Pesquisar este blog

terça-feira, 31 de março de 2015

Filipenses 3:19

Filipenses 3:19 - Cujo fim é a perdição; cujo Deus é o ventre, e cuja glória é para confusão deles, que só pensam nas coisas terrenas.
CUJO FIM. O fim de quem? Dos judaizantes que perseguiram e condenaram a morte e morte de cruz o Senhor Jesus, e que depois dele procuravam fazer o mesmo com os seguidores do cristianismo. Dos falsos mestres gnósticos que usavam as filosofias enganadoras para tentarem confundir a mente dos seguidores de Cristo, negando o valor remidor do sacrifício do Filho de Deus. Dos chefes das religiões pagas e politeístas que perseguiam os líderes do cristianismo, lhes culpando pela perda de adeptos.

É A PERDIÇÃO. Para todos estes, o fim que estava já reservado era a perdição eterna, o que a bíblia chama de condenação eterna, ou segunda morte, que é a separação eterna de Deus, da vida e do bem. Todos aqueles que rejeitam a Cristo, neste tempo da nova aliança da graça, ou nova dispensação da graça, incorre nos prejuízos eterno para sua própria alma. Neste perigo estão incluídos os hereges e todos aqueles que fazem oposição às verdades do evangelho e ao verdadeiro cristianismo do Senhor Jesus Cristo.

CUJO DEUS. Os seguidores do verdadeiro cristianismo acreditam apenas no Deus Pai, Filho e Espírito Santo, enquanto que, os homens materialistas seguem a vários deuses conforme lhes são convenientes. O deus dos hereges são os seus próprios interesses, as coisas matérias e tudo aquilo que lhes servem de proveito para esta vida terrena. Os inimigos do evangelho não tem a Cristo Jesus como sendo o Emanuel, ou seja, Deus conosco. O evangelho diz que Jesus é Deus (João 10:30).

É O VENTRE. O autor afirma que, o deus dos hereges é o seu próprio ventre. Certamente aqueles que se levantavam contra o cristianismo primitivo só estavam pensando em comida e tudo que importava para eles era a gula. Essa é uma expressão que representa muito bem os que só pensam nas coisas terrenas, nas coisas matérias e nas coisas do mundo. Enquanto que os seguidores de Cristo buscam o reino de Deus em primeiro lugar e as coisas que são de cima.

E CUJA GLÓRIA É PARA CONFUSÃO DELES. Os judaizantes, os falsos mestres gnósticos e outros que se infiltravam no meio dos cristãos para promoverem confusão, assim procediam buscando glória pessoal e enalteciam aqueles para quem eles estavam a serviço. No entanto, encontravam resistência por parte daqueles que haviam se convertido ao cristianismo de verdade, com isso, não eram aceitos pelos verdadeiros cristãos e seguidores do reino de Deus e ficavam confusos com isso.

QUE SÓ PENSAM. O apóstolo revela a verdadeira intenção e mostra a verdadeira face dos que faziam oposição ao evangelho do Senhor Jesus. Quando eles se infiltravam no meio do povo de Deus, tinham como objetivo buscar proveitos pessoais. O plano desses hereges era justamente explorarem os menos esclarecidos.

NAS COISAS TERRENAS. O pensamento destes penetras era justamente em ganharem dinheiro explorando a boa vontade dos mais simples. Nos dias de hoje é o que mais tem, são pessoas que se dizem servos de Deus, mas que suas intenções são efetivamente ganharem dinheiro usando a palavra de Deus. São os mercenários.

Filipenses 3:18


Filipenses 3:18 - Porque muitos há, dos quais muitas vezes vos disse, e agora também digo, chorando, que são inimigos da cruz de Cristo.
PORQUE MUITOS HÁ. Ainda quando estava na igreja de Filipos, seja nos primórdios de sua fundação ou no desenvolvimento dos trabalhos evangelísticos, e ainda no andamento da obra de Deus naquele lugar, que o apóstolo já advertia ao povo de Deus naquela igreja, sobre os que se posicionavam contra o cristianismo. Assim como os Judeus se levantaram contra o Senhor Jesus no seu ministério, até que o mataram por meio da crucificação, do mesmo modo, os inimigos do evangelho da verdade continuavam investindo contra o avanço da igreja de Cristo no mundo.

DOS QUAIS. O autor se refere aos judaizantes, que rejeitaram o Filho de Deus, o Senhor Jesus Cristo, eles que incitaram as autoridades romanas para que condenassem ao Salvador do mundo, o Cristo de Deus. Paulo também escreve sobre os falsos mestres gnósticos, que com suas filosofias religiosas do engano tentavam confundir a mente dos cristãos. Por fim, ele também acusa os líderes das seitas heréticas e chefes das religiões pagas e naturais, que lutavam para reaver os adeptos de suas religiões que se converteram ao cristianismo, por ser a religião de Cristo.

MUITAS VEZES VOS DISSE. Quando ainda estava entre os irmãos de Filipos, o apóstolo gastou tempo em combater estes inimigos do cristianismo, ensinado a igreja de Cristo naquele lugar, a respeito dos hereges que se infiltrariam no meio do povo de Deus, para semearem suas ervas daninhas com filosofias de perdição. Não foi somente uma ou duas vezes que o apóstolo alertou a igreja de Filipos sobre estes opositores do evangelho, mas por muitas e diversas vezes os ensinou sobre isso.

E AGORA TAMBÉM DIGO, CHORANDO. Como o autor estava ausente da igreja de Filipos, por se encontrar preso por amor ao evangelho de Cristo, uma profunda tristeza se abatia sobre a alma do apóstolo, movido pela preocupação de que, os hereges conseguissem enganar alguns com suas filosofias do engano, levando a muitos a se desviarem da graça de Deus, por Cristo Jesus e da nova aliança de Deus com os homens. A preocupação do apóstolo era tanta que ele chegou a chorar de tristeza.

QUE SÃO INIMIGOS. O império das trevas tomava conta dos opositores do cristianismo, ao ponto de serem usados para combater de forma terrível contra a igreja do Senhor Jesus. Nesta época, quem se declarasse seguidor do evangelho das boas novas, e, portanto, do cristianismo, era considerado inimigo do império romano e das religiões oficiais de Roma. Milhares de cristãos foram presos e mortos pelos inimigos da igreja.

DA CRUZ DE CRISTO. Os judaizantes procuravam provar pela lei, e os documentos religiosos das Escrituras que, o Cristo de Deus não era o Messias prometido no Velho Testamento. Com isso, todos os opositores do cristianismo buscavam desfazer o que Cristo havia ensinado, bem como os seus apóstolos e escritores do Novo Testamento.

segunda-feira, 30 de março de 2015

Filipenses 3:16-17

Filipenses 3:16-17 - Mas, naquilo a que já chegamos, andemos segundo a mesma regra, e sintamos o mesmo. Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam.
MAS, NAQUILO A QUE JÁ CHEGAMOS. O Autor sabia e conhecia do estado espiritual a que já havia chegado a igreja de Cristo em Filipos, desta forma ele motiva ao povo de Deus naquele lugar a se manter nos padrões das doutrinas do evangelho da verdade. Também apela para a consciência de cada um dos seus leitores para que possam fazer uma reflexão introspectiva sobre o estado espiritual de cada um, porque por mais sábio que seja o líder, não conhece totalmente o que se passa no coração dos seus liderados. É como se Paulo chamasse a responsabilidade de cada um dos seguidores do evangelho em Filipos a tomarem suas posições de servos fieis aos princípios da ética.

ANDEMOS SEGUNDO A MESMA REGRA. A igreja não era, nem nunca foi uma organização desorganizada. Cristo desde o seu ministério buscou criar uma comunidade cristã bem definida com suas condutas de ética, é tanto que seus ensinos estão organizados por escrito como obras literárias de grande saber. Da mesma forma, os apóstolos e missionários do cristianismo sempre buscaram se organizarem com regras e doutrinas que os diferenciavam dos demais grupos religiosos do mundo. Essas regras fazem parte das doutrinas do evangelho de Cristo.

E SINTAMOS O MESMO. Certamente o apóstolo tentava dar uma alfinetada naqueles que mesmo fazendo parte da comunidade cristã de Filipos, mas, eram dissidentes das regras ensinados pelo próprio apóstolo quando fundou aquela igreja. O conjunto desta obra, ou o estudo desta carta nos mostra que haviam divisões e dissenções dentro daquela igreja, certamente por aqueles que faziam oposição ao apostolado de Paulo. No entanto, para os seus amigos, ele recomendava que todos vivessem de um mesmo modo e pensando do mesmo jeito, conforme as regras do evangelho de Cristo.

SEDE TAMBÉM MEUS IMITADORES, IRMÃOS. O apóstolo Paulo desde que se converteu ao cristianismo, que vinha dando exemplo de como se deve ser um verdadeiro seguidor do reino de Deus, e como tal procurava incentivar a todos os que tinham um verdadeiro encontro com Cristo a viverem de conformidade com os padrões da nova aliança de Deus com a humanidade, em Cristo Jesus. Os irmãos da igreja de Filipos conheciam o autor desta carta bem de perto, uma vez que Paulo foi um dos principais fundadores daquela igreja. E sabiam do bom exemplo que ele era.

E TENDE CUIDADO, SEGUNDO O EXEMPLO QUE TENDE EM NÓS. Como aquela igreja para a qual o apóstolo estava escrevendo passou a ocupar lugar importante para o cristianismo, neste tempo, vinham lideranças tanto de Jerusalém, quanto de outras regiões para visitarem aquela comunidade cristã. Com isso, ventos de heresias passaram a soprar sobre o povo de Deus naquela igreja, e Paulo se preocupara para que elementos estranhos às doutrinas cristãs não achassem lugar no coração dos irmãos.

PELOS QUE ASSIM ANDAM. Não somente Paulo, mas Epafrodito, Timóteo e muitos outros que eram ministros do evangelho consagrados por Paulo eram dignos de serem imitados como homens de Deus que cuidavam das doutrinas do evangelho.

domingo, 29 de março de 2015

Filipenses 3:15

Filipenses 3:15 - Por isso todos quantos já somos perfeitos, sintamos isto mesmo; e, se sentis alguma coisa de outra maneira, também Deus vo-lo revelará.
POR ISSO. Esse preâmbulo do texto dá continuidade ao que o autor vinha afirmando anteriormente, e ele descrevia justamente sobre sua carreira cristã, em prosseguir naquilo em que fazia planejamento e buscava por em prática. E assim deve ser com todos aqueles que se convertem ao verdadeiro cristianismo, uma vez que, o evangelho de Cristo define de forma clara e objetiva como deve ser um servo de Deus e um seguidor do evangelho das boas novas de Cristo. Uma vez dado o primeiro passo, rumo a buscar o reino de Deus em primeiro lugar, não se deve mais olhar para trás.

TODOS QUANTOS. Há nesta frase uma mensagem subliminar de que, nem todos seguem a carreira cristã de forma leal e sincera. Por conhecer de perto, a todos que faziam parte da igreja de Cristo na cidade de Filipos, o autor certamente se lembra daqueles que andavam na corda bamba, no que concerne ao caminhar no evangelho de Cristo. Por outro lado, existem aqueles que efetivamente se empenham ao máximo, para realizarem a vontade de Deus em tudo que pensam, falam e fazem. É provável que, a maioria dos irmãos daquela igreja fossem fieis ao evangelho de Cristo.

JÁ SOMOS PERFEITOS. A palavra “perfeito” neste texto, não fala de pessoas imunes ao erros nem ao pecados, nem tão pouco defende a tese de que somos autos suficientes em plena santidade de vida. Certamente o apóstolo se refere à maturidade espiritual alcançada por ele e boa parte daqueles que faziam parte da igreja de Cristo em Filipos. Podemos conjecturar que, o autor se refira ao alto grau de desenvolvimento espiritual que somos motivados a alcançarmos, quando buscamos o reino de Deus em primeiro lugar e as coisas que são de cima. De fato, somos justificados em Cristo Jesus nosso Senhor.

SINTAMOS ISSO MESMO. Nesta mesma carta, o apóstolo escreveu: que haja em vós, o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus. Escrevendo aos Coríntios ele afirma: Sede meus imitadores, assim como eu sou de Cristo. O que o autor desta epístola deseja é que haja unanimidade entre todos os seguidores de Cristo, no que concernem as coisas espirituais. Que todos busquem alcançar o mesmo alvo e o mesmo prêmio, que é a vida eterna, e ser digno de participar do arrebatamento da igreja. Amando a Deus com todas as forças e com toda a alma e o próximo como a si mesmo.

E SE SENTIS ALGUMA COISA DE OUTRA MANEIRA. Neste mesmo tempo, as diretrizes das principais doutrinas do evangelho já eram conhecidas de toda a igreja do Senhor Jesus, principalmente as igrejas fundadas por Paulo, ele que teve revelações especiais e profundas dos mistérios do reino de Deus. No que diz respeito à igreja de Filipos muito mais, uma vez que, Paulo foi um dos seus principais líder e discipulador. O que o autor não esperava era de que houvesse partidarismo entre os irmãos de Filipos.

TAMBÉM DEUS VO-LO REVELARÁ. A ausência de Paulo neste momento era suprida por aqueles que faziam parte do ministério local, consagrados pelo próprio Paulo. E o que eles não pudessem transmitir pessoalmente, Deus lhes revelava o que demais eles precisavam conhecer, para que fossem unânimes quanto às coisas da nova dispensação. O Espírito de Deus se encarregava de equilibrar as ideias dos filipenses, quanto a realizarem a vontade de Deus.

sábado, 28 de março de 2015

Filipenses 3:14

Filipenses 3:14 - Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.
PROSSIGO. A partir do momento em que Paulo teve um encontro com Cristo Jesus a caminho de Damasco, ele entendeu que devia parar com suas atividades em torno do judaísmo, e prosseguir em uma nova trajetória com o cristianismo. A prova disto é que depois de Cristo, um dos homens de grande importância para a expansão da nova religião no mundo, foi justamente o grande apóstolo dos gentios. Este prosseguir de Paulo se entende como sendo a grande obra missionária que ele realizou em prol do reino de Cristo. Além é claro do seu próprio empenho para ganhar a vida eterna em Cristo Jesus.

PARA O ALVO. O autor era de foto um homem inteligente e sábio, além de hábil em seus programas de realizações. Tudo que ele fazia tinha um planejamento e alvo bem definido sobre seus desejos e metas em ação. Disto se tem prova pelo sucesso de sua missão em realizar com progresso seus empreendimentos em torno de suas campanhas evangelísticas e na implantação de núcleos do cristianismo no mundo gentílico. Seu alvo principal era buscar o reino de Deus em primeiro lugar e com determinação buscar expandir o máximo possível o cristianismo em todas as partes do mundo.

PELO PRÊMIO. O escritor desta carta sabia que não estava trabalhando em vão pelo reino de Deus, muito mais ele que, não aceitava recompensas humanas nem materiais para executar o obra de Deus, porque trabalhava com suas próprias mãos para não ser pesado a igreja de Cristo, nem ser sustentado por ninguém. Mas a sua recompensa era e vinha da parte de Deus, seja nesta vida, e principalmente na vida por vir, que é a vida eterna. O evangelho descreve sobre nossas recompensas, galardões, coroas, heranças, prêmios, glorificação, vida eterna e salvação, para os remidos em Cristo Jesus.

DA SOBERANA. Quem faz tais promessas aos remidos em Cristo é soberano para fazer valer a sua vontade e as suas determinações, porque ele é o Criador e governador de todas as coisas, ele que é o Todo-poderoso, que domina e que reina pelos séculos dos séculos. A chamada, a missão e a obra que Paulo vinha realizando em prol do reino de Cristo tinha o dedo de Deus e tudo transcorria de conformidade com a soberana vontade e seus planos irrecusáveis. Como também as promessas de recompensas não eram feitas por homens, mas sim, pelo Deus eterno e soberano.

VOCAÇÃO DE DEUS. Antes de se converter ao cristianismo, o apóstolo sabia que estava a serviço do judaísmo conforme as determinações dos principais dos sacerdotes da religião de Israel. Depois de sua conversão ao evangelho das boas novas, ele também era consciente de que sua vocação e chamada para servir a Cristo, não era conforme o decreto dos homens, é tanto que não contou com o apoio do grupo do doze para fazer a grande obra missionária que ele realizou, mas teve a determinação de Deus e seu apoio para cumprir sua vocação com êxito e sucesso.

EM CRISTO JESUS. Para Paulo, sua vida e suas obras pelo evangelho não era em nome de uma religião, tal qual antes fazia em nome do judaísmo. Mas, tudo que ele fazia e realizava era em nome de Cristo Jesus. Sua vocação e chamada o guiava em direção de exaltar e glorificar o nome do Senhor Jesus em todos os momentos de sua vida.

sexta-feira, 27 de março de 2015

Filipenses 3:13

Filipenses 3:13 - Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim.
IRMÃOS. Apesar de ser o grande apóstolo dos gentios, e por consequente, o fundador da igreja de Filipos, Paulo não se julga superior a nenhum dos que faziam parte daquela comunidade cristã. E isso ele demonstra quando chama e considera os seguidores de Cristo naquela cidade de Irmãos. Essa era uma tradição humana que se entende que todos somos irmãos em Adão, como também os israelitas se consideravam irmãos uns dos outros por meio de Abraão, Isaque e Jacó. Já no que tange ao cristianismo, somos todos considerados irmãos em Cristo Jesus.

QUANTO A MIM. O apóstolo retoma o tema anterior que ele vinha abordando, de que o seu grande empenho era para que pudesse ser digno de participar da ressurreição dos que dormem em Cristo, quando da volta do Mestre para arrebatar a sua igreja. Há quem defenda a tese de que alguns dos opositores de Paulo em Filipos duvidavam de sua autoridade pelo fato de que ele se encontrava preso. Por outro lado os seus admiradores se posicionavam em defesa do apóstolo sustentando de que ele era um homem perfeito e que, portanto, estava pronto para partir desta vida.

NÃO JULGO QUE O HAJA ALCANÇADO. Neste ponto, o apóstolo procura equilibrar a situação entre aqueles que o achavam perfeito, dando o seu próprio testemunho em sentimento de humildade, ao reconhecer que ainda não alcançou a perfeição tão desejada por todos aqueles que buscam o reino de Deus em primeiro lugar. Estamos em uma caminhada rumo a retidão de espírito, conscientes de que enquanto na carne, não estamos imune as falhas, nem blindados a práticas de erros e pecados. Os adeptos da hipocrisia religiosa precisam pensar sobre este tema abordado por Paulo.

MAS UMA COISA FAÇO, E É QUE. A vida cristã é uma jornada que deve ser incrementada com dosagens de esforços e renúncias, ao ponto de pontilharmos a nossa maneira de viver com determinação na busca pelo aperfeiçoamento na fé. A luta contra o pecado e as concupiscências da carne é diária e constante, em que precisamos a todo o momento renunciar a muitas coisas que o mundo oferece, a fim de agradarmos ao nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Isso faz parte da vida cristã.

ESQUECENDO-ME DAS COISAS QUE ATRÁS FICAM. Em textos anteriores o apóstolo havia falado sobre coisas importantes, humanamente falando, que ele teve que perder para ganhar a Cristo. Agora, ele confirma que para todas estas coisas da vida pregressa ele põe na conta da amnésia para que possa servir fielmente a Cristo.

E AVANÇANDO PARA AS QUE ESTÃO DIANTE DE MIM. Foi necessário que ele desapegasse dos privilégios que antes tinha diante da sociedade religiosa de Israel para que pudesse fazer a grande obra que estava realizando em prol do reino de Cristo. Paulo sempre estava pronto a realizar a vontade de Deus no que fosse possível.

quinta-feira, 26 de março de 2015

Filipenses 3:12

Filipenses 3:12 - Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por Cristo Jesus.
NÃO QUE JÁ A TENHA ALCANÇADO. Nos textos anteriores o autor vem escrevendo sobre o seu empenho para agradar a Deus, realizar a obra para a qual foi chamado e ter o privilégio de participar da ressurreição dos mortos em Cristo Jesus, no dia do arrebatamento da igreja. E movido pela esperança ele destaca o fato de que precisa fazer muito mais do que já fez pelo reino de Cristo para ser digno de participar do arrebatamento da igreja. Se um homem como Paulo que é um dos heróis do cristianismo sustenta e afirma de que precisa melhorar mais ainda como cristão. Porque os santarrões não reconhecem que precisam também de mais humildade?

OU QUE SEJA PERFEITO. Ser humano perfeito só existiu um que foi o Cristo de Deus, porque ele não pecou, não falhou nem errou. Ele viveu de forma digna perante os homens e diante de Deus. Se um homem como Paulo não se acha perfeito, porque os hipócritas religiosos vivem se achando melhor do que todo mundo? Quem for digno de participar do arrebatamento da igreja e herdar a vida eterna, isso será, não por méritos pessoas, mas sim, fruto da bondade, da misericórdia e da benevolência de Deus. Ninguém está imune a práticas de erros e ninguém é blindado ao pecado.

MAS PROSSIGO. Reconhecendo que não é perfeito e que ainda não é digno de ser participante do arrebatamento dos salvos, Paulo nem por isso desiste de buscar a graça de Deus para que possa ser envolvido na infinita misericórdia do Pai. Mais adiante ele escreve: Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus. Recuar não fazia parte dos plenos de Paulo no que concerne a tudo aquilo que ele abraçou no reino de Cristo. Mesmo estando preso, sendo perseguido e correndo risco de morte, ele não pretendia voltar atrás e deixar o evangelho de Cristo.

PARA ALCANÇAR AQUILO. O apóstolo sabia o que queria da vida e tinha metas para alcançar seus objetivos, para tanto, ele fazia tudo com planejamento e um programa de realizações, isso porque ele tinha convicção que chegaria ao porto desejado. Ele tinha um alvo a ser alcançado, e com isso prosseguir era o seu lema de vida. Todo aquele que faz a sua decisão em seguir a Cristo de conformidade com o seu evangelho, não pode nem deve coxear em dois pensamentos, nem tão pouco se deixar levar por dúvidas, pelo contrário, deve seguir em frente para alcançar a salvação.

PARA O QUE FUI TAMBÉM PRESO. Não se sabe ao certo sobre que tipo de prisão o apóstolo se refere, se ele está tratando da prisão física ou se está escrevendo em figura de linguagem para representar a forma como ele se achava tão ligado a Cristo ao ponto de não mais ver condições de se afastar do seu Mestre. O autor pode também está se referindo aos vários aprisionamentos que já teve que enfrentar por Cristo Jesus, inclusive, no momento em que escrevia esta carta, ele estava preso.

POR CRISTO JESUS. O que aconteceu com Paulo, é justamente o que acontece com os cristãos verdadeiros, ele foi efetivamente transformado pelo poder da palavra de Cristo, e o seu encontro com o Senhor Jesus o fez ser mudado em uma nova criatura. Por isso que o apóstolo se achava apto a sofrer e até morrer por Cristo Jesus.

quarta-feira, 25 de março de 2015

Filipenses 3:10-11

Filipenses 3:10-11 - Para conhecê-lo, e à virtude da sua ressurreição, e à comunicação de suas aflições, sendo feito conforme à sua morte. Para ver se de alguma maneira posso chegar à ressurreição dentre os mortos.
PARA CONHECÊ-LO. A decisão de se converter do judaísmo para o cristianismo de Paulo, sua renúncia dos cargos elevados perante a comunidade religiosa de Israel, o abandono dos privilégios de ser um fariseu da elite religiosa dos israelitas, e todas as demais perdas que ele sofreu, humanamente falando. Tudo isso, para que ele tivesse o privilégio de conhecer a Cristo Jesus, o Filho de Deus. O Messias, Jesus de Nazaré era muito esperado pelo povo de Israel, e ele veio, mas eles não o receberam. Porem, Paulo o recebeu e passou a conhecê-lo pelas revelações dele recebidas.

E À VIRTUDE DA SUA RESSURREIÇÃO. Cristo é o Senhor da vida e da ressurreição, por isso que a morte não o pode detê-lo naquela tumba fria. Já em vida e no seu ministério, o Cristo de Deus deu várias demonstrações de que tinha o poder sobre a morte, quando ressuscitou dentre os mortos algumas pessoas. No entanto, a mais clara demonstração de que ele era e é o Senhor da vida e da ressurreição ele deu quando ressuscitou ao terceiro dia de entre os mortos, para nunca mais morrer. Se Jesus não tivesse ressuscitado, seria apenas mais um profeta, como muitos outros.

E À COMUNICAÇÃO DE SUAS AFLIÇÕES. Já nas profecias messiânicas eram anunciadas sobre o Messias como Servo sofredor, porque pelas suas muitas e intensas aflições ele realizaria a redenção da humanidade. Tudo que Jesus teve que enfrentar de perseguições já era esperado, e a sua rejeição por parte da comunidade de Israel era prevista para que se inaugurasse uma nova dispensação com os gentios e todas as nações e povos do mundo. Os sofrimentos do Cristo de Deus faziam parte da obra de expiação realizada pelo Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.

SENDO FEITO CONFORME A SUA MORTE. As nossas chagas e as nossas dores caíram sobre o Cristo de Deus, e a sua morte foi em nosso lugar para nos remir de nossos pecados e das nossas transgressões. Isaías 53:4-5 - Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. A morte de Jesus foi para nos dar a salvação.

PARA VER SE DE ALGUMA MANEIRA POSSO CHEGAR. Tudo isso da parte de Paulo: Filipenses 3:8 - E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo. Para que ele tivesse a possibilidade de ser salvo em Cristo.

A RESSURREIÇÃO DENTRE OS MORTOS. É de comum acordo entre os muitos comentaristas do Novo Testamento de que, o apóstolo neste ponto de sua carta, não tinha mais esperança de que poderia sair da prisão, mas que seria julgado pelas autoridades romanas e condenado à morte. Neste sentido é que, ele agora aponta para a esperança de que na volta de Cristo, ele participaria do arrebatamento da igreja.

terça-feira, 24 de março de 2015

Filipenses 3:9

Filipenses 3:9 - E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé.
E SEJA ACHADO NELE. O importante para o escritor agora, não eram seus privilégios de quando ainda estava no judaísmo, por naquela época pertencer à classe dos mais favorecidos dentre os religiosos de Israel. O que importava agora para ele, era estar em Cristo, viver para Cristo e por Cristo. A saída do judaísmo e sua conversão ao cristianismo era o divisor de águas na vida de Paulo, ao ponto dele afirmar que perdeu tudo, inclusive as posições de destaques para agora ganhar a Cristo Jesus.

NÃO TENDO A MINHA JUSTIÇA. Paulo era demasiadamente zeloso das tradições religiosas dos hebreus, ao ponto de ser melhor do que muitos de sua época, no que concerne a guardar os mandamentos, estatutos e ordenanças da legislação mosaica. E isso lhe fornecia o senso mental de que, ele podia ser considerado justo perante a comunidade de Israel, como também lhe proporcionava o conforto mental de que também, se achava justificado perante a justiça de Deus, por ser fiel à lei de Moisés.

QUE VEM DA LEI. Conforme o que determinava a lei, para que alguém fosse considerado justo perante o povo de Deus e diante das ordenanças da legislação mosaica, essa pessoa devia em tudo ser obediente ao que mandava a lei de Moisés. De forma que os seguidores do judaísmo eram pressionados a serem mais religiosos do que praticantes da fé, da confiança e da esperança em Deus.

MAS A QUEM VEM PELA FÉ. Quando Paulo entendeu pelas revelações de Cristo, que no tempo da nova dispensação o que importava mesmo era o exercício da fé e não a prática da lei de Moisés, então ele optou a viver pela fé, ou seja, a justiça que vem pela fé. Essa justiça que vem pela fé é a crença inabalável de que, a obra perfeita de redenção realizada por Cristo é capaz e suficiente para nos justificar diante de Deus.

EM CRISTO. Quem tiver o privilégio de estar bem na foto diante da justiça de Deus, não mais é por ser um seguidor do judaísmo, nem da legislação de Moisés. Também não é por se achar santo, justo e bom perante a justiça divina. Mas é unicamente pelo fato de que o Cristo de Deus realizou plenamente a reconciliação entre o homem e o seu Criador. Isso Cristo fez por meio da expiação pelos nossos pecados.

A JUSTIÇA QUE VEM DE DEUS. Todos aqueles que forem dignos de herdarem a vida eterna, assim o farão não por méritos pessoais, não por serem justos aos próprios olhos, nem bonzinhos perante a sociedade. Todos os créditos devem ser atribuídos ao grande amor de Deus, sua misericórdia para com a humanidade e sua compaixão.

PELA FÉ. O homem entra apenas com sua fé para adquirir todos os benefícios do perdão de Deus em Cristo Jesus. Essa fé é demonstrada no pleno reconhecimento de que cada um de nós não podemos fazer nada para nos salvar. Mais apenas confiar de que a obra de redenção feita pelo Cristo de Deus nos dá o direito à salvação eterna.

segunda-feira, 23 de março de 2015

Filipenses 3:8

Filipenses 3:8 - E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo.
E, NA VERDADE, TENHO POR PERDA. Esse texto descreve sobre o antes e o depois na vida de Paulo, antes de seu encontro com Cristo, e depois de sua transformação de vida. Este é o grande lema da vida de muitas pessoas, que até sentem que tem a chamada de Deus para sua vida, mas começa a calcular entre os ganhos e perdas, e com isso terminam por ficarem com a vida velha, em vez de se transformarem em novas criaturas. Mas, quem tem experiência real com Cristo sabe que só tem a ganhar, quem faz uma aliança com Cristo.

TODAS AS COISAS. Humanamente, Paulo era uma pessoa que gozava de muitos privilégios sociais perante a comunidade judaica, como fariseu que era, ele tinha livre acesso as reuniões mais importantes da vida religiosa dos hebreus, além do mais, contava com o apoio dos principais dos sacerdotes para fazer e desfazer naquilo que bem entendesse. Mas agora, por ter tido um real encontro com Cristo, ele considerava todas as coisas que lhe eram favoráveis, como perdas, sem retorno, coisa do passado.

PELA EXCELÊNCIA DO CONHECIMENTO. Nenhum outro do grupo dos doze, teve em profundidade as revelações que Paulo teve, no que concerne aos mistérios de Cristo para com a sua igreja, e os parâmetros da nova aliança da graça de Deus. Ele diz ter sido arrebatado até a presença de Deus. e teve revelações e experiências das boas novas de Cristo, que para a mente humana é até certo ponto incompreensível.

DE CRISTO JESUS, MEU SENHOR. Encontramos mais uma vez nos escritos de Paulo, o título completo do Filho de Deus, O Senhor, Jesus Cristo. Antes mesmo da sua vinda, o Cristo de Deus já era conhecido pelas profecias messiânicas como Senhor de tudo e de todos, e isso foi confirmado na era do Novo Testamento. O Nome Jesus quer dizer: aquele que veio ou que se manifestou como Salvador. Já o Sobrenome Cristo, nos fala a respeito da missão redentora do Emanuel, que fez a expiação pelo pecado do povo.

PELO QUAL SOFRI A PERDA DE TODAS AS COISAS. Tendo um encontro com Cristo, e recebendo a revelação de sua missão redentora em prol da humanidade, Paulo fez a opção por viver para Cristo e o seu reino, e isso implicou em mudança radical no seu modo de viver, por isso que ele afirmou: Não mais vivo eu, mas Cristo vive em mim.

E AS CONSIDERO COMO ESCÓRIA. Os privilégios sociais e religiosos dos quais desfrutava o apóstolo, antes de sua conversão ao cristianismo, ele as considera como algo que não vale absolutamente nada, é o que ele chama de escória, algo desprezível, porque Cristo Jesus é superior a tudo que o mundo oferece.

PARA QUE POSSA GANHAR A CRISTO. O próprio Cristo falou que: Ninguém pode servir a dois Senhores. Essa é uma questão de prioridade que o ser humano pode fazer, se quer viver para Cristo e com Cristo, precisa renunciar o mundo e o que nele há.

domingo, 22 de março de 2015

Filipenses 3:6-7

Filipenses 3:6-7 - Segundo o zelo, perseguidor da igreja, segundo a justiça que há na lei, irrepreensível. Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo.
SEGUNDO O ZELO. Conforme os costumes e as tradições do judaísmo, todo aquele que era um Judeu guardador da legislação mosaica, devia com todo empenho defender a religião de Israel com zelo e devoção irrestrita. No caso de Paulo, que pertencia à classe dos fariseus e que estava a serviço dos líderes do judaísmo, ele tinha o dever de combater qualquer outra religião ou conjunto de crenças, que se tornasse uma ameaça ao judaísmo. Desde a vinda do Messias e com a fundação da nova religião, que o clero religioso de Israel, se posicionou em combater o cristianismo de forma dura e cruel.

PERSEGUIDOR DA IGREJA. Os líderes religiosos do judaísmo por inveja condenaram a morte o Senhor Jesus Cristo, porque eles perceberam de que, o Messias estava representando uma ameaça a eles próprios e aos princípios da legislação de Moisés. Não satisfeitos por terem matado o Cristo de Deus, agora, tentavam barrar a qualquer custo, o crescimento e expansão do cristianismo em tudo o mundo. Paulo tinha carta branca da parte dos sacerdotes do judaísmo para perseguir, prender e até mandar matar os seguidores de Cristo. Por isso ele diz ter sido um dos perseguidores da igreja.

SEGUNDO A JUSTIÇA QUE HÁ NA LEI. Na nova dispensação da graça, seguir a justiça do evangelho é crer de forma absoluta na obra perfeita, realizada por Cristo Jesus para redimir a humanidade. Já na antiga aliança de Deus com Israel, seguir a justiça da lei era guardar todos os mandamentos, estatutos e juízos da legislação mosaica. E Paulo se encaixava neste perfil, por ser um seguidor padrão da lei de Moisés. Conforme a antiga aliança, o homem estabelecia a sua própria justiça, baseada na legislação de Moisés, porque disto dependia sua fidelidade ao que estava escrito na lei.

IRREPREENSÍVEL. Essa é uma expressão que descreve um seguidor da lei de Moisés, que guardava com zelo total tudo que determinavas as regras estabelecias na lei. Com isso, o autor afirma que era um legítimo seguidor do judaísmo, porque havia sido circuncidado, conforme a lei, era da linhagem de Israel, hebreu de hebreu, segundo a tradição religiosa do seu país, era fariseu, instruído nos estatutos da lei de Moisés e nas tradições e costumes dos Judeus. Ninguém encontrava motivos na vida de Paulo para acusá-lo de transgressor de tudo aquilo que determinava sua religião.

MAS O QUE PARA MIM ERA GANHO. Na realidade, Paulo era um homem de elevada posição entre os seus pares, quando ainda pertencia ao judaísmo. Por ser um fariseu, ele ocupava lugar na elite religiosa do seu país e contava com o apoio direto e exclusivo dos sacerdotes para usufruir de todos os privilégios religiosos. Tinha uma dedicação irrefutável em conhecer e praticar a sua religião, vindo a superar a muitos de sua época em profundidade no tocante a ser zeloso com os mandamentos da lei.

REPUTEI-O PERDA POR CRISTO. No entanto, ao ter um encontro com Cristo Jesus, no caminho de Damasco, ele, Paulo, rompeu definitivamente com o judaísmo para seguir as regras do cristianismo, fundado pelo Cristo de Deus. Depois de sua conversão ao cristianismo, não mais interessava para Paulo, as posições, os cargos e os privilégios que ele desfrutava perante as autoridades religiosas do judaísmo.

sábado, 21 de março de 2015

Filipenses 3:4-5

Filipenses 3:4-5 - Ainda que também podia confiar na carne; se algum outro cuida que pode confiar na carne, ainda mais eu. Circuncidado ao oitavo dia, da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; segundo a lei, fui fariseu.
AINDA QUE TAMBÉM PODIA CONFIAR NA CARNE. Paulo se refere não as obras da carne nem as concupiscências da carne, mas sim, ele esta tratando de sua genealogia, como pertencente ao povo Judeu. No texto anterior ele se refere à circuncisão como motivo de orgulho e gabação dos Judeus, ao pertencerem a linhagem de Israel. Os Israelitas por serem Judeus, se achavam melhores do que as demais pessoas do mundo, coisa que na igreja de Cristo não deve ser assim.

SE ALGUM OUTRO CUIDA QUE PODE CONFIAR NA CARNE, AINDA MAIS EU. A igreja de Filipos ficava nas dimensões do mundo gentílico, porem, alguns dos apóstolos originais, nesta mesma época, já circulavam pelo mundo, visitando as igrejas fundadas por Paulo. E alguns destes apóstolos do grupo dos doze, se aproveitavam da posição que ocupavam para se acharem melhores do que os ministros do evangelho, que não eram pertencentes à nação de Israel, no sangue e na carne.

CIRCUNCIDADO AO OITAVO DIA. No entanto, com Paulo era diferente, porque ele além de ser um verdadeiro Israelita, também carregava consigo a marca da circuncisão, que era um sinal de um verdadeiro Judeu de sangue. Seguindo o pacto abraâmico, um puro Judeu de sangue e carne devia ser circuncidado no seu oitavo dia de vida. Já os prosélitos do judaísmo podia ser circuncidado a qualquer tempo, desde que se convertessem ao judaísmo e passasse a guardar a lei de Moisés.

DA LINHAGEM DE ISRAEL. Essa era na época uma expressão que representava um verdadeiro Israelita de sangue e de carne. No caso de Paulo, ele era descendente de Jacó, e não somente de Abraão e Isaque. Existiam os ismaelitas e os edomitas que eram descendentes de Abraão e Isaque, mas não eram descendentes de Jacó ou Israel. Ser descendente de Jacó ou Israel tinha um significado especial, porque eles se consideravam o verdadeiro povo de Deus. Paulo era desta linhagem de Israel.

DA TRIBO DE BENJAMIM. Pertencer à tribo de Benjamim era motivo de orgulho para quem pertencia a esta tribo, porque este patriarca era o filho da esposa favorita de Jacó, conhecida por Raquel. Foi desta mesma tribo que surgiu o primeiro monarca de Israel, chamado Saul, nome do qual se derivou o nome de Saulo, que depois veio a ser Paulo. Depois do cativeiro Babilônico e sua volta a terra prometida, essa tribo veio a ser o núcleo do povo de Israel na palestina, por isso sua grande importância.

HEBREU DE HEBREU. Essa era uma frase usada por um verdadeiro israelita para dizer que podia ser feita uma pesquisa em sua arvore genealógica nos registros dos Hebreus, que os seus ancestrais eram puros de sangue e de língua, o hebraico.

SEGUNDO A LEI, FUI FARISEU. Com isso Paulo quis escrever de que, ele pertencia a elite religiosa do judaísmo, e, portanto, antes de se converter ao cristianismo fazia parte da nata social e religiosa de Israel. Os fariseus, na época da igreja primitiva, ocupavam posições de destaque entre os seguidores do judaísmo e da lei de Moisés.

sexta-feira, 20 de março de 2015

Filipenses 3:2-3

Filipenses 3:2-3 - Guardai-vos dos cães, guardai-vos dos maus obreiros, guardai-vos da circuncisão. Porque a circuncisão somos nós, que servimos a Deus em espírito, e nos gloriamos em Jesus Cristo, e não confiamos na carne.
GUARDA-VOS DOS CÃES. O autor está se referindo aos judaizantes, aos falsos mestres gnósticos, aos líderes das seitas heréticas e chefes das religiões pagãs e naturais, além é claro das autoridades romanas que faziam oposição à nova religião de Cristo. Todos eles viviam em pé de guerra contra os seguidores de Cristo, buscando motivos para lhes perseguirem, prenderem e mata-los. Desde a morte de Jesus de Nazaré, em sacrifício expiatório em prol da humanidade, que os inimigos de Deus e do evangelho buscavam ocasião para tentarem barrar o cristianismo.

GUARDAI-VOS DOS MAUS OBREIROS. Além dos opositores externos, dos quais escrevemos no parágrafo anterior, existiam dentro da própria comunidade cristã, aqueles que em vez de contribuírem para o crescimento do cristianismo, atrapalhavam seus avanços pelo mondo dos gentios. Estes maus obreiros são aqueles que se infiltram no meio do povo de Deus, com segundas intenções, para tirarem proveito dos cargos que ocupam e das posições que alcançam.

GUARDAI-VOS DA CIRCUNCISÃO. Os judaizantes, que eram aqueles enviados pelos líderes do judaísmo para se infiltrarem no seio da comunidade cristã, tinham como objetivo combater o cristianismo buscando fazer com que os Judeus convertidos a religião de Cristo voltassem a sua antiga religião. Além de alguns dos líderes do próprio cristianismo, que vieram do judaísmo, pregavam de que mesmo a pessoa se convertendo ao cristianismo precisava ser circuncidada e guardar a lei de Moisés.

PORQUE A CIRCUNCISÃO SOMOS NÓS. Com a implantação da nova dispensação ou aliança da graça de Deus, por Cristo Jesus, mediante o evangelho das boas novas, não se faz mais necessário alguém ser circuncidado, como acontecia com o povo do antigo pacto ou aliança de Deus com Israel, pela legislação mosaica. Depois da vinda do Messias de Deus, a circuncisão não é feita na carne, como acontecia com os descendentes de Abraão, Isaque e Jacó, porque a nova aliança é espiritual.

QUE SERVIMOS A DEUS EM ESPÍRITO. Quando a legislação mosaica foi escrita, como sendo a aliança de Deus com Israel, e os parâmetros estabelecidos daquele pacto, era uma aliança com previsões para esta vida, e não para a vida eterna, como acontece com a nova aliança da graça. A nova aliança é um conserto espiritual e não carnal, material e terreno.

E NOS GLORIAMOS EM JESUS CRISTO. Até os dias de hoje, os seguidores do judaísmo tem Moisés como o grande líder de Israel. Mas para nós que fazemos parte do verdadeiro cristianismo, temos a Cristo Jesus, como nosso grande líder espiritual, nosso Rei, nosso Profeta e nosso Sacerdote Eterno, único Mediador de uma nova aliança.

E NÃO CONFIAMOS NA CARNE. Os judaizantes confiavam de que, ser circuncidado de acordo com a legislação de Moisés era que dava direito a qualquer pessoa ganhar as promessas de Deus. Os Judeus sempre se gabaram de pertencerem à família dos antigos patriarcas, Abraão, Isaque e Jacó, e com isso se achavam mais importantes do que as demais nações do mundo.

quinta-feira, 19 de março de 2015

Filipenses 3:1

Filipenses 3:1 - Resta, irmãos meus, que vos regozijeis no Senhor. Não me aborreço de escrever-vos as mesmas coisas, e é segurança para vós.
RESTA, IRMÃOS MEUS. O autor está a fazer várias recomendações, para a igreja de Cristo na cidade de Filipos, mas antes ele tenta recompor o ânimo dos irmãos daquela igreja, lembrando-lhes que, Epafrodito já estava curado, e portanto fora do risco de morte, o que seria motivo de muita alegria para aquela igreja. Ao mesmo tempo em que chama os remidos de Cristo de seus irmãos por vários motivos. O apóstolo considerava aquela igreja como uma família, em que ele dela fazia parte, por ser um dos seus principais fundadores. Depois, todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, são filhos de um mesmo Pai celeste, e irmãos de Cristo Jesus.

QUE VOS REGOZIJEIS. Boa parte do capítulo anterior, tratou de um assunto muito importante para a igreja de Cristo em Filipos, que foi justamente a questão da enfermidade mortal que acometeu Epafrodito, e por fim sua total restauração da saúde. Se antes, aquela igreja tinha motivos para estar triste pela preocupação de ter que perder o seu líder espiritual, Epafrodito, com a chegada desta carta, e da própria pessoa de epafrodito, já era motivo suficiente para que, agora, se alegrassem no Senhor Jesus, por ele trabalhar pela felicidade daquela igreja querida.

NO SENHOR. Quem estuda de forma criteriosa, os escritos do apóstolo Paulo, não tem nenhuma dificuldade para identificar o quanto ele tem o cuidado, de render toda glória e honra ao Senhor Jesus Cristo, porque tudo é para ele e por ele. O senhorio de Cristo é amplamente demonstrado em todo o Novo Testamento, bem como nas profecias messiânicas sobre ele no Velho Testamento. O humilde Jesus de Nazaré se tornou o Rei dos reis e Senhor dos senhores, porque ele veio como Messias de Deus e cumpriu com sucesso sua missão redentora da humanidade com a nova aliança da graça.

NÃO ME ABORREÇO. Pelo contrário, o apóstolo tinha grande prazer em fazer as coisas para o reino dos céus em anunciar as boas novas da nova aliança de Deus, nesta nova dispensação da graça de Deus, por intermédio de Cristo Jesus. Ele foi autor da maioria das missivas e cartas do Novo Testamento, produzindo um conteúdo literário de enorme valor para a sustentabilidade e desenvolvimento do cristianismo, na história da nova era cristã. Além é claro, dos incansáveis discursos e pregações que fizera durante seu ministério, não somente na igreja de Filipos, mais também nos campos missionários.

DE ESCREVER-VOS AS MESMAS COISAS. Apesar de esta carta ter sido escrita, em um momento de muita tribulação na vida de Paulo, mas temos que concordar que esta é uma epístola da alegria e do contentamento. O apóstolo até certo ponto, parece ser repetitivo em seus conselhos de motivação, recomendando a igreja de Cristo em Filipos para que se animasse e de alegria se enchesse, apesar dos pesares.

E É SEGURANÇA PARA VÓS. Todas as recomendações e ensinos transmitidos por Paulo nesta carta, eram justamente para que os irmãos daquela igreja, se firmassem cada vez mais no evangelho de Cristo. O momento era difícil para o apóstolo, bem como para a própria igreja de Filipos, que estava passando por tribulações e perseguições, no entanto, para atravessar com vitória este instante difícil, somente com muita esperança e fé.

quarta-feira, 18 de março de 2015

Filipenses 2:30


Filipenses 2:30 - Porque pela obra de Cristo chegou até bem próximo da morte, não fazendo caso da vida para suprir para comigo a falta do vosso serviço.
PORQUE PELA OBRA. O autor escreve a respeito da dedicação absoluta de epafrodito, em prol do reino de Cristo e o quanto ele se empenhou sem reserva para executar sua missão, como ministro do evangelho das boas novas. Essa obra a que se refere o apóstolo, diz respeito aos serviços que alguém presta ao reino de Cristo, e por consequente a igreja do Senhor Jesus Cristo na terra. Também diz respeito a todo empenha que o servo de Deus faz em buscar o reino de Deus e as coisas de cima.

DE CRISTO. O serviço que Epafrodito estava prestando a Paulo, não era diretamente a ele, mas sim a Cristo, porque o apóstolo estava também inteiramente ao serviço do reino de Cristo. É bem provável que epafrodito enquanto esteve na companhia de Paulo, ficou visitando as igrejas representando o apóstolo, e fazendo as mesmas viagens missionárias que Paulo teria feito, se estivesse fora da prisão. Epafrodito era enviado por Paulo a várias regiões para cuidar das igrejas por Paulo fundadas.

CHEGOU ATÉ BEM PRÓXIMO. Certamente o autor desta carta se refere aos vários perigos que Epafrodito teve que enfrentar, para poder fazer a obra de Cristo e o representar nas muitas viagens missionárias, que ele teve que fazer representando o apóstolo. Como em textos anteriores o escritor havia escrito sobre o sério problema de doença que seu amigo e cooperador vinha passado, agora, ele nos faz saber que ele quase que partia desta vida para a vida eterna, isso em consequência da enfermidade.

DA MORTE. Na realidade, epafrodito esteve bem à beira da morte, por conta de uma doença grave que lhe acometera. Paulo não se reporta que tipo de enfermidade havia se agravado na vida do seu amigo e auxiliar, verdade é que ele quase que não escapava daquele grave estado de saúde em que se encontrava, antes desta carta ser escrita. Agora, no entanto, já não mais estava em perigo de morte, porque o pior já havia passado. Inúmeros eram os perigos nesta época que os cristãos passavam para fazerem a obra de Deus.

NÃO FAZENDO CASO DA VIDA. Essa expressão descreve sobre que, o próprio Epafrodito estava consciente de que, se partisse naquele momento, era causa de ganho. Por outro lado, isso que dizer que, ele estava disposto a enfrentar a própria morte, se fosse necessário, em prol da obra de Deus, se assim o Senhor quisesse.

PARA SUPRIR PARA COMIGO. Epafrodito havia sido justamente enviado pela igreja de Cristo em Filipos, para ajudar a Paulo neste momento de aprisionamento. Os comentaristas do Novo Testamento afirmam de que, epafrodito ao chegar em Roma onde estava Paulo, passou a exercer papeis importante no ministério do apóstolo, porque foi enviado por Paulo em várias viagens missionárias e ministeriais.

A FALTA DO VOSSO SERVIÇO. Como também, ele, epafrodito, passou a servir a Paulo ali na prisão como seu auxiliar, que cuidava dos negócios do apóstolo. Paulo necessitava de cuidados pessoas, bem como de representantes que cuidasse do seu processo de soltura diante das autoridades romanas. Com isso, Epafrodito, Timóteo e outros tantos amigos do apóstolo tiveram importância fundamentais neste momento.

terça-feira, 17 de março de 2015

Filipenses 2:28-29

Filipenses 2:28-29 - Por isso vo-lo enviei mais depressa, para que, vendo-o outra vez, vos regozijeis, e eu tenha menos tristeza. Recebei-o, pois, no SENHOR com todo o gozo, e tende-o em honra.
POR ISSO VO-LO ENVIEI MAIS DEPRESSA. Paulo sabia da tristeza pela qual passava a igreja de Filipos, pelo fato de eles saberem de que um dos seus principais líderes estava ausente, e além do mais muito doente, era a notícia que eles estavam tendo. Essa carta porem, com a própria presença de Epafrodito desfazia todos estes fatos angustiantes, para os seguidores de Cristo naquele lugar. Vendo o apóstolo, que Epafrodito já estava bem melhor ou curado de sua enfermidade, logo cuidou de enviá-lo de volta para Filipos, a fim de produzir alegria naquela igreja, e cuidar dos interesses do reino de Deus naquele lugar. Paulo se apressou em fazer isso, enviar de volta a Epafrodito.

PARA QUE, VENDO-O OUTRA VEZ. A ausência de Epafrodito na Igreja em Filipos, causava uma série de prejuízos, porque ao que tudo indica, neste momento da história daquela igreja, ele era seu principal líder e administrador, é claro, na ausência de Paulo, o seu fundador e grande apóstolo do evangelho de Cristo. Pelas notícias que circulavam naquela igreja, e pela gravidade da doença que acometeu epafrodito, havia a preocupação de que eles não mais viriam com vida, o servo de Deus. Mas se ele retornasse salvo daquela enfermidade seria causa de grande alegria para todos eles.

VOS REGOZIJEIS. Paulo sabia do amor e consideração que a igreja de Filipos devotava pela pessoa amada de Epafrodito, bem como conhecia o quanto ele era útil naquela igreja. De forma que, a tristeza é demasiada nos corações de todos os seguidores de Cristo em Filipos, pelo fato de que ele estivesse muito doente, sem contar com a preocupação de que ele viesse a falecer. A angústia abatia a alma daqueles que realmente amavam aquele importante cooperador da obra de Deus naquele lugar. Portanto, nada melhor do que vê-lo de volta, e bem, para novamente se alegrarem.

E EU TENHA MENOS TRISTEZA. As notícias que circulavam na igreja de Filipos, não eram nada boas sobre o estado de saúde de epafrodito, e isso servia de peso e angustia no coração do apostolo Paulo, ele que até certo ponto se sentia responsável pela viagem de Epafrodito, ao seu encontro para cuidar dos seus negócios e dos interesses da igreja. Enviando-o de volta, e agora, bem de saúde, isso aliviava um pouco a tristeza de Paulo. Quando ele afirma que teria menos tristeza, ele quis dizer que, continuaria triste, não mas pela doença de Epafrodito, mas porque estava preso.

RECEBEI-O, POIS, NO SENHOR COM TODO O GOZO. Esta carta, que certamente Timóteo e Epafrodito levariam em mãos, era não somente uma carta para tratar dos assuntos de interesse da igreja de Filipos, mas neste ponto, também seria uma carta de recomendação da parte de Paulo, recomendando seus companheiros de ministério. Era comum na igreja primitiva, os líderes recomendarem uns aos outros.

E TENDE-O EM HONRA. A recomendação e a ordem do apóstolo Paulo quanto a Epafrodito, para o ministério e a igreja de Filipos, era de que eles recebessem de volta a Epafrodito como dantes, em plena honra ao seu ministério. Era justo que ele fosse recebido como uma autoridade eclesiástica daquela igreja pelos serviços ali prestados.

Filipenses 2:27

Filipenses 2:27 - E de fato esteve doente, e quase à morte; mas Deus se apiedou dele, e não somente dele, mas também de mim, para que eu não tivesse tristeza sobre tristeza.
E DE FATO ESTEVE DOENTE. Epafrodito era de fato um servo de Deus e que estava à disposição do reino dos céus, porem, ficou muito doente. Qualquer pessoa, seja ela servo de Deus ou não, está sujeita a ser acometida pelas enfermidades. E isso contraria a tese dos fariseus e santarrões da atualidade, que chegam a acusar de pratica de pecados, aqueles que ficam doentes. Paulo também é um outro exemplo a ser dado dentro deste assunto, porque ele mesmo confessa que tinha uma enfermidade que lhe crucificava, orou algumas vezes ao Senhor, porem, não foi curado.

E QUASE À MORTE. Essa expressão usada pelo escritor, nos fala a respeito do quanto era grave a enfermidade que acometeu epafrodito. Nos tempos modernos, as ciências médicas tem se evoluído ao ponto de ter especialidade para cada tipo de enfermidades ou estudos para cada parte do corpo humano. No entanto, na época em que esta carta foi escrita, as coisas eram tão difíceis na área da medicina, que até mesmo doenças mais simples podiam se agravar de tal maneira, e levar qualquer pessoa a beira da morte ou ao falecimento. Epafrodito quase vestia o palito de madeira, e por pouco não desceu a sepultura, dada a gravidade de sua saúde.

MAS DEUS SE APIEDOU DELE. Como a medicina era escassa, e os meios para alcança-la muito difíceis, só um milagre de Deus podia livrar aquele homem da morte física. E na verdade era esse o método mais usado pela igreja primitiva, para resolver os problemas de enfermidades, entre aqueles que faziam parte da igreja do Senhor Jesus, o prodígio realizado do Deus. O texto não nos esclarece como este milagre aconteceu, porem, boa parte dos comentaristas concordam de que, o fato aconteceu de forma natural, ou seja, aos poucos, Epafrodito foi melhorando até ficar curado.

E NÃO SOMENTE DELE. Deus se apiedou não somente de epafrodito. Certamente Paulo está pensando na igreja de Filipos, para quem aquele homem de Deus tinha uma importância fundamental, dados os serviços que ele prestava aquela igreja. O escritor reconhece que a misericórdia de Deus alcançou não somente a vida de Epafrodito, mas que também essa bondade do Senhor chegara à igreja de Filipos de forma indireta, porque aquele servo de Deus exercia trabalhos relevantes naquela comunidade. Com isso aprendemos que um servo de Deus é bastante importante para a igreja de Cristo.

MAS TAMBÉM DE MIM. A piedade de Deus em fazer um milagre na vida de Epafrodito, também produziu frutos benéficos na vida do grande apóstolo Paulo. Epafrodito havia sido enviado pela igreja de Filipos para visitar ao apóstolo, e se de repente aquele homem chegasse a morrer na companhia de Paulo seria muito triste.

PARA QUE EU NÃO TIVESSE TRISTEZA SOBRE TRISTEZA. O fato de Paulo se encontrar preso e não poder fazer a obra de Deus, era motivo de grande tristeza para ele. Agora, um dos seus companheiros e cooperadores se encontrava doente, o que agravou ainda mais sua angustia. Imagine se este mesmo seu auxiliar viesse a morrer? Então seria tristeza e mais tristeza na via de quem já estava em um momento difícil de suportar.

segunda-feira, 16 de março de 2015

Filipenses 2:26

Filipenses 2:26 – Porquanto ele, tinha muitas saudades de vós todos, e estava muito angustiado de que tivésseis ouvido que ele estivera doente.
PORQUANTO ELE. Epafrodito se encontrava deveras distante da sua terra, e com isso era afetado por fatores diferentes que o autor passa a nos relatar a partir de então, bem como o sentimento de saudade da igreja que ele era seu responsável e administrador, também foi afetado pelo sentimento de angustia por saber que no momento não podia estar presente na igreja de Filipos, quando muito deles estavam precisando de sua presença e serviços, em fim, juntando tudo isso, e por outros fatores que não nos é dito, ele se encontrava bastante doente, enfermo e moribundo, não sabemos de que.

TINHA MUITA SAUDADE. Nos dias de hoje, a comunicação é algo extremamente diferente, do que acorria nos tempos em que esta carta foi escrita. Na atualidade, alguém pode se encontrar do outro lado do planeta, que instantaneamente tem a possibilidade de conversar e se comunicar com quem quer que seja na hora, via telefone internet e etc. Não se sabe quanto tempo Epafrodito já estava longe da igreja de Filipos, mas o que Paulo nos faz saber é de que, ele estava cheio de saudades dos irmãos, que faziam parte da comunidade cristã por ele administrada na cidade de Filipos.

DE TODOS VÓS. É provável que muitos daqueles que faziam parte da igreja de Cristo em Filipos, fossem filhos na fé de Epafrodito e que ele conhecia a todos pessoalmente. Neste tempo, as atividades do evangelho e de quem trabalhava no ministério, eram diferentes dos dias de hoje. Na atualidade tem muitos líderes cristãos que apenas veem os membros de sua denominação nos cultos realizados nos megas templos. No tempo da igreja primitiva, as reuniões eram realizadas nas residências de cada membro dos que faziam parte da igreja de Cristo, até porque neste tempo, não tinha templos como hoje. Somente depois de 312 d.C com a aliança entre o cristianismo e o império romano é que Roma passou a permitir construção de templos para os cultos com os cristãos.

E ESTAVA MUITO ANGUSTIADO. As notícias sobre a enfermidade de Epafrodito, haviam chegado aos irmãos de Filipos, e isso provocou deveras muitas angustias no coração daquele servo de Deus. Conhecendo aquela igreja de perto por ser um dos seus principais líderes espiritual e ministerial, certamente o pânico tomou conta do coração de Epafrodito, porque ele sabia que aquela igreja se preocupava com o seu bem-estar.

DE QUE TIVÉSSEIS OUVIDO. Esta carta ainda não havia chegado às mãos dos que faziam parte do ministério na cidade de Filipos, nem era do conhecimento da igreja de Cristo naquele lugar. Não sabemos como a notícia da enfermidade de Epafrodito havia chegado aos ouvidos dos irmãos daquela cidade. O certo é que eles tomaram conhecimento de tudo.

QUE ELE ESTIVERA DOENTE. O verbo nos faz entender de que Epafrodito já não estava mais tão doente como antes ou que já estava curado. O autor também não especificou que tipo de doença havia atacado seu companheiro de ministério, nem tão pouco relatou os meios pelos quais ele havia ficado bom. Quem sabe algum milagre aconteceu.

domingo, 15 de março de 2015

Filipenses 2:25

Filipenses 2:25 - Julguei, contudo, necessário mandar-vos Epafrodito, meu irmão e cooperador, e companheiro nos combates, e vosso enviado para prover às minhas necessidades.
JULGUEI, CONTUDO, NECESSÁRIO MANDAR-VÓS. Enquanto Paulo se encontrava preso, e por não poder no momento voltar a visitar a igreja de Cristo em Filipos, ele julgou necessário suprir sua falta naquela igreja por meio de seus amigos e companheiros de ministério. Anteriormente ele havia escrito sobre o envio de Timóteo que era um dos seus auxiliares de grande confiança, e que o representava muito bem nas igrejas por eles fundadas. Agora, o apóstolo escreve de que além de Timóteo, também enviaria mais um dos seus cooperadores. Talvez seguindo o exemplo de Cristo, que ao comissionar os setenta, os enviou de dois em dois.

EPAFRODITO. Somente nesta carta aos Filipenses é que se menciona esta personagem em todo o Novo Testamento. O seu nome tem o significado de encantador e ainda simpático, por certo em ser ele um pregador do evangelho, que apresentava com sabedoria as boas novas do evangelho do reino dos céus. As tradições cristãs afirmam de que, ele era de fato um pregador que transmitia sua mensagem com doçura e ternura, ao ponto de convencer pela pregação muitos, a se converterem ao evangelho da nova aliança de Cristo Jesus. É assim que deve ser um pregador das boas novas.

MEU IRMÃO E COOPERADOR. Timóteo, Paulo chama de filho na fé, e Epafrodito ele classifica de seu irmão. Este irmão e cooperador de Paulo, era de fato um dos principais líderes da igreja local de Filipos, e ao que tudo indica um missionário daquela igreja. Com a prisão de Paulo, ele foi enviado por aquela igreja para suprir algumas necessidades, do grande apóstolo e fundador daquela comunidade cristã. Quando se fala que Epafrodito era cooperador de Paulo, é porque quando o apóstolo não estava presente naquela igreja, era ele quem o representava naquela comunidade.

E COMPANHEIRO NOS COMBATES. Além do mais, Epafrodito era um dos companheiros de Paulo, em suas campanhas evangelísticas não somente em Filipos, mas também em muitos outros campos missionários. Como companheiro de Paulo, ele sempre estava disposto a apoiar os trabalhos e atividades do apóstolo aonde quer que fosse. Também se colocava em defesa do apóstolo, quando em combates diante dos incrédulos, das autoridades romanas, dos opositores do cristianismo e também dos opositores de Paulo na igreja de Filipos. Nem Cristo agradou a todos.

E VOSSO ENVIADO. Essa frase, no que concerne ao evangelho das boas novas, descreve sobre alguém que está à disposição do reino de Cristo, para levar a mensagem da nova aliança de Deus com a humanidade, por meio de Cristo Jesus. Mas, neste caso, o autor escreve sobre Epafrodito como sendo enviado pela igreja de Filipos, para visitar o apóstolo e suprir-lhe algumas necessidades. Isso fica claro em Filipenses 4:18.

PARA PROVER ÀS MINHAS NECESSIDADES. Se Paulo tinha um grande amor pela igreja de Filipos, da mesma forma, aquela igreja tinha enorme consideração pelo seu fundador, ao ponto de enviar um dos seus líderes para lhe ajudar neste momento de maior dificuldade. Paulo estava preso, não podia trabalhar, era justo a igreja ajuda-lo.

sábado, 14 de março de 2015

Filipenses 2:24

Filipenses 2:24 - Mas confio no Senhor, que também eu mesmo em breve irei ter convosco.
MAS CONFIO. O autor tinha uma fé inabalável naquele que o havia chamado e escolhido para fazer e cumprir sua missão na terra. O encontro pessoal do Senhor Jesus ressurreto e glorificado com o apóstolo produziu em seu coração o que podemos chamar de convicção da chamada para o ministério. Não eram as perseguições ou o perigo de vida que viria a abalar a sua confiança no Cristo de Deus. Apesar de está enfrentando um momento de incerteza sobre o que lhe podia acontecer de pior, no entanto, se deixava dominar pela fé de que Deus estava com ele. Fosse na vida ou fosse na contrariedade de ter que enfrentar o martírio por Cristo.

NO SENHOR. Sua confiança estava depositada unicamente no Senhor Jesus Cristo, aquele que elegeu o apóstolo como missionário enviado aos gentios para pregar e anunciar as boas novas do evangelho glorioso do Filho de Deus. Mesmo sabendo que havia muita oposição ao seu ministério, porque Paulo neste tempo, se tornara a principal liderança do cristianismo no mundo gentílico, ele tinha esperança em Cristo, de que o Senhor ia mais uma vez livrá-lo dos judaizantes opositores ao evangelho, dos falsos mestres gnósticos e dos chefes das seitas heréticas e pagãs.

QUE TAMBÉM EU MESMO. Em textos anteriores o apóstolo fala sobre a possibilidade de enviar Timóteo como seu representante para cuidar de algumas questões do ministério local. Nos textos posteriores ele escreve sobre o envio de Epafrodito, que era mesmo também uma das lideranças locais de Filipos, e que estivera muito doente, porem, agora já estava reestabelecido em sua saúde. Neste ponto, o autor traz a tona o lema de seu desejo de pessoalmente retornar ao convívio com os irmãos de Filipos e desfrutar juntamente com eles das mesmas alegrias de sempre.

EM BREVE. As tradições cristãs, bem como grande parte dos comentaristas do Novo Testamento concordam de que Paulo esteve preso na capital do império em dois períodos diferentes. E que esta missiva foi escrita justamente durante o seu primeiro aprisionamento em Roma. O que se pode afirmar de foto, conforme o que é dito nesta declaração do escritor é de que o seu desejo e confiança em Cristo era de que o apóstolo contava com a certeza de que seria solto em breve para poder retomar suas atividades em prol do reino de Cristo, e com isso fazer mais uma viagem a Filipos.

IREI. Movido pela fé, dominado pela esperança, orientando pela convicção, cheio de confiança em Cristo, é que o autor usa este verbete para expressar sua certeza de que ainda teria o privilégio de poder visitar outras vezes a igreja por ele fundada na cidade de Filipos. A quem diga que Paulo já havia recebido algum tipo de profecia falando a respeito de sua libertação mais uma vez da prisão. Outros afirmam de que ele estava sendo conduzido a fazer esta afirmação baseado na intuição.

TER CONVOSCO. Seja como for, o que se percebe é que o apóstolo já se via entre os remidos de Cristo na cidade de Filipos. Sua fé era tamanha, ao ponto de se ver em viagem de volta ao aconchego da igreja que ele havia fundado com muita fadiga e trabalho. Com isso entende-se que ainda não era o fim do ministério de Paulo.

sexta-feira, 13 de março de 2015

Filipenses 2:22-23

Filipenses 2:22-23 - Mas bem sabeis qual a sua experiência, e que serviu comigo no evangelho, como filho ao pai. De sorte que espero vo-lo enviar logo que tenha provido a meus negócios.
MAS BEM SABEIS QUAL A SUA EXPERIÊNCIA. Não se sabe ao certo se Paulo estava desejoso de enviar Timóteo a Filipos para ficar permanentemente com aquela igreja ou apenas para ficar por um tempo, ou ainda apenas para fazer uma visita rápida e tomar conhecimento do que estava acontecendo naquela igreja, levando consigo esta carta. O que se sabe por certo era de que, Timóteo já era conhecido dos irmãos de Filipos, e principalmente suas atividades em prol do evangelho juntamente com Paulo. É provável que o autor se refira a sua experiência como pregador do evangelho.

E QUE SERVIU COMIGO NO EVANGELHO. É de conhecimento comum, que Timóteo era um dos auxiliares de Paulo em suas campanhas missionárias no mundo gentílico, por onde pregava as boas novas do evangelho libertador do Senhor Jesus. Com isso, é certo afirmar que Timóteo também cooperou com Paulo, não somente na fundação da igreja de Cristo na cidade de Filipos, mais que esteve com o apostolo em outras tantas oportunidade naquela igreja, pregando a palavra de Deus e cuidando dos interesses daquela comunidade. Timóteo servia e cooperava com Paulo em seu ministério.

COMO FILHO AO PAI. Essa frase nos faz defender que Timóteo era de fato um filho na fé de Paulo, e que havia um respeito mutuou entre ambos em tudo, principalmente no tocante a vida cristã. Eles eram muito mais do que companheiros de ministério, ou amigos pessoais, eles se consideravam como pai e filho. Timóteo não servia a Paulo por dinheiro, nem para ganhar fama ou posição, mas ele cooperava com o apostolo por amor e se dedicava como se fosse filho mesmo de Paulo. Até por reconhecimento da importância que o apostolo tinha na edificação de sua fé.

DE SORTE QUE ESPERO VO-LO ENVIAR. Como Paulo não dependia da igreja para exercer suas atividades missionárias, porque ele trabalhava com suas próprias mãos para não depender de ninguém. Mas agora se encontrava preso, as provisões se tornavam escassas e só a intervenção de Deus para que ele pudesse enviar Timóteo para representá-lo em Filipos. O seu desejo era assim o fazê-lo, mas dependia de um milagre para que isso viesse a se concretizar, milagre esse que sempre acontecia.

LOGO QUE TENHA PROVIDO. O apostolo estava passando um momento muito difícil em seu ministério, pois se encontrava como prisioneiro do império romano. Com isso ele precisava muito dos seus amigos por perto para suprir as suas necessidades. E Timóteo estava sempre que possível lhe servindo pessoalmente na prisão, além de o representar em viagens por todas as igrejas fundadas por Paulo no mundo gentílico.

A MEUS NEGÓCIOS. O apostolo por se encontra preso contava com o apoio de Timóteo, que era um dos seus amigos mais próximos, e que também era um dos seus cooperadores de grande confiabilidade. Timóteo passou a ser neste caso um representante autorizado de Paulo para representá-lo diante das igrejas fundadas, pelo missionário Paulo . Além é claro de cuidar dos negócios pessoas de Paulo, bem como de acompanhar o seu caso perante as autoridades romanas do império.

Filipenses 2:20-21

Filipenses 2:20-21 - Porque a ninguém tenho de igual sentimento, que sinceramente cuide do vosso estado. Porque todos buscam o que é seu, e não o que é de Cristo Jesus.
PORQUE A NINGUÉM TENHO DE IGUAL SENTIMENTO. Paulo considerava Timóteo como seu filho na fé, apesar da mãe e da avó de Timóteo terem cuidado de ensiná-lo desde a mais tenra idade, sobre a cultura religiosa dos Judeus. O autor conhecia de perto este jovem ministro, até porque era um dos seus auxiliares direto, não somente em seu ministério, mas em suas viagens missionárias. O escritor não somente conhecia as ações de Timóteo em fazer o que fosse possível pela igreja de Cristo em Filipos, mais sabia das suas intenções, que eram as melhores possíveis.

QUE SINCERAMENTE CUIDE. Neste mesmo tempo, havia os judaizantes penetras e os falsos mestres gnósticos, que se infiltravam no meio da comunidade cristã, para usarem de subterfúgios e enganarem os duvidosos na fé. Mas com Timóteo era diferente, até porque, ele era um jovem ministro do evangelho, aprovado em seus trabalhos em prol do reino de Cristo, além do mais era amigo pessoal de Paulo e seu cooperador de inteira confiança. O apostolo estava designado Timóteo para cuidar dos interesses da igreja de Cristo, na cidade de Filipos, porque confiava nele.

DO VOSSO ESTADO. A igreja de Cristo naquela cidade estava passando por uma série de dificuldades, tanto espirituais quanto sociais. E quando se fala sobre os problemas espirituais, ficamos sabendo que uma boa parte dos líderes locais daquela igreja, só estavam pensando e agindo em causa própria, e não no conjunto de todos aqueles que faziam parte do corpo de Cristo, que é a igreja. Já em se tratando das adversidades sociais que enfrentava aquela igreja, podemos conjecturar sobre as perseguições que os opositores do cristianismo manifestavam contra a igreja de Cristo.

PORQUE TODOS BUSCAM. O autor se refere às atividades de todos os que faziam parte daquela igreja, e principalmente os seus líderes locais. Percebe-se que, muitos dos que ocupavam cargos no ministério estavam se deslocando em outras direções diferentes, e não em buscarem o reino de Deus em primeiro lugar e as coisas que são de cima. Diante das perseguições e do perigo por servir a Cristo, muitos estavam abandonando a obra de Cristo para voltarem as suas atividades pessoais. Ao que tudo indica, estava havendo muitos casos de apostasia e desvios dos cristãos.

O QUE É SEU. Não há nada de errado em alguém se interessar por adquirir bens matérias, até porque a vontade de Deus é de que os seus filhos sejam abençoados e vivam bem. O que não se espera de alguém que serve a Cristo é que, este alguém tenha como prioridade de vida as coisas materiais em detrimento das coisas espirituais. Os remidos são ensinados á “amar a Deus” acima de qualquer coisa.

E NÃO O QUE É DE CRISTO JESUS. Em Filipos estava acontecendo o contrário, porque ficamos sabendo por meio deste texto e outros, que os seguidores do evangelho estavam desprezando as coisas do reino de Cristo pelas coisas matérias e pelos seus interesses pessoais. Quem tem uma chamada específica para o ministério do evangelho de Cristo, não pode, nem deve recuar, mas deve cumprir sua missão.

quinta-feira, 12 de março de 2015

Filipenses 2:19

Filipenses 2:19 - E espero no Senhor Jesus que em breve vos mandarei Timóteo, para que também eu esteja de bom ânimo, sabendo dos vossos negócios.
E ESPERO. Conforme a tradição cristã, Paulo foi o fundador, não somente desta igreja para a qual ele estava escrevendo, mais também, de muitas outras. Participou ativamente e contribuiu pessoalmente para seu surgimento e desenvolvimento. Mesmo em viagens missionárias por outros lugares do mundo gentílico, mas sempre que possível estava presente com os irmãos em Filipos. Mas agora, como se encontrava preso, não tinha como visitar aquela igreja. Essa palavra usada por Paulo faz alguns acreditarem de que, ele ainda tinha esperança de retornar aquela igreja.

NO SENHOR JESUS. Essa era uma questão de fé, que o autor tinha no Senhor Jesus, porque sua vida e atividades dependiam completamente do agir de Cristo em seu favor. “No Senhor” é uma expressão que nos declara o Senhorio absoluto de Cristo, sobre tudo e sobre todos. O Senhor Jesus reina sobre tudo e o seu domínio e governo não tem fim. Já o nome próprio “Jesus”, quer dizer: Aquele que veio para salvar o seu povo dos seus pecados. Ele ficou sendo conhecido como sendo Jesus de Nazaré, que por sua vez era o Messias prometido por Deus desde a antiguidade.

QUE EM BREVE VOS MANDAREI. A esperança de Paulo no Senhor Jesus era de que, em breve ele enviaria missionários para saber do que estava ocorrendo na igreja que estava na cidade de Filipos. Quando Paulo estava em viagens missionárias em outros lugares do mundo, e que se encontrava envolvido com um campo missionário, ele costumava enviar seus auxiliares em missões nas igrejas, para tomar conhecimento do estado espiritual de cada comunidade cristã. Neste caso, ele se encontrava preso, portanto, precisava saber das coisas que estavam ocorrendo na igreja de Cristo em Filipos.

TIMÓTEO. Era filha de mãe judia, porem, de pai gentio. Vinha sendo instruído nas Sagradas Escrituras dos Judeus desde muito jovem, pela sua mãe Eunice e a sua avó Loide. Mas nunca se tornou em um convertido ao judaísmo, razão porque ainda era incircunciso quando foi encontrado por Paulo. Ele era nativo de Lista e não de Derbe, como alguns costumam afirmar. Ao se tornar um pouco mais maduro na fé, foi consagrado ao ministério por se notabilizar como pregador do evangelho. Além de ter o dom profético, ao que tudo indica se tornou uma das principais lideranças na igreja em Éfeso.

PARA QUE EU ESTEJA DE BOM ÂNIMO. Rumores contrários andavam circulando, a respeito das divisões que estavam ocorrendo na igreja de Filipos, e ao que tudo indica, isto estava roubando a tranquilidade de Paulo, até porque, ele tinha cuidado das igrejas por ele fundadas, e em especial a igreja de Filipos. E ele desejava enviar seu amigo Timóteo para desfazer os maus rumores e testificar de que tudo estava bem naquela igreja. Era justamente o que o apostolo esperava, era de que as coisas por lá estivessem como ele desejava, para que pudesse ficar tranquilo e sossegado.

SABENDO DOS VOSSOS NEGÓCIOS. Ainda que por muitas vezes ausente, porque ele era mais um missionário cristão, do que um líder local. Mas Paulo procurava de todas as formas, fazer o acompanhamento do que ocorria com as igrejas por ele fundadas. Era do seu interesse buscar saber dos fatos, que aconteciam em todas as igrejas.

quarta-feira, 11 de março de 2015

Filipenses 2:17-18

Filipenses 2:17-18 - E, ainda que seja oferecido por libação sobre o sacrifício e serviço da vossa fé, folgo e me regozijo com todos vós. E vós também regozijai-vos e alegrai-vos comigo por isto mesmo.
E, AINDA QUE SEJA OFERECIDO. No texto anterior Paulo espera dos seus leitores, que ele não tenha se dedicado e trabalhado tanto em vão por aquela igreja. Agora, ele reforça o seu argumento de que, tinha valido apena sofrer, e até ser sacrificado se necessário fosse, pelos seguidores de Cristo em Filipos. Neste mesmo tempo, muitos dos líderes do cristianismo estavam sendo perseguidos e mortos pelo fato de defenderem aos princípios do evangelho das boas novas. O próprio Cristo foi um exemplo disto, bem como quase todos os apóstolos do Senhor Jesus, e ainda em grande parte os missionários que anunciava a salvação e vida eterna em Cristo Jesus.

POR LIBAÇÃO SOBRE O SACRIFÍCIO. Essa era uma figura de linguagem usada na época, para representar as formas mais cruéis de torturas que os cristãos tinham que passar nas mãos dos opositores do evangelho, principalmente do império romano, que estava sendo usado pelo reino das trevas para tentar barrar o crescimento e expansão do cristianismo na terra. Sem falar que uma grande parte dos mártires do cristianismo foram queimados vivos em fogueiras acessas, para satisfazer o prazer dos inimigos de Cristo em seus apetites maléficos de maldade.

E SERVIÇO DA VOSSA FÉ. As grandes perseguições e os massacres que todos os cristãos primitivos vinham passando, eram por conta da nova fé que agora seguiam. Era uma questão de vingança mesmos, dos líderes Judeus, dos falsos mestres gnósticos, dos chefes religiosos das religiões pagas, e principalmente do império romana tentarem deter o crescimento da religião de Cristo, o cristianismo, no mundo. De forma que, todos os novos convertidos que confessassem sua fé em Jesus de Nazaré, como sendo o Messias de Deus, estavam sujeitos a serem sacrificados e mortos pela sua fé no Filho de Deus. Ter fé em Jesus era motivo de perseguição e até morte.

FOLGO E ME REGOZIJO COM TODOS VÓS. Passando na mente e nos pensamentos de Paulo, o nome e a imagem de cada um dos que faziam parte da igreja de Cristo em Filipos, ele abre o coração para esboçar sua alegria pelo fato de está sofrendo perseguição e prisão por todos eles. O fato de está preso na capital do império por defender a fé que uma vez foi dada aos santos, não era motivo de tristeza ao o apóstolo, porque ele sabia em quem tinha crido, e também era consciente da grande obra que havia já realizado em prol do evangelho de Cristo, tendo como exemplo suas atividades evangelísticas em Filipos e por toda aquela região.

E VÓS TAMBÉM REGOZIJAI-VOS. Paulo desejava que todos os irmãos daquela igreja, também sentissem o mesmo gozo e prazer que ele sentia por ser perseguido, ainda que injustamente, por amor a fé do povo de Deus. Nada de tristeza nem amargura.

E ALEGRAI-VOS COMIGO POR ISSO MESMO. A prisão do líder daquela igreja, no caso, o apóstolo Paulo, não devia ser motivos de desespero para os que faziam parte da igreja de Cristo em Filipos. O próprio Paulo já havia confirmado em todas as igrejas, por onde passava, que já havia cumprido sua missão nesta dimensão da vida.

terça-feira, 10 de março de 2015

Filipenses 2:16

Filipenses 2:16 - Retendo a palavra da vida, para que no dia de Cristo possa gloriar-me de não ter corrido nem trabalhado em vão.
RETENDO A PALAVRA. E continuam os conselhos práticos do pai na fé da igreja de Cristo em Filipos, demonstrando sua preocupação, não somente com o momento em que estava vivenciando aquela comunidade cristã, mas olhando também para o seu futuro, numa perspectiva do dia da volta de Cristo para buscar a sua igreja. O autor deseja efetivamente que os seus leitores se dedicassem em guardar a palavra que eles tinham ouvido de sua própria boca, bem como tudo sobre o evangelho da esperança.

DA VIDA. A exortação do apóstolo era de que, a igreja de Filipos não desprezasse os ensinos do evangelho que eles já haviam recebido da parte do Espírito Santo de Deus, seja por meio da pregação ou dos escritos do Novo Testamento que já estavam circulando entre as igrejas. Esta palavra da vida, diz respeito aos ensinos cristãos transmitidos pelo próprio Cristo, quando ainda estava cumprindo o seu ministério como Messias enviado de Deus, ou os ensinos transmitidos pelos apóstolos de Cristo.

PARA QUE. Se os líderes da igreja de Filipos, bem como todos que faziam parte da igreja de Cristo naquele lugar se aplicassem em praticar todos os ensinos já recebidos sobre as doutrinas cristãs, que tinham como objetivo preparar o povo de Deus para o mais importante da história da igreja de Cristo, que era justamente o dia da volta do Cristo de Deus, Rei dos reis e Senhor dos senhores. Não seria em vão os irmãos daquela igreja se guardarem das corrupções do mundo perverso, pois o objetivo final e o resultado disto tudo era serem transformados, no dia da volta do Filho de Deus.

NO DIA DE CRISTO. Neste ponto do evangelho das boas novas, o dia de Cristo, diz respeito ao dia da volta de Cristo para arrebatar a sua igreja, que ele comprou com o seu sacrifício expiatório da cruz do calvário. Os escritores do Novo Testamento não tinham noção do hiato de tempo que haveria entre a ascensão de Cristo e o dia da sua volta para buscar os redimidos, é tanto que já se passaram mais de dois mil anos. No entanto, esta mesma esperança permanece em nós sobre este grande dia.

POSSA GLORIAR-ME. Esta é de fato uma grande declaração de amor e afeto, do apóstolo pelos remidos de Cristo. O seu grande desejo era poder saber que seu trabalho em prol daquela igreja teria resultado positivo. A sua glória era poder ver que aquela igreja estava pronta para o grande dia da volta de Cristo, porque as suas atividades naquele campo missionária não teriam sido em vão.

DE NÃO TER CORRIDO. Se Jesus voltasse naquele momento da história da igreja, e os irmãos de Filipos não estivessem dignos de participar do arrebatamento, seria uma decepção para Paulo. Correr neste caso representa a dedicação e o esforço de Paulo, em pregar as boas novas do evangelho, naquela cidade.

NEM TRABALHADO EM VÃO. Não foi fácil para o missionário desbravar aquele campo missionário, nem tão pouco teria sido fácil manter viva aquela igreja em um mundo gentil e pagão. Foi necessário muito trabalho, dedicação e esforço para fundar aquela igreja. Seria muito triste para o apóstolo ver que suas labutas pelo bem daquela obra teria sido em vão. Trabalhos e fadigas foram empregados naquela cidade pelo apóstolo, em prol daquela igreja.

Filipenses 2:14-15

Filipenses 2:14-15 - Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas. Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo.
FAZEI TODAS AS COISAS SEM MURMURAÇÃO. Neste ponto de sua carta, ao que tudo indica, Paulo esta se dirigindo aos obreiros locais, que faziam a obra de Deus naquela comunidade cristã de Filipos. O próprio Cristo deu o maior exemplo de como se deve fazer as coisas pelo reino de Deus, quando ele fez tudo por amor a causa do Pai, sem esperar recompensas financeiras pelo seu trabalho. Assim também procedeu, o apóstolo Paulo, ele que não aceitava salários da parte da igreja para fazer a obra missionária. Paulo trabalhava com as próprias mãos para não depender da igreja.

NEM CONTENDAS. Certamente o autor tinha conhecimento de algumas questões vividas pelos líderes da igreja me Filipos, no que diz respeito às divisões e brigas que ocorriam entre os que faziam parte do ministério. Ao que tudo indica havia uma disputa por cargos e posição entre os que ocupavam o ministério local. Nestes últimos dias, verdadeiras batalhas se tem travado entre os que fazem parte do ministério de cada denominação, sem falar nas guerras de interesses, que se percebem entre um ministério e outro de igrejas diferentes, o que Paulo chama de contendas.

PARA QUE SEJAIS IRREPREENSÍVEIS E SINCEROS. O que o escritor esperava dos seus leitores era de que eles se apresentassem como bons exemplos de ministros do evangelho do Senhor Jesus, principalmente quem ocupava posição de destaque perante a igreja de Cristo. A qualidade exigida pelo autor de irrepreensível, não significava que eles fossem perfeitos, mas que dessem bons exemplos dignos de obreiros que faziam com dedicação e sinceridade o obra de Cristo naquela cidade.

FILHOS DE DEUS INCULPÁVEIS. A expressão, filhos de Deus, no arcabouço do evangelho das boas novas é uma das designações para classificarem aqueles que fazem parte da igreja de Cristo. Representando todos aqueles que receberam em suas vidas a Cristo Jesus como Senhor e Salvador, conforme se verifica em João 1:11 – Mas, a todos quanto o receberam deu-lhes o direito de se fazerem filhos de Deus, aos que creem no nome de Jesus. Inculpáveis, sem motivos de repreensão ou culpa.

NO MEIO DE UMA GERAÇÃO CORROMPIDA E PERVERSA. Essa é a geração daqueles que são ateus, confessos ou não, dos incrédulos e dos ímpios e de todos aqueles que se mantém no sentimento de rebelião e apostasia contra o Deus Criador de todas as coisas e o seu Cristo. São corrompidos porque não temem a Deus, vivem ao bel prazer, sem assumirem a responsabilidade de que vão prestar conta dos seus atos. E é uma geração perversa porque fazem qualquer coisa para prejudicar os outros.

ENTRE A QUAL RESPLANDECEIS COMO ASTROS NO MUNDO. Malaquias 3:18 – Então, outra vez vereis a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que não o serve. O conselho do fundador daquela igreja, o apóstolo dos gentios, Paulo, era de que os irmãos de Filipos cumprissem esta palavra escrita pelo mensageiro de Deus, sobre a diferença entre os servos de Deus e aqueles que viviam na mais louca alienação dos mandamentos de Cristo. Disse Jesus: Vós sois a luz do mundo.

segunda-feira, 9 de março de 2015

Filipenses 2:13

Filipenses 2:13 - Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade.
PORQUE DEUS. Tudo em nossa vida tem o dedo de Deus, ou seja, sua intervenção em ação para o nosso bem e felicidade. Esse Deus a quem se refere o autor, não é um deus de madeira, nem de gesso nem de porcelana ou qualquer outro material perecível, como os deuses dos pagãos. Esse Deus a quem se reporta o apóstolo, diz respeito ao Deus único e verdadeiro, Criador de todas as coisas, aquele que não só criou tudo aquilo que existe, mas que intervém, nos eventos importantes, ou não, para demonstrar que ele é o governante universal. E principalmente, ele intervém na história dos seres humanos para provar que ele existe, e que domina sobre tudo e sobre todos.

É O QUE OPERA. Certamente, o autor se reporta a forma misericordiosa em que o Deus de Israel se movimenta em direção do seu povo, para realizar coisas benéficas sempre, em prol daqueles que vivem buscando o seu reino em primeiro lugar. Todos aqueles que um dia nasceram de novo, assim o fizeram pela intervenção de Deus, que derrama sobre a vida do homem o seu Santo Espírito, ele que realiza este novo nascimento. A regeneração não é produto da vontade humana somente, mas é o efeito poderoso do evangelho de Deus, que tem o poder de transformar vidas.

EM VÓS. O homem entra com a fé, o arrependimento e a vontade de servir a Deus, e o resto da aliança é com Deus por Cristo Jesus. Isso porque o homem foi criado para servir ao seu Criador, isto é, quando ele corresponde à chamada de Deus. Cristo disse; Não me escolhestes vós a mim, mas eu escolhi a vós, e vos nomeei (João 15:16). Neste ponto, entende-se que há uma intervenção direta da parte de Cristo, no fato de alguém o servir como seu discípulo. Já em outra parte, a palavra de Deus nos ensina que somos ovelhas de Deus, não por escolha pessoal, mas porque ele quem nos fez povo seu, e ovelhas do seu pasto (Salmos 100:3).

TANTO O QUERER. A partir do momento que alguém se torna uma nova criatura em Cristo Jesus (2 Coríntios 5:17 - Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo), essa pessoa não mais tem vontade própria, porque passa a ser guiada pelo Espírito de Deus (Romanos 8:14 – Porque todos que são guiados pelo Espírito de Deus, estes são filhos de Deus). A partir do momento que alguém faz uma aliança de fidelidade com Cristo, essa pessoa passa a renunciar as coisas que desagradam a Deus para buscar as coisas que são de cima. Não é que a pessoa perca o livre arbítrio, mas essa pessoa passa a ter domínio próprio.

COMO O EFETUAR. No centro da vontade de Deus, essa nova criatura passar a praticar (dentro do possível) tudo aquilo que está de conformidade com o evangelho de Cristo Jesus. É o que Paulo disse: Não mais vivo eu, mas Cristo vive em mim, e a vida que agora vivo no corpo, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou por mim.

SEGUNDO A SUA BOA VONTADE. Esta boa vontade, não é do homem, mas sim de Deus. Quando alguém entrega sua vida e destino aos cuidados de Deus, este alguém passa a ser guiador pela boa vontade de Deus, e isso significa dizer que, o Senhor leva tal pessoa por caminhos de vitórias, porque a boa vontade de Deus em nossas vidas é justamente nos abençoar ricamente em tudo. A vontade de Deus é sempre boa.

domingo, 8 de março de 2015

Filipenses 2:12

Filipenses 2:12 - De sorte que, meus amados, assim como sempre obedecestes, não só na minha presença, mas muito mais agora na minha ausência, assim também operai a vossa salvação com temor e tremor.
DE SORTE QUE, MEUS AMADOS. Essa frase, de sorte que, representa uma mudança do assunto que o autor vinha descrevendo para os seus leitores. Nos textos anteriores, ele ensinou sobre como Cristo se tornou o Senhor de tudo e de todos. Mas, a partir de então, Paulo começa a dar alguns conselhos sobre as doutrinas do evangelho de Cristo. E a expressão, meus amados, nos ensina sobre o tratamento amoroso em que o apóstolo costumava dirigir aos líderes, das igrejas por ele fundadas, como também das igrejas espalhadas no mundo gentílico. Sem falar que o amor fraternal era o cumprimento do segundo mandamento da legislação de Cristo.

ASSIM COMO SEMPRE OBEDECESTES. Os cristãos de Filipos eram servos de Cristo que tinham prazer em obedecer aos ensinos de Cristo, bem como aos decretos dos apóstolos, principalmente tudo aquilo que Paulo, como missionário de Cristo aos gentios, lhes havia transmitido. Essa igreja, para a qual Paulo estava escrevendo ficou sendo conhecida, como uma igreja fiel aos ensinos contidos nos estatutos, da nova aliança de Deus com a humanidade, por meio de seu Filho Jesus. Mesmo em meio as muitas perseguições que eles tiveram que enfrentar foram em tudo fieis.

NÃO SÓ NA MINHA PRESENÇA. Paulo, não só foi o fundador principal daquela igreja na cidade de Filipos, mas em seus primeiros momentos, se deixou se gastar exaustivamente em ensinar aos seguidores de Cristo naquela comunidade, os caminhos do reino de Deus. Além do mais, mesmo em viagem missionárias, sempre que possível retornava ao seio daquela igreja para saber do estado espiritual em que os irmãos se encontravam. Filipos era uma cidade estratégica, para que o apóstolo fizesse missões naquela região circunvizinha, anunciando o evangelho de Cristo.

MAS MUITO MAIS AGORA, NA MINHA AUSÊNCIA. Conforme ao que tudo indica, e de acordo com a tradição cristã, Paulo se encontrava preso em Roma, quando escreveu esta carta, a igreja de Cristo que estava em Filipos, é tanto que esta carta é conhecida como a epístola da prisão de Paulo. E como prisioneiro do império romano, ele não tinha como está presente naquela igreja. Mas mesmo assim, esperava que os remidos de Cristo naquele lugar, honrassem os compromissos deles com Cristo e o seu reino, obedecendo aos ensinos que eles já haviam recebido do evangelho.

ASSIM TAMBÉM OPERAI A VOSSA SALVAÇÃO COM TEMOR E TREMOR. Por conta das intensas perseguições que aquela igreja estava passando, a preocupação do apostolo era de que alguns viessem a apostatar da fé, eis a razão porque ele recomenda que todos fossem prudentes, em não rejeitarem a salvação em Cristo Jesus. Para tanto, se fazia necessário olhar com temor e tremor para todas as verdades que eles já conheciam, a fim de não recuarem os mandamentos que já havia recebido.