Pesquisar este blog

sábado, 8 de abril de 2017

Hebreus 7:1

Hebreus 7:1 - Porque este Melquisedeque, que era rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo, e que saiu ao encontro de Abraão quando ele regressava da matança dos reis, e o abençoou.
PORQUE ESTE MELQUISEDEQUE. Este homem era alguém muito importante naquela mesma região, e a prova disto é que ele era rei de Salém. E um aspecto mais importante ainda sobre este personagem é que além de ser o governante do seu povo, ele também era um sacerdote do Deus Altíssimo, o que o diferencia dos demais reis que havia em sua época. Como governante, o seu próprio nome lhe atribui duas grandes e importantes qualidades que eram elas; rei de justiça, e depois, rei que promove a verdadeira paz.

QUE ERA REI DE SALÉM. Melquisedeque era um monarca digno, muito respeitado pelos cidadãos que o conheciam é tanto que se tornou rei de Salém. Há de fato muitas opiniões quanto a este lugar citado pelo nosso autor, mas que certamente tanto o escritor quanto os seus leitores eram bem familiarizado com o que aqui está escrito. Dentro das conjecturas feitas pelos comentaristas, Salém pode ser Jerusalém ou Sião.

SACERDOTE. Identificar Melquisedeque como sacerdote do Deus altíssimo é algo efetivamente admirável, porque nesta mesma época e a história dos reis mais antigos identificam os monarcas como sacerdotes das falsas divindades ou de se mesmos, porque muitos dos reis mais antigos que praticavam o politeísmo pagão se consideravam deuses ou o próprio povo que era seus vassalos os considerava como deus, que era idolatria.

DO DEUS ALTÍSSIMO. Certamente, quando alguém falava no nome de Melquisedeque, o associava ao Deus Altíssimo, e isso demostra o quanto este homem tinha a dignidade de exaltar o nome do Deus Todo-poderoso. Deus Altíssimo é uma expressão que nos ensina sobre que o Deus único e verdadeiro está acima de todos e de tudo, como também o identifica como o Criador de todas as coisas pela sua majestade, poder e domínio.

E QUE SAIU AO ENCONTRO DE ABRAÃO. Abraão ao tomar conhecimento de que seu sobrinho Ló havia sido capturado pelos reis Anrafel, rei de Sinar, Arioque, rei de Elasar, Quedorlaomer, rei de Elão, e Tidal, rei de Goim. O patriarca tomou seus trezentos e dezoito servos e foi resgatar seu sobrinho Ló, e assim o fez. De volta da batalha, tinha que passar pelos termos do rei Melquisedeque, que servia ao mesmo Deus de Abraão.

QUANDO REGRESSAVA DA MATANÇA DOS REIS. Abraão realmente fez um estrago muito grande contra seus inimigos, porque matou os reis que tinham capturado seu sobrinho Ló, como também os seus respectivos soldados. A notícia se espalhou rapidamente, ao ponto de Melquisedeque ficar assombrado e foi ao encontro de Abraão com sinalização de paz, que era própria do seu nome e do seu governo. Este foi um grande encontro.

E O ABENÇOOU. O fato de Melquisedeque ter abençoado ao patriarca Abraão tem um efeito poderoso na mensagem deste livro, porque era de propósito do escritor demonstrar para seus leitores a grandeza do sacerdócio de Cristo, que era segundo a ordem de Melquisedeque. A ordem era o maior abençoar o menor, então Melquisedeque era maior que Abraão, que Levi, que Arão, e que todos os sacerdotes de Israel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário