Pesquisar este blog

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Hebreus 7:28

Hebreus 7:28 - Porque a lei constitui sumos sacerdotes a homens fracos, mas a palavra do juramento, que veio depois da lei, constitui ao Filho, perfeito para sempre.
PORQUE A LEI. Não há dúvida que o autor escreve neste ponto, sobre a lei de Moisés, e certamente sobre aquelas partes em que trata dos assuntos ligados aos sacerdotes levíticos. A lei de Moisés era um amontoado de estatutos que legislava sobre os mais diversos assuntos, tais como: Assuntos de natureza política, social, penal e religioso, até porque Israel seria a partir da entrada em Canaã uma nação independente, que deveria ter leis que pudesse organizar a vida em sociedade como o todo do povo de Israel.

CONSTITUIU SUMOS SACERDOTES. Mas, a parte da lei de Moisés que gerenciava a parte dos serviços religiosos, Moisés determinou que fossem constituídos sacerdotes para os serviços gerais e o sumo sacerdote, que seria da linhagem de seu irmão Aarão. E isso todo não era sem critérios, por isso que a lei organizava esta parte, para que os sacerdotes fizessem parte da tribo de Levi, e isso não podia ser mudado pelos homens.

A HOMENS FRACOS. Em seus argumentos, o escritor procura desmontar completamente o antigo sistema sacerdotal, como se fosse algo que chegou ao seu fim com a chegada do cumprimento de uma promessa feita por Deus para dentro do tempo da nova dispensação da graça. Os filhos de Levi que eram constituídos sacerdotes conforme a lei, bem como os sumos sacerdotes eram homens cheios de fraquezas humanas.

MAS A PALAVRA DO JURAMENTO. O escritor se reporta ao (Salmos 110:4), onde o Criador de todas as coisas, já em uma previsão de futuro para o tempo do Messias, anunciava uma nova promessa quanto a um tipo de Sumo Sacerdote ideal. O juramento era a palavra de garantia de que aquela promessa se cumpriria, porque a palavra dada por Deus era sustentada pela sua fidelidade em cumprir tudo aquilo que ele promete.

QUE VEIO DEPOIS DA LEI. A lei de Moisés foi escrita pelo grande legislador de Israel a mais ou menos mil e quinhentos anos antes da vinda do Messias de Deus. Enquanto que os Salmos foram escritos mais ou menos mil anos a.C. De forma que, a promessa foi feita já dentro de uma necessidade de mudança. A realidade é que o povo obedecia mais a lei, quando no seu princípio, mas com o passar do tempo, a própria lei foi se tornando obsoleta, e a prova disto é que vieram os cativeiros, por conta da desobediência.

CONSTITUIU AO FILHO. Os sacerdotes constituídos pela legislação de Moisés eram filhos de Levi e os sumos sacerdotes filhos de Aarão por descendência. No entanto, o Cristo de Deus, como Sumo sacerdote era igualmente o Filho de Deus. Antes mesmo da sua vinda, já era prometido que o Messias era Filho de Deus por excelência. O seu nascimento milagroso foi uma prova de que Jesus era realmente o filho unigênito de Deus.

PERFEITO PARA SEMPRE. Essa colocação do escritor nos fala da perfeição do sacerdócio de Cristo, como também nos ensina sobre a impecabilidade do Filho de Deus. Os sacerdotes aarônicos eram imperfeitos, é tanto que tinham que oferecer sacrifícios por si mesmos. Enquanto que, o Sumo Sacerdote, Jesus Cristo, não pecou, não falhou nem se achou engano em sua vida. Portanto, Jesus Cristo é o nosso Sumo Sacerdote ideal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário