Pesquisar este blog

sábado, 31 de outubro de 2015

Tiago 2:3

Tiago 2:3 - E atentardes para o que traz o traje precioso, e lhe disserdes: Assenta-te tu aqui num lugar de honra, e disserdes ao pobre: Tu, fica aí em pé, ou assenta-te abaixo do meu estrado.
E ATENDERDES PARA. Certamente o autor mira do principal da sinagoga judaica ou no dirigente das reuniões, se o seu pensamento está focado em um ajuntamento de judeus convertidos ao cristianismo. O intuito do escritor é combater aqueles líderes que fazem acepção de pessoas, e que põem em destaque aqueles que possuem mais condições financeiras ou que ocupam cargos importantes, em detrimento dos mais humildes e pobres economicamente. O líder que age assim não agrada a Deus.

O QUE TRAZ O TRAJE PRECIOSO. O evangelho nos ensina que Deus não faz acepção de pessoas. De forma que na igreja de Cristo, aquele que está dirigindo o trabalho do Senhor (Se é que o trabalho é de fato do Senhor) não pode dar prioridade aquelas pessoas que se vestem melhor do que os outros, porque são mais ricas economicamente ou porque ocupam posições de destaque perante a igreja. Infelizmente esta é uma dura realidade no meio das igrejas nos dias de hoje.

E LHE DISSERDES: ASSENTA-TE TU AQUI. Percebe-se que o apóstolo não poupa aqueles que fazem na igreja distinção dentre ricos e pobres, entre os humildes servos de Cristo e aqueles que têm funções elevadas na hierarquia da igreja. Ver-se na prática que, os primeiros lugares nos assentos das igrejas estão ocupados pelos que se acham dono do pedaço. Quem tem vez e vos são justamente aqueles que dão mais, e os primeiros lugares são ocupados pelos que pagam mais e se vestem melhor.

NUM LUGAR DE HONRA. A questão da acepção de pessoas dentro das igrejas é algo terrível, porque desonram aqueles que por méritos deviam ser honrados e colocam em destaque aqueles que são na realidade reprovados por Deus, mas aplaudidos pelos homens. Quando um rico ou que se acha poderoso da sociedade visita a igreja, o que esta a frente do culto o coloca em evidência com palavras de bajulação, mesmo que seja um prostituto e profano. Enquanto que, os servos de Deus são desprezados.

E DISSERDES AO POBRE. Chega o rico, o que ocupa lugar de destaque perante a sociedade e é exaltado pelos líderes cristãos. Mas, quando chega ao culto alguém que é pobre economicamente, mal é notado pelos principais da congregação. O dirigente de culto que age desta forma está fazendo acepção de pessoas, o que o texto reprova e principalmente o dono da igreja, que é Deus. O Senhor não se agrada disto.

TU, FICA AÍ EM PÉ. Essa é uma expressão usada pelo autor para representar o desprezo que é dado àqueles mais humildes que fazem parte do rebanho de Deus ou aqueles que fazem parte da sociedade, mas que são cidadãos comuns. Os mais simples do povo são descriminados até mesmo onde não devia que é na igreja de Deus. Fazer acepção de pessoas desta forma é não dá o devido valor ao ser humano.

OU ASSENTA-TE ABAIXO DO MEU ESTRADO. Já esta forma de apresentação aos que são mais humildes (visitantes ou mesmo membros do corpo de Cristo) representa a desvalorização da pessoa, seja quem for, pela sua posição social. O escritor usa tais expressões para proibir qualquer tipo de discriminação nos cultos, uma vez que diante de Deus, o valor de uma pessoa não é determinado pelo que ela possui.

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Tiago 2:2

Tiago 2:2 - Porque, se no vosso ajuntamento entrar algum homem com anel de ouro no dedo, com trajes preciosos, e entrar também algum pobre com sórdido traje.
PORQUE, SE NO VOSSO AJUNTAMENTO. O autor termina o texto anterior escrevendo sobre acepção de pessoas, que é fazer distinção de classe social, que na nossa linguagem de hoje é a mesma coisa que praticar preconceito. Para exemplificar isso na prática, o apóstolo se reporta sobre as reuniões feitas pela igreja de Cristo, que eram feitas de casa em casa, principalmente em Israel, que tinha o controle religioso do judaísmo, com total apoio de Roma, que não permitia construir templos cristãos.

ENTRAR ALGUM HOMEM. O autor se refere aos visitantes ilustres ou não, que porventura fizesse uma visita às reuniões feitas pela igreja do Senhor Jesus. Como o autor estava escrevendo para judeus, também pode se referir as reuniões realizadas nas sinagogas judaicas. Seja como for, tais visitantes, sejam eles quem for, nem podem receber mais privilégios nem serem descriminados, no caso dos menos afortunados. Neste caso, fazer acepção de pessoas não deveria acontecer jamais.

COM ANEL. No tempo em que esta epístola foi escrita, os mais ricos da sociedade ou os mais conceituados perante o povo eram identificados por suas vestes ou pelo valor do anel que portava no seu dedo. A título de hoje não é diferente, os mais ricos são identificados pelo poder que possuem ou pela influencia que exercem perante a sociedade. Na época, o anel também representava a posição eclesiástica que alguém ocupava, como hoje representa o cargo ou posição que alguém pode ocupar e exerce.

DE OURO NO DEDO. Sempre foram os mais variados tipos de metais usados na fabricação dos anéis usados pelas mais variadas classes sociais. O que determinava a posição social que um cidadão ocupava na sociedade ou na religião era justamente o tipo de material utilizado na fabricação do seu anel. Os mais pobres usavam anéis de prata, os de classe média usavam anéis de cobre e os mais ricos usavam anéis de ouro. Nos dias de hoje, são as credencias quem destacam os mais poderosos nas religiões.

COM TRAJES PRECIOSOS. Na época da igreja primitiva, uma outra forma de identificar os que ocupavam destaque na sociedade e nos meios da religiosidade era justamente os trajes que alguém usava para se vestir e se apresentar. Roupas de tecidos raros e preciosos, com ornamentos que diferenciavam do povo comum. A título de hoje não é diferente, se usam ternos caros e importados com gravatas de tecidos especiais para se destacarem nas reuniões, como se fosse desfile de modas e demonstração de poder.

E ENTRAR TAMBÉM ALGUM POBRE. Na mesma reunião ou ajuntamento sobre o qual o escritor trata, onde tem lá os que se destacam pelos seus anéis, que representam as posições de destaques ou com seus preciosos trajes, que representa a influência que alguém exerce. Também entra um pobrezinho com seus trajes sórdidos ou roupas de baixo valor econômico. Qual deve ser o tratamento dado a este?

COM SÓRDIDO TRAJE. Tive um amigo, há algum tempo atrás, que sempre se vestia bem, e lhe perguntei: qual o segredo de sempre estar bem vestido? Ele me respondeu: Quem se veste bem, o mundo trata melhor! E isso é fato. O apóstolo combate a acepção de pessoas, não permitindo que os seus leitores tratem com descriminação os que são pobres economicamente ou os que por sua simplicidade não se destacam nem ocupam posições elevadas perante a sociedade ou a religião da qual faz parte.

Tiago 2:1

Tiago 2:1 - Meus irmãos, não tenhais a fé de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor da glória, em acepção de pessoas.
MEUS IRMÃS. Desde os tempos mais remotos da história da humanidade que os homens mais primitivos se consideravam irmãos uns dos outros, porque sabem que em Adão e Eva são encontrados o tronco inicial da raça humana. Já os judeus (para quem Tiago estava escrevendo) se consideravam irmãos, porque diziam pertencerem aos mesmos patriarcas, Abraão, Isaque e Jacó. No tocante aos cristãos, todos se consideram irmãos porque em Cristo Jesus, somos todos filhos de Deus (João 1:11-12).

NÃO TENHAIS. Assim como a legislação mosaica está repleta de proibições e regras, e como Tiago era um judeu convertido ao cristianismo, e porque também ele estava escrevendo para os judeus da dispersão, convertidos ao cristianismo ou não, o autor também tem por costume impor aos seus leitores proibições e regras. Estamos estudando uma das cartas do Novo Testamento mais complexa porque se faz necessário conhecer bem quem estava escrevendo e para quem estava escrevendo.

A FÉ. Existe a fé natural que é exercida até mesmo pelos mais incrédulos da sociedade, que é aquela fé baseada nos sentidos humanos e nas razões de ser. Existe a fé conforme o pensamento judaico, que é aquela fé confirmada pela obediência aos preceitos da legislação mosaica, quando alguém segue esta fé, ele barganha com Deus cobrando e exigindo o cumprimento da palavra proposta. E existe a fé cristã, sobre a qual o autor se refere, como sendo aquela fé necessária para agradar a Deus.

DE NOSSO SENHOR. O Senhorio do Messias de Deus já era destacado antes mesmo de sua vinda a este mundo, conforme se pode ler em Daniel 7:14 - E foi-lhe dado o domínio, e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será destruído. E isso é confirmado no Novo Testamento em Filipenses 2:11 - E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o “Senhor”, para glória de Deus Pai.

JESUS CRISTO. Também conhecido como Jesus de Nazaré, o filho de Davi, conforme a descendência da tribo de Judá. Jesus é o nome próprio do Filho de Deus e significa “Salvador da humanidade” Este nome é uma transliteração do nome de Josué. Já o sobrenome Cristo, quer dizer: Enviado de Deus ou ungido de Deus Pai. A palavra “Cristo” tem um significado muito mais abrangente do que se possa imaginar, porque envolve a missão do Messias de Deus para redimir a humanidade perdida.

SENHOR DA GLÓRIA. Cristo cumpriu com sucesso sua missão determinada pelo Pai, foi exaltado soberanamente pelo Deus Todo-poderoso, está assentado a destra da majestade celestial como Rei dos reis e Senhor dos Senhores, por isso é o “Senhor da glória”. Isso nos ensina sobre a superioridade do Filho de Deus sobre toda a criação.

EM ACEPÇÃO DE PESSOAS. Um judeu escrevendo para os judeus seguidores da legislação mosaica ou do cristianismo. O povo judeu sempre se acharam pessoas superiores aos gentios, porque se gabavam de ser o povo da aliança com Deus. No entanto, a nova dispensação quebrou essa regra, sem acepção de pessoas ou povos.

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Tiago 1:27

Tiago 1:27 - A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.
A RELIGIÃO PURA E IMACULADA. A palavra “religião” pode ser chamada de ponte que liga o homem a Deus. Nos textos anteriores o autor já havia descrito aqueles que vivem a falsa religiosidade, quando são apenas ouvintes da palavra e não cumpridores dos mandamentos de Deus, como também fala sobre os que fazem parte de alguma denominação, tem cara de religioso, mas não tem controle sobre as suas palavras, a religião deste é vã, diz o escritor. Mas, agora, Tiago dá uma pincelada no que ele chama de religião pura e imaculada. E podemos antecipar o conceito de que este tipo de vida religiosa é pouco praticada, e tem poucos adeptos, porque não é conforme os padrões humanos, mas conforme a vontade de Deus.

PARA COM DEUS O PAI, É ESTA. É um tanto conveniente para alguém olhar para si mesmo, e diante do seu conforto mental, auto se classificar como alguém que vive uma vida religiosa de alto nível. Como também é fácil olhar para alguém e dizer; fulano ou beltrano não tem nada de religioso. O padrão da autêntica vida religiosa não é definida por quem quer que seja, somente Deus, que conhece os pensamentos e as intenções de todos, tem a capacidade e a habilidade ideal para fazer uma justa avaliação do nosso padrão de vida religiosa. A modulação feita por Deus, é absolutamente diferente dos conceitos humanos. Isso porque, o ser humano julga conforme a aparência e o que mais lhe é conveniente. Deus aplica a imparcialidade.

VISITAR OS ÓRFÃOS E AS VIÚVAS. Conforme o pensamento do autor, neste ponto, ele ataca diretamente a forma como os Judeus entendiam a vida religiosa de um seguidor da legislação mosaica. Neste tempo, os judaizantes estavam sobrecarregados de cerimonialismo, acrescentando-se a isto, o ceticismo dos gnósticos que havia se infiltrado no arraial dos Judeus. O escritor chama a atenção para um ponto importante da religião de Cristo, que é justamente o segundo mandamento do cristianismo, amar ao próximo como a si mesmo. Os órfãos e as viúvas eram os representantes mais próximos de todos aqueles que mais precisam. O escritor não está condicionando a salvação a boas obras, mais sim, falando da vida religiosa que agrada a Deus, o Pai.

NAS SUAS TRIBULAÇÕES. Visitar os órfãos e as viúvas nas suas necessidades. O autor está falando de ajudar aos que mais precisam, e isso fala de ação de boa vontade para com os necessitados. Os praticantes da verdadeira religião são justamente aqueles que se preocupam com o seu semelhante, e que é um cumpridor do segundo mandamento da lei de Cristo, que é o amor fraternal. Nos dias atuais, os órfãos e as viúvas são amparados pelo Estado, mas em tempos mais antigos, quando uma família perdia o chefe do lar, que era o supridor, a família inteira passava por muitas necessidades.

E GUARDAR-SE DA CORRUPÇÃO DO MUNDO. Finalmente, o autor formaliza um chavão cristão para descrever a verdadeira religião do homem. Guardar-se da corrupção do mundo é viver buscando o reino de Deus em primeiro lugar e as coisas que são de cima. Romanos 12:2 - E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. Essa é a vontade de Deus.

Tiago 1:26

Tiago 1:26 - Se alguém entre vós cuida ser religioso, e não refreia a sua língua, antes engana o seu coração, a religião desse é vã.
SE ALGUÉM ENTRE VÓS. O autor não menciona nem direciona sua exortação como que apontando para uma pessoa, nem faz a afirmação que realmente exista entre seus leitores este alguém, ele faz uma suposição ao condicionar à diretiva. No entanto, trazendo para os dias de hoje, essa mensagem tem endereço certo para muitos que vivem uma vida religiosa artificial ou de aparências, sem, no entanto, ter controle sobre seus vícios negativos de linguagem. A realidade é que existem muitas pessoas com o status de cristão, mas que longe está de ter controle próprio sobre sua forma de comunicação para com o seu próximo. Na maioria das vezes a pessoa não é perversa em praticar o mal físico contra outrem, todavia, suas palavras são reprovadas porque são acusativas, caluniosas e que procura denegrir a vida do seu próximo.

CUIDA SER RELIGIOSO. Se alguém entre vós cuida ser religioso. O que mais se percebe no meio das denominações são pessoas querendo ser religiosas e não cristãos verdadeiros. Existem nos dias de hoje, muitos modismos no meio cristão, que na verdade não passam de ativismo religioso. Muitos se envolvem tão cegamente nestes ativismos religiosos que nem percebem que estão a serviço de uma organização religiosa e não do reino de Deus e de Cristo. Isto porque, qualquer atividade religiosa com finalidades diretas ou indiretas de alguém levar vantagens financeiras, não tem nada a ver com o evangelho. Uma vez que o evangelho tem como finalidade as coisas espirituais e não matérias. Dai de graça o que de graça recebestes, isso é evangelho.

E NÃO REFREIA A SUA LÍNGUA. A pessoa pode morar dentro de um templo religioso, pode andar com uma bíblia debaixo do sovaco ou na mão, pode parecer bastante espiritual, pode ser um pregador eloquente, pode ser um líder religioso, pode andar de vestes compridas, pode está de palito e gravata, mas se não tiver controle sobre suas palavras não adianta. E isso não se refere somente a palavrões, a acusações ou ao usa das palavras para denegrir as pessoas, mas, diz respeito ao controle da nossa forma de comunicação em geral. Não se pode usar da palavra para julgar a vida de quem quer que seja, nem agredir aos outros, nem muito menos usar de ignorância no falar para gerar conflitos. O evangelho são boas novas de paz e não de guerra.

ANTES ENGANA O SEU CORAÇÃO. A mensagem central do evangelho quando se fala sobre o “coração do homem”, diz respeito ao homem interior, a sua alma, seu caráter e sua personalidade. É perca de tempo se envolver em tonto ativismo religioso e modismos, fazer parte desta ou daquela denominação, se a pessoa não tem controle sobre suas palavras. Faz-se necessário um monitoramento constante sobre o que estamos falando, pregando, ou ensinando. O mesmo autor escreveu: Todo homem esteja pronto a ouvir, e tardio em falar. O ideal é sempre falar do que é bom e certo.

A RELIGIÃO DESSE É VÃ. Nesta classificação se enquadram os cristãos confessos, mas não práticos, que dizem fazer parte de uma denominação, mas que a vida não condiz com o que fala. A chamada falsa religiosidade é perigosa, porque a pessoa acha que está correta, mas no fundo, no fundo, está sendo reprovada pela verdade e por Deus. Somente a própria pessoa tem condições de avaliar o seu nível de fé e temor a Deus.

Tiago 1:25

Tiago 1:25 - Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecidiço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito.
AQUELE, POREM, QUE ATENTA BEM PARA A LEI PERFEITA DA LIBERDADE. Esta lei perfeita da liberdade não diz respeito à legislação mosaica, mas sim, a nova aliança de Deus com a humanidade por meio de Cristo Jesus Nosso Senhor. Nos textos anteriores o autor vinha abordando um tema muito importante sobre ouvir a mensagem de evangelho. Agora ele chama a atenção dos seus leitores para dar total e irrestrita atenção à nova aliança da graça, como sendo uma coisa perfeita para a salvação dos que dão crédito a sua mensagem, que são as boas novas de salvação. A exortação em forma de conselho por parte do escritor é que todo aquele que atenta bem para o evangelho de Cristo é absolutamente liberto do julga da antiga lei.

E NISSO PERSEVERA. Não é ser apenas um ouvinte do evangelho, mas sim um cristão verdadeiro que aceita e vive conforme os mandamentos de Cristo. Somos chamados para o reino de Deus e de Cristo para uma nova vida de conformidade com o evangelho libertador, onde retroceder, não é mais opção. E persevera no evangelho é a garantia de salvação, o próprio Jesus prometeu, aquele que persevera até o fim, essa será salvo. As promessas da nova aliança são para aqueles que se firmam na mensagem das boas novas de Cristo, e tem como principal objetivo continuar até a morte ou até o arrebatamento, andado no caminho da verdade do evangelho. Isto porque é por fé que vivemos, por confiança que andamos e por esperança que vamos herdar a vida eterna. Persevera no caminho do evangelho é ter rumo certo.

NÃO SENDO OUVINTE ESQUECIDIÇO. Esta expressão quer dizer: “Se alguém é ouvinte, e não cumpridor”. A título de hoje, o evangelho teórico tem até sido em tese status para muitos, onde uma grande parte dos cristãos confessos estufam o peito em afirmar: “Eu sou evangélico”. O que mais têm são cristãos confessos e não práticos, ou seja, são cristãos de faixada e não verdadeiros discípulos de Cristo e do seu reino. Biblicamente falando, podemos afirmar que, os avivamentos, conforme as Santas Escrituras, sempre foram o retorno à prática daquilo que está nas Sagradas Escrituras. E discípulo, quer dizer: Aquele que segue as pisadas do seu Mestre. Somos aconselhados a andarmos assim como Cristo andou. Não adianta ter conhecimentos teóricos da palavra e não praticá-la.

MAS FAZEDOR DA OBRA. Esta frase em uma interpretação cristã, se refere a ouvir o evangelho e por em prática os ensinos recebidos. O autor com sabedoria tentava usar termos técnicos de conformidade com os conhecimentos dos seus leitores. E conforme ficamos sabendo, logo no início desta carta, Tiago estava escrevendo para os seus irmãos Judeus da dispersão. Razão porque em alguns pontos de sua missiva ele usa termos que são parecidos com conceitos do judaísmo.

ESTE TAL SERÁ BEM-AVENTURADO NO SEU FEITO. Juntando-se estas duas últimas frases, o autor tinha certeza de que, os seus leitores teriam noção exata de sua mensagem. Até porque os Judeus juntavam o conhecimento da legislação mosaica com a prática dos seus mandamentos para descrever um verdadeiro israelita.

Tiago 1:23-24

Tiago 1:23-24 - Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante ao homem que contempla ao espelho o seu rosto natural. Porque se contempla a si mesmo, e vai-se, e logo se esquece de como era.
PORQUE SE ALGUÉM É OUVINTE DA PALAVRA. O evangelho de Cristo tem sido abundantemente divulgado por todas as partes do mundo e por todos os meios possíveis de comunicação. Nas repartições e nos departamentos das empresas, tem sempre alguém dando testemunho de Cristo, nas ruas e nos lares também. Nas emissoras de Rádio, nos programas de TV, principalmente na internet, o evangelho das boas novas tem sido semeado. Tem sempre alguém ouvindo ou lendo sobre as coisas do reino de Deus e de Cristo. A igreja tem cumprido o ide imperativo de Cristo, e até certo ponto as pessoas tem sido receptivas a mensagem iluminadora do evangelho, e isso é muito bom, mas não é tudo, tem que haver aceitação e prática.

E NÃO CUMPRIDOR. Se alguém é ouvinte, e não cumpridor. A título de hoje, o evangelho teórico tem até sido em tese, status para muitos, onde uma grande parte dos cristãos confessos, estufam o peito em afirmar: “Eu sou evangélico”. O que mais têm são cristãos confessos e não práticos, ou seja, são cristãos de faixada e não verdadeiros discípulos de Cristo e do seu reino. Biblicamente falando, podemos afirmar que, os avivamentos, conforme as Santas Escrituras, sempre foram o retorno à prática daquilo que está nas Sagradas Escrituras. E discípulo, quer dizer: Aquele que segue as pisadas do seu Mestre. Somos aconselhados a andarmos assim como Cristo andou. Não adianta ter conhecimentos teóricos da palavra e não praticá-la.

É SEMELHANTE AO HOMEM QUE CONTEMPLA AO ESPELHO O SEU ROSTO NATURAL. Quem é apenas um ouvinte da palavra de Deus e não a põe em prática é semelhante a quem? O autor usa uma ilustração para tentar transmitir a sua mensagem aos seus leitores, e neste ponto ele fala sobre um homem a se olhar sobre o espelho. Porque ele falou sobre o homem e não a mulher? Porque comumente o homem só dá uma olhada rápida sobre o espelho para ver se está tudo bem, enquanto que a mulher, por ser mais vaidosa, se demora longamente a frente do espelho até que ache que tudo está perfeito, como bem deseja. O cristão confesso, e não prático é assim, ele acha que está tudo bem, apenas com uma religiosidade artificial ou superficial.

PORQUE SE CONTEMPLA A SI MESMO. Esta expressão representa uma olhada para o básico e natural. Já a mulher se olha diferente do homem, porque ela atenta para os detalhes, e como usa muito mais apetrechos que o homem, ela é mais minuciosa em procurar corrigir as distorções da aparência. Neste caso, se contemplar a si mesmo em termos religiosos diz respeito à auto aceitação da situação. Sem, no entanto, ter uma visão mais vasta e crítica do estado espiritual. Não basta o conforto mental, precisamos nos questionar, se estamos ou não agradando a Deus.

E VAI-SE E LOGO SE ESQUECE COMO ERA. O homem dá uma olhada rápida no espelho, e logo se esquece como se viu momentos antes. Quem não tem compromisso em praticar a palavra de Deus se esquece de suas responsabilidades com o seu próximo e com o Deus Criador, que é juiz dos vivos e dos mortos. Cada um tem o dever de saber que um dia vai prestar contas do que fez durante toda a vida ou o bem ou o mal.

Tiago 1:22

Tiago 1:22 - E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos.
E SEDE CUMPRIDORES. No texto anterior o autor tinha escrito: recebei com mansidão a palavra em vós enxertada, a qual pode salvar as vossas almas. Esta mesma mensagem que os seus leitores já eram conhecedores, agora, eles são convidados a serem cumpridores. Olhando pela visão do cristianismo, é difícil de compreender o porquê Israel, não reconheceu a Jesus de Nazaré, como sendo o Messias de Deus, até porque as profecias messiânicas estavam expostas nas literaturas religiosas dos Judeus de forma abundante. E quando no exercício do seu ministério de pregação e operação de sinais Jesus clareou ainda mais as profecias que já estavam escritas a seu respeito. Bastava os Judeus porem em prática as profecias, que eles já conheciam sobre Cristo.

DA PALAVRA. Esta palavra a qual se refere o autor, diz respeito ao evangelho das boas novas de Cristo, que diferente da legislação mosaica, agora é o código de ética e prática do cristianismo. Se a mensagem foi diretamente para os seguidores do judaísmo, o escritor estava lhes advertindo de que eles conheciam bem as profecias messiânicas, e que precisavam praticar o que Deus lhes ordenara sobre a nova dispensação, principalmente aceitando Jesus de Nazaré como sendo o Messias de Deus. Na realidade os Judeus sempre foram o povo mais religioso do mundo antigo, estudavam desde sedo a legislação mosaica, como algo sagrado, mas negligenciaram as profecias que diziam respeito à chegada do Emanuel de Deus.

E NÃO SOMENTE OUVINTES. Eles ouviram as pregações feitas por João batista, lhes anunciando sobre a chegada do Messias, Jesus de Nazaré. O próprio Cristo de Deus exerceu plenamente o seu ministério de pregação e ensino entre o seu povo. E desde a ascensão de Cristo para se assentar a destra de Deus, que os apóstolos e discípulos do Senhor Jesus vinham anunciando as boas novas da dispensação da graça. Os Judeus de Israel ou da dispersão já tinham ouvido tudo que dizia respeito à nova dispensação da graça. O que restava era de que não fossem apenas ouvintes da palavra, mas reagissem positivamente a mensagem do evangelho de Cristo Jesus.

ENGANANDO-VOS. A Deus, os leitores desta carta não tinham como enganar, a igreja que era a agência de comunicação da mensagem do evangelho, também não tinham como se desculparem, porque eles estavam enganando a se mesmo, protelando a aceitação das profecias messiânicas e rejeitando as boas novas do evangelho liberador do Filho de Deus. Resistir à nova realidade no tratamento de Deus com a humanidade por meio de uma nova aliança de paz era procurar enganar a si mesmo, uma vez que o conhecimento dos novos planos de Deus para o mundo, já lhes haviam chegado ao coração e a mente. Continuar indiferentes era pura insanidade.

COM FALSOS DISCURSOS. Assim como o cristianismo neste mesmo período se propagava por todo o mundo. Os agentes do judaísmo procuravam de todas as formas desfazerem a mensagem do evangelho aonde eles chegavam. Isto porque Israel não aceitou o fundador do cristianismo, nem muito menos a mensagem por ele transmitida e confirmada pela igreja. De forma que os pregadores legalistas do judaísmo andavam por toda parte com seus falsos discursos, distorcendo o evangelho.

Tiago 1:21

Tiago 1:21 - Por isso, rejeitando toda a imundícia e superfluidade de malícia, recebei com mansidão a palavra em vós enxertada, a qual pode salvar as vossas almas.
POR ISSO, REJEITANDO. Por isso. O autor dar procedimento as suas exortações, de forma a clarear o entendimento dos seus leitores sobre como agir e como não agir, conforme a nova dispensação da graça. Quando o escritor usa o verbo rejeitando, ele propõe aos seus leitores uma opção firme no tocante a não aceitarem em hipótese alguma as más qualidades que ele passa a descrever. Para a maioria dos estudiosos desta carta de Tiago, o autor em alguns pontos do conteúdo de sua missiva, ele usa termos fortes, como se estivesse aplicando a legislação mosaica e não o evangelho da graça. Mas a verdade é que ele estava escrevendo para Judeus da dispersão, cristãos ou não, razão do porque de suas exortações mais fortes. Certamente ele desejava mostrar para os seguidores do judaísmo, que no cristianismo também tem doutrina.

TODA A IMUNDÍCIA E SUPERFLUIDADE DE MALÍCIA. Rejeitando a toda imundícia. Neste ponto, o escritor fala de imundícia para descrever todo tipo de impureza da carne e da mente. A alma e o caráter do ser humano ficam manchados pelas práticas sucessivas das paixões infames das concupiscências da carne. Desde o inicio da convivência do homem na terra que sua índole tem a tendência natural em buscar as coisas mais promíscuas desta vida, porque sua natureza tem o germe do pecado e o vírus da rebelião. Suas ações na maioria das vezes em ternos de desejos carnais são direcionadas pela malícia dos seus pensamentos. O conselho do autor é de que se faz necessário rejeitar tal imundícia humana e a superfluidade da malícia carnal.

RECEBEI COM MANSIDÃO. Agora, o escritor mostra uma saída e o que deve substituir a imundícia e a malícia. Pelo Espírito de Deus, o autor tenta focalizar uma luz no meio das trevas densas da carnalidade humana. Os Judeus haviam rejeitado a Cristo o salvador e agora não tinha como desfazer o que havia sido feito. Mas, nem tudo estava perdido, por isso ele revela o que há de disponível, que é eles receberem com mansidão, a proposta de uma nova aliança pelo evangelho da verdade de Cristo. Israel enfurecido, por não aceitar Jesus de Nazaré como o Messias, agiu com ira e com ódio, mas neste momento, o mais correto a fazer era receber com mansidão a palavra.

A PALAVRA EM VÓS ENXERTADA. Os profetas messiânicos deixaram suas mensagens sobre a vinda do Messias de Deus. João batista, o precursor também pregou sobre a chegada do Emanuel, Deus conosco. Jesus exerceu plenamente seu ministério de sinais e pregação entre o seu povo. E os ministros do evangelho continuavam exortando em como seguir as pisadas do Mestre. Ninguém tinha desculpa de não ter ouvido o evangelho da graça de Cristo, porque as boas novas haviam se espalhado rapidamente em todas as direções. Como semente, a palavra estava enxertada nos corações.

A QUAL PODE SALVAR AS VOSSAS ALMAS. O evangelho de Cristo é a bússola que guia o ser humano aos braços de Cristo, a salvação e a vida eterna. A legislação mosaica e a antiga dispensação cumpriram o seu papel na vida do povo Judeu. Com a vinda do Messias, Jesus de Nazaré, Deus pôs em prática um novo programa de relacionamento com a humanidade, mostrando por meio do evangelho da graça, como viver dignamente para o seu reino e as coisas que são de cima. Este é o cristianismo.

Tiago 1:19-20

Tiago 1:19-20 - Portanto, meus amados irmãos, todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. Porque a ira do homem não opera a justiça de Deus.
PORTANTO, MEUS AMADOS IRMÃOS. O escritor antes de dar início a mais algumas exortações mais fortes, desarma os ânimos dos seus leitores lhes dando um tratamento especial, quando os chamam de “meus amados irmãos”. O fato de que Tiago reitera o direcionamento de sua carta aos seus irmãos, isso defende mais uma vez a tese de que ele estava escrevendo para os Judeus da dispersão. Usando o chavão de amados, ele deixa transparecer de que tinha laços de amor fraternal para quem estava escrevendo. Classificando-os de irmãos, o autor cita uma tradição judaica-cristã de tratamento igualitários entre seus pares, tendo como Pai o mesmo Deus.

TODO HOMEM SEJA PRONTO PARA OUVIR. Em forma de conselho, o escritor chama a atenção dos seus leitores para algo muito importante. Geralmente, a maioria das pessoas gostam de falar e expressar suas ideias e pensamentos, quando na realidade deveriam estarem mais aptas a ouvir do que a falar. O evangelho estava sendo pregado tanto em Israel, como em todo o mundo, onde estavam espalhados os Judeus da dispersão. E para aceitarem os novos conceitos do cristianismo e a realidade de uma nova dispensação, a dispensação da graça, bastava serem ouvintes das boas novas do evangelho de Cristo Jesus, o Messias de Deus, prometido a Israel.

TARDIO PARA FALAR. Esta é uma recomendação que pouco se cumpre no meio do povo de Deus, uma vez que, muitos preferem aparecer, por meio das oportunidades para pregar ou ensinar. É efetivamente frenética a ênfase que se dar ao ativismo em torno das oportunidades que se buscam para aparecem nos púlpitos das igrejas. Esquecendo-se deste tão importante conselho, de que é melhor ouvir do que falar, até porque quando se fala gera responsabilidade sobre cada palavra pronunciada. Não da para entender porque se dar tanto valor a determinados textos bíblicos, em detrimentos de outros, ao que tudo indica isso faz parte de um jogo de interesses.

TARDIO PARA SE IRAR. Esta recomendação do autor desta carta, atenta para o comportamento de todo aquele que diz ter o temor de Deus, ou ser um seguidor do reino de Cristo. Todo homem seja tardio para se irar, porque este estado emocional representa a falta de controle próprio. Aquele que vive para Deus conforme o evangelho glorioso de Cristo, não deve dar lugar à raiva, ódio, ou a ira, uma vez que, melhor é o amor, a comunhão e a compreensão do que os sentimentos negativos.

PORQUE A IRA DO HOMEM. A palavra ensina: Não se ponha o sol sobre a vossa ira. No momento em que nos sentimos injustiças, insultados ou agredidos, é natural uma reação a altura. No entanto, o Espírito de Deus nos lembra de que devemos seguir as pisadas do Mestre, e prontamente somos dominados pela compreensão e a paz.

NÃO OPERA A JUSTIÇA DE DEUS. Porque a ira do homem não opera a justiça de Deus. Deus é justiça e sabe recompensar a cada um de forma imparcial. Se alguém nos tratar com injustiça, não devemos revidar, mas esperar que a justiça divina venha a operar em nosso favor. Não devemos ser vingativos, mas entregar tudo nas mãos de Deus.

Tiago 1:18

Tiago 1:18 - Segundo a sua vontade, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como primícias das suas criaturas.
SEGUNDO A SUA VONTADE. A vida espiritual não tem o mesmo processo da vida natural. A vida espiritual é gerada diretamente de conformidade com a vontade de Deus. Enquanto que a vida natural é segundo a vontade dos homens. Isso pode ser visto em João 1:12-13 - Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome. Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus. Esta vida espiritual tem início com o verdadeiro arrependimento, por meio do processo da transformação da natureza e da personalidade, que tem como resultado o perdão dos nossos pecados, e culmina em plena comunhão com Deus (Atos 3:19).

ELE NOS GEROU. O pronome “ele” diz respeito ao Deus Criador, que é a origem desta nova dimensão de vida, a vida espiritual. Segundo a sua vontade, Deus nos gerou, ou seja, este novo nascimento espiritual se dar pelo Espírito de Deus, João 3:3-6 - Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer? Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito. Este é o nascido de cima.

PELA PALAVRA DA VERDADE. Esta palavra da verdade é justamente o evangelho poderoso de nosso Senhor Jesus Cristo. O homem escuta a mensagem das boas novas de Cristo, dá crédito a palavra da verdade, e o Espírito de Deus faz uma transformação de personalidade e natureza no homem natural para que ele seja uma nova criatura em Cristo. 2 Coríntios 5:17 - Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. Há uma necessidade de se pregar o evangelho (Marcos 16:15), para que as pessoas possam ser geradas de novo pelo poder da mensagem libertadora do evangelho glorioso de Cristo. Esta é a proposta da nova aliança de Deus com a humanidade por meio de Cristo Jesus, o Salvador.

PARA QUE FÔSSEMOS COMO PRIMÍCIAS. Só lembrando, esta carta de Tiago foi escrita para os Judeus da dispersão, seguidores do judaísmo ou do cristianismo. E Israel sempre foi um povo que se achava especial, por conta de ter uma aliança com Deus deste os patriarcas, Abraão, Isaque e Jacó. No entanto, Tiago agora mostra que Deus estabeleceu uma nova aliança com todos os povos em que a igreja de Cristo é que passou a ser especial para o reino de Deus e de Cristo. O mundo não aceita esta prerrogativa de exclusividade para a igreja do Senhor Jesus, mas é a realidade última de Deus.

DAS SUAS CRIATURAS. Todos os seres humanos são classificados de criaturas de Deus segundo as Santas escrituras. Mas existe um povo especial, o qual é chamado povo de Deus, que de conformidade com a nova dispensação, não é o Israel, como nação, mas sim a igreja de Cristo. E isto não se fala em uma denominação, como organização religiosa, mas dos remidos pelo sacrifício eficaz do Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, Jesus Cristo. Esta é a igreja espiritual do Filho de Deus.

Tiago 1:17

Tiago 1:17 - Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação.
TODA A BOA DÁDIVA. Neste ponto do seu escrito o autor faz uma mudança brusca de assunto para aliviar um pouco a tensão dos seus leitores, quanto à dureza dos temas que ele vinha abordando. Deixando por um momento a linha de exortação que comumente faz parte do conteúdo de sua carta, Tiago, como que citando a cifra de um cântico cristão de sua época, agora, fala de temas amenos para que os seus leitores possam dar uma respirado, diante de tanta pressão doutrinária. Toda boa dádiva, diz respeito a tudo de bom que procede da parte de Deus para a humanidade e principalmente para o seu povo. São as bênçãos sem medida derramadas sobre nossas vidas, tudo para o nosso bem-estar e felicidade completa.

E TODO O DOM PERFEITO. Certamente o escritor estava pensando na capacitação que Deus faz na vida de cada um dos seus servos, quando colocou neste texto a palavra dom. A começar pela inteligência que o Senhor faz raiar na mente daqueles que o busca de todo o seu coração. É o Criador de todas as coisas que fornece a capacidade do ser humano desenvolver suas habilidades no conhecimento de alguma coisa, a isso se dar o nome de dom de Deus. É na alma do ser humano onde o Senhor trabalha em suas capacidades mentais para impregnar suas impressões digitais, dando a cada um a medida certa do saber para que o homem cumpra sua missão para a qual foi criado. Nos que são iluminados com a luz do evangelho dá o Senhor os dons perfeitos, porque do contrário ninguém teria capacidade para desenvolver qualquer atividade em direção ao reino de Deus, nos dons espirituais.

VEM DO ALTO. O autor deste tratado nos fornece o endereço correto de onde vem estas boas dadivas e os dons perfeitos por ele citados. Que o ser humano reconheça ou não, que agradeça ou não, mas os mistérios do aprendizado e o desenvolvimento da inteligência humana vêm do alto, vem de cima, vem dos céus, vem de Deus. A forma como Deus trata todos os seres humanos nos ensina de sua grandeza e perfeição, uma vez que a grande maioria nem reconhecem de que tudo de bom que acontece com as pessoas vem da parte do Senhor, assim como as habilidades e os conhecimentos que cada um tem. Boa parte das pessoas acham que o seu desenvolvimento nas áreas de progresso de suas vidas, se deve aos seus esforços pessoas, ou a sorte, quando a verdade diz nas Sagradas Escrituras que vem de Deus.

DESCENDO DO PAI DAS LUZES. Na frase anterior o escritor nos fornece o endereço de onde vêm as boas dádivas e os dons perfeitos, mas agora ele nos revela a fonte de onde procedem estas bênçãos sobre as nossas vidas, descendo do Pai das luzes. Isso nos ensina de que as coisas boas e o desenvolvimento de nossas habilidades nos vêm em forma de luzes. Somos apenas administradores daquilo que temos e possuímos, porque o verdadeiro dono é o Criador de todas as coisas.

EM QUEM NÃO HÁ MUDANÇA NEM SOMBRA DE VARIAÇÃO. Esta expressão fala sobre a imutabilidade de Deus e de Cristo. Hebreus 13:8 – Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e eternamente. As pessoas mudam conforme lhes são convenientes para cada situação, mas o nosso Deus é o mesmo desde a eternidade e sempre o será.

Tiago 1:15-16

Tiago 1:15-16 - Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte. Não erreis, meus amados irmãos.
DEPOIS, HAVENDO A CONCUPISCÊNCIA CONCEBIDO. O escritor faz uma alegoria para ilustrar este processo. Onde a mãe é a concupiscência, o filho é o pecado e o neto é a morte. Os passos naturais deste enigma é que o ser humano é atraído e enganado pelas suas próprias cobiças, onde o resultado é cair na sua própria armadilha. É como um pássaro faminto, que é atraído pelo alimento que estar logo em baixo de uma arapuca, quando ele visga o objeto do seu desejo, é preso pela armadilha. A fome representa a concupiscência humana e os desejos carnais, o alimento é a tentação posta todos os dias diante dos nossos olhos, e a arapuca são as consequências advindas dos nossos atos que contradizem os planos de Deus para nossas vidas.

DA A LUZ O PECADO. O problema não está no fato de sermos tentados, mas os prejuízos vêm quando cedemos às tentações e caímos nas armadilhas do pecado. As nossas concupiscências são uma fonte geradora do pecado em nossas vidas. Portanto, se faz necessário travar uma batalha diuturna contra os nossos desejos carnais e os apetites desordenados para o que é errado. Um dos anticoncepcionais bastante eficaz no combate a geração do pecado é justamente a renúncia. E essa renúncia vem por meio do alto controle das nossas ações e práticas. Temos que fazer um monitoramento constante para identificarmos toda e qualquer fonte de tentação e resistir ferozmente contra a prática do pecado, porque o pecado gera a morte.

E O PECADO, SENDO CONSUMADO. O fracasso não está na tentação em si, mas sim, em ceder e cair na prática da concupiscência. Conta-se uma ilustração sobre um fazendeiro que de repente começou a perder tudo que tinha, e perguntando a Deus porque estava acontecendo aquilo com ele, teve um sonho em que lutava contra um monstro, que estava destruindo suas lavouras, seus rebanhos, seus bens e sua vida. Tomando coragem, ele decidiu lutar contra o monstro naquela noite escura da vida. Como a escuridão era densa, ele estava lutando contra um inimigo que não conseguia enxergar, mas de repente surgiu um raio de luz e aquele homem viu e percebeu que estava lutando contra si mesmo. Para que o pecado não seja consumado, precisamos travar uma luta diária contra as nossas concupiscências carnais e os desejos mais vis.

GERA A MORTE. Qual é o resultado de se cair na tentação para cumprir o apetite desordenado da concupiscência? O fruto da prática do pecado é justamente a morte. E esta morte é a separação da vida, portanto, a separação de Deus. Esta morte pode ser a morte física, que atua na vida de todo ser humano por causa do pecado universal, pode ser a morte espiritual, onde a pessoa esta vivendo uma vida normal entre os seres humanos, mas está morta no espírito, porque não tem comunhão com o seu Criador, e isso é o que mais acontece. Por fim a morte eterna, que é a separação eterna da vida, da salvação e de Deus que é a fonte mesmo da vida eterna.

NÃO ERREIS, MEUS AMADOS IRMÃOS. Eis aqui o medicamento eficaz contra as nossas concupiscências e o pecado, que gera a morte. Não errar é não se deixar dominar pelos desejos carnais que nos levam a cair nas tentações. E este conselho do escritor Tiago é justamente para os servos de Deus, Judeus ou não da dispersão.

Tiago 1:14

Tiago 1:14 - Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência.
MAS CADA UM. Neste ponto, o escritor fala sobre o pecado individual. Comumente o ser humano tenta arrumar desculpas para os seus deslizes, no entanto, cada um tem responsabilidade pelos seus atos. No primeiro caso de pecado lá no começo, o homem colocou a culpa sobre a mulher, Gênesis 3:12 -Então disse Adão: A mulher que me deste por companheira, ela me deu da árvore, e comi. E a mulher por sua vez colocou a culpa sobre a serpente, Gênesis 3:13 - E disse o SENHOR Deus à mulher: Por que fizeste isto? E disse a mulher: A serpente me enganou, e eu comi. Esta faceta humana tem sido recorrente em toda a história da humanidade. Uma tentativa do ser humano tentar se livrar de sua responsabilidade para com os seus atos. Todavia, as Escrituras falam sobre o livro individual que conta a vida de cada um (Apocalipse 21:12).

É TENTADO. Cada um é tentado. Ninguém está livre da tentação, ela vem na vida dos jovens, dos adultos e dos velhos também. A tentação é um teste difícil de suportar, uma vez que se torna em uma luta da própria pessoa consigo mesmo. Geralmente a tentação vem justamente no ponto de nossa maior fraqueza, e no nosso lado mais vulnerável de resistência. Comumente a tentação nos ataca com o objetivo de nos prejudicar em nossa comunhão com Deus, por isso se faz necessário ficarmos atentos, para distinguirmos o que é provação da parte de Deus e o que é tentação. Precisamos nos conhecer melhor a nós mesmos para descobrirmos os nossos pontos mais fracos, e fechar a porta para que nesta área não venhamos a cair na tentação.

QUANDO ATRAÍDO. Não é pecado ser tentado, o prejuízo estar justamente em cair na tentação e ceder em nossas fraquezas. Temos que ter consciência de que existem áreas mais vulneráveis de nossa vida por onde somos atraídos pelas nossas fraquezas. O escritor nos ensina de que existe uma força de atração, que podemos conjecturar que é muito forte, para nos levar a cair na tentação. Quase sempre aquilo que é o foco de nossas tentações é algo irresistível as forças humanas e aos desejos carnais. Não somos tentados naquilo que não gostamos, por isso que sempre vem às tentações justamente no ponto em que aparentemente é bom e nos provoca prazeres e satisfação momentânea. É preciso ser forte para resistir às tentações. E

ENGODADO. Uma faceta das tentações que nos sobrevêm é justamente para nos enganar. Humanamente falando, tudo aquilo que é proibido, se torna mais gostoso de ser praticado, porem, as consequências são amargosas e os prejuízos são grandes. Com a queda da raça humana, todas as pessoas tiveram sua natureza manchada e sua personalidade alterada, com isso o ser humano passou a ser vítima de si mesmo, porque seu apetite passou a ser propício ao que é errado. O egoísmo, o egocentrismo e o orgulho humano, leva a maioria das pessoas a acharem que são independentes para fazerem o que bem entendem e esse é o grande engano dos seres humanos.

PELA SUA PRÓPRIA CONCUPISCÊNCIA. O que nos leva a cair nas tentações são justamente as nossas próprias concupiscências. As concupiscências falam dos desejos mais promíscuos que dominam o ser humano. Levando a pessoa a pecar desavergonhadamente contra a sua própria alma. Concupiscência é carnalidade.

Tiago 1:13

Tiago 1:13 - Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta.
NINGUÉM. A tentação ao mal não vem de Deus, é o novo tema abordado pelo escritor. Tendo escrito que as provações da vida que temos que atravessar não são para o mal, nem para nosso prejuízo. Agora, Tiago fala de que as tentações, essas sim, são perigosas, porque não vem de Deus e sim do nosso inimigo, porque são para o mal. Além do mais, o autor deixa bem claro, que estas tentações vêm de nós mesmos e de nossas ambições pessoas. Desde a queda da raça humana que a síndrome do pecado passou a habitar na alma de todos, de forma que o livre arbítrio nos leva a sempre tomarmos decisões, ou para o bem ou para o mal. Seja a tentação externa ou interna, a decisão final é sempre de cada um de nós. Isso é livre arbítrio.

SENDO TENTADO, DIGA. Um exemplo claro de casos como este parafraseado pelo auto é o de Adão e Eva. Onde o nobre casal entrou em um dilema, no memento da tentação, onde por um lado, Deus havia dado um mandamento, por outro lado, veio o diabo e lançou uma proposta, no meio estava o ser humano, que podia rejeitar a oferta de satanás para fazer a vontade de Deus. O que aconteceu? O ser humano fracassou e com ele todos passaram a pecar voluntariamente contra os princípios divino. Ninguém esta livre da tentação e ela vêm para nos por no limite entre o bem o mal, cabe a nós optarmos pela vontade de Deus, que é boa, ou cedermos as tentações do inimigo, simplesmente para nosso prejuízo e distanciamento da presença de Deus.

DE DEUS SOU TENTADO. Ninguém diga que é tentado por Deus. O ser humano tem um vazio enorme dentro de se mesmo, que o torna insaciável. Nesta busca pelos interesses pessoas, sua medida nunca enche. Razão porque o ser humano está sempre querendo mais e com isso entra em muitas tentações e ciladas do diabo. Adão e Eva tinham tudo que precisavam ali diante de suas mãos, mas na primeira oportunidade de conquistar alguma coisa em excesso, quebrou a aliança de fidelidade com o Criador para satisfazer o ego pessoal. Foi o caso de Lúcifer, ele era um anjo de Deus, que tinha tudo, foi tentado pelo mal, desejou tomar o lugar de Deus e deu no que deu, foi expulso da presença do Criador, com prejuízos eternos.

PORQUE DEUS NÃO PODE SER TENTADO PELO MAL. O Criador é o bem em essência. Nada que envolve o que é mal, tem parte com Deus. De forma que Deus não tenta a ninguém, com isso entende-se que a tentação não vem de Deus, mas do mal, e o mal é justamente a manifestação do diabo e os seus demônios, que é a personificação de toda espécie de males que há no mundo. As intervenções de Deus são por meio de provações, mas sempre para o bem e para nossa edificação e aperfeiçoamento. Já a tentação vem do diabo para nos fazer pecar contra a vontade de Deus, ou de nós mesmos, quando somos dominados pelos nossos interesses pessoas de querer mais do que precisamos ou somos. Deus não tem nenhuma associação com o mal.

E A NINGUÉM TENTA. Deus a ninguém tenta, até porque ele não precisa tentar a quem quer que seja, porque ele é Deus. O Criador não induz ninguém a tomar decisões para o que é errado, nem tenta a quem quer que seja para praticar pecados. A sua soberana vontade é que todo ser humano desfrute do bem, da luz e da bênção.

Tiago 1:12

Tiago 1:12 - Bem-aventurado o homem que suporta a tentação; porque, quando for aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam.
BEM-AVENTURADO. Esta é uma palavra que predomina nas Sagradas Escrituras para descrever os que são felizes. São os que são favorecidos com as bênçãos de Deus e do sei reino. São os que alcançam os seus objetivos porque confiam no Deus que trabalha em prol dos que nele esperam. Estes são os vencedores em Cristo Jesus, porque podem contar sempre com o socorro que vem do alto. Jeremias 17:7 - Bendito o homem que confia no Senhor, e cuja esperança é o Senhor. Ser bem-aventurado é saber que nos momentos mais difíceis da vida podemos contar com um amigo de todas as horas e todas as circunstâncias. Ser bendito do Senhor é ter a certeza da vitória em Cristo Jesus. 1 Coríntios 15:57 - Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo. Ser bem-aventurada é ter Deus na vida, e do seu lado.

O HOMEM QUE SUPORTA A TENTAÇÃO. Bem-aventurado o homem que suporta a tentação. A tentação é diferente da provação biblicamente falando. As provações da vida, muitas vezes elas vêm da parte de Deus para nos aperfeiçoar em nossa caminhada no evangelho de Cristo, ou é permitida pelo Senhor para adquirirmos experiência de vida. Mas a tentação, de conformidade com o contexto bíblico vêm da parte do inimigo de nossas almas para nos tirar da presença de Deus. No entanto, o conselho do escritor é de que devemos suportar com paciência a tentação e não ceder diante das ofertas do inimigo. Existem pessoas e coisas que são influenciadas pelas forças do mal, que aparecem diante de nossas vidas como boas, mas o final e o resultado é nos afastar do nosso Deus. Porque os nossos pecados nos afasta de Deus.

PORQUE, QUANDO FOR APROVADO. O segredo para ser aprovado diante das tentações que nos sobrevém, a todo o momento, é ser aprovado, e ser aprovado e vencer as tentações. Vivemos entre duas forças opostas, onde de um lado está o nosso querido Deus, que é o bem em essência e a luz maior, mas do outro lado tem o diabo com os seus demônios, que é o mal em essência e as trevas mais densas. E desde que satanás foi expulso da presença de Deus, que ele busca trazer para junto de si, com os seus demônios, o maior número que puder de vidas humanas. Porque ele sabe que o seu final já está determinado no inferno e no lago de fogo, mas não quer ir sozinha, e a sua revolta contra Deus é para levar consigo as almas das pessoas para o sofrimento eterno. Por isso que ele tenta as pessoas para afastá-las de Deus.

RECEBERÁ A COROA DA VIDA. Quem vencer as tentações e for aprovado por Deus receberá a coroa da vida. Esta coroa da vida a qual se reporta o escritor diz respeito à vida eterna. É o premia por ter vivido na terra buscando o reino de Deus e as coisas que são de cima. O verbo no futuro (receberá) nos fala da esperança de salvação em Cristo Jesus, o qual foi nos preparar lugar, mas que virá em breve para nos levar para si mesmo. E quando se fala sobre a coroa, está se falando da grande vitória dos salvos.

A QUAL O SENHOR TEM PROMETIDO AOS QUE O AMAM. É a promessa de Deus aos que vencerem as tentações, a coroa da vida. É a recompensa por ter suportado as tentações, e com resignação e renúncia fazer a boa e perfeita vontade de Deus.

Tiago 1:11

Tiago 1:11 - Porque sai o sol com ardor, e a erva seca, e a sua flor cai, e a formosa aparência do seu aspecto perece; assim se murchará também o rico em seus caminhos.
PORQUE SAI O SOL COM ARDOR. E continua o escritor usando suas palavras simbólicas para representar a brevidade da glória terrena das coisas matérias. Esta é uma alegoria referente ao profeta Isaías 40:6-8 - Uma voz diz: Clama; e alguém disse: Que hei de clamar? Toda a carne é erva e toda a sua beleza como a flor do campo. Seca-se a erva, e cai a flor, soprando nela o Espírito do Senhor. Na verdade o povo é erva. Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente. O sol é um agente transmissor de vida, mas pelo próprio ciclo da natureza ele também é um consumidor daquilo que é transitório e passageiro. Este sol na vida dos ricos avarentos representa o desgaste natural da existência terrena dos homens sem Deus, que resumem sua felicidade às coisas materiais, e não a vida eterna.

E A ERVA SECA, E A SUA FLOR CAI. Certamente, tanto o profeta Isaías, quanto a ilustração feita pelo escritor desta carta, se refere às plantas ornamentais dos jardins com suas flores de beleza exuberante. Que no seu ciclo natural nasce, cresce e brota suas flores belíssimas. Mas chega o tempo de voltar a ser estrume da terra, e a erva seca. O ensino alegórico do texto nos transmite a mensagem que assim é a vida de todo ser humano. Um dia, nascemos, crescemos, e chega o momento de partir, e dai para frente o que será? Quando a erva seca, cai a sua flor. Isso fala dos ornamentos da vida e sobre aquilo sobre o que as pessoas se apoiam. Nesta reflexão do escritor as flores representam as riquezas injustas adquiridas pelos ricos avarentos. Assim como as flores um dia cai, assim são as riquezas matérias, quando o ser humano veste o palitó de madeira, não pode levar bens materiais. Só resta isso: O pó volte ao pó.

E A FORMOSA APARÊNCIA DO SEU ASPECTO PERECE. Agora, o escritor fala da beleza das flores e diz o que acontece quando a erva seca e sua flor cai. E a formosa aparência do seu aspecto perece. Realmente tem flores que é a coisa mais linda que se possa imaginar. Uma das coisas mais lindas da natureza é um jardim de plantas ornamentais com suas belas flores. Todavia, seja qual for a beleza das flores, elas têm vida curta e mais sedo ou mais tarde vai murchar, secar e cair. Assim é a vida dos que só valorizam as coisas materiais, Por mais rico que seja, um dia vai ter que partir da terra para uma outra dimensão da existência e toda riqueza perde o seu valor. Quem busca as coisas que são de cima, está guardando o seu tesouro para a vida eterna.

ASSIM SE MURCHARÁ TAMBÉM O RICO. As Escrituras não são contra as pessoas terem bens materiais, o que a palavra de Deus aconselha é que as pessoas não devem por sua confiança nas riquezas. Porque um dia, quando chegar o momento de partir para a eternidade, tudo fica para traz e a pessoa não pode levar nado do que possui. O mais importante, é fazer um tesouro para a vida eterna com Cristo Jesus.

EM SEUS CAMINHOS. De que adianta ganhar o mundo inteiro e perder a alma? As riquezas materiais bem administrada para glória de Deus é uma bênção. Mas, quando adquirida injustamente e colocada acima do reino de Deus é uma maldição. Isso porque diz as Sagradas Escrituras que, o dinheiro é a raiz de todos os males.

Tiago 1:9-10

Tiago 1:9-10 - Mas glorie-se o irmão abatido na sua exaltação. E o rico em seu abatimento; porque ele passará como a flor da erva.
MAS GLORIE-SE O IRMÃO ABATIDO. A versão bíblica mais clara é aquela que diz: Mas glorie-se o irmão pobre. A alegria dos que seguem a Cristo não consiste na sua condição financeira ou social. A nossa maior felicidade é fazer parte do reino de Deus e ter como Pai, o Deus Todo-poderoso, aquele que trabalha em prol daqueles que nele esperam. No tempo em que Tiago escreveu esta sua carta, a igreja de Crista passava por momentos terríveis de perseguições. Onde os seguidores de Cristo tinham seus bens confiscados pelo Estado, simplesmente por confessarem a Jesus de Nazaré como Salvador. De forma que esta era uma mensagem de conforto para aqueles que foram humilhados por fazerem parte do cristianismo. Isso é fato.

NA SUA EXALTAÇÃO. Que tipo de exaltação esta se referindo o escritor? Jesus ensinou que os humilhados serão exaltados (Mateus 23:12). Aquele que é um discípulo de Cristo, muitas vezes perde alguma coisa material, mas é exaltado por Deus com coisas muito mais preciosas do que bens materiais. Anteriormente o escritor falou sobre o aperfeiçoamento dos que passam pelas provações e vencem as tentações. E essa exaltação dos servos de Cristo consiste justamente na capacitação com dons e ministérios da parte de Deus, na vida dos que renunciam as coisas profanas do mundo para buscarem as coisas que são de cima. Além é claro da preciosa esperança de salvação e vida eterna, que é o melhor tesouro de uma vida que busca a Deus.

E O RICO. A sociedade sempre foi dividida em classes sociais, onde por um lado existe uma grande maioria de pobres sem nada ou com quase nada, e do outro lado poucos ricos com muito. Certamente o escritor se refere aos ricos opressores daquela época, que passaram a se tornarem ricos escravizavam as massas, ou roubavam os menos desafortunados. É provável também que o pensamento do escritor esteja direcionado nas autoridades do império que confiscavam os bens dos cristãos, simplesmente pelo fato de confessarem a Cristo como Senhor e Salvador. Estes ricos avarentos desta época cometiam verdadeiras atrocidades contra os cristãos verdadeiros que eram duramente perseguidos pelo império romano.

EM SEU ABATIMENTO. Os ricos opressores estavam em alta perante a sociedade, mas perante a justiça de Deus, não estavam se erguendo, mas sim, se tornando em nada, porque estavam ricos materialmente, mas pobres espiritualmente aos olhos do Criador. Humanamente falando achavam que estavam se elevando, por escravizarem os pobres, mas na realidade estavam caindo no conceito divino, porque estavam praticando injustiças. Os livros históricos do cristianismo primitivo dos três primeiro séculos da era cristã, narram os absurdos sociais que as autoridades locais de cada cidade praticavam contra os cristãos, com o aval do Estado romano.

PORQUE ELE PASSARÁ COMO A FLOR DA ERVA. Neste ponto, o escritor narra o destino dos ricos opressores. E usa uma linguagem de palavras para representar o destino dos que confiam nas riquezas materiais, em detrimento das coisas do reino de Deus. São comparados como uma flor da erva, que tem pouca duração e se caracteriza pela fragilidade, mesmo que seja bonita, mas logo passa e já não é mais.

Tiago 1:7-8

Tiago 1:7-8 - Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa. O homem de coração dobre é inconstante em todos os seus caminhos.
NÃO PENSE TAL HOMEM. Quem é este tal homem de que fala o texto? É todo aquele que tem falta de fé. Conforme o evangelho da nova aliança é todo aquele que se deixa dominar pela incredulidade. São os que até fazem suas orações, mas pedem com dúvidas se vai receber aquilo que pedem ou não. São todos aqueles que são comparados às ondas do mar, que ora está com fé, outra ora está com seu pensamento dúbio, dando mais possibilidade de não acontecer aquilo que solicitam. São aqueles que deixam de confiar plenamente do trabalhar de Deus para coxearem entre dois pensamentos. Tal homem nem de longe pode pensar que vai receber de Deus resposta positiva naquilo que busca. Tal homem não atinge seus objetivos.

QUE RECEBERÁ DO SENHOR. Seja quem for, não importa quantos anos de caminhada na estada do evangelho, se buscar a Deus por meio da oração, mas com dúvidas no pensamento, não receberá de Deus o que almeja. A vida cristã é uma vida de fé em fé, onde precisamos depositar absoluta esperança em Deus de que ele escuta nossas orações e que se levanta do seu trono para agir em nosso favor. O correto é que sempre que invocarmos o nosso Deus, usarmos toda a nossa fé de que ele como o Deus Onisciente e Onipresente, está tomando conhecimento de nossa causa, porque ele está presente, e que vai mobilizar e acionar as forças positivas do seu reino para nós responder, conforme a nossa oração. É uma questão de tudo ou nada.

ALGUMA COISA. Não recebe nada, e pode ser um líder ou o cristão mais simples da igreja. Pode ter o tempo que for que serve ao reino de Deus, mesmo que seja a vida toda, se pedir com dúvidas no coração não receberá nada. Conforme o ensino deste escritor, não recebe nada da parte de Deus, se fizer qualquer tipo de petição, importante ou não, se assim o fizer com pensamento dúbio. Pode clamar de dia e de noite, pode gritar bem alto, mesmo que faça rogos, seja no templo ou em casa, mesmo que se consagre, faça jejum ou sacrifício, não adianta, não receberá coisa alguma se for tomado de incredulidade. As portas dos céus estarão fechadas, as palavras não passam do telhado, até o que é fácil se torna impossível. Não tem arrumadinho.

O HOMEM DE CORAÇÃO DOBRE. Quem é este homem de coração dobre? É todo aquele que é inconstante nos seus caminhos. Coração dobre é coração dividido, como dizem os mais sábios na fé, todos que vivem em um só pensamento estão unidos em um só propósito, com um só coração. Mas os que não vivem pela fé, até mesmo que seja um, tem dois corações, e isso é uma anomalia ou deformação. O homem de coração dobre é aquele que se deixa dominar pela dúvida, e que vai pelo caminho da incredulidade. Não sabe o que quer da vida, nem têm objetivos a serem alcançados.

É INCONSTANTE EM TODOS OS SEUS CAMINHOS. O homem inconstante é o que podemos chamar de pessoa desnorteada. Sem rumo para seguir nem sonhos a serem alcançados. É alguém sem planejamento em sua vida e que se deixa levar pelo pessimismo. É alguém desorientado e que não busca nenhum objetivo de vida. O homem inconstante tem seus caminhos tortuosos e suas veredas escorregadias. Não tem foco, nem fé e muito menos força para chegar a lugar algum, nem alcançar nada.

Tiago 1:6

Tiago 1:6 - Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando; porque o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento, e lançada de uma para outra parte.
PEÇA-A, POREM, COM FÉ. O escritor tinha falado no texto anterior que se alguém tem falta de sabedoria peça-a a Deus que a todos dá. Agora, ele coloca uma condição que é justamente pedir, porem, pedir com fé. Não se deve é deixar de pedir, se vai receber ou não depende da fé. Tem muitas colocações feitas pelo escritor Tiago que se baseiam no estilo condicional da antiga aliança, que precisam ser explicada na visão contextual do evangelho da nova aliança. A oração e a fé juntas podem resolver muita coisa. Marcos 11:23 - Porque em verdade vos digo que qualquer que disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar em seu coração, mas crer que se fará aquilo que diz, tudo o que disser lhe será feito. A fé e a dúvida não podem andar juntas, porque a dúvida é sinônimo de incredulidade e falta de fé. O que se requer é confiança plena.

EM NADA DUVIDANDO. As nossas orações feitas a Deus tem que ser com plena confiança de que vamos receber aquilo que estamos reivindicando. Mateus 7:7-8 - Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. Porque, aquele que pede, recebe; e, o que busca, encontra; e, ao que bate, abrir-se-lhe-á. Precisamos ter esperança de que tudo é possível ao que crer. Marcos 9:23 - E Jesus disse-lhe: Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê. 1 João 5:14-15 - E esta é a confiança que temos nele, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve. E, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que alcançamos as petições que lhe fizemos. Em nada duvidando é confiar plenamente que seremos atendidos.

PORQUE O QUE DUVIDA É SEMELHANTE À ONDA DO MAR. O que duvida é aquele que nem ora pedindo alguma coisa. É aquele que mesmo faça a sua oração pedindo alguma coisa a Deus, não tem certeza de que será ouvido, nem muito menos atendido. O que duvida é porque não confia no poder realizador de Deus e nem acredita que ele trabalha em prol daquele que nele espera. O que duvida é semelhante à onda do mar, que ora estar grande e outra ora quase nem existe, ora é forte para em seguida ser muito fraca. Isso fala em termos religiosos de dúvidas, de falta de fé, de incredulidade, de incertezas. Ou confiamos que seremos ouvidos e correspondidos em nossas petições, ou não adianta nem orar. Pedir com fé é ter a convicção de que vai receber a bênção.

QUE É LEVADA PELO VENTO. Mas pedir com dúvidas é semelhante à onda do mar, que está condicionada ao vendo e é absolutamente dependente do vendo para existir. Para a onda do mar, se existir vendo ela sobrevive, mas se o vento parar ele deixa de existir. Assim é o resultado de nossas orações diante de Deus. Se orarmos com dúvidas em nossos corações, essas orações são apenas palavras vazias, que não passam de um monólogo conosco mesmo, e não passa do alcance da altura de nossa voz. Mas quando oramos com fé, nossa petição ultrapassa nossas limitações e chega como cheiro suave diante do Deus Todo-poderoso. E assim somos atendidos.

E LANÇADA DE UMA PARA OUTRA PARTE. A onda do mar não tem direção própria, ela depende da direção do vendo para se projetar. A oração com dúvida ou incredulidade não tem direção certa, por isso, não chega ao seu destino final, que seria o trono de Deus.

Tiago 1:5

Tiago 1:5 - E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada.
E, SE ALGUM DE VÓS TEM FALTA DE SABEDORIA. O escritor vinha falando no texto anterior sobre como administrar as adversidades da vida para adquirir experiência e ser aperfeiçoar naquilo que é bom e certo. Ele não está afirmando que os seus leitores tem falta de sabedoria, mas se porventura alguém tiver, ele mostra o caminho que deve seguir para adquirir tal sabedoria. A sabedoria para um seguidor do judaísmo era conhecer a legislação mosaica e cumprir os seus mandamentos. A sabedoria para os gnósticos era a coisa principal, é tanto que para eles a sabedoria era o que levava o ser humano a perfeição. Para o mundo ter sabedoria é adquirir conhecimentos das ciências seculares. Para o evangelho de Cristo, a verdadeira sabedoria é aquela que vem de cima, do Pai das luzes e do Deus que é Onisciente.

PEÇA-A A DEUS. Se alguém não tem a sabedoria que vem de cima, peça-a a Deus. Essa verdadeira sabedoria buscada pelos que vivem para as coisas que são de cima vem por meio da revelação do Espírito do Senhor. Ela não é adquirida nas escolas seculares, nem nas universidades e nem nas faculdades. Essa sabedoria que pertence ao povo de Deus é intuitiva para fazer e realizar o que é correto e certo perante Deus e a sociedade. Quem tem esta sabedoria que vem de cima pode até errar, porque errar é humano, mas sabe muito bem discernir o que é certo e o que é errado. Essa sabedoria da qual ensina o evangelho de Cristo também pode ser acumulada por meio de uma vida de oração, de meditação e da leitura da bíblia e de toda boa literatura crista.

QUE A TODOS DÁ LIBERALMENTE. Se alguém não tem essa sabedoria da qual fala o escritor é só pedir a Deus e o Senhor vai conceder. A pergunta é: Para que buscar esta sabedoria? Se for para o que for útil, Deus não vai negar. Desde que esta sabedoria adquirida seja para edificar a vida de quem a possui e também a vida espiritual do seu próximo. Quem receber essa sabedoria tem que ter consciência de que ela não é propriedade particular sua, mas é um dom de Deus para o bem do nosso semelhante. Deus não nega essa sabedoria a quem a busca com o intuito de servir ao seu reino e em prol do evangelho de Cristo. Agora, se for para auto se promover e servir ao interesse próprio, Deus não dará a sabedoria que vem do alto.

E O NÃO LANÇA EM ROSTO. Geralmente o ser humano quase sempre faz alguma coisa em favor do seu próximo pensando em de alguma forma ser retribuído ou recompensado. Seja pela própria pessoa beneficiada, ou um reconhecimento da sociedade ou um galardão de Deus. Todavia, com Deus é diferente, quando ele nos favorece com sua grande benevolência não espera de nós nenhuma recompensa, até porque ele não precisa de nada, nós é que a todo o momento precisamos dele. E quando o Senhor dá a alguém a verdadeira sabedoria, ele não fica cobrando resultados. Ele não fica exigindo alguma recompensa, ele não lança em rosto.

E SER-LHE-Á DADA. Se alguém buscar a verdadeira sabedoria que vem de Deus, ser-lhe-á dada. Se alguém cai na graça do Senhor é suficiente para ser presenteado com a sabedoria que vem do alto. E quem recebe de Deus essa sabedoria faz a diferença onde for e onde estiver e no que fizer. Porque passa a ser uma pessoa iluminada com o conhecimento dos mistérios de Deus.

Tiago 1:4

Tiago 1:4 - Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma.
TENHA, POREM, A PACIÊNCIA. Ter paciência é acima de tudo ter domínio próprio em toda e qualquer situação. É se manter tranquilo, apesar das circunstâncias apontarem para o desfavorável. É não perder a calma, mesmo que venham as tempestades e os vendavais. É suportar com resignação as provações da vida sem reclamar nem murmurar pelas adversidades contrárias. É viver pela razão, mesmo sendo injustiça pelas inversões de valores que o mundo nos impõe. Ser paciente é saber esperar o tempo de Deus e saber que ele trabalha em prol daqueles que nele esperam. Ser paciente é confiar inteiramente no Senhor e ter a convicção de que ele está agindo para colocar cada peça no seu devido lugar, no tempo dele, e não no nosso.

A SUA OBRA PERFEITA. Porque a paciência tem sua obra perfeita. Quem na realidade age dentro dos padrões da paciência chega ao porto seguro sem prejuízos nem desonra. Nada do que passamos de contrariedade é sem objetivos, principalmente quando suportamos as provações e superamos as tentações. No início de cada dificuldade que surgirem em nossas vidas, basta perguntarmos, para que estou passando por isso? E não, porque estou passando por isso? E o desenrolar dos eventos vai nos provar de que é para nossa edificação e experiência que precisamos enfrentar os ventos contrários. Se entregamos o nosso destino aos cuidados de Cristo, precisamos ter consciência de que tudo que nos acontecem tem sua permissão, e se ele permite uma provação em nossas vidas é para o nosso aperfeiçoamento.

PARA QUE SEJAIS PERFEITOS. Vem novamente a mesma pergunta feita anteriormente: para que passamos as provações? E não, porque passamos pelas tentações? O alvo das adversidades da vida e o foco das provações permitidas pelo Senhor em nossa caminhada é para nos capacitar com boas virtudes. Como o ser humano em muitos casos é o produto do meio em que vive, naturalmente que a alma do homem, genericamente falando, está minada com muitos vícios e desviada dos seus objetivos para os quais fora criada. No entanto, o Espírito de Deus, pela mensagem do evangelho se propõe expurgar os seres humanos dos seus desvios de conduta, respeitando é claro seu livre arbítrio. Razão do porque das provações da vida.

E COMPLETOS. O foco principal das provações da vida é para que o ser humano seja aperfeiçoado, ganhe experiência e seja completo, em temos de boas virtudes e bom caráter. Esta expressão dentro do contesto religioso diz respeito ao ser humano viver uma vida correta, dentro do possível, tanto para com o seu Criador, como também para com o seu próximo. Quando Deus criou o homem, assim o fez com objetivos e finalidades. Quando um inventor cria um objeto é para cumprir uma determinada finalidade, quando assim não é, há uma disfunção. O Criador formou o homem com planejamento e um programa de realizações para sua existência, se houver uma disfunção, o inventor interfere para que haja aperfeiçoamento em sua criação.

SEM FALTAR EM COISA ALGUMA. O alvo das provações e dos testes que somos submetidos todos os dias da nossa vida é para que venhamos a nos enquadrar na vontade do Criador. Ninguém veio ao mundo por um acaso, existem objetivos.

Tiago 1:2-3

Tiago 1:2-3 - Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentações. Sabendo que a prova da vossa fé opera a paciência.
MEUS IRMÃOS. Esta forma de tratamento veio do judaísmo e foi implantado no cristianismo. Os Judeus se consideravam irmãos por pertencerem aos seus ilustres antepassados, Jacó, Isaque e Abraão. No cristianismo, esse tratamento se dava pela conscientização de que pertencemos à mesma família divina. Quando chamamos alguém de irmão, estamos lembrando de que Deus é o Pai de todo cristão verdadeiro. É porque sabemos que Cristo é o nosso irmão mais velho e que todos aqueles que o recebem em suas vidas se tornam filhos de Deus (João 1:11). Somos irmãos porque nascemos de novo pelo mesmo Espírito Santo (João 3:5). Somos irmãos porque fomos gerados pela mesma palavra da verdade (1 Pedro 1:23). Tiago estava escrevendo para seus irmãos Judeus espalhados por toda parte do mundo.

TENDE GRANDE GOZO. As contrariedades e adversidades da vida têm por objetivo levar o ser humano ao desespero e a profunda tristeza de alma e de espírito. Porem, quem teme a Deus e vive pelo seu Santo Espírito tem seus sentimentos modificados para se alegrar até mesmo nos momentos mais difíceis da vida. O conselho do escritor sagrado vai na contramão do entendimento do mundo. Uma vez que ele adverte contra o senso comum das ideologias do homem natural. Como alguém pode nos pedir para que fiquemos felizes da vida, quando tudo parece contrário? Como pode alguém mandar você sorrir, mesmo sabendo que todo mundo estar contra você? No cristianismo é assim. Ser perseguido por amor ao Senhor é motivo de grande alegria.

AO CAIRDES EM VÁRIAS TENTAÇÕES. O que o escritor deseja dizer para os seus leitores é que as provações da vida não são de todas para a nossa destruição ou prejuízo. A todo momento somos colocados a ser provado na nossa fé, e sempre estamos no meio de duas forças que nos testa a cada dia. Por um lado é permitido pelo Senhor que o diabo com os seus demônios nos lancem suas setas malignas, em forma de tentação para nos derribar da fé por meio do pecado. Por outro lado, somos também provados por Deus a fim de saber a realidade de nossa fé e confiança em sua forma de trabalhar em prol daqueles que nele esperam. Sejam as tentações ou as provações que temos que passar, não é para nossa tristeza, mas sim, para nossa alegria.

SABENDO QUE A PROVAÇÃO DA VOSSA FÉ. Todo cristão verdadeiro vive pela sua fé (Romanos 1:17), de maneira que defender a nossa fé, é uma questão de sobrevivência espiritual. E a cada dia somos submetidos aos mais deferentes testes para defendermos a nossa fé. Tudo que fazemos ou deixamos de fazer é por fé. Se vencemos as tentações para não cairmos em uma vida de devassidão é para não negarmos a nossa fé. Ou se passamos nas provações vindas da parte do Senhor é para edificar e fortalecer mais ainda a nossa fé. Tudo gira em torna da nossa fé.

OPERA A PACIÊNCIA. O resultado desta vida de fé é justamente gerar em nossos corações uma virtude cristã indispensável, paciência. Quando o nosso inimigo arma seus laços de perdição diante de nós, basta ouvirmos a nossa consciência e ela estará nos dizendo: Paciência você vai vencer. Se o Senhor nos coloca diante de uma provação, o Espírito Santo também nos fala: Paciência, você vai passar no teste.

Tiago 1:1

Tiago 1:1 - Tiago, servo de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, às doze tribos que andam dispersas, saúde.
TIAGO. Este Tiago é irmão do Senhor Jesus. Essa é a certeza que tem a maioria dos comentaristas bíblicos, confirmada pela tradição da história do cristianismo. De acordo com o que sabemos, por ser irmão do fundador do cristianismo, se tornou a principal liderança da igreja cristã de Jerusalém, sem contudo tirar o valor apostólico dos que faziam parte do grupo dos doze. É provável que tenha se convertido depois da morte e ressurreição do Senhor Jesus. Há que diga que ele se converteu ao cristianismo, mas ainda restava elementos judaizantes em suas crenças, com isso concorda uma referencias do evangelho (Gálatas 2:12). Quando Paulo esteve em Jerusalém, provavelmente a convite de Pedro, esteve na casa de Tiago, onde foi bem recebido. Esta sua carta, enviada aos Judeus da dispersão só foi reconhecida já no 3º século.

SERVO DE DEUS. Como Tiago estava escrevendo para os Judeus da dispersão, tinha primeiramente que se identificar como alguém que serve a Deus, que no pensamento do escritor era o Deus de Israel. Ele como servo de Deus era aquele ministro que administrava a igreja de Cristo na cidade de Jerusalém, mas que se tornara a principal liderança crista em Israel, depois de ter se convertido ao cristianismo. Nesta expressão de Tiago se percebe um certo tom de humildade de sua parte, ou por outro lado, seria impactante dizer aos seus leitores que era um grande líder da igreja cristã do seu país. Em linhas gerais, essa é uma classificação de todos aqueles que servem ao reino de Deus e qualquer pessoa assim o pode ser, servo de Deus do seu reino e de Cristo.

E DO SENHOR JESUS CRISTO. Já neste ponto de sua carta, ele entra na primeira polêmica com os seus compatriotas, uma vez que nesta época, uma grande parte dos Judeus não aceitavam o fato de que Jesus de Nazaré era na realidade o Messias de Deus, enviado conforme as antigas promessas proféticas do Deus de Israel. Tiago usa o título mais completo, do que se tornou Jesus de Nazaré “Senhor Jesus Cristo”. O Senhorio de Cristo pode ser visto em toda a extensão do Novo Testamento. O nome “Jesus” fala do homem Jesus de Nazaré, aquele que se fez carne e habitou entre os homens. Já o sobrenome “Cristo” fala da missão do Messias de Deus como Salvador da humanidade pelo seu sacrifício expiatória na cruz do calvário em nosso lugar.

AS DOZE TRIBOS. Essa é uma frase do livro de Tiago que tem gerado muita controvérsia, porem, uma coisa é certa, é que temos neste ponto o destino desta carta universal de Tiago, irmão do Senhor. É de comum acordo entre os comentaristas de que esta expressão se refere a todo o Israel. Certamente o escritor se dirige aos Judeus cristãos ou não, que precisavam conhecer o evangelho de Cristo, conforme o pensamento de um Judeu convertido ao cristianismo.

QUE ANDAM DISPERSAS, SAÚDE. Esta maneira global de se dirigir aos seus leitores, nos deixa a vontade para escrever de que esta carta de Tiago, não foi escrita apenas para os seus conterrâneos no país de Israel. Mas que o seu destino foi alcançar a todos aqueles que tinham uma visão escriturística do pensamento no judaísmo, mas que precisavam ter conhecimentos em todo o mundo do que veio a ser o cristianismo. É bom lembrar que muitos Judeus já eram cristãos, principalmente fora do país de Israel.

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

1 Tessalonicenses 5:27-28

1 Tessalonicenses 5:27-28 - Pelo Senhor vos conjuro que esta epístola seja lida a todos os santos irmãos. A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja convosco. Amém.
PELO SENHOR. É como se o apóstolo estivesse dizendo: “em nome do Senhor”. Com isso ele deixa transparecer para os seus leitores de que o conteúdo desta carta não era conforme suas ideologias pessoas, mais sim, de conformidade com a inspiração dada pelo Espírito de Cristo, que é o Espírito de profecia (Apocalipse 19:10). Entende-se também que esta correspondência não estava sendo enviada somente em nome do apóstolo, como autoridade eclesiástica, mas da autoridade maior, O Senhor Jesus.

VOS CONJURO. Alguns comentaristas bíblicos defendem que o apóstolo até certo ponto faz uma ameaça aos líderes da igreja de Tessalônica sobre o dever deles lerem esta carta para toda comunidade cristã tomar conhecimento do seu conteúdo. Porem, esta colocação feita pelo escritor deve ser vista como um apelo oficial de uma autoridade diante dos seus auxiliares. Na realidade, o autor expressa o seu desejo de que esta carta chegue ao conhecimento de toda a igreja do Senhor Jesus.

QUE ESTA EPÍSTOLA SEJA LIDA. Neste tempo, não existia grandes templos dedicados aos cultos do cristianismo, como nos dias de hoje. As celebrações eram realizadas de casas em casa com as famílias, divididas por localidades. Já nas cidades, eram feitas estas reuniões em salões maiores, porem, sem a caracterização de igreja, porque não era permitido pelas autoridades romanas. Seja como for, o escritor recomenda que em todas as reuniões da igreja esta carta fosse lida diante de todos os irmãos.

A TODOS OS SANTOS IRMÃOS. Ninguém que fazia parte da igreja de Cristo na cidade de Tessalônica devia ficar sem o conhecimento desta carta do apóstolo Paulo. E há quem diga que o escritor se referia também a todos os cristãos de sua época. Os santos a que se refere o autor, dizem respeito aos irmãos vivos, e não aos mortos canonizados por uma autoridade eclesiástica. Quando o apóstolo se refere aos seus leitores como irmãos é porque todos os que creem em Cristo são filhos de Deus.

A GRAÇA. Esta palavra tem um significado todo especial dentro do arcabouço do evangelho de Cristo e quer dizer: favor não merecido. Efetivamente, a misericórdia de Deus sobre os que fazem parte da igreja de Cristo é o que gera perdão na vida dos que são gerados pela palavra de Deus. De fato, Deus amou o mundo de uma tal maneira, que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crer seja salvo.

DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. A graça de Cristo para os seus servos é o resultado de sua obra de redenção, que com eficácia ele realizou em prol dos seus remidos. O evangelho diz que Cristo é “o Senhor” para glória de Deus Pai. O nome Jesus quer dizer: Salvador, bem como é o nome próprio do Filho de Deus. Já o sobrenome “Cristo” nos ensina sobre a missão bem sucedida realizada pelo Messias de Deus em prol de sua igreja.

SEJA CONVOSCO. AMÉM. O escritor e apóstolo Paulo termina essa sua belíssima epístola desejando que os efeitos da missão graciosa do Cristo de Deus seja com todos aqueles que faziam parte da igreja de Cristo em Tessalônica. No evangelho, Cristo é chamado de “o amém de Deus”, Portanto, esta carta foi aprovada por Jesus.

1 Tessalonicenses 5:24-26

1 Tessalonicenses 5:24-26 - Fiel é o que vos chama, o qual também o fará. Irmãos orem por nós. Saudai a todos os irmãos com ósculo santo.
FIEL É O QUE. A fidelidade de Deus em Cristo Jesus é algo real na vida de todos aqueles que confiam nele. Dentro das páginas da palavra de Deus encontramos provas suficientes para nos garantir sobre esta fidelidade do nosso Deus. Todas as promessas feitas para Israel, no Velho Testamento, e para a igreja de Cristo no Novo Testamento, têm o seu fiel cumprimento, porque o Senhor não é o homem para que minta. A nossa confiança e esperança em Deus não será malograda, mas sim honrada pelo Senhor.

VOS CHAMA. Esta chamada de Deus para as nossas vidas se traduz dentro das Sagradas Escrituras como sendo sua eleição, predestinação, escolha e etc. Disse Jesus: Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei (João 15:16). Como também o Senhor nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo antes dos séculos (Efésios 1:5). Foi o Senhor que nos fez povo seu e ovelhas do seu pasto (Salmos 100:3). São inúmeras as referências bíblicas que nos falam desta chamada de Deus para nossas vidas.

O QUAL. O Deus Todo-poderoso tudo executa para que esta sua chamada para o seu reino e glória em nossas vidas se torne em realizada. A vinda do Messias de Deus como Redentor da humanidade foi uma ação concreta da parte do Criador para por em prática o seu plano de reconciliação de todas as coisas consigo mesmo. Romanos 8:30 - E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou. Tudo isso foi a ação de Deus.

TAMBÉM O FARÁ. Qual é o resultado da chamada de Deus e a sua ação em concretizar o seu plano? A realidade dos fatos é que o Senhor Jesus veio cumprir a sua missão redentora para nos chamar a viver um novo tempo, o qual o evangelho chama de “nova dispensação da graça”. Onde a proposta de Deus para suas criaturas é a salvação e a vida eterna, para todos aqueles que correspondem a sua chamada. Cristo entra com sua obra de expiação e redenção e o ser humano entra com a fé.

IRMÃOS, OREM POR NÓS. O fato de o apóstolo chamar os seguidores de Cristo em Tessalônica de irmãos, isso nos ensina de sua humildade e simplicidade, em termos de consideração pelos seus filhos na fé, como também nos fala sobre uma boa tradição do cristianismo primitivo. Quando o apóstolo pede oração por ele e seus companheiros de ministério, é porque eles estavam apenas começando uma grande obra, que o seu resultado a longo prazo resultaria em muitas igrejas fundadas por eles.

SAUDAI A TODOS OS IRMÃOS. Comumente o apóstolo inicia suas cartas enviadas as igrejas ou a pessoas do seu circulo de amizades com uma saudação pessoal, usando o preambulo de apóstolo de nosso Senhor Jesus Cristo, e termina as mesmas com saudações coletivas. Como ele conhecia a todos os que faziam parte do corpo de Cristo naquela cidade, mandou saudação a todos os filhos de Deus, seus irmãos na fé.

COM ÓSCULO SANTO. Este era um costume e uma tradição oriental, como saudação de chegada ou despedida, e significava afeto e amizade entre as pessoas. O ósculo santo não foi adotado pelas igrejas ocidentais, somente com algumas exceções.

terça-feira, 27 de outubro de 2015

1 Tessalonicenses 5:23

1 Tessalonicenses 5:23 - E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso SENHOR Jesus Cristo.
E O MESMO DEUS DE PAZ. Essa frase cai como bálsamo na alma de todos os filhos de Deus que estavam na cidade de Tessalônica, porque desde que o cristianismo foi implantado naquela cidade, que os seguidores do Senhor Jesus vinham sofrendo perseguições, prisões e até mortes. O apóstolo consola os aflitos, seus leitores, com o indicativo que o Deus de paz estava com eles para desfazer as forças contrárias e proporcionar tranquilidade na vida de todos eles, porque era o que mais precisam.

VOS SANTIFIQUE EM TUDO. A santificação ensinada pela doutrina do evangelho da nova dispensação diz respeito a dois aspectos. Primeiro, fala sobre a separação das coisas do mundo e de tudo que desagrada ao Espírito de Deus. Segundo, diz respeito ao nosso envolvimento com o reino de Deus e as coisas que são de cima, e isso se traduz por nossa dedicação a comunhão plena e absoluta com o nosso Deus. Portanto, ser santo é renunciar a se mesmo para buscar fazer a vontade do Criador.

E TODO O VOSSO ESPÍRITO. Todo ser humano tem um espírito que é a sua essência espiritual que o conduz a luz ou para as trevas. Quando alguém tem o espírito iluminado com as coisas do reino de Deus, ele não anda nas trevas, mas tudo que faz é para glória do nome do Senhor Deus Criador. Mas, quando alguém tem o seu espírito envolto pela escuridão e pelas trevas, suas obras são más, e tudo que faz é no sentido de desagradar ao Criador de todas as coisas, que é o Deus Todo-poderoso.

ALMA E CORPO. A alma é justamente a sede de nossas emoções e a unidade que controla nossas vontades. Biblicamente falando, a alma quer dizer vida, ou seja, a nossa vida é programada para dirigir o nosso corpo, que por sua vez busca executar a vontade da alma, que é imaterial. O corpo é a casa de morada temporária da alma e do espírito. O corpo segue os comandos da alma, e isso se expressa por meio do que o ser humano faz de certo ou de errado. O corpo é material e transitório, a alma é eterna.

SEJAM PLENAMENTE CONSERVADOS IRREPREENSÍVEIS. O que o autor expõe diante dos seus leitores, tanto aqueles que faziam parte da igreja de Cristo em Tessalônica, quanto a todos que vivemos nestes últimos dias da igreja na terra é que possamos conservar nosso Espírito, nossa alma e nosso corpo para a vinda do Senhor Jesus, uma vez que, até o corpo vai ser ressuscitado ou transformado no dia da vinda do Mestre.

PARA A VINDA. A igreja de Cristo, composta por aqueles que já dormem no Senhor e todos aqueles que estiverem vivos na vinda do Metres para arrebatar os seus remidos é consciente do retorno do Cristo de Deus para levar para si mesmo a sua igreja que ele comprou com seu sacrifício de amor. A vinda de Cristo é dada por certa, ele virá.

DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Este Jesus Cristo que hoje está a destra de Deus ocupando a melhor posição diante de toda criação é o mesmo Jesus de Nazaré que esteve humildemente na terra, como sendo o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Jesus é o nome próprio do Filho de Deus é Cristo fala de sua missão redentora.