Pesquisar este blog

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Efésios 4:19

Efésios 4:19 - Os quais, havendo perdido todo o sentimento, se entregaram à dissolução, para com avidez cometerem toda a impureza.
OS QUAIS. O autor se refere aos gentios que ainda não haviam se convertido ao cristianismo, que também eram classificados de pagãos. Também podemos dizer que o escritor trata neste ponto de sua carta, sobre aqueles que haviam fechado suas mentes, ao conhecimento das boas novas do evangelho de Cristo Jesus. Sem deixar de fora aqueles que apostataram da fé cristã, dando lugar ao sentimento de rebelião e apostasia contra o Criador. Os ateus vivem entenebrecidos no entendimento, insensíveis em seus corações.

HAVENDO PERDIDO. O evangelho neste mesmo tempo, em que esta carta foi escrita, estava chegando a todas as partes do mundo civilizado. Os apóstolos e os líderes do cristianismo cumpriam o ide imperativo de Cristo, levando as boas novas do evangelho, onde Cristo ainda não era conhecido. Mas nem por isso, os opositores do reino de Cristo se deixavam ser tocados pela influência do evangelho, no coração das pessoas. Perder o rumo espiritual é a mesma coisa que se manter nas trevas e ficar entenebrecido.

TODO O SENTIMENTO. A mensagem do evangelho poderoso de Cristo, sempre foi forte o suficiente para quebrar a dureza do coração daqueles que tem contato com ela, é tanto que, o cristianismo avançava em seu desenvolvimento e crescimento. Todavia, muitos que estavam a serviço dos seus próprios interesses ou dominados pela influência do império das trevas, perdiam sua sensibilidade para não crer no evangelho.

SE ENTREGARAM. Enquanto milhares de pessoas se convertiam ao cristianismo, pelo poder transformador do evangelho, e das boas novas que estava na proposta de Deus, mediante a nova dispensação da graça. Outros tantos continuavam bloqueados em seus sentimentos, para rejeitarem a Cristo Jesus como Senhor e Salvador. O ser humano é, pelo seu livre arbítrio, dono do seu destino, e assim sendo, o ateísmo é uma opção.

À DISSOLUÇÃO. O apóstolo se refere ao estado de licenciosidade deliberada dos homens carnais, do deboche contra as coisas de Deus e do pecado da sexualidade sem limites. Nos dias de hoje, assim como no tempo em que Paulo escreve sobre estas coisas, o homem natural se deixa levar e dominar por tais sentimentos. Quem serve a Cristo e faz a vontade de Deus, não se deixa vencer pelos desejos e apetites da dissolução.

PARA COM AVIDEZ. Os ímpios que renunciam o bom censo, quanto a Deus, e se deixam dominar pelo deboche contra as coisas concernente a fé cristã, procedem com toda malícia possível, no sentido de realizarem seus desejos carnais. Como o incrédulo tem uma consciência morta, quanto a sua responsabilidade com a justiça divina, ele busca com astúcia concretizar seus instintos, mesmo que para isso, deboche de Deus.

COMETEREM TODA A IMPUREZA. Os falsos mestres gnósticos incentivavam seus discípulos a que buscassem a licenciosidade deliberada dos pecados da carne, como algo que libertava a alma para o desenvolvimento intelectual. Os homens que são dominados pelo sentimento da dissolução, não são diferentes, eles dão vasão aos desejos mais impuros dos apetites sexuais, para satisfazerem suas mentes mortas e sujas pelo pecado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário