monte Santo.
PORQUANTO ELE RECEBEU DE DEUS PAI. A vinda e a vida de Cristo Jesus aconteceu de conformidade com o programa planejado pelo Deus Pai, Criador dos céus e da terra. É tanto que, antes mesmo do seu nascimento, o Deus de Israel já havia prometido por meio dos seus profetas a vinda do Messias para ser o Cristo, que havia de resgatar os pecadores e salvar os perdidos. E as promessas do Deus de Jacó eram de que, o Cristo seria revestido de todas as virtudes divina, assim como o Deus eterno, a prova disto é que, seu nome seria conforme a promessa, Emanuel, ou seja, Deus conosco. E na realidade o Pai deu ao seu Cristo todas as credenciais de poder e autoridade.

HONRA E GLÓRIA. Quando o autor escreve que Cristo foi honrado pelo Pai, certamente seus pensamentos estão voltados para a forma como Deus esteve presente, em todos os momentos na vida de Cristo, coroado com êxito os feitos que ele prodigalizava. E a forma como o Pai encheu de glória ao seu Filho, nos ensina sobre o poder que habitava em Jesus de Nazaré, para realizar milagres e prodígios por onde passava. Nenhum outro, nem antes e nem depois ele, teve a capacidade de fazer coisas tão extraordinárias quanto o Filho de Deus pai. Cabe destaque a ressurreição de mortos, porque ninguém tem poder sobre a vida e a morte, mas ele teve.

QUANDO DA MAGNÍFICA GLÓRIA LHE FOI DIRIGIDA A SEGUINTE VÓS. O apóstolo se refere ao momento em que esteve com Cristo no monte da transfiguração, onde Jesus tomando consigo a João, Tiago e a Pedro os conduziu ao monte santo. E estando com eles naquele lugar, transfigurou-se diante deles; e o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz. Esta é uma narrativa que Pedro conta não de ouvir falar, mas ele esteve presente neste momento tão especial da vida de Cristo. Esta não é uma fábula judaica ou gnóstica, que era ideologia dos homens.

ESTE É MEU FILHO AMADO. Esta citação pode ser vista em Mateus 17:5 - E, estando ele ainda a falar, eis que uma nuvem luminosa os cobriu. E da nuvem saiu uma voz que dizia: Este é o meu amado Filho, em quem me comprazo; escutai-o. Dizer que Cristo é Filho de Deus é a mais pura verdade, uma vez que, Jesus não foi gerado por uma relação sexual entre Maria e José, mas ele foi gerado pelo Espírito de Deus. José foi o pai adotivo de Cristo, e não o progenitor de Jesus de Nazaré. Jesus é unigênito Filho de Deus.

EM QUEM ME TENHO COMPRAZIDO. Deus como o Pai de Jesus de Nazaré, teve todo prazer na vida em como viveu o seu Cristo. Tudo que Jesus fez e falou, enchia o coração do Pai de contentamento e alegria. Cristo buscou fazer a vontade do Pai em tudo que fazia, falava e pensava.

ESTANDO NÓS COM ELE NO MONTE SANTO. Este Monte Santo, a que se refere o escritor é também conhecido como Monte das Oliveiras. Este Monte é identificado como sendo o Monte Tabor, que dista cerca de duas horas de distância de Nazaré, na porção Nordeste de Jezreel. Foi chamado de Monte Santo, por conta da transfiguração.

2 Pedro 1:16

2 Pedro 1:16 - Porque não vos fizemos saber a virtude e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo fábulas artificialmente compostas; mas nós mesmos vimos a sua majestade.
PORQUE NÃO VOS FIZEMOS SABER. O que o autor transmitiu para os seus ouvintes e estava escrevendo para os seus leitores era a pura realidade, sem manipulação de qualquer espécie ou sabotagem. Aqueles que tiveram o privilégio de participarem dos ensinos do apóstolo estavam inteiramente esclarecidos das verdades dos fatos sobre o Cristo de Deus e os termos do evangelho da nova aliança em Cristo. E esta carta veio como confirmação e crescimento também dos conhecimentos de Cristo, porque o desejo do escritor sagrado era o desenvolvimento espiritual dos seus leitores. Razão porque vem mostrando o caminho das boas virtudes espirituais.

A VIRTUDE E A VINDA. Pedro, assim como os demais apóstolos, estiveram no momento da ascensão do Senhor Jesus para se assentar a destra de Deus nas maiores alturas, conforme se verifica em Atos 1:9-11 - E, quando dizia isto, vendo-o eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos. E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois homens vestidos de branco. Os quais lhes disseram: Homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir. Neste texto se ver o poder de Cristo e a promessa gloriosa de seu retorno para arrebatar a sua igreja.

DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Temos aqui o título completo do nome do Filho de Deus. Quando o autor fala em “nosso” é que ele se inclui entre aqueles que conheceram as virtudes de Cristo assim como a promessa da vinda de Cristo. “Senhor” nos fala a respeito do senhorio do Verbo que se fez carne e habitou entre os homens. Jesus diz respeito ao nome próprio do Filho de Deus, conhecido também como Jesus de Nazaré. “Cristo” é o sobrenome do Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo e também e principalmente nos ensina a respeito do Messias prometido por Deus.

SEGUINDO FÁBULAS ARTIFICIALMENTE COMPOSTA. As pregações feitas pelo apostolo, assim como os seus ensinos e o conteúdo desta carta por ele escrita, aos seguidores de Cristo de todos os tempos, não se baseavam em fábulas inventadas artificialmente de suas ideologias. Neste tempo, as fábulas estavam sendo muito usadas pelos judaizantes e pelos gnósticos para tentarem deturpar o caminho do evangelho de Cristo. Eram estórias fictícias e narrativas inventadas com o intuito de enganar até mesmo se possível, aqueles que faziam parte da igreja de Cristo.

MAS NÓS MESMOS VIMOS A SUA MAJESTADE. Os narradores de fábulas artificialmente inventadas criavam com suas mentes pervertidas suas ilusões ideológicas e queriam que o povo acreditasse. No entanto, o que o apóstolo ensinou e estava escrevendo sobre a majestade de Cristo e sua vinda, ele mesmo tinha visto e ouvido com os seus ouvidos. Portanto eram fatos baseados na verdade e na realidade.

2 Pedro 1:15

2 Pedro 1:15 - Mas também eu procurarei em toda a ocasião que depois da minha morte tenhais lembrança destas coisas.
MAS TAMBÉM. A cultura transmitida de forma oral tem um tempo limitado e depois cai no esquecimento dos ouvintes, quanto mais para aqueles que vêm depois, nas gerações seguintes. Os escritores do Novo Testamento tiveram uma importância enorme para a continuidade e perpetuação do evangelho de Cristo na terra. E o apóstolo Pedro consciente disto, também deixou sua marca como autor de suas duas cartas universais, em que expressa seus pensamentos e ideias sobre como se deve viver no mundo, representando o reino de Deus. Apesar de ser um homem simples e de pouca cultura, mas conviveu com o maior e melhor Metre de todos os tempos, Jesus Cristo, razão porque nos deixou este legado com instruções importantes.

EU PROCUREI. O autor expressa suas atitudes neste sentido, com o verbo de ação continuada em que dedica esforço, em direção de alcançar seus objetivos. E quando ele coloca o pronome pessoal, “eu” é a mais real demonstração de um empenho substancial para fazer a diferença em sua história. Muitos tiveram experiências extraordinárias com Cristo, e participaram depois da história e subsistência da igreja primitiva, mas poucos deixaram suas marcas para as gerações futuras. E Pedro, assim como os demais escritores neotestamentário fizeram por onde deixar seus registros.

EM TODAS A OCASIÃO. Para aqueles que conviveram com o apóstolo Pedro, puderam ver em loco sua dedicação no ensino das coisas concernentes ao reino de Cristo. Durante o ministério do Senhor Jesus, como apóstolo, ele procurou servir bem ao grande Mestre, é tanto que, era uma das pessoas de mais confiança de Jesus, com uma amizade pessoa bem demarcada. Depois da ascensão de Cristo, teve um papel muito importante para a igreja de Cristo. O livro de Atos dos Apóstolos registra suas atividades em torno das coisas da igreja, só perdendo para Paulo em destaque.

QUE DEPOIS DA MINHA MORTE. Podemos assegurar que Pedro se destacava dentre o grupo apostólico, assim como sua participação no ministério de Cristo foi diferenciada dos demais. E isso se deve, a sua inteira disposição em servir bem e de primeira qualidade as coisas do reino de Cristo. Certamente, se agigantou em atividades no seu ministério, em servir com quantidade e qualidade a igreja do Senhor Jesus. Ele deixou sua marca de forma notória para aqueles que estavam sob os cuidados do seu ministério. E por meio desta carta, para as gerações futuras.

TENHAIS LEMBRANÇA. A forma como o apóstolo agia para com os seus liderados, e os ensinos que ele fez chegar até nós por meio desta magnífica epístola, tinha o escrito como um antídoto contra a amnésia. O seu grande desejo era que, o tempo não apagasse jamais da mente dos seus ouvintes e leitores, tudo aquilo que ele transmitiu e também deixou escrito para a igreja do Senhor Jesus de todos os tempos.

DESTAS COISAS. O que Pedro deixou escrito em suas cartas, eram coisas que ele ouviu do próprio Senhor Jesus, e recebia também em forma de revelação pelo Espírito Santo de Deus. Estas coisas a que se refere o autor, diz respeito ao conteúdo de suas epístolas, assim como também muitos outros ensinos que não estão contidos nelas.

2 Pedro 1:13-14

2 Pedro 1:13-14 - E tenho por justo, enquanto estiver neste tabernáculo, despertar-vos com admoestações. Sabendo que brevemente hei de deixar este meu tabernáculo, como também nosso Senhor Jesus Cristo já me tem revelado.
E TENHO POR JUSTO. O apóstolo Pedro tinha como um dever em procurar de todas as formas ensinar as coisas do reino de Deus, de conformidade com os parâmetros do evangelho das boas novas de Cristo. Certamente ressoava de forma viva em sua memória as palavras ditas pelo Senhor Jesus em Marcos 16:15 – E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Já em outra parte, ele falando diretamente para os apóstolos, ele disse em Mateus 28:19-20 - Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações. Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado. Ao ser alcançado por esta graça, se via no dever de repassar para os outros a palavra de Deus.

ENQUANTO ESTIVER NESTE TABERNÁCULO. Os cristãos primitivos viviam sob pressão do mundo hostil, e principalmente do império romano, que mandou executar milhares de seguidores de Cristo. E os apóstolos muito mais do que, simplesmente os discípulos comuns, eles foram presos, torturados e mortos por anunciarem em cristo as boas novas de salvação. E Pedro como uma das principais lideranças da igreja sabia que, a qualquer momento poderia ser morto por defender a Cristo como o Messias de Deus. Mas enquanto estava vivo, desejava a todo momento falar do evangelho de Cristo.

DESPERTAR-VOS COM ADMOESTAÇÕES. A intenção do apóstolo era procurar orientar os seus leitores sobre os perigos que rondavam a igreja de Cristo. Os judaizantes não satisfeitos por terem perseguido e crucificado Jesus de Nazaré, o fundador do cristianismo, agora, procuravam com suas fábulas e invenções humanas confundir os seguidores do evangelho. Bem como os gnósticos que representam os líderes religiosos das seitas heréticas do paganismo andavam por toda parte tentando infiltrar suas heresias no meio dos lares cristãos. De forma que Pedro usava sua autoridade apostólica para admoestar os cristãos a terem cuidados com estas coisas.

SABENDO QUE BREVEMENTE HEI DE DEIXAR ESTE MEU TABERNÁCULO. É provável que o apóstolo Pedro tenha escrito esta sua epístola em um momento de muita perseguição com a igreja de Cristo e principalmente contra os lideres da igreja primitiva. Certamente já se despontava os momentos finais do seu ministério como representante de Cristo e embaixador do reino de Deus. Ele próprio já se fazia sentir que estava a finalizar sua carreira apostólica para com a igreja do Senhor Jesus.

COMO TAMBÉM NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. E além das evidências que se despontava neste sentido, o Senhor Jesus já havia lhe dado indicativos de que era o seu tempo de deixar este tabernáculo terreno. Cristo como sendo Onisciente, ele sabe das coisas que hão de acontecer, antes mesmos delas se darem. A certeza de que Pedro estava preste a partir da terra, veio diretamente de Jesus Cristo, o Senhor.

JÁ ME TEM REVELADO. O Espírito Santo estava atuando de forma muito poderosa na vida dos servos de Cristo. E como o Espírito de Cristo é de revelação, ele não deixa acontecer nada com os seus seguidores, sem antes lhes revelarem o que há de acontecer. O ministério profético na igreja primitiva estava em pleno funcionamento.

2 Pedro 1:12

2 Pedro 1:12 - Por isso não deixarei de exortar-vos sempre acerca destas coisas, ainda que bem as saibais, e estejais confirmados na presente verdade.
POR ISSO NÃO DEIXAREI. O autor dá continuidade as suas instruções a cerca da vida cristã ideal, para que o acesso ao reino eterno de Cristo nos seja favoravelmente aberto. E ele como remanescente do grupo apostólico sentia a necessidade de ser persistente, em transmitir os conselhos cristãos para que a igreja não se deixasse levar por novas situações perigosas, que estavam surgindo no arraial dos cristãos, tais como: As fábulas judaicas e os falsos ensinos dos gnósticos. O cuidado que Pedro tinha com o crescimento do cristianismo, o tornava lutador pelas verdades do evangelho de Cristo, ao ponto de mesmo com todas as dificuldades não deixar os ensinos cristãos.

DE EXORTAR-VOS. Esta palavra dentro do arcabouço do evangelho, tem o sentido de aconselhar com carinho e amor. Nos dias atuais este termo tem sido alterado para dar lugar ao autoritarismo de muitos líderes cristãos, que usam da ignorância para baterem na igreja de Cristo. Não estamos no tempo da lei, mas da graça, de forma que ninguém é obrigado a fazer ou deixar de fazer nada, baseado em mandamentos de homens. Conforme os ensinos do evangelho é que o Espírito de Deus nos conduz na presença majestosa do Senhor, de maneira a tornar gratificante a vida cristã. E não um fardo em seguir a Cristo, ele disse: O meu julgo e suave e o meu fardo é leve.

SEMPRE A CERCA DESTAS COISAS. O escritor se refere aos ensinos de forma persistente, que ele vinha transmitindo aos seus leitores, e aos cristãos em geral de sua época. Cristo não escreveu nenhuma obra literária, mas deixou seus ensinos doutrinários para a sua igreja da nova aliança. E os seus apóstolos e seguidores depois de sua ascensão, estavam incumbidos de transcreverem os ensinos orais transmitidos pelo grande Mestre. Estes ensinos que formam o cânon do novo testamento foram e são muito importantes para a continuidade da igreja de Cristo.

AINDA QUE BEM SAIBAIS. Quando Pedro escreveu esta sua epístola, os ensinos do evangelho de Cristo já estava bem semeados na palestina e demais civilizações circunvizinhas. Apesar de nesta época e até início dos anos trezentos da era cristã, não ser permitido pelo império romano, construção de templos cristãos para reunião da igreja, mais de casa em casa, os pregadores e mestres do evangelho cumpriam bem o papel de transmitirem os ensinos deixados por Cristo e pelo Espírito Santo.

E ESTEJAIS CONFIRMADOS. As instruções que se entendem até certo ponto como repetitivas, do ponto de vista de que os cristãos já eram sabedores do que estavam recebendo por carta, porque de forma oral já haviam ouvido sobre os mesmos, era para que se firmassem cada vez mais nas doutrinas ou conjunto de normas, agora, estabelecidos para a nova dispensação ou nova aliança da graça de Deus. No início do cristianismo tanto judeus quanto as religiões naturais, tentaram confundir os ensinos cristãos com heresias, fábulas e ceticismos religiosos sem números.

NA PRESENTE VERDADE. Antes de Cristo, a verdade era concernente à legislação mosaica. Mas o Messias veio para estabelecer a verdade de uma nova aliança. Portanto, era nesta verdade do evangelho, que a igreja de Cristo devia se firmar.

2 Pedro 1:11

2 Pedro 1:11 - Porque assim vos será amplamente concedida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
PORQUE ASSIM. Assim como? Desenvolvendo as boas virtudes, como um bom soldado do reino de Cristo. A partir do momento em que, o ser humano se converte pelo evangelho poderoso de Cristo, tem começo um longo caminho de aperfeiçoamento com as virtudes de Deus, os dons do Espírito Santo e os ministérios que Cristo deposita na vida de cada um dos seus servos, a fim de, sempre frutificar na jornada rumo à vida eterna. Vem o arrependimento, conversão, novo nascimento, fé, conhecimento de Cristo, temperança, paciência, caridade, amor fraternal e piedade. Todas estas virtudes e muitas outras, a que recomenda o evangelho de Cristo. A prática destas boas virtudes como seguidores de Cristo, nós dá a certeza de que estamos na direção de Deus.

VOS SERÁ AMPLAMENTE CONCEDIDA. O exercício das virtudes positivas do reino de Deus em nossas vidas, nos abre a possibilidade bem favorável de que, chegaremos na presença de Deus como remidos do Senhor. A amplitude desta certeza nos vem pela fé, de que o Senhor é fiel em cumprir as suas promessas, e pela confiança de que tudo que está na mensagem do evangelho das boas novas, é a luz que ilumina nossas convicções de que os céus nos espera. Quem é que nos concederá esta entrada para fazer parte do reino eterno de Cristo? É aquele que nos prometeu: Apocalipse 22:12 - Eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra. Quem fez essa promessa a sua igreja foi o Rei dos reis e Senhor dos senhores.

A ENTRADA NO REINO ETERNO. Esta entrada a que se refere o escritor, certamente diz respeito à salvação garantida por Cristo aos seus remidos. Podemos ter certeza, que se refere à vida eterna em Cristo Jesus, o Salvador. Esta entrada já tem sido concretizada para aqueles que já dormem em Cristo e se dará para os que partirem antes do arrebatamento. Mas o foco principal desta entrada para a igreja é justamente no dia da volta do Cristo de Deus para buscar os remidos. Quando se fala do reino de Cristo, isso nos assegura de que, ele é príncipe e Filho do Rei maior, o Deus e Pai. Cristo é Rei e Senhor para glória de Deus Pai. E o seu reino e domínio não tem fim, E todos os povos e línguas o servirá eternamente, porque ele é Rei eterno.

DE NOSSO SENHOR E SALVADOR. O autor desta carta se inclui, entre aqueles que tem a Cristo como Senhor, é tanto que ele escreve: “Nosso Senhor”. Quanto ao Senhorio de Cristo, pode ser visto em toda a extensão do Novo Testamento, porem, mais especificamente em Filipenses 2:11 - E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai. Cristo conquistou a mais alta posição diante de Deus.

JESUS CRISTO. Jesus foi o nome próprio dado ao Messias de Deus, ao Emanuel de Deus, ou seja, Deus conosco. Jesus quer dizer Salvador Mateus 1:21 - E dará à luz um filho e chamarás o seu nome Jesus; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados. Quando se fala em Cristo se refere à missão importante de Jesus de Nazaré como sendo e enviado e ungido de Deus Pai.

2 Pedro 1:10

2 Pedro 1:10 - Portanto, irmãos, procurai fazer cada vez mais firme a vossa vocação e eleição; porque, fazendo isto, nunca jamais tropeçareis.
PORTANTO, IRMÃOS. Esta forma de tratamento veio do judaísmo e foi implantado no cristianismo. Os Judeus se consideravam irmãos por pertencerem aos seus ilustres antepassados, Jacó, Isaque e Abraão. No cristianismo, esse tratamento se dava pela conscientização de que pertencemos à mesma família divina. Quando chamamos alguém de irmão, estamos lembrando de que Deus é o Pai de todo cristão verdadeiro. É porque sabemos que Cristo é o nosso irmão mais velho e que todos aqueles que o recebem em suas vidas se tornam filhos de Deus (João 1:11). Somos irmãos porque nascemos de novo pelo mesmo Espírito Santo (João 3:5). Somos irmãos porque fomos gerados pela mesma palavra da verdade (1 Pedro 1:23).

PROCURAI FAZER CADA VEZ MAIS FIRME. Os apóstolos, depois da ascensão de Cristo para se assentar a destra de Deus, tinham a missão de fazer crescer o número daqueles que seguiam a Cristo, além do mais sustentar na igreja por meio do discipulado e do ensino do evangelho os já alcançados pelas boas novas. Portanto, Pedro, assim como os demais, procurava de todas as formas levar o alimento espiritual aos remidos de Cristo para que se firmassem nas doutrinas do cristianismo. Para tanto, ele deixou conselhos e exortações, assim como, advertências, com o objetivo de que os servos de Cristo, não se deslocassem do que já haviam aprendido.

A VOSSA VOCAÇÃO. É de praxe no meio do povo de Deus se afirmar de que, ser um cristão verdadeiro, não é pra quem quer, mas pra quem pode. Até porque não é nada fácil seguir o caminho do evangelho, vivendo em um mundo de tantas facilidades para se praticar pecados e apostatar da fé. Como disse o Senhor Jesus: O caminho é apertado e a porta é estreita. Mas o seu conselho é: Mateus 7:13-14 - Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela. E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem. Quando se diz que é uma vocação em seguir a Cristo é porque muitos desejam, mais não conseguem.

E ELEIÇÃO. Da nossa parte se fala em vocação e da parte de Deus se fala em eleição, isto porque a nossa chamada para servir a Cristo é o resultado de sua nomeação. João 15:16 - Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda. A nossa eleição faz parte da predestinação determinada pelo próprio Deus Criador. Efésios 1:5 - E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade.

PORQUE FAZENDO ISTO, NUNCA JAMAIS TROPEÇAREIS. Tendo a devida compreensão de que somos eleitos por Deus e que é um privilégio fazer parte da família divina. Com certeza estaremos sempre firmes nos caminhos do Senhor, sabendo de antemão por esperança de que o que nos espera no futuro ou vida eterna são grandes bênção da parte do nosso Deus, como co-herdeiros em Cristo Jesus, nosso Senhor e Salvador.