Pesquisar este blog

sábado, 21 de janeiro de 2017

Gálatas 2:3-4

Gálatas 2:3-4 - Mas nem ainda Tito, que estava comigo, sendo grego, foi constrangido a circuncidar-se. E isto por causa dos falsos irmãos que se intrometeram, e secretamente entraram a espiar a nossa liberdade, que temos em Cristo Jesus, para nos porem em servidão.
MAS NEM AINDA TITO, QUE ESTAVA COMIGO. Tito era um líder de renome no mundo gentílico, onde tinha igrejas fundadas por Paulo. Até porque ele era amigo do grande apóstolo Paulo, e o acompanhava em viagens missionárias para fundar igrejas e também para cuidar das comunidades cristãs já fundadas. Esteve envolvido com a obra de Deus em Coríntios, mas foi em Creta que se tornou um líder da igreja local.

SENDO GREGO. Essa é uma observação feita pelo escritor para destacar o fato de que estava com ele um gentio incircunciso, que não era judeu, nem pertencia ao judaísmo, mas que era cristão de verdade, e que poderia servir de testemunho de que a graça de Deus era com os que não tinham a marca externa da circuncisão. Paulo foi a Jerusalém para tratar desta questão, porque este era um problema que tinha de ser resolvido.

FOI CONSTRANGIDO A CIRCUNCIDAR-SE. Mas, chegando Paulo com Tito no ambiente legalista da igreja em Jerusalém, houve um movimento interno para que Tito, mesmo sendo gentio, fosse circuncidado, o que Paulo não permitiu, e de imediato procurou evitar que seu amigo passasse por tal constrangimento. Se alguém quisesse ser circuncidado, que assim o fosse, mas de maneira voluntária, e não porque era obrigado.

E ISTO POR CAUSA DOS FALSOS IRMÃOS QUE SE INTROMETERAM. Jesus veio para cumprir a legislação de Moisés em nosso lugar, para nos libertar justamente de tal obrigação. Mas, ele veio implantar uma nova religião chamada cristianismo, que é diferente do judaísmo. Já os apóstolos, não intenderam isso de princípio, e buscavam reconciliar o judaísmo com o cristianismo, o que Paulo não aceitava e combatia.

E SECRETAMENTE ENTRARAM A ESPIAR A NOSSA LIBERDADE. Tanto Paulo como aqueles que faziam parte do ministério nas igrejas gentílicas, viviam como manda as regras do cristianismo, e não conforme o judaísmo. Formou-se logo um grupo de legalistas para secretamente fiscalizarem a Paulo, a Barnabé, e a Tito, se eles viviam de acordo com os costumes do judaísmo ou não, o que Paulo rechaçou e não aceitou.

QUE TEMOS EM CRISTO JESUS. Conforme a lei de Moisés, quem fazia parte do judaísmo era obrigado a guardar todos os mandamentos, estatutos e juízos daquela legislação, o que para Paulo era uma prisão. Mas de acordo com o evangelho da nova dispensação da graça, ninguém é obrigado a cumprir nada, porem, o cristianismo incentiva a que os discípulos de Cristo sigam os seus ensinos de maneira voluntária, o que é liberdade.

PARA NOS POREM EM SERVIDÃO. O que estavam exigindo de Paulo, Barnabé e Tido, era de que eles abandonassem o evangelho pela lei, o cristianismo pelo judaísmo, e isso era um retrocesso, coisa que Paulo chama de servidão. Graças a Deus que, no cristianismo histórico, o que prevaleceu foi o que Paulo defendia, e não o que os elementos legalistas queriam impor na igreja primitiva, liberta por Cristo, e no cristianismo democrático.

Nenhum comentário:

Postar um comentário