Pesquisar este blog

terça-feira, 14 de março de 2017

Hebreus 3:2

Hebreus 3:2 - Sendo fiel ao que o constituiu, como também o foi Moisés em toda a casa de Deus.
SENDO. O autor fala a respeito de Cristo e a forma com que ele se comportou como Sumo Sacerdote que era entre o povo e o Deus de amor, bondade e misericórdia. As atividades de Jesus Cristo durante a sua vida e ministério aqui na terra foi na realidade uma demonstração eficaz de como pode ser alguém Mediador entre Deus e os homens, isso porque ele levou sobre si as cargas dos mais necessitados, ao mesmo tempo em que praticava todos os dias, atos de bondade e compaixão para com todos.

FIEL. Juntando-se todas as profecias messiânicas já vaticinadas a respeito do Messias de Deus, aprendemos que, a vida e ministério do Senhor Jesus foi absolutamente demarcada por tudo àquilo que a seu respeito já estava escrito. E chegando na terra, não fugiu de suas responsabilidades para com a palavra de Deus, porque em tudo buscou ser fiel aquele que o enviou, como sendo o Messias e Emanuel. O Senhor Jesus Cristo é um espelho nítido e transparente para quem deseja efetivamente fazer a vontade de Deus.

AO QUE. Desde os começos de todas as coisas na terra, que o Criador governa de forma organizada, e em se tratando dos seus planos para os seres humanos, ainda mais, basta ver dentro das Sagradas Escrituras como o Deus eterno age em favor do seu povo. No que diz respeito a tudo que estava determinado sobre o seu Cristo, todos os eventos transcorreram dentro do seu cronograma de realizações, já preestabelecido por ele.

O CONSTITUIU. Nada aconteceu por um acaso na vida e ministério do Senhor Jesus, uma vez que, antes mesmo de sua manifestação na terra, Deus já o havia constituído como seu legítimo representante, é tanto que ele já era conhecido como o Emanuel, ou seja, Deus conosco. Jesus é Sumo Sacerdote eterno, segundo a ordem de Melquisedeque, para ser o Mediador da nova aliança entre Deus e os homens, constituído por Deus.

COMO TAMBÉM. Neste capítulo dois de Hebreus, o escritor faz um paralelo comparativo entre Cristo Jesus, o Mediador da nova aliança da graça de Deus com a igreja de Cristo, e o grande líder e legislador Moisés para o povo de Israel. Porem, neste comparativo, o autor demonstra pelos seus vários argumentos que Jesus Cristo é superior a Moisés, sem, no entanto, desclassificar o líder respeitado do povo de Deus, os hebreus, Moisés.

O FOI MOISÉS. Percebe-se o respeito que o escritor tinha pelo grande líder e legislador de Israel, Moisés, quando o coloca em seu devido lugar, como sendo fiel a Deus naquilo que o Senhor o havia constituído, na libertação do seu povo da terra do Egito e sua introdução na terra prometida de Canaã. Moisés teve sua importância para Israel, porem, não mais do que Cristo Jesus tem para sua igreja remida, na nova dispensação da graça de Deus.

EM TODA A CASA DE DEUS. Quando o autor fala sobre à casa de Deus, ele não está se referindo ao templo construído por Salomão mais ou menos quinhentos anos depois. Até porque Moisés não entrou na terra prometida. Mas o escritor se reporta a congregação dos filhos de Israel, quando de sua saída do Egito, suas peregrinações nos desertos e por fim, sua chegada até as margens do Rio Jordão, até onde foi Moisés acompanhou Israel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário