Pesquisar este blog

segunda-feira, 20 de março de 2017

Hebreus 4:1

Hebreus 4:1 - Temamos, pois, que, porventura, deixada a promessa de entrar no seu repouso, pareça que algum de vós fica para trás.
TEMAMOS, POIS, QUE. O escritor demostra seu receio de que, o mesmo que aconteceu com os filhos de Israel, que pereceram no deserto, por conta da rebelião deles, venha a acontecer com o Israel espiritual. Na verdade, quando um judeu se convertia ao cristianismo, se travava uma luta tremenda dos judaizantes contra seu irmão cristão, uma vez que, os seguidores do judaísmo, não aceitavam a religião de Cristo como algo que fosse da parte de Deus, a prova disto é que rejeitaram a Cristo e o mataram crucificado.

PORVENTURA. Como não se sabe quem é de fato o escritor desta carta, apesar das muitas especulações, nem de onde ele escreveu sua missiva aos Hebreus, por isso que algumas conjecturas continuam a aflorar. Mas, podemos prever que o autor sabia do que estava acontecendo com os destinatários desta carta. E ao que tudo indica, dúvidas pairavam sobre a cabeça do escritor, bem como, os seus leitores não se sentiam seguros quanto a sua fé em Cristo, como também sobre a nova dispensação da graça de Deus.

DEIXADA. No caso dos filhos de Israel, eles não viviam na terra do Egito, mas apenas sobreviviam como escravos que eram. Porem, mesmo assim, nas primeiras provas de fé que tiveram que enfrentar, murmuraram contra Deus, se queixando que o Senhor os havia tirado do Egito para morrerem no deserto. Este verbo sinaliza sobre o estado de rebelião e apostasia daquela gente, que deixaram de crer nas palavras do seu Deus.

A PROMESSA. Quando ainda não existia nem a nação de Israel, o Deus Criador de todas as coisas fez aliança com Abraão, renovada com Isaque e confirmada com Jacó, de que os seus descendentes herdariam a terra de Canaã, terra que manava leite e mel. Bem como, a proposta de Deus por meio de Moisés era de que, os filhos de Israel estavam saindo do Egito para entrarem na terra prometida, mas eles não acreditaram na promessa feita.

DE ENTRAR NO SEU REPOUSO. A partir da promessa feita aos patriarcas de Israel, Abraão, Isaque e Jacó, isso passou a ser a grande esperança daquele povo. Quantos daqueles que viviam sob o regime de escravidão no Egito, não sonharam com o cumprimento da promessa, de entrarem em Canaã e serem libertos dos sofrimentos em que viviam? Agora, que tinham a chance de tomarem posse da promessa, não creram.

PAREÇA QUE ALGUNS DE VÓS. O escritor dá uma pausa sobre o fato que ele vem se reportando sobre os filhos de Israel, que pereceram no deserto, sem entrarem na terra de Canaã, e aponta sua mensagem em direção dos seus leitores para lhes advertirem sobre o mesmo perigo em que estavam incorrendo de não entrarem no repouso de Cristo, que é a promessa de vida eterna para os que nele creem verdadeiramente.

FICA PARA TRÁS. No caso do fato em que o autor vem discorrendo sobre aqueles que pereceram no deserto, por terem murmurado contra Deus, quando da tentação e provocação contra o Senhor, os que tinham mais de vinte anos, com algumas exceções, não entraram na terra prometida. Da mesma forma, os leitores desta carta, se não permanecessem na fé em Cristo, da mesma maneira ficariam para traz, sem a salvação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário