Pesquisar este blog

domingo, 22 de janeiro de 2017

Gálatas 2:6

Gálatas 2:6 - E, quanto àqueles que pareciam ser alguma coisa (quais tenham sido noutro tempo, não se me dá; Deus não aceita a aparência do homem), esses, digo, que pareciam ser alguma coisa, nada me comunicaram.
E, QUANTO AQUELES. O apóstolo Paulo se refere aos apóstolos de Jerusalém, aqueles mesmos que haviam convivido pessoalmente com o Senhor Jesus e que se achavam os mais importantes do cristianismo, os que se achavam colunas da igreja primitiva, porque faziam parte do grupo dos doze. Percebe-se um certo tom irônico por parte do escritor, como se ele não se sentisse inferior a nenhum deles, o que de fato representava uma realidade, porque Paulo estava sendo mais útil do que todos eles.

QUE PARECIAM SER ALGUMA COISA. Na realidade, até os anos setenta de nossa era cristã, os apóstolos de Jerusalém concentraram suas atividades em Israel e nos seus arredores, não cumprindo então o ide imperativo de Cristo Jesus (Marcos 16:15). Somente com a destruição de Jerusalém é que eles saíram da zona de conforto para pregarem o evangelho em outras nações. Até então estavam vivendo só de aparência.

QUAIS TENHAM SIDO NOUTRO TEMPO, NÃO SE ME DÁ. O que o autor quis dizer é que para ele, não importava se em outro tempo, ou seja, no tempo em que eles viveram presente com Cristo, isso tinha alguma importância, quando ele esteve em visita entre eles. O que importava para Paulo era que ele estava ali em Jerusalém como representante das igrejas gentílicas e queria respostas sobre suas indagações.

DEUS NÃO ACEITA A APARÊNCIA DO HOMEM. Deus não faz acepção de pessoas, para ele não importa se alguém ocupa lugar de destaque ou não, o mais importante para Deus é se o homem faz a sua vontade. O que não estava acontecendo com os apóstolo de Jerusalém, quando eles deviam estar pregando o evangelho em todas as partes do mundo, estavam era se aproveitando dos cargos que ocupavam para não fazerem nada.

ESSES DIGO. QUE PARECIAM SER. Por três vezes, neste mesmo texto, o escritor se reporta sobre o viver de aparência dos apóstolos de Jerusalém. Percebe-se a coragem de Paulo em apontar o comodismo dos apóstolos da igreja mãe, em que eles se aproveitavam dos seus privilégios para se gabarem de ocupar posições de destaques, porem, não faziam muita coisa para o crescimento do reino de Deus na terra.

ALGUMA COISA. Certamente vem a memória do apóstolo dos gentios, a sua primeira viagem a Jerusalém, um pouco mais de três anos depois de sua conversão ao cristianismo, que foi recebido por Pedro, chegou a conversar com Tiago, que era a principal liderança da igreja sede, mas que não lhe deram muita atenção nem importância. Agora, ao que tudo indica, estavam tentando fazer o mesmo com Paulo.

NADA ME COMUNICARAM. Paulo chegando na presença das autoridades eclesiásticas da igreja de Jerusalém, fez sua exposição das revelação que havia recebido do Senhor jesus, quanto a graça de Deus para os gentios. Em contra partida, os líderes da igreja mãe, não lhe acrescentaram nada do que ele já sabia. Os apóstolos de Jerusalém ficaram de boca aberta quando ouviram de Paulo sua sabedoria, quanto ao evangelho das boas novas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário