Pesquisar este blog

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Hebreus 7:3

Hebreus 7:3 - Sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre.
SEM PAI, SEM MÃE. Tudo que o autor expõe sobre Melquisedeque, não é para enaltecê-lo, mas apenas mostrando verdades sobre ele, para depois revelar que o sacerdócio de Cristo, que é segundo a ordem de Melquisedeque, é superior ao sistema sacerdotal implantado pelo judaísmo tradicional. Não aparece no registro bíblico o nome do pai, nem da mãe deste grande homem de Deus, que era sacerdote do Deus Altíssimo.

SEM GENEALOGIA. Os judeus guardavam listas enormes de nomes dos seus antepassados para comprovarem de que faziam parte da arvore genealógica dos patriarcas mais nobres daquela nação, passando pelos reis até chegarem a Jacó, Isaque e Abraão. No caso de Melquisedeque, não se encontravam nos registros históricos o nome dos pais, nem filhos deste sacerdote em lugar nenhum, muito menos, fazendo parte da tribo de Levi.

NÃO TENDO PRINCÍPIO DE DIAS. Os hebreus valorizaram as origens das pessoas recorrendo aos seus antepassados, e até certo ponto se ufanavam de pertencerem às famílias mais ilustres do seu povo. Como os líderes religiosos de Israel eram bastante estimados pelo povo, aqueles que pertenciam à tribo de Levi, citavam os nomes dos sacerdotes ou sumos sacerdotes que fizeram história como seus parentes do passado. Mas ninguém citava o nome de Melquisedeque, porque com ele Deus agiu diferente.

NEM FIM DE VIDA. Essa é uma expressão que fala do fim da vida das pessoas, e era muito importante, porque como a pessoa viveu e como terminou sua história de vida, mudava até o seu nome. No caso de Melquisedeque, não há uma história a ser contada de como ele viveu, nem como terminou a sua vida, nem com quantos anos ele morreu. A narrativa bíblia a seu respeito é deveras curta, apesar de ter uma importância muito grande.

MAS SENDO FEITO SEMELHANTE. Melquisedeque foi uma tipologia do que seria o ofício sacerdotal do Messias de Deus. E isso era mais importante do que saber o nome de seu pai ou de sua mãe, como também isso é mais importante do que ter o nome no rol dos mais ilustres antepassados nas listas intermináveis da genealogia dos judeus. Até porque não foi Melquisedeque que valorizou a Cristo, mas Cristo que o destacou na história.

AO FILHO DE DEUS. Mesmo antes da vinda do Messias de Deus, que as profecias messiânicas já apontavam de que, o Cristo seria Filho de Deus. O nascimento milagroso de Jesus de Nazaré, porque ele não teve um pai biológico, mas foi gerado pelo Espírito de Deus, isso é prova irrefutável de que ele realmente era Filho de Deus (Mateus 1:18). Além do mais, vários eventos em seu ministério provaram de que ele era Filho de Deus.

PERMANECE SACERDOTE PARA SEMPRE. Em se tratando de Melquisedeque, não há registro do termino do seu sacerdócio. Já nos casos dos sacerdotes aarônicos com a morte dos tais, era o fim do ministério de cada um deles. No caso de Cristo, ele é Sumo Sacerdote eternamente, porque ressuscitou de entre os mortos, está assentado à destra do trono da graça de Deus, como nosso Mediador e que intercede por todos nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário