Pesquisar este blog

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Gálatas 6:2-3

Gálatas 6:2-3 - Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo. Porque, se alguém cuida ser alguma coisa, não sendo nada, engana-se a si mesmo.
LEVAI AS CARGAS. Em linhas gerais, o Novo Testamento, em se tratando de relacionamento fraternal, sua mensagem é de união e amizade entre aqueles que faziam parte do povo de Deus. A igreja primitiva em todas as regiões precisava se unir em termos de propósitos, porque a sobrevivência do cristianismo em seus começos serviria de exemplo para toda a história da nova religião. O fundador do cristianismo deixou o seu próprio exemplo disto e também os seus ensinos voltados para o amor fraternal.

UNS DOS OUTROS. Levar as cargas uns dos outros, neste caso, era suportar uns aos outros com longanimidade, com temperança e benignidade sempre. O momento era difícil para todos que pertenciam ao cristianismo. As forças opostas estavam se articulando para dividir o povo de Deus. Diante de tudo isso, os seguidores do Senhor Jesus precisavam unir as mãos em atos contínuos de amor fraternal, no sentido de ajudar uns aos outros a superarem os desafios impostos pelo fato de serem pessoas de Deus.

E ASSIM CUMPRIREIS A LEI DE CRISTO. Os leitores de Paulo não precisavam mais cumprir as exigências da lei, e isso ele deixou bem claro dentro dos seus ensinos transmitidos nesta belíssima carta. Agora, eles precisavam mesmo era cumprir a lei de Cristo, que tem o seu princípio básico na lei do amor. No tocante aos relacionamentos humanos, Jesus deixou seu ensino de que, devemos amar o nosso próximo como a nos mesmos.

PORQUE SE ALGUÉM PENSA. Novamente o escritor volta a atacar aqueles que mentalizavam de que, eram mais importantes do que os outros, simplesmente por ocuparem posições de destaques diante da comunidade cristã. O grande perigo para uma suposta liderança é quando o poder lhe sobe a cabeça e tal pessoa começa a pensar que pode substituir a Cristo, como cabeça da igreja ou do rebanho de Deus.

SER ALGUMA COISA. Quando o orgulho sobe a cabeça de alguém, e por conta de ocupar posições privilegiadas, a prepotência toma conta da mente, o líder começa a tomar decisões predominantemente humanas nas coisas de Deus, quando na verdade, a administração da obra de Deus tem que ser feita pela direção do Espírito Santo. Quando se diz que, o Espírito Santo é o Alto Ego de Cristo, se fala em legítima representatividade.

NÃO SENDO NADA. Por si só, ninguém é nada e humanamente falando, ninguém representa nada comparado ao dono da igreja que é Cristo Jesus. A posição ou cargos elevados que alguém vem a ocupar, Deus é quem chama e capacita, até porque os dons espirituais e ministeriais são do Espírito Santo e não de homem algum. Tudo é de Deus e para glória do nome de Cristo, isso porque, nas coisas de Deus, o homem não tem nada.

ENGANA-SE A SI MESMO. Ser um líder do povo de Deus e terminar bem os seus serviços em prol do reino de Cristo, somente com muita sabedoria, porque uma grande parte dos que ocupam posições de destaque na igreja, terminam por pensar que estão ocupando tais posições, pelas suas próprias capacidades ou habilidades, quando não é. Neste caso, enganar-se a si mesmo é pensar que é importante, quando não é, importante é Deus.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Gálatas 6:1

Gálatas 6:1 - Irmãos, se algum homem chegar a ser surpreendido nalguma ofensa, vós, que sois espirituais, encaminhai o tal com espírito de mansidão; olhando por ti mesmo, para que não sejas também tentado.
IRMÃOS, SE ALGUM HOMEM. O fato do escritor chamar os seus leitores de irmãos, isso nos fala da sua simplicidade e humildade no trato com os seus filhos na fé, coisa que muitos dos líderes de hoje precisam apreender. Depois podemos conjecturar que estas exortações e ensinamentos são dirigidos aos servos de Cristo e não aos incrédulos das cidades da Galácia. Este ensino transmitido pelo apóstolo nos faz compreender que qualquer ser humano está passível de ser surpreendido com as falhas humanas.

CHEGAR A SER SURPREENDIDO. Para o homem natural, a questão do pecado é algo comum e ele não ver nada de errado nos prazeres da vida e nas concupiscências da carne. Mas para quem é convertido e serve a Cristo, praticar algum tipo de pecado, é algo anormal e que causa um mal-estar grande com prejuízos e consequências graves. É tanto que o autor chama de surpresa o fato de alguém que serve a Cristo cometer pecado.

NALGUMA OFENSA. Não que os servos de Cristo estejam blindados ou imunes aos pecados, mas é que o grande esforço daqueles que vivem para Cristo e com Cristo é para agradar aqueles que o chamou para a santificação. Essa ofensa sobre a qual se reporta o escritor, diz respeito a todos os tipos de falhas, sejam elas mais graves ou menos ofensivas. Seja pecado, transgressão, iniquidade ou falhas, tudo é ofensa contra Deus.

VÓS QUE SOIS ESPIRITUAIS. É bem provável que o apóstolo dos gentios se dirija aos líderes das igrejas locais em toda a região da Galácia, eles que se pressupõem seriam mais espirituais do que os cristãos comuns das comunidades cristãs. Ser mais espiritual é ter mais experiência nas coisas de Deus, como também é ser um líder escolhido pelo Senhor para orientar o rebanho de Deus nos caminhos do evangelho e na vontade de Deus.

ENCAMINHAI O TAL COM ESPÍRITO DE MANSIDÃO. Quando alguém comete qualquer deslize quanto aos seus compromissos com o reino de Deus, é como se tal pessoa adoecesse na sua alma, e assim sendo precisa de cuidados para não terminar morrendo espiritualmente. Portanto, os mais fracos na fé precisam ser tratados com mais amor e cuidados especiais para se recuperarem dos seus defeitos e ser salvos da perdição.

OLHANDO POR TI MESMO. Aqueles líderes mais radicais, que por qualquer motivo discriminam ou até mesmo excluem os mais fracos na fé, quando chegam a ser surpreendidos por alguma ofensa, não encontram misericórdia dos seus companheiros, porque plantou vento e termina colhendo tempestade. É muito fácil julgar e condenar os outros, mas qualquer um pode chegar à cadeira e réu, e cada um colhe o que planta.

PARA QUE NÃO SEJAS TENTADO. Podemos conjecturar que o escritor esteja pensando em que, os que julgam e condenam os outros não seja tentado a serem cruéis com os outros, quando se ele estivesse no lugar do réu, requereria misericórdia e não juízo. Mas também podemos imaginar que o apóstolo esteja falando de que, os que são mais espirituais não sejam tentados a cair no mesmo erro ou falha dos mais fracos na fé.

Gálatas 5:26

Gálatas 5:26 - Não sejamos cobiçosos de vanglórias, irritando-nos uns aos outros, invejando-nos uns aos outros.
NÃO SEJAMOS. Mas, para que a liberdade cristã não fosse criticada pelos cristãos legalistas que estavam invadindo as igrejas da Galácia, Paulo impões mais proibições, demostrando assim que a nova dispensação da graça também é um estilo de religião moral e ética. Juntando-se os ensinos de Cristo com os escritos canônicos de todo o Novo Testamente, ver-se que o evangelho promete liberdade, porque o cristianismo é democrático, mas que não é mundano, nem liberal quanto os opositores de Paulo diziam.

COBIÇOSOS. O evangelho como legislação de Cristo que estabelece uma nova ordem mundial de libertação é ao mesmo tempo, um código de ética em que incentiva seus seguidores a viverem de forma digna perante Deus e também diante da sociedade. É até positivo cobiçar o que é reto e justo, desde que tal cobiça não interfira nos direitos dos outros, nem prejudique o cristão em sua comunhão com Deus. É proibida pelo escritor este tipo de cobiça, sobre a qual se reporta Paulo, porque é do lado negativo.

DE VANGLÓRIA. Percebe-se que o apóstolo dos gentios novamente procura corrigir alguns problemas de ordem comportamental dos seguidores de Cristo dentro das igrejas da Galácia. Tal qual há nos dias de hoje, aqueles que buscam se exaltar a si mesmo, procurando ser melhores do que os outros. Existe uma tal de concorrência no meio do povo de Deus para se ver quem prega melhor, quem canta melhor e etc.

IRRITANDO-NOS. Volta e meia tem um irmão com raiva um do outro, por conta de cargos, posições ou oportunidade. Aqueles que estão em destaques até barganham com os que deixam se levar por este tipo de concorrências, somente dando oportunidades aos que atendem aos seus interesses. Quando sabemos que a igreja é um corpo ou organismo que só funciona bem, com a utilização democrática de todos os membros.

UNS AOS OUTROS. Por isso que o racha é um movimento que não cessa nas denominações, em que aqueles que se sentem prejudicados tolhem os seus ofensores ou deixam sua denominação por outra, e muitos chegam até a fundarem suas próprias denominações. Este tipo de dissensões, partidarismo e divisões tem como base o jogo de interesses de muitos para ganharem seus espaços, mesmo atropelando os outros.

INVEJANDO-NOS. A inveja e o ciúme, listados entre as obras da carne, são irmãs gêmeas em termos de ação e reação. Aqueles que se acham donos das igrejas locais, não podem perceber que alguém está sendo usado pelos dons do Espírito de Deus, porque o medo de perder espaço faz com que, veja o instrumento de Deus como uma ameaça ao seu status. Aquele que é servo de Cristo deve apoiar os que são usados por Deus em sua obra.

UNS AOS OUTROS. A obra é de Deus, a igreja é de Cristo, os dons espirituais e ministeriais são do Espírito Santo. Assim sendo, considerar os outros como instrumento das mãos de Deus é necessário para que o cristianismo verdadeiro se desenvolva cada vez mais, completando o número daqueles que hão de herdar a salvação, e desta forma o Senhor Jesus volte para arrebatar a sua igreja remida, que ele comprou com o seu sangue.

Gálatas 5:24-25

Gálatas 5:24-25 - E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências. Se vivemos em Espírito, andemos também em Espírito.
E OS QUE SÃO DE CRISTO. Nem todos que estão dentro das denominações são pessoas de Cristo, e isto porque são os mais diversos os motivos porque as pessoas frequentam as igrejas. Os que são de Cristo são aqueles que verdadeiramente aceitaram a Cristo como Senhor e Salvador. E isso é comprovado pela mudança de vida, pelo envolvimento no novo nascimento e da regeneração espiritual. Quem é de Cristo deixou de seguir os padrões do mundo para buscar o reino de Deus e as coisas que são de cima.

CRUCIFICARAM A CARNE. Essa é uma colocação feita pelo escritor que está em consonância com o que ele deixou registrado em Gálatas 2:20 - Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. Crucificar a carne é, dentro do possível, renunciar o próprio eu para fazer a vontade de Deus, conforme o que determina a legislação do evangelho libertador de Cristo Jesus.

COM SUAS PAIXÕES. O homem natural só pensa dos prazeres da carnalidade, isso porque seus impulsos são para o contentamento momentâneo desta vida. Certamente o apóstolo esta se referindo ao que ele chamou nos textos anteriores em se tratando das obras da carne, tais como os pecados da sensualidade: Prostituição, adultério, lascívia e impurezas. Tais impulsos levam os homens aos pecados da carne e os prazeres sexuais.

E CONCUPISCÊNCIAS. A concupiscência denota os desejos carnais descontrolados, aqueles mesmos que passam a dominar as pessoas, e até certo ponto escraviza-las, porque mesmo tendo o censo de que estão erradas, tais pessoas continuam presas a tais vícios. A prostituição, por exemplo, incluindo o adultério, a prevaricação e fornicação prejudica diretamente a alma do indivíduo, sem falar no perigo das doenças sexuais.

SE VIVEMOS EM ESPÍRITO. Viver no Espírito é ser guiado pelo Espírito de Deus em tudo que faz, fala e pensa. Viver em Espírito é renunciar os prazeres carnais ilícitos, renunciar o mundanismo e a soberba da vida para fazer a vontade de Deus. A palavra Espírito se inicia com letra maiúscula, porque se refere ao Espírito Santo de Deus, ele que implanta as virtudes positivas de Deus na vida dos seguidores do Senhor Jesus, o Messias de Deus.

ANDEMOS TAMBÉM. Mais uma vez o apóstolo dos gentios se utiliza da metáfora do andar cristão para nos ensinar de como vivermos dignamente na presença de Deus, ele que nos conhece de perto e tem conhecimento de tudo que fazemos, falamos e pensamos. Andar em Espírito é trilhar o caminho do evangelho, seguindo sempre as pisadas do Mestre, Jesus de Nazaré. Somente os filhos de Deus é que andam em Espírito.

EM ESPÍRITO. Mais uma vez o escritor se reporta ao Espírito de Deus e de Cristo, ele que veio para ser o auto ego de Cristo Jesus, isto é, ele veio para assumir o lugar de Cristo em suas atividades em prol de sua igreja. É pelo Espírito de Deus que os servos do Senhor Jesus vivem, andam e dão frutos para glória de Deus Pai. Viver e andar pelo Espírito de Deus é ser luz do mundo e sal da terra, resplandecendo como astros no mundo.

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Gálatas 5:22-23

Gálatas 5:22-23 - Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra estas coisas não há lei.
MAS O FRUTO DO ESPÍRITO É. Já antes da nova dispensação havia profecias que falaram a respeito deste tempo de ação plena do Espírito de Deus sobre o seu povo. Joel 2:28-29 - E há de ser que, depois derramarei o meu Espírito sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões. E também sobre os servos e sobre as servas naqueles dias derramarei o meu Espírito. Essa promessa se confirmou no dia de pentecostes (Atos 2:1-4) na vida da igreja de Cristo.

AMOR. Estes frutos dizem respeito às virtudes e os dons que o Espírito de Deus derrama sobre a vida dos servos de Cristo. Por isso que, tudo que somos ou representamos, devemos agradecer a Deus, uma vez que nada temos, e tudo é pela graça de Deus. O Espírito do Senhor é quem derrama sobre nós o amor ágape de Deus, e ao mesmo tempo é quem nos dá força para que possamos amar ao Pai com todas as nossas forças. Bem como o Espírito de Cristo é quem nos faz amar ao nosso próximo como a nos mesmos.

GOZO, PAZ. Este gozo nos fala da alegria que sentimos em buscar o reino de Deus e as coisas que são de cima. Quem serve a Cristo com fidelidade, independentemente das circunstâncias, mas o seu estado de espírito e plena felicidade. A paz e o sossego na vida dos discípulos de Cristo é fruto do Espírito de Deus, até porque os seguidores de Cristo na terra, não têm uma vida nada fácil, mas mesmo assim, vivem uma vida tranquila.

LONGANIMIDADE, BENIGNIDADE. Esta longanimidade retrata a forma paciente com que o servo de Cristo tem a capacidade de suportar as provações da vida sem reclamar nem murmurar, porque é consciente de que tudo é permissão de Deus. Já a benignidade nos ensina sobre a disposição de praticar o bem sem olhar a quem, e isso em obediência ao segundo mandamento da lei de Cristo que é amar ao próximo, como se ama a si mesmo.

BONDADE, FÉ. A bondade é um fruto do Espírito Santo na vida dos que seguem a Cristo, porque os servos do Senhor são ensinados a andarem nas pisadas do Mestre, quando sabemos que Cristo, em sua vida e ministério só fez o bem a todos. Quando o Espírito de Deus convence o homem do pecado, da justiça e do juízo, a primeira coisa que ele implanta no homem é o dom da fé, como algo que leva o pecador aos braços de Deus.

MANSIDÃO, TEMPERANÇA. Quando o Espírito de Deus habita na vida de alguém, uma das coisas que ele procura implantar em tal pessoa é a mansidão, uma vez que, ele tem a tarefa de tornar o discípulo do Senhor parecido com Cristo, e ele disse: Aprendei de mim, que sou manso. A temperança como fruto do Espírito Santo na vida do salvo é justamente a capacidade de se controlar para não fazer o que quer, mas sim a vontade de Deus.

CONTRA ESTAS COISAS NÃO HÁ LEI. Por isso que Paulo pregava e defendia de que o cristianismo representa a verdadeira liberdade, porque as qualidades, os dons e os ministérios implantados na vida dos remidos de Cristo, não existem lei contra estas coisas. Em nenhum lugar da legislação de Moisés vai se encontrar mandamentos contra estas coisas. Muito menos nas leis dos homens e dos países terão leis contra estas coisas.

Gálatas 5:21

Gálatas 5:21 - Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.
INVEJA. A inveja é uma das obras da carne que mais prejudica o relacionamento entre as pessoas. Todos aqueles que são abençoados ricamente por Deus são vítimas daqueles que não se contentam por ver o seu próximo se dá bem, enquanto sua situação cada vez mais só piora. A inveja lança suas raízes até mesmo no meio do povo de Deus, naqueles casos em que, aqueles que estão em destaque percebem que os simples e humildes são abençoados com os dons de Deus, então, por inveja, investem contra os mais fracos.

HOMICÍDIO. Geralmente o homicídio é praticado contra a vida daqueles em que o homicida tem como uma ameaça para sua vida ou seus interesses. Os motivos que levam o ser humano a tirar a vida do seu próximo são os mais diversos, porem, na maioria dos casos é pura maldade do ofensor. Sem falar no homicídio espiritual, que é gerar a morte espiritual de alguém, contribuir para que alguém se desvie de Cristo é matar a alma.

BEBEDICES, GLUTONARIAS. Muitas vezes no judaísmo, em suas celebrações ritualísticas, cerimonialísticas e pragmáticas suas festanças eram regadas a muitas bebidas e com a comilança em forma de glutonaria. Será que nos dias de hoje isso não está sendo praticado de outra forma? Com festas regadas a muito refrigerantes e outros tipos de bebidas, com banquetes e muita comida, onde a glutonaria entre em evidência?

E COISAS SEMELHANTES A ESTAS. A igreja de Cristo foi chamada para fora do mundo, e com isso, entende-se que, tem que haver diferença entre o que fazem os ímpios e o que pratica o povo de Deus. As mesmas coisas que fazem o povo do mundo, não podem ser imitadas pelo rebanho do Senhor. Quando se diz que a igreja é “separada” subtende que ela não pode ser mundana, mas sim, dedicada para Deus e o seu reino.

A CERCA DAS QUAIS VOS DECLARO, COMO JÁ ANTES VOS DISSE. Estas mesmas coisas que o apóstolo estava escrevendo nesta sua carta e por meio destas exortações, eram as mesmas que ele pregava e ensinava quando esteve pessoalmente, e quando fundou as igrejas ou comunidades cristãs na Galácia. E ele não estava escrevendo para os ímpios nem para os incrédulos, mas ele tentava a alertando o povo de Deus e de Cristo.

QUE OS QUE COMENTEM TAIS COISAS. Que coisas são estas? Prostituição, adultério, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices e glutonarias. Se o apóstolo estava escrevendo sobre estas coisas é porque certamente elas estavam acontecendo nas igrejas da Galácia. Da mesma forma, de alguma maneira acontece nas igrejas dos dias de hoje.

NÃO HERDARÃO O REINO DE DEUS. Este era um alerta do apóstolo dos gentios para a igreja de Cristo na região da Galácia, com o objetivo de que os servos do Senhor Jesus não se deixassem dominar pelas obras da carne, e no final das contas se prejudicassem quanto à salvação. Esta advertência deve servir de sinal vermelho para os seguidores de Cristo nos dias de hoje, para que, renunciemos as obras da carne pelos frutos do Espírito.

Gálatas 5:20

Gálatas 5:20 - Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias.
IDOLATRIA. A lista de vícios deste versículo retrava justamente dos pecados mais comuns praticados pelos participantes das religiões e seitas heréticas. A idolatria tem várias modalidades, desde a adoração e veneração aos ídolos e as imagens de esculturas, que são os de ordem religiosa. Como também existe a egolatria, que é a prática da idolatria a si mesmo. Bem como a idolatria às coisas materiais, como sendo a amor excessivo ao dinheiro, que conforme o evangelho é a raiz de todos os males.

FEITIÇARIA. Desde tempos mais remotos da humanidade que as religiões pagãs se envolvem em atos maléficos de feitiçaria. A feitiçaria tem tudo a ver com atos de bruxarias que são praticados com as forças ocultas do mal, na tentativa de prejudicar o ser humano. A feitiçaria é uma forma de magia negra, em que os líderes do ocultismo são utilizados pelos espíritos malignos para enganar as pessoas. Na feitiçaria, bruxaria e magia negra são usados rituais macabros para impressionar os adeptos de tais seitas.

INIMIZADE. Esse é um tipo de sentimento que permeia até mesmo as mais influentes autoridades eclesiásticas da igreja cristã. Cada líder das denominações prega e defende de que sua religião é a mais correta e que as demais são seitas heréticas. E até mesmo dentro das próprias denominações existem verdadeiras guerras travadas por aqueles que ocupam cargos e posições de destaques contra aqueles que contrariam seus interesses.

PORFIA, EMULAÇÕES. A palavra “porfia” é sinônima de desavenças, contendas e brigas. Esses sentimentos se afloram com facilidade entre os que estão em eminência como lideranças do povo de Deus, por causa dos interesses contrariados de alguns. Já a palavra “emulações” quer dizer: Ciúme, inveja e zelo distorcido. Os que estão em eminência têm ciúmes dos que são usados por Deus, para que não venham a tomar seu lugar ou posição.

IRAS. A maioria das guerras que já aconteceram na história da humanidade teve a influencia, infelizmente, dos sentimentos religiosos. Temos o exemplo na atualidade do terrorismo praticado pelos extremistas islâmicos, onde se matam pessoas inocentes em nome de uma religião. Ninguém tente contrariar o interesse de quem se acha um líder religioso, porque terá como retaliação, atos contínuos de vingança, de ódio, ira e raiva.

PELEJAS, DISSENSÕES. Verdadeiras guerras são travadas dentro das redomas da religiosidade por aqueles que ocupam cargos, posições elevadas e buscam proeminências nas oportunidades, contra seus supostos concorrentes. Por causo de interesses pessoais ou de grupos, as denominações estão sendo bombardeadas pelas divisões, partidarismo e facções. Isso porque as denominações passaram a ser o reino dos homens.

HERESIAS. As heresias não estão manifestas na simplicidade do evangelho de Cristo, mas elas estão embutidas nas pregações e ensinos mais profundos, porque os hereges se camuflam de homens de Deus, para semearem suas ideias nefastas de forma simulada. A intenção dos hereges é sempre tirarem proveitos da simplicidade e humildade das pessoas, mas no fundo eles querem mesmo é explorar o seu próximo financeiramente.

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Gálatas 5:18-19

Gálatas 5:18-19 - Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei. Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia.
MAS, SE SOIS GUIADOS. Estes dois versículos fazem contrastes entre si, porque determinam rumos diferentes na vida de uma pessoa, mostrando o caminho daqueles que são guiados pelo Espírito de Deus, e no inverso, aqueles que são dominados e viciados pelas obras da carne. Quem norteia o final da história de um ser humano são os seus professores, tutores e guias, então a pergunta é: Quem está guiando o nosso destino? Quem deseja chegar no céu com Cristo, deve ser guiado pelo Espírito de Deus.

PELO ESPÍRITO. Paulo começa o capítulo quatro desta carta falando sobre o menino que antes de alcançar a maturidade, ele era guiado por tutores e curadores. Mas, quando alcançava maioridade deixava de ser igual a um escravo para ser filho. Na nova dispensação, quem aceita a Cristo passa a ser filho de Deus (João 1:11). E os filhos de Deus são guiados pelo Espírito de Deus (Romanos 8:14). A palavra “Espírito” está posta com a primeira letra Maiúscula, porque se trata do Espírito Santo de Deus.

NÃO ESTAIS DEBAIXO DA LEI. Somente aqueles que seguiam ao judaísmo é que estavam debaixo da lei, e com isso obrigados a cumprirem todas as exigências da legislação de Moisés, coisa que nem mesmo os judeus estavam conseguindo, quanto mais os gentios, que se tornavam prosélitos do judaísmo. O Messias veio justamente para libertar os seus discípulos da servidão da lei, instituindo a sua legislação pelo evangelho da graça.

PORQUE AS OBRAS DA CARNE. A partir de então, o escritor faz o contraste entre os que são guiados pelo Espírito de Deus e os que não se deixam ser guiados pelo Espírito Santo, porque são dominados pelas obras da carne. Estas obras da carne caracterizam os homens naturais que vivem em torno das coisas materiais e que se deixam dominar pelos prazeres desta vida terrena. O homem natural vive pelas obras da carne.

SÃO MANIFESTAS, AS QUAIS SÃO. As Escrituras apontam de que há uma diferença entre os que servem a Deus e os que não servem. A pessoa que ainda não vive pela sua fé em Cristo Jesus e, que, portanto, ainda não passou pelo processo do novo nascimento ou regeneração espiritual é programada a viver conforme os padrões deste mundo enganador. De forma que, é perceptível a manifestação das obras da carne em sua vida.

ADULTÉRIO, PROSTITUIÇÃO. Nesta sua lista em que enumera as obras da carne é natural que o escritor dê início falando dos pecados sexuais que na sua época eram os mais praticados. Nos países do oriente médio era onde mais se permitiam os pecados da bigamia, poligamia, adultério e prostituição. Nos dias atuais isso tem se tornado uma praga social sem precedente, uma vez que, a prostituição se tornou uma coisa normal.

IMPUREZA, LASCÍVIA. A impureza, neste caso, descreve sobre todos os tipos de relações sexuais ilícitas, tais como a prostituição, adultério, prevaricação, fornicação, homossexualismo masculino ou feminino, em fim, toda e qualquer relação sexual que não esteja de acordo com o que é permitido pelas Escrituras. Os homens têm si tornado como animais irracionais em busca da prostituição e as mulheres não são diferentes.

Gálatas 5:16-17

Gálatas 5:16-17 - Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne. Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis.
DIGO, POREM, ANDAI EM ESPÍRITO. Mais uma vez o apóstolo usa uma metáfora do andar cristão para falar sobre o modo digno com que devem se comportar os servos de Cristo. A palavra “Espírito” está posta dentro do texto com sua inicial maiúscula, indicando que o cristão verdadeiro vive conforme a vontade do Espírito do Senhor. E andar em Espírito é buscar dentro do possível ser guiado pelo Espírito de Deus. Paulo escrevendo aos (Romanos 8:14), diz que os filhos de Deus são guiados pelo Espírito.

E NÃO CUMPRIREIS A CONCUPISCÊNCIA DA CARNE. O escritor vem comparando o viver para a lei, em contraste com o viver pela graça-fé, e neste ponto, ele compara, ainda que indiretamente, a carne, que tipifica a lei, e o Espírito que representa a graça-fé. Não cumprir as concupiscências da carne é renunciar os prazeres desta vida, pelo prazer de servir a Deus e buscar o seu reino em primeiro lugar. Carne, neste caso, fala dos prazeres.

PORQUE A CERNE COBIÇA. Essa cobiça nos fala sobre as forças que a carne exerce sobre as decisões das pessoas, é tanto que, mesmo o homem sabendo que deve fazer a vontade de Deus, mas insiste em fazer o que o mundo oferece de errado. A carne é quem executa a conduta distorcida dos homens terrenos e naturais. A alma do homem natural está distorcida e manchada, e por meio do corpo ela extravasa seus apetites.

CONTRA O ESPÍRITO. O Espírito a que se refere o apóstolo dos gentios, não diz respeito ao espírito do homem, mas sim ao Espírito de Deus. De fato, o escritor esta se reportando a luta interior do homem, em fazer a sua própria vontade ou se submeter ao senhorio de Cristo, por meio do Espírito Santo. As concupiscências da carne guerreiam contra as orientações do Espírito de Deus, como uma guerra no interior do homem.

E O ESPÍRITO CONTRA A CARNE. No tempo da lei era a letra, pelas regras da legislação de Moises quem tentava regular as ações dos homens. Todavia, no tempo da nova dispensação da graça de Deus é o Espírito de Deus quem procura orientar a vida dos discípulos de Cristo. Desta forma, entende-se que o Espírito Santo trabalha no homem interior para convencer o ser humano do pecado, da justiça e do juízo.

E ESTES OPÕE-SE UM AO OUTRO. O combate não para, e se mostra como uma guerra entre o mal, a carne e o bem, representado pelo Espírito de Deus. Ora o homem se deixa inclinar pelas vontades da carne, quando sabemos que o certo é viver sendo guiado permanentemente pelo Espírito de Deus. Notemos que, os servos de Cristo só têm condições de vencer as concupiscências da carne, pela influência do Espírito de Deus.

PARA QUE NÃO FAÇAIS O QUE QUEREIS. O autor ver o ser humano no centro de dois polos opostos, onde por um lado ele, quando vencido pelas concupiscências da carne, passa a ser influenciado pelas forças terrenas. Mas, quando se deixa ser guiado pelo Espírito de Deus, vai no caminho certo em fazer e executar a vontade do Criador. Neste dilema, o homem deve optar em não fazer a vontade da carne, mas sim do Espírito.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Gálatas 5:15

Gálatas 5:15 - Se vós, porém, vos mordeis e devorais uns aos outros, vede não vos consumais também uns aos outros.
SE VÓS, POREM. Espera-se que no meio do povo de Deus haja paz e harmonia, com uma boa convivência entre aqueles que professam seguir o cristianismo. Quando o apóstolo dos gentios esteve pregando o evangelho, ele transmitiu uma mensagem de reconciliação com Deus, mas também de paz entre os homens. De acordo com a mensagem que temos a nosso frente, os filhos na fé do apóstolo estavam agindo ao contrário do que tinham aprendido de Paulo, dando lugar as contendas, ao partidarismo e as divisões.

VOS MORDEIS. O escritor usa uma metáfora um tanto dura, quando compara seus leitores a um bando de cachorros raivosos e famintos que buscam devorar uns aos outros. Geralmente este tipo de metáfora era usada como representatividade de uma situação em que, as pessoas se sentiam iradas umas contra as outras. Esse comportamento dos irmãos nas igrejas da Galácia estava indo na contra mão do que Jesus ensinou aos seus discípulos, que se devem amar uns aos outros com amor fraternal.

E DEVORAIS. Estes dois verbos utilizado pelo autor representam situações parecidas, e que nos vem a seguinte pergunta: Porque os irmãos estavam se comportando desta forma? Quando olhamos para a igreja da atualidade, descobrimos que tais situações ocorrem por conta da busca pelo poder, posição e oportunidades nas igrejas. Principalmente no ministério, é uma verdadeira guerra, um querendo derrubar o outro.

UNS AOS OUTROS. Não se ver este tipo de luta com aqueles que fazem parte da igreja de Cristo, mas que são pessoas simples e humildes, que participam apenas como adoradores. Porem, com aqueles que estão em busca de cargos, posição e oportunidades, um verdadeiro jogo de empurra, empurra é feito, tal qual uma concorrência para ver quem se apresenta melhor, na tentativa de roubar a glória devida a Deus e a Cristo Jesus.

VEDE. Nesta guerra, reina uma cegueira espiritual, em que os que dela participam, não possam enxergar pelos olhos da fé, que tudo deve ser feito para glória de Deus. E essa cegueira vem justamente pela hipocrisia religiosa, pela ganância e a fome de poder. O que o escritor alerta aos seus leitores é que possam entender que tudo que se deve fazer para o reino de Deus, deve ser por amor, e não com segunda intensões ou interesses.

NÃO VOS CONSUMAIS TAMBÉM. A preocupação do fundador daquelas comunidades cristãs era de que, os irmãos não terminassem se matando uns aos outros. Mas isso não se tratava de morte física, mas sim de morte espiritual, até porque nestas guerras por cargos, posição e oportunidades, muitos dos que guerreiam por estas coisas, terminam mortos sem nem perceber. As guerras internas é o que mais prejudica a obra de Deus.

UNS AOS OUTROS. A sociedade nem toma conhecimento destas batalhas internas das personagens do ministério. Os membros comuns das denominações muitas vezes também nem percebem estas guerras travadas. Mas entre aqueles que lutam por cargos, posição e oportunidades nas igrejas, verdadeiras batalhas são travadas de uns contra os outros para ver quem leva vantagem. Desde o início da igreja que isso acontece.

Gálatas 5:14

Gálatas 5:14 - Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.
PORQUE. Paulo vem dando explicações convincentes de que a liberdade do evangelho é bem melhor do que a servidão da lei, e que não há como conciliar o judaísmo com o cristianismo, como estavam fazendo os cristãos legalistas de Jerusalém. O fato é que as lideranças de Jerusalém entenderam que Cristo veio apenas fazer uma reforma do judaísmo, e que até meados dos anos setenta, quando Jerusalém foi destruída, eles buscaram adaptar o cristianismo ao judaísmo. Porem, no mundo gentílico era diferente.

TODA A LEI. Certamente o escritor se reporta a toda à lei de Moisés, que serviu aos filhos de Israel por um determinado tempo, até que viesse o tempo da nova dispensação da graça de Deus pela fé em Jesus Cristo. Com a chegada do Messias de Deus, o próprio Jesus falou: A lei e os profetas duraram até João Batista, desde então, o reino de Deus é tomado por força. Durante o tempo em que vigorou a legislação de Moisés ficou claro e patente de que a lei não ajudou ao homem, se não a mostrar-lhe o quanto é pecador.

SE CUMPRE. De forma que, os filhos de Israel não tiveram condições de cumprir toda a lei, como era de foto o seu propósito, porque não adiantava cumprir os mais importantes dos mandamentos e tropeçar nos mais insignificantes. No entanto, uma nova luz raiou no mundo, com a manifestação do Messias de Deus, que criou um novo sistema, de se fazer a vontade de Deus, com a implantação da dispensação da graça de Deus e fé em Jesus.

NUMA SÓ PALAVRA. Na legislação de Moisés, os escribas contavam trezentos e sessenta e cinco proibições expressas, sem contar que a lei de Moisés tinha mandamentos, estatutos e juízos, porque não era apenas uma lei de cunho religioso, mas também cível e social. Já a legislação de Cristo, por meio das boas novas do evangelho, com sua mensagem simples, se resume em uma palavra, voltada para o nosso semelhante.

NESTA. Essa é uma citação que pode ser vista em Levítico 19:18 - Não te vingarás nem guardarás ira contra os filhos do teu povo; mas amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o Senhor. O Senhor Jesus resumiu a sua legislação em dois mandamentos, em que um deles é: Marcos 12:31 - E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes, amor fraternal.

AMARÁS AO TEU PRÓXIMO. Podemos dizer que a legislação de Cristo, conforme o seu evangelho, está posicionado em duas direções, horizontal e vertical. Vertical, quando devemos dedicar todo o nosso amor para com o nosso Deus, e horizontal, porque foi mandamento do Cristo de Deus, que amemos o nosso semelhante como a nós mesmos, destes dois mandamentos depende toda a lei e os profetas, e isto é o que Cristo quer.

COMO A TI MESMO. Quem tem uma saúde normal, naturalmente busca o seu bem pessoal, por isso que as pessoas se gastam em suas atividades do dia a dia para tentar conseguir uma vida melhor. As mesmas diligências e esforços Cristo pede que nos dediquemos para proporcionar o bem-estar do nosso próximo. Ninguém de sã consciência faz o mal a se próprio, devemos evitar em fazer o mal ao nosso semelhante.

Gálatas 5:13

Gálatas 5:13 - Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não useis então da liberdade para dar ocasião à carne, mas servi-vos uns aos outros pelo amor.
PORQUE VÓS, IRMÃOS. Neste texto, o autor muda o foco de suas palavras para os irmãos das igrejas da Galácia, isso porque, no texto anterior ele faz um ataque forte contra os seus opositores, aqueles que estavam invadindo os campos missionários conquistados pelo apóstolo para por meio de suas heresias tornarem os seguidores de Cristo presas fáceis do judaísmo. Tratar uns aos outros de irmãos era um costume comum entre todos aqueles que receberam a Cristo como Senhor e Salvador, é o que diz (João 1:11).

FOSTES CHAMADOS. Todos aqueles que fazem parte da igreja remida de Cristo Jesus foram chamados pelo Senhor para fazerem parte do seu reino que é o reino da luz e da verdade. A chamada cristã tem tudo a ver com a escolha e nomeação de Cristo na vida de todos aqueles que fazem a sua vontade (João 16:15). Como também esta mesma chamada se identifica com a predestinação apontada por Paulo em (Efésios 1:4-6). Ao mesmo tempo esta chamada passa pela justificação e glorificação dos escolhidos de Deus.

À LIBERDADE. Aqueles que faziam parte do judaísmo não contavam com a mesma liberdade com que os seguidores do cristianismo desfrutavam, nem desfrutam. Isso porque, aqueles que eram circuncidados, conforme o pacto Abraâmico, ficavam na obrigação de cumprirem todas as exigências da legislação de Moisés, o que para o apóstolo dos gentios, se tornava um fardo pesado e difícil de suportar. Isso é fato.

NÃO USEIS ENTÃO DA LIBERDADE. Os cristãos verdadeiros estavam livres das amarras da lei, mas para o escritor não podiam usar de tal liberdade para fazerem o que desse na teia. O fato de alguém fazer parte do cristianismo isso não o torna imune às práticas do pecado e da desobediência. A liberdade cristã deve ser usada para render glórias ao nome do Senhor, isso porque, tudo que um servo de Cristo faz, é para glórias de Deus.

PARA DAR OCASIÃO A CARNE. Uma das provas evidentes de que realmente alguém nasceu de novo, conforme a regeneração espiritual é quando tal pessoa renuncia as obras da carne para ser guiado pelo Espírito de Deus. Dar ocasião à carne é deixar de fazer a vontade de Deus para realizar os prazeres desta vida. O seguidor do evangelho está livre da servidão da lei, mas isso não quer dizer que ele deve fazer o que o mundo oferece.

MAS SERVI-VOS UNS AOS OUTROS. A igreja primitiva precisava em muito se unir para vencer as dificuldades daquela época, até porque, muitos dos seguidores de Cristo quando se convertiam ao cristianismo tinham seus bens confiscados pelo estado romano, e com isso ficavam de repente pobres economicamente. Portanto, a união de esforços, no sentido de se ajudarem mutuamente seria mais que necessário neste momento.

PELO AMOR. A igreja do primeiro século ainda respirava o cheiro suave dos ensinamentos de Cristo, que estavam sendo repassados pelos seus apóstolos e líderes da igreja amada de Cristo. O Senhor Jesus pediu aos seus seguidores, que os seus discípulos amassem uns aos outros como se ama a si próprio. A medida do amor fraternal é algo que preenche a vida da igreja do Senhor Jesus, como quem segue seu próprio exemplo.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Gálatas 5:11-12

Gálatas 5:11-12 - Eu, porém, irmãos, se prego ainda a circuncisão, por que sou, pois, perseguido? Logo o escândalo da cruz está aniquilado. Eu quereria que fossem cortados aqueles que vos andam inquietando.
EU, POREM, IRMÃOS. O “eu” usado por Paulo é Enfático, no sentido de destacar sua posição quanto aos assuntos que ele estava expondo nesta carta, bem como para se defender das acusações dos seus opositores. O fato do escritor chamar seus leitores de irmãos, isso era uma características de humildade do apóstolo, e ao mesmo tempo para destacar que estava dirigindo suas exortações a quem realmente importava que eram os seguidores de Cristo, nas igrejas que estavam situadas na região da grande Galácia.

SE PREGO AINDA A CIRCUNCISÃO. Percebe-se o ataque diretivo do apóstolo dos gentios aos seus opositores naquelas igrejas, até porque, aqueles que estavam pregando o retorno dos cristãos a legislação de Moisés, chegavam a acusar a Paulo de defender que os cristão precisavam ser circuncidados. Mas, tanto as pregações de Paulo, quanto os seus escritos provam o contrário. Quem defendia a circuncisão eram os legalistas.

PORQUE SOU, POIS, PERSEGUIDO? O contrário do que os opositores de Paulo testemunhavam a respeito dele, o apóstolo dos gentios pregava era contra a circuncisão dos gentios que se convertiam ao cristianismo. E por conta disto é que o apóstolo dos gentios era duramente perseguido pelos judaizantes ou defensores do judaísmo, como também pelos cristãos legalistas de Jerusalém, invasores de suas igrejas.

LOGO O ESCÂNDALO DA CRUZ. Para os seguidores do judaísmo, o foto de Cristo ter morrido pendurado em uma cruz era uma maldição, conforme a legislação de Moisés. Já para os gregos, a crucificação de Jesus de Nazaré era um escândalo. Mas para os verdadeiros líderes do cristianismo primitivo, a crucificação do Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, era um ato perfeito de expiação, propiciação e redenção.

ESTÁ ANIQUILADO. Aqueles que andavam pregando na região da Galácia que os seguidores de Cristo, mesmo tendo se convertido ao cristianismo precisavam ser circuncidados e com isso guardarem a legislação de Moisés. Eles com isso buscavam anular o sacrifício expiatório de Cristo, que resultou na reconciliação da humanidade com Deus. Porque para Paulo, o homem escolhe; ou a lei, ou a redenção feita por Cristo.

EU QUERERIA QUE FOSSE CORTADO. Um estudo panorâmico dos escritos de Paulo nos passa a ideia de que ele era de fato amoroso com os seguidores de Cristo Jesus, porem, implacável com aqueles que tentavam prejudicar o andamento da igreja de Cristo. Neste ponto, ele deseja que os seus opositores sejam decepados do meio do povo de Deus, fosse quem fosse. Cortado, neste caso, seria nos dias de hoje, excluído mesmo.

AQUELE QUE VOS ANDAM INQUIETANDO. É notório que o apóstolo dos gentios estava furioso neste momento, contra quem estava invadindo seus campos missionários, levando ideias contrárias a tudo aquilo que ele havia ensinado nas igrejas por ele fundadas. O que podemos conjecturar é que eram pessoas que representavam a igreja legalista de Jerusalém. Esse legalismo durou até os anos setenta ou um pouco mais.

Gálatas 5:10

Gálatas 5:10 - Confio de vós, no Senhor, que nenhuma outra coisa sentireis; mas aquele que vos inquieta, seja ele quem for, sofrerá a condenação.
CONFIO DE VÓS. Apesar dos pesares, ainda há esperança, e é por ela que o apóstolo tinha o caminho rumo a uma luz no fim deste túnel. O escritor conhecia os seus leitores, porque esteve pessoalmente em atividades evangelísticas naquela região, e por conhecer a todos eles, sabe que nem tudo está perdido. O apóstolo entende que os seus filhos na fé estavam sendo enganados pelos cristãos legalistas de Jerusalém, mas que com a chegada desta carta, eles poderiam acordar para a realidade que já conheciam.

NO SENHOR. Mas, acima de tudo, Paulo confia mesmo de verdade é no Senhor, de que aquela situação seria revertida em favor do cristianismo, que estava sendo atacado por defensores do judaísmo. O interesse maior era do Senhor Jesus em lutar juntamente com o apóstolo dos gentios em prol do reino de Deus. Assim como antes, o Senhor havia ajudado a Paulo a levar aquele povo a luz do evangelho, não seria diferente neste momento, até porque as igrejas da Galácia pertencia a Cristo Jesus nosso Senhor.

QUE NENHUMA OUTRA COISA SENTIREIS. O que o autor mais deseja neste momento era de que os seus leitores retomassem a fé que antes tinham em Cristo Jesus, tendo a certeza de que a graça de Deus era muito melhor para eles, do que se arriscarem a tentar se justificar pelos mandamentos da lei. Verdade é que os destinatários desta carta estavam duvidosos, mas se voltassem aos ensinos de Paulo, dava tudo certo no final.

MAS AQUELE. Não se sabe ao certo quem era este herege que havia chegado naquela região, pregando uma outra maneira de servir a Cristo. O fato é que alguém tinha chegado às igrejas da Galácia espalhando as ideias de que, mesmo as pessoas se convertendo ao cristianismo, tinham que ser circuncidadas e guardarem a legislação de Moisés, coisa esta, que era totalmente contrária a teologia ensinada por Paulo.

QUE VOS INQUIETA. Uma verdadeira confusão estava instalada na cabeça de cada um dos seguidores de Cristo naquele lugar. Porque eram pessoas que vieram do paganismo, se converteram ao cristianismo, e agora estavam sendo persuadidas a seguirem o judaísmo. Como se diz aqui em nossa região, a fé do povo estava pra lá de Bagdá. O que sabemos é que esta carta chegou em boa hora como luz na escuridão deste túnel.

SEJA QUEM FOR. Paulo estava neste momento, furioso contra aquele que estava invadindo seus campos missionários e tentando desfazer seus trabalhos em prol do evangelho de Cristo e da nova dispensação da graça. Mesmo que fosse um dos apóstolos de Jerusalém, não tinha o direito de distorcer o que o apóstolo dos gentios havia feito em toda aquela região, levando os gentios a aceitarem a Cristo como Senhor e Salvador.

SOFRERÁ A CONDENAÇÃO. Alguns comentaristas do Novo Testamento tentam amortecer esta expressão do apóstolo afirmando que, o autor deseja que realmente aquele que estava atrapalhando seus trabalhos na Galácia sofreria um castigo, por semear suas heresias entre o povo de Deus. Efetivamente, desviar uma vida dos caminhos do Senhor tem um alto preso, imagine desviar o rebanho do Senhor do evangelho da verdade.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Gálatas 5:7-9

Gálatas 5:7-9 - Corríeis bem; quem vos impediu, para que não obedeçais à verdade? Esta persuasão não vem daquele que vos chamou. Um pouco de fermento leveda toda a massa.
CORRÍEIS BEM. O autor usa uma metáfora esportiva para representar o estado decaído dos seus leitores que estavam se desviando do verdadeiro evangelho de Cristo para o retrocesso da lei de Moisés. Antes da chegada dos cristãos legalistas de Jerusalém, os seguidores de Cristo em todas as igrejas da Galácia estavam indo muito bem, conforme o que tinham ouvido dos ensinos transmitidos por Paulo e seus companheiros de ministério. Todavia, neste momento, já não mais andavam conforme a graça de Deus.

QUEM VOS IMPEDIU. Os esportistas, tanto romanos quanto gregos, que disputavam as olimpíadas daquela época eram submetidos aos vários obstáculos na trajetória até chegar ao ponto final da corrida. No caso dos seguidores de Cristo na Galácia, algo parecido estava acontecendo, onde os judaizantes procuravam atrapalhar a marcha da igreja de Cristo, que de início transcorria bem, mas que agora estava apostatando da fé.

PARA QUE NÃO OBEDEÇAIS. Nas corridas esportivas haviam muitas regras a serem obedecidas pelos atletas participantes, e a quebra de tais regras levava o participante a ser eliminado, mesmo que chegasse em primeiro lugar. Quando Paulo esteve pregando o evangelho de Cristo naquela região, ele passou para seus filhos na fé as regras do evangelho de Cristo, que eram segundo a graça de Deus e não de acordo com a lei.

A VERDADE? Esta verdade sobre a qual se reporta o apóstolo dos gentios, diz respeito a tudo que está envolvido na nova dispensação da graça de Deus com a humanidade por meio da nova aliança implantada por Cristo Jesus. A verdade é que na nova dispensação, o homem entra com a sua fé em Cristo Jesus, confiança na sua obra perfeita de redenção, enquanto que Deus entra com a sua graça, que é um favor não merecido.

ESSA PERSUASÃO NÃO VEM DAQUELE. Daquele que vos chamou, diz respeito ao Deus eterno, Deus de amor, bondade e misericórdia, que por sua graça mudou o seu jeito de lidar com a humanidade, onde por meio da propiciação de Cristo, estabeleceu a paz com os homens. A persuasão a que o escritor cita, diz respeito ao modo como os cristãos legalistas convenceram aos Gálatas que eles eram obrigados a guardarem a lei de Moisés.

QUE VOS CHAMOU. O próprio Paulo dava testemunho por onde passava da forma graciosa com que foi chamado por Deus. A chamada a que o apóstolo faz menção envolve a eleição, a escolha e até a predestinação dos remidos de Cristo. Paulo faz lembrar aos seus leitores de que eles foram chamados por Deus para uma vida de fé, e não para se sujeitarem ao código da letra, que nem os judeus foram capazes de cumprir.

UM POUCO DE FERMENTO LEVEDA TODA A MASSA. O que o apóstolo estava tentando dizer aos seus leitores era de que, os ensinos heréticos transmitidos pelos cristãos legalistas de Jerusalém, que invadiram os campos missionários conquistados por Paulo, mesmo que fossem tais ensinos inofensíveis, terminava por destruir a fé que uma vez foi dada aos santos. As heresias têm efeitos destruidores que contaminam a fé cristã.

Gálatas 5:6

Gálatas 5:6 - Porque em Jesus Cristo nem a circuncisão nem a incircuncisão tem valor algum; mas sim a fé que opera pelo amor.
PORQUE EM JESUS CRISTO. Com a manifestação do Messias de Deus, tudo mudou em termos de legislação, porque Moisés instituiu a lei, mas em Cristo Jesus, Deus estabeleceu a nova dispensação da graça, por meio do evangelho. Jesus é o nome próprio do Filho de Deus e quer dizer Salvador, ou aquele que veio para salvar o seu povo dos seus pecados. Já o sobrenome Cristo, nos fala da missão do Messias de Deus, que veio realizar a redenção da humanidade, como sendo o ungido e enviado de Deus Pai.

NEM A CIRCUNCISÃO. Essa circuncisão tipifica um pacto de Abraão com Deus em que todo judeu do sexo masculino devia ser circuncidado ao oitavo dia do seu nascimento, como compromisso de que tal pessoa deveria ser um seguidor do judaísmo durante toda a vida. Era uma pequena cirurgia no prepúcio do menino, que perdurava para a vida toda. Conforme a teologia defendida por Paulo este pacto Abraâmico dos filhos de Israel tinha dada de validade, porque só foi válido até a chegada de Cristo Jesus, o Messias de Deus.

NEM A INCIRCUNCISÃO. Se a circuncisão só teve sua validade até a chegada do Emanuel de Deus, Cristo Jesus, imagina a incircuncisão? A incircuncisão caracterizava aqueles que não faziam parte da nação de Israel, o que os judeus chamavam de incircuncisos ou gentios, pagãos e outros adjetivos. Com a chegada do Cristo de Deus, nem uma coisa nem outra era mais importante, porque um novo modus operante de Deus passou a reinar.

TEM VALOR ALGUM. No caso dos judeus, eles guardavam intermináveis listas de nomes dos seus antepassados ou listas genealógicas para provarem de que eram descendentes dos patriarcas Abraão, Isaque e Jacó. No que diz respeito aos incircuncisos gentios, eles se sentiam excluídos das alianças de Deus com Israel, por isso, que não procuravam o Deus de Abraão, Isaque e Jacó, como protesto de que o Criador não se importava com eles.

MAS SIM A FÉ. Paulo declara que, com a vinda do Cristo de Deus, já não importa se alguém é descendente de Abraão, Isaque e Jacó ou pertence as demais nações do mundo, chamados gentios ou pagãos. Porque na verdade, o que importa na nova dispensação é a fé pura e verdadeira que a pessoa exerce em Cristo Jesus, o enviado de Deus para implantar a nova dispensação da graça, ele que também é o ungido de Deus Pai.

QUE OPERA. Esta fé cristã no nome bendito de Cristo Jesus e na sua obra perfeita e completa de redenção é que quebra a barreira de separação, nos levando aos braços de Deus. Esta mesma fé provoca o verdadeiro arrependimento, que por sua vez produz o novo nascimento, quando se chega à regeneração espiritual ou transformação de vida. Esta fé genuína em Cristo opera a comunhão necessária com Deus pela reconciliação.

PELO AMOR. Falar deste amor é descrever sobre o amor ágape de Deus e de Cristo por cada um dos remidos do Senhor. Deus amou o mundo de uma tal maneira, Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores (Romanos 5:8). É deste amor que depende toda a legislação de Cristo, pois ele ensinou que devemos amar a Deus sobre todas as coisas e ao nosso próximo como a nos mesmos.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Gálatas 5:4-5

Gálatas 5:4-5 - Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça tendes caído. Porque nós pelo Espírito da fé aguardamos a esperança da justiça.
SEPARADOS. Essa é uma colocação feita pelo escritor para descrever sobre aqueles que haviam se desviado da fé em Cristo Jesus. A invasão dos campos missionários de Paulo pelos cristãos legalistas de Jerusalém estava provocando uma onda de apostasia na vida daqueles que antes serviam e seguiam ao evangelho da graça de Deus. O apóstolo dos gentios em suas atividades evangelísticas naquela região havia trazido muitas pessoas para o reino de Cristo, mas com a chegada dos legalistas muitos apostataram da fé.

ESTAIS DE CRISTO. Todos aqueles que haviam se deixado dissimular pelos cristãos legalistas e que neste momento estavam seguindo as exigências da lei de Moisés, deixaram a Cristo por algo que nem os judeus tiveram condições de fazer, quanto mais os gentios, que era cumprir a lei. De acordo com o evangelho da graça de Deus, e pelos parâmetros da nova dispensação, quem estiver separado de Cristo, corre o risco de ter prejuízos eternos, até porque, vida eterna, somente há para quem está em Cristo.

VÓS OS QUE JUSTIFICAIS PELA LEI. Foi assim com os judeus desde que entraram na terra de Canaã, eles de princípio se agarraram com a legislação de Moisés com unhas e dentes, na tentativa de se justificarem diante de Deus, porem, com o passar do tempo, desprezaram a lei, porque perceberam de que não havia como guardar todas as exigências da própria lei. Paulo quer dizer aos seus leitores que pior seria para eles.

DA GRAÇA TENDES CAÍDO. Imagine alguém dizer que é um cristão, mas que está separado de Cristo e ainda por cima tendo caído da graça. O que se pode ver nisto é a desgraça total. As atividades dos cristãos legalistas tinham provocado prejuízos terríveis na vida dos que antes eram seguidores da simplicidade do evangelho e da graça de Deus. Cair da graça é fechar a porta diante da misericórdia de Deus e desprezar a Cristo.

PORQUE NÓS PELO ESPÍRITO. Depois da vinda do Messias de Deus, um novo tempo se desponta para judeus e gentios, em que Jesus realizou a redenção e pelo Espírito Santo regenera o homem para ser conforme a imagem de Deus, de acordo com sua semelhança. Pela lei, o homem buscava pelos seus próprios esforços se justificar diante de Deus, pela graça de Deus, o Espírito de Cristo é quem nos leva aos braços do Pai.

DA FÉ. A lei exigia do homem plena obediência a todos os mandamentos da legislação de Moisés e a quebra de um dos mais pequenos dos mandamentos, era a mesma coisa que a transgressão a todos. Mas no tempo da graça de Deus, só precisa o homem exercer sua fé absoluta em Cristo e confiar que sua obra de redenção é suficiente para que o homem seja justificado diante da justiça de Deus. Basta o homem crer em Jesus Cristo.

AGUARDAMOS A ESPERANÇA DA JUSTIÇA. Quando exercemos a nossa fé e confiança em Cristo Jesus, o Espírito de Deus testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus e, portanto, pertencentes à família de Deus. Com isso, a nossa alma e espírito se enche de esperança de que, a expiação e a propiciação realizada pelo Cordeiro de Deus é suficiente para nos conduzir em paz ao Criador, que nos recebe de braços abertos. Aleluias.

Gálatas 5:2-3

Gálatas 5:2-3 - Eis que eu, Paulo, vos digo que, se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará. E de novo protesto a todo o homem, que se deixa circuncidar, que está obrigado a guardar toda a lei.
EIS QUE EU, PAULO. Esse trecho desta carta reforça a tese de que efetivamente foi o apóstolo Paulo quem escreveu esta missiva aos Gálatas e expõe seu “eu” enfático, juntamente com seu nome próprio Paulo, para que não houvesse dúvida da autoria. Ao mesmo tempo, o escritor ao se interpor com eu nome, estava demostrando sua autoridade apostólica, coisa que reforçava o peso deste documento, até porque neste momento do seu ministério, Paulo era por demais respeitado pela igreja de Cristo Jesus.

VOS DIGO QUE, SE VOS DEIXARDES CIRCUNCIDAR. Quem seria indicado candidato a ser circuncidado? Somente aqueles que pudessem provar que eram descendentes dos patriarcas Abraão, Isaque e Jacó. Como também os prosélitos do judaísmo, ou seja, aqueles que mesmo sendo estrangeiro, mas queriam ser seguidores da legislação de Moisés. No caso dos leitores de Paulo, eles eram gentios convertidos ao cristianismo.

CRISTO DE NADA VOS APROVEITARÁ. Se porventura alguém se convertesse ao judaísmo, e não ao cristianismo, por se deixar ser circuncidado, então, essa pessoa não precisava de Cristo nem da obra perfeita de redenção realizada pelo Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, Jesus Cristo. Para Paulo, quem optasse pelo judaísmo, estava confessando que não precisava de Jesus Cristo e, portanto, não era cristão.

E DE NOVO PROTESTO A TODO O HOMEM. Depois que Paulo esteve em Jerusalém, conforme capítulo dois desta carta, e deu testemunho do quanto Deus estava abençoando as igrejas do mundo gentílico, despertou os cristãos legalistas a invadirem os campos missionários conquistados por ele. E diante das ameaças que chegavam às igrejas supervisionadas por Paulo, o apóstolo dos gentios protesta a ação dos cristãos legalistas.

QUE SE DEIXA CIRCUNCIDAR. Na realidade, os cristãos legalistas de Jerusalém tinham aceito apenas uma pequena reforma do judaísmo, implantada por Cristo, mas que não deixaram nenhum dos preceitos da legislação de Moisés. Além do mais, agora, estavam invadindo as igrejas fundadas por Paulo e seus companheiros de ministério, no mundo gentílico, tentando impor que os gentios fossem obrigados a seguir o judaísmo.

QUE ESTÁ OBRIGADO. Paulo não ver como conciliar o judaísmo com o cristianismo, ou uma coisa ou outra, quem se deixasse ser circuncidado, estava apostatando da graça e abraçando a lei. Porque era regra do judaísmo, quem se tornasse prosélito do judaísmo era obrigado a guardar todos os mandamentos da legislação de Moisés. Se os judeus de origem não tiveram condições de guardarem toda a lei, imagine os gentios.

A GUARDAR TODA A LEI. Depois da conquista de Canaã pelo povo de Israel, não demorou muito para que o povo se desviasse da lei mosaica. Os cativeiros babilônico, Assírio e agora o domínio romano foram consequências da desobediência de Israel a aliança deles com Deus. Para Paulo, a lei fracassou no tocante aos filhos de Israel, e como daria certo para os gentios? Para os gentios, a única solução seria a graça de Deus em Cristo Jesus.

Gálatas 5:1

Gálatas 5:1 - Estais, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão.
ESTAIS, POIS, FIRMES. Nos capítulos três e quatro desta carta, o apóstolo se sente decepcionado com o estrago com que os judaizantes e os cristãos legalistas estavam provocando nas igrejas da Galácia, porque o escritor nos deixa transparecer que os seus leitores estavam realmente desviados da simplicidade do evangelho. Mas agora, o apóstolo dos gentios transmite uma palavra de avivamento em que aconselha seus filhos e filhas na fé a que se firmassem em Cristo, porque a graça de Deus ainda estava de pé.

NA LIBERDADE. O apóstolo Paulo foi duramente acusado pelos judaizantes e pelos cristãos legalistas de pregar uma liberdade, que beirava o caminho da libertinagem. Porem, a liberdade que o apóstolo dos gentios pregava, não era com respeito ao mundanismo, mas sim, a servidão de um código de lei, que não serviu para o fim de salvação aos seus seguidores, no caso o judaísmo. A defesa de Paulo era a liberdade no Espírito de Deus para se fazer a vontade do Senhor, e isso, de acordo com o evangelho.

COM QUE CRISTO. Cristo representa o cumprimento da promessa de Deus a Abraão em que por meio do seu descendente, todas as nações do mundo seriam abençoadas ou benditas. Jesus Cristo é ao mesmo tempo a cumprimento de todas as profecias prometidas sobre a vinda do Messias de Deus, ele que era o Enviado de Deus Pai para implantar a nova dispensação da Graça, como também o Ungido de Deus e Libertador.

NOS LIBERTOU. Quando o evangelho proclama Cristo Jesus como o Redentor é porque a sua obra perfeita de expiação foi suficiente diante de Deus para por meio da propiciação, realizar a reconciliação do homem para com Deus. Cristo foi obediente à lei em nosso lugar para nos libertar justamente das amarras da legislação do Moisés, uma vez que, como gentios, não tínhamos condições de atender as exigências da lei de Moisés.

E NÃO TORNEIS. As igrejas da Galácia eram compostas de gentios convertidos ao cristianismo, portanto, desde a entrada de Israel na terra prometida, que as demais nações do mundo não faziam parte das alianças de Israel com Deus. Agora que, por meio de Cristo a porta da graça havia se abrido para os gentios, como que eles pretendiam se submeter à lei de Moises, que fora dada exclusivamente para os judeus?

A COLOCAR-VOS DEBAIXO. Na realidade, a lei de Moisés havia se tornado um fardo na vida de todos aqueles que eram seguidores do judaísmo. Nem mesmo os judeus mais ortodoxos tinham condições de atender as duras regras da legislação de Moisés. Jesus acusou os líderes religiosos dos judeus, os escribas e fariseus de colocarem sobre os ombros dos homens fardos pesados e difíceis de suportar, e ele falava sobre a lei.

DO JULGO DA SERVIDÃO. Paulo via a lei, para sua época, como um julgo, algo que tentava controlar a vida das pessoas, mas que não prometia liberdade, mas sim sofrimentos, porque ninguém tinha condições de cumprir as exigências. Em vez de melhorar a vida das pessoas com a verdadeira felicidade, a legislação de Moisés, agora servia de tropeço na vida das pessoas, porque terminava gerando escravos e não filhos.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Gálatas 4:30-31

Gálatas 4:30-31 - Mas que diz a Escritura? Lança fora a escrava e seu filho, porque de modo algum o filho da escrava herdará com o filho da livre. De maneira que, irmãos, somos filhos, não da escrava, mas da livre.
MAS QUE DIZ A ESCRITURA? Mais uma vez o escritor usa deste artifício para mostrar aos seus leitores e principalmente os seus opositores nas igrejas da Galácia que ele não estava simplesmente expondo suas ideias, que seus argumentos estavam de acordo com as Sagradas Escrituras. Essa é uma citação de livre interpretação, se utilizando da versão canônica da Septuaginta, referente à (Gênesis 21:10). Essa referência do livro dos começos nos fala justamente sobre o texto que temos a nova frente.

LANÇA FORA. Tudo começa com a própria Sara opinando que Abraão recebesse como sua concubina a criada Agar, de quem surgiu o primeiro filho de Abraão Ismael. No versículo anterior de (Gênesis 21:9) declara que Sara percebeu que Ismael estava zombando de seu Filho Isaque. Sistematicamente a legítima esposa do patriarca sentiu ciúmes e pressionou seu marido Abraão a que lançasse fora sua criada e seu filho.

A ESCRAVA COM SEU FILHO. Essa escrava era justamente Agar, ela que era de descendência egípcia, onde na sua própria terra também era escrava, mas que conforme tradições e histórias sobre ela em Israel, havia fugido do Egito, passou algum tempo escondida no Monte Sinai, de onde surgiu seu nome. Não somente Agar devia ser lançada fora, mas também o filho de Abraão, que ele gostava muito, que era Ismael.

PORQUE DE MODO ALGUM O FILHO DA ESCRAVA HERDARÁ. Se o filho legítimo não tivesse nascido, da união entre Abraão e Sara, provavelmente o herdeiro seria o próprio Ismael, porque certamente ele seria, mesmo sendo filho da escrava o primogênito do patriarca. No entanto, Com o nascimento do verdadeiro herdeiro, Sara que de direito era a verdadeira esposa, cobrança seus direitos e de seu filho com Abraão, que era Isaque.

COM O FILHO DA LIVRE. Com a chegada do legítimo herdeiro de Abraão, Já o filho ilegítimo perdeu seus privilégios. Ao que tudo indica, antes do nascimento de Isaque, Abraão já havia se afeiçoado com Ismael, e até certo ponto, se conformava de que as promessas de Deus e suas alianças com ele poderiam se cumprir em Ismael. Todavia, houve mudanças com a chegada de Isaque, ele que era o filho da livre e não da escrava.

DE MANEIRA QUE, IRMÃOS, SOMOS FILHOS NÃO DA ESCRAVA. Esta é uma conclusão feita de modo resumido dos dois últimos capítulos desta epístola, ou seja, três e quatro. Paulo como apóstolo dos gentios, defende de forma forte de que a igreja de Cristo não é filha da escrava, em alegoria, da lei. Para o escritor, os seguidores do judaísmo ou os cristãos legalistas de Jerusalém eram filhos da escrava, que neste caso representa a lei.

MAS DA LIVRE. O próprio Paulo, que antes de se converter ao cristianismo, ele próprio experimentou este tipo de servidão. Porem, tendo um encontro com Cristo, foi liberto da servidão da legislação de Moisés. Da mesma forma que, todos aqueles que receberam a Cristo como Senhor e Salvador, também foram libertos da lei pela graça de Deus, mediante a fé em Cristo Jesus e em sua perfeita obra de redenção pela sua igreja.

Gálatas 4:28-29

Gálatas 4:28-29 - Mas nós, irmãos, somos filhos da promessa como Isaque. Mas, como então aquele que era gerado segundo a carne perseguia o que o era segundo o Espírito, assim é também agora.
MAS NÓS, IRMÃOS. Paulo se inclui entre aqueles que, conforme as promessas de Deus, são gerados pelo Espírito de Deus, isso porque são nascidos de cima. Como também busca alimentar a esperança dos que faziam parte da igreja cristã na Galácia, mesmo percebendo de que precisavam seguir o evangelho e não o que ensinavam os judaizantes ou os cristãos legalistas. Chamar os seus leitores de irmãos, esse era um costume do apóstolo dos gentios em todas as suas epístolas como tratamento fraternal.

SOMOS FILHOS DA PROMESSA. Que promessa? Neste caso, o apóstolo se refere à promessa feita a Abraão de abençoar todas as nações do mundo por meio do descendente do patriarca, que veio a ser o Messias, na pessoa bendita de Cristo Jesus. A igreja nasceu do coração de Deus em cumprimento da sua aliança com Abraão, e isso se deu antes da promulgação da legislação de Moisés e que se cumpriu na igreja de Cristo.

COMO ISAQUE. Porque como Isaque? Porque o nascimento de Isaque se deu por meio de um milagre da parte de Deus na vida de Abraão, uma vez que, tanto Abraão quanto sua mulher não tinham mais condições de gerar um filho, principalmente Sara que era estéril e não podia gerar filhos. O cumprimento desta promessa na igreja foi também um milagre da parte de Deus, porque Israel não esperava que fosse pela graça, mas pela lei.

MAS COMO ENTÃO AQUELE QUE ERA GERADO SEGUNDO A CARNE. Paulo fala sobre Ismael que não foi gerado conforme a promessa de Deus feita a Abraão, porem, por um incidente tempestuoso da parte de Sara e de Abraão. Primeiro, porque Abraão não estava se deitando com sua legítima esposa, e, portanto, estava cometendo um adultério. Depois, o que Sara fez foi um ato de incredulidade, não confiando na promessa de Deus.

PERSEGUIA. Certamente o apóstolo se refere ao fato de que Ismael havia nascido primeiro do que Isaque, desta forma, mesmo que não tivesse os mesmo direito de Isaque, mas era motivos de chacota da parte do filho da escrava sobre o filho de Sara. As tradições dos judeus apontam que Ismael intentou contra a vida de Isaque, mesmo que de brincadeira, porque segundo se pressupõe, se Isaque morresse, ele seria o herdeiro.

O QUE O ERA SEGUNDO O ESPÍRITO. Porque Isaque nasceu segundo o Espírito? E vale salientar que a palavra Espírito está com a inicial maiúscula, o que se refere ao Espírito de Deus. Porque Deus quando fez a promessa a Abraão, assim o fez pelo seu Santo Espírito, como também o seu cumprimento. Não é diferente no que tange a igreja de Cristo, que tem sido herdeira das promessas segundo o Espírito de Deus tem falado e cumprido.

ASSIM É TAMBÉM AGORA. Ismael de alguma forma perseguia a Isaque, seja no campo físico ou em termos de discriminação psicológica, e isso era conhecido dos judeus todos. Paulo traz para os seus dias, quando ele mesmo era vítima dos judaizantes, e nesta região da Galácia pelos Cristãos legalistas também. Não foram poucas as perseguições impetradas pelos seguidores do judaísmo contra os seguidores do cristianismo, a igreja.

Gálatas 4:27

Gálatas 4:27 - Porque está escrito: Alegra-te, estéril, que não dás à luz; Esforça-te e clama, tu que não estás de parto; Porque os filhos da solitária são mais do que os da que tem marido.
PORQUE ESTÁ ESCRITO. Esta é uma frase recorrente nos escritos de Paulo, também utilizada por outros escritores do Novo Testamento, quando citavam passagens do Velho Testamento ou das literaturas religiosas dos judeus. Como neste caso, o combate era contra os judaizantes ou os cristãos legalistas de Jerusalém, então o apóstolo se utiliza de uma passagem do profeta (Isaías 54:1). O fato de o escritor usar uma passagem do Velho Testamento, fecha questão, porque ninguém contestaria seus argumentos e ideias.

ALEGRA-TE, ESTÉRIL. Essa passagem bíblica citada por Paulo, fala justamente sobre o progresso da igreja durante o novo tempo do agir de Deus em prol da humanidade por meio da igreja de Cristo. Os judeus se utilizavam deste provérbio para caracterizar os gentios de infrutíferos quanto a Deus. Uma mulher estéril para os judeus era uma mulher desventurada, assim os israelitas consideravam as demais nações do mundo.

QUE NÃO DÁS À LUZ. Mas, Deus utilizando-se do profeta anima aquelas mulheres, que não davam a luz, que para os judeus eram malditas, porque o Senhor iria trabalhar em favor delas. Esta alegoria feita pelo autor fala de milagre da parte de Deus, justamente o que aconteceu com Sara, com Ana, mãe de Samuel e com a própria Maria mãe de Jesus. Neste caso, Deus iria fazer o contrário do natural, executando o sobrenatural.

ESFORÇA-TE E CLAMA. Essa frase aponta para a esperança e a fé, o que no tempo da igreja primitiva eram coisas que para a alta sociedade era motivo de chacota e zombaria. Porem, Jesus falou que, o reino de Deus era tomado por força, e isso nos ensina sobre os desafios que Cristo teve que enfrentar para formar a sua igreja, além dos apóstolos, dos líderes do cristianismo e da própria igreja remida de Cristo que enfrentou desafios.

TU QUE NÃO ESTÁS DE PARTO. A entrada dos gentios no reino de Deus foi efetivamente algo não esperado pelos judeus. Podemos pensar o quanto as pessoas que não eram descendentes de Abraão, Isaque e Jacó sofriam dos israelitas, por conta das discriminações religiosas. Porem, a igreja nasceu de onde não se esperava, com a rejeição de Cristo pelo seu povo, os judeus, Deus abriu a porta da graça para nós, os gentios.

PORQUE OS FILHOS DA SOLITÁRIA. Esta é uma expressão que para época representava a jovem solteira que não conseguia se casar por qualquer motivo. Não temos como provar, mas quem sabe o pensamento de Paulo se volta para a profecia de (Isaías 7:14), em que uma virgem conceberia e daria a luz um Filho. No caso da mãe de Jesus, isso se tornou uma realidade, porque por meio de Jesus, os filhos de Deus tem se multiplicado.

SÃO MAIS DO QUE OS DA QUE TEM MARIDO. Hoje a igreja de Cristo, compostas pelos filhos de Deus, não tem como se contar a quantidade de pessoas que já se agregaram ao reino de Deus, que estão a cada dia se chegando e que ainda haverão de aceitarem a Cristo como Senhor e Salvador. Os remidos em Cristo, nosso irmão mais velho, são mais do que a areia que está nas praias do mar e mais que as estrelas que brilham nos céus.

Gálatas 4:25-26

Gálatas 4:25-26 - Ora, esta Agar é Sinai, um monte da Arábia, que corresponde à Jerusalém que agora existe, pois é escrava com seus filhos. Mas a Jerusalém que é de cima é livre; a qual é mãe de todos nós.
ORA, ESTA AGAR É SINAI. Os historiadores fala sobre esta Agar como sendo escrava duas vezes, a primeira quando ela ainda vivia em seu país de origem, de onde fugiu destino a terra de Canaã. E identificam seu nome com o Monte Sinai conforme o idioma do seu país também. E que ela teve que ficar muito tempo escondida no citado Monte Sinai, para depois tomar o rumo em direção a Canaã. Tendo chega às tendas de Abraão ficou sendo serva de Sara. Talvez seja essa a comparação que o autor faz dela com Monte Sinai.

UM MONTE DA ARÁBIA. Realmente este Monte Sinai fica nos desertos da Arábia, também conhecido pelos hebreus como Monte Horebe, já na Arábia é chamado de Jebel Musa ou Monte de Moisés. É um pico muito alto com aproximadamente 2.280 metros de altitude, sendo considerado um lugar sagrado pelo menos para três religiões, o judaísmo, o cristianismo e o Islamismo. Este foi o local onde Moisés recebeu as tábuas da lei.

QUE CORRESPONDE A JERUSALÉM. Novamente o apóstolo dos gentios retoma sua explicação alegórica ao afirmar que este Monte Sinai, representa a Jerusalém terrestre que passou a ser a capital de Israel com a conquista da terra de Canaã. Tanto o Sinai, quanto a Jerusalém terrestre tem uma ligação direta com a lei de Moisés, porque foi no Monte Sinai que ela foi entregue e era em Jerusalém que ela deveria ser guardada.

QUE AGORA EXISTE. Quando Paulo escreveu esta sua carta aos Gálatas a Jerusalém estava de pé e como um lugar de perfeita adoração, tanto para os judeus quanto para os cristãos, principalmente para os cristãos legalistas. Como também a legislação de Moisés estava sendo defendida pelos judaizantes e proclamada como válida também pelas lideranças da igreja sede ou igreja mãe de Jerusalém, chamados os legalistas.

POIS É ESCRAVA COM SEUS FILHOS. Os israelitas pode até terem sidos libertos da escravidão do Egito, mas si tornaram escravos de uma lei que não teve como os libertarem do pecado. A lei que foi entregue no Monte Sinai, e que a casta sacerdotal de Jerusalém cobrava do povo lealdade a ela, não gerou filhos livres, mais servos e escravos de um sistema impraticável. Diferente da graça de Deus que liberta a todos.

MAS A JERUSALÉM QUE É DE CIMA É LIVRE. Jesus falou a respeito desta Jerusalém que é de cima em (João 14:2-3), como sendo o lugar em que ele foi nos preparar como sendo uma morada eterna. Já o livro do (Apocalipse 21:10-27) mostra como é a Nova Jerusalém onde os salvos e remidos irão morar com Cristo Jesus. Quem vai ser cidadão da Nova Jerusalém celeste é livre, porque faz parte da nova dispensação da graça.

A QUAL É MÃE DE TODOS NÓS. Quando o escritor se inclui no “nós” é porque ele tinha a grande esperança de um dia partir da terra e chegar como bem aventurado nas mansões celestiais. A Nova Jerusalém esta gerando fé, confiança e esperança em um infinito número de pessoas que pela graça de Deus e a fé em Jesus Cristo irão morar nesta linda cidade. Os filhos da Nova Jerusalém são os remidos de Cristo Jesus, o Salvador.

Gálatas 4:23-24

Gálatas 4:23-24 - Todavia, o que era da escrava nasceu segundo a carne, mas, o que era da livre, por promessa. O que se entende por alegoria; porque estas são as duas alianças; uma, do monte Sinai, gerando filhos para a servidão, que é Agar.
TODAVIA, O QUE ERA DA ESCRAVA. O que Paulo estava escrevendo era bastante conhecido dos seus leitores, até porque os judaizantes, bem como os cristãos legalistas de Jerusalém andavam por todas as partes pregando sobre tudo que estava posto nos escritos de Moisés. E ele começa falando a respeito de Ismael, que era filho de Abraão com a escrava de Sara, Agar. Ismael que não era produto do legítimo casamento do patriarca, e por ser filho de uma escrava, possivelmente teria um destino diferente.

NASCEU SEGUNDO A CARNE. O escritor buscava por meio de sua alegoria, depreciar a lei comparada com a graça de Deus. Para o apóstolo dos gentios, Ismael teve um nascimento que não foi do agrado de Deus, até porque o que aconteceu com Abraão e Agar foi um adultério, apesar de que os costumes a as tradições da época permitirem tal coisa. Esse nascimento segundo a carne é segundo a vontade do homem natural (João 1:13).

MAS O QUE ERA DA LIVRE, POR PROMESSA. Neste ponto, Paulo destaca o nascimento de Isaque, que segundo o entendimento do autor foi conforme a vontade e o plano de Deus, é tanto que, o nascimento de Isaque foi por uma intervenção do Senhor. Além do mais, o nascimento de Isaque fez com que aquela promessa feita ao patriarca Abraão tivesse o seu fiel cumprimento. Isso prova que Deus é fiel em cumprir com as suas promessas.

O QUE SE ENTENDE POR ALEGORIA. Como Paulo antes de se converter ao cristianismo pertencia à escola dos fariseus, ele se utiliza deste método, agora, para defender a graça de Deus e a fé em Jesus Cristo. Alegoria é um tanto parecida com as parábolas citadas por Cristo dentro das páginas do Novo Testamento, sem, no entanto, se distinguir uma das outras. Mas, as alegorias são diferentes das tipologias do Velho Testamento.

PORQUE ESTAS SÃO AS DUAS ALIANÇAS. Quando se fala em duas alianças é que a primeira delas se refere à aliança feita entre Deus e o seu povo Israel, que teve como mediador o grande legislador de Israel, Moisés. Já a segundo aliança sobre a qual se refere o apóstolo Paulo, diz respeito a aliança da graça de Deus com todas as nações do mundo, o que fazia parte da promessa feita por Deus a Abraão para todos os povos.

UMA DO MONTE SINAI. Essa aliança do Monte Sinai é justamente a aliança em que Deus faz com os descendentes de Abraão, e não com o descendente, no singular, que teve cumprimento em Cristo. A aliança do Monte Sinai é composta pela legislação de Moisés, e foi feita exclusivamente com a nação israelita, excluindo as demais nações do mundo. Esta aliança do Monte Sinai teve como resultado a servidão do povo de Israel, os judeus.

GERANDO FILHOS PARA SERVIDÃO, QUE É AGAR. Nesta mesma epístola, o escritor explica que a lei não podia ajudar ao povo de Israel em termos de salvação, porque o seu objetivo era mostrar aos seus seguidores o quanto eram transgressores. O fato que aconteceu entre Abraão e Agar era uma alegoria do que veio a ser a lei mosaica para os descendentes de Abraão, por meio da legislação de Moises, que gerou servos e não filhos.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Gálatas 4:21-22

Gálatas 4:21-22 - Dizei-me, os que quereis estar debaixo da lei, não ouvis vós a lei? Porque está escrito que Abraão teve dois filhos, um da escrava, e outro da livre.
DIZEI-ME, OS QUE QUEREM. O autor busca respostas dos seus leitores sobre o estado em que eles se encontravam, como que sem entender o porquê eles estavam deixando algo que era muito bom para todos, por uma situação em que não deu certo nem para os judeus, que era o povo do pacto, quanto mais para os gentios. Infelizmente, a coisa já não estava mais no querer, porque os indicativos nos mostram que já era prática mesmo, e que os gentios que faziam parte daquelas igrejas, estavam desviados da graça.

ESTAR DEBAIXO DA LEI. Neste caso, estar debaixo da lei era ter que se submeter a todas as exigências da legislação de Moisés, inclusive ser circuncidado como um prosélito do judaísmo. Para o apóstolo dos gentios, estar debaixo da lei era se submeter a um julgo que ninguém naquela época tinha condições de carregar. O Messias de Deus, Jesus de Nazaré se manifestou como sendo o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, justamente para libertar as pessoas desta carga insuportável e deste fardo pesado.

NÃO OUVIS VÓS A LEI? É claro que o escritor se reporta sobre a lei de Moisés, lei esta que era conhecida de todos os seus leitores, até porque os judaizantes andavam freneticamente por todas as partes a espalhando e procurando fazer prosélitos para o judaísmo. Como também os cristãos legalistas de Jerusalém não haviam largado a lei de Moisés por nada. Essa pergunta feita por Paulo tem o tom de ironia para seus leitores.

PORQUE ESTÁ ESCRITO. Durante o período da igreja primitiva, os líderes do cristianismo não tinham ainda pronto, o Cânon do Novo Testamento, como temos nos dias de hoje. Portanto, eles se utilizavam das Escrituras religiosas dos judeus para provarem pelas profecias messiânicas que Jesus Cristo era o Messias de Deus e que a nova dispensação estava de acordo com as promessas feitas por Deus, conforme os seus propósitos.

QUE ABRAÃO TEVE DOIS FILHOS. O autor pensa em (Gênesis 16:4 e 21:2) que falam justamente sobre estes dois filhos que teve o patriarca Abraão. Em que o primeiro era filho de uma das servas da própria mulher de Abraão, que foi Agar, e o outro era de Sara, a legítima esposa de Abraão. Agar era descendente do povo do Egito, enquanto que Sara era da parentela do próprio patriarca, mas ambas foram mulheres de Abraão.

UM DA ESCRAVA. Este foi Ismael, que era filho de Abraão com Agar, o que não podia nem ter acontecido, e pela história que está registrada no Gênesis, isso veio a ocorrer por conta do desespero da própria mulher de Abraão Sara, que percebendo que era estéreo, e que não tinha como gerar filhos, agiu precipitadamente e deu sua criada para se deitar com seu esposo, e deste ato de bigamia, nasceu um filho da escrava, Ismael.

E O OUTRO DA LIVRE. Este foi o Isaque, o filho da promessa, em que tanto Sara quanto Abraão, já eram avançados em idade, além de Sara ser estéreo, Deus prometera de lhes dar um filho, e assim cumpriu a promessa com o nascimento de Isaque. Deste foto acontecido com Abraão, Sara e Agar, Paulo faz uma alegoria para mostrar que os judaizantes eram filhos da escrava, enquanto que a igreja representava o filho da livre.

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Gálatas 4:19-20

Gálatas 4:19-20 - Meus filhinhos, por quem de novo sinto as dores de parto, até que Cristo seja formado em vós. Eu bem quisera agora estar presente convosco, e mudar a minha voz; porque estou perplexo a vosso respeito.
MEUS FILHINHOS. Essa é uma forma de tratamento da parte do apóstolo para os seus leitores demostrando a sua consideração e respeito por todos eles, além é claro de testemunhar de sua preocupação com o estado espiritual em que se encontravam neste momento. Podemos também conjecturar que o apóstolo dos gentios os chama de filhinhos, porque de fato, eles eram filhos na fé do apóstolo, que realizou várias campanhas evangelísticas naquela região, os alcançando com as boas novas de Cristo.

POR QUEM DE NOVO SINTO AS DORES DE PARTO. Essa é uma expressão metafórica para representar a profundidade das angústias de Paulo, por saber que os seus filhos na fé estavam deixando a fé genuína em Cristo, conforme o evangelho, para retornarem a servidão da lei de Moisés. No primeiro momento, não foi nada fácil gerar tantos filhos na fé, mas agora, era como se o apóstolo dos gentios tivesse de começar tudo de novo.

ATÉ QUE CRISTO SEJA FORMADO EM VÓS. Mesmo tendo, o apóstolo Paulo se esforçado o máximo em suas atividades evangelísticas naquela região, mesmo tendo trabalhado duro para discipular os seus leitores, mas sente que não foi o suficiente para que se firmassem totalmente nos caminhos do Senhor. Bastou que os cristãos legalistas de Jerusalém chegassem com uma nova ideologia, e estavam deixando a Cristo Jesus.

EU BEM QUISERA AGORA. O apóstolo abre totalmente seu coração e expressa de forma absoluta o desejo de sua alma, que era está presente com os seus leitores, para que pudesse começar novamente seus trabalhos de resgate, daqueles que estavam deixando o cristianismo pelo judaísmo. Não se sabe o motivo porque Paulo não estava podendo neste momento viajar para a Galácia, talvez por se encontrar mais uma vez preso.

ESTAR PRESENTE CONVOSCO. Certamente a presença de Paulo naquela região iria inibir as atividades dos cristãos legalistas, que com a ausência do apóstolo dos gentios se aproveitaram para desestruturar tudo que Paulo tinha implantado, no que diz respeito, aos ensinos sobre a salvação pela graça de Deus, mediante a fé em Cristo Jesus. Os cristãos legalistas até aceitavam a fé em Cristo, mas defendiam a lei de Moisés.

E MUDAR A MINHA VOZ. Ao que tudo indica, o apóstolo estava de fato furioso com o que estava acontecendo nas igrejas da Galácia, e isso ele demostra por meio desta frase. É como se ele dissesse que, se estivesse presente, iria dar uns bons gritos de alerta aos seus leitores, para que se acordassem do engano que estavam cometendo, por deixarem a graça de Deus, para voltarem a se submeterem as exigências da lei de Moisés.

PORQUE ESTOU PERPLEXO A VOSSO RESPEITO. Um verdadeiro amontoado de sentimentos negativos tomava conta da mente do escritor, por saber que todo o seu trabalho de evangelismo naquela região estava indo de água abaixo. Espanto tomava conta da mente de Paulo, sem entender o porquê, que os seus filhos na fé tão depressa desprezaram seus ensinos, rejeitaram seus trabalhos, por algo que não era bom para eles.

Gálatas 4:17-18

Gálatas 4:17-18 - Eles têm zelo por vós, não como convém; mas querem excluir-vos, para que vós tenhais zelo por eles. É bom ser zeloso, mas sempre do bem, e não somente quando estou presente convosco.
ELES TÊM ZELO POR VÓS. “Eles” se referem aos cristãos legalistas, que faziam parte da igreja mãe de Jerusalém, que estavam invadindo os campos missionários conquistados por Paulo. Esse zelo citado por Paulo era uma falsa preocupação que os opositores de Paulo e do evangelho da graça demostravam pelos leitores do apóstolo dos gentios, com o objetivo de conquistarem a confiança dos gálatas, mas por traz de tal zelo havia a nítida intenção de os deslocarem do evangelho pregado por Paulo, para a lei mosaica.

NÃO COMO CONVÉM. Paulo percebe que os cristãos legalistas de Jerusalém estavam agindo em seus campos missionários com segundas intenções. Eles se mostravam dissimulados, lobos com pele de ovelhas, quando distorciam as pregações de Paulo e seus ensinos. No capítulo dois desta epístola, ficou acertado que Paulo ficava com a evangelização dos gentios, enquanto que, os líderes de Jerusalém com os judeus.

MAS QUEREM EXCLUIR-VOS. A intenção dos representantes legalistas da igreja de Jerusalém era justamente tirar os seguidores de Cristo das igrejas da Galácia dos caminhos do evangelho de Cristo. Quando lhes ensinavam de que, mesmo tendo se convertido ao cristianismo, eles teriam a obrigação de guardarem todos os preceitos da legislação de Moisés, coisa que, segundo Paulo ensinava e pregava, não era necessário.

PARA QUE VÓS TENHAIS ZELO POR ELES. Tanto os judaizantes quanto as lideranças cristã legalistas de Jerusalém queriam mesmo era fazer prosélitos para si mesmos. Eles não tinham a intenção de levarem seus discípulos a Cristo, mas sim, conquistarem a confiança dos leitores de Paulo, a fim de que seguissem tais líderes, e não a Cristo Jesus. Diferente de Paulo, que havia trabalhado e muito para ganhar vidas para Cristo Jesus.

É BOM SER ZELOSO. Paulo até elogia que os seus leitores fossem zelosos pelas coisas de Deus, vivendo uma vida de santidade, dedicados inteiramente ao reino de Deus e de Cristo. Foi efetivamente para isso que o grande apóstolo dos gentios havia feito suas campanhas evangelísticas naquela região, pregando e ensinando como viver uma vida digna perante a sociedade e principalmente diante de Deus, que tudo vê e conhece.

MAS SEMPRE DO BEM. Ser zeloso do bem, neste caso, para o escritor era permanecer nos caminhos de Cristo, buscando o reino de Deus em primeiro lugar e as coisas que são de cima. Só que, em vez de seguirem tal orientação do apóstolo, os seus leitores estavam era seguindo o caminho inverso, e que eles não tinham condições de cumprirem com as regras impostas pela legislação de Moisés, que os legalistas queriam.

MAS NÃO SOMENTE QUANDO ESTOU PRESENTE CONVOSCO. Ao que tudo indica, os leitores de Paulo estavam agindo com dupla personalidade e comportamento dúbio. Quando Paulo estava presente, eles faziam conforme o apóstolo havia lhes ensinado, mas quando ausente, os cristãos legalistas lhes influenciavam a que agissem como se judeus fossem e seguidores do judaísmo. Paulo pede sinceridade dos seus leitores.