Pesquisar este blog

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Hebreus 6:18

Hebreus 6:18 - Para que por duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, tenhamos a firme consolação, nós, os que pomos o nosso refúgio em reter a esperança proposta.
PARA QUE POR DUAS COISAS IMUTÁVEIS. A primeira delas são as promessas de Deus, que ele fez a Abraão de que ele seria abençoado, abençoando te abençoarei, E que por meio do seu descendente, o Messias, Cristo Jesus, todas as nações seriam abençoadas, e isso veio a acontecer por meio da dispensação da graça de Deus. E a segunda coisa foi o juramento que Deus fez de que cumpririam suas promessas feitas ao patriarca Abraão. Abraão se tornou riquíssimo e a dispensação da graça alcanço a todas as nações.

NAS QUAIS É IMPOSSÍVEL QUE DEUS MINTA. Todas as promessas de Deus foram verdadeiras, é tanto que foram confirmadas, como também o juramento foi cumprido, porque Deus não mente. As Escrituras afirmam de que o Senhor é a verdade em essência, e isso implica em dizer que ele jamais mente, até porque seria contra se mesmo, quando sabemos que ele é a própria verdade. Esta verdade é a mais pura luz, glória e esplendor.

TENHAMOS A FIRME CONSOLAÇÃO. Baseados na fidelidade de Deus e que ele jamais se deixa macular por qualquer coisa que seja engano, é que os filhos da luz ficam firmes, tendo a certeza que, tudo aquilo que ele promete, também é fiel para cumprir. Com isso nossos corações se consolam pela firme certeza de que mais cedo ou mais tarde o Senhor entrará em ação para confirmar sua palavra que sobre nós é profetizada.

NÓS QUE POMOS. Pelo que é escrito nestas palavras, se percebe a tranquilidade que o autor tenta repassar para seus leitores, lhes assegurando de que os hebreus que verdadeiramente se converteram ao cristianismo estão dentro do plano de Deus. Quem sabe pontos negativos de pensamentos retrógrados possam estar passando na mente dos leitores desta carta, de que eles deveriam retornar ao judaísmo. O escritor diz não, e que todos, incluindo ele, deveriam sim, seguir a proposta da graça de Deus em Cristo Jesus.

O NOSSO REFÚGIO. A dispensação da lei não deu certo, neste mesmo tempo, Israel estava sob o julgo dos romanos, depois de passar pelos cativeiros. Ou eles atentavam para a nova dispensação da graça de Deus pela fé em Cristo, ou tudo estava perdido. O correto era se atirar nos braços de Cristo, se deixar ser guiados pelo Espírito Santo e encontrar o verdadeiro refúgio nos braças do Pai, ele que enviou o seu Messias, Jesus.

EM RETER A ESPERANÇA. A palavra de ordem por traz destas mensagens era, desistir jamais, recuar nunca, se desviar seria um retrocesso fatal. Avançar sim, prosseguir sem olhar para traz, se apegar a esperança de salvação e de vida eterna, era a única opção viável, segura e com resultado positivo. A graça de Deus, mediante a fé em Cristo Jesus e em sua obra perfeita de redenção abriu o caminho de acesso a Deus e ao trono da graça.

PROPOSTAS. Os hebreus, para quem esta carta estava sendo escrita e enviada, podiam se considerar privilegiados, porque além de terem o privilégio de pertencerem à descendência dos patriarcas ilustres, Abraão, Isaque e Jacó, reconheceram de que, em Cristo, o descendente de Abraão, Deus estava cumprindo todas as suas promessas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário