Pesquisar este blog

domingo, 31 de maio de 2015

Colossenses 4:8

Colossenses 4:8 - O qual vos enviei para o mesmo fim, para que saiba do vosso estado e console os vossos corações.
O QUAL. O apóstolo está se referindo a Tíquico, seu conservo, seu auxiliar, seu cooperador, seu amigo e seu companheiro de ministério. Tíquico era um servo de Jesus Cristo que estava a serviço do reino de Deus e de Cristo, mas que também estava a serviço do ministério de Paulo, principalmente neste momento em que o apóstolo se encontrava preso. Ele era de fato uma pessoa de confiança de Paulo, por isso que era um dos seus cooperadores na obra de Cristo, além de ser seu amigo.

VOS ENVIEI. Não se sabe ao certo onde o apóstolo se encontrava preso neste momento de seu ministério, se em Éfeso, ou na capital do império, Roma. O certo é que o autor desta carta se encontrava encarcerado e não podia, portanto, realizar pessoalmente suas viagens missionárias e ministeriais para visitar as igrejas. O apóstolo ainda não era conhecido de vista dos irmãos de Colossos, mas, há quem diga que seu planejamento era visitar aquela igreja, como não podia agora, enviou Tíquico.

PARA O MESMO FIM. A viagem de Tíquico para representar o apóstolo na igreja que estava na cidade de Colossos tinha seus objetivos bem definidos. Como enviado, e portanto, representando Paulo, Tíquico resolveria em nome de Paulo os mesmos problemas como se fosse o próprio apóstolo em pessoa. Tíquico tinha carta branca da parte de Paulo para tomar as decisões que lhe bem entendesse tomar, até porque ele estava investido da autoridade de apóstolo, porque era comissionado de Paulo.

PARA QUE SAIBA. Nesta frase, o autor nos dá a entender que Tíquico, como um enviado da parte de Paulo e, portanto, como um supervisor no lugar do apóstolo levava consigo a missão de fazer um monitoramento e trazer de volta um relatório de como as coisas estavam se dando na igreja de Colossos. Tíquico seria de fato, os olhos de Paulo naquela missão, no sentido de manter o apóstolo bem infirmado.

DO VOSSO ESTADO. O teor desta carta já nos dá a entender de que boa parte do que estava acontecendo na igreja de Colossos já era do conhecimento do apóstolo, no entanto, o escritor quer saber mais de tudo que estava se dando naquela comunidade cristã, principalmente os últimos fatos. Ele queria saber de tudo.
E CONSOLE. Além do monitoramento que Tíquico devia fazer dos novos fatos que se dava na igreja de Colossos, ele também levava consigo a missão de consolar a igreja de Cristo naquele lugar com as boas novas de Cristo, e o que ele estava realizando. Como também o apóstolo deseja levar ao conhecimento de todos que ele estava bem.

OS VOSSOS CORAÇÕES. Não somente a igreja de Cristo na cidade de Colossos, mas todas as igrejas já fundadas neste tempo estavam passando por momentos de tribulações, perseguições e muitos dos cristãos sendo presos e mortos por causa do evangelho. A mensagem de conforto levada por Tíquico certamente seria um balsamo para o coração dos leitores de Paulo.

sábado, 30 de maio de 2015

Colossenses 4:7

Colossenses 4:7 - Tíquico, irmão amado e fiel ministro, e conservo no SENHOR, vos fará saber o meu estado.
TÍQUICO. Este nome tem alguns significados, entre eles: Aquele que nasceu por sorte, e neste caso, pode ser que o seu nascimento teve lá suas complicações, razão porque os seus pais lhe colocaram esse nome, porque ele nasceu por um milagre. Mas este nome também pode significar “afortunado” ou alguém de muita sorte, e se assim o é, deve-se ao fato de que ele teve muita sorte mesmo em sua vida por ter tido um encontro com Cristo. Por fim, esse nome também pode significar “fortuito” ou alguém que chega de mansinho como quem não quer, mas querendo.

IRMÃO AMADO. Apesar de Paulo neste tempo ser um grande e importante líder da igreja primitiva no mundo gentílico, ele não se considerava superior aos seus amigos e cooperadores de ministério, quando em seus escritos os chama de irmãos. Todos aqueles que recebem a Cristo como Senhor e Salvador são classificados de Filhos de Deus (João 1:12), e portanto, irmãos uns dos outros, por pertencerem a família de Deus. Quanto ao fato de o apóstolo chamar Tíquico de “amado”, isso lhe era peculiar, pela forma amorosa em que o apóstolo tratava seus amigos de ministério.

E FIEL MINISTRO. Desde o início do cristianismo que muitos se portaram pelo sentimento de traição e infidelidade dentro do ministério do cristianismo, como foi o caso de Judas Iscariotes com Cristo. No caso dos apóstolos também não foi diferente, e certamente com Paulo não poderia ser. No entanto, Paulo teve o privilégio de encontrar um fiel amigo e companheiro de ministério, que foi Tíquico, ele que era uma pessoa de confiança do apóstolo, companheiro de viagens e por muitas vezes cumpriu missões importantes de visitas as igrejas enviado por Paulo.

CONSERVO. Esta palavra pode ser melhor compreendida como sendo “auxiliar” ou alguém que está a disposição de outrem para o representar de forma oficial. Neste caso, Tíquico era um dos cooperadores de Paulo quando este não podia visitar as igrejas por ele fundadas ou supervisionadas, de forma que como seu auxiliar de confiança o representava nas missões por Paulo determinadas. Neste caso do texto hora a que estamos comentando, o apóstolo estava preso e não podia viajar para visitar a igreja de Cristo que estava em Colossos, portanto, estava enviando Tíquico.

DO SENHOR. Além de ser cooperador e auxiliar de Paulo, o grande missionário dos gentios, Tíquico era acima de tudo, um fiel ministro e servo de Cristo Jesus, o Senhor de Paulo, da igreja e também de Tíquico, que era conservo de Paulo e servo de Cristo.

VOS FARÁ SABER O MEU ESTADO. Apesar de se encontrar preso por pregar o evangelho das boas novas de Cristo, o apóstolo se importava de fato com tudo que acontecia com as igrejas de Cristo no mundo gentílico. De forma que ele procurava saber o estado de cada igreja e também lhes infirmava a sua situação de momento, como neste caso, estava enviando alguém para falar sobre o que ele estava passando neste instante.

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Colossenses 4:6

Colossenses 4:6 - A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um.
A VOSSA PALAVRA. Em textos anteriores o autor havia escrito sobre o comportamento de cada um daqueles que seguem o verdadeiro cristianismo, por meio dos seus atos, ações e obras. Agora, ele começa este versículo escrevendo sobre o modo de falar dos representantes do reino de Cristo, e que faziam parte da igreja do Deus vivo em colossos. Certamente, o escritor tinha em mente especificamente todos aqueles que eram pregadores do evangelho do Senhor Jesus, como embaixadores de Deus.

SEJA SEMPRE AGRADÁVEL. Essa frase nos remete a escrever de que muitos dos que se dizem pregadores do evangelho nos dias de hoje precisam aprender com o significado desta expressão da palavra de Deus. Isto porque, verdadeiros campos de batalhas têm se travado nas atividades evangelísticas das igrejas, no sentido de, atacarem com palavras agressivas os ouvintes do evangelho de Cristo. Quando se diz que o evangelho da graça significa “boas novas” é porque ele deve ser agradável para ser ouvido.

TEMPERADA COM SAL. Essa é uma metáfora usada pelo autor para representar uma linguagem simbólica com alguns significados importantes. O sal é o melhor tempero de um alimento, sem ele, quase todas as comidas perdem o seu sabor. A mensagem do evangelho transmitida pelos pregadores tem que ter efeito na vida daqueles que são ouvintes das boas novas do evangelho. E o conteúdo transmitido pelos mensageiros do reino de Deus deve causar mudança no perfil daqueles que ouvem a palavra de Deus.

PARA QUE SAIBAIS. O que o escritor tenciona escrever para os seus leitores é de que eles precisam agir com sabedoria em todos os momentos em que transmitem o evangelho para que possam ter a certeza de que estão semeando as boas novas da nova aliança pela sabedoria que vem do alto, e não meramente com a sabedoria humana. O pregador do evangelho tem que ter consciência do que está transmitindo.

COMO CONVÉM. Não adiante pregar, simplesmente por pregar, e é justamente o que o apóstolo tenta alertar para os irmãos da igreja de Colossos. A pregação consciente é aquela que o mensageiro se prepara por meio de oração, consagração, meditação e estudo da palavra de Deus. Quem não se prepara para pregar o evangelho da graça, termina por improviso sendo agressor dos seus ouvintes.

RESPONDER. Como já dizem os pensadores da teologia, os seguidores de Cristo são a bíblia daqueles que ainda não se converteram ao verdadeiro cristianismo. Os incrédulos, por não darem crédito à palavra de Deus, eles não buscam crescer no conhecimento do Senhor, por não lerem a bíblia. Mas quando se sentem curiosos sobre as coisas de Deus procuram os cristãos para tirarem suas dúvidas.

A CADA UM. Não existe resposta pronta, nem passe de mágica para as perguntas feitas pelos curiosos da palavra de Deus. Cada pessoa e cada pergunta que são feitas merecem uma resposta diferente, até porque de todos que buscam suas respostas, cada um precisa de uma palavra que satisfaça sua curiosidade pessoal. Por isso que os seguidores de Cristo tem que estarem preparados para darem a resposta certa.

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Colossenses 4:4-5

Colossenses 4:4-5 - Para que o manifeste como me convém falar. Andai com sabedoria para com os que estão de fora, remindo o tempo.
PARA QUE. Nos textos anteriores o escritor sugere que os irmãos da igreja de Colossos perseverem em oração, e ao mesmo tempo solicita que eles se ponham de joelhos e exerçam o ministério de intercessão em seu favor para que Deus abra a porta da palavra. Para isso é que Paulo foi chamado por Cristo quando teve o seu encontro pessoal com o Cristo de Deus no caminho de Damasco, justamente para ser um anunciador do evangelho das boas novas de Cristo no mundo gentílico.

O MANIFESTE. Um estudo criterioso da vida e obra feita pelo grande apóstolo dos gentios nos faz ver que Paulo dedicou suas atividades em pregar o evangelho da nova aliança para aqueles que ainda não conheciam o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, bem como se empenhou efetivamente em ensinar nas igrejas por ele fundadas e por onde passava sobre a nova dispensação da graça implantada por Cristo, como sendo a nova aliança de Deus com a humanidade por meio de Cristo.

COMO ME CONVÉM FALAR. O missionário não desejava expor simplesmente sua sabedoria humana na divulgação das boas novas do evangelho de Cristo, mas o seu desejo era justamente executar o plano de Deus falando apenas e tão somente aquilo que era da vontade do Senhor seu Deus mediante a direção e orientação do Espírito Santo. Tanto as autoridades romanas como os líderes religiosos das demais religiões viviam a observar o apóstolo no que ele pregava para ter do que o acusar.

ANDAI. Neste ponto, o autor usa de uma metáfora para ensinar aos cristãos de Colossos de como deviam se portar perante a sociedade como representantes do reino de Deus e seguidores do Senhor Jesus. Este “andar” sobre o qual o escritor se refere, diz respeito a maneira em como deve o seguidor do verdadeiro cristianismo viver diante dos seus familiares, amigos e conhecidos, bem como eles devem se comportar quando forem pregar o evangelho de Cristo, seja por meio da pregação ou do testemunho.

COM SABEDORIA. Aquele que prega as boas novas do evangelho simples do Senhor Jesus, não deve se vangloriar da sabedoria humana de que possui, mas deve sim buscar se encher da sabedoria que vem do alto, pela presença e manifestação do Espírito Santo em sua vida na pregação ou ensino. Quem convence o pecador de suas culpas perante a justiça divina, não é um discurso bem elaborado nem uma retórica com palavras eloquentes, mas sim o poder do Espírito Santo na vida de quem prega.

PARA COM OS QUE ESTÃO DE FORA. Uma coisa é ensinar sobre as coisas do reino dos céus para a igreja do Senhor Jesus, e outra é pregar as boas novas do evangelho da graça para aquelas pessoas que ainda não são convertidas ou regeneradas. Portanto, faz-se necessário que os evangelistas natos se monitorem sobre o que hão de pregar para os não convertidos, a fim de pregarem apenas o evangelho de Cristo.

REMINDO O TEMPO. Essa frase pode ser interpretada de várias maneiras, primeiro podes ser que o autor esteja recomendando que os seus leitores preguem sobre que os tempos já estão no fim, ou que eles preguem apena o essencial para os incrédulos.

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Colossenses 4:2-3

Colossenses 4:2-3 - Perseverai em oração, velando nela com ação de graças. Orando também juntamente por nós, para que Deus nos abra a porta da palavra, a fim de falarmos do mistério de Cristo, pelo qual estou também preso.
PERSEVERAI EM ORAÇÃO. A oração do povo de Deus era um costume antigo, que começou em forma de adoração com o povo de Israel, por meio de Abraão, Isaque e Jacó e que teve seu procedimento por meio daqueles que permaneceram fieis ao Deus de Israel, como seguidores do judaísmo. Com a igreja de Cristo não foi diferente, os seguidores de Cristo deram continuidade a esta prática, por meio da adoração a Deus Pai, Filho e Espírito Santo. A igreja de Cristo deveria perseverar em oração a Deus.

VELANDO NELA COM AÇÃO DE GRAÇAS. Uma outra prática que a igreja de Cristo herdou do judaísmo como algo justo e bom foi justamente as ações de graças, também como forma de adoração por meio das orações e de celebrações específicas para tais finalidades. As orações da igreja de Cristo, que estava na cidade de Colossos deveriam ser acompanhadas de ações de graças, dirigidas a Deus pelos benefícios recebidos e pelas bênçãos alcançadas, da parte do Deus de bondade e beneficência.

ORANDO TAMBÉM JUNTAMENTE POR NÓS. Neste ponto, o apóstolo faz uma solicitação a igreja de Colossos para que todos exercessem o ministério de interseção por ele e os seus companheiros de ministério. Na realidade era um tempo muito difícil para toda a igreja, e principalmente para os missionários cristãos que pregavam o evangelho das boas novas no mundo gentílico. E Paulo foi um dos líderes do cristianismo neste tempo, mais perseguido por anunciar a salvação em Cristo Jesus.

PARA QUE DEUS NOS ABRA. Percebe-se que o autor desta carta é consciente de que foi chamado por Cristo para pregar o evangelho das boas novas aonde Cristo ainda não era bem conhecido. Ele também sabia de que era o Deus Todo-poderoso quem abria a porta da palavra para que ele pudesse exercer com ousadia o seu ministério de pregar as boas novas por onde passasse. Nem todas as cidades aceitavam os missionários cristãos como bem vindos, daí a dificuldade para se pregar o evangelho.

A PORTA DA PALAVRA. Por meio da cidade de Filipos e depois por outras cidades, o evangelho estava penetrando em toda a Europa, e o apóstolo via isso como uma boa oportunidade para difundir as boas novas de Cristo naquele continente. No entanto, as autoridades romanas e das demais nações daquele continente antigo, por se sentirem ameaçados com o crescimento do cristianismo, tentavam sufocar a mensagem do evangelho por meio das perseguições, prisões e morte dos missionários cristãos.

A FIM DE FALARMOS DO MISTÉRIO DE CRISTO. Nenhum dos outros apóstolos recebeu tamanha revelação sobre este “mistério de Cristo” o quanto o apóstolo Paulo, que ficou incumbido de levar as boas novas do evangelho aos gentios, enquanto Pedro e os demais se dedicaram principalmente no início do cristianismo ao povo de Israel.

PELO QUAL ESTOU TAMBÉM PRESO. Esta é mais uma das cartas da prisão de Paulo. Não se sabe ao certo em que cidade o apóstolo se encontrava aprisionado, se em Éfeso ou em Roma ou em qualquer outro lugar. Esse era o preço que o apóstolo dos gentios tinha que pagar por pregar o evangelho das boas novas de Cristo.

terça-feira, 26 de maio de 2015

Colossenses 4:1

Colossenses 4:1 - VÓS, senhores, fazei o que for de justiça e equidade a vossos servos, sabendo que também tendes um Senhor nos céus.
VÓS SENHORES. Este primeiro versículo do capítulo quatro, poderia fazer parte do capítulo anterior porque está dentro do mesmo assunto que o autor vinha tratando, entre servos e senhores. Neste caso, o apóstolo não está em regra geral se dirigindo aos donos de escravos que faziam parte da alta sociedade de Colossos, mas sim aos seguidores de Cristo, que faziam parte da igreja do Senhor naquele lugar e que também tinham servos a seu serviço, seja como donos de escravos ou patrões.

FAZEI. O verbo nos chama a atenção para o que os senhores ou patrões de escravos faziam de certo ou de mal contra os seus servos, e isso em especial os cristãos que tinham a sua disposição escravos, servos ou filhos de criação. O autor chama a atenção deles no sentido de praticarem o que é justo e correto para com aqueles que lhes serviam em seus empreendimentos, fazendas ou em casa. Que o comportamento deles para com seus servos fossem de servos de Cristo e do próximo.

O QUE FOR DE JUSTIÇA. Como o escritor se dirigia aos cristãos que faziam parte da igreja de Cristo em Colossos e que tinham a sua disposição, escravos, servos, empregados ou filhos de criação, ele esperava que os irmãos fossem justos para com seus empregados, lhes pagando os seus direitos e cumprindo fielmente com o que determinavam as leis da época e os bons costumes cristãos. Todo cristão verdadeiro é convidado pelo evangelho da graça a ser praticante da justiça social.

E EQUIDADE. Além de praticarem a justiça social, trabalhista e humanitária, os senhores de escravos para quem o autor estava escrevendo deveriam ser também cheios de equidade para com os seus servos ou empregados. E isso se traduz por atos de bondade, por ações de benevolência e práticas humanitárias, até porque a lei de Cristo tem como uma de suas fortes vertentes a prática do amor fraternal para com o próximo. De forma que os senhores cristãos deveriam ser cheios de compaixão.

A VOSSOS SERVOS. Estes servos a quem se refere o autor dizem respeito aos escravos, empregados, ou filhos de criação, que faziam parte da estrutura de mão de obra dos mais abastados da elite social da época. O fato de alguém ser livre em Cristo por fazer parte do cristianismo, não lhe dá o direito de não cumprir com os seus deveres para com seus senhores, seja como escravo, como empregado ou como filho adotivo. Ser livre em Cristo, reforça ainda mais, o dever de ser um bom cidadão.

SABENDO QUE TAMBÉM TENDES UM SENHOR. O apóstolo chama a responsabilidade dos irmãos da igreja de Cristo em Colossos que tinham a sua disposição escravos, servos ou filhos de criação, que eles eram senhores aqui na terra, mas que acima de tudo não se esquecessem de que também eles tinham um superior, Cristo Jesus.

NOS CÉUS. Essa frase nos remete a entender a superioridade de Cristo sobre todos os seres humanos, até mesmo sobre os que na terra se acham importantes e que ocupam posições de poder sobre os demais. Cristo ao ressuscitar de entre os mortos, ele subiu ao céus para se assentar a destra de Deus, ocupando posição muito elevada acima de todos e de tudo.

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Colossenses 3:25

Colossenses 3:25 - Mas quem fizer injustiça receberá a injustiça que fizer; pois não há acepção de pessoas.
MAS QUEM FIZER. E continua o autor desta carta a igreja de Cristo que estava na cidade de Colossos em advertir aos seus leitores, neste caso, aos servos ou escravos, mesmo sendo cristãos, para que se portassem condignamente para com seus patrões, dando o bom exemplo como servos de Cristo também. Que eles atentassem para o que estavam fazendo ou para o que estavam pensando em fazer de contrário aos seus patrões, porque tudo isso poderia trazer sérias consequências para suas vidas, além é claro de trazer problemas de perseguição contra a igreja e para o ministério.

INJUSTIÇA. Neste caso das injustiças praticadas pelos servos ou escravos contra seus patrões ou senhores seria agirem de má fé em seus comportamentos dúbios, quando no texto anterior o apóstolo lhes recomenda de que sejam sinceros, simples e comprometidos em cumprirem suas tarefas para com seus patrões como se estivessem agindo para com Cristo, o Senhor de todos. Tudo indica que o escritor estivesse sendo informado de que houvesse algum tipo de motim planejado pelos irmãos da igreja de Colossos que eram escravos contra os seus patrões ou senhores.

RECEBERÁ. Certamente o autor está se reportando a lei da colheita segundo a semeadura. Mesmo sendo injustiçados pelos seus senhores, os irmãos não poderiam revidar agindo da mesma forma que os incrédulos, até porque, quem vive conforme o evangelho da verdade sabe de que, aquilo que se planta é justamente o que se colhe, de forma que os seguidores de Cristo para quem o apóstolo estava transmitindo seus conselhos deveriam ser cautelosos em seus atos. Os irmãos não deveriam se envolver nas revoltas e motins praticados pelos escravos contra seus senhores.

A INJUSTIÇA QUE FIZER. Os mais antigos aconselhavam as crianças de que não atirassem pedras para o alto, porque esta mesma pedra poderia cair na cabeça de quem atirou. O agricultor que prepara o seu rosado e com muito trabalho fizer a plantação de milho somente, não pode esperar colher uvas, porque aquilo que ele plantou é justamente o que haverá de colher. Toda ação gera uma reação, e neste caso a corda sempre quebra do lado do mais fraco, que neste contexto, seriam os servos e não os seus senhores. Não adianta o fraco querer medir força com o forte.

POIS NÃO HÁ ACEPÇÃO. Podemos conjecturar de que os cristãos que eram escravos ou servos pensavam de que por serem pertencentes à igreja livre de Cristo, deveriam se tornar livres também em termos sociais. No entanto, o evangelho ensina aos seguidores do reino de Cristo, que como cidadãos comuns devemos nos submeter às leis dos países, dos quais fazemos parte ou moramos. Em termos de dever social, o cristão não está imune de cumprir com suas obrigações para com o seu país.

DE PESSOAS. Primeiro, pelo fato de servirem a Cristo e ao seu reino, não os tornavam livres das consequências pelos seus atos praticados de forma negativa, se cremos que Deus é justo e pratica justiça, ele recompensará a cada um segundo a sua obra. Do outro lado, os cristãos precisavam ser conscientes de que as leis do seu país não lhes fornecem privilégios por serem pessoas convertidas ao cristianismo, pelo contrário.

Colossenses 3:23-24

Colossenses 3:23-24 - E tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor, e não aos homens. Sabendo que recebereis do Senhor o galardão da herança, porque a Cristo, o Senhor, servis.
E TUDO QUANTO FIZERDES. Continua o autor com suas instruções sobre como deveriam se comportar os servos ou escravos para com os seus senhores ou patrões. Como na realidade os escravos passavam praticamente todo o tempo de suas vidas ao serviço de seus donos, eles deveriam dedicação completa aos seus senhores, em todo aquilo que viessem a fazer, sejam por meios de seus trabalhos, seja por meio de suas palavras, fosse como fosse, o escritor pede de que eles fossem obedientes em tudo.

FAZEI-O DE TODO CORAÇÃO. Não eram para fazer as suas atividades com má vontade nem murmurando ou reclamando, como servos de Cristo, os que faziam parte da igreja do Senhor Jesus em Colossos e que também eram servos dos homens deveriam mostrar o exemplo de que o que realizavam era de boa vontade e de todo o coração. É certo dizer que o autor destaca neste ponto a disposição dos servos dos homens em servirem os seus senhores, com sinceridade e com lealdade em tudo.

COMO AO SENHOR. O cristão verdadeiro e que passou pelo processo do novo nascimento, quando foi envolvido pela regeneração espiritual, e que se transformou em um nova criatura, tem uma disposição espetacular para fazer as coisas em prol do reino de Deus e a serviço da igreja. O apóstolo requisita esta mesma força de vontade dos servos de Cristo e que também serviam aos homens para executarem suas tarefas e obrigações. Que servissem aos seus patrões, assim como a Cristo.

E NÃO AOS HOMENS. O mesmo autor em outra parte dos seus escritos, ele recomenda de que tudo que fizermos que seja em nome de Cristo para glória de Deus Pai. Por isso que devemos dedicar a nossa vida por completa ao nome do Senhor e com alegria e singeleza de coração cumprirmos com nossas obrigações sociais, civis e religiosas, com responsabilidade e dedicação porque Cristo é glorificado nisto. Não são somente as nossas atividades religiosas, mas tudo deve ser feito em Cristo.

SABENDO QUE RECEBEREIS DO SENHOR. Não havia na terra uma classe de pessoas que fossem mais descriminadas do que os escravos ou servos. Tamanha era a humilhação e o desprezo que tinham que suportar no dia a dia, basta saber que eram considerados objetos sem valor perante a sociedade e diante de seus senhores. Todavia, aqueles que serviam aos homens e que eram servos de Cristo também, guardavam consigo a confiança, a fé e a esperança de que Cristo lhes recompensaria.

O GALARDÃO DA HERANÇA. A justa recompensa de todos aqueles que vivem para glória do nome de Cristo é justamente a salvação e a vida eterna. Mesmo sendo injustiçados aqui no mundo, mas os servos de Cristo sabem que coisas melhores lhes esperam na eternidade com Cristo para desfrutarem as heranças eternas nos céus.

PORQUE A CRISTO, O SENHOR, SERVIS. Aquela vida de humilhação de desprezo e exclusão social que os escravos viviam era tudo temporário, coisas mais preciosas lhes aguardavam no futuro de suas existências, porque eram servos de Cristo, o Senhor.

sábado, 23 de maio de 2015

Colossenses 3:22

Colossenses 3:22 - Vós, servos, obedecei em tudo a vossos senhores segundo a carne, não servindo só na aparência, como para agradar aos homens, mas em simplicidade de coração, temendo a Deus.
VÓS, SERVOS. Os servos a quem se refere o escritor dizem respeito aos escravos, aos filhos de criação ou as pessoas que faziam parte do convívio de uma estrutura familiar. Como o autor está se dirigindo aos seus leitores no sentido de transmitir ensinos para o bom convívio dos cristãos tanto na sociedade e principalmente no seio de suas respectivas famílias, não poderia deixar de transmitir também suas instruções para aqueles que também faziam parte das famílias, como os servos, além dos pais e dos filhos. Os servos, conforme o evangelho deviam obediência aos seus senhores.

OBEDECEI EM TODO. O que o autor está escrevendo neste texto é de conformidade com as leis, os costumes e as tradições de sua época, coisa que nos dias de hoje é totalmente diferente, porque não existe mais, o que em tempos antigos era chamado de escravidão de seres humanos. De forma que, a igreja era composta de pessoas livres, mas também de escravos, e estes, mesmo sendo livres em Cristo, mais deviam cumprir suas obrigações para com os seus patrões ou senhores.

AOS VOSSOS SENHORES SEGUNDO A CARNE. Infelizmente, nos tempos mais antigos, era demasiadamente injusta a divisão de classes sociais, com as burguesias dominantes em detrimento das grandes maiorias de servos e escravos. Estes senhores eram os mais abastados da elite social, como grandes comerciantes, fazendeiros e latifundiários, que por conta de suas posições econômicas e políticas chegavam a dominar sobre enormes quantidades de servos e escravos da sociedade.

NÃO SERVINDO SÓ NA APARÊNCIA. Com isso, o autor estava tentando explicar aos irmãos que faziam parte da igreja de Cristo na cidade de Colossos, e que eram servos ou escravos, que servissem aos seus patrões e senhores com toda transparência possível, mesmo quando da ausência dos mesmos, porque isso criava um clima de confiança entre os seus patrões e eles mesmos, tudo em busca da harmonia e da paz.

COMO PARA AGRADAR AOS HOMENS. Essa era uma questão de estabelecer a boa convivência entre os servos e os seus senhores, principalmente proporcionando um certo conforto mental sobre os servos, no tocante a ter a certeza de que estavam corretos em seus procedimentos e com isso esperando justiça dos seus patrões.

MAS EM SIMPLICIDADE DE CORAÇÃO. O apóstolo estava tentando explicar aos seus leitores, servos ou escravos, de que não adiantava agir de uma maneira, na presença dos seus senhores, mas la no fundo do coração e na mente, seus pensamentos e intenções serem de desobediência, de revolta ou até mesmo de vingança.

TEMENDO A DEUS. Em outra parte dos seus escritos, este mesmo autor recomenda de que os servos ou escravos cristãos servissem aos seus senhores, como se estivessem servindo a Cristo. É como se o escritor estivesse exortando aos seus leitores de que Deus estava também acompanhando o comportamento e as intenções daqueles para quem esta carta estava sendo enviada.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Colossenses 3:20-21

Colossenses 3:20-21 - Vós, filhos, obedecei em tudo a vossos pais, porque isto é agradável ao Senhor. Vós, pais, não irriteis a vossos filhos, para que não percam o ânimo.
VÓS FILHOS. O autor continua com suas instruções a família cristã, lhes ensinando de como devem se portar como pessoas que servem a Cristo e ao seu reino, e nisso ele requer que os cristãos da cidade de colossos façam a diferença no meio daquela sociedade. Desta feita o escritor se dirige aos filhos e filhas dos lares cristãos para lhes exortarem sobre o que devem fazer com respeito aos seus pais. Esses conselhos do apóstolo eram para que houvesse harmonia dentro da estrutura familiar dos cristãos, até porque eles deveriam ser exemplos de vidas para a sociedade em geral.

OBEDECEI EM TUDO AOS VOSSOS PAIS. Certamente o autor tem em mente os jovens e adolescentes, que na maioria das vezes não tem ainda experiência de vida, e que, portanto, precisam de tutores que possam lhes encaminhar para o bom caminho em seguirem o evangelho de Cristo Jesus. Para uma criança, um jovem ou um adolescente, ninguém melhor do que os seus próprios pais para lhes mostrar o bom caminho a ser seguido, razão porque o escritor exorta que eles obedeçam em tudo os seus pais, principalmente nos conselhos para seguirem ao evangelho de Cristo.

PORQUE ISSO É AGRADÁVEL AO SENHOR. O autor nos dá a entender de que, o Senhor fica a observar o comportamento de cada filho, no tocante ao seu relacionamento de obediência para com os seus pais, e quando tal filho ou filha faz a vontade dos seus pais, tem a aprovação de Deus. O Senhor se agrada quando vê que os filhos se esforçam por sempre obedecer às ordens dos seus pais. O evangelho da graça de Deus trás promessas para aqueles filhos que obedecem aos seus pais, com bênçãos de prosperidade, de vida longa e felicidade. Haverá recompensa da parte de Deus.

VÓS PAIS. Do outro lado, o escritor focaliza nos pais para lhes escrever sobre como devem também se portarem com relação aos seus filhos, lhes ensinando em como podem cria-los dentro da estrutura familiar. Os filhos contam com as provisões, com os cuidados e com o apoio dos seus progenitores, portanto, os pais têm não somente a chance de coloca-los no mundo, assim como devem assumir a responsabilidade de lhes oferecer amor, atenção e proteção. A forma de tratamento dado pelos pais aos seus filhos é muito importante para a formação do caráter e da personalidade deles.

NÃO IRRITEIS AOS VOSSOS FILHOS. A palavra de Deus estabelece as regras de como os pais devem criar os seus filhos, e a sociedade também impõe diretrizes sobre os deveres e obrigações dos pais para com os seus filhos, sem falar nas leis que cada país tem neste sentido para criar um sentimento de segurança nos mais vulneráveis da família, principalmente as crianças. Os pais devem se monitorar no sentido de não provocarem sentimentos de raiva, ira e nem ódio nos seus filhos e filhas, porque eles se sentirão desamparados, por aqueles que deveriam lhes amar e proteger.

PARA QUE NÃO PERCAM O ÂNIMO. Percebe-se que o escritor demonstra sua preocupação com o lado sentimental dos mais frágeis na estrutura familiar. Se os pais que devem amor, cuidar e proteger os seus filhos, não fizerem isso, quem vai fazer? Os pais devem ser os maiores incentivadores dos seus próprios filhos, no sentido de que eles sejam positivistas em tudo.

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Colossenses 3:18-19

Colossenses 3:18-19 - Vós, mulheres, estai sujeitas a vossos próprios maridos, como convém no Senhor. Vós, maridos, amai a vossas mulheres, e não vos irriteis contra elas.
VÓS MULHERES, ESTAI SUJEITAS. A partir de então, o autor busca tratar nesta sua carta a igreja de Cristo que estava em Colossos sobre os deveres dos maridos das mulheres e dos filhos e filhas também mencionando, por fim, os deveres dos servos, porque muitos lares eram compostos por eles também, sejam os escrevas ou os filhos adotivos. E o escritor começa sua exortação recomendando de que as mulheres devem ser sujeitas aos seus próprios maridos, e isso ele escreve sobre as mulheres cristãs, que faziam parte da igreja do Senhor Jesus na cidade de Colossos e em todo o mundo.

A VOSSOS PRÓPRIOS MARIDOS. O que significa este está "sujeita” ao marido? Certamente o autor aconselha as mulheres cristãs que nas decisões mais importantes na construção do lar, que as irmãs estivessem de acordo com as decisões tomadas pelo seu próprio marido. Com isso, o escritor busca estabelecer a paz e a harmonia dentro da conjuntura familiar, em que nos momentos de impasses nas decisões, que prevaleça a opção do marido, que conforme a tradição cristã é o cabeça do lar. A título de hoje, deve-se estabelecer uma relação democrática, por meio do diálogo.

COMO CONVÉM NO SENHOR. O evangelho é completo e nele se encontram as diretrizes para todas as áreas da vida cristã, o que não poderia ser diferente na orientação do comportamento do marido com sua esposa e vice versa, e isso para se estabelecer a construção de uma família bem edificada pela palavra do Senhor. Quando se diz: “como convém no Senhor” isso nos dá a entender que estas regras devem ser aplicadas dentro de todos os lares dos que se dizem seguidores de Cristo Jesus. Assim como as irmãs são obedientes a Cristo, também devem ser ao marido.

VÓS MARIDOS, AMAI. Neste ponto, o autor olha para o outro lado da mesma moeda, metaforicamente falando, e se dirige aos maridos para lhes exortar o que devem fazer com sua esposa. E amar à mulher implica em cuidar, proteger, fazer as provisões necessárias para seu bem-estar. Também e principalmente deve o marido dar todo o seu amor para com a sua esposa, porque já não são mais dois, mais sim, uma mesma pessoa, em termos de interesses e planos, assim devem os maridos dar atenção as suas próprias esposas, e isso em forma de afeto e carinho.

A VOSSAS MULHERES. Neste tempo em que o apóstolo escreveu esta carta, os costumes eram diferentes dos dias de hoje, em que o machismo prevalecia de forma agressiva contra as mulheres. Até certo ponto, as mulheres nesta época, eram consideradas pela sociedade e dentro do seu próprio lar, como um objeto a ser usado da forma que os homens bem desejassem. Só que, na igreja deveria ser bem diferente.

E NÃO VOS IRRITEIS CONTRA ELAS. Ainda hoje, as mulheres, por serem considerada na sociedade como sendo o sexo mais frágil, muitas delas sofrem os mais aberrantes casos de violências dos seus próprios maridos e companheiros. No entanto, dentro dos lares cristãos isso não deve acontecer, mas o que deve prevalecer é o amor mútuo, bem como o respeito e a consideração de ambas as partes para o bem de todo o lar.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Colossenses 3:17

Colossenses 3:17 - E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.
E, QUANTO FIZERDES. Com a palavra de Cristo habitando em nossos corações, temos então um direcionamento correto para que o nosso testemunho de vida seja como disse o próprio Senhor Jesus; sal da terra e luz do mundo. A igreja de Cristo na cidade de Colossos estava bem instruída por Epafras e pelos missionários enviados por Paulo, a cerca de como viver para Cristo e com Cristo. De forma que eles deveriam fazer e agir em toda a maneira de viver, de conformidade com o que tinham aprendido.

POR PALAVRAS. O autor busca instruir, neste particular aos seus leitores, que a teoria e a prática devem estar juntas para que alguém possa glorificar a Cristo em tudo que fala. Com isso entendemos que o apóstolo dirigia sua exortação a todos aqueles que pregavam a palavra de Cristo naquela cidade, lhes recomendando de que as suas palavras, ensinamentos e pregações fosse de conformidade com o que viviam no dia a dia, porque não adianta pregar uma coisa e viver diferente do que se prega.

OU POR OBRAS. Agora, o escritor aponta em direção àqueles que viviam de certo modo a hipocrisia religiosa, ao tentar afirmar de que não adiantava pregar ou ensinar eloquentemente ou com sabedoria humana e o discurso não ser aplicado na vida pessoal. Faz-se necessário que haja coerência entre o que se diz e o que se vive. Quem houve os ensinadores e os pregadores vai observar se o que se prega esta de acordo com o que se vive. Não basta ser um bom pregador, mas tem que viver aquilo que se prega.

FAZEI TUDO. Nos tópicos anteriores o autor escreve sobre a maneira de falar e também de viver no dia a dia por meio do bom testemunho que se deve dar todo aquele que diz que é um seguidor do reino dos céus. Agora, ele abrange todas as áreas da vida cristã, aconselhando de que os remidos de Cristo devem viver de tal maneira que o seu testemunho seja a realidade de tudo aquilo que representa; honrar, glorificar, exaltar, louvar e magnificar o nome poderoso de nosso Salvador, Jesus Cristo.

EM NOME DO SENHOR JESUS. Fazer tudo em nome do Senhor Jesus, significa muito mais do que está envolvido em ativismo religioso, porque não adianta demonstrar santidade na hora da realização dos cultos, mas ter um testemunho vergonhoso, com os familiares, com os amigos, conhecidos e vizinhos. No evangelho de Cristo encontramos muitos referências bíblicas falando sobre que, Cristo é Senhor para glória de Deus Pai. Jesus é o nome próprio do Filho de Deus, o nome mais poderoso que se possa imaginar.

DANDO POR ELE GRAÇAS. As ações de graças sempre foram um bom costume do povo de Deus, sejam os israelitas e principalmente a igreja de Cristo. Infelizmente existe uma boa parte dos que dizem que servem a Cristo que são verdadeiros marajás, que só vivem a pedir e a pedir, porque são insaciáveis. No entanto, uma boa parte da igreja de Cristo reconhece que precisa mais é agradecer ao Senhor pelos benefícios alcançados.

A DEUS. Por fim, o autor faz sua conclusão nos ensinando de que devemos dirigir as nossas ações de graças a Deus que é a fonte absoluta de onde vêm todas as nossas bênçãos. Não somos merecedores, porem, Deus na sua infinita bondade nos abençoa ricamente em todos os aspectos de nossas vidas. Se alcançamos as bençãos, não é porque merecemos, mas é pela graça de Deus sobre as nossas vidas.

terça-feira, 19 de maio de 2015

Colossenses 3:16

Colossenses 3:16 - A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao SENHOR com graça em vosso coração.
A PALAVRA DE CRISTO. Este texto do evangelho de Cristo nos ensina sobre a nossa liturgia de culto, como também nos fala em como se comportar uns para com os outros no dia a dia de nossa comunhão fraternal. Uma denominação cristã autêntica pode se torna uma seita herética, se a sua liturgia de culto passar a dar mais valor aos modismos e aos mandamentos de homens, do que o que está escrito na palavra de Deus. Como também um cristão verdadeiro pode se tornar um herege, se ele colocar suas ideologias como verdadeiras, em detrimento do evangelho de Cristo.

HABITE EM VÓS ABUNDANTEMENTE. Quando o autor escreve sobre a palavra de Cristo, ele está se reportando aos ensinos transmitidos pelo Senhor Jesus durante o seu ministério, como também a mensagem do evangelho, que trata da nova aliança de Deus com a humanidade por meio de Cristo. Está palavra de Cristo tem que está dentro de nossos corações e na nossa mente, assim como o sangue corre em nossas veias. O cristão verdadeiro é amante da palavra de Deus, razão porque ele vive pela palavra, ele pensa conforme a palavra, e o que faz é baseado na palavra de Deus.

EM TODA A SABEDORIA. Para os remidos de Cristo, não há outra fonte mais preciosa de sabedoria, do que a mensagem do evangelho libertador do Senhor Jesus. Quem tem o seu coração transbordante da palavra de Deus, seus pensamentos, suas ideias, seus conceitos, seu modo de agir tem bases sólidas na verdadeira sabedoria que vem do alto. Quem se alimenta, respira e vive da palavra e para a palavra de Deus, se destaca em tudo o que faz e em tudo que fala, porque é perceptível em todos os aspectos que o dom da palavra se manifesta em mensagens de plena sabedoria.

ENSINANDO-VOS E ADMOESTANDO-VOS UNS AOS OUTROS. Cada um daqueles que são chamados por Cristo para o seu reino se constitui automaticamente em discipuladores. A vida e as palavras de um embaixador do reino de Deus aqui na terra é um livro aberto com instruções edificantes para todos aqueles com quem o cristão verdadeiro convive. Além do mais, o testemunho de vida de um remido de Cristo sistematicamente serve de espelho para a vida daqueles que o rodeiam.

COM SALMOS HINOS E CÂNTICOS ESPIRITUAIS. O que deve prevalecer em nossas liturgias de culto e em nossos momentos de comunhão uns com os outros? Os salmos para os seguidores do judaísmo eram a mesma coisa que os hinos oficiais adotados pelas denominações nos dias de hoje. Já os cânticos espirituais dos quais se refere o autor, dizem respeito às músicas evangélicas ou avulsas cantadas nos cultos. O perfeito louvor deve fazer parte de nossa liturgia de culto, bem como de nossa vida.

CANTANDO AO SENHOR COM GRAÇA EM VOSSOS CORAÇÕES. O verdadeiro louvor que glorifica a Cristo tem que ser Cristocêntrico, Cristo tem que está sendo honrado por meio de sua mensagem. O louvor que em sua mensagem não glorifica o nome do Senhor, não se enquadra no que diz respeito a Salmos, hinos e cânticos espirituais. Infelizmente os profissionais do cântico têm feito da música gospel um comercio da fé.

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Colossenses 3:14-15

Colossenses 3:14-15 - E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição. E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos.
E SOBRE TUDO ISTO. Do que o autor está escrevendo? Ele vinha passando suas instruções nesta sua comunicação com a igreja de Cristo em Colossos, que tinha como líder o seu amigo e companheiro de ministério, Epafras, de como servir a Deus, fazendo parte do corpo de Cristo que é a sua igreja. Recomendando aos irmãos daquela igreja que deviam viver unidos na fé, buscando o aperfeiçoamento na vida espiritual, e que isso só era possível, vivenciando na prática o amor fraternal. O que comprova a verdadeira transformação de vida é a nossa comunhão uns com os outros.

REVESTI-VOS DE AMOR. Anteriormente, o autor havia afirmado de que se faziam necessário os seguidores de Cristo se revestirem de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão e longanimidade, porem, agora, ele afirma que além destas virtudes já citadas, se faz necessário também vestir a roupa do amor. Este amor deve ser direcionado, primeiro para Deus e depois para com os domésticos da fé, e por fim, para com o nosso próximo. A lei de Cristo tem dois mandamentos, amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo, e isso no dia a dia da nossa vida.

QUE É O VÍNCULO DA PERFEIÇÃO. Senão vejamos o que disse o mesmo escritor: 1 Coríntios 13:1-3 - AINDA que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria. A prática do amor fraternal gera desenvolvimento espiritual.

E A PAZ DE DEUS. Esta paz de Deus se traduz na reconciliação do Criador com toda a sua criação e principalmente com a igreja de Cristo. Em Cristo Jesus, Deus estava reconciliando o mundo consigo mesmo. A missão eficaz do Cordeiro de Deus em realizar a redenção da humanidade por meio do sacrifício expiatório produziu esta paz entre o Criador de todas as coisas e todo o cosmo, dai a importância da reconciliação.

PARA A QUAL FOSTE CHAMADOS EM UM CORPO. A igreja do Cristo vivo foi chamada para a reconciliação com Deus e como corpo representativo de Cristo na terra, ela representa a luz do mundo. O mesmo escritor em uma outra de suas carta ele aborda o tema da chamada de Deus em Cristo Jesus para a sua igreja (Romanos 8:30).

DOMINE EM VOSSOS CORAÇÕES; E SEDE AGRADECIDOS. Este sentimento de paz com Deus, juntamente com a prática do amor para com Deus e para com o próximo é que deve permear e preencher todos os espaços de nosso coração. Apesar das lutas que a igreja enfrentava naquele tempo, no entanto, sobrava motivos para ações de graças.

domingo, 17 de maio de 2015

Colossenses 3:13

Colossenses 3:13 - Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também.
SUPORTANDO-VOS. Ao que tudo indica, estava acontecendo problemas de divisão e contendas entre os membros da igreja de Colossos, ao ponto do autor lhes fazer lembrar de que a união é mais proveitosa do que as brigas e divisões. Na igreja de todos os tempos sempre existiram os problemas das disputas por cargos, posições e privilégios. Hoje existe uma verdadeira guerra neste sentido, onde uns tentam passar por cima dos outros, em busca de oportunidade, domínio e poder, coisa que na igreja primitiva não era diferente, nem na igreja que estava na cidade de Colossos.

UNS AOS OUTROS. Além dos problemas externos, tais como: as perseguições do império romano, as heresias impostas pelos falsos mestres gnósticos, as pressões feitas pelos líderes judaizantes, como também os ataques dos outros líderes religiosos das religiões pagãs. A igreja tinha que sobreviver às divisões internas, onde uns se levantavam contras os outros, tudo isso para conquistarem espaço no ministério, e com isso buscarem ter domínio sobre a igreja. Essa guerra por posições sempre existiu e sempre vai existir, mecanismo esse que está muito em evidência nos dias de hoje.

E PERDOANDO-VOS UNS AOS OUTROS. O perdão das ofensas já praticadas seria o medicamento sanador destes problemas entre os irmãos na igreja de Colossos, por isso que o autor apela para o bom senso de todos, no sentido de se perdoarem uns aos outros. Não deveria acontecer, mas olhando pelo lado humano, é compreensível que hajam discórdias de opinião entre os irmãos, até porque ninguém é obrigado a concordar com tudo que o outro pensa e faz, porem, o perdão concilia os impasses e cria um ambiente de harmonia, mesmo convivendo com as indiferenças.

SE ALGUÉM TIVER QUEIXA CONTRA O OUTRO. Os tempos da igreja primitiva, neste aspecto, não eram diferentes dos dias de hoje, no tocante ao comportamento dos irmãos uns para com os outros, no que diz respeito as divergências de opiniões, até porque ninguém é igual ao outro. Não era para acontecer, mas, naturalmente sucedem coisas desagradáveis entre o povo de Deus, provocando assim discussões.

ASSIM COMO CRISTO VOS PERDOOU. Como Cristo é o centro de tudo na vida dos seus seguidores, o autor coloca diante da consciência dos irmãos o exemplo do Mestre, que tudo fez e realizou para proporcionar a reconciliação entre Deus e os homens. A morte do Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo foi para nos perdoar, e criar um ambiente de paz de Deus para com o mundo, principalmente com a igreja remida.

ASSIM FAZEI VÓS TAMBÉM. Assim como houve um esforço máximo de Cristo para nos conceder o perdão de nossas dívidas e falhas, perante a justiça divina, da mesma forma, deveriam os seguidores do reino de Deus em Colossos procederem uns para com os outros, se esforçando com empenho para perdoar as ofensas uns dos outros.

sábado, 16 de maio de 2015

Colossenses 3:12

Colossenses 3:12 - Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade.
REVESTI-VOS, POIS, COMO ELEITOS DE DEUS. O autor continua com sua metáfora falando sobre alguém que veste uma roupa e depois ainda veste outras por cima para ficar bem protegido contra o vento e o frio. Como eleitos de Deus, esse é um tema recorrente nas páginas da bíblia, e tem paralelo com escolhido, chamado e predestinado. Esses são temas polêmicos e combatidos pelos que defendem o livre arbítrio dos seres humanos, porem, ambos os lados tem bases bíblicas, isso é inegável.

SANTOS E AMADOS. A palavra “santos” neste caso, não se refere aos cristãos mortos e canonizados por uma religião politeísta, mas se refere aos irmãos vivos que faziam parte da igreja de Cristo na cidade de Colossos. O apóstolo em seus escritos demonstra que sempre foi amoroso para com os seguidores de Cristo, coisa que ele aprendeu com o próprio Senhor Jesus, que deixou o ensino de que a forma motivadora do crescimento de sua igreja é a prática do amor fraternal entre todos.

DE ENTRANHAS DE MISERICÓRDIA. O conselho do escritor era de que a igreja do Senhor Jesus em Colossos se revestisse de entranhas de misericórdia, e isso nos remete a escrever de que o seu desejo era de que todos usassem de compaixão uns para com os outros. A igreja passava por momentos de tribulações, perseguições e muitos estavam sendo presos e mortos por amor a Cristo. Portanto, a união de todos pela causa do evangelho só era possível se todos exercessem bondade mútua.

DE BENIGNIDADE. A benignidade é uma das virtudes características dos atributos de Deus, sendo um dos frutos do Espirito Santo exercido pelo amor. Cristo Jesus quando se manifestou como sendo o Messias e Emanuel de Deus viveu no seu dia a dia essa grande virtude divina, quando só fez o bem a todos. O apóstolo não fez diferente, quando dedicou sua vida e ministério em prol da igreja de Cristo. Da mesma forma, ele exorta aos seguidores de Cristo que exerçam na prática a benignidade cristã.

HUMILDADE. Essa é uma palavra que descreve todos aqueles que procuram viver uma vida simples, modesta e pacata, por saber que não pertence a este mundo, porque sua pátria é a cidade celestial, a nova Jerusalém. Todos aqueles que são eleitos e amados de Deus devem lançar fora de si, de sua vida e de suas práticas diárias a arrogância, o orgulho e o egocentrismo. Pois, por mais influente que possa ser, o cristão verdadeiro deve andar nas pisadas do Mestre, que foi humilde em tudo.

MANSIDÃO, LONGANIMIDADE. A mansidão é aquela virtude cristã que faz com que o seguidor do evangelho possa suportar as afrontas, mesmo sendo injustiçado, com paciência e resignação. Ser manso é não revidar, mesmo estando com a razão, mas entregar tudo a Deus, que é justo e que defende os seus servos. Ser longânime é suportar com mansidão as afrontas, mesmo que isso aconteça a longo prazo.

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Colossenses 3:11

Colossenses 3:11 - Onde não há grego, nem judeu, circuncisão, nem incircuncisão, bárbaro, cita, servo ou livre; mas Cristo é tudo em todos.
ONDE NÃO HÁ GREGO. O judaísmo foi uma religião nacionalista, onde a aliança feita com Abraão dava exclusividade aos seus descendentes. Já o cristianismo é a religião para todos os povos, nações e línguas. Portanto, o grego, como povo também faz parte daqueles que tem a promessa de se fazerem participante do reino de Deus e qualquer um ao se converter ao cristianismo verdadeiro, vive a esperança de serem transformados conforme a imagem do Filho de Deus, Jesus Cristo (2 Coríntios 3:18).

NEM JUDEU. A nova aliança de Deus com a igreja de Cristo Jesus em todo o mundo, também tem lugar para qualquer judeu que se converter pelo poder do evangelho das boas novas e receber a Cristo como Senhor e Salvador. Neste texto, é judeu todo aquele que segue o judaísmo ou a legislação de Moisés, mesmo que não pertença a tribo de Judá. O autor está fazendo distinção de raças, religião ou nacionalidade. Em Israel, nesta época, era judeu todo aquele que fosse descendente de Abraão.

CIRCUNCISÃO. Neste caso, o escritor atenta para a religiosidade do indivíduo, que no caso, diz respeito aos descendentes de Abraão, Isaque e Jacó, meninos homens, que eram circuncidados ao oitavo dia, sinalizando de que faziam parte do judaísmo. A circuncisão era um sinal de que o judeu era um seguidor do judaísmo e, portanto, que tinha o compromisso de guardar a legislação de Moisés ou lei de Moisés. Se uma família, mesmo sendo descendente de Abraão não quisesse seguir o judaísmo, não estava obrigada a circuncidar os seus filhos homens, ao oitavo dia.

NEM INCIRCUNCISÃO. Dentro deste escopo se encaixavam os judeus que não assumiram o compromisso de guardarem a legislação mosaica, porque optou por não ser circuncidado, e neste caso cabiam bem os judeus da dispersão. E principalmente os gentios que não faziam parte da família de Abraão, Isaque e Jacó, e que não eram prosélitos do judaísmo. Para fazer parte da igreja de Cristo, não precisava ninguém ser circuncidado, apesar de os líderes cristãos legalistas exigem isso no início do cristianismo.

BÁRBARO, CITA. Há quem diga que o autor ao se referir a “bárbaro” esteja escrevendo sobre os povos de outros idiomas diferentes do grego. Existem aqueles que defendem de que o apóstolo descreve sobre os povos mais distantes que ainda não conheciam as boas novas do evangelho de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, o que parece mais provável. Os citas citados pelo autor dizem respeito aos povos nômades que viviam separados das civilizações, sem cultura nem religião.

SERVO OU LIVRE. Servos neste caso se referem aos escravos desta mesma época, e que eram vendidos como se fossem mercadorias. Certamente o autor pretende destacar a posição social das pessoas, dizendo que quando alguém se converte ao cristianismo verdadeiro, não importa a sua posição social, mas é aceito por Deus.

MAS CRISTO É TUDO EM TODOS. Não importa se a pessoa faz parte do judaísmo, se pertence a qualquer nação do mundo, mesmo que seja uma pessoa sem cultura ou que ocupa qualquer posição dentro da sociedade. O importante é ser de Cristo.

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Colossenses 3:9-10

Colossenses 3:9-10 - Não mintais uns aos outros, pois que já vos despistes do velho homem com os seus feitos. E vos vestistes do novo, que se renova para o conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou.
NÃO MINTAIS UNS AO OUTROS. O autor deste texto começa fazendo uma proibição ao remidos de Cristo na igreja de colossos e que deve servir para a igreja de todos os tempos e para todos aqueles que confessam serem seguidores do evangelho da verdade. A mentira é tudo aquele que se encaixa no oposto da verdade, da honestidade e da sinceridade, de forma que os servos de Deus não podem viver para o engano nem para a falsidade, porque são novas criaturas em Cristo Jesus. Quem não vive para o evangelho da verdade é que se desboca em mentiras para tirar vantagens.

POIS QUE JÁ DESPISTES. Mas, todos aqueles que no exercício da sua fé em Cristo nasceram de novo, porque foram regenerados e convertidos pelo poder do evangelho libertador do Senhor Jesus, esses tem que se despirem das práticas da mentira, do engano e da falsidade, porque agora são nascidos de cima, pela transformação realizada pelo Espírito Santo de Deus. O autor usa uma metáfora para representar a mudança de vida dos remidos de Cristo, como se mudassem de roupa.

DO VELHO HOMEM. Quando o apóstolo escreve sobre o velho homem, ele se refere aos servos de Cristo, antes de se converterem ao cristianismo. Os servos de Cristo desta época vieram todos de outras religiões pagãs, mas que agora ao se converterem a religião de Cristo, deviam se despir do velho homem para serem novas criaturas em Cristo Jesus. Esse velho homem do qual o autor fala, diz respeito ao homem natural, aos incrédulos que vivem ao bel prazer e dos alienados de Deus.

COM OS SEUS FEITOS. Os feitos do velho homem, e de todos aqueles que vivem para o mundo e para tudo que o mundo oferece, dizem respeito às obras da carne, as concupiscências da vida, os deleites e prazeres do egoísmo humano, a desobediência aos mandamentos de Deus, a rebelião contra o Criador, a apostasia daqueles que mesmo conhecendo a verdade se mantem alienados do evangelho da verdade. Os feitos de quem vive conforme os padrões deste mundo seguem a carnalidade.

E VOS VESTISTES DO NOVO. A orientação do escritor é de que, os seus leitores possam viver de conformidade com o novo padrão de vida, que deve ser conforme o evangelho das boas novas de Cristo. Ainda usando a mesma metáfora, é como se ele dissesse para os seguidores de Cristo em Colossos: Tirai a velha veste da desobediência e vesti as novas vestes da verdade e da fidelidade à palavra de Deus, porque agora vocês, não mais pertencem e este mundo, mas aos céus de Cristo.

QUE SE RENOVA PARA O CONHECIMENTO, SEGUNDO A IMAGEM DAQUELE QUE O CRIOU. Para o novo homem em Cristo, o novo nascimento é apenas um primeiro passo rumo a transformação do remido na imagem de Cristo (2 Coríntios 3:18), até porque em sua longa jornada de aperfeiçoamento tem a regeneração, a conversão, a transformação e a santificação. “Segundo a imagem daquele que o criou”, na realidade fomos criados conforme a imagem de Deus (Gêneses 1:26), Com a queda da raça humana essa imagem foi ofuscada, mas está sendo recuperada em Cristo e por Cristo.

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Colossenses 3:8

Colossenses 3:8 - Mas agora, despojai-vos também de tudo: da ira, da cólera, da malícia, da maledicência, das palavras torpes da vossa boca.
MAS AGORA. Este “agora” a que se reporta o autor, diz respeito ao tempo da vida dos seguidores de Cristo na igreja de Colossos, depois que se converteram ao verdadeiro cristianismo. E isso teve seu primeiro passo a partir do momento em que os cristãos exerceram a sua fé plenamente em Cristo e em sua obra de redenção e com isso passaram pelo novo nascimento, que representa também a regeneração espiritual, que dá ao servo de Deus a oportunidade de ser transformado em uma nova criatura. Todos aqueles que se convertem pelo poder do evangelho são filhos de Deus.

DESPOJAI-VOS. É como se o apostolo estivesse dizendo aos irmãos de Colossos: Vocês precisam tirar a velha roupa da incredulidade e vestirem a nova roupa de outro tempo de vida em que deve prevalecer a santidade de vida rumo à salvação em Cristo Jesus. O que ficou para trás não deve mais fazer parte do dia a dia da vida daqueles que fazem a opção de seguirem o evangelho da verdade. O que passou, passou, eis que tudo se fez novo, razão porque os nascidos de cima são considerados novas criaturas em Cristo Jesus, fazendo parte do corpo de Cristo que é a sua igreja remida.

TAMBÉM DE TUDO. Entende-se que este “tudo” a que se refere o autor diz respeito a tudo que o mundo oferece, mas que contraria a vontade de Deus. 1 João 2:15-17 - Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre. Não tem como alguém servir a Cristo e ao mesmo tempo ao mundo.

DA IRA, DA CÓLERA. Como o judaísmo era uma religião nacionalista, todos os que desde pequeno eram seguidores da legislação mosaica eram ensinados de que as demais pessoas que faziam parte das demais religiões do mundo eram pagãos e, portanto, os judeus alimentavam o ódio, a raiva, a cólera e a ira contra todos. Já o cristianismo é a religião do amor, isso porque o seu fundador, Jesus Cristo, deu o exemplo maior de que o amor fraternal é a força motriz na sua nova religião. Cristo ensinou que, devemos amar a Deus sobre todas as coisas e ao nosso próximo.

DA MALEDICÊNCIA. Esta é uma palavra que se traduz por blasfémia contra Deus, contra Jesus Cristo, contra o Espírito Santo e contra o nosso próximo. Como a igreja estava passando por momentos de tribulações, perseguições e muitos sendo mortos por amor a Cristo e por seguirem a fé cristã, o autor alerta os servos de Cristo naquela igreja para que tivessem o cuidado de não blasfemarem contra Deus, nem também contra as autoridades romanos, nem mesmo contra os falsos líderes religiosos.

DAS PALAVRAS TORPES DA VOSSA BOCA. O autor desta belíssima epístola faz suas recomendações a fim de que os cristãos de Colossos fizessem um monitoramento permanente de suas expressões vocais, com o objetivo de não falarem nada que viesse a prejudicar a igreja de Deus perante as autoridades nem diante da sociedade. Se faz necessário que os seguidores de Cristo tenham cuidado no que falam e fazem.

terça-feira, 12 de maio de 2015

Colossenses 3:6-7

Colossenses 3:6-7 - Pelas quais coisas vêm à ira de Deus sobre os filhos da desobediência. Nas quais, também, em outro tempo andastes, quando vivíeis nelas.
PELAS QUAIS COISAS. O autor se refere a todo tipo de prostituição, seja ela sexual, moral ou espiritual, isso quando se pratica de forma a ser reprovada pela palavra de Deus. Também se refere o escritor as impurezas, a vil concupiscência e as paixões desordenadas, que também estão estes pecados ligados de alguma forma ao adultério, a prevaricação ou a fornicação, que são iniquidades praticadas pelos prazeres carnais. Em fim, essas coisas dizem respeito também a avareza, como forma de idolatria, porque o amor desordenado ao dinheiro é a raiz de todos os males.

VÊM A IRA DE DEUS. Encontramos na bíblia mais de 500 referências falando sobre a ira de Deus, que representa a sua cólera ou o seu furor contra aqueles que desobedecem a sua soberana vontade, que é expressa pela sua palavra. O mesmo evangelho que diz que Deus é amor, bondade e misericórdia, é a mesma palavra que diz também que ele é um fogo consumidor e que horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo. Falar sobre a ira, a cólera e o furor de Deus sobre seus inimigos é a mesma coisa que dizer que ele é Juiz dos vivos e dos mortos e que pede conta das obras de todos. E essa ira de Deus sobre os ímpios vem em forma de castigo ou repreensão.

SOBRE OS FILHOS DA DESOBEDIÊNCIA. Esses filhos da desobediência são todos aqueles que vivem desordenadamente somente para os prazeres desta vida, embrenhados nas concupiscências da carne e na soberba da vida. O evangelho fala sobre estes filhos da desobediência como sendo os ímpios, os incrédulos, os ateus, os que vivem alienados dos mandamentos do Senhor e todos aqueles que rejeita a Cristo como Senhor e Salvador, quando não acreditam na mensagem do evangelho. Todos aqueles que são desobedientes ao evangelho estão debaixo da ira de Deus.

NAS QUAIS, TAMBÉM. O autor mostra aos seguidores de Cristo na cidade de Colossos, que antes de se converterem ao verdadeiro cristianismo, eles também viviam no mundo como filhos da desobediência, como os incrédulos também vivem. As mesmas coisas que os homens naturais praticam, os servos de Cristo, que eram os leitores desta carta, também praticavam antes de se converterem. A vida pregressa daqueles que agora buscavam o reino de Deus em primeiro lugar, não era diferente da dos desobedientes.

EM OUTROS TEMPOS ANDASTES. Por isso que muitas vezes os nossos parentes, amigos e conhecidos, não querem aceitar a nossa palavra, quando procuramos lhes evangelizar, porque nos acusam das mesmas coisas que eles fazem, nós fazíamos também. O que eles não entendem é que todos aqueles que verdadeiramente passam pelo processo do novo nascimento, são considerados perante a justiça de Deus como novas criaturas, as coisas velhas são passadas, eis que tudo se fez novo.

QUANDO VIVÍEIS NELAS. Este “quando” se refere ao tempo da ignorância, de quando os seguidores do reino dos céus ainda estavam na velha vida, buscando satisfazer apenas os prazeres da carne. O verbo “vivíeis” está no passado, justamente porque os servos de Deus que faziam parte da igreja do Senhor Jesus de Colossos deixaram a velha vida de desobediência ao evangelho, para se dedicarem a vontade de Deus e de Cristo.

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Colossenses 3:5

Colossenses 3:5 - Mortificai, pois, os vossos membros, que estão sobre a terra: a prostituição, a impureza, a afeição desordenada, a vil concupiscência, e a avareza, que é idolatria.
MORTIFICAI, POIS, OS VOSSOS MEMBROS. Em textos anteriores o autor eleva os pensamentos dos seus leitores as maiores alturas, quando lhes aconselha a pensarem nas coisas que são de cima. Agora, ele enumera uma lista de vícios dos desejos carnais do ser humano, que devem a qualquer custo ser evitados. A expressão do apóstolo é de que os seguidores de Cristo em Colossos monitorem os seus desejos carnais, a fim de terem controle sobre suas ações para não viverem na carnalidade.

QUE ESTÃO SOBRE A TERRA. Querendo ou não, ainda vivemos na terra e somos parte da sociedade, muitas vezes sendo a todo o momento, tentados pelos desejos da carne e as concupiscências da vida. A realidade do dia a dia nos mostra que temos que matar um leão a cada dia para sobrevivermos espiritualmente, no meio de tantos atrativos e tentações que o mundo nos oferece. Somos seres humanos sujeitos as mesmas paixões. Porem, a renúncia é que nos faz diferentes dos demais.

A PROSTITUIÇÃO. Desde os tempos mais remotos da humanidade que a prostituição sempre foi um estigma imoral da sociedade que só prejudica a construção de famílias sólidas e bem estruturadas. Certamente na cidade de Colossos não era diferente, onde os irmãos eram tentados a caírem na prostituição, por meio do adultério, da prevaricação ou fornicação. Sem falar na prostituição espiritual que é trair a Deus, por meio da adoração e veneração aos ídolos e as imagens de escultura.

A IMPUREZA. O autor se refere à impureza moral, espiritual e física. Quando alguém procura driblar a malha moral da sociedade está de fato se embrenhando na impureza moral, e isso acontece quando tal indivíduo passa a praticar determinados atos, que são desaprovados pela maioria da sociedade. A impureza espiritual se trata da prostituição religiosa por meio da adoração e veneração aos ídolos e as imagens de escultura. Já a impureza física trata dos pecados sexuais reprovados pelo evangelho.

A AFEIÇÃO DESORDENADA, A VIL CONCUPISCÊNCIA. Certamente o autor se refere as práticas sexuais reprovadas por Deus e pela sociedade. O mesmo autor escreveu em Romanos 1:26-27 - Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.

E A AVAREZA, QUE É IDOLATRIA. O autor escreveu sobre isso em 1 Timóteo 6:9-10 - Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína. Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.

domingo, 10 de maio de 2015

Colossenses 3:4


Colossenses 3:4 - Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com ele em glória.
QUANDO CRISTO. Quando, se refere à volta do Filho de Deus para buscar a sua igreja, que ele comprou e remiu com o seu sacrifício de amor em prol da humanidade. Ele prometeu: Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também (João 14:2-3). O adjetivo ou sobrenome “Cristo” nos ensina sobre a missão do Messias de Deus ou o Emanuel de Deus na terra. Falar de Cristo é falar da própria redenção.

QUE É. Quem é Cristo? Ele próprio responde a esta pergunta: João 11:25-26 - Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá. E todo aquele que vive, e crê em mim, nunca morrerá. Crês tu isto? Ainda em João 1:4 - Nele estava à vida, e a vida era a luz dos homens. A prova maior desta verdade é que ele ressuscitou de entre os mortos ao terceiro dia, porque é a própria vida em essência. Como também ele provou que era a vida ressuscitando pessoas.

A VOSSA VIDA. O ser humano natural tem como sentença a morte e carrega como certeza o fato de que a qualquer momento pode ser vítima deste grande inimigo da raça humana, que é a morte física. E todos aqueles que rejeitam a redenção que está em Cristo, além da morte física, terá também como consequência de sua rebelião a morte eterna. Mas os que estão em Cristo e vivem para Cristo, pode até ser participante da morte biológica, mas tem a grande esperança de desfrutar a vida eterna, vida plena, vida feliz. A nossa vida esta escondida em Cristo, que é a nossa vida.

SE MANIFESTAR. Quando Cristo que é a nossa vida se manifestar. Isso nos ensina sobre o momento do arrebatamento da igreja, que será o dia da redenção dos remidos de Cristo. O dia do arrebatamento da igreja será a prova maior de que não somente Cristo teve vitória sobre a morte, mas também a sua igreja também. Até porque os remidos em Cristo que já dormem no senhor ressuscitarão primeiro, depois os que estiverem vivos serão transformados. Este será o grande triunfo da igreja de Cristo.

ENTÃO TAMBÉM VÓS. É maravilhoso pensar que uma multidão incontável de remidos em Cristo será manifesta também com o Senhor Jesus no grande dia do arrebatamento da igreja. Se hoje, pode-se dizer que é grande o números dos seguidores de Cristo vivos, imagina juntar todos os salvos, desde que Cristo veio.

VOS MANIFESTAREIS COM ELE. A igreja primitiva carregava consigo a esperança de que o Senhor Jesus haveria de retornar em seus próprios dias, porque não conhecia o hiato de tempo que haveria entre a primeira vida do Messias e a volta do Cristo de Deus para arrebatar a sua igreja. O arrebatamento é a manifestação da igreja remida.

EM GLÓRIA. Quando o Messias de Deus se manifestou na terra para cumprir a missão redentora da humanidade, ele apareceu como servo de Deus e da igreja, que ele estava comprando. No arrebatamento, ele se manifestará glorificado, juntamente com todos aqueles que foram remidos com o seu sacrifício expiatório.

Colossenses 3:2-3


Colossenses 3:2-3 - Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra. Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.
PENSAI. As igrejas de Cristo em toda a terra estavam passando por momentos difíceis pelas perseguições do império romano, dos judaizantes e os falsos mestres gnósticos, e com a igreja de Colossos não era diferente, portanto, era natural que as preocupações tomassem conta da mente dos seguidores de Cristo naquela cidade. Como o escritor tinha conhecimento de tais preocupações, ele procurou por meio desta carta, direcionar os pensamentos dos irmãos de Colossos para o que de fato era importante neste momento, que era justamente se ligar nas coisas de Deus.

NAS COISAS. As coisas que estavam afetando diretamente a igreja de Cristo na cidade de Colossos eram as perseguições perpetradas pelas autoridades de Roma, que além de mararem o Senhor Jesus, procuravam agora, deter o crescimento do cristianismo no mundo gentílico. Além é claro, de ter que lidar com as fábulas dos judaizantes e os falsos ensinos dos mestres gnósticos que como heresias tentava prejudicar o bom desempenho espiritual da igreja de Cristo. Todavia, o autor procura tirar estas preocupações dos irmãos lhes recomendando sobre coisas mais importantes.

QUE SÃO DE CIMA. Os que faziam parte do corpo de Cristo em Colossos deviam mesmo era se envolverem com as coisas que são de cima. Estas coisas que são de cima, conforme o evangelho das boas novas é o reino de Deus, a tão esperada salvação, a vida plena e abundante, chamada também de vida eterna com Deus e com Cristo nas mansões celestiais. As coisas que são de cima sãos os dons espirituais e também os dons ministeriais e tudo o mais que envolve as coisas da igreja de Cristo.

E NÃO NAS QUE SÃO DA TERRA. Que os seguidores de Cristo em Colossos tirassem do pensamento e da mente as coisas desta vida, ou as coisas terrenas, como os problemas enfrentados com o império romano, os judaizantes, os falsos mestres gnósticos e os líderes das religiões naturais e místicas. Também não deviam se preocupar com os bens matérias que estavam sendo confiscados pelas autoridades romanas, porque o mais importante eles já tinham, que era a promessa de vida eterna.

PORQUE JÁ ESTAIS MORTOS. Mortos não para Deus nem nas coisas espirituais, mais sim, mortos para o mundo e para as coisas desta vida. Um verdadeiro seguidor do reino de Cristo vive no mundo, mas é como se não vivesse mais para os interesses desta vida, porque o seu alvo é alcançar os céus e buscar as coisas que são de cima.

E A VOSSA VIDA. A caminhada daqueles que vivem para Cristo, porque estão mortos para o mundo é alicerçada e desenvolvida na vida plena e abundante. Quem tem a Cristo como Senhor e Salvador, sua vida não é temporal nem passageira, porque já desfruta da vida eterna, mesmo ainda estando na esfera terrena do mundo perecível.

ESTÁ ESCONDIDA COM CRISTO EM DEUS. A ressurreição de Cristo de entre os mortos é a garantia da promessa de que os remidos em Cristo também estão envolvidos no processo da transformação espiritual, conforme a imagem de Cristo. E assim como Cristo em Deus foi absorvida pela incorruptibilidade, assim é a sua igreja também.

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Colossenses 3:1


Colossenses 3:1 - Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus.
PORTANTO, SE JÁ. Apesar de ser uma afirmativa da parte do escritor, porem, o “se” não deixa de ser uma condicional. Na realidade o apóstolo conhecia a igreja de Colossos de ouvir falar, até porque ele mesmo afirma que não era conhecido de vista pelos seguidores de Cristo daquela cidade. É provável que alguma dúvida pairasse sobre a mente do autor se realmente os cristãos de Colossos haviam se convertido de verdade ao cristianismo. Por outro lado, o apóstolo condiciona a fé dos irmãos, para lhes fornecer a oportunidade de reflexão sobre o seguir fielmente a Cristo.

RESSUSCITASTES. A ressurreição espiritual é algo que nunca vai ser compreendida pelo mundo e por aqueles que ainda vivem para as coisas desta vida. Essa ressurreição espiritual tem início pelo exercício da fé no poderoso nome de Cristo e em sua perfeita obra de redenção em prol da humanidade. Depois ela se dá pelo novo nascimento e da regeneração da alma. Por isso que o evangelho pregado pelo apóstolo defende de que todos aqueles que estão em Cristo Jesus são novas criaturas para uma nova vida.

COM CRISTO. A ressurreição de Cristo de entre os mortos ao terceiro dia é a força motriz da esperança da igreja de que do mesmo modo que Jesus de Nazaré ressuscitou para nunca mais morrer, assim os remidos do Senhor também usufruirão deste mesmo fenômeno. Ressuscitar com Cristo é a mesma coisa que ressuscitar em Cristo, e isso quer dizer que o novo convertido só foi regenerado por conta do trabalhar de Cristo em sua vida e porque ele acreditou na mensagem do evangelho.

BUSCAI AS COISAS. O homem natural já nasce programado para buscar as coisas terrena como se a sua existência se resumisse somente nesta passagem pela terra. De forma que todos aqueles que ainda não ressuscitaram com Cristo, só buscam as coisas materiais e o seu prazer está nos deleites desta vida terrena. Mas os que se converteram pelo poder do evangelho buscam as coisas que são de cima. Essa é uma expressão que fala do esforço dos seguidores de Cristo em buscar o reino de Deus.

QUE SÃO DE CIMA. O que são estas coisas que são de cima? Isso significa que os que ressuscitaram com Cristo são conscientes de que não pertencem a este mundo e que sua pátria é celestial, portanto, lá de cima das mansões celestiais. Buscar as coisas que são de cima é buscar a Deus Pai, Filho e Espírito Santo. É buscar fazer com que seja digno de participar do arrebatamento da igreja para ir morar na Jerusalém de cima.

ONDE CRISTO ESTÁ. Ele mesmo prometeu: Vou preparar lugar, para que onde eu estiver estejais vós também. Cristo ao ressuscitar de entre os mortos, ao terceiro dia, ele subiu ao céu e está assentado junto ao Pai, na presença de Deus, de onde também voltará para arrebatar a sua igreja, que ele comprou com o sacrifício de si mesmo lá no Calvário.

A DESTRA DE DEUS. Cristo está assentado à destra de Deus Pai, nas maiores alturas e isso descreve o alto grau de importância do Cristo de Deus, diante do Pai e também perante toda a criação. Essa expressão bíblica nos ensina sobre o governo de Cristo sobre tudo e sobre todos e o seu domínio, que nunca, jamais terá fim eternamente.

quinta-feira, 7 de maio de 2015

Colossenses 2:23.


Colossenses 2:23 - As quais têm, na verdade, alguma aparência de sabedoria, em devoção voluntária, e pretexto de humildade, e em disciplina do corpo, mas não são de valor algum senão para a satisfação da carne.
AS QUAIS TÊM NA VERDADE. O apóstolo está se referindo aos rituais, celebrações, preceitos e mandamentos, dos dogmas praticados pelos judaizantes, pelos falsos líderes do gnosticismo, e pelos líderes das demais seitas heréticas daquela época. O texto que temos a nossa frente retrata em essência o valor real que possuem os elementos das liturgias e os preceitos das falsas religiões. As igrejas cristãs deste tempo estavam sendo assediadas a se curvarem diante dos ataques dos hereges.

ALGUMA APARÊNCIA DE SABEDORIA. O movimento gnóstico desta época dizia que estava alicerçado na sabedoria e na ciência da religião, e com isso buscava fazer proselitismo no seio da igreja cristã para desviar os seguidores do evangelho simples de Cristo. Gnosticismo vem de gnose, e gnose quer dizer “conhecimento”, que no caso deste movimento gnóstico dentro das igrejas era entendido como o conhecimento dos mistérios desvendados aos praticantes do asceticismo religioso.

EM DEVOÇÃO VOLUNTÁRIA. Essa expressão para a época em que foi escrita esta carta significava “culto para si mesmo” ou “prática religiosa individual”. Na realidade os praticantes do asceticismo gnóstico seguiam os seus próprios instintos em devoção pessoal, em nada buscavam realizar a vontade de Deus, nem procuravam buscar o reino de Cristo. Até porque sua religiosidade era egocêntrica, em torno de si mesmo, e da satisfação pessoal e da carne. Esse é o tipo de religião humanista apenas.

E PRETEXTO DE HUMILDADE. Nas versões mais pontuais temos “com pretexto de falsa humildade”. Os líderes do gnosticismo demonstravam ser pessoas humildes e simples, porem, no fundo, no fundo, isso era apenas pretexto para dominarem a seu bel-prazer os prosélitos de sua religião e cauterizarem suas mentes com regras rígidas de asceticismos sacrificiais. A humildade deles era de fato fingida.

E EM DISCIPLINA DO CORPO. Os líderes do chamado movimento gnóstico, defendiam que, o corpo do ser humano é em si mesmo a morada do próprio mau, e que portanto, deve ser sacrificado ao máximo para se aperfeiçoar. Para tanto, eles submetiam seus corpos aos mais absurdos sacrifícios de si mesmo, por meio do asceticismo. O asceticismo entende-se como um amontoado de regras e dogmas religiosos com o objetivo de fazer diferenciação entre o profano e sagrado.

MAS NÃO SÃO DE VALOR ALGUM, SENÃO PARA SATISFAÇÃO DA CARNE. Todos os dogmas e práticas do gnosticismo, com seus rituais, preceitos e costumes são classificados neste ponto pelo autor, como de nenhum valor. Até porque tudo que era defendido pelos hereges e opositores do evangelho tinha como façanha tentar anular o valor expiatório da morte redentora de Cristo Jesus. O que eles praticavam só tinha valor para satisfazer o conforto mental dos seus adeptos e o prazer da carne deles.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Colossenses 2:21-22

Colossenses 2:21-22 – Tais como: Não toques, não proves, não manuseies? As quais coisas todas perecem pelo uso, segundo os preceitos e doutrinas dos homens.
TAIS COMO: NÃO TOQUEIS. Os gnósticos eram praticantes de dois extremos na religiosidade, em que de um lado havia os defensores da licenciosidade deliberada e do outro lado estavam aqueles que eram pragmáticos no asceticismo. Ao que tudo indica, o autor ataca diretamente os que seguiam o asceticismo extremo com suas proibições mais bizarras que se possa imaginar. Eles não permitiam que nem mesmo os familiares tocassem em seus entes queridos que viessem a falecer. Também não era permitido que os leigos tocassem nos objetos que por eles eram considerados sagrados. Os próprios líderes que se destacava dos demais viviam separados do povo comum.

NÃO PROVEIS. Era de fato grande a lista dos alimentos proibidos pelos ascetas religiosos do gnosticismo, com uma dieta bastante restrita no tocante a provar dos alimentos e das bebidas. Os alimentos oferecidos nas oferendas não podiam ser provados pelos adeptos do gnosticismo, mas apenas pelos falsos líderes religiosos que realizavam suas cerimônias científicas e filosóficas. Com seus rituais extremamente dogmáticos e misteriosos, suas liturgias religiosas seguiam regras bem elaboradas, com a intensão de impressionar os leigos em demonstrações de religiosidade apenas e tão somente.

NÃO MANUSEIES? Seguindo a lista de proibições determinadas pelos falsos mestres do gnosticismo e em parte pelos judaizantes, o autor enumera mais uma de suas regras, em que proibia aos seguidores das suas heresias de manusearem os objetos de culto, considerados sagrados pelos líderes da religiosidade falsa. Já nesta época, se dava início à ênfase dogmática das relíquias ou objetos ditos místicos nas práticas dos rituais e celebrações destas seitas heréticas. Como também tinha início às religiões de mistérios ocultos, em que apenas os líderes mais elevados tinham conhecimento de tais mistérios.

AS QUAIS COISAS TODAS. O autor chama a atenção dos seus leitores, ao destacar que todos estes objetos ditos místicos ou misteriosos dos rituais e celebrações destas seitas heréticas não tinham nada de diferente de qualquer outro que fosse da mesma espécie. Nas religiões de mistérios ocultos, há sempre a supervalorização de determinados objetos de cultos, em detrimento do que realmente deve ser adorado, que é Deus. Essa transferência do sagrado para o profano é tentar roubar a glória de Deus.

PERECERÃO PELO USO. Todos os objetos tão venerados pelos ritualistas e cerimonialistas das seitas heréticas são perecíveis e se contaminam como qualquer outro objeto. O valor sagrado não está em um objeto de culto, mas no Deus Santo.

SEGUNDO OS PRECEITOS. Todos os dogmas defendidos e todas as práticas religiosas das seitas heréticas não passam de preceitos humanos dos falsos mestres da religiosidade, tudo para impressionar e enganar os adeptos das heresias dos homens.

E DOUTRINAS DOS HOMENS. Jesus falou sobre esse assunto, destacando que os ensinos dogmáticos dos homens são mandamentos e mais mandamentos, que tem no fundo, no fundo, a intensão de escravizar e prender os homens nas redes da religiosidade. Os falsos metres gnósticos viviam de enganar os mais simples do povo.

terça-feira, 5 de maio de 2015

Colossenses 2:20


Colossenses 2:20 - Se, pois, estais mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos carregam ainda de ordenanças, como se vivêsseis no mundo.
SE, ESTAIS MORTOS. O “se” usado neste texto pelo autor é condicional, e deve levar os seus leitores a uma reflexão quanto ao seu estado de comunhão e compromisso com Cristo. Mortos com Cristo ensina sobre a rendição da vida de uma pessoa ao Senhorio de Cristo, onde a pessoa não faz mais o seu próprio querer, mas de forma imperiosa estabelece a vontade de Cristo sobre a sua vida. Quando alguém se converte ao cristianismo verdadeiro, pelo poder transformador do evangelho das boas novas, isso subtende que a pessoa morreu para as coisas do mundo para buscar o reino de Deus em primeiro lugar. Morrer para o mundo é nascer para Cristo.

COM CRISTO. A morte de Cristo teve e tem um efeito transformador e de grandes mudanças na vida dos seus seguidores, porque o sacrifício do Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo foi para estabelecer uma nova ordem mundial, com a implantação da nova dispensação da graça. A morte expiatória do Cristo de Deus não aboliu as ordenanças da lei para os Judeus que continuam no judaísmo, mas estabeleceu novos parâmetros para a igreja remida com o seu sacrifício redentor. De forma que a morte de Cristo foi para abrir a possibilidade de salvação para os gentios.

QUANTO AOS RUDIMENTOS DO MUNDO. O autor está se referindo a antiga dispensação com seus pactos nacionalistas e alianças com os descendentes de Abraão, Isaque e Jacó, a legislação mosaica. Dentro da nova dispensação da graça, com a vinda das boas novas do evangelho de Cristo, Deus está estabelecendo uma nova aliança, em que para a novo povo de Deus, que é a igreja, não seja preciso se submeter aos ditames impraticáveis da lei de Moisés, porque o evangelho das boas novas traça um novo perfil a ser projetado pelos seguidores de Cristo Jesus, o Salvador.

PORQUE QUE VOS CARREGAIS. Desde os primeiros momentos, quando Israel conquistou a terra de Canaã, e com a implantação da lei de Moisés, que sempre foi um fardo pesado para os Judeus cumprirem as exigências da legislação mosaica. Com o passar do tempo, o fardo foi se tornando cada vez mais insuportável, a prova disto é que os israelitas não tiveram condições de se manterem fieis a aliança com o seu Deus. O Messias se manifestou justamente para tirar o fardo pesado do povo de Deus.

DE ORDENANÇAS. A própria legislação mosaica era repleta de exigências para todos aqueles que se fizessem seguidores do judaísmo, e no tempo de Cristo isso se tornara cada vez mais impraticável, porque os escribas e fariseus complicavam ainda mais.

COMO SE VIVÊSSEIS NO MUNDO. Estudos criteriosos da antiga aliança com Israel demonstra que a legislação mosaica era para esta vida e com promessas terrenas. Mas a igreja de Cristo vive não mais para o mundo, mas, pela esperança de vida eterna, e não vida terrena. A lei é materialista e temporária, o evangelho de Cristo é eterno.

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Colossenses 2:19.

Colossenses 2:19 - E não ligado à cabeça, da qual todo o corpo, provido e organizado pelas juntas e ligaduras, vai crescendo em aumento de Deus.
E NÃO LIGADO. Os hereges que haviam se infiltrado de forma camuflada no seio da igreja de Cristo na cidade de Colossos, não estavam ligados a Cristo Jesus, que era de foto a cabeça de sua igreja naquele lugar, mas eles estavam a serviço de suas respectivas religiões. Os opositores do cristianismo não faziam parte da verdadeira igreja remida pelo Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, isso porque eles só tentavam prejudicar o andamento e a marcha da noiva do Cristo ressurrecto.

À CABEÇA. A crença religiosa dos mais antigos era de que da cabeça é que vêm todas as substâncias essenciais que nutre todo o corpo, e conforme a ciência moderna é do cérebro que vem todos os comandos que controla todos os movimentos e reações do corpo de um ser humano. Os inimigos do evangelho de Cristo não eram alimentados nem comandados pela vontade de Cristo, nem dele dependia para exercerem suas atividades. Isso porque, nem faziam parte do reino de Cristo nem a ele pertenciam.

DA QUAL TODO O CORPO. O autor usa uma metáfora que era muito conhecida nos seus dias, e por demais compreendida pelos seus leitores. Desde os dedos dos pés e das mãos, que são os últimos órgãos do corpo humano, passados por todos os demais membros do organismo vivo das pessoas, todos obedecem aos comandos ativados pelo cérebro do homem. Em um corpo normal, sem deficiências, todos os membros do corpo estão sujeitos ao que determinam as forças e impulsos do cérebro.

PROVIDO E ORGANIZADO. O estudo da anatomia humana tem descoberto uma variedade enorme na organização dos sistemas e funcionamentos do organismo humano. E quando todos os sistemas operacionais do corpo humano trabalham em perfeita harmonia, pode-se dizer que o corpo humano é uma máquina inteligente que segue as orientações e comandos do cérebro do homem. Assim é a igreja de Cristo, ela é bem organizada em suas funcionalidades executando a vontade de Cristo.

PELAS JUNTAS E LIGADURAS. Os comandos parte da “cabeça” passando por todas as juntas e obedecendo as ordens do cérebro por meio do sistema nervoso. As juntas são responsáveis pelas ligações de um membro do corpo ao outro, bem como os tendões, nervos e músculos fazem os membros seguintes exercerem as ordens da cabeça. Na igreja de Cristo funciona desta forma, em que um membro vai se edificando pelo outro, e que no final de Tudo, todos são comandados por Cristo “a cabeça”.

VAI CRESCENDO E AUMENTANDO EM DEUS. A tentativa dos falsos mestres gnósticos era de decapitar a igreja, tirando Cristo do comando e colocando os anjos como intermediários ou medianeiros entre Deus e os homens. No entanto, a igreja estando ligada a Cristo, tudo funciona de forma perfeita, assim como, o corpo que depende da cabeça para seu crescimento e desenvolvimento. A igreja depende de Cristo Jesus para cumprir as funções para a qual foi chamada para o reino de Deus e de Cristo.