Pesquisar este blog

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

1 Pedro 2:11

1 Pedro 2:11 - Amados, peço-vos, como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências carnais que combatem contra a alma.
AMADOS. Temos a nossa frente mais uma secção desta fantástica epístola, em que o autor faz sua solicitação aos seus leitores sobre o modo digno em que o cristão deve viver perante a sociedade, honrando o nome de Cristo por meio do seu comportamento. O apóstolo aprendeu com o seu Mestre “Jesus” que um dos mandamentos fortes da lei de Cristo é o amor fraternal, e com isso, ele chama os seus leitores de amados. Isso também prova que os destinatários desta carta eram pessoas queridas do escritor.

PEÇO-VOS. O apóstolo Pedro era uma autoridade muito respeitada dentro do grupo apostólico, dada à aproximação que ele tinha com o próprio Cristo. Depois da ascensão do Senhor Jesus, ele continuou sendo muito importante na igreja mãe de Jerusalém, e depois dos anos setenta, sua importância também se estendeu para o mundo gentílico. Mas nem por isso, neste ponto, ele usa tal autoridade para se achar melhor do que os outros. É tanto que ele usa “pedir e não mandar” como deveria ser.

COMO A PEREGRINOS. O peregrino é aquele que está de passagem e que nesta terra não tem morada permanente, o que se pode chamar de “nômade”. Na verdade esta é de fato a realidade da igreja de Cristo neste mundo, porque os remidos de Cristo estão apenas de passagem por esta terra. A intenção do autor é fazer com que seus leitores entendam de que as coisas matérias desta vida não devem exercer domínio sobre a vida dos salvos em Cristo, até porque não somos do mundo nem a ele pertencemos.

E FORASTEIROS. O forasteiro é aquele que está em um determinado lugar, mas que pertence a uma outra nação, ou povo , o que se chama de estrangeiro. Estamos no mundo, mas não pertencemos a ele, vivemos nesta terra, mas pertencemos aos céus de Deus, como diz a frase anterior, somos apenas peregrinos neste lugar. A igreja de Cristo pertence ao reino de Deus e está sendo preparada para ir morar na Nova Jerusalém Celestial. Por meio do arrebatamento, Cristo vai nos levar para nossa pátria.

QUE VOS ABSTENHAIS. Assim como a legislação mosaica tem suas regras e estatutos a serem cumpridos pelos seguidores do judaísmo, com o cristianismo não é diferente, portanto, os escritores do Novo Testamento expõem as doutrinas cristãs para o bom andamento da nova religião fundada por Cristo, o grande Mestre. Esta frase faz parte das proibições ou conselhos do apóstolo dando instruções de como viver buscando as coisas de Deus, e para tanto, se deve renunciar algumas coisas.

DAS CONCUPISCÊNCIAS CARNAIS. Que vos abstenhais das concupiscências da carne, esse é o primeiro ponto a ser observado pelos leitores desta epístola dentro deste texto sagrado, e essa é uma proibição que gera o bem espiritual dos que obedecerem. Certamente o autor aponta diretamente para o homem natural ou o cristão carnal, e ele se refere aos desejos mais promíscuos que permeiam a mente do ser humano e que o leva a ser dominado pelos desejos carnais e materiais desta vida terrena.

QUE COMBATEM CONTRA A ALMA. O evangelho declara que há uma luta entre a carne e o espírito do homem, entre o homem natural e o homem espiritual. Os desejos da carne são em fazer tudo que o mundo oferece, mas que prejudica a comunhão da criatura com o seu Criador. Já o homem espiritual (alma e espírito), busca as coisas que são de cima. A concupiscência da carne é irmã gêmea da soberba da vida.

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

1 Pedro 2:10

1 Pedro 2:10 - Vós, que em outro tempo não éreis povo, mas agora sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas agora alcançastes misericórdia.
VÓS QUE EM OUTRO TEMPO. O autor se refere aos gentios, a todos aqueles que receberam a Cristo como Senhor e Salvador, e que por meio do novo nascimento e da regeneração espiritual se tornaram novas criaturas em Cristo Jesus. O “outro tempo” a que o escritor se reporta diz respeito ao tempo da lei, em que somente os filhos de Israel é que faziam parte da aliança com Deus. O Messias de Deus veio para estabelecer uma nova aliança da graça de Deus com todos os povos do mundo.

NÃO ÉREIS POVO. De acordo com a antiga aliança feita com os descendentes de Abraão, Isaque e Jacó, somente os judeus faziam parte do que se podia dizer: Povo de Deus, é tanto que, os comentaristas bíblicos afirmam de que a aliança da lei era exclusivista. Os gentios, ou as demais nações do mundo não entraram nem faziam parte do antigo pacto, e, portanto, estavam destituídos dos privilégios que eram exclusivos de Israel. Os gentios viviam alienados de Deus. Embrenhados no paganismo.

MAIS AGORA SOIS POVO. Neste ponto, o apóstolo se refere à igreja remida de Cristo e todos aqueles que ele chamou e elegeu para ser representante do reino de Deus na terra. A nova dispensação da graça de Deus foi estabelecida por Cristo para chamar um povo seu especial, zeloso e de boas obras, e este povo, a igreja, é composta de pessoas de todas as nações do mundo, inclusive dos judeus que se converterem ao cristianismo. Faz parte da igreja, um povo remido com o sacrifício voluntário de Cristo.

DE DEUS. A igreja não pertence a um chefe de estado, nem ao mundo e nem mesmo a um líder religioso do cristianismo, porque a igreja é propriedade exclusiva de Deus. Os remidos de Cristo não pertencem a este mundo, nem aos governantes de suas respectivas nações, nem a si mesmo, cada um dos servos de Cristo pertence ao coração do Pai e faz parte da família divina. Cristo reconciliou com Deus todos aqueles que fazem parte da sua igreja, estabelecendo assim a paz universal com o Criador.

QUE NÃO TÍNHEIS ALCANÇADO MISERICÓRDIA. Somente Israel era o alvo das misericórdias de Deus, as demais nações do mundo estavam debaixo da ira de Deus, e isso porque não davam importância ao Criador de todas as coisas. Com Israel foi estabelecida uma aliança em que, os que obedecessem à legislação de Moisés eram abençoados pelas mãos do Criador. No tempo da antiga dispensação o que reinava no mundo inteiro era o caos, muitas guerras e destruições alcançavam as nações.

MAS AGORA. Este “agora” a que se refere o escritor diz respeito ao tempo da dispensação da graça estabelecido por Cristo, mediante a reconciliação com Deus. Cristo inaugurou um novo tempo em que a misericórdia de Deus está disponível para todas as nações do mundo e principalmente para os remidos de Cristo. O tempo do evangelho da graça de Deus é o tempo da bondade e do perdão do Senhor.

ALCANÇASTES MISERICÓRDIA. As mãos perdoadoras de Deus estão estendidas sobre a igreja de Cristo desde que a nova dispensação da graça foi inaugurada pelo Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Os efeitos positivos da nova aliança de Cristo com a igreja têm alcançe universal e são incalculáveis os valores deste feito em prol da humanidade. A obra de redenção provocou a paz cósmica de Deus com a Criação.

1 Pedro 2:9

1 Pedro 2:9 - Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz.
MAS VÓS SOIS A GERAÇÃO ELEITA. A diferença dos povos, conforme a palavra de Deus que está nas Santas Escrituras. Malaquias 3:18 – Então voltareis, e vereis a diferença entre o justo e o ímpio, entre o que serve a Deus e o que não serve. No texto anterior o autor escrevia sobre aqueles que não obedecem à palavra, porque se deixam dominar pela rebeldia. Mas, agora, o apóstolo mostra o valor da igreja remida diante do coração do Pai. A igreja de Cristo é essa nação eleita por Deus.

O SACERDÓCIO REAL. Cristo é o Rei da descendência de Davi, e, portanto, a igreja do Senhor Jesus pertence ao reino de Deus. Na antiga aliança de Deus com o seu povo Israel, era o sacerdote quem ungia o rei sobre o povo, mas na nova aliança da graça de Deus com a humanidade é o Rei, Jesus Cristo, quem unge a igreja como pertencente ao reino do Pai. Além do mais, os eleitos de Cristo, além de serem sacerdotes no reino de Deus, eles também são chamados para reinarem com Cristo.

A NAÇÃO SANTA. No tempo da velha dispensação ou no período da lei era o povo de Israel que se achava ou se chamava de nação santa. Israel se considerava o povo separado do Deus de Abraão, Isaque e Jacó, um povo especial, que se diferenciava das demais nações do mundo. De acordo com o evangelho das boas novas, o novo pacto ou a nova aliança estabelecida por Cristo torna a igreja remida este povo, esta nação santa, composta de pessoas de todas as nações do mundo e povos.

O POVO ADQUIRIDO. A igreja remida de Cristo, composta por pessoas de todas as partes do mundo foi adquirida como propriedade peculiar ou particular do Deus vivo e verdadeiro. A vinda do Messias de Deus como sendo o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo foi justamente para comprar para si mesmo, um povo seu, zeloso de boas obras. A redenção realizada por Jesus Cristo foi efetivamente o preço pago pelo resgate de vidas, do império das trevas para o reino de Cristo Jesus, o Redentor.

PARA QUE ANUNCIEIS AS VIRTUDES DAQUELE QUE VOS CHAMOU. Cristo disse: Marcos 16:15 – Ide por todo o mundo, e anuncia o evangelho a toda criatura. E outra vez: Atos 1:8 – E receberei a virtude do Espírito Santo que há de vir sobre vós, e ser-me-eis testemunha.. Até os confins do mundo. A igreja de Cristo dá testemunho da obra de Cristo como Salvador da humanidade. Os remidos de Cristo foram chamados para anunciar as boas novas do evangelho de Cristo, que é o poder de Deus.

DAS TREVAS. Chamados das trevas. Os remidos do Senhor Jesus outrora pertenciam ao mundo das trevas, sendo dominados pelas forças do engano do inimigo, mas agora, buscam as coisas que são de cima, e tem como prioridade fazerem a vontade de Deus. Quem não nasceu de novo nem foi regenerado pelo poder do evangelho, ainda segue a escravidão do pecado e é servo do inimigo, porque vive para o pecado.

PARA SUA MARAVILHOSA LUZ. O exercício da fé que salva, o verdadeiro arrependimento, a transformação de vida para ser uma nova criatura em Cristo Jesus, transporta o mais viu pecador do mundo das trevas para o reino da maravilhosa luz de Deus. Esta luz é o conhecimento de Cristo e do seu evangelho da libertação.

domingo, 24 de janeiro de 2016

1 Pedro 2:8

1 Pedro 2:8 - E uma pedra de tropeço e rocha de escândalo, para aqueles que tropeçam na palavra, sendo desobedientes; para o que também foram destinados.
E UMA PEDRA. Continua o nosso autor com suas metáforas espirituais falando de Cristo como sendo a pedra. Neste texto, o escritor mostra aos seus leitores um outro aspecto desta mesma pedra, que para os salvos e remidos é eleita e preciosa, mas que esta mesma pedra tem seus efeitos contrários contra os rebeldes e desobedientes. A escolha do homem quanto ao seu comportamento com essa pedra é quem vai determinar se esta mesma pedra é importante para ele ou vai lhe servir de tropeço.

DE TROPEÇO. Se alguém vai caminhando e no meio do caminho tem uma pedra, se o caminhante não prestar atenção no solo sobre o qual ele anda, pode tropeçar nesta mesma pedra, o que em nossa região chama de tropicada. Se alguém presta toda sua atenção no que Cristo representa para a salvação da humanidade e o valor de sua obra redentora, essa mesma pessoa gozará dos benefícios da salvação oferecida pelo Filho de Deus. Mas se alguém não da atenção a Cristo, tropeça e sofre as consequências.

E UMA ROCHA DE ESCÂNDALO. Os judeus esperavam um Messias diferente do que foi o humilde Jesus de Nazaré, por isso que eles tropeçaram na pedra de esquina e na rocha de escândalo, a cegueira deles os impediu de ver que ali estava o Emanuel, ou seja, Deus entre os homens. Da mesma forma, os ateus, os incrédulos e os ímpios, por conta do orgulho humano, não enxergam de que o Cristo de Deus é o Redentor e Salvador da humanidade. Por isso que o mundo jaz nas trevas e na perdição.

PARA AQUELES. Estes são todos aqueles que se deixam dominar pelo ateísmo confesso ou não. São os incrédulos guiados pelas trevas do engano, que se deixam levar pelas correntezas da rebeldia a palavra da verdade. Estes são todos os ímpios que vivem no munda da maldade e da perversidade, sendo atraídos pelas coisas matérias, ao ponto de ignorarem as coisas que são de cima. Estes são os que só pensam nas coisas desta vida, nos prazeres da carne e nas concupiscências dos olhos.

QUE TROPEÇAM NA PALAVRA. Os judeus conheciam todas as profecias messiânicas que a respeito do enviado de Deus estavam escritas. Na realidade eles tropeçaram no conhecimento da verdade porque estavam cegos para não enxergarem de que ali estava o Emanuel de Deus, por isso que o evangelho diz: Ali esta a verdadeira Luz que ilumina doto o homem que vem ao mundo. Estava no mundo, o mundo foi feito por ele, mas o mundo não o conheceu (João 1:9-10). Tropeçaram na verdade de Deus.

SENDO DESOBEDIENTES. O que os judeus fizeram com o seu Cristo foi um ato contínuo de pura desobediência aos planos de Deus. A obstinação e dureza de coração do povo de Israel fez com que eles fossem rebeldes contra o Deus de Abraão, Isaque e Jacó, de tal forma que, os prejuízos foram grandes para toda a nação dos judeus.

PARA O QUE TAMBÉM FORAM DESTINADOS. O evangelho da verdade revela que, o que os judeus fizeram com o Messias, Jesus de Nazaré foi um ato de apostasia, porque abandonaram a verdade profética. Com isso, eles também foram temporariamente rejeitados para que a porta da graça se abrisse para os gentios e para a igreja de Cristo.

1 Pedro 2:7

1 Pedro 2:7 - E assim para vós, os que credes, é preciosa, mas, para os rebeldes, a pedra que os edificadores reprovaram, Essa foi a principal da esquina.
E ASSIM PARA VÓS. O autor escreve sobre o novo tempo em que o agir de Deus estava posto em ação para implantar uma nova dispensação da graça, agora, não mais com uma nação exclusiva, mas sim, com pessoas de todas as nações do mundo. A visão do evangelho que Pedro tinha era diferente dos demais líderes do grupo apostólico, ele tinha uma compreensão mais universal da obra de Deus, somente menor do que a visão de Paulo. Pedro foi um mediador de transição neste aspecto.

OS QUE CREDES. Certamente o apóstolo se refere aos seguidores do cristianismo, que vivem pela fé, diferente dos seguidores do judaísmo, que vivem pelas obras da lei e também diferente dos pagãos, que vivem pelas concupiscências da carne e a soberba da viva. Pedro aponta diretamente para aqueles que no exercício da fé, se arrependeram dos seus pecados, aceitaram a Cristo como Senhor e Salvador, para uma nova vida, porque nasceram de novo, pela regeneração espiritual que vem de cima.

É PRECIOSA. Quem é preciosa? A pedra que os edificadores reprovaram! E quem é essa pedra? É Cristo Jesus, o Messias de Deus! Ele que veio na plenitude dos tempos, prometido e enviado por Deus para o seu povo Israel, que o rejeitou pela cegueira espiritual e pela dureza dos seus corações. No entanto, a igreja remida, recebeu o Cristo de Deus como sendo a obra mais preciosa da parte de Deus em prol de todas as nações do mundo. Cristo tem um valor incalculável para a sua igreja remida.

MAS PARA OS REBELDES. Cristo é muito importante e precioso para sua igreja. Mas, para os incrédulos ele não tem o mesmo valor. Estes rebeldes, sobre os quais o apóstolo aponta em sua epístola, dizem respeito aos judeus, que rejeitaram o seu Messias e Cristo, bem como aos pagãos que não seguem o evangelho da libertação, em fim, aos ateus, confessos ou não, aos ímpios que vivem para o mau, aos homens naturais, que vivem para os desejos carnais e para tudo que o mundo oferece.

A PEDRA. Essa é a pedra viva, que o mesmo autor cita anteriormente nesta sua mesma epístola, e que é uma tipologia do Cristo vivo. Essa é a pedra fundamental que os edificadores colocavam como sustentação do edifício, bem como era a pedra que formava o ângulo lá em cima dos edifícios construídos com torres. Cristo Jesus, o Filho de Deus é o fundamento da igreja remida, como também é o cabeça da sua igreja que ele comprou com o seu sacrifício de amor, Cristo é tudo para sua igreja.

QUE OS EDIFICADORES REPROVARAM. Esses edificadores sobre os quais o apóstolo se refere dizem respeito aos líderes do judaísmo, os líderes políticos de Israel e de Roma, e também os líderes religiosos das demais religiões que lutavam contra o cristianismo. Sobre a reprovação de Cristo, todos conhecem (João 1:12-11). O Messias veio ao mundo, dado por Deus Pai, mas os seus não o receberam nem o aceitaram.

ESSA FOI A PRINCIPAL DA ESQUINA. Todavia, essa mesma pedra angular, que os líderes de sua época rejeitaram, ela foi eleita por Deus, como sendo a mais preciosa de todas, porque sua obra de redenção foi consumada com sucesso absoluto, trazendo assim benefícios incalculáveis para toda a humanidade. A obra de redenção consumada pelo Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo, o faz importantíssimo, porque pelo seu sacrifício de amor, Cristo é o Redentor da igreja.

1 Pedro 2:6

1 Pedro 2:6 - Por isso também na Escritura se contém: Eis que ponho em Sião a pedra principal da esquina, eleita e preciosa; E quem nela crer não será confundido.
POR ISSO TAMBÉM. Esta secção que estamos comentando aconselha os seus leitores a viverem uma vida digna perante Deus, uma vez que os remidos em Cristo Jesus são preciosos diante do coração do Pai. Ao mesmo tempo, essa mesma parte da carta de Pedro nos mostra a importância de Cristo para sua igreja, como sendo ele, Jesus, o fundamento da sua igreja, que é a casa espiritual de Deus. Entende-se com isso, que a obra de Cristo em prol dos remidos foi um projeto de Deus, pré-estabelecido.

NA ESCRITURA SE CONTÉM. O Cânon do Novo Testamento estava em construção pelos seus escritores, de forma que os líderes da igreja primitiva usavam os Cânons dos hebreus como sendo suas Escrituras. Nesta época existiam três Cânons, que eram considerados Escrituras, e eram eles: O Cânon de Moisés, o Cânon da dispersão, que hoje compões a bíblia católica e o Cânon dos escribas da época de Jesus, que compõe a bíblia protestante. O escritor se refere a estas Escrituras do povo hebreu.

EIS QUE PONHO EM SIÃO. Esta é uma citação livre de Isaías 28:16 - Portanto assim diz o Senhor Deus: Eis que eu assentei em Sião uma pedra, uma pedra já provada, pedra preciosa de esquina, que está bem firme e fundada; aquele que crer não será confundido. Como Isaías é um profeta messiânico, ele estava se reportando a vinda do Messias de Deus para Israel, com o objetivo de implantar a nova dispensação, e que já falava naquela época da aprovação desta pedra preciosa de esquina por Deus.

A PEDRA PRINCIPAL DE ESQUINA. Os comentaristas falam de dois tipos de pedras que levavam este nome. A primeira delas era aquela posta no ângulo do fundamento do edifício ou construção, e a segunda, diz respeito à última pedra colocada lá em cima da construção de uma edificação com torre. Seja como for, Cristo é a principal pedra do fundamento da construção da casa espiritual de Deus, que é a igreja remida, bem como ele é aquele que está cima de tudo e de todos como cabeça da igreja.

ELEITA E PRECIOSA. Essa pedra que foi rejeitada e reprovada pelos filhos de Israel, na verdade foi eleita como sendo a pedra principal do edifício espiritual de Deus, que é a igreja remida do Senhor. Ela é preciosa porque tem um valor supremo na redenção da igreja, mediante sua obra de redenção, que foi concretizada pelo sacrifício expiatório do Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, produzindo a reconciliação.

E QUEM NELA CRER. João 1:10-12 - Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu. Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome. Esta fé no nome do Filho de Deus e na sua obra de redenção é que faz com que a igreja remida faça parte da família de Deus e do seu reino.

NÃO SERÁ CONFUNDIDO. Quem crer no nome de Cristo, não será condenado, porque essa é a promessa da palavra de Deus. Romanos 8:1 Agora, pois, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus. Atos 16:31 – Crer no Senhor Jesus, e serás salvo, tu e a tua casas. Quem recebe a Cristo como Senhor e Salvador não será condenado.

1 Pedro 2:5

1 Pedro 2:5 - Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo.
VÓS TAMBÉM, COMO PEDRAS VIVAS. No texto anterior o apóstolo escreve sobre Cristo, o Senhor, como sendo esta a “pedra viva”, com um destaque especial de ser a pedra angular de esquina ou pedra principal do edifício espiritual de Deus. Agora, ele fala sobre os remidos de Cristo, como também sendo pedras vivas, que participam do edifício espiritual de Deus, que é a igreja eleita de Cristo. Os salvos são pedras vivas porque ressuscitaram espiritualmente e receberam vida que provem de Cristo.

SOIS EDIFICADOS. O autor continua expandindo sua metáfora para tentar explicar melhor para os seus leitores sobre a participação da igreja de Cristo, como sendo a morada de Deus. Entende-se que Deus é o grande arquiteto ou construtor de sua própria casa, que é a igreja remida, e que ele usa como pedra fundamental de sustentação, que é Cristo, e depois continua a construção com as demais pedras vivas também que são os remidos de Deus. A igreja é uma construção de pedras vivas.

CASA ESPIRITUAL. Como a igreja é uma construção ou casa feita toda de pedras vivas, ela está firme e não pode ser abalada, por isso que Cristo disse que: As portas do inferno não tem como prevalecer contra sua igreja. O evangelho nos ensina de que somos templos de Deus, e que o Espírito do Senhor habita em nós, de forma que a vida cristã é uma obra de Deus na trajetória de cada um individualmente. O desejo do Pai é morar no coração de cada um de nós e ocupar o centro de nossas vidas.

SACERDOTE SANTO. Além de serem pedras vivas na casa de Deus, a nova dispensação da graça consagrou os remidos de Cristo como sacerdotes do reino de Deus e de seu Cristo. O sacerdote é aquela figura que representa a Deus na terra e que está a serviço do seu reino, e que na nova dispensação implantada por Cristo, são todos aqueles que recebem a Cristo como Senhor e Salvador. Quando o texto diz que os remidos de Cristo são sacerdotes santos, é porque são separados para Deus.

PARA OFERECER SACRIFÍCIO ESPIRITUAL. Na antiga dispensação da lei, os sacrifícios oferecidos, bem como as oferendas e manjares eram da ordem material, como: Animais, cereais e etc. As religiões pagãs também sempre usaram tais artifícios com seus deuses fantasiosos, principalmente as religiões que seguem o ocultismo. No cristianismo verdadeiro, o sacrifício é espiritual e não material, com a prática de momentos de adoração por meio da oração, da meditação e do perfeito louvor.

AGRADÁVEIS A DEUS. O envolvimento dos filhos de Deus na verdadeira adoração é que agrada ao coração do Pai e não sacrifícios de animais ou o sacrifício humano. O que chega diante de Deus como cheiro suave é a busca de todo coração e da alma do remido em Cristo. A nova dispensação estabelece uma nova ordem de culto a Deus.

POR JESUS CRISTO. Os judeus rejeitaram a Cristo como o seu Messias, e, portanto, não o receberam como único Mediador entre Deus e os homens. A igreja remida recebe a Cristo Jesus como Senhor, Salvador e Mediador da nova aliança da graça divina.

1 Pedro 2:3-4

1 Pedro 2:3-4 - Se é que já provastes que o Senhor é benigno. E, chegando-vos para ele, pedra viva, reprovada, na verdade, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa.
SE É QUE JÁ PROVASTES QUE O SENHOR. Este “se” pode ser visto como indicativo de que o escritor não está apontando diretamente para alguém, até porque sua correspondência tem uma característica universal. Ao mesmo tempo é uma exortação bem colocada para todo aquele que já fez a sua decisão ao lado de Cristo, uma vez que a escolha de seguir a Cristo era vista, no tempo da igreja primitiva, como uma prova de fé. Seguir a Cristo nos dias de hoje, até certo ponto é status, mas, nem sempre foi assim, porque muitos perderam a própria vida por confessarem a Cristo.

É BENIGNO. O Senhor é benigno. As próximas frases comprovam de que este “Senhor” sobre o qual se reporta o nosso escritor diz respeito a Cristo Jesus. E quando se diz que o Senhor é benigno, é a mesma coisa que dizer que Cristo só faz o bem a todos. Nada de mau que acontece com os seguidores do evangelho pode ser atribuído ao Senhor Jesus, até porque ele é o bem em essência, ele pode até permitir que provações aconteçam na vida de um servo seu, mas no final, tudo dá certo.

E, CHEGANDO-VOS PARA ELE. Agora, o apóstolo transmite o seu bom conselho a todos de que a melhor opção de vida é correr para os pés do Senhor Jesus, a fim de receber sua benevolência, sua compaixão e o seu perdão. Cristo com sua bondade, misericórdia e amor exerce uma força de atração irrecusável, e a prova disto é que desde sua vinda como Redentor da humanidade, ele tem ganhado para si incontáveis seguidores. Todos os dias, mais e mais pessoas se chegam a Cristo por amor a ele.

PEDRA VIVA. Esta é mais uma das metáforas usadas pelos escritores do Novo Testamento para exemplificar alguma coisa de que possa dar mais clareza a sua mensagem, principalmente diante dos seus leitores. Essa é uma citação livre do Salmos 118:22, em que apontava o Messias como a principal pedra angular de esquina do templo espiritual de Deus. Algumas versões colocam “pedra que vive” se referindo ao Cristo ressurreto. Ele que na verdade morreu, mas que ao terceiro dia ressuscitou.

REPROVADA, NA VERDADE PELOS HOMENS. Nas edificações mais antigas, as pedras que eram colocadas nas esquinas das construções tinham que ser perfeitas para que o edifício mostrasse sua segurança e beleza pelos seus ângulos. De forma que as pedras com defeitos eram reprovadas pelos construtores. Jesus de Nazaré foi reprovado pelos judeus como sendo o Messias de Deus, porque a bíblia diz: E não víamos nele beleza nenhuma para que o desejássemos. Tudo isso já era previsto (Isaías 53:3).

MAS PARA COM DEUS. Cristo foi reprovado, na verdade pelos homens, João 1:11 – Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Porem, diante de Deus, ele foi aprovado em tudo. Deus, o Pai, o exaltou soberanamente acima de tudo e de todos.

ELEITA E PRECIOSA. Essa pedra que foi rejeitada e reprovada pelos filhos de Israel, na verdade foi eleita como sendo a pedra principal do edifício espiritual de Deus, que é a igreja remida do Senhor. E ela é preciosa, porque é o Salvador da igreja iluminada.

1 Pedro 2:2

1 Pedro 2:2 - Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele vades crescendo.
DESEJAI AFETUOSAMENTE. Seguir a Cristo de conformidade com o evangelho da verdade não é algo artificial, como pensam os religiosos, nem tão pouco é algo que se possa viver de aparência, como vivem os hipócritas da religiosidade. Viver para Cristo, com Cristo e em Cristo é algo que vem da força de vontade interior que vai além da simples intenção. As coisas pertencentes ao reino dos céus devem ser buscadas com todas as nossas forças, com o amor da alma e a energia do espírito.

COMO MENINOS. As crianças recém-nascidas e até os dois anos de idade, só tem praticamente um objetivo, que é se alimentar, seja o leite materno ou outros suplementos alimentares, eles não se preocupam com outras coisas, senão, comer. Isso nos ensina do foco principal de que deve se dedicar os que vivem uma nova vida em Cristo Jesus, que é justamente se alimentar das coisas de Deus, seja por meio da palavra do Senhor, seja da oração, também do louvor e outras maneiras de adoração.

NOVAMENTE NASCIDOS. Na verdade, quando alguém recebe a Cristo como Senhor e Salvador, essa pessoa nasce de novo para Deus, mediante a influência do Espírito Santo do Senhor, por isso que passa a ser chamada de nova criatura. Como que acontece esse novo nascimento? Tudo tem início quando do exercício da fé em Cristo Jesus, depois entra em cena um verdadeiro arrependimento dos pecados, seguido da conversão, que resulta na regeneração, que por fim, gera o novo nascimento.

O LEITE RACIONAL. De acordo com o evangelho da nova dispensação da graça, esse “leite racional” diz respeito a palavra de Deus e tudo o mais que contribui para o desenvolvimento espiritual do seguidor do Senhor Jesus. O estudo, a meditação e o aprendizado com as Santas Escrituras são fundamentais para o desenvolvimento espiritual na presença de Deus. Além é claro, da oração, do louvor, da adoração e tudo aquilo que envolve as coisas que são de cima, nos tornam fortes para servir a Deus.

NÃO FALSIFICADO. Paulo escrevendo aos gálatas, ele fala sobre outro evangelho, e que não é outro, mas que os hereges é que falsificam o verdadeiro evangelho. Nem todo aquele que prega a palavra de Deus está pregando a verdade das Santas Escritoras, porque isso depende da intenção que a pessoa tem na mente sobre o que está pregando e porque está pregando. Existem aqueles que adulteram ou manipulam o evangelho para atender os seus interesses ou de grupos religiosos.

PARA QUE POR ELE. É por meio do leite racional e não pela adulteração da mensagem bíblica que o discípulo de Cristo vai desenvolvendo suas habilidades nas coisas do reino de Deus e crescendo no recebimento dos dons espirituais. Daí a importância de se dedicar no estudo da palavra de Deus, se aplicar na prática da oração, dedicar tempo para meditação, ser um verdadeiro adorador, entoar verdadeiros louvores ao nosso Deus, essa deve ser a meta prioritária de todo aquele que é um seguidor de Cristo.

VADES CRESCENDO. Crescer no conhecimento da palavra de Deus é importantíssimo para quem pretende exercer um ministério na obra do evangelho, bem como para todos os discípulos do Senhor Jesus, até porque, quem conhece bem as Escrituras não se deixa enganar pelos hereges. O conhecimento da vontade de Deus e a prática dos mandamentos do Senhor, tem como resultado positivo o desenvolvimento espiritual.

sábado, 23 de janeiro de 2016

1 Pedro 2:1

1 Pedro 2:1 - Deixando, pois, toda a malícia, e todo o engano, e fingimentos, e invejas, e todas as murmurações.
DEIXANDO. POIS. No capítulo primeiro de sua epístola, o autor deixa bem claro para quem ele estava escrevendo essa sua belíssima carta. “Os estrangeiros dispersos” eram os destinatários e leitores desta comunicação, e que eram convertidos ao cristianismo, ou que ainda precisavam fazer parte desta nova religião. Todos aqueles que desejassem fazer parte do cristianismo precisavam romper com o mundanismo, e com tudo aquilo que representa a degradação moral e ética da sociedade. Observando, no entanto, que o escritor dá continuidade a suas recomendações.

TODA A MALÍCIA. Quem é nascido de novo pelo poder do Espírito Santo e pela regeneração da palavra de Deus, quem se arrependeu de verdade dos erros da vida pregressa para uma nova vida em Cristo, quem é um discípulo do grande Mestre Cristo Jesus. Esse tem que se esforçar ao máximo para deixar a malícia, que é o sentimento degradante da sexualidade pervertida. De outro ângulo, a malícia também pode ser vista como uma característica daqueles que são maus em todas as suas ações. A malícia faz parte das obras da carne, que luta contra os frutos do Espírito de Deus.

E TODO ENGANO. O homem natural é manipulado pelos seus próprios interesses, e neste lema, faz o que for possível para enganar o seu próximo em seus negócios e contratos, tudo isso para levar vantagens econômicas e financeiras. Porem, quem desejar fazer a vontade de Deus, guardando os mandamentos do evangelho de Cristo Jesus, precisa deixar todo o engano, não pode viver envolvido em trapaças, nem mentindo para o seu semelhante. Neste caso, enganar a alguém é mentir, é ser infiel nos contratos, é comprar e não pagar, é dá a palavra e não cumprir o que prometeu.

E FINGIMENTO. O que se espera de um servo de Cristo é que ele viva uma vida transparente, demonstrando suas convicções de fé, com caminhos bem definidos conforme o evangelho da verdade, buscando o reino de Deus em primeiro lugar e as coisas que são de cima. Quem confessa o nome de Cristo como Senhor e Salvador não pode nem deve agir com dupla personalidade, porque a sinceridade e a verdade é o que norteia seu testemunho. O fingimento neste caso, é agir de uma forma e ser na essência uma outra pessoa, quem assim procede está negando o nome de Cristo.

E INVEJAS. Ter inveja de alguém é desejar possuir o que o outro tem ou desejar ser o que o outro é, e agir com inveja é lutar para tomar o que o outro tem ou buscar tomar o lugar do outro. Este sentimento tem prejudicado em muito a obra de Deus nas igrejas, porque existe até certo ponto, o que não poderia acontecer, uma certa concorrência entre os pregadores, ensinadores, cantores e lideranças do cristianismo. Quem não tem inveja espera o tempo de Deus e o agir de Deus em sua vida.

E TODAS AS MURMURAÇÕES. A palavra “toda ou todo” se repete por três vezes neste texto, mostrando que ou a pessoa é servo de Cristo de verdade ou não é. De forma que deve se deixar: Toda malícia, todo engano e todas as murmurações, com isso entende-se que o discípulo de Cristo não pode ficar em cima do muro, coxeando em dois pensamentos. Deixar as murmurações é não reclamar de nada, e só agradecer.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

1 Pedro 1:25

1 Pedro 1:25 - Mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada.
MAS A PALAVRA. Ao se converterem ao cristianismo, os cristãos primitivos foram tomados pelo amor cristão pelos não convertidos, no sentido de os levarem ao conhecimento das boas novas do evangelho do Senhor Jesus. E cada um daqueles que recebiam a Cristo como Senhor e Salvador, se tornava um pregador do evangelho libertador, em levar a Cristo aqueles que ainda não o conheciam. Com isso a palavra de Deus se espalhou por todas as partes aonde cristo ainda não havia sido anunciado. É sobre esta palavra de que o escritor fala que há de permanecer eternamente, Até porque mesmo partindo desta vida, eles deixaram a semente incorruptível nos corações dos que vieram depois, e esta obra continua até os dias de hoje.

DO SENHOR. Quando se diz que a palavra é do Senhor é porque o evangelho das boas novas não é ideologia de quem quer que seja. Até porque tudo que o evangelho narra sobre o Cristo de Deus e as normas da nova aliança de Cristo com a sua igreja não veio de invenção humana, mas foi à inspiração exclusiva do Espírito de Deus sobre os escritores e autores da literatura sagrada Cristocêntrica. O mesmo escritor nos ensina sobre isso em 2 Pedro 1:20-21 - Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo. Os escritores foram instrumentos de Deus.

PERMANECE PARA SEMPRE. A palavra do Senhor permanece para sempre, em contraste com os bens matérias em quem às pessoas sem Deus colocam tanto a sua confiança, conforme texto anterior. As literaturas profanas, tanto religiosas quanto culturalis são todas passageiras. Mas a palavra viva do nosso Deus permanece para todo o sempre. As ideologias sobre Deus e os seus planos sobre Cristo tem atravessado os séculos, e é sempre uma mensagem renovada para cada situação da atualidade. Já tentaram de todas as formas deter a difusão do evangelho de Cristo Jesus, mas não tem jeito, as boas novas sobre o Cristo de Deus são invencíveis.

E ESTA É A PALAVRA QUE ENTRE VÓS. O autor estava escrevendo esta literatura escriturística para pessoas que já conheciam as boas novas do evangelho glorioso de Cristo Jesus, o Verbo de Deus. Começando pelos profetas messiânicos, passando por João Batista, Jesus e os seus apóstolos e discípulos, além da igreja primitiva, todos já vinham propagando de forma abundante o evangelho libertador do Senhor Jesus. Não podemos deixar de citar o exemplo de Paulo que foi pioneiro neste trabalho.

FOI EVANGELIZADA. Todos aqueles que conheciam a história de sucesso do Cristo vencedor, se tornavam evangelistas em pregarem as boas novas do evangelho de Cristo. Com isso a igreja primitiva estava cumprindo em destaque o ide imperativo do Senhor Jesus. Marcos 16:15 - E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. A título de hoje, esta missão tem se cumprido também pela igreja do Senhor. O evangelho tem sido anunciado em todas as nações do mundo.

1 Pedro 1:24

1 Pedro 1:24 - Porque Toda a carne é como a erva, E toda a glória do homem como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor.
PORQUE TODA A CARNE. Esta é uma citação do profeta Isaías 40:6-8 - Toda a carne é erva e toda a sua beleza como a flor do campo. Seca-se a erva, e cai a flor, soprando nela o Espírito do Senhor. Na verdade o povo é erva. Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente. O escritor faz uma comparação alegórica entre o ser humano e uma árvore. Neste caso, a carne se refere ao ser humano natural, com suas fragilidades inumeráveis pelos seus atos de pecaminosidade. Também se refere ao ser humano em suas limitações, no tempo e na subsistência, mostrando que ele não é diferente do que qualquer outra coisa da natureza. Em fim, o autor fala do homem em suas falhas e defeitos, em que se percebem suas imperfeiçoes e desvios de conduta e de caráter, por obras e palavras.

É COMO A ERVA. O ser humano é tão vulnerável, que Pedro o compara com uma erva, que é diferente de um arbusto ou uma arvore como si dizem os termos técnicos da flora. Erva neste caso se refere geralmente a uma planta ornamental, que produzem flores, com seus caules e folhas frágeis. As arvores grandes e os arbustos têm vidas mais longas, por terem suas raízes mais profundas para procurarem água nas profundezas do solo. Mas as ervas menores são muito perecíveis, ao ponto de sobreviverem apenas em solos molhados e úmidos. Portanto, só existem durante o inverno, durante os períodos de estiagens elas murcham, secam-se e morrem.

E TODA GLÓRIA DO HOMEM, COMO A FLOR DA ERVA. Na visão do escritor, o homem ainda tem um valor mais precioso do que o que ele tem ou possui. Coisa que na cultura capitalista em que vivemos isto é uma inversão de valores. Uma vez que o valor das pessoas, no conceito da sociedade materialista, é calculado pelo que ela possui. Toda glória do homem se refere aos seus bens financeiros, como riquezas, dinheiro, fazendas, casas ou apartamentos, carros, investimentos nas instituições financeiras e etc. Tudo isso é comparado pelo evangelho como a flor da erva, se a erva em si é tão vulnerável, imagina a sua flor. A flor da erva tem um tempo muito abreviado, a maioria dura apenas um dia em seu fulgor e beleza e quando muito três ou cinco dias. Assim é o poder ou a fama dos humanos, comparados com a eternidade.

SECA-SE A ERVA, E CAIU A SUA FLOR. Certamente, tanto o profeta Isaías, quanto a ilustração feita pelo escritor desta carta, se refere às plantas ornamentais dos jardins com suas flores de beleza exuberante. Que no seu ciclo natural nasce cresce e brota suas flores belíssimas. Mas chega o tempo de voltar a ser estrume da terra, e a erva seca. O ensino alegórico do texto nos transmite a mensagem que assim é a vida de todo ser humano. Um dia, nascemos, crescemos, e chega o momento de partir, e dai para frente o que será? Quando a erva seca, cai a sua flor. Isso fala dos ornamentos da vida e sobre o que as pessoas se apoiam. Nesta reflexão do escritor as flores representam as riquezas injustas adquiridas pelos ricos avarentos. Assim como as flores um dia cai, assim são as riquezas matérias, quando o ser humano veste o palito de madeira, não pode levar bens materiais. Só resta isso: O pó volte ao pó.

1 Pedro 1:23

1 Pedro 1:23 - Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre.
SENDO DE NOVO GERADOS. Este é o processo do novo nascimento descrito por Cristo Jesus em João 3:3-5 - Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer? Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. Este novo nascimento é que produz a transformação necessária para que a pessoa passe a ser uma nova criatura, conforme aprendemos em 2 Coríntios 5:17 - Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. A isto se dar o nome de vida nova em Cristo Jesus.

NÃO DE SEMENTE CORRUPTÍVEL. O novo nascimento é diferente do nascimento natural, conforme disse Jesus: João 3:6 - O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito. Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo. Quando o ser humano crer verdadeiramente no nome de Cristo Jesus ele é gerado de nova para ser uma nova criatura, que é diferente do nascimento normal. João 1:12-13 - Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome. Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus. Esta semente corruptível diz respeito ao ato sexual entre o homem e a mulher, esperma e óvulo, fecundação.

MAS DA INCORRUPTÍVEL. O feito do novo nascimento ou nascimento de cima, conforme a vontade de Deus é fruto de uma fecundação espiritual, em que o ser humano é gerado de novo pela semente incorruptível. Esta semente é incorruptível porque nada a destrói, nada a mancha e nem degenera, ela nunca há de se acabar ou ser banida. Esta semente é eterna, disse Jesus: Passarão os céus e a terra, mais as minhas palavras não hão de passarem. Esta semente geradora do novo nascimento e do que resulta em uma nova criatura é eterna, assim como eterno é o seu interlocutor, que é Deus. Todo tipo de semente que há na terra se degrada, se desgasta e morre porque é corruptível, mas a semente da palavra de Deus não se desgasta nunca.

PELA PALAVRA DE DEUS, VIVA. Esta palavra de Deus a que se refere o escritor, diz respeito às boas novas do evangelho de Cristo Jesus, que fala sobre o conteúdo que delineia os padrões da nova aliança de Deus com a humanidade. São todas as referências contidas nas Santas Escrituras que falam sobre o Cristo de Deus e os seus ensinos para a sua igreja. A palavra do evangelho é viva e eficaz (Hebreus 4:12), isto porque ela tem o poder de transformar uma vida e fazer de um vil pecador uma nova criatura. Nenhuma matéria dos estudos seculares tem este poder de melhorar e transformar o caráter e a natureza de um ser humano, quanto a palavra de Deus.

E QUE PERMANECE PARA SEMPRE. As literaturas profanas, tanto religiosas quanto culturais são todas passageiras. Mas a palavra viva do nosso Deus permanece para todo o sempre. As ideologias sobre Deus e os seus planos sobre Cristo tem atravessado os séculos, e é sempre uma mensagem renovada para cada situação da atualidade.

1 Pedro 1:22

1 Pedro 1:22 - Purificando as vossas almas pelo Espírito na obediência à verdade, para o amor fraternal, não fingido; amai-vos ardentemente uns aos outros com um coração puro.
PURIFICANDO AS VOSSAS ALMAS PELO ESPÍRITO. O Espírito Santo tem um papel fundamental na vida de todos os remidos em Cristo Jesus. Tudo começa no novo nascimento que é produzido por ele (João 3:3,5). Somos guiados a seguir no caminho do evangelho de Cristo Jesus por meio de sua direção (Romanos 8:14). Estamos sendo transformados na imagem do Filho de Deus pelo sua influência direta em nossas vidas (2 Coríntios 3:18). Desenvolvemos os bons frutos cristãos como virtudes do reino de Cristo por meio do Espírito de Deus (Gálatas 5:22). Nos envolvemos com os dons espirituais porque o Espírito do Senhor é quem nos dá (1 Coríntios 12:7-11). Todas estas dádivas e muitas outras do Espírito de Deus em nossas vidas é que nos purifica.

NA OBEDIÊNCIA A VERDADE. Sendo guiados pelo Espírito de Deus é que somos levados a viver em obediência ao evangelho do Senhor Jesus Cristo. Porque ninguém por si mesmo teria condições de seguir as boas recomendações da nova aliança de Deus com a humanidade. De forma que o Senhor nos chama para o seu reino e luz, além do mais, nos enche do seu Santo Espírito, a fim de nos ajudar a seguir nas pisadas do Mestre. Esta “verdade” a que se refere o escritor, diz respeito às normas estabelecidas pelo evangelho da verdade. Normas estas que não são pesadas e nem difíceis de seguir, porque o Espírito de Cristo é quem nos guia a toda verdade.

PARA O AMOR FRATERNAL, NÃO FINGIDO. O amor fraternal é o segundo mandamento da lei de Cristo, ou seja, do evangelho das boas novas da graça divina. Mateus 22:37-40 - E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas. Só quem tem condições de ser discípulo de Cristo é quem pratica o amor fraternal (João 13:35). E este amor não pode ser fingido, mais tem que ser verdadeiro, com a autenticidade e aprovação do Espírito de Deus, que habita em nossos corações.

AMAI-VOS ARDENTEMENTE UNS AOS OUTROS. A maioria dos que se dizem seguidores do evangelho fazem direitinho aquilo que determinam as chamadas liturgias da religiosidade. Mas longe estão de cumprirem este conselho da parte do evangelho de Cristo. Cinquenta por cento de nossas atividades religiosas devem ser dirigidas para Deus, e as outras cinquenta por cento devem ser direcionadas para com o nosso próximo, segundo as recomendações do Senhor Jesus (Mateus 22:37-40).

COM UM CORAÇÃO PURO. Amar ao nosso próximo com um coração puro, como o autor recomenda, não é viver abraçando uns com os outros, com tapinhas nas costas e bajulação. Mas é procurar se preocupar com o bem-estar uns dos outros. E dentro do possível ajudar de fato ao próximo em suas necessidades maiores. Amar ao próximo com o coração verdadeiro é não tratar pela frente de um jeito e por traz cortar e denegrir a sua imagem, com palavras acusativas e julgamentos injustos.

1 Pedro 1:21

1 Pedro 1:21 - E por ele credes em Deus, que o ressuscitou dentre os mortos, e lhe deu glória, para que a vossa fé e esperança estivessem em Deus.
E POR ELE. “Ele” se refere a Cristo Jesus nosso Senhor e Salvador. Ele que de forma voluntária e por amor se deu a si mesmo em preço de redenção para nos comprar e remir pelo sacrifício de si mesmo. Ele que é o Cordeiro da expiação que em uma missão de redenção promoveu a reconciliação da humanidade com Deus, quando fez a paz entre o Criador e toda a sua criação. Ele que deu a sua vida em resgate da sua igreja e de todos os que o confessam como Senhor e Salvador. Jesus de Nazaré é o Filho de Deus que se humanizou para provar das mesmas coisas que os homens têm que passar. Como Deus, ele não teve por usurpação ser igual a Deus, mas se humilhou a si mesmo, tomando a forma de homem (Filipenses 2:8-9).

CREDES EM DEUS. A vinda do Messias de Deus foi de acordo com o programa e planejamento de Deus Pai, e o Senhor Jesus fez de tudo para levar as pessoas de volta aos braços de Deus. O Emanuel de Deus se manifestou na terra para ser a perfeita imagem do próprio Deus Criador entre os homens, a fim de que todos cressem em Deus por ele. A vida e o ministério de Jesus de Nazaré foi um exemplo perfeito da maneira amorosa como Deus o Pai estende a sua infinita misericórdia sobre a humanidade. O Cristo de Deus cumpriu com sucesso e eficácia sua missão redentora, demonstrando de que o Deus Poderoso é o Senhor da reconciliação.

QUE O RESSUSCITOU DENTRE OS MORTOS. Cristo não poderia de forma alguma ficar dentre os mortos, uma vez que ele é a ressurreição e a vida. João 11:25 - Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá. Portanto, a ressurreição de Jesus foi à comprovação maior de que ele era o Messias de Deus, o Emanuel de Deus, Deus conosco, como sendo o Senhor da vida e da ressurreição. A ressurreição de Cristo dentre os mortos foi diferente das demais, das quais fala a bíblia, uma vez que ele não morreu novamente como os demais. Mas subiu vivo para se assentar eternamente a destra da majestade celestial.

E LHE DEU GLÓRIA. Foi o próprio Deus quem de maneira justa exaltou o seu Cristo. Filipenses 2:9-11 - Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome. Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra. E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai. Em todos os momentos da vida do Messias de Deus pode ser vista a glória de Deus sobre Jesus de Nazaré, pelos sinais e maravilhas que ele realizou e prodigalizou em prol dos que dele se aproximaram em busca dos seus milagres e feitos poderosos.

PARA QUE A VOSSA FÉ E ESPERANÇA ESTIVESSEM EM DEUS. Depositamos a nossa fé inteiramente no Senhor por ele ter feito tudo de bom por nós mediante seu Filho Jesus. A coisa mais importante que poderia acontecer com a humanidade seria pôr sua esperança em Deus pelos benefícios incalculáveis que Cristo produziu em favor de toda a criação. O mundo é ingrato por não reconhecer a bondade de Deus em Cristo.

1 Pedro 1:20

1 Pedro 1:20 - O qual, na verdade, em outro tempo foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado nestes últimos tempos por amor de vós.
O QUAL, NA VERDADE. O qual se refere a Cristo Jesus nosso Senhor e Salvador. Ele que de forma voluntária e por amor se deu a si mesmo em preço de redenção para nos comprar e remir pelo sacrifício de si mesmo. Ele que é o Cordeiro da expiação que em uma missão de redenção promoveu a reconciliação da humanidade com Deus, quando fez a paz entre o Criador e toda a sua criação. Ele que deu a sua vida em resgate da sua igreja e de todos os que o confessam como Senhor e Salvador. Jesus de Nazaré é o Filho de Deus que se humanizou para provar das mesmas coisas que os homens têm que passar. Como Deus, ele não teve por usurpação ser igual a Deus, mas se humilhou a si mesmo, tomando a forma de homem (Filipenses 2:8-9).

EM OUTRO TEMPO FOI CONHECIDO. Em toda a extensão das mais antigas Escrituras Sagradas e em todo o desenrolar da história da humanidade Cristo se deu a conhecer como o Messias de Deus que havia de vir para resgatar a humanidade perdida. Principalmente os israelitas e o povo Judeu já eram conhecedores das inúmeras profecias que diziam respeito à manifestação do Emanuel de Deus para uma nova dispensação. São muitas as referências e as tipologias usadas na literatura religiosa do povo de Deus se reportando sobre o Messias, que haveria de se manifestar na terra com a missão de resgatar os chamados, eleitos e escolhidos de Deus. Até hoje é difícil de acreditar que Israel não recebeu a Jesus de Nazaré como o Messias de Deus.

AINDA ANTES DA FUNDAÇÃO DO MUNDO. O Cristo de Deus não passou a existir a partir de Jesus de Nazaré. João 1:1-3 - No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. O autor escreve sobre a preexistência do Messias de Deus, porque ele sempre esteve com o Pai. Antes mesmo da terra e céus terem sidos criados Jesus já era, por isso que ele é chamado de Alfa, uma vez que todas as coisas tiveram sua origem Nele. Como Deus Criador ele mesmo foi quem fez o mundo e tudo que nele há tanto as coisas visíveis quanto as invisíveis. Quando Jesus afirmou: Eu e o Pai somos um, isso nos assegura sobre sua divindade.

MAS MANIFESTO NESTE ÚLTIMO TEMPO. A vinda do Messias de Deus se refere a este tempo sobre o qual fala o escritor. No propósito de Deus Pai já estava programado desde a eternidade passada sobre a missão de resgate que seu Filho Jesus Cristo tinha que realizar e executar em benefício da humanidade. A vida de Jesus de Nazaré e o seu ministério foi um ato divino-humano para implantar o programa da nova aliança de Deus em prol de toda a criação.

POR AMOR DE VÓS. Esta é uma das mais lindas declarações revelada no evangelho das boas novas de Cristo. Por amor a cada um dos remidos foi que o Cristo de Deus se manifestou na terra. Os seus sofrimentos, perseguições e a morte injusta que teve que passar, tudo por amor a cada um de nós. Quão singular é este amor de Cristo.

1 Pedro 1:19

1 Pedro 1:19 - Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado.
MAS COM O PRECIOSO. O autor vinha abordando no texto anterior o tema de como os remidos foram resgatados para o reino de Cristo. E deixa bem claro de que não foi com coisas perecíveis como prata ou ouro. O valor de uma vida é muito alto, imagina de milhares delas que foram e ainda são e serão resgatadas pela missão remidora do Messias de Deus. Todos os bens deste mundo se esgotariam em comparação com o precioso sangue do Cordeiro de Deus que foi vertido na cruz do calvário pelos pecados da humanidade. Pensar que alguém deu a sua vida por mim, isso me faz cada vez mais convicto de que Cristo me viu com bons olhos e coração transbordante de amor.

SANGUE. O evangelho deixa claro e em concordância com a legislação mosaica ensina de que sem derramamento de sangue não há remissão de pecados (Hebreus 9:22). Neste caso, a referencia a sangue, diz respeito à vida, Cristo deu a sua vida pelos nossos pecados e isso nos fala da redenção já anunciada pelo profeta Isaías 53:4-5 - Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. O sacrifício voluntário de Cristo pela sua igreja foi o preço da redenção.

DE CRISTO. Geralmente os escritores do Novo Testamento falam sobre Jesus Cristo. O nome e o sobrenome, que diz respeito ao Messias de Deus ou Emanuel de Deus. Mas a referencia a Cristo, nos ensina sobre a eternidade de Jesus de Nazaré, no seu tempo passado, presente e futuro. Porque na realidade tudo que aconteceu com Jesus de Nazaré, o Cristo de Deus, já estava previsto antes mesmo da fundação do mundo. Quando o Messias de Deus se manifestou no planeta terra ele já sabia de tudo que teria de passar em prol dos nossos pecados. O Senhor como Deus Onisciente sabe de todas as coisas antes mesmo delas acontecerem.

COMO DE UM CORDEIRO. Cristo é citado como o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. João 1:29 - No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo. O profeta messiânico falando sobre o preço da redenção também citou o Messias como Cordeiro. Isaías 53:7 - Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca. O sacrifício do cordeiro da expiação na legislação mosaica já era uma tipologia do Cordeiro de Deus, Jesus Cristo, que veio para fazer a expiação pelos pecados do mundo. O cordeiro é manso e não resiste aos seus perseguidores.

IMACULADO E INCONTAMINADO. Esta referencia diz respeito às qualidades do Cordeiro que foi sacrificado em lugar dos pecadores. O Cristo de Deus viveu de forma perfeita, porque não pecou, não errou nem falhou em sua importante missão de redenção em prol de sua igreja. Ele era o Cordeiro de Deus imaculado e incontaminado.

1 Pedro 1:18

1 Pedro 1:18 - Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais.
SABENDO QUE NÃO FOI COM COISAS CORRUPTÍVEIS. Certamente o escritor sabia para quem estava escrevendo, e o endereço desta mensagem era para quem já estava ciente da mensagem do evangelho libertador de Cristo Jesus. As coisas corruptíveis sobre as quais o autor desta epístola se refere diz respeito às coisas matérias, que os seres humanos naturais tanto valorizam. Tudo aquilo que há no mundo se gasta, é corruptível e se acaba, portanto, não foi com nada que há na terra que a igreja de Cristo foi resgatada. Este tipo de mensagem é absolutamente ignorada pelos incrédulos, porque eles não acreditam nas promessas de Deus. Os ímpios são programados para só acreditam no que é palpável, e não nas coisas da fé.

COMO PRATA OU OURO. Quando alguém deseja adquirir alguma coisa ou procura comprar algum objeto, e tem dinheiro ou bens materiais consegue o que quer. Mas o valor de almas que estavam perdidas, o dinheiro do mundo todo não podia pagar. Todavia, Cristo nos resgatou com o seu eficaz sacrifício em nosso lugar. Não foi com prata nem com ouro que ele fez a expiação pelos nossos pecados. Mas, com o sacrifício voluntário de se mesmo, para nos resgatar da perdição eterna. Os bens matérias são todos passageiros, portanto, perecíveis. Mas o sacrifício do Cristo de Deus em favor das almas perdidas, não tem preço, em termos matérias, porque o seu efeito é para toda a eternidade, trazendo benefícios infindos para todos.

QUE FOSTES RESGATADOS. Pode-se dizer que esta é uma linguagem metafórica usada em termos sociais, quando nos tempos antigos, alguém fazia o resgate de um escravo pagando-se um alto preço. Os que fazem parte da igreja de Cristo estavam perdidos e sendo escravizados pelo inimigo e pelo mal, sem esperança e aprisionados pelas concupiscências carnais mais promíscuas. No entanto, o Messias de Deus veio em uma missão especial e nos resgatou com sua morte em nosso lugar. O sacrifício expiatório do Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo foi o preço pago pelo nosso resgate das garras de satanás e da escravidão do pecado e da rebelião cósmica universal.

DA VOSSA VÃ MANEIRA DE VIVER. Todos os remidos por Cristo foram resgatados da vã maneira de viver. Isso fala do estilo de vida degradante em que viviam os cristãos antes de se converterem pelo poder do evangelho do Senhor Jesus. Quem vive para o mundo e para os desejos carnais e as concupiscências dos olhos, vive para o que é fútil e vulnerável. Mas quem vive para Cristo vive feliz e cheio de esperança.

QUE POR TRADIÇÃO RECEBESTES DOS VOSSOS PAIS. Quando se anuncia o evangelho da graça de Cristo para os que não são convertidos o que mais se ouve é: Não vou deixar a religião de meus pais, de meus avós e antepassados. Isto porque desejam viver na incredulidade e sem compromissos com o reino de Deus e de Cristo.

1 Pedro 1:17

1 Pedro 1:17 - E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor, durante o tempo da vossa peregrinação.
E, SE INVOCAIS POR PAI. O autor faz uma suposição condicional, em termos de opção, ao colocar o “se” nesta frase. Nem todos são tementes a Deus e podemos afirmar que a grande maioria dos seres humanos não servem, nem seguem ao Criador de todas as coisas. Invocar a Deus é se dirigir a ele de alguma forma, seja por meio dos pensamentos, das orações ou clamando ao Senhor como Deus poderoso Criador de todas as coisas e que escuta as nossas petições, se interessa pelas nossas causas e tem o poder para nos atender as nossas solicitações. Quanto a questão da nossa filiação com Deus, o escritor já havia abordado este tema em textos anteriores, nos dando o indicativo de uma família, Deus é o nosso legítimo Pai. Portanto, somos seus filhos.

AQUELE QUE SEM ACEPÇÃO DE PESSOAS. Isso nos fala sobre a imparcialidade de Deus para com todas as pessoas. A sua justiça é imparcial para com os grandes e pequenos ricos e pobres. Assim como seu amor está disponível para todos sem acepção de pessoas, ninguém está fora da esfera deste amor ilimitado do Deus compassivo, basta a pessoa invocar ao Deus benevolente, e o seu socorro chega imediatamente. A forma imparcial como o Senhor trata seus filhos e filhas, não deixa brecha para que alguém se ache melhor do que os outros perante o Deus de justiça e amor. Não existe ninguém melhor que outro, para que possa monopolizar o Criador nem pior que outro para que não seja alcançado pelo grande amor do Deus eterno.

JULGA SEGUNDO A OBRA DE CADA UM. As Sagradas Escrituras asseguram de que Deus é o juiz dos vivos e dos mortos. E a sua forma de julgar é absolutamente diferente daqueles que fazem parte da magistratura terrena. Uma vez que o Senhor tem pleno conhecimento de tudo que ocorre durante toda a vida de cada um que nasce, vive e morre no planeta terra. Deus é Onisciente, com isso ele conhece todas as coisas e nada do que existe ou possa acontecer está fora dos seus conhecimentos. Ele também é Onipresente, ou seja, esta está vendo tudo que acontece em cada recanto do universo, porque está bem presente em todos os lugares ao mesmo tempo. Tudo que os seres humanos praticam de certo ou de errado Deus sabe de tudo.

ANDAI EM TEMOR. Andar em temor é ter a consciência de que Deus está presente em todos os momentos de nossas vidas. Portanto, precisamos respeitar a presença do Senhor quando formos fazer ou falar alguma coisa. Temer ao Senhor é respeitá-lo, é reverenciá-lo e acima de tudo reconhecer que ele é quem manda em tudo e em todos.

DURANTE O TEMPO DA VOSSA PEREGRINAÇÃO. Desde as nossas primeiras obras que praticamos com consciência do nosso dever e responsabilidade, devemos andar no temor do Senhor. O tempo não apaga os nossos erros, nem acrescenta os nossos acertos. O ser humano tem o livre arbítrio, tanto quanto tem a responsabilidade pelo que faz. Todos irão prestar contas pelas suas obras perante o Criador do céu e da terra.

1 Pedro 1:15-16

1 Pedro 1:15-16 - Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver. Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo.
MAS, COMO É SANTO. A santidade de Deus é algo inquestionável, isso porque ele é a mais pura luz e reflete toda pureza possível. A santidade do Senhor faz parte de sua essência uma vez que nele não há qualquer resquício de impureza e sujeira. Entre tantos aspectos da santidade de Deus pode-se destacar a verdade, até porque Deus não mente, e ele representa o mais alto grau da verdade em essência. A santidade é uma das características mais forte do Criador de todas as coisas e nisto consiste os seus demais atributos e qualidades. E esta santidade do Senhor tem como base a sua própria justiça que é imparcial em todas as suas facetas de aplicabilidade. E os efeitos desta santidade de Deus não se traduzem em autoritarismo, mas se percebe em seu amor, bondade, misericórdia, compaixão, benevolência, perdão e reconciliação.

AQUELE QUE VOS CHAMOU. Deus foi quem nos chamou. A pergunta é para quer que Deus nos chamou? A resposta está em Romanos 8:30 - E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou. Esta chamada faz parte da escolha de Cristo João 15:16 - Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda. Essa nossa chamada partiu do próprio Deus que nos fez povo seu Salmos 100:3 – Sabei que o Senhor é Deus, foi ele e não nós, que nos fez povo seu e ovelhas do seu pasto. Deus nos chamou com propósitos.

SEDE VÓS TAMBÉM SANTOS. Na realidade um dos objetivos da nossa chamada por Deus é para sermos uma réplica dele, mesmo em grau infinitamente diferentes de igualdade. Paulo deixou-nos o conselho: Sede imitadores de Deus, como filhos amados. Ser santo, longe estar de ser alguém canonizado, ser santo é ser separado do mundanismo, é ser separado para o serviço a Deus e ao seu reino. Ser santo é renunciar as paixões da carne para viver em espírito e em verdade. Ser santo é escolher buscar o reino de Deus em primeiro lugar e as coisas que são de cima. Ser santo é dizer não a uma vida profana para ser guiado pelo Espírito de Deus Romanos 8:14). Ser santo é viver para a luz e não para as trevas do pecado e da alienação.

EM TODA A VOSSA MANEIRA DE VIVER. Esta declaração de Pedro derruba por terra a tese de que ser santo é ser alguém canonizado por uma instituição religiosa, uma vez que a exortação recai sobre os que estão vivos na terra. Ser santo em toda a vossa maneira de viver, quer dizer, ser separado das coisas erradas desta vida e se dedicar inteiramente para as coisas que agradam a Deus. Agora, existem muitas pessoas que confundem santidade com vida religiosa, e na realidade isso não tem nada a ver. Existem muitas coisas que não passam de ativismo religioso denominacional.

PORQUANTO ESTÁ ESCRITO: SEDE SANTOS PORQUE EU SOU SANTO. Esta é uma citação de Levítico 11:44-45 - Porque eu sou o Senhor vosso Deus; portanto vós vos santificareis, e sereis santos, porque eu sou santo. Porque eu sou o Senhor, que vos fiz subir da terra do Egito, para que eu seja vosso Deus, e para que sejais santos. Deus não chamou ninguém para ser santarrão, mas sim separado do mundanismo

1 Pedro 1:14

1 Pedro 1:14 - Como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância.
COMO FILHOS. Todos os cristãos verdadeiros são filhos de Deus, conforme nos ensina o evangelho da verdade. João 1:12-13 - Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome; Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus. Aqueles que são guiados pelo Espírito de Deus Romanos 8:14-16 - Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus. O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. E como filhos de Deus devemos agir como tal para com o nosso Pai verdadeiro que é Deus.

OBEDIENTES. O que se espera dos filhos de Deus é que todos obedecem ao Pai. E aqueles que obedeçam a Deus como filhos, renunciam a sua própria vontade e desejos para fazerem a vontade do Pai. E obedecer a Deus como Pai é buscar o reino de Deus em primeiro lugar e as coisas que são de cima. E a vontade de Deus o Pai é que creiamos verdadeiramente em seu Filho Jesus, que é o Messias enviado e ungido de Deus como Salvador da humanidade. O resultado desta obediência ao Pai é a posse de suas promessas que é a salvação e vida eterna, para todos os remidos em Cristo.

NÃOS VOS CONFORMANDO. E como filhos obedientes não devemos nos conformar com nada que desagrada ao coração do Pai. Não podemos nos conformar com este mundo nem com o que nele há Romanos 12:2 - E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. Não se conformar é não aceitar passivamente. Os filhos de Deus sabem pelo Espírito do Senhor como viver de conformidade com o que agrada ao Pai. Por isso que, as Sagradas Escrituras chamam os remidos de santos, porque são separados do mundo.

COM AS CONCUPISCÊNCIAS. Estas concupiscências dizem respeito aos desejos carnais que levam os seres humanos a uma vida degradante de pecados e rebelião contra a vontade de Deus. São os apetites desordenados para a carnalidade e os vícios mais degradantes contra a alma. É justamente pelo domínio de tais concupiscências que o ser humano se mantem alienado do seu Criador, por achar que deve fazer tudo àquilo que vêm no pensamento. É a vida desregrada e sem limites, onde a criatura sistematicamente da às costas para o Criador em sucessivos atos de rebelião.

QUE ANTES HAVIA. Em se tratando dos filhos de Deus, pode-se falar em antes e depois. Antes diz respeito à vida velha, onde as concupiscências dominavam a mente pelos pensamentos carnais, e a vida velha era caracterizada pela desobediência. Antes de se converterem de verdade, todos os cristãos viviam de forma natural.

EM VOSSA IGNORÂNCIA. Essa época da ignorância diz respeito ao tempo da incredulidade e da rebelião, onde as pessoas vivem como se Deus não existisse para elas. Essa ignorância da qual escreveu Pedro é a mesma coisa que à apostasia da alma.

1 Pedro 1:13

1 Pedro 1:13 - Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios, e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo.
PORTANTO, CINGINDO OS LOMBOS DO VOSSO ENTENDIMENTO. Deus fez a sua parte por meio de Cristo Jesus, implantando a nova dispensação da graça. Portanto, de posse das promessas gloriosas de Deus para nossas vidas, aqui, e principalmente para a salvação e vida eterna, só nos resta ficarmos preparados para participarmos do evento mais importante da igreja de hoje, que é o arrebatamento dos remidos em Cristo Jesus. O escritor nos fala de forma alegórica sobre pormos os nossos pensamentos no principal que é esperarmos a volta de Cristo para nos levar para si mesmo. Hebreus 10:37 – Mas um poucochinho de tempo, e o que há de vir virá, e não tardará. Precisamos estar preparados e com a mente fixa nas coisas que são de cima.

SEDE SÓBRIOS. Esta expressão escrita por Pedro soa como exortação para que o nosso comportamento seja de verdadeiros discípulos de Cristo, que não se deixa levar pelas agitações e correrias da vida, em busca das coisas fúteis. Porque o mais importante já tomamos posse por meio da fé, que é a esperança de vida eterna em Cristo Jesus. O homem natural vive em função das coisas desta vida, e até certo ponto, se deixa gastar pelas coisas materiais, porem, os servos de Cristo, sabem que a nossa herança não é terrena, mas sim, tesouros incorruptíveis nos céus. Nesta esperança e confiança da vida eterna, vivemos tranquilos e quietos neste mundo.

E ESPERAI INTEIRAMENTE NA GRAÇA. Os Judeus se esforçavam por cumprirem toda a legislação de Moisés, no entanto, conforme o evangelho da verdade, não foram capazes de cumprirem tudo que determinava a lei, e com isso falharam em sua aliança com Deus. Mas com a igreja é diferente, porque ela espera inteiramente na graça de Deus, que é um favor imerecido. Todos que fazem parte da igreja de Cristo têm a garantia de salvação, não por merecimento, mas pela graça de Deus, que em uma de suas facetas, nada menos é do que a misericórdia manifesta de Deus em prol da humanidade. Essa graça de Deus é o seu infinito amor em prol dos remidos.

QUE SE VOS OFERECEU NA REVELAÇÃO. Quem foi que ofereceu esta graça salvadora? As Sagradas Escrituras nos respondem de que foi o Deus Criador de todas as coisas, que estava em seu Filho Jesus reconciliando consigo mesmo o mundo. Esta revelação da qual fala o autor, diz respeito à vinda do Messias de Deus para cumprir sua missão remidora em prol de sua igreja que ele comprou e remiu com seu sacrifício. A igreja de Cristo em a posse desta herança da revelação da graça em Cristo.

DE JESUS CRISTO. A vinda do Messias de Deus, o Senhor Jesus Cristo, promoveu uma revolução mundial em prol do cosmo e principalmente da humanidade. Jesus nos fala de Salvador, ele que se manifestou para salvar o seu povo dos seus pecados e Cristo nos fala da missão do Filho de Deus em realizar a expiação dos nossos pecados e nos garantir a promessa de salvação e vida eterna, isso é possível por meio de Jesus Cristo.

1 Pedro 1:12

1 Pedro 1:12 - Aos quais foi revelado que, não para si mesmos, mas para nós, eles ministravam estas coisas que agora vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho; para as quais coisas os anjos desejam bem atentar.
AOS QUAIS FOI REVELADO QUE. “Aos quais” diz respeito aos profetas e homens de Deus que falaram sobre a vinda do Messias de Deus, quando usados pelo Espírito de Cristo se referiram a pessoa bendita do Emanuel de Deus, antes mesmo de sua chegada ao planeta erra. Muitos foram os profetas messiânicos que profetizaram sobre tudo que aconteceu com a vida e o ministério do Senhor Jesus Cristo. E aprendemos neste ponto desta epístola que todas as profecias messiânicas que foram proferidas a respeito de Jesus de Nazaré, antes do seu nascimento, foram revelações especiais da parte de Deus aos seus profetas. Isso pelo Espírito de Deus.

NÃO PARA SI MESMOS, MAS PARA NÓS. E estas revelações de Deus pelo seu Espírito aos profetas e aos homens de Deus do passado, antes da manifestação do Senhor Jesus na terra, eram todas em uma visão do futuro, no tempo determinado por Deus. Aqueles que tanto profetizaram, como o profeta Isaías e outros, não tiveram o privilégio de verem com os próprios olhos o cumprimento das suas profecias sobre o Cristo de Deus. É tanto, que houve o período do silêncio profético de quatrocentos anos aproximadamente. No entanto, o último dos profetas da antiga dispensação e o primeiro da nova, falou sobre o Messias e teve o grande privilégio de vê-lo pessoalmente, este foi João Batista, a quem Jesus chamou de grande profeta.

ELES MINISTRAVAM ESTAS COISAS QUE AGORA FORAM ANUNCIADAS. Assim como o apostolado era um ministério instituído pelo Senhor Jesus para aqueles que conviveram com ele e o serviram em seu ministério, da mesma forma o apóstolo Pedro chama de ministério a função de profeta. O que ocorreu com Cristo e estava acontecendo com a igreja do Senhor havia sido anunciado pelos profetas messiânicos.

POR AQUELES QUE, PELO ESPÍRITO SANTO ENVIADO DO CÉU. De onde é que vem o Espírito santo? Pedro nos ensina de que ele vem do céu, da presença de Deus. E o Espírito Santo usava os profetas antigos que falaram a respeito da instituição da nova dispensação para profetizarem sobre as coisas futuras que aconteceriam com Cristo e com a nova aliança da graça de Deus para a igreja mediante o evangelho.

VÓS PREGARAM O EVANGELHO. O evangelho não passou a existir somente depois da chegada do Messias. O evangelho é boas novas de paz e salvação para Israel e toda a humanidade, a diferença é que antes de Cristo o que prevalecia era a lei de Moisés.

PARA AS QUAIS COISAS OS ANJOS DESEJAM BEM ATENTAR. O autor nos deixa transparecer a importância do ministério dos profetas messiânicos, uma vez que os anjos desejavam anunciar as boas novas sobre Cristo e a nova dispensação, porem, Deus reservou esta incumbência para os seus profetas consagradas por ele.

1 Pedro 1:11

1 Pedro 1:11 - Indagando que tempo ou que ocasião de tempo o Espírito de Cristo, que estava neles, indicava anteriormente testificando os sofrimentos que a Cristo haviam de vir, e a glória que se lhes havia de seguir.
INDAGANDO QUE TEMPO OU OCASIÃO DE TEMPO. Os profetas messiânicos da antiga dispensação ou dispensação da lei, já vaticinavam a respeito de tudo que havia de acontecer com o Cristo de Deus. Assim como davam sinais claros de quando o Emanuel de Deus havia de se manifestar na terra. As profecias também prescreviam sobre o sacrifício do Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Na visão do cristianismo, não se entende até os dias de hoje o por quê os Judeus não reconheceram de que Jesus de Nazaré era efetivamente o Messias de Deus. Até porque os profetas de Israel tinham de forma abrangente dado sinais de quando Cristo havia de aparecer. E o últimos dos profetas da antiga dispensação, João Batista, pregou entre os Judeus de que Jesus era o Messias prometido por Deus.

O ESPÍRITO DE CRISTO. O Espírito de Cristo é o Espírito Santo de Deus. É o Espírito de profecia, que revela as coisas que ainda hão de acontecer no futuro (Apocalipse 19:10). O Espírito de Cristo é o Espírito da verdade, que havia antes mesmo da vinda do Messias de Deus falado para Israel toda a verdade sobre o Cristo de Deus. O Espírito de Cristo é o Espírito da graça divina, porque ele por meio dos profetas já havia avisado ao povo de Deus sobre um novo tempo ou dispensação da graça, em que a salvação por meio de Cristo, não vem pelas obras da lei, mas sim pela graça manifesta de Deus, ou seja, por meio do favor não merecido.

QUE ESTAVA NELES, INDICAVA ANTERIORMENTE. O Espírito de Cristo, que é o Espírito de Deus, habitava nos profetas messiânicos que falaram e escreveram a respeito dos sofrimentos que o Cristo de Deus havia de passar para salvar a humanidade. Todas as profecias vaticinadas pelos antigos profetas sobre o sacrifício expiatório de Cristo eram proferidas pelo Espírito de Cristo que estava sobre os profetas. Como Deus conhece de antemão todas as coisas, ele usou abundantemente os seus profetas para revelar tudo que sucederia com o seu Filho para benefício da humanidade. E todas as profecias messiânicas foram proferidas como indicativo bem antes dos que aconteceria com o Senhor Jesus Cristo. E isso é lindo e maravilhoso.

TESTIFICANDO OS SOFRIMENTOS QUE A CRISTO HAVIA DE VIR. Um exemplo bem conhecido desta referência esta escrito em Isaías 53:4-5 - Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.

E A GLÓRIA QUE SE LHE HAVIA DE SEGUIR. Certamente o autor está se referindo as virtudes de Deus na vida de Cristo, como a própria presença e unção do Espírito de Deus e do poder do Senhor. Como também se refere a sua ressurreição dentre os mortos, sua ascensão às mansões celestiais para se assentar a destra de Deus, seu retorno para arrebatar a sua igreja, seu reino milenial, sua vitória final sobre toda potestade e domínio. Cristo foi exaltado soberanamente por Deus Pai acima de todos.

1 Pedro 1:9-10

1 Pedro 1:9-10 - Alcançando o fim da vossa fé, a salvação das vossas almas. Da qual salvação inquiriram e trataram diligentemente os profetas que profetizaram da graça que vos foi dada.
ALCANÇANDO O FIM DA VOSSA FÉ. O autor quis dizer: Vocês perseverando até o fim na vossa fé. Jesus falou: Aquele que persevera até o fim, esse será salvo (Mateus 24:13). O segredo não está no simples fato de aceitar a Cristo e o seu evangelho, isso é muito importante, mas o que o escritor está escrevendo, é que o mistério da salvação está em persevera até o final da jornada como seguidor do Senhor Jesus Cristo, porque assim sendo herdará a vida eterna. Muitos até começam e começam bem, mas param no meio da caminhada. Muitos caem pela prática do pecado, outros se desviam por causa das tentações e outros não suportam as provações, terminam apostatando da fé e perdem o mais importante da existência humana, que é a salvação e a vida eterna. Abandonar a fé é o maior prejuízo que se possa imaginar.

A SALVAÇÃO DAS VOSSAS ALMAS. A salvação ou a vida eterna é o alvo principal da nossa existência. Jesus perguntou: De que adianta o homem ganhar o mundo todo, e perder a sua alma? Quando o discípulo de Cristo rompe com a aliança com o mundo e com tudo que nele há, e faz a opção de viver para Cristo, com Cristo e para o seu evangelho é porque a sua grande esperança é herdar a vida eterna. Esta salvação da qual escreveu Pedro, diz respeito ao privilégio de participar do arrebatamento para morar com Cristo nas mansões celestiais. João 14:1-3 - Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também. Perseverar nesta fé é caminhar rumo à salvação.

DA QUAL SALVAÇÃO INQUERIRAM E TRATARAM DILIGENTEMENTE. Desde o princípio quando a raça humana se afastou de Deus, já lá no Jardim do Éden, que o Senhor vinha tratando com planejamento o plano da salvação para o homem caído. A antiga aliança de Deus com Israel, apesar de ser nacionalista, e não universal, foi importante como ponte de ligação entre Deus e os homens para o estabelecimento da nova aliança da graça. A salvação concretizada em Cristo Jesus pelo evangelho da graça, foi bem planejada, programada e executada diligentemente para o bem da humanidade. O que Deus havia programado para a nova dispensação da graça foi posto em prática por meio de Cristo, e a eficácia disto é a salvação e a vida eterna.

OS PROFETAS. O autor aos Hebreus escreveu que Deus falou de muitas maneiras aos pais pelos profetas (Hebreus 1:1). Os profetas messiânicos vinham preparando o caminho para a chegada do Emanuel de Deus de forma criteriosa e diligente. Inúmeras são as profecias que vaticinavam a chegada do Messias de Deus para por em prática as promessas do Criador no plano da salvação da igreja de Cristo. O Cristo de Deus não surgiu no cenário mundial por um acaso, mas tudo já estava previsto.

QUE PROFETIZARAM DA GRAÇA QUE VOS FOI DADA. Sabendo de antemão que Israel mais cedo ou mais tarde quebraria sua aliança com ele, Deus já vinha usando os seus profetas para anunciarem as boas novas de salvação por meio do Messias. Israel recebeu a aliança mosaica, mas a igreja ganhou a aliança da graça inexorável de Deus.

1 Pedro 1:8

1 Pedro 1:8 - Ao qual, não o havendo visto, amais; no qual, não o vendo agora, mas crendo, vos alegrais com gozo inefável e glorioso.
AO QUAL, NÃO HAVENDO VISTO. “Ao qual”, se refere a Jesus Cristo, aquele que é o Messias prometido nas Sagradas Escritoras por Deus, que havia de vir, ungido com o Espírito santo e com virtude. Ele é o Emanuel de Deus, ou seja, Deus conosco, a vinda de Jesus foi à perfeita manifestação do Deus homem entre nós. E ele também é o Cristo de Deus, que veio em uma missão especial para fazer a expiação dos nossos pecados pelo sacrifício voluntário de si mesmo. Os leitores de Pedro, certamente não haviam visto pessoalmente o Senhor Jesus, mas o conhecia de ouvir falar. Não o tinham contemplado com os olhos, mas sabiam de que ele era o Salvador.

AMAIS. Ao qual não o havendo visto amais. Quem realmente conhece ao Cristo de Deus assim como ele é se torna impossível não o amá-lo. A missão do Filho de Deus em sofrer pelos menos favorecidos, pelos oprimidos, e rejeitados, constrange os corações dos que passam a conhecer sua linda história de amor pelos pecados. Neste mundo da sobrevivência, do desamor, do egocentrismo, do orgulho humano, do ódio, da vingança, das traições, das maldades, da perversidade reinante, quando alguém descobre que Cristo lhe amou primeiro, se torna impossível não passar a amá-lo também. É justamente este amor que sentimos pelo Senhor Jesus, que nos faz vencer o mundo com suas atratividades inúmeras, para optar por Cristo.

NO QUAL, NÃO O VENDO AGORA, MAS CRENDO. Jesus mesmo falou: Bem-aventurados os que não me veem, mas creem. Principalmente a igreja destes últimos dias, que não teve o privilégio de ver pessoalmente o Senhor Jesus. Além de está a mais de 2.000 mil anos de distancia de quando ele esteve na terra. Mas que acredita no Senhor Jesus do mesmo modo que acreditavam aqueles que conviveram com ele. Nisto descobrimos a importância do evangelho de Cristo, que atravessou os séculos com uma mensagem poderosa, e mesmo nos dias de hoje leva as pessoas aos milhares a acreditarem em Jesus de Nazaré, como sendo o Messias de Deus e único Salvador da humanidade. Isso é maravilho diante de Deus e de Cristo também.

VOS ALEGRAIS COM GOZO. A maior alegria de um cristão verdadeiro é saber que Cristo está olhando para ele e o escolheu para ser um dos seus seguidores. Feliz não é quem goza das coisas deste mundo, porque o mundo pode até provocar alegria momentânea e passageira. Mas o gozo em pertencer a Cristo e ao seu reino é uma felicidade incomparável. Quando o autor fala sobre o gozo e alegria em pertencer a Cristo e de Crer nele e amá-lo acima de qualquer coisa está se referindo a felicidade da alma e do espírito e não da satisfação da carne. Esta alegria e gozo é a felicidade plena.

INEFÁVEL E GLORIOSO. A alegria da carne é passageira porque é sempre sucedida pela angústia, pela tristeza e pela insatisfação. Mas a alegria e o gozo do espírito e da alma é algo incompreensível pelo homem natural, só quem pode descrever é quem sente.

1 Pedro 1:7

1 Pedro 1:7 - Para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória, na revelação de Jesus Cristo.
PARA QUE A PROVA DA VOSSA FÉ. O homem natural, não passa por esse processo, porque ele vive das coisas materiais, que se ver que se ouve e que se pode apalpar. Neste caso, o autor escreve para os seguidores de Cristo, que vivem pela fé (Romanos 1:17), isso porque além de serem tentados pelo nosso inimigo para nos afastar de Deus, todos os dias somos provados pelo Senhor para nos tornarmos mais experientes e nos capacitar para recebermos os dons espirituais. A prova da nossa fé, diz respeito aos testes que somos submetidos a todo o momento com o objetivo de nos tornar mais maduros nas coisas do reino de Deus. Essas provações que vem da parte de Deus é sempre para nos tornar aptos a exercer com dignidade as virtudes que vem de cima.

MUITO MAIS PRECIOSA DO QUE O OURO. As pessoas que vivem de forma natural não têm como entenderem tal classificação feita pelo escritor desta carta. O que é a fé? Hebreus 11:1 - Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não veem. Esta fé da qual escreve Pedro é muito mais preciosa do que as riquezas matérias, muito mais valiosa do que bens matérias, muito mais preciosa do que dinheiro e poder econômico. No entendimento do cristianismo a fé que temos em Cristo vale muito mais do que tudo que há neste mundo, por isso que somos aconselhados pelo evangelho de Cristo a vivermos por esta fé, porque por meio dela é que recebemos a Cristo em nossas vidas e com isso o direito de vida eterna e salvação, coisa que o dinheiro não pode comprar.

QUE PERECE E É PROVADO PELO FOGO. O ouro é que perece e é provado pelo fogo. Quando se diz que o ouro perece é a mesma coisa que dizer, no entendimento do autor desta carta, que as coisas materiais todas perecem. Por isso que Jesus fez a seguinte pergunta? De que adianta o homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? (Marcos 8:36). A pessoa pode ser podre de rico, (hipérbole) mas quando morrer, nada do que tem em bens materiais pode levar consigo. Mas quem vive para a fé genuína no Filho de Deus, tem a maior riqueza do mundo, porque esta sua fé vai lhe ajudar a cair nos braços de Cristo, que prometeu vir buscar os fieis (João 14:3).

SE ACHE EM LOUVOR, E HONRA, E GLÓRIA. O resultado das provações e dos testes da nossa fé e colher como frutos, o louvor, a honra e a glória. Isso nos fala das heranças eternas que vamos receber, quando atravessarmos os portões da eternidade ao lado de Cristo. São os galardões reservados para os remidos em Cristo.

NA REVELAÇÃO DE JESUS CRISTO. Certamente o escritor esta se reportando ao arrebatamento da igreja de Cristo. O momento glorioso em que todos os salvos (vivos e mortos) serão transformados em corpos incorruptíveis a encontrar o Senhor nos ares. Cristo vem buscar os remidos para lhes galardoarem Apocalipse 22:12 - E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra. Este é um momento muito esperado pela igreja remida por Cristo Jesus.

1 Pedro 1:6

1 Pedro 1:6 - Em que vós grandemente vos alegrais, ainda que agora importa, sendo necessário, que estejais por um pouco contristados com várias tentações.
EM QUE VÓS GRANDEMENTE VOS ALEGRAIS. A esperança nos move em direção da vida eterna, enquanto a nosso indispensável fé, nos da à certeza de que o Senhor Jesus vêm para nos levar para si mesmo. E nesta confiança é que nos alegramos, sabendo que nada nesta vida ha com que se comparar, com o que nos espera no porvir. O cristão verdadeiro não se conforma com este mundo nem com o que nele há, porque as promessas de Deus para a vida eterna são mais preciosas do que qualquer coisa deste mundo. No início do cristianismo, os que faziam parte da igreja de Cristo eram perseguidos, presos e até mortos por fazerem parte do reino de Deus, mas nem o perigo os afastavam da esperança de salvação e vida eterna.

AINDA QUE AGORA IMPORTA. Nos dias em que estamos vivendo é muito fácil ser um seguidor de Cristo, comparando-se com os três primeiros séculos da era cristã. A igreja de Cristo nos seus começos foi terrivelmente perseguida pelos seguidores do judaísmo, pelos adeptos das falsas religiões e principalmente pelo império romano. O autor estava escrevendo na época para quem tinha que provar na prática o sofrimento por ser um seguidor do cristianismo, e suas palavras eram necessárias neste momento de angustias para a igreja de Cristo. Sua mensagem chegava perante os seus leitores como sendo uma palavra de conforto, uma vez que, a igreja do Senhor Jesus atravessava momentos de perseguições, prisões e perigos.

SENDO NECESSÁRIO. Tiago, irmão do Senhor, no início de sua epístola também abordou este mesmo tema, e até certo ponto chamou de bem-aventurados os que passam pelas tribulações da vida. O pecado universal deformou a alma do ser humano e para que haja uma purificação positiva, se faz necessário um processo doloroso para reverter à situação. Cristo fez a sua parte, mas o homem por ter posse do livre arbítrio também entra com sua parte. Neste caso, o homem precisa, e se faz necessário que ele prove momentos de contrariedades para que possa reconhecer suas limitações e aceitar que é dependente do Criador. Ninguém está livre das provações da vida.

QUE ESTEJAIS POR UM POUCO CONTRISTADOS. No caso da igreja de Cristo, o autor diz ser necessário que ela passe por provações para que não ponha sua esperança nas coisas deste mundo nem nas coisas desta vida, mas no bom resultado de servir a Cristo e ao seu reino, que são as heranças eternas. As provações que vem sobre nossas vidas, às contrariedades que temos que enfrentar e as perseguições que temos que passar fazem parte do pacote de pertencer ao reino de Deus neste mundo.

COM VÁRIAS PROVAÇÕES. Temos nas Sagradas Escrituras o exemplo de Jó, que era um homem justo e temente a Deus, mas que teve que passar por duras provações. Assim é na vida de qualquer seguidor de Cristo, ninguém está isento de passar pelas provações da vida. O próprio Senhor Jesus falou: “No mundo tereis aflições”.