Pesquisar este blog

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Efésios 4:6-7

Efésios 4:6-7 - Um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos vós. Mas a graça foi dada a cada um de nós segundo a medida do dom de Cristo.
UM SÓ DEUS. Os seguidores do judaísmo eram zelosos por essa fé monoteísta, e não aceitavam em nenhuma hipótese a crença em outras divindades. O cristianismo seguiu este mesmo conceito, com ênfase trinitariana, ou seja, a crença em um único Deus verdadeiro em três pessoas, Deus Pai, Deus Filhos e Deus Espírito Santo. Já as religiões politeístas do paganismo, sempre seguiram as crenças em várias divindades, com a adoração e veneração nos ídolos e nas imagens de esculturas, que são deuses falsos.

E PAI DE TODOS. De acordo com a crença comum da humanidade, Deus é Pai de todas as pessoas do planeta terra. Mas, de conformidade com os conceitos e ensinos do evangelho da verdade, nem todos são ilhós de Deus. Quando o escritor fala de Deus como Pai de todos, no final do versículo têm o pronome “vós”, se referindo aos seguidores de Cristo que faziam parte da igreja do Senhor Jesus, na cidade de Éfeso. Agora, a todos que recebem a Cristo como Senhor e Salvador, estes são filhos de Deus (João 1:11-13).

O QUAL É SOBRE TODOS E POR TODOS. Quando se diz que Deus é “sobre todos” isso representa a figura protetora de um Pai sobre todos que fazem parte de sua família, e como todos que fazem parte da igreja de Cristo também fazem parte da família de Deus, então, o Senhor protege aos seus filhos. Como também o Senhor é “por todos” os seus filhos que vivem confiando e esperando inteiramente em suas provisões e providências.

E EM TODOS VÓS. Em o Novo Testamento, essa é uma expressão comum para dizer “em Cristo”. Mas como Cristo é o Emanuel, isso quer dizer que ele é Deus, então a frase “em Deus” é a mesma coisa que “em Cristo”. Deus habita em todos os remidos de Cristo por meio do seu Santo Espírito, e isso pode ser perceptível pela paz, comunhão e ligação que os servos do Senhor Jesus desfrutam com o consolador amado, o Paráclito.

MAS A GRAÇA. Existe a graça geral, quando se diz que a nova dispensação da graça foi universal, isso porque toda à criação foi beneficiada com o novo modo de operar de Deus em Cristo Jesus. E existe a graça individual, sobre a qual se refere neste texto o escritor. A palavra graça, em linhas gerais, dentro do arcabouço do evangelho quer dizer: Favor não merecido. Tudo que os servos de Cristo recebem da parte de Deus é pura graça.

FOI DADA A CADA UM. Essa graça individual contempla a cada um de forma diferenciada, porque cada pessoa tem seu jeito de ser e de agir próprio. Paulo afirma que a graça de Deus sobre sua vida foi muito grande, porque ele era o principal dos pecadores, isso porque, perseguia a igreja de Cristo. Entendemos com isso que, quanto mais desobediente for o pecador, mais essa graça de Deus precisa ser derramada sobre ele.

SEGUNDO A MEDIDA DO DOM DE CRISTO. Quando o Messias de Deus se manifestou no planeta terra, o que a humanidade merecia era a ira, o furor e a vingança de Deus. Mas, Cristo em seu sacrifício expiatório e por meio da propiciação apaziguou a ira de Deus, reconciliando os seres humanos com o seu Criador. Por isso que, o apóstolo diz enfaticamente em suas palavras, que Cristo é o agente implantador desta graça divina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário