Pesquisar este blog

sexta-feira, 29 de abril de 2016

1 João 2:29

1 João 2:29 - Se sabeis que ele é justo, sabeis que todo aquele que pratica a justiça é nascido dele.
SE SABEIS. O conhecimento era a gnoses dos falsos mestre das filosofias religiosas, dos gregos daquela época, que andavam rondando a comunidade cristã, com o objetivo de confundir a mente dos cristãos de pouca fé, principalmente os novos convertidos. O apóstolo questiona as convicções dos seus leitores, se eles não estavam afetados com as filosofias do engano. Quando na realidade sua esperança, era de que todos tivessem mesmo era tomados e cheios do verdadeiro conhecimento, a respeito do Cristo de Deus.

QUE ELE. O apóstolo se refere neste pronome, a pessoa bendita do Messias de Deus, ele que antes mesmo de sua manifestação já era chamado de justiça de Deus, e o Novo Testamento confirma o chamando de Nossa Justiça. Ele era o Emanuel, ou seja, Deus em sua epifania entre os homens, Deus entre os homens. O mesmo Jesus de Nazaré, que tomou a forma de homem, para por meio do seu sacrifício de amor, resgatar os homens pecadores para Deus, estabelecendo a paz, por meio da reconciliação e graça.

É JUSTO. Podemos analisar esta colocação feita pelo autor de algumas formas: No tempo da lei, o justo era todo aquele que cumpria os requisitos requeridos pela legislação judaica. Na nova dispensação da graça, o justo é aquele que aceita a Cristo como Senhor e Salvador e passa a ser justificado gratuitamente pela redenção que há em Cristo Jesus. Para o mundo, ser justo é fazer o bem a todos. Cristo é classificado de justo, porque ele cumpriu todos os requisitos dos planos, propósitos e vontades de Deus.

SABEIS QUE. Agora, o escritor fala do verdadeiro conhecimento, e não do falso conhecimento transmitido pelos enganadores mestres gnósticos, que por meio do engano filosófico da religiosidade tentavam enganar os cristãos duvidosos e de pouca fé. O verdadeiro conhecimento está contido nas profecias messiânicas proferidas pelos profetas de Deus da velha dispensação, e que foram confirmadas com a vinda do Messias de Deus, e com tudo que envolve a nova dispensação da graça, mediante as boas novas do evangelho.

TODO AQUELE QUE. O apóstolo se refere a todos aqueles que aceitaram a Cristo Jesus como Senhor e Salvador, e que tiveram o privilégio de nascer de novo para uma nova vida em Cristo Jesus, mediante a regeneração produzida pelo Espírito Santo de Deus. Estes mesmos que passaram a acreditar na mensagem do evangelho, como sendo a nova legislação de Cristo, com a proposta de um novo tempo, uma nova dispensação.

PRATICA A JUSTIÇA. Neste caso, praticar a justiça é passar a viver de acordo com a nova proposta ou plano de Deus mediante a legislação de Cristo. Praticar a justiça é exercer a fé na obra perfeita de Cristo em prol de sua igreja. Todos aqueles que vivem com Cristo e para Cristo, são envolvidos na prática da justiça, não humana, mas sim de Deus em Cristo Jesus.

É NASCIDO DELE. Este nascimento sobre o qual se refere o autor, não diz respeito ao nascimento conforme a vontade dos homens, mas sim, o novo nascimento, ou nascimento de cima. Este nascimento em Cristo começa com um verdadeiro arrependimento, passando pela transformação de vida e pela regeneração espiritual. E isso é obra do Espírito de Deus.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

1 João 2:28

1 João 2: 28 E agora, filhinhos, permanecei nele; para que, quando ele se manifestar, tenhamos confiança, e não sejamos confundidos por ele na sua vinda.
E AGORA, FILHINHOS. O autor demonstra sua preocupação com a permanência dos servos de Cristo nos caminhos do evangelho, isso porque o tempo era de muitas perseguições, até porque o período da igreja primitiva foi á época mais difícil para alguém confessar o nome de Cristo como Senhor e Salvador. Este tratamento carinhoso e fraternal pelo qual se dirige aos seus leitores, João comprova mais uma vez que era o apóstolo mais amoroso de todos, é tanto que ele é conhecido como o apóstolo do amor.

PERMANECEI NELE. Assim como muitas pessoas estavam a todo o momento entregando suas vidas aos cuidados de Cristo, ao contrário disto, outros tantos estavam percorrendo o caminho inverso, negando sua fé e se desviando do evangelho. O conselho do apóstolo foi de que, os seus leitores não deixassem os caminhos do Senhor, mas que permanecessem em Cristo. E permanecer em Cristo é além de aceitá-lo como Senhor e Salvador, continuar seguindo as regras estabelecidas pelas boas novas do evangelho.

PARA QUE, QUANDO ELE. Os conselhos de João nesta carta e nos seus demais escritos do Novo Testamento, não eram algo vago ou sem finalidades e objetivos, pelo contrário, seus ensinos direcionam os seus leitores a focarem seus corações e almas na salvação e vida eterna, o que para todos seria confirmada na vinda de Cristo para buscar a sua igreja. O pronome “ele” se refere a Cristo Jesus, ele que prometeu voltar para levar os seus para si mesmo, o que a igreja primitiva esperava que, a qualquer momento acontecesse.

SE MANIFESTAR. Um pouco antes, João escreveu sobre a manifestação do anticristo na terra, que se dará justamente com a saída da igreja deste planeta, para ir morar nas mansões celestiais, em que este opositor de Cristo reinará sobre a terra durante sete anos, mas que por fim será desmascarado pelo Senhor Jesus. Todavia, agora, por meio desta frase, o apóstolo se reporta a manifestação de Jesus Cristo para arrebatar a sua igreja, que ele remiu com o seu sacrifício de amor, porque ele é o Cordeiro de Deus.

TENHAMOS CONFIANÇA. Muitos dos que neste momento da igreja primitiva estavam sendo usados pelas trevas e pelo mau para fazerem oposição ao cristianismo e a igreja do Senhor Jesus, um pouco antes eram aqueles que se diziam também cristãos, mas que apostataram da fé. No entanto, os leitores de João estavam firmes na fé, cheios de confiança que seriam salvos pelo arrebatamento, porque esta era a grande esperança.

E NÃO SEJAMOS CONFUNDIDOS POR ELE. Ser confundido neste caso é não ser digno de participar do arrebatamento da igreja, assim como aqueles que apostataram da sua fé, já não tinham mais confiança nem esperança de que seriam participantes do arrebatamento. A volta de Cristo para buscar a sua igreja, e levar para si os seus remidos, funciona como um tipo de julgamento ou tribunal de salvação ou reprovação.

NA SUA VINDA. A igreja primitiva vivia sob a expectativa da volta eminente do seu Cristo, para efetuar o arrebatamento. O próprio Senhor Jesus prometeu aos seus discípulos de que voltaria para levar para si mesmo os seus seguidores e remidos.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

1 João 2:27.

1 João 2: 27 E a unção que vós recebestes dele, fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como ela vos ensinou, assim nele permanecereis.
E A UNÇÃO QUE VÓS RECEBESTES DELE. Esta unção, da qual se refere o apóstolo, diz respeito ao batismo espiritual, com o poder e a presença majestosa do Espírito Santo na vida dos que nasceram de cima, para uma nova vida em Cristo Jesus. Os leitores de João já haviam recebido a influencia convencedora do Espírito de Deus em suas vidas, como algo muito mais especial do que os falsos ensinos transmitidos pelos opositores do evangelho. Cristo prometeu enviar o Consolador amado, e assim ele fez com sua igreja.

FICA EM VÓS. Quando o Espírito Santo é derramado sobre a vida de uma nova criatura em Cristo Jesus, ele passa a habitar dentro do remido como se fosse sua casa ou habitação permanente, e sua presença é que produz firmeza e convicção na fé. Essa presença marcante do Paráclito Divino é que põe um divisor de águas entre a vida velha e o novo estilo de vida daqueles que buscam o reino dos céus e as coisas que são de cima. Cristo Jesus, como Rei dos reis e Senhor de tal vida, toma posse pelo Espírito de Deus.

E NÃO TENDES NECESSIDADE DE QUE ALGUÉM VOS ENSINE. De forma frenética, os inimigos do evangelho percorriam todas as partes, aonde o cristianismo já havia chegado, na tentativa de inverter a situação, procurando confundir a mente dos servos de Deus, de que Jesus não era o Messias prometido por Deus. Todavia, o Espírito de Deus era mais forte do que os falsos ensinos das heresias pagãs, ele já havia convencido aos discípulos de Cristo, de que o evangelho das boas novas é a verdade última de Deus.

MAS COMO A SUA UNÇÃO VOS ENSINA TODAS AS COISAS. Todos os profetas de Deus, o próprio Senhor Jesus, e agora, os líderes do cristianismo, foram todos usados pelo Espírito Santo para transmitirem a palavra de Deus. O Espírito do Senhor é na realidade o grande professor dos ensinos divino, e como tal, ele busca implantar na alma dos convertidos e regenerados pelo poder do evangelho, a vontade de Deus, de conformidade com os seus planos. O Espírito Santo transmite a unção e o poder de Deus para a igreja de Cristo.

E É VERDADEIRA, E NÃO É MENTIROSA. O evangelho nos ensina de que o Espírito de Deus é quem nos guia, e a direção que ele dá ao servo de Cristo é que se faça em tudo a vontade do Pai. Essa direção do Espírito Santo é diferente dos ensinos mentirosos dos judaizantes dos falsos mestres gnósticos e das heresias transmitidas pelos líderes das religiões pagas. Esta verdade da unção recebida é a luz divina, que resgada das trevas.

COMO ELA VOS ENSINOU. Cristo quando estava com seus discípulos, ele próprio cuidava em ensinar o evangelho aos seus seguidores. E quando ele subiu ao céu, enviou o Espírito de Deus para dar continuidade a sua obra na vida dos que passaram a fazer parte de sua igreja remida. Portanto desde o pentecostes que ele guiava a igreja de Cristo.

ASSIM NELE PERMANECEREIS. O papel do Espírito Santo na existência da igreja de Cristo é indispensável, até porque é ele quem está preparando a igreja para o dia glorioso do arrebatamento. A igreja de Cristo só sobreviveu, porque contava com sua presença.

1 João 2:25-26

1 João 2:25-26 - E esta é a promessa que ele nos fez: a vida eterna. Estas coisas vos escrevi acerca dos que vos enganam.
E ESTA É A PROMESSA. O criador de todas as coisas, na sua infinita sabedoria trabalha de forma organizada, e nada do que acontece, sejam coisas importantes ou aparentemente insignificantes, foge do seu controle. A palavra do Senhor garante que, o Senhor não fará nada, sem que antes revele os seus mistérios aos seus servos. Desta forma, ele faz primeiro a sua promessa, e como ele é fiel naquilo que diz, ele mesmo cuida de cumprir o prometido, no seu tempo, para demonstrar a sua perfeita fidelidade.

QUE ELE. Este pronome, tanto cabe a Deus Pai, quanto a Deus Filho, porque aquilo que o Velho Testamento diz a respeito do Deus de Israel, o Novo Testamento confirma sobre o Filho de Deus, Jesus Cristo. As profecias escatológicas que o Deus de Jacó falou por meio dos seus profetas, elas se cumpriram ou hão de se cumprirem no cronograma das realizações de Deus. E o Senhor fez a sua epifania, por meio de seu Filho Jesus, que era o Verbo de Deus, para por meio do seu evangelho falar aos homens sobre suas promessas.

NOS FEZ. Conforme deixou registrado o escritor aos (Hebreus 1:1), Deus falou de muitas maneiras aos pais pelos profetas, mas a nós, falou nestes últimos dias, pelo seu próprio Filho. A vida e manifestação do Messias de Deus, como sendo o Emanuel, ou Seja, Deus entre os homens tinham causas e objetivos bem definidos. A grande maioria dos seres humanos nascem, crescem e morrem, mas nem descobrem o que vieram fazer neste mundo. No entanto, o Filho de Deus, Jesus de Nazaré, não veio ao mundo por um acaso.

A VIDA ETERNA. O escritor nos revela nesta frase o importantíssimo alvo, já alcançado por Deus, mediante seu Filho Jesus, quando ele projetou, a redenção da igreja, realizada pelo Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Deus fez esta promessa e Cristo veio realizar a redenção, por meio do seu sacrifício de amor, o que o evangelho chama de expiação e propiciação, que culminou na reconciliação, que resultou na vida eterna.

ESTAS COISAS. Certamente, o apóstolo João se refere aos vários temas que ele vem abordando nesta sua carta, como indicativo de que ele quer e deseja a firmeza dos seguidores de Cristo no evangelho das boas novas. Bem como, o foco em destaque, conforme o resto deste texto era para alertar os servos de Cristo a que ficassem atentos sobre os opositores do cristianismo, que tudo estavam fazendo para prejudicar a igreja.

VOS ESCREVI. É consenso de que o autor se refere ao conteúdo desta sua missiva, que em seus vários temas e lemas, tem como objetivo alertar os seguidores de Cristo e principalmente os líderes da igreja, sobre os perigos das heresias nas igrejas.

ACERCA DOS QUE VOS ENGANAM. Não há dúvida que o escritor se refere aos judaizantes, os falsos mestres gnósticos, e os falsos líderes do próprio cristianismo, que estavam todos infiltrados no meio da comunidade cristã, justamente para prejudicar o crescimento e expansão do cristianismo no mundo, como de fato estava acontecendo.

1 João 2:24

1 João 2:24 - Portanto, o que desde o princípio ouvistes permaneça em vós. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também permanecereis no Filho e no Pai.
PORTANTO, O QUE DESDE O PRINCÍPIO. O apóstolo não se refere aos escritos ou as tradições religiosas dos judeus, porque geralmente, quando os escritores do Novo Testamento se reportam aos escritos do judaísmo, eles as chamam de Escrituras. Mas, João se dirige as pregações e ensinos transmitidos por ele próprio bem como pelos demais apóstolos do Senhor, como também as demais lideranças do cristianismo primitivo, todos que receberam a incumbência de Cristo de pregarem o evangelho.

OUVISTES. De um lado, podemos dizer que tudo começou com João Batista e com o Cristo de Deus, depois, os apóstolos abraçaram a missão de evangelizar, cumprindo assim o ide imperativo de Cristo, e por fim, neste mesmo tempo, o Espírito Santo já havia comissionado milhares de missionários e pregadores itinerantes para semearem as boas novas do evangelho de Cristo. Do outro lado, como ouvintes, estavam os leitores de João, e todos os sedentos para ouvirem a palavra de Deus.

PERMANEÇA EM VÓS. Percebe-se o intuito conservador do apóstolo, no sentido de que seus leitores permanecessem firmes nos ensinos até então transmitidos pelos mensageiros do evangelho. Neste mesmo período, os judaizantes semeavam suas metáforas artificiais, na tentativa de confundir a mente dos novos dos cristãos duvidosos, buscando contrariar de que Jesus, não era o Messias prometido. Como também os falsos mestres gnósticos procuravam dizer que Jesus não era o Cristo.

SE EM VÓS PERMANECER. João, assim como as lideranças do cristianismo primitivo, não agiam de forma autoritária sobre os seguidores do evangelho, mas sim, de maneira democrática, por isso que ele fala de forma condicional. É como se o escritor lhes dissesse: Tudo depende da boa vontade e disposição de vocês para continuarem dando crédito ao que já ouviram a respeito de Jesus, o Cristo. O evangelho não é impositivo como a legislação de Moisés, mas o evangelho é democrático e optativo.

O QUE DESDE O PRINCÍPIO OUVISTES. O autor repete a mesma frase que já havia citado anteriormente para descrever as ações dos líderes cristãos em anunciarem as boas novas do evangelho em todas as partes do mundo civilizado de sua época. E os leitores de João eram discípulos de Cristo por terem sidos alcançados pela mensagem de salvação, transmitidas pelos pregadores itinerantes e missionários.

TAMBÉM PERMANECERÁ NO PAI. Apesar de os judaizantes estarem em atividades frenéticas na tentativa de dividir a opinião dos novos convertidos e mais fracos na fé. Bem como os falsos mestres gnósticos se utilizarem das suas mais diversas fórmulas filosóficas para confundir os cristãos, eles que precisavam se firmar em suas convicções e fé em Deus. Firmeza é a palavra de ordem para permanecer no Pai.

E NO FILHO. Todos aqueles que aceitam a Cristo Jesus como Senhor e Salvador passam a fazer parte do corpo de Cristo, que é a sua igreja amada e remida. Estar no Filho de Deus é ser seu discípulo e seguidor para o resto da existência, na terra e no céu.

segunda-feira, 25 de abril de 2016

1 João 2:22-23

1 João 2:22-23 - Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? É o anticristo esse mesmo que nega o Pai e o Filho. Qualquer que nega o Filho, também não tem o Pai; mas aquele que confessa o Filho, tem também o Pai.
QUEM É O MENTIROSO? É consenso de que o autor se refere ao anticristo, o mesmo que será a encarnação do diabo, assim como Jesus de Nazaré, foi á encarnação do Messias, Emanuel, o Verbo de Deus, o Cristo de Deus, o Filho de Deus. Quando se classifica o anticristo de mentiroso, é porque a forma com que ele vai exercer seu controle total sobre a terra, tem como base o engano e a mentira. Inclusive, já na metade de seu governo, ele se assentará no templo de Deus, se dizendo ser o cristo.

SENÃO AQUELE QUE NEGA. Desde o nascimento do Jesus na terra, que este se tornou o lema principal do império das trevas, contra o reino da luz, que é a negação de quem realmente era Jesus de Nazaré. Ele era o Messias, o Emanuel, o Cristo de Deus, porem, os judeus não o aceitaram como tal, até que o mataram. Durante o governo do anticristo, o inimigo fará de tudo para tentar desvincular a pessoa bendita de Jesus, ao mesmo Messias e Emanuel de Deus, prometido nas Escrituras desde os primórdios.

QUE JESUS É O CRISTO. Jesus é o nome próprio do Filho de Deus, também conhecido como Jesus de Nazaré, que se tornou o nome mais poderoso do mundo. Mas, quando se fala do nome “Cristo” tanto está se referindo ao próprio Jesus, como também está se referindo ao Messias e ao Emanuel de Deus com a sua missão perfeita e importante de redenção da humanidade. Negar que Jesus é o Cristo, é negar tudo que o evangelho ensina sobre os efeitos da obra de reconciliação, expiação e propiciação com Deus.

É O ANTICRISTO, ESSE MESMO QUE NEGA O PAI E O FILHO. Como um dos objetivos principais do anticristo em sua encarnação é tentar assumir o lugar do Messias para com os judeus, assim como lúcifer tentou tomar o lugar de Deus na eternidade passada. O anticristo vai por meio da mentira, tentar enganar o mundo e os judeus de que ele é o Messias prometido. O evangelho declara que, quem nega o Filho, Jesus Cristo, também nega o Pai, que o enviou. O anticristo quer assumir o lugar de Cristo.

QUALQUER QUE NEGA O FILHO. O escritor se refere a todos aqueles que de alguma forma negam de que Jesus, o Filho de Deus, é o Messias, o Emanuel, o Cristo. Os primeiros opositores contra a verdade de que Jesus é o Messias foram os judeus, bem como, os gnósticos, os líderes das seitas heréticas do paganismo e o Estado romano. E de forma maléfica, nos fins dos tempos, o anticristo, que surgirá.

TAMBÉM NÃO TEM O PAI. Estes mesmos citados no texto anterior que negam Jesus, o Filho de Deus, como sendo o Messias das profecias do Velho Testamento, que se cumpriram no Novo Testamento. Os judeus, os gnósticos, os pagãos, o Estado romano e principalmente o anticristo, também negam ao Pai, que enviou o seu Cristo.

MAS QUEM CONFESSA O FILHO, TEM TAMBÉM O PAI. O mesmo autor escreveu sobre este tema, dizendo o seguinte: Mas, a todos quanto o receberam (Jesus) tem o direito de se fazerem filhos de Deus, os que creem em seu nome (João 1:12). Os que confessam a Jesus Cristo são todos aqueles que o aceitam como Senhor e Salvador.

1 João 2:20-21

1 João 2:20-21 - E vós tendes a unção do Santo, e sabeis tudo. Não vos escrevi porque não soubésseis a verdade, mas porque a sabeis, e porque nenhuma mentira vem da verdade.
E VÓS TENDE A UNÇÃO DO SANTO. O “vós” é enfático, apontando de que os leitores de João eram aqueles que estavam firmes nos caminhos do evangelho e nas doutrinas cristãs. A igreja conta com a direção do Espírito Santo e a força dele para confirmar o cristianismo na terra, como sendo a continuidade da redenção de Cristo para a igreja. Esta unção sobre a qual o apóstolo se refere diz respeito à presença do Espírito Santo na vida dos servos de Cristo, que os tornavam fortes e vencedores.

E SABEIS TUDO. Ataques repetitivos eram feitos contra a igreja de Cristo em todas as regiões do mundo, onde o evangelho confirmava os efeitos da redenção realizada por Cristo, com milhares se convertendo ao cristianismo. Mesmo assim, os verdadeiros seguidores do reino de Deus, mesmo sendo perseguidos, maltratados, e oprimidos, não abriam mão da fé, isso porque eles sabiam das verdades das boas novas do evangelho e que estavam diante da nova dispensação da graça de Deus.

NÃO VOS ESCREVI PORQUE. Essa frase não é uma negação, mas a confirmação de que o apóstolo escreveu para certificar a firmeza dos seus leitores, em seguirem as regras da nova dispensação. Os líderes da igreja primitiva trabalharam com todo entusiasmo e dedicação para espalhar as boas novas do evangelho, de forma que, neste tempo, Cristo já era conhecido em todas as partes do mundo civilizado daquela época. Os escritos do Novo Testamento se espalhavam rapidamente.

NÃO SOUBÉSSEIS A VERDADE. Esta “verdade” sobre a qual João se refere diz respeito a tudo que envolve a nova dispensação da graça de Deus, em que por meio de Cristo e de sua obra de redenção, o Criador estabelece uma nova ordem espiritual, fechando questão no resgate da igreja, como sendo o novo povo de Deus. Esta carta foi escrita para documentar mais ensinos sobre o evangelho, mas que por meio de pregações os líderes da igreja primitiva já haviam espalhado estas verdades, por todos os recantos.

MAS PORQUE A SABEIS. Os leitores de João estavam por dentro de todas as regras estabelecidas por Deus, na nova dispensação da graça, expostas pelo evangelho das boas novas de Cristo. Os líderes da igreja primitiva tiveram o cuidado de cumprirem com responsabilidade e empenho, o ide imperativo de Cristo Jesus, e com isso buscaram levar as boas novas do reino de Cristo em todos os lugares da terra.

E PORQUE NENHUMA MENTIRA. A mentira sobre a qual escreve o apóstolo diz respeito ás fábulas artificiais pregadas pelos judaizantes, tentando negarem de que Jesus era o Messias. Bem como os falsos ensinos dos mestres gnósticos que buscavam negar a encarnação do Verbo de Deus. Além das heresias pagãs, que os líderes das seitas heréticas pregavam tentando distorcer as verdades do evangelho.

VEM DA VERDADE. O escritor faz um ataque direto, em refutar categoricamente as fábulas judaicas, os falsos ensinos gnósticos, e as heresias das seitas pagãs, ao afirmar que tais mentiras não procedem do evangelho da verdade, que fala de Cristo.

1 João 2:19

1 João 2:19 - Saíram de nós, mas não eram de nós; porque, se fossem de nós, ficariam conosco; mas isto é para que se manifestasse que não são todos de nós.
SAÍRAM DE NÓS. O apóstolo fala de casos recorrentes de apostasia, por parte daqueles que no momento eram opositores da igreja de Cristo, isso porque negaram a mesma fé, que outrora defendiam, com isso aprendemos que desde os começos do cristianismo, pessoas se desviam do evangelho, apostatando de sua fé. Estes mesmos, que passaram a se posicionarem contra o cristianismo, em algum tempo atrás faziam parte da comunidade cristã, mas não da verdadeira igreja espiritual de Cristo Jesus.

MAS NÃO ERAM DE NÓS. Os judaizantes, bem como os farsantes do gnosticismo, como também os líderes das demais religiões pagãs, buscavam infiltrar no meio da comunidade cristã seus agentes, na tentativa de dividir e enfraquecer o cristianismo. Estes mesmos que agora andavam blasfemando de Cristo e acusando e perseguindo os seguidores do reino de Cristo, não faziam parte do rebanho do Senhor, quando se misturaram aos cristão, no íntimo, já haviam as intenções distorcidas de suas metas.

PORQUE SE FOSSE DE NÓS. João e os demais líderes da igreja primitiva, pela experiência que tinham, sabiam quem de fato eram verdadeiramente convertidos á religião do Senhor Jesus. Mas, eles não podiam tirar tais pessoas de dentro da comunidade cristã, porque Jesus havia dito para eles que, não arrancassem o joio, para que assim procedendo, não viessem também a atingir e prejudicar o trigo. Somente Deus é que no momento certo, separar os bodes das ovelhas de Cristo.

FICARIAM CONOSCO. Se estes mesmos que se desviaram dos caminhos do evangelho, fossem de fato convertidos pelo poder da palavra de Deus, e regenerados pela influência transformadora do Espírito de Deus, continuariam junto ao rebanho de Cristo. Quem passa anos servindo a Cristo, sabe que a vida cristã não é nada fácil, porem, mesmo tendo que renunciar quase tudo que há disponível neste plano terreno da vida, vale a pena continuar servindo a Cristo Jesus, nosso Senhor e Salvador.

MAS ISSO É PARA QUE. O apóstolo põe um divisor de águas, entre os que realmente são verdadeiros seguidores do evangelho da verdade, e os que já haviam apostatado da fé, se declarando opositores do cristianismo. Neste momento para a igreja de Cristo era fato de que precisava se fazer separação entre os bodes e as ovelhas, com o destaque dos verdadeiros líderes cristãos, e a exclusão dos hereges e enganadores.

SE MANIFESTE. O escritor chama a responsabilidade do caráter individual de cada um dos seus leitores para se declararem quem é de fato, servos de Cristo ou instrumento do império das trevas, ao se posicionarem contra o crescimento da igreja e o desenvolvimento do cristianismo na terra. Ao mesmo tempo o escritor alerta para a identificação de partidarismo e divisão em que precisam ser contornados.

QUE NÃO SÃO TODOS DE NÓS. Simplesmente pelo fato de alguém frequentar a comunidade cristã, não significava que alguém tinha o direito de confessar de que era seguidor do evangelho. Fato é que sempre existiu e sempre existirá os chamados falsos cristãos. Cristo falou sobre Joio e trigo, e sobre bodes e ovelhas.

1 João 2:18

1 João 2:18 - Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos, por onde conhecemos que é já a última hora.
FILHINHOS, É JÁ A ÚLTIMA HORA. João é conhecido como o apóstolo do amor e a tradição cristã confirma, que dentro de todo o grupo, ele se destacava como sendo o mais amoroso de todos eles, além da confirmação de seus escritos, por isso que ele trata seus leitores de filhinhos. Esta frase confirma também em direção de uma mensagem escatológica, alertando aos seguidores de Cristo sobre os últimos fatos que estavam ocorrendo, como provas de que estavam vivendo os últimos dias.

E, COMO OUVISTES. O fato do escritor se reportar “a última hora”, isso fala sobre a brevidade dos acontecimentos previstos pelas profecias escatológicas, em que os preparativos para a manifestação do grande inimigo de Cristo e do povo de Deus, já anunciam a chegada do governo do anticristo. Jesus deixou previsto, os sinais que anunciavam este tempo do fim, bem como os líderes da igreja primitiva, e os leitores de João eram conhecedores destes fatos, por já terem ouvido sobre tal realidade.

QUE VEM O ANTICRISTO. A manifestação do governo do anticristo é fato que vai acontecer no tempo previsto por Cristo, pelos líderes da igreja primitiva e pelo evangelho. Antes porem, da manifestação deste iníquo, Cristo voltará para buscar a sua igreja, que ele comprou com o seu sacrifício expiatório. Com a saída da igreja da terra, bem como também do Espírito Santo em sua plenitude, ai sim, este mundo estará com um ambiente propício para receber o anticristo, que reinará sete anos.

TAMBÉM AGORA MUITOS. O autor esta se referindo aqueles que estavam sendo usados pelo espírito do anticristo, que é o diabo com os seus demônios, que estavam em ação para preparar o terreno para o aparecimento do grande inimigo de Cristo. Certamente, João se reporta aos judaizantes que perseguiam a igreja, os falsos mestres gnósticos, os líderes das seitas heréticas do paganismo, e acima de tudo ao império romano. Na época, eram estes elementos que estavam a serviço das trevas.

SE TEM FEITO O ANTICRISTO. Um dos aspectos da manifestação do anticristo é justamente para guerrear contra Cristo e tudo que ele representa para sua igreja remida. Assim como, aqueles que se faziam de anticristos, na época em que esta carta foi escrita, eles todos lutavam para apagar o nome de Cristo da vida dos seus seguidores. Mataram o Cristo de Deus, e procuravam acabar com o cristianismo.

POR ONDE CONHECEMOS QUE É JÁ. Os escritores do Novo Testamento não tinham noção do hiato de tempo, que haveria entre a ascensão de Cristo e sua volta para arrebatar a sua igreja. De forma que os acontecimentos que circundavam a igreja de Cristo do primeiro século eram sinais de que eles estavam vivendo as últimas horas que prenunciavam a volta de Cristo e depois a manifestação do anticristo.

A ÚLTIMA HORA. O fato é que, para João e para os demais escritores do Novo Testamento, os levantes que estavam acontecendo contra o cristianismo, com perseguições, prisões e morte dos seguidores do Senhor Jesus, serviam de avisos.

1 João 2:17

1 João 2: 17 E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.
E O MUNDO. Tudo que há no mundo, desde o material orgânica mais resistente até o mais frágil há de passar, porque deixará de existir um dia, por tudo que há de suceder com os fatos escatológico já previsto pelas profecias. Jesus falou que neste mundo, não ficará “pedra sobre pedra” que não seja destruído, e certamente é a mesma linguagem que João usa neste ponto de sua carta, para explicar aos seus leitores, que tudo que há no planeta terra é transitório, passageiro e temporal.

PASSA. Até mesmo aqueles que chegaram a ler esta missiva do apóstolo, e que eram verdadeiramente convertidos ao cristianismo, estavam de passagem por essa terra, até porque, os filhos de Deus, diz o evangelho das boas novas, são peregrinos e forasteiros na terra. Como também, as tribulações, as aflições e perseguições impetradas pelos inimigos do evangelho contra a igreja de Cristo, era algo passageiro, porque quando Cristo voltasse tudo isso seria efetivamente coisa do passado.

E AS SUA CONCUPISCÊNCIAS. No versículo anterior o autor escreve justamente sobre tais concupiscências, que são prejudiciais a boa comunhão com o Pai, ao mesmo tempo em que aconselha aos seus leitores a não darem lugar a estas atitudes e sentimentos desta vida. Todos os desejos carnais e os atrativos que o mundo mostra aos servos de Cristo são coisas desta esfera de vida, quando os remidos saírem deste mundo pela posse da salvação, nada disso vai prevalecer na vida eterna em Cristo.

MAS AQUELE. No entanto, porem, todavia, há uma mudança de status para os que assumem compromisso de fidelidade com o reino de Deus, e que só pensam nas coisas que são de cima. O escritor se refere aqueles que renunciam as coisas que há no mundo para viverem uma vida diferente, com um estilo de vida que em tudo magnifique o nome de Cristo Jesus. Os que nasceram de novo e que são novas criaturas em Cristo Jesus, já não fazem mais o seu próprio querer, mas sim o de Deus.

QUE FAZ A VONTADE. Os que vivem conforme as concupiscências da carne, dos olhos, e a soberba da vida, bem como todos aqueles que amam ao mundo e tudo que nele há, andam na contramão dos desígnios para os quais foram criados. Mas, aquele que deseja herdar a salvação e tomar posse da vida eterna, em tudo, procura fazer a vontade do Pai, cumprindo assim seus planos, que são os melhores para todos.

DE DEUS. De acordo com o pensamento geral do Novo Testamento, este Deus sobre o qual o autor se reporta, diz respeito ao Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Porque tudo que o Velho Testamento fala sobre o Deus de Israel, no Novo Testamento, pode ser atribuído ao Deus filho e Deus Espírito Santo. Até porque, o estudo criterioso do Velho Testamento já revelava essa relação da Trindade Divina.

PERMANECE PARA SEMPRE. É aceito o conceito de que Deus é eterno. Porem, pouco se discute sobre a eternidade futura dos homens, quando na verdade, o evangelho defende que, o ser humano é eterno em sua dimensão espiritual. E essa frase nos fala sobre a vida eterna dos remidos de Cristo, o que o evangelho chama de salvação.

quarta-feira, 20 de abril de 2016

1 João 2:16

1 João 2:16 - Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo.
PORQUE TUDO. O mundo exerce uma força contrária a que o ser humano venha a servir e amar a Deus de forma digna e como convêm. Quando se fala que tudo que há no mundo, o autor se refere a todos os mecanismos terrenos e matérias que exercem forças negativas, quanto ao plano de Deus para a humanidade. O cristão verdadeiro vive nesta dimensão de sua existência, mas, com a consciência de que não é do mundo, a terra é apenas uma morada transitória, a nossa cidade é a Nova Jerusalém.

QUE HÁ NO MUNDO. “Tudo que há no mundo”. Nas frases seguintes, João cita algumas das coisas do mundo que não vem de Deus, porque são coisas do mundo, mas, quando olhamos para essas duas primeiras frases, chegamos a conclusão que o seguidor de Cristo tem que lutar com todas as suas forças para vencer todos os dias tudo que há no mundo. O mundo é o sistema terreno e materialista, que segundo o evangelho, jaz no maligno, isso porque o império das trevas exerce influencia na terra.

A CONCUPISCÊNCIA DA CARNE. O apóstolo Paulo escrevendo aos Gálatas, ele fala sobre as obras da carne, como sendo todas contrárias a vontade de Deus, e muito mais, ele afirma claramente que os praticantes das obras da carne, não herdarão o reino de Deus. Neste ponto de sua missiva, João fala em “concupiscência da carne”, representando todos os desejos mais promíscuos da carnalidade humana, com os vícios mais degradantes que o ser humano pode desenvolver, por meio dos sentidos.

A CONCUPISCÊNCIA DOS OLHOS. Um dos sentidos da estrutura humana, que efetivamente pode levar o ser humano a desejar tudo que no mundo há é justamente o da visão, porque com os olhos, o homem pode ver quantas coisas lindas e atrativas este mundo tem. O Velho Testamento conta a história de um grande servo de Deus, o rei Davi, homem segundo o coração de Deus, que cometeu vários pecados por conta de ter visto com os olhos, o que não devia, e com isso praticou o que não poderia.

E A SOBERBA DA VIDA. Agora, o autor escreve sobre sentimentos negativos, que mais distancia o ser humano do seu Criador. Quando se fala sobre a soberba da vida, está se falando sobre o orgulho do homem no seu mais alto nível de prepotência e arrogância. Os ímpios, os incrédulos e os ateus, que estão no mesmo nível comportamental, agem com indiferença para com Deus, por conta da soberba da vida e do orgulho.

NÃO É DO PAI. As concupiscências da carne, que sãos os desejos ilícitos do homem natural, as concupiscências dos olhos, que é o sentido que dispõe sobre os atrativos que há no mundo, e a soberba da vida, que é a prepotência, a arrogância e o orgulho humano, não procede da parte de Deus, nem é fruto do Espírito Santo. Todas estas coisas são negativas, e só contribuem para afastar o homem da comunhão com Deus.

MAS DO MUNDO. Quando uma pessoa assume seu compromisso de fidelidade com o reino de Deus, porque aceitou a Cristo como Senhor e Salvador, tal pessoa precisa romper com o mundo e tudo que nele há. Este mundo a que o escritor se refere, diz respeito ao sistema terreno e materialista, que aprisiona o homem ao pecado.

1 João 2:15

1 João 2:15 - Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.
NÃO AMEIS. Nestes próximos três versículos que temos a nossa frente, o autor aborda temas importantíssimos que fazem a diferença entre os que verdadeiramente são convertidos e os que estão na igreja apenas como religiosos, mas que ainda, não assumiram um compromisso real de fidelidade com o evangelho da libertação. Assim como no tempo da lei, a nova dispensação requer dos seguidores do cristianismo posições coerentes com as doutrinas defendidas pelo evangelho da verdade.

O MUNDO. Quando o apóstolo recomenda que os seus leitores não podem nem devem amar o mundo, é a mesmo coisa que ele dizer que, todo aquele que se convertem dos seus maus caminhos, tem que mudar de vida e de direção na sua caminhada. O próprio Senhor Jesus, ensinou de que, ninguém tem como servir a dois senhores, porque ou há de aborrecer a um e amar ou outro, ou vice-versa. Quem ama o mundo, por meio de suas atitude e práticas, termina aborrecendo a Deus.

NEM O QUE. O que se espera de quem de fato aceitou a Cristo Jesus como Senhor e Salvador é que este ande em novidade de vida, buscando o reino de Deus em primeiro lugar e as coisas que são de cima. Se converter ao verdadeiro cristianismo é ter sua vida guiada pelas crenças estabelecidas nos termos da nova aliança de Deus com a igreja de Cristo. Desta forma, o seguidor de Cristo, não faz mais a sua própria vontade, nem é dominado pelas forças terrenas, mas sim, pela vontade soberana de Deus.

NO MUNDO HÁ. Estas coisas que no mundo há, e que não devem ser o objeto do amor dos servos de Cristo são justamente, aquelas coisas que prejudicam a comunhão entre o seguidor do evangelho e o seu Deus. Renúncia é a palavra certa para estabelecer o padrão ideal na vida de quem rompe com o mundanismo para buscar as coisas de Deus. E santidade é o termo que deve prevalecer nos pensamentos, nas palavras e nas práticas daqueles que buscam agradar ao Criador. No mundo há muitas coisas ruins.

SE ALGUÉM AMA O MUNDO. O escritor usa o “se” de forma condicional, porque ele certamente ver que existem alguns dos seus leitores que talvez exercesse sua fé de maneira dúbia, quando na verdade, o evangelho diz que, o justo viverá da sua fé, e esta fé é representada pela certeza, convicção e confiança. Ninguém tem como dizer que serve a Cristo, mas, ao mesmo tempo ama as coisas deste mundo enganador.

O AMOR DO PAI. Este amor do Pai só esta derramado na vida de alguém, quando este alguém rompe com o mundanismo, e faz uma aliança de amar também ao Pai acima de qualquer coisa. Este amor do Pai é a sua bondade infinita para com a igreja de Cristo e sua misericórdia que está disponível para o pecador. Além do mais, este amor do Pai foi manifesto aos homens, quando o Senhor enviou o seu Filho Jesus, o Cristo.

NÃO ESTÁ NELE. A prova substancial, dentro deste texto, de que o amor de Deus está sobre a vida de uma pessoa, é quando essa mesma pessoa renuncia as coisas que o mundo oferece, para ser uma nova criatura em Cristo Jesus, buscando o reino dos céus e as coisas que são de cima. Se alguém não renuncia o mundo é apenas um religioso.

1 João 2:14

1 João 2:14 - Eu vos escrevi, pais, porque já conhecestes aquele que é desde o princípio. Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno.
EU VOS ESCREVI, PAIS. Alguns comentaristas do Novo Testamento afirmam que, João estava nesta frase, se dirigindo diretamente aos demais apóstolos de Cristo, seus companheiros de ministério. Enquanto outros, dizem que ele estava escrevendo para os chefes de família que haviam se convertido ao cristianismo. E conforme escrevemos em comentário de texto anterior, pode-se também dizer que ele estava escrevendo para os cristãos mais experientes, que já havia passado pelas provações da fé.

PORQUE JÁ CONHECESTES. Esta frase ajuda aqueles que pensam de que João se refere mesmo é aos apóstolos, seus companheiros de ministério, porque eles tiveram o privilégio de conhecerem a pessoa do Filho de Deus, Jesus Cristo. Mas, não podemos deixar de conjecturar que o escritor se refira ao conhecimento de Cristo pela mensagem do evangelho das boas novas, que nesta época, se espalhava rapidamente por todo o mundo civilizado, isso porque todos pregavam conforme Jesus mandou.

AQUELE QUE É DESDE O PRINCÍPIO. “Aquele” diz respeito ao Senhor Jesus, que é eterno, e que também é o Messias de Deus, prometido desde o princípio de todas as coisas, ele que seria o enviado de Deus e seu legítimo representante entre os homens, porque seria o Emanuel, ou seja, Deus entre os homens. E quando fala sobre que o Filho de Deus “é desde o princípio” é porque o Cristo de Deus, sempre esteve com o Pai, por isso que ele é chamado de princípio e de alfa, porque ele é Deus.

EU VOS ESCREVI, JOVENS. Podemos e precisamos analisar esta frase sob vários ângulos, entre eles, o fato de que o apóstolo pode estar se referindo aos menos experientes no caminhado do evangelho da verdade. Como também, pode ser fato, de que o autor esteja realmente se dirigindo aos cristãos de menos idade, fato é que a palavra de Deus tem ensinos para todas as faixas etárias de idade. Seja como for, João está escrevendo para estes leitores, porque ele desejava os instruir em verdade.

PORQUE SOIS FORTES. O apóstolo procura transmitir uma mensagem de motivação, seja aos novos convertidos ao cristianismo ou aos de menos idade, dos que faziam parte da igreja de Cristo. Muitas pessoas quando pensam em se converterem, logo desistem porque imaginam de que não vão conseguir se firmarem no evangelho, ou muitos outros também imaginam de que os mais jovens são fracos. Eles são fortes.

E A PALAVRA DE DEUS ESTÁ EM VÓS. Este é o segredo para que alguém possa se firmar nos caminhos do evangelho. De fato, o autor assegura de que os seus leitores já estavam conectados na palavra de Deus e que eles tinham as condições ideais para se firmarem cada vez mais no reino de Deus. Para vencer a prova de fé, só com a palavra.

E JÁ VENCESTES O MALIGNO. João faz uma afirmativa segura do estado espiritual dos seus leitores, assinando o atestado de vitória, quando afirma que eles já haviam derrotado o diabo com os seus demônios. Essa vitória sobre o império das trevas se deu quando o Cristo de Deus efetuou a obra perfeita de redenção pela sua igreja.

1 João 2:12-13

1 João 2:12-13 - Filhinhos, escrevo-vos, porque pelo seu nome vos são perdoados os pecados. Pais, escrevo-vos, porque conhecestes aquele que é desde o princípio. Jovens, escrevo-vos, porque vencestes o maligno. Eu vos escrevi, filhos, porque conhecestes o Pai.
FILHINHOS, ESCREVO-VOS, PORQUE PELO SEU NOME. O tratamento carinhoso do apóstolo em chamar seus leitores de filhinhos demonstra o amor fraternal que João tinha por aqueles que faziam parte da igreja de Cristo. Verdade é que ele se esforçava por contribuir para que os seguidores do Senhor Jesus vivessem de tal maneira que seus passos fossem guiados na luz. O “nome” a que se refere o autor diz respeito ao nome de Cristo Jesus, como sendo o nome que identificava o cristão.

VOS SÃO PERDOADOS OS PECADOS. O nome designativo a que se refere o escritor na frase anterior, podemos conjecturar que seja: Messias, o enviado de Deus e Cristo, que envolve tudo que engloba a obra de redenção realizada pelo Filho de Deus, com todos os seus desdobramentos e efeitos. Os líderes da igreja primitiva pregavam e ensinavam o perdão dos pecados pelo nome de Cristo, porque o Cordeiro de Deus, pelo seu sacrifício expiatório fez a propiciação diante de Deus, ou reconciliação.

PAIS, ESCREVO-VOS, PORQUE CONHECESTES AQUELE. João também se dirige aos mais experientes no evangelho para falar sobre o conhecimento que estes já adquiriram do Filho de Deus e de tudo aquilo que o evangelho fala sobre ele. O pronome “aquele” diz respeito a Cristo Jesus, o Messias prometido por Deus, que habitou entre os homens como sendo o Emanuel, que quer dizer: Deus entre os homens. Estes que já deram provas de sua fé em Cristo Jesus, assim o faziam por conhece-lo muito bem.

QUE É DESDE O PRINCÍPIO. O Mesmo escritor também fala sobre este conceito no seu evangelho ao afirmar que: No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus (João 1:1-2). Este conceito nos remete a eternidade passada do Filho de Deus, que sempre existiu com o Pai, porque ele é Deus, e como Deus, é o princípio e o fim. O ser humano tem o seu início de existência quando é gerado e nasce, porem, com Cristo é diferente, ele sempre existiu.

JOVENS, ESCREVO-VOS. É bem provável que o apóstolo se ferira aos novos convertidos ao cristianismo, que na verdade era a grande maioria, isso porque nos primeiros anos, depois da ascensão de Cristo, mais e mais pessoas se convertiam pelo poder do evangelho das boas novas. Mas, também podemos conjecturar que o autor se dirigia aos de menos idade que aceitavam a Cristo Jesus, como Salvador.

PORQUE VENCESTES O MALIGNO. Sejam os novos convertidos que se decidiram a viver de conformidade com as boas novas do evangelho, ou os jovens de pouca idade, todos aqueles faziam parte do cristianismo, venceram as trevas e o diabo também. Por isso que o evangelho diz que, em Cristo Jesus, somos mais do que vencedores.

EU VOS ESCREVI, FILHOS, PORQUE CONHECESTES O PAI. Certamente João fala de filhos, porque em seu evangelho, o mesmo escritor afirma que todos aqueles que recebem a Cristo, se tornam filhos de Deus, aqueles que acreditam em Jesus, o Cristo.

1 João 2:11

1 João 2:11 Mas aquele que odeia a seu irmão está em trevas, e anda em trevas, e não sabe para onde deva ir; porque as trevas lhe cegaram os olhos.
MAS AQUELE QUE ODEIA. O ódio, a ira, e a raiva, são sentimento que produzem prejuízos incalculáveis nos relacionamentos fraternais dos seres humanos, portanto, esses sentimentos negativos devem ser eliminados do nosso convívio, enquanto igreja de Cristo. Agora, o amor, a amizade, e o perdão, esses sentimentos são os que devem prevalecer no meio do povo de Deus, porque eles constroem um ambiente saudável, em que todos os seus beneficiários, se ajudam e se compreendem mutuamente.

SEU IRMÃO. É natural que haja no meio da igreja divergências de opiniões, e até certo ponto, choques de ideias diferentes, porque cada um tem a sua própria individualidade e maneira de pensar e agir. Mas, mesmo assim, não deve haver lugar para o ódio de um servo de Cristo para com o outro, porque a nossa luta não é contra os irmãos, mas sim, contras o império das trevas. O perdão e a compreensão é o medicamento eficaz para não se guardar ira e rancor contra os nossos irmãos.

ESTÁ EM TREVAS. Quando João escreveu esta carta, muitos falsos cristãos estavam se infiltrando na igreja, justamente para espalhar a discórdia e as divisões entre os cristãos verdadeiros. De forma que, estas recomendações do apóstolo serviam de alerta aos líderes locais, a fim de que estes identificassem quem de fato era discípulo de Cristo. Os que amavam ao próximo e perdoavam os seus ofensores, podiam ser identificados como luz do mundo, enquanto os que odiavam estavam nas trevas.

E ANDA EM TREVAS. Esta é uma metáfora que representa o modo de vida em que uma pessoa faz a opção em se deixar dominar pelo ódio, pela ira e pela vingança, quem anda nas trevas, não perdoa quem de alguma forma lhe ofende, porque tal pessoa, como diz um ditado popular, não leva desafora para casa. Andar nas trevas é viver na ignorância humana, sem dar ouvidos ao evangelho das boas novas, que ensina que nós devemos amar ao nosso próximo, como Cristo deixou o seu próprio exemplo.

E NÃO SABE PARA ONDE DEVA IR. A luz representa o próprio Cristo, que é a luz do mundo, como também são os mandamentos de Deus, e o próprio seguidor do Senhor Jesus, quando este vive dignamente na presença do Todo-poderoso. Quem não vive conforme a vontade de Deus, amando ao seu irmão, está perdido, sem direção e não sabe para onde deva ir. Assim vive o incrédulo e quem apostata de sua fé também.

PORQUE AS TREVAS. Estas trevas representa o próprio império das trevas, que é o diabo com os seus demônios, bem como este mundo enganador, que tem arrastado os ímpios a uma vida de pecaminosidade e carnalidade. Viver nestas trevas e andar nas trevas é viver na ignorância dos mandamentos de Deus, não se enquadrando em seus planos, nem fazendo a sua vontade. Assim vivem os que odeiam seu próximo.

LHE CEGARAM OS OLHOS. O autor preconiza uma metáfora, com alguém completamente cego ou deficiente visual, que não sabe para onde deva ir, uma vez que não tem uma direção certa a ser seguida. Não é diferente na esfera espiritual, se alguém não tem o conhecimento dos mandamentos de Deus, não sabe para onde vai.

1 João 2:9-10

1 João 2:9-10 - Aquele que diz que está na luz, e odeia a seu irmão, até agora está em trevas. Aquele que ama a seu irmão está na luz, e nele não há escândalo.
AQUELE QUE DIZ QUE ESTÁ NA LUZ. O autor se refere ao testemunho que se dava por aqueles que se diziam cristãos. Como era um momento de expansão do cristianismo no mundo, muitas pessoas se diziam ser seguidoras do evangelho e que conheciam a Deus, como discípulos de Cristo, seguindo seus passos. Está na luz, conforme o pensamento do nosso escritor era viver de conformidade com as verdades do evangelho das boas novas, seguindo e obedecendo as doutrinas cristãs.

E ODEIA. Nesta mesma época, milhares de pessoas, se convertiam ao cristianismo, ao ouvirem as boas novas do evangelho e ao tomarem conhecimento da vida de fé que os verdadeiros cristãos exerciam, mesmo enfrentando, perseguições, prisões e morte. Porem, simplesmente dizer que era filho da luz, não era suficiente, mas, a prova substancial da conversão, era quando alguém tinha a capacidade de perdoar os seus opositores, passando a amar a todos os irmãos, sem rancor nem ódio em seu coração.

SEU IRMÃO. Como a religião de Cristo estava nos seus começos, a grande maioria dos que dela faziam parte se converteram do paganismo para o cristianismo, e estes viveram uma vida de ódio e ira, antes de se converterem, mas que agora, deviam viver pelo elo do amor fraternal. Todavia, pelo que se percebe, alguns ainda não haviam se convertido de verdade, porque nutriam raiva e ódio em seus corações uns pelos outros, quando a regra da lei de Cristo é: Amar uns aos outros como a si mesmo.

ATÉ AGORA ESTÁ EM TREVAS. Muitos daqueles que de princípio foram opositores do evangelho, se converteram ao cristianismo, por verem a firmeza da fé dos que sofriam por amor a Cristo. Temos o caso de Saulo de Tarso, que se transformou no grande apóstolo Paulo. E estas pessoas deviam ser recebidas pela igreja com amor e não com ódio ou sentimento de vingança. Se os líderes da igreja não perdoassem a todos, simplesmente estavam provando que ainda estavam nas trevas e não na luz.

AQUELE QUE AMA SEU IRMÃO. Este é o grande mandamento da legislação de Cristo e todos os seus ensinos tem como base este lenitivo para que a sua igreja viva na prática o amor fraternal. A própria vida do Senhor Jesus foi guiada pela força do amor ao próximo, e quem quiser provar que é um cristão de verdade, assim o faça, exercendo o amor ao seu semelhante, e principalmente aos domésticos da fé.

ESTÁ NA LUZ. Esta é uma expressão que representa em essência uma vida pautada na vontade de Deus e que tem como princípio fundamental guardar os mandamentos do evangelho de Cristo. Alguém só pode dizer que está na luz, se andar como Cristo andou e a capacidade de amar ao seu próximo como a si mesmo. Doutra forma, tal pessoa está se enganando a si mesmo e, portanto, está nas trevas.

E NELE NÃO HÁ ESCÂNDALO. Quem ama ao seu próximo, se esforça ao máximo que for possível para não escandalizar a vida de quem quer que seja. Quem anda na luz, não faz nada de errado, mas sua vida é iluminada pela palavra de Deus, e com isso, pelo seu testemunho, faz é edificar a vida dos outros, e não prejudica a ninguém.

1 João 2:8

1 João 2:8 - Outra vez vos escrevo um mandamento novo, que é verdadeiro nele e em vós; porque vão passando as trevas, e já a verdadeira luz ilumina.
OUTRA VEZ VOS ESCREVO. O apóstolo prefere ser repetitivo em seus escritos, do que ver seus leitores sem o devido conhecimento da verdade. A ignorância ou a falta do conhecimento da verdade é que torna o ser humano ateu, incrédulo e ímpio, por isso que João se esforçava o máximo para que seus ouvintes e leitores saíssem das trevas e mergulhassem no mundo da luz, pelo conhecimento de Cristo e a prática do amor fraternal. João teve uma participação grandiosa nos escritos do Novo Testamento.

UM MANDAMENTO NOVO. E dentro dos seus escritos ele sempre buscava transmitir seus ensinos sobre o bom comportamento de comunhão fraternal, que os seguidores de Cristo devem praticar. Este novo mandamento a que se refere o autor, diz respeito ao segundo mandamento da lei de Cristo, onde o primeiro é: Amarás ao Senhor teu Deus acima de qualquer coisa, e o segundo é: E ao teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos, Jesus explicou que depende a lei e os profetas.

QUE É VERDADEIRO. O mandamento do amor fraternal é verdadeiro, porque nos escritos de Moisés ele contracena em todo o seu conteúdo como o meio sublime de convivência entre os filhos de Israel. Da mesma forma, os profetas pregaram sobre o mesmo, como algo indispensável para a união do povo de Deus. E no Cristianismo, o amor fraternal é a base de sustentação da igreja remida, até porque o que torna a igreja de Cristo um mesmo povo é justamente a unidade pelo vínculo da paz cristã.

NELE. O apóstolo fala sobre Cristo Jesus, o Filho de Deus, ele que foi a manifestação do mais forte amor de Deus pela humanidade e principalmente pela igreja de Cristo. Tudo que o Cristo de Deus fez foi impulsionado pelo combustível do amor para com o próximo, e como sendo o Messias de Deus, ele veio efetivamente para sofrer em lugar do seu semelhante. Cristo, não somente pregou e ensinou sobre o dever de se amar ao próximo, mas ele fez isso em sua vida e ministério, dando o seu exemplo.

E EM VÓS. A igreja primitiva vivia momentos de muitas dificuldades por conta das perseguições que os opositores do evangelho empregavam contra os cristãos, e com isso, se fazia necessária á união de todos os filhos de Deus, a fim de se ajudarem mutuamente. Como o apóstolo conhecia bem todo o povo de Deus, ele confirma e dá testemunho de que os ensinos transmitidos por ele sobre o amor fraternal eram reais.

PORQUE VÃO PASSANDO AS TREVAS. João se refere as grandes mudanças que o cristianismo estava impetrando nas sociedade civilizadas do primeiro século da era cristã. Quanto mais pessoas se convertiam ao cristianismo, mais o império das trevas estava sofrendo desfalques. Estas trevas sobre as quais o autor escreve dizem respeito a ignorância sofrida por aqueles que se posicionavam contra o evangelho da verdade.

E JÁ A VERDADEIRA LUZ ILUMINA. Finalmente, o apóstolo, que escreveu em visão de águia com profundidade sobre as verdades do evangelho, se refere ao conhecimento dos planos de Deus, mediante o evangelho das boas novas. Este evangelho, que representa a luz do conhecimento, que estava irradiando em todas partes do mundo.

1 João 2:7

1 João 2:7 - Irmãos, não vos escrevo mandamento novo, mas o mandamento antigo, que desde o princípio tivestes. Este mandamento antigo é a palavra que desde o princípio ouvistes.
IRMÃOS. Desde os tempos mais remotos da humanidade que os seres humanos se consideram irmãos, por encontrarem em Adão e Eva um troco comum na genealogia da raça humana. Já com relação aos judeus, eles se consideravam irmãos uns dos outros porque se ufanavam de serem descendentes de Abraão, Isaque e Jacó. No que diz respeito aos seguidores do cristianismo, todos se consideram irmãos porque em Cristo Jesus, todos somos nascidos de Deus, e, portanto, filhos de um mesmo Pai.

NÃO VOS ESCREVO MANDAMENTO NOVO. O apóstolo conviveu diretamente com o grande Mestre, Jesus Cristo, ele que durante o seu ministério, dedicou a maior parte do seu tempo em pregar as coisas do reino de Deus. Assim sendo, o autor aprendeu com seu Mestre, e procurava instruir seus leitores sobre as coisas concernentes as atividades cristãs e da igreja. O que ele estava repassando para os seus leitores eram ensinos que eles já conheciam de antemão, não era algo que eles não soubessem.

MAS O MANDAMENTO ANTIGO. É bem provável que João estivesse se referindo as coisas que estavam escritas nos livros religiosos dos judeus, e até a própria legislação mosaica. Neste mesmo tempo, o Novo Testamento ainda estava em formação, e não havia uma coleção pronta em sua totalidade como temos nos dias de hoje. Ou o autor também pode estar se referindo aos ensinos transmitidos pelo Senhor Jesus e que continuavam a serem ensinados e pregados pelos apóstolos e líderes da igreja.

QUE DESDE O PRINCÍPIO OUVISTES. Cristo quando ainda estava presente no corpo com os seus discípulos, deu uma ordem expressa: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda a criatura. Com isso, os seus apóstolos e missionários cristãos viviam pregando o evangelho em todas as partes do mundo civilizada daquela época. Portanto, os leitores de João eram conhecedores destes assuntos, por já terem ouvido sobres estes mesmos temas, seja pelo apóstolo ou por outros pregadores.

ESTE MANDAMENTO ANTIGO É. Os próximos textos deste mesmo capítulo abordam assuntos importantes de interesse dos leitores de João, porque o escritor deseja que o relacionamento entre os seguidores de Cristo seja o melhor possível. E quando se trata de um mandamento antigo, é porque tanto a lei de Moisés, quanto o evangelho de Cristo, ensinam sobre a prática do amor fraternal, e esta é a lei de Cristo.

A PALAVRA QUE. O apóstolo não está escrevendo um novo mandamento em que não fosse conhecido dos seus leitores, mas esta palavra por ele transmitida era de fato a palavra de Deus. As Sagradas Escrituras revelam a vontade de Deus para a humanidade e principalmente para a igreja de Cristo, e João se refere a isto.

DESDE O PRINCÍPIO OUVISTES. Por fim, o autor repete esta frase para dizer que, o que eles estavam sendo informados por carta, eram os mesmos ensinos que ouviram por meio das pregações dos líderes e missionários do cristianismo. E o que eles já haviam ouvido era confirmado por cartas, que agora, fazem parte do Novo Testamento.

1 João 2:6

1 João 2:6 - Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou.
AQUELE. No tempo da igreja primitiva, não era nada fácil para alguém confessar a Cristo como Senhor e dizer que era um seguidor do Cristianismo, isso porque, essa decisão tinham várias consequências, tais como: Ter que enfrentar os judaizantes, os falsos líderes das seitas do paganismo, bem como o império romano. Assim sendo, somente os verdadeiros cristãos tinham peito para enfrentarem as dificuldades por amor a Cristo. Diferente nos dias de hoje, que até certo ponto é status ser evangélico.

QUE DIZ. Certamente o apóstolo se refere á confissão pública, e não aqueles que se dizem seguidores do evangelho, mas no anonimato, que a título de hoje, é o que mais tem. Jesus falou que, aquele que o negasse diante dos homens, também seria negado diante de Deus e dos seus anjos. Mas, aqueles que o confessasse publicamente diante dos homens, Cristo também daria testemunho a seu respeito diante do Pai, lá nos céus. Hoje, muitos confessam, mas depois o negam se desviando do evangelho.

QUE ESTÁ. Está em Cristo, é confessar publicamente que ele é seu Senhor e Salvador, é viver como ele viveu, é andar como ele andou, é ter a mente de Cristo e pensar como ele pensa. Para que alguém possa dizer que está em Cristo, essa pessoa tem que nascer de cima, pelo poder do Espírito Santo e ser regenerado pelo evangelho da libertação, é se converter verdadeiramente dos seus erros já praticados e ser transformado em uma nova criatura, para uma nova vida em Cristo Jesus, o Salvador.

NELE. O escritor se refere ao Messias prometido e enviado por Deus, ele que também é o Emanuel de Deus, ou seja, Deus entre os homens ou Deus com os homens, o servo sofredor, do qual tanto falaram os profetas da velha dispensação. Pedro fala sobre Jesus Cristo, o Filho de Deus, que veio na plenitude dos tempos para resgatar para si mesmo a sua igreja remida que ele comprou com seu sacrifício de propiciação, e com isso, realizar a reconciliação entre Deus e os homens por meio da redenção e da paz.

TAMBEM DEVE. Esta frase faz uma interligação entre o que se diz e o que si faz, entre a confissão e a prática daquilo que se diz ser. No tempo das perseguições da igreja primitiva, alguém poderia ser pressionado a negar o nome de Cristo publicamente, porem, quando as testemunhas eram ouvidas, terminavam confessando que tal pessoa, mesmo dizendo que não era cristã, mas vivia como seguidora do evangelho.

ANDAR COMO. Esta é uma metáfora que representa o modo de vida, daqueles que se diziam seguidores do cristianismo. Para a época em que esta carta foi escrita, era o mesmo que dizer que uma pessoa era discípulo de Cristo, porque buscava seguir os seus passos, de conformidade com os seus ensinos. O seguidor do Senhor Jesus é aquele que procura de maneira digna imitar o modo de vida que o Mestre viveu.

ELE ANDOU. O grande Mestre, Jesus de Nazaré fez a diferença no meio da sociedade da qual ele fazia parte, porque buscou realizar a vontade de Deus em tudo que falava e fazia. Ele renunciou as coisas deste mundo enganador para cumprir fielmente o plano de Deus, e por isso que se dedicou absolutamente ao reino do Pai. Da mesma forma, quem desejar ser seu discípulo, deve renunciar ao mundo e se dedicar para Deus.

1 João 2:5

1 João 2:5 - Mas qualquer que guarda a sua palavra, o amor de Deus está nele verdadeiramente aperfeiçoado; nisto conhecemos que estamos nele.
MAS, QUALQUER QUE. O autor fala sobre aqueles que no exercício da sua fé fizeram um compromisso de fidelidade com o reino de Deus, e por isso nasceram de nova para uma nova vida em Cristo Jesus, e isso por meio de um verdadeiro arrependimento, razão porque foram regenerados pela palavra de Deus e passaram a ser novas criaturas. Estes são os servos de Cristo, que buscam o reino de Deus em primeiro lugar em que os seus pensamentos estão focados sempre nas coisas que são de cima.

GUARDA. Quando alguém se converte ao reino da luz, é porque fez uma aliança e um pacto de fidelidade com o evangelho da verdade e da libertação. O evangelho exige compromisso com as regras estabelecidas pela nova dispensação da graça de Deus, em que os servos de Cristo devem renunciar as coisas que o mundo oferece, mas que desagradam ao coração de Deus, para fazerem a vontade do Pai. Uma das provas que alguém é verdadeiramente um discípulo de Cristo é quando se guarda a palavra.

A SUA PALAVRA. Quando Deus chamou o seu povo Israel para ser uma nação teocrática, tirando-os do Egito e os colocando na terra de Canaã, por meio de Moisés, seu servo, lhes deu a lei, como parâmetro daquela aliança, lei esta que deveria ser guardada. A nova dispensação da graça não é diferente, Deus fez uma nova aliança por meio de Cristo, e deixou o evangelho das boas novas para que os servos de Cristo façam a sua vontade. Na bíblia contem os planos de Deus para a humanidade.

O AMOR DE DEUS. Este amor de Deus, que é o amor do Pai pelos seus filhos, nos fala de sua bondade infinita pela igreja de Cristo, este mesmo amor que foi demonstrado, quando ele deu seu unigênito Filho, Jesus Cristo, como preço de resgate pela igreja remida. Este ilimitado amor de Deus também nos ensina sobre sua graça para com o seu povo. Nós, os gentios, não merecíamos tão grande misericórdia da parte de Deus, mas, o Senhor nos manifestou sua benevolência e generosidade por meio de Cristo.

ESTA NELE VERDADEIRAMENTE APERFEIÇOADO. O apóstolo esta escrevendo sobre aquele que fez um compromisso de fidelidade a Cristo mediante a obediência ao evangelho da verdade. Somente aqueles que guardam a palavra de Deus são dignos de dizerem que verdadeiramente conhecem Deus. Por fim, ter o amor de Deus aperfeiçoado é se firmar nos caminhos do reino de Deus, com fidelidade aos seus mandamentos.

NISTO CONHECEMOS. Simplesmente ter o nome de cristão e dizer que fazia parte do cristianismo não era garantia de que alguém verdadeiramente era servo de Deus, mas cada um tinha que provar que conhecia a Deus, guardando os seus mandamentos e usufruía de plena comunhão com o Senhor. O teste era fácil, alguém tinha que ter a marca da obediência á palavra de Deus, seguindo as regras do evangelho.

QUE ESTAMOS NELE. Estar em Cristo é a mesma coisa que o aceitar como Senhor e Salvador. Ter nascido de novo pela regeneração do evangelho e ser transformado em uma nova criatura. Depois destes primeiros passos, seguir a santificação que implica em renunciar as coisas do mundo e se dedicar ao reino de Deus. Isso é estar em Cristo.