Pesquisar este blog

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Gálatas 3:11-12

Gálatas 3:11-12 - E é evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé. Ora, a lei não é da fé; mas o homem, que fizer estas coisas, por elas viverá.
E É EVIDENTE QUE PELA LEI. Para que veio a lei de Moisés? O Novo Testamento nos ensina que ela serviu de aio para levar o homem a Cristo. Na realidade a lei foi feita para evidenciar o quanto a natureza do homem esta desviada das verdades de Deus, e a prova disto é que os filhos de Israel não tiveram condições de cumprirem as exigências da legislação de Moisés. Como Cristo não precisava se justificar, porque ele é a própria justiça de Deus em essência, foi o único que cumpriu fielmente os requisitos da lei.

NINGUÉM SERA JUSTIFICADO. Mas, como os filhos dos homens precisam se justificar perante a justiça de Deus, assim sendo, pelas exigências da legislação de Moisés, ninguém consegue, porque ninguém é capaz de cumprir tudo que a lei determina. De forma que, a lei em vez de ajudar aos filhos dos homens, ela mostrou o quanto o ser humano é fraco e desobediente aos mandamentos de Deus, em não poder cumprir a lei de Moisés.

DIANTE DE DEUS. Os seguidores do judaísmo se esforçavam ao máximo para tentarem cumprir a lei de Moisés e quando cumpriam algumas de suas regras, isso era diante dos homens, que não tem como saber de tudo que acontece com a vida dos outros. Todavia, diante de Deus, que tudo vê e que tudo sabe, ninguém tinha condições de atender aos requisitos exigidos pela legislação de Moises, assim sendo todos falharam diante de Deus.

PORQUE O JUSTO VIVERÁ DA FÉ. Neste ponto, o escritor exalta o que determina a nova aliança da graça de Deus, em que o homem entra apenas com a sua fé para ser justificado diante de Deus. Esta fé que produz vida para o justo é posta em Cristo Jesus, ele que justifica o remido diante da justiça divina, pelo seu sacrifício expiatório. Com a nova aliança da graça de Deus, o justo só precisa crer na obra perfeita de redenção em Cristo.

ORA, A LEI NÃO É DA FÉ. A lei sobre a qual se refere o apóstolo dos gentios, diz respeito à legislação de Moisés, defendida pelos judaizantes e pelos cristãos legalistas. Já a fé, diz respeito ao que se espera do seguidor do evangelho de Cristo, como algo que leva o servo de Cristo aos braços do Pai. A lei não vem da fé, porque o tempo da fé veio depois, já dentro da nova dispensação, enquanto que a lei ficou no tempo da velha dispensação.

MAS O HOMEM QUE FIZER ESTAS COISAS. Se os filhos de Israel tivessem cumprido as exigências da lei, teriam sido abençoados pelo Deus Criador, porque um dos objetivos da lei era justamente abençoar os seus seguidores. No entanto, em vez de abençoar os seguidores do judaísmo, a lei só fez agravar mais ainda a situação dos legalistas, até porque em vez de abençoar, fez foi amaldiçoar, isso porque, não cumpriram suas regras.

POR ELAS VIVERÁ. Existiam muitos dos mandamentos da legislação de Moisés, que uma vez quebrados, o transgressor deveria ser apedrejado e morto. Mas aqueles que cumprissem tais mandamentos teriam a promessa de vida abundante sobre a terra. Esse viver conforme a lei de Moisés era viver muito sobre a terra, e não se refere à vida eterna, conforme o viver pela fé, que dá direito aos remidos de Cristo a vida eterna e a salvação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário