Pesquisar este blog

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Gálatas 5:6

Gálatas 5:6 - Porque em Jesus Cristo nem a circuncisão nem a incircuncisão tem valor algum; mas sim a fé que opera pelo amor.
PORQUE EM JESUS CRISTO. Com a manifestação do Messias de Deus, tudo mudou em termos de legislação, porque Moisés instituiu a lei, mas em Cristo Jesus, Deus estabeleceu a nova dispensação da graça, por meio do evangelho. Jesus é o nome próprio do Filho de Deus e quer dizer Salvador, ou aquele que veio para salvar o seu povo dos seus pecados. Já o sobrenome Cristo, nos fala da missão do Messias de Deus, que veio realizar a redenção da humanidade, como sendo o ungido e enviado de Deus Pai.

NEM A CIRCUNCISÃO. Essa circuncisão tipifica um pacto de Abraão com Deus em que todo judeu do sexo masculino devia ser circuncidado ao oitavo dia do seu nascimento, como compromisso de que tal pessoa deveria ser um seguidor do judaísmo durante toda a vida. Era uma pequena cirurgia no prepúcio do menino, que perdurava para a vida toda. Conforme a teologia defendida por Paulo este pacto Abraâmico dos filhos de Israel tinha dada de validade, porque só foi válido até a chegada de Cristo Jesus, o Messias de Deus.

NEM A INCIRCUNCISÃO. Se a circuncisão só teve sua validade até a chegada do Emanuel de Deus, Cristo Jesus, imagina a incircuncisão? A incircuncisão caracterizava aqueles que não faziam parte da nação de Israel, o que os judeus chamavam de incircuncisos ou gentios, pagãos e outros adjetivos. Com a chegada do Cristo de Deus, nem uma coisa nem outra era mais importante, porque um novo modus operante de Deus passou a reinar.

TEM VALOR ALGUM. No caso dos judeus, eles guardavam intermináveis listas de nomes dos seus antepassados ou listas genealógicas para provarem de que eram descendentes dos patriarcas Abraão, Isaque e Jacó. No que diz respeito aos incircuncisos gentios, eles se sentiam excluídos das alianças de Deus com Israel, por isso, que não procuravam o Deus de Abraão, Isaque e Jacó, como protesto de que o Criador não se importava com eles.

MAS SIM A FÉ. Paulo declara que, com a vinda do Cristo de Deus, já não importa se alguém é descendente de Abraão, Isaque e Jacó ou pertence as demais nações do mundo, chamados gentios ou pagãos. Porque na verdade, o que importa na nova dispensação é a fé pura e verdadeira que a pessoa exerce em Cristo Jesus, o enviado de Deus para implantar a nova dispensação da graça, ele que também é o ungido de Deus Pai.

QUE OPERA. Esta fé cristã no nome bendito de Cristo Jesus e na sua obra perfeita e completa de redenção é que quebra a barreira de separação, nos levando aos braços de Deus. Esta mesma fé provoca o verdadeiro arrependimento, que por sua vez produz o novo nascimento, quando se chega à regeneração espiritual ou transformação de vida. Esta fé genuína em Cristo opera a comunhão necessária com Deus pela reconciliação.

PELO AMOR. Falar deste amor é descrever sobre o amor ágape de Deus e de Cristo por cada um dos remidos do Senhor. Deus amou o mundo de uma tal maneira, Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores (Romanos 5:8). É deste amor que depende toda a legislação de Cristo, pois ele ensinou que devemos amar a Deus sobre todas as coisas e ao nosso próximo como a nos mesmos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário