Pesquisar este blog

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Gálatas 4:25-26

Gálatas 4:25-26 - Ora, esta Agar é Sinai, um monte da Arábia, que corresponde à Jerusalém que agora existe, pois é escrava com seus filhos. Mas a Jerusalém que é de cima é livre; a qual é mãe de todos nós.
ORA, ESTA AGAR É SINAI. Os historiadores fala sobre esta Agar como sendo escrava duas vezes, a primeira quando ela ainda vivia em seu país de origem, de onde fugiu destino a terra de Canaã. E identificam seu nome com o Monte Sinai conforme o idioma do seu país também. E que ela teve que ficar muito tempo escondida no citado Monte Sinai, para depois tomar o rumo em direção a Canaã. Tendo chega às tendas de Abraão ficou sendo serva de Sara. Talvez seja essa a comparação que o autor faz dela com Monte Sinai.

UM MONTE DA ARÁBIA. Realmente este Monte Sinai fica nos desertos da Arábia, também conhecido pelos hebreus como Monte Horebe, já na Arábia é chamado de Jebel Musa ou Monte de Moisés. É um pico muito alto com aproximadamente 2.280 metros de altitude, sendo considerado um lugar sagrado pelo menos para três religiões, o judaísmo, o cristianismo e o Islamismo. Este foi o local onde Moisés recebeu as tábuas da lei.

QUE CORRESPONDE A JERUSALÉM. Novamente o apóstolo dos gentios retoma sua explicação alegórica ao afirmar que este Monte Sinai, representa a Jerusalém terrestre que passou a ser a capital de Israel com a conquista da terra de Canaã. Tanto o Sinai, quanto a Jerusalém terrestre tem uma ligação direta com a lei de Moisés, porque foi no Monte Sinai que ela foi entregue e era em Jerusalém que ela deveria ser guardada.

QUE AGORA EXISTE. Quando Paulo escreveu esta sua carta aos Gálatas a Jerusalém estava de pé e como um lugar de perfeita adoração, tanto para os judeus quanto para os cristãos, principalmente para os cristãos legalistas. Como também a legislação de Moisés estava sendo defendida pelos judaizantes e proclamada como válida também pelas lideranças da igreja sede ou igreja mãe de Jerusalém, chamados os legalistas.

POIS É ESCRAVA COM SEUS FILHOS. Os israelitas pode até terem sidos libertos da escravidão do Egito, mas si tornaram escravos de uma lei que não teve como os libertarem do pecado. A lei que foi entregue no Monte Sinai, e que a casta sacerdotal de Jerusalém cobrava do povo lealdade a ela, não gerou filhos livres, mais servos e escravos de um sistema impraticável. Diferente da graça de Deus que liberta a todos.

MAS A JERUSALÉM QUE É DE CIMA É LIVRE. Jesus falou a respeito desta Jerusalém que é de cima em (João 14:2-3), como sendo o lugar em que ele foi nos preparar como sendo uma morada eterna. Já o livro do (Apocalipse 21:10-27) mostra como é a Nova Jerusalém onde os salvos e remidos irão morar com Cristo Jesus. Quem vai ser cidadão da Nova Jerusalém celeste é livre, porque faz parte da nova dispensação da graça.

A QUAL É MÃE DE TODOS NÓS. Quando o escritor se inclui no “nós” é porque ele tinha a grande esperança de um dia partir da terra e chegar como bem aventurado nas mansões celestiais. A Nova Jerusalém esta gerando fé, confiança e esperança em um infinito número de pessoas que pela graça de Deus e a fé em Jesus Cristo irão morar nesta linda cidade. Os filhos da Nova Jerusalém são os remidos de Cristo Jesus, o Salvador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário