Pesquisar este blog

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Efésios 4:27-28

Efésios 4:27-28 - Não deis lugar ao diabo. Aquele que furtava, não furte mais; antes trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha o que repartir com o que tiver necessidade.
NÃO DEIS LUGAR AO DIABO. É muito estranho, a movimentação de pessoas endemoninhadas em algumas denominações. Pessoas verdadeiramente convertidas devem ser templos do Espírito Santo de Deus, e não morada dos demônios. Mas, certos movimentos religiosos destacam muito a presença dos demônios no meio do que chamam povo de Deus. Quando a recomendação do apóstolo era de que, os servos de Cristo não dessem lugar ao diabo. Diabo que dizer opositor de Deus ou nosso acusador.

AQUELE QUE FURTAVA. Em outras palavras, o escritor traz a tona, o tema do velho homem e do novo homem. Como diz um ditado popular ou jargão evangélico, a igreja é composta de ex-quase tudo. Sempre existiram aqueles que se deixam dominar pela ganância, ao ponto de tirar dos outros, aquilo que não é seu. Certamente na igreja de Éfeso existiam alguns que, antes de se converterem eram ladrões ou roubadores.

NÃO FURTE MAIS. O novo homem não pode mais praticar assaltos, roubos ou subtrair dos outros, aquilo que não lhe pertence. No judaísmo esse era um dos dez mandamentos da legislação de Moisés. No cristianismo não poderia ser diferente, até porque o evangelho recomenda que, os servos de Cristo vivam uma vida digna perante a sociedade, bem como diante da igreja e principalmente para com Deus, que tudo ver e que tudo sabe.

ANTES TRABALHE. Desde a queda da raça humana, que a ordem de Deus é que o homem trabalhe, para comer o seu pão do suor do seu próprio rosto. Qualquer profissão honesta é digna, e o trabalhador tem pelas leis de Deus e dos homens os seus direito e deveres. Na maioria dos casos, apesar de não serem todos, os seres humanos partem para o crime do roubo, porque não tem coragem de trabalhar para se sustentar. Mas outros por ganância mesmo.

FAZENDO COM AS MÃOS O QUE É BOM. O conselho do apóstolo era de que, agora, que os seus leitores eram novas criaturas em Cristo, que buscassem trabalhar honestamente em atividades e labores lícitos para ganharem o pão de cada dia e sustentar suas respectivas famílias. O próprio Paulo, que era um grande líder da igreja, trabalhava com suas mãos na fabricação de tendas, para não depender dos outros, nem mesmo da igreja.

PARA QUE TENHA O QUE REPARTIR. Ao que tudo indica, o exemplo de Zaqueu passou a ser uma tradição dentro do cristianismo primitivo, em que ele se propôs a repartir aquilo que ele tinha ganho com a desonestidade com os antigos donos dos seus bens, como também com os pobre e necessitados. É bem provável que essa seria uma forma de se tirar o peso da consciência, com a prática de boas ações sociais com os que mais precisavam.

COM O QUE TIVER NECESSIDADE. Os membros da igreja primitiva passavam por muitas necessidades, até porque os que se convertiam ao cristianismo, quase todos tinham seus bens confiscados pelo Estado romano, enquanto outros por conta das muitas perseguições viviam como fugitivos. Desta forma, quem se convertia, mas antes adquiriram bens desonestos, poderiam reparar seus erros com boas ações sociais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário