Pesquisar este blog

segunda-feira, 29 de junho de 2015

2 Timóteo 2:24

2 Timóteo 2:24 - E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor.
E AO SERVO. Timóteo devia compreender de que era um servo da igreja de Cristo, do próprio Paulo, como seu auxiliar e cooperador nas missões e principalmente do Senhor Jesus Cristo, ele que é Rei dos reis e Senhor dos senhores. Portanto, como servo, ele não tinha vontade própria, e com isso devia obedecer e honrar a chamada de Cristo em sua vida para o ministério, no qual estava investido. Ao mesmo tempo em que os opositores de Timóteo deviam saber que ele servia a Cristo, Senhor de todos.

DO SENHOR. Servo do Senhor é a mesma coisa que seguidor ou discípulo de Cristo Jesus. Timóteo era servo do Senhor Jesus Cristo, e como tal, precisava seguir os seus passos e vontades. O Senhorio de Cristo é amplamente demonstrado em todo o conteúdo da palavra de Deus e Filipenses 2:9-11 – nos ensina de como Cristo se tornou o Senhor de todos - Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome. Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra. E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai. Ele é Senhor e Rei sobre tudo e sobre todos.

NÃO CONVÉM CONTENDER. Mesmo sendo perseguido, humilhado e pressionado, como era o caso de Timóteo, o ministro do evangelho não deve revidar aos seus opositores, porque se revidar perde a razão, prova que não está preparado para ser um líder cristão. O servo de Cristo deve seguir o exemplo do Mestre, que se quisesse teria enfrentado e vencido os seus inimigos pela guerra e pela força, porem, deixou tudo na mão de Deus, ele que sabe como defender os seus servos dos seus opositores.

MAIS SIM, SER MANSO. O autor aponta uma das características indispensáveis do servo de Cristo, que é ser manso. E essa é uma virtude daqueles que não contendem com ninguém, não revida a quem lhe ataca ou ofende, não briga com os seus acusadores, mas tudo suporta com paciência, sabendo de que o Senhor é o protetor dos seus servos. Aquele que é manso age pela razão e não pelo sentimento de raiva, ódio ou vingança, com isso ele não revida aos seus inimigos nem a seus opositores.

PARA COM TODOS. O ministro do evangelho e todos aqueles que são servos de Cristo devem ser mansos para com todos. Os seguidores do reino dos céus são chamados de ovelhas, e isso porque são pessoas calmas, serenas e que não reagem com ira contra quem quer que seja. Timóteo devia ser manso com os judaizantes, com os falsos mestres gnósticos, com os líderes das seitas heréticas, com os falsos irmãos infiltrados na igreja e com aqueles que desejavam tomar seu lugar na igreja.

APTO PARA ENSINAR. É uma obrigação do ministro do evangelho ser um professor ou discipulador polivalente, seja por meio de suas palavras, das suas ações e testemunho de vida. Como homem de Deus, o líder cristão deve servir de bom exemplo para os demais, no sentido de mostrar para aqueles que lhe rodeiam que ele anda nas pisadas do Mestre e que segue o seu exemplo em todas as áreas da vida.

SOFREDOR. Ser um ministro do evangelho não é tarefa nada fácil, até porque significa levar consigo a responsabilidade de sofrer as injustiças dos homens e assim mesmo não os vê como inimigos, mais sim, como alguém que precisa ser perdoado. Ser um líder da igreja primitiva era o mesmo que ter que enfrentar aflições, tribulações e perseguições.

2 Timóteo 2:23

2 Timóteo 2:23 - E rejeita as questões loucas, e sem instrução, sabendo que produzem contendas.
REJEITA. No texto anterior o apóstolo recomenda ao jovem ministro do evangelho de que fugisse das paixões da mocidade, e agora, ele exorta ao seu filho na fé, que rejeites aquilo que destrói e causa contendas dentro da igreja. Nem todos que frequentam as denominações são de fato convertidos de verdade, razão porque vez por outra ouve-se falar ou se ver brigas e discussões entre os seguidores do evangelho das boas novas. E por incrível que pareça, entre os ministros do evangelho.

AS QUESTÕES. Geralmente estas controvérsias entre os seguidores do reino de Deus são justamente por diferenças de opiniões, coisas simples que se fazem uma tempestade em um copo com água. No entanto, entre os que fazem parte do ministério são questões mais complexas, porque envolvem questões de cargos, posição e oportunidades, onde uns tentam passar outros para traz, por interesses pessoais de poder e influencia. Estas questões só prejudicam a obra de Deus.

LOUCAS. O autor chama estas questões de “loucas” porque chega a ser insanidade as ações de alguns, quando o poder sobe a cabeça, ao ponto de pensarem que são donos da igreja de Cristo, e com isso, para defenderem seus interesses pessoais, agridem com ações e palavras, os filhos de Deus e companheiros de ministério. Têm ministros do evangelho que partem para a irracionalidade quando se sentem ameaçados por outros, que buscam ocupar seus espaços e posições dentro da casa de Deus.

E SEM INSTRUÇÃO. As disputas, as contendas e as divisões por cargos, posição e privilégios dentro das igrejas não produzem nenhum tipo de proveito, nem edificação para o corpo de Cristo que é a igreja. Pelo contrário, só prejudica a obra de Cristo e o desenvolvimento da espiritualidade de cada um dos membros do corpo de Cristo. Quando si diz que estas questões não têm instrução é porque não serve para nada.

SABENDO QUE. O jovem Timóteo era um ministro do evangelho que foi bem instruído por sua mãe, sua avó e por Paulo em como agir inteligentemente como servos de Cristo. De forma que ele sabia, como também os seus opositores eram conscientes de que estas questões e disputas, não levariam a nada de bom. Não traria nenhum benefício para os envolvidos, nem muito menos para a obra de Cristo e sua igreja.

PRODUZEM. Mas o resultado era a produção de prejuízos e de perdas para os que estavam se levantando contra Timóteo, e para a igreja do Senhor Jesus. A preocupação do escritor era justamente no que poderiam chegar estas disputas loucas por cargos, posição e oportunidades. No final de tudo, muitos ficariam feridos, magoados, tristes, intrigados uns com os outros, divididos e prejudicados.

CONTENDAS. É triste ver que pessoas que ocupam posições de destaques na obra de Deus vivem a contender uns com os outros, em defesa dos seus territórios já conquistados, para não perderem seus privilégios e espaços. Quando sabemos que o mais importante é o bem-estar da igreja e o crescimento do reino de Deus. Os ministros do evangelho devem ser exemplos de união, mantendo sempre o vínculo da paz.

sábado, 27 de junho de 2015

2 Timóteo 2:22

2 Timóteo 2:22 - Foge também das paixões da mocidade; e segue a justiça, a fé, o amor, e a paz com os que, com um coração puro, invocam o Senhor.
FOGE TAMBÉM DAS PAIXÕES DA MOCIDADE. Nos textos anteriores, o autor incentiva seu amigo a que ele busque ser um vaso de honra, preparado para servir ao Senhor de forma digna. Agora, Timóteo é exortado pelo seu pai na fé, a que busque fugir das paixões da mocidade. Com isso entende-se que o seu companheiro de ministério era bem jovem quando recebeu esta correspondência de Paulo. Fugir neste caso é procurar de todas as formas não seguir os desejos carnais da mocidade.

E SEGUE A JUSTIÇA. Neste ponto, o escritor mostra um bom caminho a ser seguido pelo jovem ministro do evangelho na cidade de Éfeso. Seguir a justiça é praticar a verdade em todos os atos e ações do dia a dia em que envolvem outras pessoas. Seguir a justiça também implica em guardar as recomendações e as diretrizes do evangelho das boas novas, porque nele se encontras os mandamentos de Cristo para os seus seguidores. Em fim, seguir a justiça é seguir a Cristo que é a justiça de Deus.

A FÉ. De acordo com o judaísmo, os filhos de Israel eram obrigados a guardarem todos os mandamentos da legislação mosaica, e quem assim não fizesse era penalizado e sofria as consequências determinadas pela lei. De acordo com o cristianismo fundado por Cristo ou nova dispensação da graça, o justo é aquele que vive pela fé em Cristo Jesus e na sua obra eficaz de redenção em prol da humanidade. Viver pela fé é descansar nos braços de Cristo e viver cheio de esperança e de confiança plena.

O AMOR. Seguir o amor é obedecer aos mandamentos da nova lei de Cristo, uma vez que ele próprio falou: Amará o Senhor teu Deus de todo teu coração de toda tua alma e com todas as tuas forças. E depois amarás ao teu próximo como a ti mesmo, destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas. Portanto, a lei de Cristo aponta de que devemos dedicar todo o nosso amor para com o nosso Deus e também por meio de nossos atos demonstrar este amor para com o nosso próximo.

E A PAZ COM OS QUE. Seguir a paz é procurar de todas as formas evitar conflitos com quem quer que seja, mesmo que em determinadas situações estejamos com a razão ou que em dado momento estejamos sendo injustiçados, porque manter a calma e a tranquilidade é a melhor opção para não viver a todo momento fazendo guerra. Timóteo estava no meio de uma guerra de poder, mas precisava manter a paz.

COM UM CORAÇÃO PURO. Ao que tudo indica, o que estava acontecendo na igreja do Senhor Jesus na cidade de Éfeso, era de fato disputas por cargos e posições entre os próprios ministros do evangelho. Há quem diga que alguém de Jerusalém, do grupo dos apóstolos, estava querendo ocupar o lugar de Timóteo naquela igreja, por se achar mais qualificado para tal cargo, e isso porque a igreja de Cristo naquela cidade era uma grande igreja, portanto, qualquer um queria ser o líder daquela comunidade cristã.

INVOCAM O SENHOR. O apóstolo nos dá a entender que neste caso, os opositores de Timóteo não eram os judaizantes, nem os falsos mestres gnósticos, nem muito menos os líderes das seitas heréticas pagãs, mas eram pessoas do próprio ministério cristão.

sexta-feira, 26 de junho de 2015

2 Timóteo 2:21

2 Timóteo 2:21 - De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa obra.
DE SORTE QUE, SE ALGUÉM. O autor nos deixa escapar de que, isso depende da vontade de cada um, que no exercício do seu livre arbítrio, pode ou não optar por fazer a obra do Senhor como vaso de honra ou de desonra. O apóstolo estava por certo inteirado das dúvidas de Timóteo sobre permanecer ou não na administração eclesiástica da igreja de Éfeso, como também sabia das pressões internas e externas que pairavam sobre sua cabeça. Cabia então a Timóteo tomar a decisão correta.

SE PURIFICA DESTAS COISAS. Como Paulo conhecia a vida e testemunho de Timóteo, porque ele era seu filho na fé, o acompanhava em suas viagens missionárias, além de ter sido consagrado e separado para o ministério pelo apóstolo. O autor sabia que seu companheiro de ministério havia se convertido de verdade pelo poder do evangelho, ao ponto de ter as credencias de um servo de Cristo que havia deixado o mundo e os prazeres da carne para se purificar da soberba desta vida terrena.

SERÁ VASO PARA HONRA. Não se trata de uma negação da parte de Paulo ou dúvida do apóstolo quanto a vida e testemunho do seu amigo Timóteo, pelo contrário, é uma afirmativa de que ele estava de fato exercendo seu ministério de forma digna, tanto diante de Deus, quanto diante da igreja de Cristo. E certamente o escritor dava seu aval de que Timóteo era na realidade um vaso de honra, pronto e preparado para exercer com integridade seu ministério para o qual foi separado e consagrado por Paulo.

SANTIFICADO E IDÔNEO. Santificado neste caso significa dizer: Separado e preparado para o exercício das funções designadas ao ministério. Somente aquelas pessoas que se divorciaram completamente das coisas profanas deste mundo é que estão preparadas para exercerem funções no ministério da igreja de Cristo. E quando se fala sobre idôneo esta se referindo ao modo de vida ilibada que um ministro deve ter diante de si mesmo, da sociedade e principalmente diante de Deus que tudo conhece.

PARA USO DO SENHOR. Cada um daqueles que nasceram de nova pela regeneração produzida pelo Espírito Santo de Deus, que se converteram dos seus maus caminhos e que buscam o reino de Deus em primeiro lugar e as coisas que são de cima, podem ser um instrumento de Deus para fazer a sua vontade. Deus usa cada um dos seus servos para o que for útil, uns na oração e intercessão, outros no louvor e outros na palavra.

E PREPARADO. Essa preparação começa a partir do momento em que no exercício da fé, alguém recebe a Cristo como Senhor e Salvador, porque a partir de então, tem início uma jornada de busca pelo desenvolvimento espiritual, por meio da oração, meditação e estudo da palavra de Deus. O próprio Deus, quando chama, dependendo do empenho e dedicação daquele que foi escolhido, ele capacita por meio dos dons espirituais.

PARA TODA BOA OBRA. Essa toda “boa obra” a que se refere o autor, diz respeito às virtudes positivas que os membros do corpo de Cristo desenvolvem em torno das atividades do reino de Deus. De fato, cada um dos seguidores de Cristo precisa realizar a chamada de Deus para a qual foi convocado, fazendo a vontade de Deus e exercendo o ministério que foi designado pelo Espírito Santo.

2 Timóteo 2:20

2 Timóteo 2:20 - Ora, numa grande casa não somente há vasos de ouro e de prata, mas também de pau e de barro; uns para honra, outros, porém, para desonra.
ORA, NUMA GRANDE CASA. O escritor usa mais uma de suas metáforas para ensinar a Timóteo e a igreja de Cristo em Éfeso sobre os tipos de pessoas que fazem parte da comunidade cristã, não somente daquela época, mas de todos os tempos, inclusive dos dias atuais. A maioria dos interpretes do Novo Testamento concordam de que essa “grande casa” sobre a qual o autor se refere, diz respeito à igreja de cristo, com suas variedades de pessoas diferentes uma das outras, em caráter e personalidades.

NÃO SOMENTE HÁ VASOS. Esses vasos sobre os quais o apóstolo se reporta, dizem respeito aos utensílios domésticos que há em uma grande casa em que moram muitas pessoas. Poderíamos escrever sobre potes, jarros, pratos, colheres, mesa, cadeira, estante, sofá, televisor, geladeira, fogão, ar condicionador e etc. Na casa de Deus há também, pessoas que são usadas na oração como intercessores, no louvor, os pregadores da palavra, mestres, missionários e ministros do evangelho.

DE OURO E DE PRATA. Nos tempos mais remotos da antiguidade, eram comuns os utensílios domésticos serem confeccionados com ouro, com prata ou outros metais mais preciosos. No entanto, no uso diário das atividades domésticas eram usados os utensílios mais comuns e baratos, porem, nos eventos festivos e nos dias de comemorações eram utilizados os objetos mais valiosos, como efeito de honra tanto do dono da casa, quanto dos convidados e visitantes, em demonstração e respeito.

MAS TAMBÉM DE PAU. Os utensílios feitos de madeira tinham grande utilidade pelos menos afortunados da sociedade, porque era de fácil acesso para os mais pobres, o que fazia a separação social entre os que eram mais ricos e os necessitados. Praticamente todos os objetos de um lar das classes mais pobres dos povos antigos eram feitos de madeira, por isso que eram comuns as carpintarias e serrarias. O vaso de pau na igreja, certamente representa aquele de tem pouco destaque na igreja.

E DE BARRO. Da mesma forma eram os objetos feitos de barro pelos mais pobres ainda da sociedade, isso porque, o barro é um produto que está disponível para qualquer pessoa, mesmo os mais carentes da sociedade. Os utensílios de barro se desgastam com mais facilidade e se quebram fáceis. É provável que represente os mais débeis na fé, bem como aqueles que se desviam da verdade por qualquer motivo.

UNS PARA HONRA. A utilização do vaso e o seu valor econômico era que determinava se ele era usado para honra ou não. Os mais ricos da sociedade usavam seus objetos de ouro, prata ou metais preciosos numa demonstração de poder econômico. Na igreja, os que são usados na obra para glória do nome de Cristo é que são vasos de honra. Esses são usados pelo Espírito de Deus para serviços importantes na edificação da igreja do Senhor Jesus.

OUTROS, POREM, PARA DESONRA. Convidar a alguém nos tempos antigos e usar utensílios de madeira ou de barro era uma desonra e falta de respeito da parte do anfitrião da casa para com seu convidado. Estes vasos de desonra, certamente representam aqueles que envergonham o evangelho de Cristo dentro das igrejas, são aqueles que estão infiltrados no meio do povo de Deus com segundas intensões, para tirarem proveito do povo de Deus.

quarta-feira, 24 de junho de 2015

2 Timóteo 2:19

2 Timóteo 2:19 – Todavia, o fundamento de Deus fica firme, tendo este selo: O Senhor conhece os que são seus, e qualquer que profere o nome de Cristo aparte-se da iniquidade.
TODAVIA, O FUNDAMENTO DE DEUS. Quando se fala sobre fundamento está se referindo a segurança, firmeza e realidade de algo que tem fidelidade. O escritor certamente se reporta a essência de Deus em ser o que ele é de verdade e sobre tudo que envolve seus conceitos revelados no evangelho da verdade. Diferente do que pregavam e propagavam os gnósticos, que em suas vulnerabilidades filosóficas mudavam de ideologia conforme lhes eram convenientes por interesses pessoais.

FICA FIRME TENDO ESTE SELO. O apóstolo neste texto defende suas pregações e ensinos como algo que vem de Deus diretamente e não como conceitos pessoais sobre doutrinas humanas ou conjunto de regras de um evangelho filosófico. Quando se refere a “selo” dentro dos parâmetros do evangelho está se falando sobre a garantia daquilo que está se escrevendo ou afirmando. De forma que as pregações e esta própria missiva de Paulo tem o selo de Deus e a garantia de que foi Deus quem revelou ao apóstolo tais verdades.

O SENHOR CONHECE. Deus é Onisciente e isso trata do conhecimento absoluto que o Todo-poderoso tem em si mesmo, como sendo o Deus eterno em que nada foge do seu olhar perscrutador. Ninguém tem na testa um ferro ou um sinal dizendo que pertence ou não a família de Deus, porem, os que são de Cristo tem na sua alma e no seu espírito a luz divina que os identificam como eleitos do Deus de bondade. Deus sabe perfeitamente quem são aqueles que fazem a sua vontade aqui na terra.

OS SEUS. Deus conhece os seus. Romanos 8:29-30 - Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou. Salmos 100:3 - Sabei que o SENHOR é Deus; foi ele que nos fez, e não nós a nós mesmos; somos povo seu e ovelhas do seu pasto.

E QUALQUER QUE PROFERE. Essa frase é a mesma coisa que “e qualquer que confessa”. Os cristãos da igreja de Cristo na cidade de Éfeso, antes de se converterem ao cristianismo pertenciam a outras religiões ou seitas pagãs, inclusive a maioria dos países que eram colônias do império romano pertenciam a antiga religião romana, porque o império levava em suas conquistas, os seus costumes, tradições e religião. Mas agora, os cristãos confessavam a Cristo como Senhor e Salvador deles.

O NOME DE CRISTO. Confessar o nome de Cristo era a mesma coisa que declarar-se cristão ou passar a seguir o cristianismo. Muitas pessoas estavam se convertendo do judaísmo, do romanismo e das demais seitas heréticas para o cristianismo.

APARTE-SE DA INIQUIDADE. O escritor está alertando de que aqueles que confessavam a Cristo como Senhor e Salvador deveriam mudar de vida. Se antes viviam na depravação mundana, depois de se converter para Cristo pelo poder do evangelho das boas novas, tinham que se apartar de tudo que é errado, mal e perverso.

terça-feira, 23 de junho de 2015

2 Timóteo 2:18

2 Timóteo 2:18 - Os quais se desviaram da verdade, dizendo que a ressurreição era já feita, e perverteram a fé de alguns.
OS QUAIS. O autor se refere à Himeneu, a Fileto e a todos os que se levantaram na igreja de Éfeso contra os princípios doutrinários do cristianismo. Os inimigos do evangelho da verdade se infiltravam nos lares cristãos com falatórios profanos com suas fábulas artificias, com suas filosofias sufistas que tinham como objetivo perverter a fé dos mais simples, e isso traziam grandes prejuízos para a igreja de Cristo, porque até certo ponto conseguiam arrastar alguns que chegava a se desviarem.

SE DESVIARAM. Tanto Himeneu quanto Fileto e todos os hereges que estavam causando problemas na igreja de Éfeso estavam desviados do evangelho. Mas estavam lá no meio do povo de Deus. Como acontece nos dias de hoje, muitos estão dentro das denominações, fazem parte dos ministérios, cantam nos conjuntos e nos corais, participam das atividades normais e das liturgias de cultos, mas no fundo, no fundo são ervas daninhas, que ao seu bel prazer, só cuidam dos seus interesses.

DA VERDADE. Se desviar da verdade é, sobretudo está na igreja ou exercer qualquer função no ministério por interesses pessoais e não pela causa do reino de Cristo. Jesus quando exerceu seu ministério, assim o fez em prol dos outros e não de si mesmo. Do mesmo modo foi o escritor desta carta, ele não exerceu seu ministério para tirar proveito financeiro do evangelho, mas trabalhava com as próprias mãos para não depender da igreja, se desviar da verdade é ser transformado em um profissional do evangelho, por meio do comercio da fé.

DIZENDO QUE A RESSURREIÇÃO. Os gnósticos defendiam conceitos totalmente opostos das definições cristãs quanto à ressurreição dos justos. Já a crença judaica sobre a ressurreição era um pouco parecida com a crença cristã, porem com algumas variações. O Novo Testamento nos fornece a mais real designação dentro da verdade sobre esse assunto, quanto aos justos e principalmente quanto aos remidos em Cristo, o que nos faz crer que os justos que dormem em Cristo ressuscitarão primeiro, depois nós os que estivermos vivos seremos transformados.

ERA JÁ FEITA. Os gnósticos defendiam de que a ressurreição dos justos aconteceu justamente quando Cristo ressuscitou e com ele os que estavam no seio de Abraão foram transportados para o paraíso. E que depois deste evento, não haveria mais ressurreição, mas sim sucessivas reencarnações até que a alma alcance a perfeição. Não havendo, portanto para eles, ressurreição do corpo, nem tão pouco transformação, como Paulo ensinava, conforme 1 Coríntios 15:51-57.

E PERVERTERAM. Tais ensinos heréticos dos gnósticos só gerava confusão na mente dos menos esclarecidos dentro da comunidade cristã, porque essas heresias dos opositores do evangelho da verdade, caminham na contra mão de tudo aquilo que Cristo ensinou, os apóstolos e os missionários cristãos. Em várias referências dos escritos de Paulo ele dedicou boa parte do conteúdo de suas obras literárias para ensinar sobre esse assunto, destacando o capítulo 15 de 1 Coríntios quase em sua totalidade.

A FÉ DE ALGUNS. O autor se reporta sobre o conjunto de crenças pregadas e ensinadas por ele sobre a ressurreição dos que dormiam em Cristo. Aprendemos que todos os remidos de Cristo ressuscitarão no dia do arrebatamento, os vivos serão transformados, os que morrerem em Cristo depois do arrebatamento um dia ressuscitarão também para reinar com Cristo, e entrarem nos portões da vida eterna.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

2 Timóteo 2:16-17

2 Timóteo 2:16-17 - Mas evita os falatórios profanos, porque produzirão maior impiedade. E a palavra desses roerá como gangrena; entre os quais são Himeneu e Fileto.
MAS EVITA OS FALATÓRIOS. Para Timóteo, o autor recomenda que ele maneje bem a palavra da verdade, até porque como ministro da igreja de Éfeso, ele precisava pregar o evangelho para os cidadãos daquela cidade, além é claro de ensinar as doutrinas cristãs aos seguidores de Cristo que já faziam parte da igreja local. Porem recomenda o apóstolo ao seu companheiro de ministério e filho na fé, que ele buscasse evitar falatórios com os hereges e inimigos do evangelho que apareciam em Éfeso.

PROFANOS. Geralmente, quando dois ou mais homens de Deus se encontram, buscam conversar sobre as coisas do reino de Deus e as coisas que são de cima, até para que um possa edificar o outro com a palavra de Deus e o que prevalece é justamente um diálogo sobre os mistérios de Deus. No entanto, quando os profanos se encontram, a tendência é se desbocarem sobre as coisas desta vida, sobre bens materiais, os prazeres carnais e não sobre as coisas da igreja de Cristo e do evangelho do reino.

PORQUE PRODUZIRÃO MAIOR IMPIEDADE. Os Judaizantes, os falsos mestres gnósticos, os hereges das seitas pagãs, e os opositores do evangelho de Cristo, se infiltravam no meio da igreja do Senhor para gerarem confusão e tumultuarem a obra de cristo. O cuidado do apóstolo era para que os líderes do cristianismo, e no caso da igreja de Éfeso Timóteo, fosse vigilante, no sentido de não permitir que os inimigos do evangelho das boas novas tivessem espaço para semear suas heresias na igreja.

E A PALAVRA DESSES. Quem tinha experiência no evangelho de Cristo e conhecimento das doutrinas cristã da nova aliança, não se deixava enganar por esses hereges e opositores do reino de Cristo. Mas, a igreja em sua grande maioria é composta de pessoas simples da sociedade, e os novos convertidos são como meninos e adolescentes na fé, portanto, fáceis de se tornarem presas das palavras sedutoras e enganadores dos falsos mestres com seus discursos profanos e enganadores.

ROERÁ COMO GANGRENA. Essa palavra gangrena se refere ao câncer ou as enfermidades que causam úlceras no organismo humano e que não tinham cura e nem controle pelas ciências médicas da época, por isso se espalhava de forma incontrolável a ponto de causar grandes lesões no corpo de suas vítimas. As más conversações de qualquer membro da igreja de Cristo com os hereges tinham os mesmos efeitos espirituais negativos, na alma e no espírito dos que se deixavam enganar por eles.

ENTRE OS QUAIS SÃO HIMENEU. Uma outra referência a este mesmo personagem se encontra em 1 Timóteo 1:20 - E entre esses foram Himeneu e Alexandre, os quais entreguei a Satanás, para que aprendam a não blasfemar. O que se sabe sobre este indivíduo é de que ele pertencia ao gnosticismo e que se opusera ao evangelho de Cristo em Éfeso.

E FILETO. Essa é a única referencia no Novo Testamento sobre essa personagem. Não é um nome próprio, mas sim um apelido e significa; aquele que se faz de amigo para subornar por meio de subterfúgio. O que era bem característico de um chefe gnóstico, que se infiltrava no meio da igreja para enganar os mais simples com suas filosofia religiosas do engano.

domingo, 21 de junho de 2015

2 Timóteo 2:15

2 Timóteo 2:15 - Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.
PROCURA. Paulo era o mais honrado líder cristão da igreja de Cristo no mundo gentílico desta época, portanto, tinha autoridade para exortar seu companheiro de ministério ou qualquer outro sobre como ser um verdadeiro ministro do evangelho de Cristo Jesus. Ser um obreiro da igreja de Cristo e ministro do evangelho das boas novas requer um grande esforço e perseverança por parte de quem é chamado para tal ofício, razão porque o autor recomenda a Timóteo que ele procure ser assim.

APRESENTAR-TE. Isso nos ensina sobre o modo como cada um dos ministros do evangelho se porta como representante do reino de Cristo diante da responsabilidade que lhe é imposta na obra de Deus e na administração eclesiástica das igrejas locais. O obreiro precisa assumir suas responsabilidades diante do cargo que ocupa na obra do evangelho e com dignidade honrar sua posição como embaixador do reino dos céus na terra. O seu testemunho é o que conta diante de Deus, da igreja e da sociedade.

A DEUS. Em nossos dias, ao que tudo indica, essa recomendação entrou em desuso, uma vez que os chamados ministros procuram fazer e tudo para diante das convenções ganharem posições diante uns dos outros e não diante de Deus. Procura-se por meio de artifícios humanos galgarem cargos, usando da bajulação, da barganha e da compra de cargos, em vez de serem efetivamente aprovados por Deus. De que adianta ser aprovado pelos homens e reprovados por Deus?

APROVADO. O ministro aprovado por Deus não é aquele que é endeusado pelas massas, mas sim, aquele que com humildade e simplicidade busca atribuir toda honra e todo glória a Cristo. O obreiro pode ser aprovado pela grande maioria, mas diante de Deus ser reprovado, porque suas intenções frente à obra da igreja não são legítimas, isso porque busca mais se esforçar pelos seus interesses pessoais, do que os dignos interesses pelas coisas que são de cima e o bem-estar da igreja de Cristo.

COMO OBREIRO. Neste caso, obreiro é aquele que está de fato envolvido com a pregação do evangelho das boas novas, como também aqueles que se envolvem diretamente com o discipulado ou ensino das doutrinas cristãs na igreja do Senhor Jesus, além é claro, e principalmente, aqueles que estão envolvidos com a administração eclesiástica das igrejas locais. Todos estes precisam se destacar diante de Deus como alguém que de forma legítima e sincera fazem a obra de Cristo.

QUE NÃO TEM DE QUE SE ENVERGONHAR. O bom testemunho de um obreiro da casa de Deus é muito importante para o povo de Deus, até porque muitos se espelham no seu exemplo de vida para seguirem o caminho do evangelho. Alguém que olha para um ministro do evangelho tem que ver nele um representante de Cristo.

QUE MANEJA BEM A PALAVRA DA VERDADE. É inadmissível que um ministro do evangelho seja despreparado para o ensino da palavra de Deus e a pregação do evangelho das boas novas. Hoje são inúmeros os meios que dá ao obreiro a possibilidade do seu desenvolvimento e crescimento no conhecimento da palavra.

sábado, 20 de junho de 2015

2 Timóteo 2:14

2 Timóteo 2:14 - Traze estas coisas à memória, ordenando-lhes diante do Senhor que não tenham contendas de palavras, que para nada aproveitam e são para perversão dos ouvintes.
TRAZE ESTAS COISAS. Certamente a igreja de Cristo na cidade de Éfeso já sabia dos ensinos cristãos que o apóstolo ensinava em todas as igrejas por onde ele passava e pregava. Era costume do apóstolo doutrinar aos seguidores de Cristo sobre como se comportarem entre si e no meio da sociedade da qual faziam parte como cidadãos. Além é claro, desta própria epístola que devia ser lida para a igreja, como também as demais cartas do apóstolo que também circulavam em todas as igrejas da época.

A MEMÓRIA. De fato, a amnésia parece ter chegado à mente de muitos da igreja de Cristo que estava na cidade de Éfeso ao ponto de esquecerem-se dos ensinos de Paulo sobre seus deveres cristãos uns para com os outros e também para com os visitantes e ouvintes do evangelho de Cristo. Neste ponto, o escritor recomenda a seu amigo e companheiro de ministério, que também era o líder daquela igreja de que ele refrescasse a mente dos irmãos sobre algumas coisas que haviam se esquecido.

ORDENA-LHES DIANTE DO SENHOR. Como sendo o grande apóstolo dos gentios e, portanto, um dos maiores líderes do cristianismo no mundo gentílico, o apóstolo passa uma ordem expressa ao seu amigo e companheiro de ministério de que ele desse essa ordem a todos que faziam parte da igreja em Éfeso para que deixassem de contenderem uns com os outros, porque isso só servia para promover divisão entre eles, além de provocarem escândalos diante dos visitantes e ouvintes do evangelho.

QUE NÃO TENHAM CONTENDAS. Há quem diga que alguns dos apóstolos originais andavam circulando a igreja de Éfeso, por ser essa uma grande igreja, com o intuito de tomarem o lugar de Timóteo, que no momento era o líder local desta grande igreja. Com isso, havia uma disputa interna entre os ministros e auxiliares no sentido de contenderem sobre quem era o líder ideal para administrar aquela igreja. O autor pede stop sobre este assunto, a fim de evitar que a igreja se torne um campo de batalha.

DE PALAVRAS. Só faltavam socos e ponta pés de uns para com os outros, e isso por interesses pessoais, no sentido de disputarem os cargos, posições e domínio sobre a igreja de Cristo naquele lugar, porque em termos de acusações, e discussões acirradas já se tornara normal entre eles. É bem provável que os mais influentes da igreja vivessem se digladiando uns aos outros, com palavras de baixo escalão, o que era vergonhoso para os líderes da igreja, que deviam praticar a união e o amor fraternal.

QUE PARA NADA APROVEITAM. As acusações e as palavras acusativas trocadas entre os líderes daquela igreja não tinham nenhum proveito nem serviam para edificação da igreja. Paulo repassa essa responsabilidade a Timóteo para que ele pudesse produzir uma solução pacificadora entre todos, fazendo com que a paz voltasse a reinar naquela igreja. Era inadmissível que os líderes que deviam dar bons exemplos estivessem eles mesmos sendo motivos de escândalos no meio do povo de Deus.

E SÃO PARA PERVERSÃO DOS OUVINTES. Se o estrago já era grande dentro da comunidade cristã de Éfeso, mas que os efeitos negativos destas divisões não chegassem aos ouvintes do evangelho de Cristo, aqueles que visitavam a igreja de Cristo Jesus. A sociedade vê a igreja de Cristo como um lugar de união e solidariedade de uns para com os outros.

sexta-feira, 19 de junho de 2015

2 Timóteo 2:13

2 Timóteo 2:13 - Se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo.
SE FORMOS. Este “se” não é acusativo, mas sim, condicional. O que o autor esperava do seu amigo e companheiro de ministério, Timóteo era de que ele fosse fiel a sua chamada como embaixador do reino de Deus para cumprir missões importantes na evangelização dos que ainda não conheciam a Cristo, como também para com o cuidado com a igreja da qual ele era seu administrador. Porem, como ninguém está imune aos reveses, mesmo que por um acaso, Timóteo voltasse atrás em sua missão, isso não mudaria a fidelidade de Deus em cumprir suas promessas em sua vida e ministério.

INFIÉIS. Se formos infiéis. Paulo se inclui em sua colocação para não ser taxativo com seu companheiro de ministério, porque se ele quisesse ser mais duro com seu amigo, ele teria dito: Timóteo, ainda que você seja infiel, Deus permanece fiel. Neste caso, no tocante a Timóteo, ser infiel seria abandonar o plano de Deus em sua vida no cumprimento de sua missão como administrador da igreja de Éfeso neste período. Paulo tinha designado a seu filho na fé, Timóteo para que cuidasse daquela igreja por um determinado tempo, porem, as pressões internas e externas o estavam fazendo recuar. O apóstolo esperava que Timóteo fosse fiel a ele e também a Deus.

ELE PERMANECE. “Ele” se refere a Deus que não muda. Com isso, o autor tranquiliza seu amigo e companheiro de ministério sobre o comportamento de Deus em relação ao que ele é em essência e atributos. As fraquezas e as imperfeições dos seres humanos não interferem no que o Senhor representa em si mesmo. O que Deus planeja fazer ou executar, o homem por meio de suas instabilidades não muda o cronograma das realizações do Todo-poderoso. Tudo que o Deus Criador pensa em prodigalizar ele com fidelidade põe em prática, porque tem poder para fazer isso.

FIEL. A fidelidade de Deus é de fato indiscutível e as Sagradas Escrituras comprovam isso. Deus não é o homem para que minta, e tudo aquilo que ele fala tem capacidade e autoridade para fazer cumprir. Todas quantas promessas são feitas por Deus, tem seu amém em Cristo Jesus, até porque quando Deus se interpõe com juramento é porque ele tem poder para fazer muito além do que pedimos ou pensamos, segundo o seu poder que em nós opera. A fidelidade de Deus está baseada na verdade suprema de que ele é Deus único e verdadeiro que garante sua integridade, seu caráter e nome.

NÃO PODE NEGAR-SE. Seria um caos sem proporções a autonegação do que Deus é em essência. A mutabilidade e vulnerabilidade do ser humano não lhe dar o direito de ser firme em seus propósitos, até porque a fragilidade do homem o denuncia. No entanto, quanto a Deus é totalmente diferente dos seres humanos, porque o Senhor é o que é por si mesmo, e não depende de outros fatores para ser o que realmente é. Deus não pode negar quem ele é porque seus atributos, qualidades e atos o fazem ser quem ele é. De forma que Deus é Deus independente do que é o homem.

A SI MESMO. A essência de Deus por si próprio diz quem ele é, e o que ele faz, e como ele age, em seus atos de comprovação de sua existência. Pela sua Onipotência criou todas as coisas, pela sua Onisciência administra todas as coisas por ele criadas, e pela sua Onipresença age de forma benevolente para com a sua criação por inteira, isto porque ele está em todos os lugares ao mesmo tempo.

quinta-feira, 18 de junho de 2015

2 Timóteo 2:11-12

2 Timóteo 2:11-12 - Palavra fiel é esta: que, se morrermos com ele, também com ele viveremos. Se sofrermos, também com ele reinaremos; se o negarmos, também ele nos negará.
PALAVRA FIEL É ESTA. O autor chama a responsabilidade dos seus leitores (principalmente o destinatário desta carta, no caso Timóteo) para o que ele passa a lhes escrever que é de fundamental importância para o destino eterno daqueles que confessam a Cristo como Senhor e Salvador. É provável que o apóstolo se refira também ao conteúdo desta epístola, como sendo uma palavra fiel e digna de toda aceitação. E que todas as recomendações repassadas a Timóteo são verdadeiras.

QUE, SE MORREMOS COM ELE. Este morrer com Cristo nos fala sobre a mudança de vida pela qual deve passar todos àqueles que confessam o nome de Cristo. Tanto o judaísmo, quanto as demais religiões da época da igreja primitiva, afirmavam e defendiam de que as pessoas precisavam permanecer em suas religiões tradicionais para alcançarem a salvação. Todavia, o cristianismo defendido por Paulo exigia mudança de vida, de atitude e tudo o mais, o que o evangelho chama de conversão.

COM ELE TAMBÉM VIVEREMOS. Ser uma nova criatura, mudar de vida, nascer de novo conforme o evangelho da transformação, ser regenerado em uma nova criatura, se arrepender verdadeiramente dos pecados, exercer a fé que faz tomar o novo rumo, buscar o reino de Deus em primeiro lugar e as coisas que são de cima são condições para uma nova vida em Cristo Jesus. E tudo isso resulta em vida eterna, vida abundante, vida plena eternamente na presença do Deus que é vida e luz.

SE SOFREMOS. O que Timóteo estava passando por ser um ministro do evangelho de Cristo e por fazer a obra do reino dos céus, não era nada comparado ao que Paulo já havia passado o que ele estava passando (pois estava preso por amor a Cristo) e muito menos com o que o maior líder e fundador do cristianismo havia passado, Cristo Jesus, o Cordeiro da expiação. Se Cristo teve que passar tantas perseguições até ser morto por amor a sua igreja, quem segue seu exemplo não está imune as perseguições.

TAMBÉM COM ELE REINAREMOS. Se alguém, seja Timóteo , Paulo, ou qualquer outra pessoa tiver que passar por algum tipo de aflição, tribulação, perseguição, prisão ou morte por amor a Cristo e por defender o evangelho da verdade recebe a promessa de herdar a vida eterna e reinar com Cristo. Daniel 7:27 - E o reino, e o domínio, e a majestade dos reinos debaixo de todo o céu serão dados ao povo dos santos do Altíssimo; o seu reino será um reino eterno, e todos os domínios o servirão, e lhe obedecerão. Cristo vai reinar mil anos sobre a terra e com ele os seus escolhidos.

SE O NEGARMOS. Neste tempo, havia uma pressão muito grande contra os cristãos para que negassem a Cristo e as verdades sobre ele contidas no evangelho das boas novas. E os ministros estavam sendo pressionados a abandonarem a obra de Cristo. Timóteo por exemplo, estava passando perseguição por ser o líder da igreja de Cristo na cidade de Éfeso.

TAMBÉM ELE NOS NEGARÁ. Paulo recomenda a seu amigo Timóteo que não era momento de recuar do seu ministério. Porque isso anularia toda a obra que ele havia feito em prol do evangelho e da igreja de Cristo. Não podemos ter vergonha de Cristo nem tão pouco do seu evangelho.

quarta-feira, 17 de junho de 2015

2 Timóteo 2:10

2 Timóteo 2:10 - Portanto, tudo sofro por amor dos escolhidos, para que também eles alcancem a salvação que está em Cristo Jesus com glória eterna.
PORTANTO, TUDO SOFRO. Depois de se converter ao cristianismo e por ser um mensageiro do evangelho das boas novas, Paulo passou a ser alvo dos ataques dos judeus, do império romano e de todos os líderes das demais religiões do mundo. Além de ter que enfrentar a oposição daqueles que discordavam da sua maneira de transmitir as novas regras da lei de Cristo e os parâmetros da nova dispensação. Como principal líder do cristianismo no mundo gentílico passou a ser perseguido.

POR AMOR. Antes de se converter a Cristo na estrada de Damasco quando teve um encontro pessoal com o Cristo ressurreto, o apóstolo conhecia de ouvir falar do grande amor que envolveu o Messias de Deus pela humanidade, e tendo ele, Paulo experimentado este tão grande amor de Jesus pela sua igreja, se envolveu de tal forma por este amor que dedicou o resto de sua vida e ministério a obra de Cristo e aos cuidados com as igrejas do Senhor Jesus Cristo em todo o mundo de sua época.

DOS ESCOLHIDOS. Seguindo o exemplo de Cristo, que deu a sua vida por amor da sua igreja, como um verdadeiro discípulo do Senhor Jesus, Paulo não relutou em seguir as pisadas do mestre, e superando até mesmo os apóstolos originais, fez e executou um grande e importante trabalho em prol da igreja remida do Cristo de Deus. Os escolhidos a que se refere o autor, dizem respeito aos chamados, aos eleitos, aos separados, e todos aqueles que servem a Cristo de corpo, alma e espírito.

PARA QUE ELES ALCANCEM. Na época da igreja primitiva, nenhum outro se empenhou tanto, o quanto o apóstolo para alcançar mais e mais vidas para o reino de Deus, tudo que ele falava ou fazia era para levar mais pessoas ao encontro do Senhor Jesus. Depois de pregar o evangelho em muitas cidades da Palestina, Ásia, Europa e em outros lugares, ele passou a dedicar boa parte do seu tempo em cuidar das igrejas por ele fundadas, além de muitas outras que estavam sob sua supervisão.

A SALVAÇÃO. O apóstolo era consciente de que para as pessoas alcançarem a salvação em Cristo Jesus, precisavam ouvir as boas novas do evangelho glorioso de Cristo. E depois de alcançarem a salvação quando se convertiam, precisavam conservar esta salvação permanecendo nos caminhos do Senhor até o fim da jornada. A salvação sobre a qual se refere o autor diz respeito a vida eterna em Cristo.

QUE ESTÁ EM CRISTO JESUS. Por que esta salvação está em Cristo Jesus? Porque o Messias de Deus veio na pessoa bendita de Jesus Cristo para cumprir a missão de redenção da humanidade. Jesus é o autor e executor desta salvação, até porque o seu próprio nome significa: Salvador. Cristo Jesus como sendo o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, pelo seu sacrifício expiatório, reconciliou todas as coisas com Deus. A realidade desta reconciliação está representada pela igreja de Cristo.

COM GLÓRIA ETERNA. Esta glória eterna é o resultado da vida plena em Cristo Jesus, em que os remidos haverão de desfrutar para toda a eternidade. Isso também fala da salvação como recompensa da fé e da esperança que a igreja tem em Cristo para a vida eterna.

terça-feira, 16 de junho de 2015

2 Timóteo 2:9

2 Timóteo 2:9 - Por isso sofro trabalhos e até prisões, como um malfeitor; mas a palavra de Deus não está presa.
POR ISSO. O autor estava no texto anterior escrevendo os motivos porque seu companheiro de ministério devia se empenhar em cumprir seu ministério, em vez de recuar diante das pressões que estava sofrendo de grupos de oposição que desejavam e buscavam ocupar sua posição. O apóstolo incentiva a Timóteo que continue pregando e ensinando sobre o Senhorio de Cristo, porque ele é mais importante do que os mortais, uma vez que está a destra de Deus nas alturas.

SOFRO. Por conta de ter se convertido do judaísmo para o cristianismo, e agora viver para Cristo e por Cristo, pregando e defendendo sua nova fé e espalhando por todas as partes do mundo o evangelho das boas novas é que o apóstolo sofria as mais terríveis hostilidades, dos seus compatriotas judeus, das autoridades romanas, dos falsos mestres gnósticos, dos líderes hereges das demais religiões pagãs e até dos falsos líderes do cristianismo que lhe faziam oposição mesmo dentro das igrejas cristãs.

TRABALHOS. Desde o seu encontro maravilhoso com o Cristo exaltado na estrada de Damasco, e que se converteu ao cristianismo, que o apóstolo passou a dedicar sua vida e atividades em prol do evangelho de Cristo Jesus. Durante o resto de sua vida, Paulo sempre esteve envolvido na pregação do evangelho da nova aliança de Deus com a humanidade, por meio de Cristo, hora fazendo missões transculturais e levando a palavra de Cristo aonde o Senhor ainda não era conhecido, hora ensinando e discipulando os novos convertidos nas igrejas por ele fundadas no mundo gentílico.

E ATÉ PRISÕES. Desde a chegada do Messias de Deus, Jesus de Nazaré, para implantar a nova dispensação da graça, e por consequente o cristianismo, que a nova religião passou a representar uma ameaça para as demais religiões já existentes no mundo de então. Depois de Cristo, os líderes da igreja passaram a ser alvo das perseguições dos opositores do evangelho, e Paulo era um dos principais alvos dos inimigos de Deus e de Cristo, por isso que ele teve que enfrentar vários aprisionamentos.

COMO UM MALFEITOR. Como neste tempo, o cristianismo já havia se espalhado além da Palestina, chegando à Europa e Ásia, além dos judeus e os romanos, outros líderes das demais religiões antigas passaram a fiscalizar de perto as atividades do apóstolo para apanhá-lo em alguma falha, quanto às leis civis e as tradições religiosas de cada cidade por onde ele passava. Daí que faziam levantes contra o apóstolo, o acusando de malfeitor, simplesmente porque ele pregava sobre o evangelho de Cristo Jesus.

MAS A PALAVRA DE DEUS. Só que agora, já não adiantava mais perseguir e prender o principal líder do cristianismo no mundo gentílico, o apóstolo Paulo, porque neste tempo, ele já havia divulgado o evangelho das boas novas nas principais cidades do mundo antigo e contava com uma rede grande de missionários cristãos espalhados por todas as partes. Além de que, a própria igreja se encarregava de pregar a palavra.

NÃO ESTÁ PRESA. O evangelho estava cumprindo o seu papel de anunciar o Cristo de Deus como único Salvador da humanidade. Enquanto o judaísmo era uma religião nacionalista e exclusivista, o cristianismo era um novo movimento sem fronteiras, até porque a nova dispensação da graça de Deus é uma proposta para todas as nações do mundo.

2 Timóteo 2:7-8

2 Timóteo 2:7-8 - Considera o que digo, porque o Senhor te dará entendimento em tudo. Lembra-te de que Jesus Cristo, que é da descendência de Davi, ressuscitou dentre os mortos, segundo o meu evangelho.
CONSIDERA O QUE DIGO. Percebe-se que Timóteo estava como que anestesiado com os bombardeios que vinha recebendo contra seu ministério e a obra que ele realizava em prol da igreja de Cristo, possivelmente na cidade de Éfeso, além de outros campos missionários que ele fazia missão com o apoio de Paulo. O escritor diz: fique atento sobre tudo que estou te escrevendo porque você não pode dar lugar aos levantes contrários, que tentam lhe tirar do foco, que é a obra de Deus.

PORQUE O SENHOR TE DARÁ ENTENDIMENTO. Mesmo que alguma outra autoridade eclesiástica do cristianismo estivesse buscando ocupar o lugar de Timóteo na igreja de Cristo, na qual ele era o líder local, ele precisava saber que acima de qualquer outro estava o Senhor dos senhores, que era e é o comandante maior da igreja na terra. É provável que Timóteo se achasse inferior em sabedoria do que esse tal líder que estava tentando tomar o lugar dele. Mas Paulo, em apoio ao seu amigo lhe encoraja dizendo que ele não se preocupasse com isso, porque a sabedoria vem de Cristo.

EM TUDO. Boa parte dos comentaristas do Novo Testamento concordam de que, neste tempo Timóteo era o ministro da igreja de Éfeso, e por ser aquela cidade muito importante naquela região da Ásia Menor, alguns dos apóstolos de Jerusalém ficavam rondando aquela grande igreja na tentativa de se tornarem o líder do cristianismo naquela cidade. Com isso alegavam ser mais experientes do que o jovem Timóteo, uma vez que alegavam de que sabiam de tudo por terem aprendido diretamente com Jesus.

LEMBRA-TE DE QUE JESUS CRISTO. Timóteo estava sofrendo pressão de todos os lados, ao ponto da amnésia temporária anestesiar sua mente para que esquecesse de que ele estava na missão como ministro do evangelho, porque foi Jesus Cristo quem o chamou e capacitou para tal. O apóstolo esta refrescando sua memória de algo que ele já sabia, bastava que Timóteo ficasse tranquilo, porque era Jesus Cristo quem estava na sua vida e no seu ministério para garantir a vitória final em tudo.

QUE É DA DESCENDÊNCIA DE DAVI. A partir de então, o autor toca em três pontos importante que lhe dar autoridade para chama a si a responsabilidade que tinha como um importante líder do cristianismo no mundo gentílico. Essa lembrança que o autor faz de que Jesus Cristo era da descendência de Davi, nos remete a pensar que ele era Rei dos reis e Senhor dos senhores, portanto, mais forte e poderoso do que qualquer outra autoridade, seja ele política ou religiosa, era Jesus, que estava com Timóteo.

RESSUSCITOU DENTRE OS MORTOS. Quem levantou Timóteo para aquela obra foi aquele que ressuscitou de entre os mortos. Paulo estava tranquilizando a Timóteo de que o Senhor da vida, porque venceu a morte, era mais poderoso do que os mortais, mesmo que fosse um dos líderes da igreja legalista de Jerusalém.

SEGUNDO O MEU EVANGELHO. Paulo pregava o evangelho Cristocêntrico, em que o Senhor Jesus estava acima do que qualquer autoridade humana, seja ela, política ou eclesiástica. Timóteo foi consagrado por Paulo, mas acima de tudo, por Cristo Jesus, que ressuscitou de entre os mortos, e agora estava assentado a destra do trono de Deus, como Rei dos reis e Senhor dos senhores.

sábado, 13 de junho de 2015

2 Timóteo 2:5-6

2 Timóteo 2:5-6 - E, se alguém também milita, não é coroado se não militar legitimamente. O lavrador que trabalha deve ser o primeiro a gozar dos frutos.
E, SE ALGUÉM TAMBÉM MILITA. Nos textos anteriores o autor usava uma metáfora militar para ensinar sobre o empenho e dedicação que o ministro do evangelho deve exercer para executar com sucesso sua missão de bom soldado do reino de Cristo. Agora, o escritor condiciona aqueles que efetivamente exercem o ministério e que pode fazer um bom serviço em prol do evangelho e ser honrado por isso, ou por outro lado ser relapso em suas funções ministeriais e perder a recompensa ou galardão pelos trabalhos que deveriam fazer pela igreja de Cristo e pelo evangelho.

NÃO É COROADO. Neste ponto, o apóstolo ensina sobre o soldado que perde suas condecorações e graduações dentro das forças armadas, porque não exerceu como devia suas atividades em prol de sua pátria e sua nação. Da mesma forma são os ministros do evangelho que são consagrados ou separados para o ministério, porem, por conta de outros interesses pessoais, não cuidam em executar bem suas atividades em prol do reino de Cristo. Perde a coroa todos aqueles que são chamados para o ministério, mas recuam por conta dos interesses pessoais e financeiros.

SE NÃO MILITAR LEGITIMAMENTE. Quando um soldado era convocado para servir ao exército do seu país, ele devia deixar tudo para traz, inclusive os seus interesses financeiros, para servir por amor a sua pátria e ao seu povo. O ministro do evangelho quando convocado para a obra, ele não pode nem deve se embaraçar com negócios desta vida, a fim de agradar aquele que o alistou. Ao que tudo indica, Timóteo estava recuando ou pensando em recuar da chamada como líder da igreja de Éfeso, por motivos que não estão neste ponto, bem claros para nós, leitores desta carta.

O LAVRADOR. O autor usa mais uma de suas metáforas, e desta vez voltada para as atividades agrícolas, ao se referir ao lavrador como sendo alguém que exerce suas tarefas na zona rural, tendo como profissão a agricultura. Mas em termos teológicos ele se refere mesmo ao ministro do evangelho, que tem a missão de pregar o evangelho das boas novas para quem ainda não conhece a Cristo e de ensinar as doutrinas cristãs ao povo de Deus. Pregar a palavra de Deus não é um trabalho fácil.

QUE TRABALHA. O trabalho do agricultor envolve muito esforço, dedicação e esperança de que haverá de colher os seus frutos. Desde o preparo da terra, passando pelos cuidados com a plantação e por fim a colheita, tudo demanda muito trabalho. Não é deferente com um ministro do evangelho, que deve pregar o evangelho para os infiéis, e quando alguém se converte, precisa de cuidados especiais para permanecer nos caminhos de Cristo, até a vinda de Cristo, como colheita ou resultado final.

DEVE SER O PRIMEIRO A GOZAR DOS FRUTOS. No caso do agricultor que tem todo um trabalho com sua plantação, ele deve ser o primeiro a desfrutar dos frutos colhidos, como recompensa dos seus trabalhos. Podemos conjecturar de que Timóteo estava sendo pressionado por algum outro ministro ou apóstolo a deixar a cidade de Éfeso para que esse tal assumisse a igreja de Cristo naquele lugar. No entanto, Paulo apoio Timóteo, ele que teve todo o trabalho em cuidar daquela igreja desde os começos.

sexta-feira, 12 de junho de 2015

2 Timóteo 2:3-4

2 Timóteo 2:3-4 - Sofre, pois, comigo, as aflições, como bom soldado de Jesus Cristo. Ninguém que milita se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra.
SOFRE, POIS. Ao que tudo indica, Timóteo estava passando por momentos de dificuldades para exercer seu ministério, uma vez que os judaizantes buscavam de todas as formas investirem contra o evangelho das boas novas nas igrejas, e em Éfeso não era diferente. Sem contar que as autoridades romanas estavam determinadas a barrarem o crescimento do cristianismo a qualquer custo. Sem falar que dentro da igreja de Éfeso havia aqueles que faziam oposição a Timóteo.

COMIGO, AS AFLIÇÕES. Para que Timóteo tomasse ânimo em seu ministério, bastava ele dar uma olhada para o caso de Paulo, que era seu pai na fé, e o maior líder do cristianismo no mundo gentílico. Neste exato momento em que o apóstolo escrevia sua carta se encontrava preso por ser um pregador do evangelho e buscar de todas as formas expandir o cristianismos no mundo. Essas aflições sobre as quais o autor se reporta dizem respeito as perseguições, tribulações e prisões que teriam que passar.

COMO BOM SOLDADO DE CRISTO JESUS. O autor usa uma metáfora militar para escrever sobre o valor do ministério exercido por alguém em prol do reino de Deus. Cristo é Rei dos reis e Senhor dos senhores, e como tal, ele tem um exercito grandioso em que todos aqueles que fazem parte do seu reino são soldados do seu exército. De forma que o conselho do apóstolo é de que se alguém diz que faz parte do reino de Cristo, esse tal deve exercer suas funções com total dedicação e lealdade.

NINGUÉM QUE MILITA. Certamente o escritor se refere aos militares do exercito romano, e todos aqueles que eram indicados para exercerem funções nas forças armadas do seu país. Quando um soldado era indicado pelas autoridades romanas para fazer parte do exército, a partir de então, tal pessoa, não mais devia responsabilidades com seus familiares, nem consigo mesmo, porque passava a ser propriedade do estado. E como tal, precisava se dedicar absolutamente ao exército.

SE EMBARAÇA COM NEGÓCIOS DESTA VIDA. Quando um soldado era indicado para fazer parte do exército romano, ele imediatamente dava procuração dos bens que possuía para alguém, que conforme a lei devia ser o administrador dos seus bens particulares, seja, um filho, a esposa, um parente ou um amigo. No entanto, a partir de então, ele vivia de forma exclusiva para as forças armadas do seu país. Para tanto, não podia exercer qualquer outra atividade pública ou privada.

A FIM DE AGRADAR AQUELE. Percebe-se que prestar serviço ao exercito era de fato uma missão importante para qualquer cidadão, até porque com o passar do tempo, dentro da corporação, se desempenhasse suas funções bem, poderia ser nomeado para cargos de chefias dentro da estrutura do exército. Isso era patriotismo.

QUE O ALISTOU PARA A GUERRA. Geralmente os cargos mais importantes de comandos dentro das forças armadas eram feitas por indicação, Por isso que se fazia necessário ter pistolões dentro da corporação para crescer e progredir. Quanto mais digno fosse o militar e crescesse dentro da corporação, ele honrava aquele que o havia nomeado para funções superiores.

quinta-feira, 11 de junho de 2015

2 Timóteo 2:2

2 Timóteo 2:2 - E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouviste, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros.
E O QUE DE MIM. Como Paulo se tornara a principal liderança do cristianismo no mundo gentílico, sua história de vida e de ministério se tornara conhecida de todas as igrejas, e principalmente dos demais líderes cristãos da época. Desde o seu encontro pessoal com Cristo na estrada de Damasco, passando pelos seus trabalhos e atividades no evangelismo para levar as boas novas sobre a nova aliança de Deus com a humanidade por meio de Cristo Jesus, em fim, das suas prisões em Cristo.

ENTRE MUITAS TESTEMUNHAS. Como ao que tudo indica Timóteo era um líder local na igreja de Éfeso nesta época em que Paulo lhe enviou esta carta, e como Paulo possivelmente estivesse preso em Roma, ou na própria cidade de Éfeso, ou em outro lugar qualquer, mas sempre enviava suas comunicações ao seu amigo e companheiro de ministério, seja por escrito, no caso desta epístola, ou por meio de pessoas que lhe visitavam na prisão. É certo dizer que o testemunho do apóstolo é verdadeiro.

OUVISTES. Além de conhecer pessoalmente o apóstolo Paulo, que o chama de Filho na fé, o autor foi um dos seus professores no que concerne às coisas do reino de Deus, Timóteo conhecia também os escritos de Paulo as igrejas e aos seus companheiros de ministério. No entanto, neste caso das testemunhas citadas pelo autor, eram líderes cristãos que vinham visitar o apóstolo na prisão, e levavam consigo um testemunho de fidelidade a Cristo e a igreja, apesar de estar preso, e das dificuldades que enfrentava.

CONFIA-O. As informações e os testemunhos que Timóteo estava ouvindo a respeito das perseguições que o apóstolo estava enfrentando por conta de pregar o evangelho das boas novas e trabalhar incansavelmente para o crescimento do cristianismo na terra, além é claro da prisão do momento que estava enfrentando, ele recomenda ao seu amigo de ministério que repasse essas informações todas para os demais ministros do evangelho em Éfeso e em todas as igrejas de Cristo no mundo.

A HOMENS FIÉIS. Certamente, neste mesmo período, havia alguns que já não eram ministros de confiança nem de Paulo nem de Timóteo, o que subtendo por essa colocação feita pelo escritor. Portanto, Timóteo é alertado pelo apóstolo que ele não deveria repassar essas informações a seu respeito para todos os líderes do cristianismo, porque tinha alguns ou muitos que não eram pessoas dignas de confiança. Mas, os fiéis companheiros de Paulo deveriam tomar conhecimento.

QUE SEJAM IDÔNEOS. Estes ministros e fiéis companheiros de Paulo ao ouvirem também o testemunho de fidelidade do apóstolo ao Senhor Jesus em meio as perseguições e pressões que ele enfrentava, do mesmo modo deveriam proceder em serem pessoas dignas de representar o reino de Cristo na terra. Bastava que eles seguissem o mesmo exemplo de fidelidade do grande apóstolo dos gentios, Paulo.

PARA TAMBÉM ENSINAREM OS OUTROS. Estes fiéis líderes cristãos tomando conhecimento da fidelidade de Paulo a Cristo, deviam tomar isso como exemplo e procurarem ensinar aos seguidores do Senhor Jesus o mesmo exemplo de fidelidade.

quarta-feira, 10 de junho de 2015

2 Timóteo 2:1

2 Timóteo 2:1 - Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus.
TU, POIS. O autor se dirige diretamente a quem está enviando esta carta. Timóteo era filha de mãe judia, porem, de pai gentio. Vinha sendo instruído nas Sagradas Escrituras dos Judeus desde muito jovem, pela sua mãe Eunice e a sua avó Loide, mas nunca se tornou em um convertido ao judaísmo, razão porque ainda era incircunciso quando foi encontrado por Paulo. Ele era nativo de Lista e não de Derbe, como alguns costumam afirmar. Ao se tornar um pouco mais maduro, foi consagrado ao ministério por se notabilizar como pregador do evangelho. Além de ter o dom profético, ao que tudo indica se tornou uma das principais lideranças em Éfeso é missionário cristão.

MEU FILHO. Certamente ele era um dos discípulos do reino de Deus, que foi alcançado com o evangelho por meio da pregação do apóstolo Paulo, em sua segunda viagem missionária. Há quem diga que Timóteo tinha seus treze anos quando foi encontrado por Paulo. Mas o apóstolo teve que se afastar desta região (Galácia) por um período de mais ou menos seis anos e quando voltou o jovem já tinha seus dezoito a vinte anos. Havia crescido na fé e no conhecimento de Cristo de tal maneira que se tornou um dos companheiros de ministério do apóstolo. Mais tarde, se tornou líder da igreja em Éfeso, e responsável por toda aquela região.

FORTIFICA-TE. Como Timóteo já havia sido consagrado por Paulo e fazia parte do ministério na cidade de Éfeso, e que sempre estava a disposição do apóstolo como um dos importantes cooperadores do ministério de Paulo, ele precisava de muita força da parte de Cristo para cumprir fielmente a sua missão em prol do reino de Cristo e da igreja do Senhor. Era de fato um momento difícil para igreja de Cristo e principalmente para os líderes cristãos que estavam passando por muitas perseguições.

NA GRAÇA. A palavra graça separada da palavra paz era uma saudação grega ou dos gentios convertidos ao cristianismo. Representando o modo gracioso como foram alcançados pelo evangelho das boas novas e receberam a Cristo como único Salvador. Na realidade os gentios ou os não Judeus eram povos que viviam separados da comunidade de Israel e não eram alcançados pela antiga aliança de Deus com o seu povo. Na nova aliança receberam todos a possibilidade de serem alcançados pela graça de Deus e de Cristo Jesus.

QUE HÁ EM CRISTO. Se fortalecer na graça de Cristo é tomar partido em essência, de tudo aquilo que Cristo representa para a sua igreja, em termos de ter certeza de que o sacrifício do Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo é alto suficiente para levar todos os remidos a dimensão da esperança, da redenção e vida eterna. Falar sobre “Cristo” é falar sobre o Messias de Deus que veio ao mundo para remir a sua igreja que ele comprou com o seu sacrifício voluntário lá na cruz do calvário.

JESUS. Este é o nome próprio do Filho de Deus e nos fala de forma categórica sobre a humanidade do Cristo de Deus. O nome Jesus é uma transliteração do nome hebraico de Josué. Conforme o pensamento do evangelho das boas novas, o Nome “Jesus” quer dizer: Aquele que veio para salvar. Esse é o nome mais poderoso que há na terra, debaixo da terra e até nos céus. Esse nome tem poder sobre tudo e sobre todos.

terça-feira, 9 de junho de 2015

2 Timóteo 1:18

2 Timóteo 1:18 - O Senhor lhe conceda que naquele dia ache misericórdia diante do Senhor. E, quanto me ajudou em Éfeso, melhor o sabes tu.
O SENHOR LHE CONCEDA. Mais uma vez o apóstolo expressa seu desejo de que o Senhor Jesus recompense e galardoe o seu amigo e ajudador Onesíforo pelos seus feitos em prol dele neste momento tão difícil de seu ministério e de sua vida em particular. Este Senhor a quem se refere o apóstolo diz respeito a Cristo Jesus nosso Senhor. Um dos textos mais claros sobre o Senhorio de Cristo se encontra em Filipenses 2:9-11 - Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome. Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra. E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai.

QUE NAQUELE DIA. Este dia sobre o qual Paulo escreveu, pode significar: O dia do arrebatamento da igreja, em que os que dormem em Cristo ressuscitarão em corpos incorruptíveis, e nós os que estivermos vivos seremos transformados, a encontrar o Senhor nos ares (1 Coríntios 15:52-53). Este dia, também pode ser o dia do julgamento dos salvos para serem galardoados que se encontra em 2 Coríntios 5:10 - Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal. Este dia também pode significar o dia da eternidade em que todos os remidos por Cristo entrarão no repouso eterno e vida eterna e plena de paz e bem-estar. Nenhuma destas três opções estão descartadas.

ACHE MISERICÓRDIA DIANTE DO SENHOR. Observa-se que o apóstolo neste momento não está muito preocupado com as coisas desta vida presente, mas em seu olhar de futuro e com uma perspectiva no destino eterno, ele vislumbra que o seu amigo, quando se encontrar com Cristo, receba o seu galardão por ter lhe ajudado sempre. Pelas suas convicções e esperança, ele sabia que um dia todos irão comparecer diante de Cristo. Uns para vergonha eterna e outros para serem galardoados e recompensados com a salvação e vida eterna. O apóstolo fala da misericórdia de Cristo sobre a vida de Onesíforo, porque sabe de que com a misericórdia na frente, o resultado é um destino eterno de felicidade plena em Deus.

E, QUANTO ME AJUDOU EM ÉFESO. O apóstolo faz lembrar a Timóteo dos serviços prestados a ele e o seu ministério por seu amigo e ajudador Onesíforo e sua família. Paulo esteve naquela cidade durante muito tempo e por muitas vezes, e quando lá estava ou chegava encontrava apoio de Onesíforo e de sua família. Como Paulo não aceitava ajuda financeira nem da igreja nem de pessoas é provável que seu amigo o ajudasse de outras formas. Quem sabe com estadia em sua casa para dormir ou até ficar por algum tempo. Pode ser também que o apóstolo esteja falando de ajuda ministerial, em acompanhá-lo em suas campanhas missionárias.

MELHOR O SABES TU. Timóteo, o filho na fé de Paulo era o líder da igreja de Éfeso na ausência do apóstolo. Com isso ele sabia e tinha conhecimento de tudo que acontecia naquela igreja, principalmente no tocante as atividades de Paulo e dos seus cooperadores. Podemos conjecturar que Paulo estava ainda que indiretamente recomendando a Timóteo, que também recompensasse a Onesíforo no seu ministério.

2 Timóteo 1:16-17

2 Timóteo 1:16-17 - O Senhor conceda misericórdia à casa de Onesíforo, porque muitas vezes me recreou, e não se envergonhou das minhas cadeias. Antes, vindo ele a Roma, com muito cuidado me procurou e me achou.
O SENHOR CONCEDA MISERICÓRDIA À CASA DE ONESÍFORO. Diferente do texto anterior, onde Paulo desabafa sobre pessoas covardes que lhe deram as costas no momento que ele mais precisava. Agora, ele dedica o resto deste primeiro capítulo de sua epístola pastoral para reconhecer e agradecer os favores recebidos de um amigo leal que estava do seu lado neste momento tão difícil do seu ministério. O desejo do apóstolo era de que Deus recompensasse de forma misericordiosa a família de seu amigo Onesíforo pela sua disposição em ficar do seu lado e lhe prestar assistência em Roma. Onesíforo é um nome que combinava justamente com este homem que prestou benevolência a Paulo, quando este esteve preso em Roma, e o seu significado é: Aquele que proporciona benefício. Ele foi muito útil ao apóstolo.

PORQUE MUITAS VEZES ME RECREOU. Onesíforo ficou visitando a Paulo rotineiramente na prisão e acompanhando de perto seu julgamento. Quando o apóstolo diz que ele o recreou, ele quis dizer que o seu amigo o consolou todas as vezes que esteve presente com ele. Certamente, ele encorajava a Paulo de que ele estava apenas passando um momento difícil, mas que logo mais estaria de volta em suas atividades missionárias, levando as boas novas de Cristo por onde passasse. Na verdade era um momento de tristeza e até certo ponto de dúvida para o apóstolo se sairia desta com liberdade e com vida. E Deus usou Onesíforo para confortar a Paulo em seu aprisionamento. Fazendo jus ao nome que tinha, ele só ajudou ao apóstolo.

E NÃO TEVE VERGONHA DAS MINHAS CADEIAS. Diferente das lideranças religiosas de toda a Ásia, exemplificados nas pessoas de Figelo e de Hermógenes, que deram as costas a Paulo, por conta deste se encontrar preso na capital do império. Onesíforo não teve vergonha do apóstolo. Quando alguém estava preso e a disposição do estado romano, ninguém queria ter contatos com o prisioneiro para não ter problemas com as autoridades do império, até porque ter como inimigo Roma era sinal de perigo, perseguição e até morte. No entanto, Onesíforo, correu todos os riscos possíveis, mas não desejava agir com covardia, com seu amigo Paulo. Ele foi corajoso, destemido e valente, provando de que Paulo ainda tinha amigos leais.

ANTES, VINDO ELE A ROMA. Onesíforo era de Éfeso, mas deixou a sua cidade, viajou até a cidade de Roma para dar assistência a Paulo. Há quem diga que ele levou consigo toda a sua família para ficarem a disposição do apóstolo no que ele precisasse, é tanto que Paulo deseja que Deus abençoe e recompense não somente a Onesíforo, mas a toda a sua família. Conjectura-se que Onesíforo tenha feito tudo isso a pedido de Timóteo, seu líder religioso em Éfeso, haja visto que, Paulo pediu a Timóteo que ele não se ausentasse de Éfeso, por conta dos hereges que lá haviam.

COM MUITO CUIDADO ME PROCUROU E ME ACHOU. Tendo Onesíforo se deslocado até a capital do império, e lá chegando, fez toda a diligência para se encontrar com o apóstolo. Roma tinha uma infinidade de prisioneiros, por isso que foi uma tarefa difícil de encontra a Paulo. Mas por fim ele foi achado pelo seu amigo Onesíforo.

2 Timóteo 1:15

2 Timóteo 1:15 - Bem sabes isto, que os que estão na Ásia todos se apartaram de mim; entre os quais foram Figelo e Hermógenes.
BEM SABES ISTO. Conforme ficamos sabendo por meio das tradições cristãs, Paulo estava preso em Roma, por defender a Cristo e ser um pregador das boas novas do evangelho. Como ele era um dos principais líder daquela região (Ásia), tudo que acontecia com ele se espalhava rapidamente. Principalmente entre os bons e fieis amigos com quem ele ainda podia contar naquelas circunstâncias. E como Timóteo era um dos seus filhos na fé e amigo pessoal do apóstolo, sabia dos fatos que estavam ocorrendo com o seu pai na fé. A vontade de Timóteo era estar ao lado do seu amigo Paulo, mas como o apóstolo lhe solicitou que ficasse em Éfeso, certamente houve a promessa por parte de Paulo de lhe manter bem informado do seu aprisionamento e do possível julgamento que ele estava preste a enfrentar.

QUE OS QUE ESTÃO NA ÁSIA. No que diz respeito à Ásia se refere a uma província romana onde estavam localizadas as sete igrejas mencionadas em Apocalipse 2-3. Sua capital era Éfeso (Atos 20:16). Era limitada ao norte pela Bitínia; a leste, pela Galácia; ao sul, pela Lícia; e a oeste pelo Mar Egeu. Ásia, no Novo Testamento, é sempre essa província. Paulo se refere não aos cristãos como um todo, mas certamente aos líderes que faziam parte das igrejas daquela região ou província romana. Não se tem registro nos escritos dos chamados pais da igreja, de que houvesse por parte das igrejas da Ásia o abandona em massa das comunidades cristas, do cristianismo ou dos ensinos das doutrinas do evangelho pregado por Paulo.

TODOS SE APARTARAM DE MIM. Nesta colocação feita por Paulo se percebe um certo paralelo ao que se diz: Quando se fere o pastor, se dispersam as ovelhas. Enquanto o apóstolo estava em boa situação perante a sociedade, muitos dos que se diziam amigos se acostavam a ele, lhe abraçando e com tapinhas das costas e declarações de amizade. Agora, que ele estava passando por tribulação, perseguição e aprisionamento, estes mesmos se afastaram, deixando-o sem apoio. O mais provável é que Paulo precisava do apoio destes líderes em sua defesa perante as autoridades romanas. Como o julgamento do apóstolo tinha como pano de fundo, acusações de ordem religiosa, somente os demais líderes religiosos podiam ajuda-lo.

ENTRE OS QUAIS FORAM FIGELO. Os principais líderes das igrejas da Ásia que poderiam comparecer a Roma para testemunharem a favor da defesa de Paulo deram as costas para ele. Entre os quais ele destaca dois, Figelo e Hermógenes. Estes dois só são citados neste texto em todo o Novo Testamento. Figelo ficou sendo conhecido como aquele que fugiu. Há quem diga que este líder até chegou a comparecer em Roma para testemunhar em favor do apóstolo, mas quando viu a difícil situação em que se encontrava Paulo, fugiu de repente, sem que comparecesse para prestar o seu apoio ao apóstolo, neste momento tão difícil de seu ministério.

E HERMÓGENES. Este nome era de origem pagã e significa filho de Hermes. Conjectura-se que ele era da Ásia, mas que morava em Roma. Era alguém importante em termos religioso, e tinha influencia perante as autoridades romanas. Seu testemunho seria importante em defesa de Paulo, mas ele se negou a apoiá-lo.

2 Timóteo 1:13-14

2 Timóteo 1:13-14 - Conserva o modelo das sãs palavras que de mim tens ouvido, na fé e no amor que há em Cristo Jesus. Guarda o bom depósito pelo Espírito Santo que habita em nós.
CONSERVA O MODELO DAS SÃS PALAVRAS. Neste tempo em que Paulo escreveu esta epístola pastoral a Timóteo, ainda não havia um Novo Testamento escrito como temos nos dias de hoje. De forma que os ensinos contidos no evangelho estavam sendo transmitidos de forma oral. Durante o período em que o apóstolo esteve na igreja em Éfeso ensinou exaustivamente por meio de suas pregações, os planos de Deus conforme o evangelho da graça de Cristo. Além do mais, Timóteo, como companheiro de viagem de Paulo em suas campanhas missionárias, sempre estava ouvindo as boas mensagens transmitidas pelo grande apóstolo. Paulo era um autêntico pregador das boas novas do evangelho glorioso de Cristo Jesus.

QUE DE MIM OUVISTES. Conforme nos trazem a informação os comentaristas bíblicos, Timóteo era um bom pregador e ensinador do evangelho da nova aliança. Isso porque além de ter o dom da palavra, ele sempre estava a escutar as pregações que Paulo fazia na igreja em Éfeso, como também onde pregava o evangelho, em suas viagens missionárias. O discípulo que tem um bom mestre, a tendência é com dedicação e atenção se tornar também um bom professor. Timóteo teve o privilégio de ser instruído nas Santas Escrituras desde muito jovem por sua avó e pela sua mãe. E acima de tudo, foi agraciado em ser auxiliar de um dos homens que teve grande compreensão nos ensinos da nova aliança de Deus com a humanidade, que foi Paulo.

NA FÉ E NO AMOR QUE HÁ EM CRISTO JESUS. O conselho de Paulo ao seu filho na fé, Timóteo é que ele preservasse os ensinos que tinha recebido do seu mestre e fizesse isso na medida da fé e no amor que ele tinha em Cristo Jesus. Paulo sabia da fé que Timóteo tinha em Cristo, uma vez que o próprio apóstolo o havia instruído sobre as provas escriturística de que Jesus de Nazaré era mesmo o Messias prometido por Deus. E Timóteo conhecia de perto a dedicação e o amor de Paulo por Cristo, o que podia ser fácil de seguir o mesmo exemplo. O adjetivo Cristo nos fala sobre tudo que envolve a missão do Messias e Jesus quer dizer: “salvador”, ou aquele que salva.

GUARDA O BOM DEPÓSITO. Este bom depósito sobre o qual fala o apóstolo, diz respeito a tudo que Timóteo já conhecia sobre o Filho de Deus, Cristo Jesus. O desejo de Paulo era de que seu filho na fé, tivesse o cuidado em guardar os ensinos que dele havia aprendido e colocasse em prática neste momento de oposição e perseguição. Timóteo tinha consigo uma bagagem de ensinos do evangelho que era suficiente para ele vencer os ataques dos legalistas Judeus e dos falsos mestres gnósticos, que estavam em seu calcanhar procurando dificultar seu ministério.

PELO ESPÍRITO SANTO QUE HABITA EM VÓS. Timóteo não estava sozinho nesta batalha, ele contava com a ajuda permanente do Espírito Santo para fazê-lo lembrar dos ensinos que haviam em sua memória. Paulo conhecia de perto Timóteo e sabia do quanto de comunhão havia entre ele e o Espírito de Deus. Por isso declara seguramente e testifica de que o Espírito do Senhor habitava em Timóteo. O Espírito de Deus cura as nossas amnésias, no tocante a nos fazer lembrar, da palavra de Deus.

2 Timóteo 1:12

2 Timóteo 1:12 - Por cuja causa padeço também isto, mas não me envergonho; porque eu sei em quem tenho crido, e estou certo de que é poderoso para guardar o meu depósito até àquele dia.
POR CUJA CAUSA PADEÇO TAMBÉM ISTO. O grande apóstolo dos gentios foi constituído pregador do evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo. E como missionário enviado por Deus a pregar sobre Cristo onde ele ainda não era conhecido, enfrentava oposição de todos dos lados, tanto dos Judeus seus compatriotas, que defendiam o judaísmo a qualquer custo. bem como dos líderes das seitas pagas. Como apóstolo escolhido e chamado pelo próprio Cristo, e não apoiado pelo grupo apostólico, tinha a oposição até mesmos das principais lideranças de Jerusalém. E como doutor ou mestre das Sagradas Escrituras, tinha que a todo momento combater contra os legalista Judeus e contra os mestres gnósticos que se infiltravam nas igrejas com seus ensinos heréticos e suas mentiras filosóficas.

MAS NÃO ME ENVERGONHO. Pelo contrário, Paulo se sentia privilegiado por fazer parte dos anunciadores das boas novas do evangelho de Cristo. Seu maior contentamento era ser um apóstolo comissionado pelo Senhor Jesus para fundar igrejas nas principais cidades do velho mundo de então. Com muita alegria em sua alma se dedicava completamente em expor de forma criteriosa as profecias messiânicas que já vaticinavam sobre a vinda do Messias de Deus. E comparando o que estava escrito das Santas Escrituras, com tudo que aconteceu com Cristo e o que estava acontecendo com o cristianismo, convencia os seus ouvintes e leitores de que Jesus de Nazaré era mesmo o Emanuel de Deus, que já estava previsto vir ao mundo.

PORQUE EU SEI EM QUEM TENHO CRIDO. Esta é na realidade uma expressão de confiança no Deus que tudo executa em prol daqueles que nele esperam. Sua fé estava alicerçada nas promessas que o seu Deus havia lhe feito desde o primeiro momento de sua conversão e que vinham se confirmada dia após dia, e pelo que o Senhor vinha executando em seu favor. Com toda esta esperança depositada no Senhor Jesus, ele seguia exercendo seu ministério apostólico e sua missão aos gentios, tendo a convicção de que ninguém e nem nada podia lhe impedir de cumprir o seu ministério. Fosse diante do povo, dos opositores Judeus, dos mestres gnósticos, ou das autoridades romanas, não se sentia com medo de nada, porque sabia em quem tinha crido. Seu coração estava firme naquele que é dono do mundo e de sua vida.

E ESTOU CERTO QUE É PODEROSO. Quando ele diz: “estou certo”, ele está expondo seus sentimentos mais íntimos de plena confiança em Deus que era o seu defensor. Suas convicções não vacilavam no que já havia recebido de promessas da parte de Deus sobre o seu destino e futuro, ou porque não dizer sobre sua eternidade? Sabia desde já que o seu Deus era poderoso para fazer valer suas palavras já confirmadas em sua vida. Tanto para o tempo presente, como também na vida futura e eterna.

PARA GUARDAR O MEU DEPÓSITO ATÉ ÀQUELE DIA. O poder de Deus estava atuando e continuaria em plena execução para cumprir as profecias já feitas ao apóstolo dos gentios. Esse depósito que ele se refere diz respeito às promessas feitas por Deus a Paulo, conforme a sua fé e suas atividades em prol do evangelho de Cristo. “Até aquele dia” certamente ele está falando da volta de Cristo ou sua partida do planeta terra para estar definitivamente com o Senhor Jesus Cristo.

2 Timóteo 1:11

2 Timóteo 1:11 - Para o que fui constituído pregador, e apóstolo, e doutor dos gentios.
PARA O QUE FOI CONSTITUÍDO. A chamada de Paulo para ser um missionário cristão foi uma convocação divina. Isso pode ser lido em vários textos do Novo Testamento. Gálatas 1:1,11-12 - Paulo, apóstolo (não da parte dos homens, nem por homem algum, mas por Jesus Cristo, e por Deus Pai, que o ressuscitou dentre os mortos. Mas faço-vos saber, irmãos, que o evangelho que por mim foi anunciado não é segundo os homens. Porque não o recebi, nem aprendi de homem algum, mas pela revelação de Jesus Cristo. Gálatas 2:8 - (Porque aquele que operou eficazmente em Pedro para o apostolado da circuncisão, esse operou também em mim com eficácia para com os gentios). A pergunta é: Quem constituiu Paulo para o ministério? A resposta é: Jesus Cristo!

PREGADOR. Cristo nos chamou para sermos pregadores do seu evangelho. Marcos 16:15 - E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. No caso de Paulo, ele tinha uma missão importante de pregar as boas novas do evangelho no mundo gentílico, onde Cristo não era conhecido. Os demais apóstolos ficaram mais cuidando da igreja em Jerusalém e no país de Israel. Já Paulo foi um desbravador de campos missionários transculturais. Quando Cristo o chamou o constituiu como pregador do evangelho em todo mundo civilizado de sua época. E o Senhor Jesus o capacitou e o revestiu de autoridade na pregação e de habilidade para manejar bem a palavra da verdade. Sua pregação era sempre Cristocêntrica.

E APÓSTOLO. Dada a importância do ministério de Paulo em explorar novos campos missionários e expandir a igreja além da palestina, foi reconhecido de forma justa como sendo um apóstolo de Jesus Cristo. Assim como os doze primeiros apóstolos foram chamados pelo próprio Cristo, assim também aconteceu com o apóstolo Paulo, que teve um encontro com Cristo. Se não foi reconhecido pelo grupo apostólico como fazendo parte do mesmo ministério, por Cristo sim, e pela igreja também. Essa função eclesiástica no tempo da igreja primitiva tinha uma importância fundamental na vida de Paulo, até porque ele era fundador de igrejas e precisava consagrar novos ministros para administrarem as comunidades por ele fundadas, porque ele precisava partir para outras localidades em busca de pregar as boas novas do evangelho de Cristo Jesus.

E DOUTOR. Paulo foi constituído por Cristo, pregador, apóstolo e também doutor ou mestre. Ele era na realidade professor das Sagradas Escrituras, alguém que tinha o dom do ensino da palavra de Deus. Ele se destacava como mestre na explicação detalhada das provas Veterotestamentária de que Jesus de Nazaré era mesmo o Messias de Deus, prometido nas Sagradas Escrituras, e nas literaturas religiosas dos judeus. Porque o próprio Jesus dava sinais pelas suas realizações de que era o Emanuel de Deus, o Deus conosco. Mas os apóstolos usavam as Sagradas Escrituras como provas incontestáveis de que ele era o Messias.

DOS GENTIOS. O ministério apostólico de Paulo teve uma constituição específica e foi direcionado para anunciar as boas novas de Cristo aos gentios, ou seja, aos não Judeus. Na linguagem de hoje diríamos que ele foi constituído por Cristo como um missionário transcultural. A palavra “gentios” também diz respeito aos pagãos, que na época de Paulo seriam aquelas pessoas que não seguiam a legislação mosaica dos Judeus.

2 Timóteo 1:10

2 Timóteo 1:10 - E que é manifesta agora pela aparição de nosso Salvador Jesus Cristo, o qual aboliu a morte, e trouxe à luz a vida e a incorrupção pelo evangelho.
E QUE É MANIFESTA AGORA PELA APARIÇÃO DE NOSSO SALVADOR. O que foi manifesta agora? O apóstolo vinha explicando que Deus pelo poder do seu evangelho nos salvou, nos chamou com uma santa vocação, segundo o propósito da sua graça em Cristo Jesus, antes dos séculos. Mas que se manifestou agora pela aparição de nosso salvador. A nova aliança de Deus com a humanidade não surgiu por um acaso nem veio do nada. Já havia da parte de Deus o propósito de salvar os pecadores por meio da vinda do seu Messias. O mesmo Emanuel, que é Deus conosco prometido nas Santas Escrituras e que se manifestou no homem chamado Jesus, que significa “salvador”. Porque ele veio para salvar os pecadores (Mateus 1:21).

JESUS CRISTO. Jesus “O Cristo”. O Jesus histórico, também chamado de Nazareno, o filho do Carpinteiro e de Maria. É o mesmo Messias, de quem falaram os profetas e as Escrituras do Velho Testamento. Jesus é o nome próprio e podemos dizer que Cristo é o Adjetivo que fala de suas qualidades e principalmente de sua missão, porque Cristo quer dizer o enviado, ou ungido de Deus para executar o plano da salvação. Jesus é o nome próprio do Filho de Deus e o sobrenome Cristo fala de quem Jesus de Nazaré realmente é. Ele é o Messias de Deus, o Emanuel, que é Deus conosco. O nome Jesus é uma transliteração do nome Hebraico de Josué e quer dizer salvador (Mateus 1:21).

O QUAL ABOLIU A MORTE. Jesus Cristo aboliu a morte. O filho de Deus deu um golpe fatal na morte. E este golpe foi dado pela sua ressurreição de entre os mortos para nunca mais morrer. Porque as Escrituras falam de várias pessoas que ressuscitaram dos mortos, mas que depois tornaram a morrer e estão aguardando a ressurreição dos últimos dias. Entre todos os mortais, somente Cristo Jesus neutralizou a morte, que é um inimigo inevitável de todos os seres humanos, e seres vivos em geral. Isso porque ele é a ressurreição e a vida. João 11:25-26 - Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá. E todo aquele que vive, e crê em mim, nunca morrerá. Crês tu isto? Cristo é vida plena.

E TROUXE À LUZ A VIDA. Cristo é luz. João 1:4,9 - Nele estava à vida, e a vida era a luz dos homens. Ali estava a luz verdadeira, que ilumina a todo o homem que vem ao mundo. Disse Jesus: João 12:46 - Eu sou a luz que vim ao mundo, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas. Jesus é a vida (João 1:4, João 11:25 e João 14:6). Esta luz que Cristo trouxe, nos fala de esperança para os que vivem em Cristo Jesus. Os que vivem com Cristo e para Cristo, mesmo neste mundo de trevas, mas tem a luz da vida que é o Filho de Deus, que é luz e vida para os seus.

E A INCORRUPÇÃO PELO EVANGELHO. Quem crer em Cristo segundo o evangelho, ganha a incorruptibilidade. 1 Coríntios 15:53 - Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade. Na volta de Cristo para arrebatar a sua igreja, esta palavra vai ter seu fiel cumprimento, tanto para os que dormem em Cristo, quanto para os vivos em Cristo.

2 Timóteo 1:9

2 Timóteo 1:9 - Que nos salvou, e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos dos séculos.
QUE NOS SALVOU. O evangelho poderoso de nosso Deus, que nos salvou. Paulo se inclui juntamente com Timóteo e os gentios, como sendo alcançados por este evangelho libertador do Deus eterno. A proposta e o programa de salvação oferecidos por Deus em Cristo pelo evangelho prometem a salvação e a vida eterna. A lei de Moisés em sua essência tem uma proposta mais voltada para esta vida presente na terra, enquanto que o cerne da mensagem do evangelho de Cristo é vida eterna, vida abundante para todo o sempre, com felicidade plena para todos aqueles que dela forem participantes. O foco de luz na mensagem do evangelho é a glória da salvação.

E NOS CHAMOU COM UMA SANTA VOCAÇÃO. Esta chamada de Deus na vida dos remidos trata da manifestação do poder misericordioso de Deus em Cristo. Esta chamada envolve a escolha de Cristo em nossas vidas. João 15:16 – Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei. Neste processo há uma intervenção direta do nosso Deus. Salmos 100:3 – Sabei que o Senhor é Deus, foi ele e não nós, que nos fez povo seu, e ovelhas do seu pasto. No caso de Timóteo, para quem Paulo escreveu, o apóstolo faz lembrar ao seu filho na fé, que ele havia sido chamado por Deus para uma santa vocação. Neste tempo, o ministério era uma vocação, não como hoje, que na maioria dos casos é mais uma profissão do que uma missão.

NÃO SEGUNDO AS NOSSAS OBRAS. Este tema da chamada para a salvação em uma santa vocação, não envolve méritos humanos. A antiga aliança era uma proposta condicional, onde as promessas da lei se cumpriam se do lado humano, houvesse absoluta fidelidade aos preceitos da legislação de Moisés. Com isso, os Judeus até certo ponto barganhavam com Deus em exigirem cobranças do Senhor por alguma coisa por merecimento. Na nova aliança, a proposta não é baseada em obras boas e certas dos seres humanos, mas sim na graça salvadora de Deus por meio de Cristo.

MAS SEGUNDO O SEU PROPÓSITO. E qual é o propósito desta chamada para a salvação em uma santa vocação? É que a nova aliança de Deus com a humanidade por meio do seu Filho Jesus, traz em sua essência um programa irrecusável de salvação e vida eterna. Onde os seres humanos entram apenas com a fé e Deus entra com o restante para proporcionar vida eterna para todos que creem. Efésios 2:8 – Porque pela graça sois salvos, por meio da fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus.

E GRAÇA QUE NOS FOI DADA EM CRISTO JESUS, ANTES DOS TEMPOS DOS SÉCULOS. Esta graça salvadora só é possível por meio de Cristo Jesus. Até porque o nome Jesus quer dizer: “salvador”. Como Messias de Deus, ele veio justamente para salvar os homens dos seus pecados. E quando se fala sobre Cristo, está se falando sobre alguém que foi sacrificado em nosso lugar. Tudo isto desde a eternidade de Deus.