Pesquisar este blog

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Gálatas 2:9

Gálatas 2:9 - E conhecendo Tiago, Cefas e João, que eram considerados como as colunas, a graça que me havia sido dada, deram-nos as destras, em comunhão comigo e com Barnabé, para que nós fôssemos aos gentios, e eles à circuncisão.
E CONHECENDO TIAGO, CEFAS E JOÃO. Estes eram as três principais lideranças das igrejas em Israel e Palestina, que tendo ouvido a exposição de Paulo sobre sua chamada para com os gentios, logo reconheceram o apostolado de Paulo. Tiago era o líder principal, depois Pedro por ser o porta voz do grupo, ainda no tempo de Cristo, e João por ser um amigo pessoal do Senhor Jesus. Se não tivesse havido este acordo, certamente a igreja cristã teria sofrido o seu primeiro racha logo no seu princípio.

QUE ERAM CONSIDERADOS COMO COLUNAS. Enquanto Cristo estava entre os seus apóstolos e discípulos, ele quem comandava a todos, porem, com a morte, ressurreição e ascensão de Cristo para se assentar a destra de Deus, os apóstolos assumiram os trabalhos de evangelismo e administração das igrejas. No caso dos apóstolos, Tiago, Pedro e João se destacaram, como sendo chamados colunas das igrejas em Israel.

A GRAÇA QUE ME HAVIA SIDO DADA. Os líderes da igreja sede de Jerusalém, tendo ouvido atentamente o testemunho que Paulo fizera em defesa do seu apostolado, imediatamente reconheceram que a graça de Cristo estava sobre sua vida, para levar o evangelho de Cristo no mundo gentílico. Essa graça sobre a qual escreve Paulo, diz respeito à ousadia e também ao conhecimento que ele tinha sobre o evangelho de Cristo.

DERAM-NOS A DESTRA. Essa é uma expressão que quer dizer: Deram-nos a mão direita. Esse era um costume antigo dos povos, em quando entre duas ou mais pessoas havia um acordo entre ambas as parte, então davam as mãos direitas fechando um acordo. Neste caso, as principais lideranças da igreja mãe aceitaram o fato de que realmente Paulo deveria ser aprovado como apóstolo de Cristo Jesus, enviado ao mundo gentílico.

EM COMUNHÃO COMIGO E BARNABÉ. Essa comunhão citada pelo escritor nos fala sobre o acordo celebrado entre os líderes de Jerusalém e Paulo com Barnabé, que estavam ali representando as igrejas gentílicas. Este acordo foi muito importante, porque manteve as igrejas cristãs em todo o mundo unidas, mesmo com dois núcleos administrativos, que era Jerusalém, e do outro lado às igrejas fundadas por Paulo e seus amigos de ministério.

PARA QUE NÓS FÔSSEMOS AOS GENTIOS. Percebe-se de maneira bem clara nestas duas frases, esta e a seguinte, que a igreja se manteve unida, Todavia, com administrações diferentes. Paulo ficou com os campos missionários transculturais, as igrejas gentílicas, enquanto que, os apóstolos de Jerusalém ficaram com a responsabilidade de administrarem as igrejas compostas de judeus convertidos ao cristianismo.

E ELES À CIRCUNCISÃO. A meta dos dois grupos era uma só, pregar o evangelho de Cristo e ganhar vidas para o reino de Cristo. Paulo juntamente com seus amigos de ministério pregando para os gentios, e os líderes de Jerusalém com a responsabilidade de pregarem para os judeus, seguidores do judaísmo. Isso prevaleceu até os anos setenta, quando Jerusalém foi destruída, e os apóstolos invadiram as igrejas fundadas por Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário