Pesquisar este blog

sábado, 31 de dezembro de 2016

Efésios 5:29-30

Efésios 5:29-30 - Porque nunca ninguém odiou a sua própria carne; antes a alimenta e sustenta, como também o Senhor à igreja. Porque somos membros do seu corpo, da sua carne, e dos seus ossos.
PORQUE NUNCA NINGUÉM. Paulo leva seus leitores ao ponto de racionalização do ser humano natural, ou normal, que se cuida bem, tanto no aspecto da beleza física, do corpo, quanto da saúde do seu organismo. No que diz respeito ao tratamento do marido no tocante a sua mulher, na mesma medica, ele deve cuidar de sua esposa, como cuida do seu corpo, até porque o marido que cuida bem de sua esposa, automaticamente estará cuidado de si mesmo, porque não são mais dois, mas sim, uma só carne.

ODIOU A SUA PRÓPRIA CARNE. Esta carne, diz respeito ao corpo, ou ao ser total do homem natural. Ninguém de bom censo vai ter ódio de se mesmo, uma vez que, o normal é o egoísmo pessoal, ou seja, o ser humano normal se ama, e até certo ponto se endeusa ou auto se idolatra. Correto é dizer que, o marido que odeia sua legítima esposa, estará aborrecendo a si mesmo, porque sua mulher faz parte de sua própria vida. Em vez de ódio, raiva ou rancor, o que deve prevalecer é o amor, harmonia e a paz do casal.

ANTES A ALIMENTA E SUSTENTA. É natural que alguém em estado de saúde perfeita procure alimentar seu corpo, como meio de sobrevivência. Da mesma forma, quase todas as pessoas exercem vários ativismos, no sentido de buscar sustentar sua vida, correndo atrás do que é possível para se alimentar. Quanto à responsabilidade do esposo para com sua mulher, o homem tem o dever de ser o provedor do seu lar, incluindo sua esposa.

COMO TAMBÉM O SENHOR. O escritor volta a comparar o comportamento dos maridos quanto as suas esposas, a Cristo com a sua igreja, uma vez que, metaforicamente, a igreja é a esposa e Cristo é o seu Esposo, ou seja, noiva e Noivo. Cristo trabalha pela sua igreja, suprindo as necessidades dos seus seguidores, proporcionando a provisão do pão de cada dia na mesa dos seus servos. Como também sustenta espiritualmente seu povo.

A IGREJA. A igreja como noiva ou esposa de Cristo, espera que o Senhor cuide de cada um dos seus membros. A igreja é forte, porque é alimentada sempre com o pão dos céus pelo Cristo de Deus, que tudo executa para fazer com que sua igreja seja vencedora em tudo. Todos aqueles que buscam o reino de Deus em primeiro lugar, tem suas necessidades supridas, porque o Senhor Jesus trabalha por aqueles que nele esperam.

PORQUE SOMOS MEMBROS DO SEU CORPO. No que tange a relação, igreja e Cristo, essa é uma menção correta e confirmada por outras referências bíblicas. Somos membros do corpo de Cristo, porque fazemos parte de sua igreja, que é um organismo vivo. No que diz respeito ao marido e sua esposa, essa frase nos ensina sobre um mistério que há, no enlace matrimonial entre um homem e uma mulher, em um casamento segundo Deus.

DA SUA CARNE E DOS SEUS OSSOS. Essa frase tem gerado debates, quando se trata dos membros do corpo de Cristo, o que causa dificuldades para se explicar. Mas podemos conjecturar que o autor fala em termos alegóricos. Mas, no que diz respeito ao marido e sua esposa, então, se cumpre aquela frase que diz: Carne da minha carne e osso do meu osso. Na verdade, a mulher foi feita da costela do homem, e um se completa no outro.

Efésios 5:28

Efésios 5:28 - Assim devem os maridos amar as suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo.
ASSIM DEVEM. O escritor retoma o tema, para dar continuidade aos seus conselhos práticos, no sentido de ver o bem estar do lar, neste caso, exortando aos maridos sobre seus deveres domésticos para com suas esposas. Percebe-se que estas recomendações do apóstolo não eram ensinos vagos, em que os seus leitores ficassem a vontade para rejeitar ou por em prática, porem, era um dever dos maridos amarem suas próprias esposas, quando ele escreve: “assim devem”, essa era uma ordem expressa do apóstolo.

OS MARIDOS. O evangelho de Cristo é completo, quando se diz que ele é a legislação de Cristo para sua igreja, porque no evangelho nós encontramos ensinos sobre todas as áreas da vida, principalmente para a boa formação da estrutura familiar. Neste caso do nosso texto, ora a que estamos comentando, a exortação do escritor é para os maridos, que deveriam ter responsabilidade para com suas esposas, não somente esperando delas que lhes fossem sujeitas ou submissas, mas que eles amassem suas respectivas esposas.

AMAR. Paulo repete seu conselho em forma de exortação aos maridos, que se dedicassem em amar suas esposas, porque assim sendo, elas se sentiriam seguras, ao ponto de também lhes prestarem respeito total e submissão. O marido que ama a sua esposa lhe dar a devida atenção, cuida dela como cuida de se mesmo, até porque as Escrituras dizem que não serão mais dois, mas sim, uma só carne, um só corpo.

SUAS PRÓPRIAS ESPOSAS. Estas recomendações do escritor, estão voltadas para os seus leitores que faziam parte da igreja de Cristo, que estava na cidade de Éfeso, isso conjecturamos porque, o homem natural não pensa desta maneira. Até porque, o homem ímpio devota seu amor, primeiro a si mesmo, depois aos seus bens matérias e por último, se sobrar espaço para o amor, ele dedica para quantas mulheres ele tiver.

COMO A SEUS PRÓPRIOS CORPOS. Um homem de sã consciência e que não tenha problemas neurológicos ou patológicos, ele procura cuidar do seu próprio corpo, tomando banho, sempre que for possível, alimentando diariamente por várias vezes, e procurando evitar que danos sejam feitos ao seu organismo. Assim devem os maridos cuidar de suas esposas como cuidam do seu corpo, porque são dois em uma só carne.

QUEM AMA SUA MULHER. Quem ama sua mulher, dedica seu amor por inteiro somente a ela, sem dividir com outras amantes. Neste senso de amor genuíno pela legítima esposa, não deve haver lugar para as traições, nem para o adultero, coisa que infelizmente tem se tornado comum no meio da sociedade moderna dos últimos dias. Esse amor que deve haver do esposo para com sua mulher se traduz em fidelidade.

AMA-SE A SI MESMO. Quando o casamento é feito de acordo com a vontade de Deus, e os conjugues respeitam as normas da palavra do Senhor, a mulher sendo submissa ao seu marido e o esposa amando a sua própria mulher como a si mesmo, isso cria uma ligação tão forte e verdadeira, ao ponto de não serem mais duas pessoas, porem, algo sobrenatural os envolve, ao ponto de se fundirem em uma mesma carne e um só corpo.

Efésios 5:27

Efésios 5:27 - Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.
PARA A APRESENTAR. Desde os começos do cristianismo, que o Senhor Jesus tem exercido o seu grande poder para apresentar a sua igreja ao mundo, como sendo a coroa de sua glória, e isso em ternos de crescimento e desenvolvimento. Mas, Cristo também vai apresentar a importância de sua igreja, quando de sua volta para o arrebatamento, neste momento, o mundo vai ver o valor da igreja. Por fim, Cristo vai apresentar sua igreja diante de Deus na eternidade, como resultado de sua perfeita obra de redenção.

A SI MESMO. Profeta Isaías 53:11 - Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo, o justo, justificará a muitos; porque as iniquidades deles levará sobre si. Quando Cristo reunir todo o seu povo nas mansões celestiais, ele se dará por satisfeito, porque será um número ilimitado de remidos que ele comprou com o seu sacrifício de amor. Então ele verá que valeu a pena ter sofrido o sacrifício de expiação e propiciação pela sua igreja, que ele remiu com o seu sangue.

IGREJA. A igreja de Cristo é o novo Israel de Deus, composta por Judeus e gentios, com povos de todas as nações do mundo. Ela também é chamada metaforicamente de noiva de Cristo, porque está se preparando para o casamento, que haverá na volta do Noivo, que se dará no dia do arrebatamento. A igreja do Senhor Jesus também é chamada de “corpo de Cristo” em que Cristo é o cabeça, que reina e governa sobre seu corpo, a igreja.

GLORIOSA. Como a igreja é a noiva de Cristo, em termos alegóricos, o escritor a vê como a noiva que se prepara com todos os mais belos ornamentos para se encontrar com o seu noivo. No caso da igreja de Cristo, não é diferente, a noiva de Cristo está adornada com glória e esplendor para o grande dia do encontro com o seu Noivo, o Senhor Jesus, é quando se dará o casamento, e em seguida, a festa, nas bodas do Cordeiro.

SEM MÁCULA. O autor continua usado termos comparativos, entre uma noiva que se prepara para o momento do seu casamento, e o encontro da igreja com o Noivo, Jesus Cristo, no dia do arrebatamento. “Sem mácula” nos fala sobre todo o aparato de ornamento e vestes que a noiva usava para o dia do casamento. No que diz respeito à igreja, nos ensina sobre uma igreja justificada pelo próprio Cristo, pura e sem mácula.

NEM RUGA, NEM COISA SEMELHANTE. Essa era uma expressão que representava uma noiva bem jovem, na flor de sua idade, que era dada como noiva ao seu futuro esposo. No que tange a igreja de Cristo, sem ruga nem coisa semelhante, isso nos fala sobre a transformação que os remidos de Cristo serão absorvidos, onde o que é corruptível se revestira do incorruptível e o que é transitório se revestirá da eternidade de glória.

MAS SANTA E IRREPREENSÍVEL. No dia do casamento, a noiva tinha que está impecável para se encontrar com o seu noivo. Não será diferente no grande dia tão esperado da noiva de Cristo, que será o dia do arrebatamento. A igreja, como noiva de Cristo está sendo preparada pelo Espírito Santo de Deus para o perfeito encontro entre a noiva e o seu Noivo, Jesus Cristo. A noiva estará perfeita e intocável para se encontrar com o Noivo.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Efésios 5:25-26

Efésios 5:25-26 - Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela. Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra.
VÓS, MARIDOS. Agora, o apóstolo se volta para os esposos, a fim de lhes transmitir suas recomendações, no sentido de que eles também correspondam à obediência de suas respectivas esposas, até porque não eram somente as mulheres que tinham obrigações dentro da estrutura familiar, mas os maridos também. Como diz a ciência, para toda ação existe uma reação, e assim sendo, se os esposos desejassem que suas mulheres fossem sujeitas a eles, então, eles também tinham responsabilidades para com elas.

AMAI VOSSAS MULHERES. Essa recomendação do apóstolo põe equilíbrio no relacionamento entre marido e mulher e vice e versa. Para que as mulheres fossem sujeitas aos seus esposos, elas esperavam que eles dedicassem todo amor matrimonial para com elas. Porque si o marido ama sua esposa, não vai querer se aproveitar de sua fragilidade para usar de exploração sobre ela, mas, tudo fara para o seu bem-estar.

COMO CRISTO AMOU A IGREJA. O amor de Cristo para com sua igreja deve ser o parâmetro do amor que deve haver dos maridos para com suas respectivas esposas. E o amor de Cristo pela igreja foi grande, foi perfeito e também de lealdade. Assim deve ser o amor de um esposo para com sua mulher, um amor grande e forte, sem divisões, que é o amor sincero para com o outro e um amor expresso pela fidelidade, sem traições.

E A SI MESMO SE ENTREGOU POR ELA. Esta entrega de Cristo pela sua igreja se traduz pela renuncia de muitas coisas, pela prova maior do grande amor que ele tinha pela sua igreja e pela dedicação que ele devotava a sua noiva, igreja. O esposo que ama a sua mulher, ele renuncia muitas coisas para ser companheiro de sua parceira, ele prova pelas suas ações, que a ama de verdade, e se dedica em fazer somente aquilo que lhe agrada.

PARA A SANTIFICAR. A igreja de Cristo (coletivamente) recebe os efeitos positivos do sacrifício realizado pelo Cordeiro de Deus, em termos de santificação. A morte expiatória de Cristo pela sua igreja serve de efeito santificador, na vida de cada um daqueles que compões o corpo de Cristo, que é a sua igreja. O marido tem um papel muito importante no sentido de ajudar a sua mulher a buscar a santidade de vida cristã.

PURIFICANDO-A COM A LAVAGEM DA ÁGUA. O escritor faz uma analogia do dia do casamento entre o esposo e sua mulher, em que a noiva era purificada com água e aromas especiais para o encontro com o seu noivo. Essa é uma metáfora simbólica para expressar verdades espirituais em que, o marido pode contribuir em muito para que sua mulher esteja vivendo de forma digna perante a sociedade e também diante de Deus.

PELA PALAVRA. Certamente, o autor se reporta ao evangelho de Cristo, que ele deixou como meio de santificação e purificação para sua igreja, que ele comprou com seu sacrifício de amor. O esposo tem a responsabilidade de transmitir a palavra de Deus para suas esposas, e principalmente mostrar pelo exemplo, como ser santificada e purificada pela observação das regras estabelecidas pelo evangelho da verdade em Cristo.

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Efésios 5:24

Efésios 5:24 - De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos.
DE SORTE QUE, ASSIM COMO. O apóstolo continua sua abordagem comparativa entre a mulher e o seu esposo, como deve ser o relacionamento entre a igreja e Cristo, como sendo o cabeça de sua igreja amada. Se a igreja tem responsabilidade para com o seu esposo que é o Senhor Jesus, da mesma forma, as mulheres tem deveres e responsabilidades para com seus maridos. Nisto também se percebe o quanto é importante o matrimônio, ao ponto de ser comparado ao casamento da igreja com Cristo.

A IGREJA. A igreja é a noiva de Cristo ou esposa de Cristo, que neste caso, esta ligada diretamente com o Senhor por ser o seu corpo na terra, enquanto que Cristo é o cabeça. A igreja remida de Cristo é composta por pessoas de todas as nações do mundo, povos e línguas, todos aqueles que no exercício pleno de sua fé em Cristo e na sua obra perfeita de redenção, aceitaram o Filho de Deus como Senhor e Salvador. Os que fazem parte da igreja de Cristo são aqueles que nasceram de novo, por isso que são novas criaturas.

ESTÁ SUJEITA. Aqueles que fazem parte da igreja remida de Cristo, não fazem mais a própria vontade, mas se esforçam o máximo para dentro do possível, executarem a vontade do Senhor Jesus. Por isso, se declara que, os discípulos de Cristo, vivem uma vida nada fácil, porque o caminho é estreito e a porta é apertada, uma vez que, os servos de Cristo renunciam tudo que há no mundo, para viverem conforme o evangelho de Cristo.

A CRISTO. Cristo é tudo para a igreja. A igreja só existe por conta da pessoa bendita de Cristo Jesus, nosso Senhor. Cristo governa sobre a igreja, como sendo Rei dos reis e Senhor dos Senhores. Cristo intercede pela igreja como sendo o Sacerdote eterno segundo a ordem de Melquisedeque. Cristo tem controle sobre a igreja, como sendo ele seu Noivo ou Esposo. Cristo guia a sua igreja como sendo ele o cabeça que orienta.

ASSIM TAMBÉM AS MULHERES. Para que uma esposa seja cumpridora dos seus deveres para com seu marido, basta ela verificar o comportamento da igreja para com seu Noivo ou Esposo Jesus Cristo. Todas estas recomendações e ensinos transmitidos pelo apóstolo para as mulheres cristãs visa o bem está e a harmonia que deve haver entre o casal que faz parte da igreja de Cristo. Estes ensinos têm ajudado a muitos casais da igreja de Jesus.

SEJAM EM TUDO SUJEITAS. Isso não é regra que deve ser exigida por parte dos esposos, mas como mulheres cristãs, as esposas é quem devem para o bem do casamento e consequentemente da família procurar por em prática. O escritor também não está estabelecendo um regime ditatorial para o casamento, mas são ensinos que bem administrados dentro da estrutura familiar pode em muito estabelecer a harmonia

A SEUS MARIDOS. Sabe-se que estes ensinos cristãos vieram de uma tradição machista do judaísmo, no que tange ao tratamento dos maridos para com suas esposas. Ainda bem que temos uma cultura ocidental bastante democrática neste particular, que põe um equilíbrio entre os extremos. Verdade é que o escritor jamais teve a intenção de criar um campo de batalha entre requerentes de direitos e deveres, sua intenção era a harmonia do casal e o bem-estar da família.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Efésios 5:22-23

Efésios 5:22-23 - Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor. Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo.
VÓS MULHERES, SUJEITAI-VOS. Paulo, como em outras partes de suas cartas, sempre preocupado com o bem-estar espiritual da igreja, traz mais uma secção com seus conselhos para o lar cristão, querendo a tranquilidade da estrutura familiar, daqueles que faziam parte da igreja de Cristo. Primeiro, ele se dirige as mulheres cristãs, que deveriam seguir o padrão do judaísmo, no que concerne aos seus comportamentos para com seus maridos, que era inteira submissão aos mesmos. Essa era uma cultura oriental de Israel e demais nações.

A VOSSOS MARIDOS. O apóstolo Paulo foi um desbravador de novos campos missionários transculturais, e como tal, ensinou grandes mudanças no que diz respeito à vida religiosa dos povos alcançados, com o evangelho da graça de Deus. Mas, neste particular ele não havia mudado sua mentalidade, quanto a seus conceito para com as mulheres, e, portanto, seguia o mesmo padrão do judaísmo, sendo bastante machista.

COMO AO SENHOR. Entende-se que as recomendações aqui contidas são para as mulheres cristãs, que faziam parte da igreja de Cristo que estava em Éfeso, porque as mulheres deveriam ser sujeitas aos seus maridos, do mesmo modo que eram obedientes ao Senhor. “Senhor” neste caso, tanto pode se referir a Deus Pai, quanto ao Senhor Jesus Cristo, porque dentro do Novo Testamento, Jesus é Senhor dos senhores e Rei dos reis.

PORQUE O MARIDO É A CABEÇA DA MULHER. A cultura judaica e dos povos mais antigos do oriente, defendia de forma discriminatória, completa submissão das esposas aos seus maridos. E isso de maneira tão radical, que se chegava a falar de que, as mulheres não podiam nem pensar, por si próprias, quanto mais agirem independentemente, sem o consentimento dos seus maridos, ao ponto de se tornarem escravas dos seus esposos.

COMO TAMBÉM CRISTO. O autor está fazendo uma analogia entre o casal cristão e o comportamento da igreja para com seu esposo, Jesus Cristo. Em se tratando do cristianismo histórico, podemos dizer que neste aspecto, a igreja tem avançado, no sentido de mudar democraticamente o tratamento para com as mulheres. Importantes lideranças femininas Deus têm levantado, para favorecer positivamente as mulheres.

É A CABEÇA DA IGREJA. O judaísmo era bastante radical no que concerne ao tratamento que se dava as mulheres, no que diz respeito aos seus deveres domésticos. No entanto, o cristianismo tem se modernizado, porque a forma com que Cristo dirige sua igreja é a democracia cristã. O tempo tem se encarregado de implementar melhorias, no que tange a administração conjunta dos relacionamentos entre os esposos e suas mulheres.

SENDO ELE PRÓPRIO O SALVADOR DO CORPO. No que diz respeito a Cristo e a sua igreja, podemos dizer que, esse é o grande mistério de Cristo para com a sua noiva, porque ele veio para salvar o seu povo dos seus pecados. No que diz respeito aos maridos e as suas respectivas esposas, os homens podem e devem ajudar a suas mulheres a servirem ao reino de Deus, e com isso contribuírem para salvação de suas esposas.

sábado, 24 de dezembro de 2016

Efésios 5:20-21

Efésios 5:20-21 - Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Sujeitando-vos uns aos outros no temor do Senhor.
DANDO SEMPRE GRAÇAS. Os incrédulos não agradecem a Deus os benefícios recebidos, porque acham que seus sucessos dependem da sorte ou de suas capacidades de adquirirem as coisas. Os seguidores do judaísmo sempre usaram do sentimento de gratidão a Deus pelas bênçãos recebidas, apesar de atribuírem tais sucessos pela obediência deles as leis estabelecidas pela legislação mosaica. Já os cristãos de todos os tempos, rendem ações de graças a Deus e a Cristo por tudo de bom que lhes acontecem.

POR TUDO. Os seguidores do cristianismo verdadeiro, sabem que não são merecedores das bênçãos provenientes de Deus, isso porque, a igreja de Cristo é consciente de que, tudo que se recebe de benefícios da parte de Deus é pela graça, que nada mais é do que um favor não merecido. Até mesmo pelas provações da vida, os verdadeiros cristãos, costumam agradecer a Deus, porque nada acontece por um acaso, uma vez que, aquilo que Deus permite em nossas vidas, não é para prejuízos, mas sim para aprendizado.

A NOSSO DEUS E PAI. Conforme já mencionamos anteriormente, o homem natural, não agradece a ninguém suas vitórias, porque acham que é pelas suas capacidades que conseguem as coisas. Mas, quem é servo de Deus e de Cristo, agradece ao Deus Criador, que é o nosso Pai, por tudo que recebemos de bom ou como provações também. Quem é um cidadão do céu, sabe que, Deus como Pai é quem cuida de todos os seus filhos.

EM NOME DE NOSSO SENHOR. Esse era o procedimento da igreja primitiva, em termos de render ações de graças pelas bênçãos recebidas. Seja por meio das orações ou por meio de um culto de ações de graças, isso era oferecido ao Deus Pai, mas em nome do Senhor Jesus Cristo. O autor fala como fazendo parte da igreja de Cristo, por isso que ele fala “nosso Senhor”. Sobre Cristo como Senhor, o Novo Testamento testemunha sobre isso.

JESUS CRISTO. Nosso Senhor Jesus Cristo, esse é o título completo do nome do Filho de Deus, que também ficou sendo conhecido como sendo Jesus de Nazaré. “Jesus” é o nome próprio do Filho de Deus e quer dizer: Salvador ou aquele que veio para salvar o seu povo dos seus pecados (Mateus 1:21). Já o sobrenome “Cristo” nos fala sobre a missão do Messias de Deus, também o Emanuel, ou seja, Deus entre os homens, Cristo.

SUJEITAI-VOS UNS AOS OUTROS. Ao que tudo indica, estava acontecendo divisões e contendas entre alguns que faziam parte da igreja de Cristo, que estava na cidade de Éfeso, no sentido de que, alguns se achavam superiores aos demais. Quando sabemos que, precisamos agir sempre com humildade, no sentido de considerarmos uns aos outros, com respeito a cada um, conforme a capacidade e as funções exercidas na igreja.

NO TEMOR DO SENHOR. Essa é uma expressão que nos ensina de que, precisamos estar conscientes de que vamos prestar contas de tudo que fazemos ou falamos contra os nossos irmãos, porque é por isso que o escritor fala em “temor do Senhor”. No que diz respeito ao título “Senhor”, dentro do Novo Testamento, pode ser atribuído a Cristo, mas, ao que tudo indica, o autor se reporta ao Deus Criador, como Juiz dos vivos e dos mortos.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Efésios 5:19

Efésios 5:19 - Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração.
FALANDO ENTRE VÓS. Realmente o apóstolo, preocupado como era, com o bem estar espiritual da igreja de Cristo, ele mais uma vez transmite seus bons conselhos, em como os seus leitores deveriam se comportarem, seja no dia a dia, e principalmente no momento das reuniões de cultos. Todo vez que os irmãos se encontrassem, esse deveria ser o preenchimento de seus tempos, ou quando se reunissem para celebrar ao Senhor no culto. O autor passa orientações sobre a liturgia de culto da igreja de Cristo.

EM SALMOS. Certamente o apóstolo se refere ao livro dos Salmos, que era o saltério de cânticos espirituais de Israel. O livro dos Salmos era para os seguidores do judaísmo, o que hoje representa a Harpa Cristã para as igrejas pentecostais ou o cantor cristão para algumas denominações. Os cristãos primitivos apreenderam que a lei e os profetas foram até João, mas eles como não tinham ainda o Cânon do Novo Testamento pronto, eles se utilizavam das literaturas religiosas do judaísmo para cultuarem a Deus.

E HINOS. Além do livro de Salmos, os seguidores do judaísmo se utilizavam de hinos avulsos para entoarem cânticos espirituais para o Senhor. E a igreja primitiva também se utilizava destes cânticos para nos cultos celebrarem ao Senhor Deus de Israel. Além dos novos cânticos que honravam a biografia de Cristo Jesus nosso Senhor. Os verdadeiros hinos de louvor a Deus e a Cristo são aqueles que exaltam e honram ao Senhor em tudo.

E CÂNTICOS. A música sempre fez parte das celebrações da igreja de Cristo, como componente importantíssimo da liturgia de cultos. O que se tem que ter cuidado é para que, o perfeito louvor seja prioridade, e não qualquer tipo de cântico. Nos dias de hoje, o louvor tem ocupado tanto espaço nos cultos, que o momento para a palavra tem sido sufocando, o que não deve acontecer. O cântico que exalta a Deus traz paz e alegria.

ESPIRITUAIS. Os cânticos espirituais são aqueles que estão de acordo com a palavra de Deus, e que tem como mensagem a exaltação da pessoa de Deus e de Cristo. O cântico espiritual se expressa pelo elevo da alma e do espírito para mais perto de Deus. A mistura de ritmos musicais no ambiente da igreja e na liturgia de culto de muitas denominações tem feito com que, muitos cânticos sejam carnais, emocionais, e não espirituais.

CANTANDO E SALMODIANDO AO SENHOR. A palavra “Senhor” dentro das páginas da bíblia pode ser colocada tanto para a pessoa de Deus Pai, como também sobre o Senhor Jesus Cristo. Mas, no arcabouço do Novo Testamento, essa palavra é mais dirigida a Cristo Jesus. Assim sendo, entendemos que, desde os tempos da igreja primitiva, que o povo de Deus exaltava o nome de Cristo por meio dos cânticos entoados na igreja.

NO VOSSO CORAÇÃO. Neste caso, a palavra “coração” descreve sobre o homem interior, a alma e o espírito do ser humano. Desta forma, aprendemos que, o perfeito louvor deve ser do mais íntimo do ser humano, porque não é apenas a locução de uma voz humana, mais sim, a expressão de uma alma que engrandece e exalta o nome do Deus e de Cristo. O louvor da alma chega como cheiro suave na presença de Deus, e diante do seu trono.

Efésios 5:17-18

Efésios 5:17-18 - Por isso não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor. E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito.
POR ISSO, NÃO SEJAIS INSENSATOS. A insensatez é coisa própria do homem natural que anda segunda a carne, e não segundo o espírito, porque a carne se inclina para as coisas passageiras desta vida, o que gera a morte, mas o espírito tem a tendência para as coisas de Deus, o que gera a vida. A insensatez também pode ser chamada de loucura, em que o homem carnal e materialista age fora da razão, em que sua consciência morta, não o deixa sentir que está no caminho errado, e que o seu fim é a perdição eterna.

MAS ENTENDEIS QUAL SEJA. O homem foi criado segundo a imagem de Deus e conforme a sua semelhança, com isso se entende que, mesmo caído, o ser humano tem uma centilia da parte de Deus em sua vida. Este raio de luz, por mais fraco que seja, seria o suficiente para que o ser humano compreenda que tem responsabilidade para com os seus atos diante do seu Criador. Deus criou o ser humano com propósitos e planos.

A VONTADE DO SENHOR. Desde que o Senhor criou o homem sobre a face da terra, que o Senhor sempre quis o melhor para suas criaturas. No princípio, Deus criou o homem e o colocou no Jardim do Éden, lugar de fartura, em que o nobre casal tinha tudo que precisava para viver bem. Desde a vinda do Messias de Deus e com a implantação da nova dispensação, o desejo do Pai é por meio de Cristo dá vida eterna a todos os homens.

E NÃO VOS EMBRIAGUEIS COM VINHO. Os judeus degustavam o vinho, porem de maneira bastante moderada, isso porque, fazia parte de sua cultura, em suas celebrações, até mesmo nas liturgias religiosas. No cristianismo, o Novo Testamento, foi mais rigoroso no uso do vinho, sendo permitido seu uso apenas, em alguns casos, como medicamento, e não para alimentar um vício. A embriaguez era duramente combatida pelos cristãos.

EM QUE HÁ CONTENDA. O problema não estava na ingestão de vinho, se isso fosse feita de maneira moderada, mas o problema estava na embriagueis que terminava gerando contendas, até porque, os servos de Cristo eram para dar bons exemplos perante a sociedade, e não o contrário. É comprovado que, a embriagueis gera transtorno de personalidade, e o ser humano que já tem a tendência para errar se complica mais ainda.

MAS ENCHEI-VOS. O escritor mostra uma solução para o problema, em vez de os seus leitores encherem a cara de vinho, buscassem a promessa de Deus, quanto a fusão do Espírito de Deus para suas vidas. O livro de Atos dos Apóstolos esta recheado de citações em que, os servos de Deus foram “cheios do Espírito Santo”, o que levava o povo de Deus a buscarem cada vez mais ao Senhor e se interessarem pelas coisas de Deus e de Cristo.

DO ESPÍRITO. A palavra “Espírito” começa com letra maiúscula, porque o apóstolo está se referindo ao Espírito Santo de Deus, e não ao espírito do ser humano. Efetivamente, o tempo da igreja primitiva foi um momento histórico, quanto ao derramamento do Espírito de Deus sobre o povo de Deus. Desta forma, a melhor coisa que os servos de Cristo poderiam fazer era justamente buscarem a presença do Espírito Santo de Deus.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Efésios 5:15-16

Efésios 5:15-16 - Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios. Remindo o tempo; porquanto os dias são maus.
PORTANTO, VEDE PRUDENTEMENTE. Quando o apóstolo escreveu esta carta, o tempo era muito difícil para a igreja cristã, onde o império romano tinha o seu domínio, porque Roma fora dentro de pouco tempo, incendiada por Nero, e ele colocou a culpa sobre os cristãos, o que levou depois a Jerusalém também a ser destruída. Por isso que o Espírito de profecia se manifestava por meio de Paulo para alertar os seguidores de Cristo, no sentido de que eles vivessem de forma prudente, porque o tempo era mau.

COMO ANDAIS. Viver a vida cristã no tempo de calmaria e paz é muito fácil, porem, em meio às perseguições é muito complicado, que era o caso em que a igreja vivia naquela época. Assim sendo, o modo de vida dos que representavam o reino de Deus e de Cristo poderia lhes ajudar a evitar problemas com o Estado romano. Sem darem motivos nenhum os inimigos do evangelho investiam contra o povo de Deus, imagine se os servos de Cristo dessem motivos de escândalos, as coisas seriam priores ainda.

NÃO COMO NÉSCIOS. Essa era uma expressão para o tempo em que esta carta foi escrita, para descrever aqueles que agiam sem razão de ser, ou para qualificar aqueles que andavam como loucos a procura de problemas. O escritor solicita aos seus leitores que não provocassem as autoridades romanas, para que as perseguições não se acirrassem cada vez mais. Tinha muita gente querendo morrer como mártir do cristianismo.

MAS COMO SÁBIOS. As autoridades do império romano andavam a procura de motivos para perseguirem, prenderem e até matarem aqueles que se convertiam ao cristianismo. Era mais que necessário que os servos de Cristo agissem com sabedoria para não criarem problemas com as autoridades do império romano. Andar como sábio, neste tempo, era não criar problema com os perseguidores do povo de Deus.

REMINDO O TEMPO. A igreja primitiva vivia como se a volta de Cristo fosse nos seus próprios dias, por isso que os escritores do Novo Testamento sempre alertavam aos seguidores do Senhor Jesus para que estivessem preparados para este momento importante para a igreja remida de Cristo. Remindo o tempo era aproveitando bem todas as oportunidades para viverem tranquilos no tempo que lhes restavam sobre a terra.

PORQUE OS DIAS. O momento era de expectativa para todos aqueles que sobreviviam as hostilidades das autoridades romanas. A igreja do Senhor Jesus, por meio dos seus líderes precisava divulgar a mensagem das boas novas do evangelho de Cristo, ao mesmo tempo em que, todo cuidado seria pouco, para não provocar mais mortes e derramamento de sangue de inocentes, até porque o tempo era difícil para a igreja, que enfrentava o terror.

SÃO MAUS. Estes dias maus, sobre os quais o apóstolo escreve, diz respeito as turbulências contra o povo de Cristo. Simplesmente por alguém deixar a sua antiga religião pagã para seguir o cristianismo, já era motivo para que as autoridades do império confiscassem seus bens, tal pessoa seria presa, e por fim, condenada a morte. O império das trevas, o diabo com os seus demônios, estavam furiosos contra a igreja de Cristo.

Efésios 5:13-14

Efésios 5:13-14 - Mas todas estas coisas se manifestam, sendo condenadas pela luz, porque a luz tudo manifesta. Por isso diz: Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te esclarecerá.
MAS TODAS ESTAS COISAS SE MANIFESTAM. Que coisas são estas, sobre as quais se refere ao autor? São as coisas que os ímpios fazem as ocultas, pensando eles que ficarão impunes dos seus pecados cometidos as escondidas. O evangelho declara: Porque nada há encoberto, que não haja de manifestar-se nem oculto que não haja de saber-se e vir a tona (Mateus 10:26). O livro das revelações afirma que, todos irão comparecer perante o grande trono branco, para prestarem conta dos seus feitos (Apocalipse 20:12).

SENDO CONDENADAS PELA LUZ. A luz é a verdade de Deus que vai permanecer e prevalecer sobre as trevas do pecado dos homens ímpios, que se mantem em estado de rebelião ou apostasia contra o seu Criador. A luz condena tudo que os homens incrédulos praticam, porque tudo que se faz na ignorância há de ser julgado pelo juiz dos vivos e dos mortos. A justiça do evangelho da verdade não terá ninguém por inocente.

PORQUE A LUZ TUDO MANIFESTA. Pode está tudo as escuras, e quando tudo está em densas trevas, não se enxerga nada do que se tem ao redor. Porem, quando a luz raia, tudo pode ser visto, porque a luz mostra tudo que esta em trevas. Neste caso, do nosso texto, esta luz é a verdade e a realidade das coisas. Tudo que o homem faz, pensando que não haverá de prestar contas perante o Criador, se engana, porque tudo será julgado.

POR ISSO DIZ: DESPERTA. Esta mensagem serve como um alerta para todos aqueles que se encontram no estado de ignorância, tentando se esconder da verdade do evangelho, pensando que pode fazer tudo que bem entender, e que não prestará contas dos seus feitos e obras praticadas nesta vida. Despertar é tomar consciência da responsabilidade que cada um tem, consigo mesmo, e com seus feitos perante aquele que tudo há de julgar.

TU QUE DORMES. Este é o sono da morte espiritual, em que o homem natural vive no seu dia a dia, sem se preocupar com sua responsabilidade que tem para com o Criador de todas as coisas. Quem ainda não passou pelo processo da regeneração espiritual, não passa de um defunto ambulante, porque mesmo que esteja vivo no corpo, mas sua alma esta morta, o que o escritor chama neste texto de sono da morte espiritual.

LEVANTA-TE DENTRE OS MORTOS. Os mortos, são todos aqueles que andam nas trevas do pecado, trilhando o caminho da incredulidade, porque não acreditam de que irão prestar contas dos seus feitos ao seu Criador. Levantar-se de entre os mortos é se arrepender verdadeiramente dos pecados, crer em Cristo e na sua obra perfeita de redenção, aceitar a Cristo como Senhor e Salvador, passando pela transformação de vida.

E CRISTO TE ESCLARECERÁ. Quando o pecador cai aos pés de Cristo, tudo muda na sua vida, porque ele passa a ser uma nova criatura, em Cristo Jesus. A mensagem do evangelho afirma que Cristo é a verdadeira luz, que ilumina tudo homem que vem a este mundo, assim sendo, quando um pecador se atira nos braços de Cristo, logo é iluminado para a vida, porque antes era um morto, mas é ressuscitado para a vida. Somente Cristo pode tirar o homem das trevas do engano e da mentira para a verdadeira luz e a vida.

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Efésios 5:11-12

Efésios 5:11-12 - E não vos comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas, mas antes condenai-as. Porque o que eles fazem em oculto até dizê-lo é torpe.
E NÃO VOS COMUNIQUEIS. Vida nova em Cristo absolutamente diferente da velha vida, em quando os servos de Cristo ainda estavam no mundo de trevas, é justamente essa a recomendação do apóstolo Paulo. Apesar do escritor viver dedicado as normas do judaísmo, antes de ter um encontro com Cristo, mas ele sabia de que, estava vivendo em trevas, porque vivia separado de Cristo, que é a verdadeira luz. Santidade é o que o apóstolo recomenda aos seus leitores, uma vida separada do mundanismo, das trevas e do pecado.

COM AS OBRAS INFRUTUOSAS. Quem conhece a mensagem do evangelho de Cristo, sabe que tudo que há no mundo, são coisas passageiras que não levam a nada, nem a lugar nenhum, porque são obras infrutuosas para Deus. Agora, quem busca o reino de Deus em primeiro lugar e as coisas que são de cima, esse sim está produzindo frutos eternos e obras permanentes. Porque tudo que se faz para Deus e na obra da igreja tem valores eternos. Essas obras infrutuosas das trevas são as práticas pecaminosas do homem que desagradam ao Criador.

DAS TREVAS. O que são obras infrutuosas das trevas? São as maldades praticadas pelos homens ímpios, que sempre estão diligentemente envolvidos nos prazeres da carne e na soberba da vida, defendendo seus interesses pessoas, em detrimento do seu próximo. O reino de Deus é pura luz, enquanto que o império de satanás esta envolvido com tudo que significa trevas, assim sendo, os ímpios estão a servido do diabo e das trevas.

MAS ANTES CONDENAI-AS. A vida de quem serve a Deus e ao seu reino, é uma batalha constante de combate ao mundo de iniquidade. Quem é verdadeiramente um mensageiro de Cristo, não se conforma com este mundo, antes o seu prazer está em repugnar os vícios degradantes da sociedade. Por isso que o mundo nos odeia, porque não contribuímos em nada com o sistema profano deste mundo de trevas e engano.

PORQUE O QUE ELES FAZEM. “Eles” se referem aos que vivem alienados de Deus, e que não se submetem aos planos do Criador. Eles são todos aqueles que dão as costas para Cristo, porque acham melhor viverem para o sentimento de rebelião e apostasia. O que fazem os incrédulos? Fazem tudo que é de mais vil, uma vez que, o caminho de quem não se converte pelo poder do evangelho é trilhado nas trevas com práticas repugnantes.

EM OCULTO. Por que se praticam as coisas erradas geralmente as ocultas? Porque são obras infrutuosas das trevas! Essas obras malignas são feitas as ocultas, porque são coisas reprovadas pela própria sociedade e principalmente por Deus. João 3:19-20 - E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas.

ATÉ DIZÊ-LO É TORPE. O escritor passa a sua mensagem, porem, nem coragem tem de escrever em detalhes os pecados imundos que os ímpios comentem as ocultas. São obras repugnantes de pura maldade e imundícia, que não dá nem para se escrever nas páginas da palavra de Deus. São coisas vergonhosas e que não vale a pena nem citar ou falar, quanto mais entrar em detalhes.

Efésios 5:9-10

Efésios 5:9-10 - (Porque o fruto do Espírito está em toda a bondade, e justiça e verdade). Aprovando o que é agradável ao Senhor.
PORQUE O FRUTO. O apóstolo escreve sobre estes frutos do Espírito em Gálatas 5:22 - Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Estes frutos se traduzem por boas qualidades na vida de todos aqueles que são seguidores do evangelho de Cristo. O que traz a validação da atuação do Espírito de Deus no dia a dia dos representantes do reino de Deus. É mais uma metáfora de cunho espiritual, que na prática é indispensável na igreja de Cristo.

DO ESPÍRITO. Enquanto o Senhor Jesus estava pessoalmente entre os seus apóstolos, discípulos e seguidores, o Senhor Jesus mostrava ele próprios as boas qualidades de um grande líder do seu povo. Com a ascensão do Filho de Deus para se assentar a destra do Pai nas maiores alturas, ele enviou o seu Espírito Santo para continuar ensinando aos seus seguidores sobre como viver frutificando para glória de Deus. O Espírito de Deus é a luz iluminadora que faz com que os discípulos de Cristo tenham as melhores qualidades.

ESTÁ EM TODA BONDADE. Este mesmo fruto do Espírito Santo na vida dos servos de Cristo, também faz parte da lista citada por Paulo, em sua carta aos Gálatas. Esta bondade como fruto do Espirito de Deus pode-se dizer que vem de cima para baixo, procedente de Deus para o seu povo. Como também deveria ser a aplicabilidade do amor fraternal de uns para com os outros, no cumprimento da lei de Cristo Jesus.

JUSTIÇA. É bom lembrar que a palavra “Espírito” esta posta com a primeira letra maiúscula, o que indica o Espírito Santo de Deus e não e espírito do ser humano. Assim sendo, de acordo com a nova dispensação da graça de Deus com a igreja de Cristo, alguém só pode ser justo e reto, se tiver a influencia direta do Espírito do Senhor em sua vida. A retidão deve ser uma característica do cristão verdadeiro em tudo que ele faz.

E VERDADE. Este fruto na vida dos discípulos de Cristo representa a forma transparente com que ele se apresenta perante a sociedade como representante do reino de Deus e de Cristo. Também fala sobre o andar na luz, como filhos da luz, irradiando um bom testemunho de mensageiro do evangelho de Cristo. Andar na verdade e com a verdade se faz mais que um dever dos servos de Cristo, porque esta verdade é Cristo em nós.

APROVANDO O QUE É. Não é nada fácil ser um representante do reino da luz e da verdade neste mundo de trevas e de engano, porem, quem confessa Jesus como Senhor e Salvador, mesmo sendo reprovado pela sociedade profana, mas deve somente viver para o que é certo, bom e justo. Não adianta um servo de Cristo tentar agradar as pessoas que não tem compromisso com Cristo, e por outro lado desagradar a Deus.

AGRADÁVEL AO SENHOR. O Espírito de Deus ensina justamente a cada um dos servos de Cristo Jesus em como viver agradando ao Senhor. Quem tem compromisso de fidelidade com o evangelho da verdade, renuncia tudo que o mundo oferece, bem como renuncia a sua própria vontade, para buscar dentro do possível, agradar ao Criador de todas as coisas. Cada um que tem o Espírito de Deus sabe como agradar ao Deus Todo-poderoso.

Efésios 5:8

Efésios 5:8 - Porque noutro tempo, éreis trevas, mas agora, sois luz no Senhor; andai como filhos da luz.
PORQUE NOUTRO TEMPO. Essa carta de Paulo aos Efésios é rica em ensinamentos, de como os servos de Cristo naquela cidade deveriam viver a vida cristã ideal, e também percebemos por meio desta missiva o quanto o apóstolo se preocupava com a edificação do povo de Deus daquele lugar. Este “Outro Tempo” sobre o qual se reporta o escritor, diz respeito ao tempo da ignorância dos seus leitores ou o tempo da vida pregressa, antes de se converterem ao verdadeiro cristianismo fundado por Cristo. O tempo do velho homem.

ÉREIS TREVAS. Encontramos mais uma das metáforas do autor desta carta, em que ele faz comparações espirituais para transmitir seus ensinos e ideias. O tempo do velho homem ou o tempo da ignorância é comparado ao andar nas trevas, porque o homem sem Deus não tem a verdadeira luz que é Cristo Jesus. Conforme o evangelho da verdade, andar nas trevas é viver conforme os padrões que o mundo determina, sendo dominado pelas concupiscências da carne e a soberba da vida. Esta e a vida do incrédulo ou do ímpio.

MAS AGORA, SOIS LUZ. Cristo em seus ensinos já havia dito que os seus discípulos são a luz do mundo, conforme (Mateus 5:14). Ser luz neste mundo de trevas, é brilhar para glória de Cristo, e andar de tal maneira que as pessoas vejam e sintam Cristo por meio de nossa vida e testemunho. Somos luz, porque Cristo que é a luz verdadeira habita na vida dos seus seguidores. Portanto, quem vive com Cristo e para Cristo resplandece sempre.

NO SENHOR. Ninguém tem luz própria na vida espiritual, se essa energia positiva não vier da parte do Senhor Jesus. Todos aqueles que se convertem dos seus maus caminhos e aceitam a Cristo como Senhor e Salvador são conectados a luz maior, Cristo Jesus, o Senhor. Por isso que, resplandecem como astros no mundo de trevas densas. O Senhorio de Cristo pode ser visto nas Sagradas Escrituras principalmente no Novo Testamento.

ANDAI. Este andar como filhos da luz, é viver de tal maneira que, por meio dos nossos atos, palavras e pensamentos venhamos a demonstrar Cristo em nossa vida e testemunho. Este andar representa o modo como nos apresentamos no meio da sociedade e da igreja, como representantes do reino de Deus e de Cristo. A vida de um servo de Cristo, quando està de conformidade com a vontade de Deus irradia pura luz.

COMO FILHOS. Este “filhos” não se referem ao nascimento conforme a genética sanguínea do ser humano, nem conforme a vontade dos progenitores, mas nos ensina sobre os verdadeiro filhos de Deus. Os filhos da luz, são todos aqueles que recebem a Cristo como Senhor e Salvador, porque passam a fazer parte da família de Deus (João 1:12-13). Estes filhos de Deus são guiados pelo Espírito Santo do Senhor (Romanos 8:14).

DA LUZ. Falar sobre a “luz” conforme o evangelho das boas novas de Cristo, é a mesma coisa que falar sobre as verdades de Deus e sobre Deus. A luz, neste caso, nos ensina sobre a santidade de vida, que os servos de Cristo devem seguir, e também sobre o caminho da verdade que os mesmos devem trilhar. Viver como filhos da luz, é andar de tal maneira em transparência, ao ponto de, não se ter nada, do que se envergonhar.

Efésios 5:6-7

Efésios 5:6-7 - Ninguém vos engane com palavras vãs; porque por estas coisas vem à ira de Deus sobre os filhos da desobediência. Portanto, não sejais seus companheiros.
NINGUÉM VOS ENGANE. Certamente, o apóstolo esta escrevendo sobre os opositores do cristianismo, aqueles que se levantavam contra a igreja de Cristo, e por consequente contra o evangelho das boas novas do Senhor Jesus. Os judaizantes, os falsos mestres gnósticos e os líderes das seitas heréticas pagãs, se infiltravam no meio da comunidade cristã para por meio de suas heresias enganarem os novos convertidos ao cristianismo e também os cristãos fracos na fé. O apóstolo manda ter cuidado com os hereges.

COM PALAVRAS VÃS. Em recomendações anteriores, o apóstolo já vinha alertando para que fosse tirado de entre o povo de Deus, toda conversa vã ou palavras torpes, que não servem para nada, bem como as pregações que não produzem edificação na igreja. O alerta de Paulo era para que os servos de Cristo não dessem ouvido as palavras enganadoras daqueles que vinham com pele de ovelha, mas que no fundo, no fundo eram lobos enganadores, que usavam das pregações para semearem suas heresias.

PORQUE POR ESTAS COISAS. Que coisas? Conforme os temas abordados no capítulo quatro e o início deste capítulo, são os pecados que desagradam a Deus, porque levam os seus praticantes a darem as costas para o Criador. E quem deixa de fazer a vontade de Deus para dar lugar a devassidão, sistematicamente atrai para si a ira e o furor de Deus, isso porque, o homem foi criado pelo Senhor para fazer a sua vontade e não o contrário.

VEM A IRA DE DEUS. A história da humanidade está pontilhada por diversas manifestações desta ira de Deus contra os desobedientes. O dilúvio é um exemplo clássico de destruição determinada pelo Criador, por causa da rebelião dos seres humanos, bem como o caso de Sodoma e Gomorra, que foram destruídas. Ainda tem o caso da grande tribulação, que vai acontecer, bem como da condenação dos rebeldes.

SOBRE OS FILHOS. Existe o nascimento natural que é justamente pela vontade do sangue, da carne e do homem, nascimento este que torna a pessoa filho de alguém. Como também há os filhos de Deus, que são aqueles que aceitam a Cristo Jesus como Senhor e Salvador. E o texto também nos fala sobre os filhos da desobediência, que são aqueles que permanecem debaixo da ira de Deus, estes são chamados de filhos do diabo.

DA DESOBEDIÊNCIA. Os filhos da desobediência são aqueles que se mantem do estado de alienação, quanto aos planos de Deus. O próprio diabo com os seus demônios foram dominados pelo sentimento de desobediência ao Criador, para quem está reservada a escuridão eterna das trevas no inferno. Da mesma forma, os seres humanos que não se convertem para o reino de Deus e de Cristo, também irão sofrer os horrores eternos.

PORTANTO, NÃO SEJAIS SEUS COMPANHEIROS. O conselho do apóstolo era de que, os seus leitores não tivessem comunhão com esta gente, que pertencem ao império das trevas, a quem ele chama de filhos da desobediência. Não há dúvida que o escritor se refere aos opositores do evangelho, aqueles que rondavam a comunidade cristã para semearem suas heresias, porque seus objetivos eram transtornar a palavra de Deus.

Efésios 5:5

Efésios 5:5 - Porque bem sabeis isto: que nenhum devasso, ou impuro, ou avarento, o qual é idólatra, tem herança no reino de Cristo e de Deus.
PORQUE BEM SABEIS ISTO. O apóstolo Paulo foi chamado por Cristo para ser o pioneiro em missões transculturais, levando as boas novas do evangelho ao mundo gentílico. Portanto, a igreja de Cristo que estava na cidade de Éfeso foi fundada pelo grande apóstolo dos gentios. E quando esteve entre os irmãos, certamente, ele pregava sobre estas coisas que passa a expor neste texto Sagrado. De forma que, tanto Timóteo, que era o líder local daquela igreja, quanto os leitores de Paulo já conheciam esta mensagem.

QUE NENHUM DEVASSO. Uma das características fundamentais para que alguém confesse ser um discípulo de Cristo é justamente a mudança de vida que tal pessoa apresenta, entre a velha vida e ser um novo homem em Cristo Jesus. Assim sendo, um servo de Cristo não pode ser devasso, ou seja, mundano, carnal, materialista, incrédulo, ímpio, ateu, que se deixa levar pelo sentimento de desobediência, apostasia, e rebelião. Ser devasso é viver sem limites moral e ético, para com a sociedade e para com Deus.

OU IMPURO. É bem provável que o escritor se refira a todos os pecados sexuais, que conforme a palavra de Deus, são ilícitos. Tais como: Adultério, que é o sexo entre pessoas casadas, mas de conjugues diferentes, o que pode ser chamado de traição. A prevaricação, que é o sexo entre uma pessoa casada e outra solteira. E a fornicação, que é o sexo entre pessoas solteiras. Além do homossexualismo deliberado e profano.

OU AVARENTO. Ser avarento é se deixar dominar pelo sentimento de ganância pelas coisas materiais, que caracterizam aqueles que têm um amor descomunal pelo dinheiro. Certamente, o autor se refere a todos aqueles que usam o evangelho para que por ganância financeira tirar proveito econômico das coisas de Deus. São os praticantes da indulgências, que é a venda do suposto serviço prestado a Deus e ao próximo.

O QUAL É IDÓLATRA. O escritor não esta se reportando a idolatria dos ídolos e das imagens de esculturas, praticadas pelos politeístas, coisa que era muito comum no mundo gentílico, onde o apostolo pregava o evangelho das boas novas. Mas, o autor esta se referindo a idolatria ao dinheiro, que é justamente o sentimento de amor as coisas materiais, acima do amor devido a Deus e ao próximo, no que ressume a lei de Cristo.

TEM HERANÇA NO REINO. Não ter herança no reino de Cristo e de Deus é não desfrutar do privilégio de participar do arrebatamento da igreja, promessa essa feita aos remidos de Cristo que hão da participar da salvação e vida eterna. Não ter direito a participar do reino de Cristo e de Deus é ter que ser submetido ao juízo final, onde será condenado pelas obras, e ser lançado no lago de fogo e enxofre, o que a bíblia chama de condenação.

DE CRISTO E DE DEUS. O reino de Cristo e de Deus, que é a mesma coisa que “o reino dos céus”. Antes mesmo de sua vinda ao planeta terra, o Messias de Deus foi prometido como sendo o descendente de Davi, portanto, ele seria Rei. O profeta Daniel falou sobre o seu domínio (Daniel 7:14). Por que o reino é de Cristo e de Deus? Porque há uma unidade e união perfeita entre o Pai e o Filho, e o reino de Cristo foi dado por Deus.

sábado, 17 de dezembro de 2016

Efésios 5:3-4

Efésios 5:3-4 - Mas a prostituição, e toda a impureza ou avareza, nem ainda se nomeie entre vós, como convém a santos. Nem torpezas, nem parvoíces, nem chocarrices, que não convêm; mas antes, ações de graças.
MAS A PROSTITUIÇÃO, E TODA A IMPUREZA. A prostituição se caracteriza pelos pecados sexuais ilícitos, tais como: Adultério, sexo entre pessoas casadas com conjugues diferentes, o que se chama de traição. Prevaricação, sexo entre uma pessoa casada e outra solteira. E fornicação, que é o sexo entre pessoas solteiras. Já a impureza, em se tratando de sexo, diz respeito às relações sexuais no uso contrário a natureza, como o homossexualismo, sexo de homens com homem e também de mulher com mulher.

OU AVAREZA. A avareza é caracterizada pela ganância pelo dinheiro ou pelo amor excessivo as coisas materiais desta vida. Uma das facetas da avareza dentro da igreja é justamente o uso das coisas de Deus para se ganhar dinheiro, tais como: Pregar, cantar, orar ou fazer o serviço do Senhor com a intenção de tirar proveito financeiro. É a isso que se pode chamar de comércio da fé, em que usam o evangelho para ganhar dinheiro.

NEM AINDA SE NOMEIE ENTRE VÓS. Estas coisas, não podem nem devem ter lugar no meio do povo de Deus, até porque, o bom senso é que se façam as coisas para Deus e para o nosso próximo, por amor e não com interesses econômicos. Fazer a obra de Deus por dinheiro é ativismo religioso, o que a teologia chama de prática de indulgência, que nada mais é do que, a cobrança do serviço religioso para Deus em favor do próximo.

COMO CONVÉM A SANTOS. As organizações religiosas com interferências marcantes do reino dos homens passam a adotarem certas práticas, que longe estão de estarem no centro da vontade de Deus. Há quem diga que, a igreja da atualidade precisa de uma reforma protestante, no sentido de voltar aos princípios fundamentais da palavra de Deus. Existem muitas tradições religiosas que suplantaram as doutrinas do evangelho.

NEM TORPEZAS, NEM PARVOÍCES, NEM CHOCARRICES. Estas são palavras que descrevem os tipos de comunicação entre aqueles que dizem que serve a Cristo, mas que na verdade precisam mesmo é se converterem novamente. Conversas que não levam a nada, piadas e gozação não podem ter lugar entre os servos de Cristo. Nem muito menos pregações artificiais, sem pé nem cabeça, que não edificam a igreja de Cristo.

QUE NÃO CONVÊM. Tem aquela palavra que diz: todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas me convêm, todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas. Quem é servo de Cristo, não pode se envolver com todo tipo de conversas, nem de amizades, para que não venha a perder tempo com coisas que não convêm. Precisamos dar prioridade às coisas importantes do reino de Deus.

MAS ANTES, AÇÕES DE GRAÇAS. Deus tem feito pelo seu povo coisas grandes e firmes, com o propósito de abençoar os seus servos, porque o Senhor deseja que o seu povo seja o mais feliz da terra. De forma que, mais do que motivos nós temos para estar sempre rendendo ações de graças ao nosso Deus. Sempre que nos reunirmos é para glorificarmos ao nosso Deus pelos seus feitos poderosos que ele tem realizado por nós e em nós.

Efésios 5:1-2

Efésios 5:1-2 - Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados. E andai em amor, como também Cristo vos amou, e se entregou a si mesmo por nós, em oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave.
SEDE, POIS, IMITADORES DE DEUS. Neste capítulo cinco, o escritor continua com seus conselhos e exortações, ensinando de como fazer a vontade de Deus, deixando alguns costumes dos pagãos e praticando a ética cristã. O evangelho é o espelho iluminador em que mostra o caminho de como um servo de Deus renuncia as coisas do mundo para fazer e executar a vontade do Pai. Ser um imitador de Deus é viver em santidade e pureza, brilhando como luz em veio as trevas sociais, como sal da terra, vivendo dignamente.

COMO FILHOS AMADOS. O evangelho declara que os filhos de Deus são aqueles que aceitam a Cristo como Senhor e Salvador, os quais, não nasceram da carne nem da vontade do homem, mas segundo a vontade de Deus (João 1:12-13). Os Filhos de Deus são aqueles que buscam ser guiados pelo Espírito de Deus (Romanos 8:14). Ser filho de Deus é não mais fazer a própria vontade, porem, se submeter aos desígnios do Pai.

E ANDAI EM AMOR. Mais uma vez, o apóstolo usa essa metáfora para descrever o modo ideal do viver cristão, que neste caso é viver no amor e pelo amor. Certamente, o autor está pensando no que se resume a lei de Cristo, que é: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, com toda a tua alma e com todas as tuas forças. Como também amarás ao teu próximo, como a ti mesmo, nisto consiste a legislação de Cristo.

COMO CRISTO VOS AMOU. Cristo nos amou de maneira absoluta, ao ponto de dar tudo de si mesmo por todos nós. O amor de Cristo pela sua igreja remida foi um amor sem limites, e a prova disto é que, ele renunciou seus privilégios, sendo como Deus, e se esvaziou de tudo, e se fez servo, para dizer que nos ama. O seu amor também era um amor eterno, sempre esteve na onisciência de Cristo, vir ao mundo para salvar a igreja.

E SE ENTREGOU A SI MESMO POR NÓS. A proposta de Cristo para a igreja remida foi um programa de entrega total por amor sem igual. Cristo não foi forçado a sofrer em nosso lugar, isso porque o seu sacrifício foi voluntário, sendo constrangido pelo seu imenso amor pela sua igreja, noiva. Essa entrega teve um alto preço, porque foi o preço do resgate, por isso que a bíblia declara, o castigo que nos traz a paz estava sobre ele.

EM SACRIFÍCIO A DEUS. A proposta da redenção tinha um preço a ser pago e o resgate da humanidade carecia de um sacrifício. Mas não sacrifício de animais, como na velha dispensação da lei, porem, um sacrifício perfeito de expiação pelos pecados do povo. O Criador estava irado, por causa dos pecados da humanidade, no entanto, Cristo sérvio de propiciação para aplacar a ira de Deus, estabelecendo a paz pela reconciliação.

EM CHEIRO SUAVE. Paulo usa uma metáfora comparativa com os sacrifícios oferecidos de forma correta e digna pelos sacerdotes nas liturgias da dispensação da lei, e que eram aceitos como cheiro suave diante da presença de Deus. Muito mais do que isso, foi do agrado do Pai, que o seu unigênito Filho se desse a si mesmo em resgate pela sua igreja remida. O sacrifício de Cristo foi recebido como perfeito e digno diante de Deus.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Efésios 4:32

Efésios 4:32 - Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo Jesus.
ANTES SEDE. O escritor se mantem entre o combate aos vícios de conduta, entre aqueles que faziam parte da igreja de Cristo na cidade de Éfeso, e o ensino em forma de doutrinas visando à edificação do povo de Deus naquela cidade. Neste texto, o apóstolo exorta, ainda que em forma de conselho, que os servos de Cristo busquem uma convivência saudável e harmoniosas entre eles, porque foi para isso, que o Filho de Deus veio ao mundo, para estabelecer a paz pela reconciliação, entre todas as gentes.

UNS PARA COM OS OUTROS. A hostilidade era o que prevalecia daqueles que eram do mundo, contra aos que faziam parte da igreja de Cristo. No entanto, dentro da comunidade cristã, a paz era o que se devia prevalecer entre aqueles que faziam parte da família de Deus. Pelos momentos de dificuldades que a igreja primitiva vivia desde o ministério de Cristo, e que perdurou até o terceiro século da era cristã, o que mais a igreja precisava era de unidade, e da prática do amor fraternal entre seus membros.

BENIGNOS. Começa então o escritor com mais uma lista de recomendações, que ele repassa para seus leitores, visando então boas práticas entre os servos de Cristo. A palavra “benignos” representa toda forma de bem, que se deve fazer em prol do semelhante, como prática do segundo mandamento da lei de Cristo. Ser benigno é fazer o que for possível para contribuir para felicidade do nosso próximo. Este mandamento era mais que necessário, haja vista que, os cristãos precisavam da ajuda mútua uns dos outros.

MISERICORDIOSOS. Paulo sabia que a convivência entre o povo de Deus, não era nada fácil, até porque cada um dos que, agora, faziam parte da igreja, antes eram pessoas cruéis, erradas e indomáveis, mas que, depois de se converterem precisavam exercer a misericórdia uns com os outros. Neste caso, o exercício da misericórdia era um sentimento que deveria ser praticado, mesmo que os beneficiários não merecessem.

PERDOANDO-VOS UNS AOS OUTROS. O indicativo é de que, a convivência entre aqueles que faziam parte da igreja de Éfeso, não era lá céu de brigadeiro, porque se a paz e a harmonia reinassem naquele lugar, não haveria necessidade de pedidos de perdão. O que aprendemos com essa recomendação do autor é que, este é o medicamento que pode solucionar os problemas de conflitos internos, dentro das igrejas locais.

COMO TAMBÉM DEUS VOS PERDOOU. Cada um dos membros da igreja de Cristo na cidade de Éfeso, sabiam da importância deste conselho da parte do fundador daquela igreja, até porque neste mesmo tempo, os membros em particular eram beneficiados com o perdão de Deus. Da mesma forma, como Deus foi misericordioso em perdoar os pecados dos irmãos, que todos eles tivessem a mesma capacidade de perdoar uns aos outros.

EM CRISTO JESUS. Mais uma vez, o grande apóstolo dos gentios, mostra a grande importância do Senhor Jesus, no trato da reconciliação entre Deus e os seres humanos. Deus estava em Cristo Jesus, reconciliando consigo mesmo o mundo, e com isso, estabelecendo a paz. Mas para tanto, o Cristo de Deus teve que pagar um alto preço em lugar dos pecados.

Efésios 4:31

Efésios 4:31 - Toda a amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmia e toda a malícia sejam tiradas dentre vós.
TODA A AMARGURA. O escritor faz então uma lista de pecados e sentimentos, que não devem fazer parte da vida daqueles que confessam a Cristo como Senhor e Salvador. Existem muitas pessoas que se tornam amargas em seus relacionamentos para com os outros, ao ponto de só acusarem seu semelhante. São pessoas que ver defeito em tudo e em todos, só se dirige ao seu semelhante com quatro pedras na mão, como se os outros fossem culpados pelos seus insucessos na vida. Pessoas amargas são iracundas.

E IRA. Aqueles que dizem ser seguidores de Cristo, devem sim, serem praticantes do amor fraternal, e não dar lugar em seus corações para a ira, principalmente para com os seus irmãos na fé. O desejo do apóstolo era de que, os servos de Cristo na cidade de Éfeso, se unissem uns aos outros para se auto ajudarem uns aos outros, porque o tempo era difícil para todos. Só que, para o amor fraternal funcionar na prática, os irmãos não podiam permitir que a ira tomasse conta dos seus corações, pensamentos e mente.

E CÓLERA. O sentimento de cólera é comparado a raiva nos animais. Pessoas que são dominadas pela cólera, são também conhecidas como pessoas mal humoradas sempre. São pessoas que guardam rancor em seus corações com facilidade, e que não tem lugar para perdoarem os seus opositores, mesmo que estes peçam perdão ou desculpas. Um cristão verdadeiro não pode nem deve ser desta forma, porque precisamos perdoar o nosso próximo.

E GRITARIA. Alguns movimentos pentecostais ou neopentecostais precisam olhar com mais atenção, sobre o que a palavra de Deus recomenda neste particular. Existem reuniões ou cultos, que mais parecem uma confusão de gritarias do que um culto de adoração a Deus. Deus não é moco para que somente seja ouvido se alguém gritar por ele ou pelo seu nome. Tem muitas pessoas confundindo unção do Espírito com emoção da carne.

E BLASFÊMIA. Blasfemar de Deus não é somente lançar impropério contra o Senhor. A recomendação do apóstolo era de que alguém não dissesse a respeito de Deus aquilo que o Senhor não disse. Não podemos atribuir a Deus aquilo que ele não autorizou, simplesmente porque alguém que dá uma de profeta. Tem muita gente se intitulando de mensageiro de Deus, porem, suas pregações não passa de ideologias e conceitos pessoas.

E TODA A MALÍCIA. A malícia aponta pelo escritor neste texto se traduz por todos os sentimentos e intenções de se tirar proveito próprio, em detrimento dos outros. Este tipo de malícia pode ser representada por ações camufladas em que o resultado e explorar a inocência dos outros. Todo que se deve fazer na obra de Deus e pela igreja de Cristo, isso deve ser feito com a mais pura das intenções e não por interesses próprios ou de grupos.

SEJAM TIRADAS DENTRE VÓS. O apóstolo recomenda que seja feita uma limpeza geral no meio da igreja de Cristo, no sentido de que, os que fazem parte do povo de Deus sejam pessoas limpas e sem amargura, ira, cólera, gritaria, blasfémia e malícia. Requer de todos aqueles que fazem parte do povo de Deus santidade de vida, transparência nas ações, o uso da palavra somente para o que é bom e edifica uns para com os outros.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Efésios 4: 29-30

Efésios 4: 29-30 - Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem. E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção.
NÃO SAIA DA VOSSA BOCA NENHUMA PALAVRA TORPE. Como fundador que era, Paulo conhecia muito bem a igreja de Éfeso, além de sempre ficar bem informado do estado espiritual daquela comunidade. Desta forma, podemos conjecturar que este problema do falar por falar, com palavra que não servem de nada, estava ocorrendo naquela comunidade cristã. Palavra torpe é conversa fiada, discussão de assuntos degradantes, brigas com acusações caluniosas, palavrões, xingamentos, conversas cheias de malícias.

MAS SÓ A QUE FOR BOA. Primeiro, o escritor aponta o problema e coloca o dedo bem em cima da ferida, com uma reprimenda que poderia despertar os seus leitores, sobre algo que estava ocorrendo de maneira natural, sem que eles percebessem a gravidade do fato. Para logo em seguido transmitir seu edificante conselho. O desejo do apóstolo era de que seus filhos na fé mudassem o jeito de se comunicar para o que edifica e é bom.

PARA PROMOVER A EDIFICAÇÃO. Tem assuntos entre o povo de Deus, que não serve em nada para o crescimento espiritual dos ouvintes. Até mesmo em muitas pregações, o que fala fica enchendo linguiça, com uma mensagem sem sentido, que em nada promove a edificação dos ouvintes. Tem certos tipos de comunicação que pode ser classificadas de: Jogar palavras fora, gastar saliva, conversa fiada, porque não serve para nada.

PARA QUE DÊ GRAÇA AOS QUE A OVEM. As pessoas consideram os servos de Cristo como mensageiros de Deus, dos quais se espera que sejam também profetas do Senhor, que sempre tem uma palavra proveitosa. Nisto se pode perceber a importância de uma mensagem vinda do coração de Deus, transmitida por um dos seus servos e recebida por uma alma necessitada. Os ouvintes querem ouvir algo de Deus por meio de nossa voz.

E NÃO ENTRISTEÇAIS O ESPÍRITO SANTO DE DEUS. Encontramos nesta frase o título completo do Santo Espírito de Deus. Na economia divina, o Espírito Santo é a terceira pessoa da trindade santa, sem, no entanto, perder nenhum valor na essência da divindade. De acordo com essa mensagem, percebe-se que os procedimentos de um servo de Deus pode provocar tristeza no Santo Espírito do Senhor, o que não é bom porque o Espírito do Senhor se afasta de tal pessoa.

NO QUAL ESTAIS SELADOS. O selo nos ensina sobre a garantia de que, uma aliança terá o seu fiel cumprimento, bem como servia de segurança para as parte que fechavam um acordo, tendo por fim, o sinal de que o pacto estava consumado. A presença habitadora do Santo Espírito de Deus na vida do servo de Cristo produz a certeza da chamada do Senhor Jesus, serve como garantia das promessas feitas, que resultara em salvação.

PARA O DIA DA REDENÇÃO. Este dia da redenção pode ser visto como representando a volta de Cristo para arrebatar a sua igreja remida, porque a volta de Cristo para a igreja será um verdadeiro resgate ou rapto. Como também este dia da redenção pode representar o dia da eternidade, em que os remidos de Cristo estarão eternamente com o Salvador, desfrutando perfeita felicidade, alegria, paz e vida abundante em Cristo Jesus.

Efésios 4:27-28

Efésios 4:27-28 - Não deis lugar ao diabo. Aquele que furtava, não furte mais; antes trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha o que repartir com o que tiver necessidade.
NÃO DEIS LUGAR AO DIABO. É muito estranho, a movimentação de pessoas endemoninhadas em algumas denominações. Pessoas verdadeiramente convertidas devem ser templos do Espírito Santo de Deus, e não morada dos demônios. Mas, certos movimentos religiosos destacam muito a presença dos demônios no meio do que chamam povo de Deus. Quando a recomendação do apóstolo era de que, os servos de Cristo não dessem lugar ao diabo. Diabo que dizer opositor de Deus ou nosso acusador.

AQUELE QUE FURTAVA. Em outras palavras, o escritor traz a tona, o tema do velho homem e do novo homem. Como diz um ditado popular ou jargão evangélico, a igreja é composta de ex-quase tudo. Sempre existiram aqueles que se deixam dominar pela ganância, ao ponto de tirar dos outros, aquilo que não é seu. Certamente na igreja de Éfeso existiam alguns que, antes de se converterem eram ladrões ou roubadores.

NÃO FURTE MAIS. O novo homem não pode mais praticar assaltos, roubos ou subtrair dos outros, aquilo que não lhe pertence. No judaísmo esse era um dos dez mandamentos da legislação de Moisés. No cristianismo não poderia ser diferente, até porque o evangelho recomenda que, os servos de Cristo vivam uma vida digna perante a sociedade, bem como diante da igreja e principalmente para com Deus, que tudo ver e que tudo sabe.

ANTES TRABALHE. Desde a queda da raça humana, que a ordem de Deus é que o homem trabalhe, para comer o seu pão do suor do seu próprio rosto. Qualquer profissão honesta é digna, e o trabalhador tem pelas leis de Deus e dos homens os seus direito e deveres. Na maioria dos casos, apesar de não serem todos, os seres humanos partem para o crime do roubo, porque não tem coragem de trabalhar para se sustentar. Mas outros por ganância mesmo.

FAZENDO COM AS MÃOS O QUE É BOM. O conselho do apóstolo era de que, agora, que os seus leitores eram novas criaturas em Cristo, que buscassem trabalhar honestamente em atividades e labores lícitos para ganharem o pão de cada dia e sustentar suas respectivas famílias. O próprio Paulo, que era um grande líder da igreja, trabalhava com suas mãos na fabricação de tendas, para não depender dos outros, nem mesmo da igreja.

PARA QUE TENHA O QUE REPARTIR. Ao que tudo indica, o exemplo de Zaqueu passou a ser uma tradição dentro do cristianismo primitivo, em que ele se propôs a repartir aquilo que ele tinha ganho com a desonestidade com os antigos donos dos seus bens, como também com os pobre e necessitados. É bem provável que essa seria uma forma de se tirar o peso da consciência, com a prática de boas ações sociais com os que mais precisavam.

COM O QUE TIVER NECESSIDADE. Os membros da igreja primitiva passavam por muitas necessidades, até porque os que se convertiam ao cristianismo, quase todos tinham seus bens confiscados pelo Estado romano, enquanto outros por conta das muitas perseguições viviam como fugitivos. Desta forma, quem se convertia, mas antes adquiriram bens desonestos, poderiam reparar seus erros com boas ações sociais.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Efésios 4:25-26

Efésios 4:25-26 - Por isso deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo; porque somos membros uns dos outros. Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira.
POR ISSO DEIXAI A MENTIRA. “Por isso” o que? Essa frase faz a ligação entre o texto anterior, e este que agora estamos comentando, em que o autor dá continuidade a sua secção de recomendações, falando sobre a nova vida daqueles que foram alcançados pelas boas novas do evangelho. Deixar a mentira é uma colocação feita pelo escritor em que aponta em direção a um novo jeito de falar, dos servos de Cristo, porque na vida velha, tudo era engano. Com isso Paulo diz, ou vocês são convertidos ou não são ainda.

E FALAI A VERDADE. Com a maior naturalidade, o homem carnal, e que ainda não entregou sua vida a Cristo Jesus, para viver conforme o evangelho da verdade, em tudo se desboca em mentiras, principalmente nos negócios para tirar proveito em tudo. Mas, quem diz que é discípulo de Cristo, não pode nem deve ficar mentindo para os outros, até porque, somos representantes do reino de Deus, e isso não convém, nem é bom.

CADA UM COM O SEU PRÓXIMO. Ao que tudo indica, a falsidade estava deitando e rolando dentro da comunidade cristã, em que o artificialismo era quem prevalecia no meio do povo de Deus. Hoje não é diferente, encontramos muitos daqueles que vivem dentro das denominações, mais sendo dominado pela duplicidade, ou seja, são pessoas de dupla personalidade, ao ponto de não se saber quem são de verdade tais pessoas.

PORQUE SOMOS MEMBROS UNS DOS OUTROS. A mentira, o engano e o subterfúgio não podem nortear o ambiente da casa de Deus, porque somos a igreja do Senhor Jesus, e como igreja de Cristo, somos membros uns dos outros. E como membros de uma mesma família, precisamos ser transparentes uns com os outros. É ridículo ver um crente querendo passar a perna no outro ou tentando tirar proveito um do outro, enganando o seu próximo.

IRAI-VOS. Este texto, que é o versículo 26, combate algo que é muito comum no meio do povo de Deus, mas que não deveria nem existir. O que mais tem são os embates de um cristão contra o outro, por questões de poder, posição e oportunidade. Por conta dos interesses pessoas ou de grupos, não é difícil identificar os problemas de um cristão se encontrar com raiva do seu irmão, isso porque se sente afrontado ou prejudicado.

E NÃO PEQUEIS. Por conta das diferenças de opinião, vem às disputas, e na frase anterior o escritor acha que isso é até natural, porem, o que não é permitido é que um servo de Cristo peque contra o seu próximo. A recomendação do escritor é que, haja um autocontrole de cada um dos membros da igreja de Cristo, no sentido de que, mesmo havendo choques de opinião, mas isso, não pode se tornar em prática de hostilidade.

NÃO SE PONHA O SOL SOBRE A VOSSA IRA. Percebemos que o apóstolo identifica o problema “a ira”, transmite o seu conselho “não peques”, e mostra uma saída “que a vossa ira seja passageira, apenas de momento”. Os problemas que são naturais haver entre um e outro na igreja, deve ser resolvido o mais rápido possível, caso contrário, isso se transforma em uma bola de neve, que mais sedo ou mais tarde eclode, e só prejudica.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Efésios 4:24

Efésios 4:24 - E vos revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade.
E VOS REVISTAIS. Agora, o apóstolo usa a mesma metáfora do uso de uma roupa, mas com o sentido contrário. No versículo anterior ele recomenda que despojeis do velho homem, porem, agora ele manda se revestir do novo homem. Esta mesma figura de linguagem era usada em serviços militares, representando os acessórios de um guerreiro para a batalha. Não é diferente na batalha espiritual, em que os soldados de Cristo precisam estar revestidos das armas de proteção para vender o pecado e o diabo.

DO NOVO. Quando o escritor fala sobre o novo homem, não é que o ser humano, ao aceitar a Cristo como Senhor e Salvador vai diminuir sua idade, ou voltar a ser mais jovem do que possa ser. Nem tão pouco voltar a nascer do ventre de uma progenitora, mas o evangelho esta se referindo ao novo nascimento, em que os que dele participam passam a ser novas criaturas em Cristo Jesus. Paulo não está escrevendo sobre as características físicas ou orgânica das pessoas, mais sim, de um novo estilo de vida espiritual.

HOMEM. Quem pode ser chamado de um novo homem? Todos aqueles que por meio de um verdadeiro arrependimento passam pelo processo do novo nascimento, mergulhando nas águas da regeneração espiritual. Se revestir do novo homem é não mas viver para o mundo, nem para as concupiscências da carne, nem para a soberba da vida, mas sim para Cristo, procurando de todos as formas fazer a vontade de Deus.

QUE SEGUNDO DEUS. A única coisa que o homem pode fazer para se tornar em um novo homem, e dentro do seu livre arbítrio, exercer conscientemente sua fé em Cristo, na sua obra perfeita de redenção e no evangelho das boas novas. Porque o resto vem de Deus por meio do Espírito Santo, até porque quem transforma o mais vil pecador em um remido é o Espírito do Senhor, bem como a regeneração é feita pelo Espírito de Deus.

É CRIADO. Por isso que, quando alguém se converte de verdade para o reino de Deus, é chamado de “nova criatura”, isso porque, o processo no novo nascimento é um ato criativo do Deus da graça, que dá uma nova chance do homem receber seu perdão. A regeneração espiritual faz com que o velho homem seja vivificado, porque antes de aceitar a Cristo, o espírito do ser humano está morto, no pecado e nas ofensas.

EM VERDADEIRA JUSTIÇA. Mas, o novo homem, que foi iluminado pela verdade do evangelho, é justificado por Cristo, ao crer na obra perfeita de redenção efetuada pelo Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Essa justiça a que se refere o escritor, não é a justiça que vem das boas obras e virtudes humanas, mas é a justiça que procede de Deus, em que Cristo pagou a dívida em lugar do pecador, o que se chama de expiação.

E SANTIDADE. O evangelho declara que, pela morte de Cristo, aqueles que o aceitam como Senhor e Salvador são santificados pela justificação perante a justiça divina. Por isso que, o novo homem é chamado para uma vida de santidade. E esta santidade cristã se traduz pela separação e renúncia das coisas do mundo, ao mesmo tempo em que, o novo homem deve se dedicar inteiramente ao serviço do reino de Deus e de Cristo Jesus.

Efésios 4:22-23

Efésios 4:22-23 - Que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano. E vos renoveis no espírito da vossa mente.
QUE, QUANTO AO TRATO PASSADO. Os cristãos que faziam parte da igreja de Cristo na cidade de Éfeso, antes de se converterem ao verdadeiro cristianismo, eram pessoas que viviam conforme os Pagãos vivem. Nos deleites da carnalidade e nos prazeres da vida, fazendo a vontade do diabo e seguindo os ditames do mundo. Andando nas trevas e praticando o mal, sem Deus na vida, nem se interessavam pelas boas novas do evangelho, porque é assim que vivem os incrédulos, os ímpios e os homens naturais.

VOS DESPOJEIS. O escritor usa uma metáfora comparativa no tocante a retirada de uma roupa velha e suja para se vestir de outra limpa e nova. A vida de uma pessoa que não busca o reino de Deus em primeiro lugar e as coisas que são de cima, é comparada a algo que não serve, e que está contaminada pela imundícia. Aquele que nasce de novo pela regeneração do Espírito Santo e é transformado em uma nova criatura, tem o dever de se despojar da vida velha com suas trapaças e buscar viver uma vida nova em Cristo Jesus.

DO VELHO HOMEM. O velho homem era aquele que vivia sem Deus e sem compromisso com o evangelho das boas novas de Cristo. Essa é uma frase que representa o tempo da vida pregressa dos servos de Cristo, antes de um encontro com o Salvador, Jesus de Nazaré. Já o novo homem é aquele que assume um compromisso de fidelidade ao evangelho da salvação e passa a viver em novidade de vida, porque é nova criatura.

QUE SE CORROMPIA. Com a queda da raça humana, os homens passaram a ser dominados pelo sentimento de desobediência aos mandamentos do Criador. Por isso que, as Sagradas Escrituras chama o homem sem Cristo, de homem natural, porque sua natureza pecaminosa controla suas ações. Se corromper, neste caso, é se deixar dominar pela rebeldia ao evangelho de Cristo, optando por uma vida de devassidão.

PELAS CONCUPISCÊNCIAS DO ENGANO. As concupiscências humanas estão mais ligadas às obras da carne, em que as pessoas por elas dominadas, vivem pelos prazeres momentâneos da carnalidade e da sexualidade. Essas concupiscências são enganosas, porque aparentemente a prática do pecado traz alegria e prazer, mas o final e as consequências das práticas abomináveis, conduzem os homens carnais a perdição.

E VOS RENOVEIS NO ESPÍRITO. Quem exerce sua fé em Cristo Jesus, por crer no evangelho da libertação, e passa pelo processo de um verdadeiro arrependimento, precisa de uma renovação do espírito, o que a palavra de Deus chama de regeneração espiritual. Quem ainda não se converteu de verdade, está morto em espírito, mas quem aceita a Cristo como Senhor e Salvador é envolvido em uma ressurreição e vivificação do espírito.

DA VOSSA MENTE. Quem ainda esta revestido do velho homem, seus pensamentos estão dominados pelos prazeres desta vida e pelas concupiscências da carne. Porem, que já se revestiu no novo homem em Cristo Jesus, precisa mudar em sua maneira de pensar, porque passa a ter a mente de Cristo. Desta forma, quem é uma nova criatura em Cristo jesus, pensa nas coisas que são de cima, e não nas coisas que são da terra.

Efésios 4:20-21

Efésios 4:20-21 - Mas vós não aprendestes assim com Cristo. Se é que o tendes ouvido, e nele fostes ensinados, como está a verdade em Jesus.
MAS VÓS. A partir de então, o escritor muda o foco de sua mensagem, e volta a falar sobre os servos de Deus, que faziam parte da igreja de Cristo, que estava na cidade de Éfeso, como também aqueles que em todos os tempos, sempre fizerem parte da igreja espiritual de Cristo Jesus, o novo Israel de Deus. A igreja composta de judeus e gentios de todas as nações do mundo, que agora, desfrutava de plena comunhão com o Criador de todas as coisas. A igreja viva do Senhor Jesus, que também é o seu corpo na terra.

NÃO APRENDESTES. Todos aqueles que foram chamados por Cristo, para fazerem parte do seu reino e glória passaram a ser classificados de “discípulos” do Senhor Jesus. E o discípulo não faz mais a sua própria vontade, mas busca seguir as pisadas do Mestre. Aquele que diz que o conhece, esse deve andar como ele andou. O Cristo de Deus, a sua vida e ministério foi o melhor exemplo que alguém poderia deixar de quem efetivamente executou a vontade de Deus, buscando o agradar em tudo que fazia, falava e pensava.

ASSIM COM CRISTO. Apesar de não está mais presente no corpo entre os seus seguidores, mas o grande Mestre, Jesus de Nazaré, era tido por todos os cristãos domo modelo exemplar de vida a ser seguido. Os apóstolos que conviveram com o Cristo de Deus davam testemunho com poder dos ensinos transmitidos pelo mensageiro de Deus, ele que conforme disse Moisés, era "o profeta" de Deus (Deuteronômios (18:15,18).

SE É QUE O TENDE OUVIDO. Não que os leitores de Paulo tivessem ouvido pessoalmente as pregações do Senhor Jesus, porque nem mesmo Paulo, que era apóstolo chegou a acompanhar pessoalmente o ministério do Senhor Jesus. Mas, os apóstolos e líderes do cristianismo eram representantes diretos do Senhor Jesus, e assim sendo, quem ouvia a pregação de Paulo, estava recebendo os ensinos de Cristo, por revelação ou inspiração.

E NELE FOSTES ENSINADOS. Tanto os apóstolos originais do Senhor Jesus, quanto o apóstolo Paulo, não pregavam em nome próprio o evangelho do Senhor Jesus, mas eles eram autoridades eclesiásticas delegadas pelo próprio Cristo, como representantes do reino de Deus, Desta forma, quando eles pregavam ou ensinavam ou ainda quando escreviam, assim estavam procedendo por delegação da autoridade maior, Jesus Cristo.

COMO ESTÁ A VERDADE. Esta verdade a que se refere o escritor, diz respeito ao evangelho das boas novas, bem como o conjunto de doutrinas cristãs, que foram transmitidas pelo Senhor Jesus, mas também pelos apóstolos e lideranças do cristianismo primitivo. Tais verdades não procediam da mente ou pensamentos dos representantes de Cristo, mas tudo era dado por revelação ou inspiração de Cristo Jesus, aos seus servos.

EM JESUS. Para os verdadeiros líderes da igreja primitiva, tal qual o apóstolo Paulo, tudo que dizia respeito às verdades do evangelho das boas novas, tinha como fonte a pessoa bendita de Cristo Jesus. Por isso que, tudo que eles faziam ou falavam, assim procediam em nome de Cristo. As doutrinas que foram aplicadas para edificação da igreja amada de Cristo, não era produto de mentes férteis dos apóstolos, mas vinha de Cristo Jesus.

Efésios 4:19

Efésios 4:19 - Os quais, havendo perdido todo o sentimento, se entregaram à dissolução, para com avidez cometerem toda a impureza.
OS QUAIS. O autor se refere aos gentios que ainda não haviam se convertido ao cristianismo, que também eram classificados de pagãos. Também podemos dizer que o escritor trata neste ponto de sua carta, sobre aqueles que haviam fechado suas mentes, ao conhecimento das boas novas do evangelho de Cristo Jesus. Sem deixar de fora aqueles que apostataram da fé cristã, dando lugar ao sentimento de rebelião e apostasia contra o Criador. Os ateus vivem entenebrecidos no entendimento, insensíveis em seus corações.

HAVENDO PERDIDO. O evangelho neste mesmo tempo, em que esta carta foi escrita, estava chegando a todas as partes do mundo civilizado. Os apóstolos e os líderes do cristianismo cumpriam o ide imperativo de Cristo, levando as boas novas do evangelho, onde Cristo ainda não era conhecido. Mas nem por isso, os opositores do reino de Cristo se deixavam ser tocados pela influência do evangelho, no coração das pessoas. Perder o rumo espiritual é a mesma coisa que se manter nas trevas e ficar entenebrecido.

TODO O SENTIMENTO. A mensagem do evangelho poderoso de Cristo, sempre foi forte o suficiente para quebrar a dureza do coração daqueles que tem contato com ela, é tanto que, o cristianismo avançava em seu desenvolvimento e crescimento. Todavia, muitos que estavam a serviço dos seus próprios interesses ou dominados pela influência do império das trevas, perdiam sua sensibilidade para não crer no evangelho.

SE ENTREGARAM. Enquanto milhares de pessoas se convertiam ao cristianismo, pelo poder transformador do evangelho, e das boas novas que estava na proposta de Deus, mediante a nova dispensação da graça. Outros tantos continuavam bloqueados em seus sentimentos, para rejeitarem a Cristo Jesus como Senhor e Salvador. O ser humano é, pelo seu livre arbítrio, dono do seu destino, e assim sendo, o ateísmo é uma opção.

À DISSOLUÇÃO. O apóstolo se refere ao estado de licenciosidade deliberada dos homens carnais, do deboche contra as coisas de Deus e do pecado da sexualidade sem limites. Nos dias de hoje, assim como no tempo em que Paulo escreve sobre estas coisas, o homem natural se deixa levar e dominar por tais sentimentos. Quem serve a Cristo e faz a vontade de Deus, não se deixa vencer pelos desejos e apetites da dissolução.

PARA COM AVIDEZ. Os ímpios que renunciam o bom censo, quanto a Deus, e se deixam dominar pelo deboche contra as coisas concernente a fé cristã, procedem com toda malícia possível, no sentido de realizarem seus desejos carnais. Como o incrédulo tem uma consciência morta, quanto a sua responsabilidade com a justiça divina, ele busca com astúcia concretizar seus instintos, mesmo que para isso, deboche de Deus.

COMETEREM TODA A IMPUREZA. Os falsos mestres gnósticos incentivavam seus discípulos a que buscassem a licenciosidade deliberada dos pecados da carne, como algo que libertava a alma para o desenvolvimento intelectual. Os homens que são dominados pelo sentimento da dissolução, não são diferentes, eles dão vasão aos desejos mais impuros dos apetites sexuais, para satisfazerem suas mentes mortas e sujas pelo pecado.