Pesquisar este blog

sábado, 22 de abril de 2017

Hebreus 8:6

Hebreus 8:6 - Mas agora alcançou ele ministério tanto mais excelente, quanto é mediador de uma melhor aliança que está confirmada em melhores promessas.
MAS AGORA ALCANÇOU ELE. “Ele” quem? Jesus! que é o nosso Sumo Sacerdote eternamente, segundo a ordem de Melquisedeque. “Mas agora”, pode ser que o autor esteja falando do tempo da nova dispensação, que o Messias de Deus veio e implantou ou pode também ser que o escritor esteja se referindo ao novo tempo em que Cristo entrou definitivamente na presença de Deus para ser o nosso intercessor. Cristo alcançou este ofício tão importante porque ele si deu a si mesmo em expiação pela sua igreja.

MINISTÉRIO. Desde que os filhos de Israel saíram do Egito, por meio de Moisés, e que foi constituído o ofício sacerdotal para administrar as coisas de Deus, concernente ao tabernáculo, que o sacerdócio passou a ser um ministério. Da mesma forma, de quando o Cristo de Deus se manifestou no planeta terra, que ele deu demonstração de que era na realidade Rei, Profeta e Sacerdote, que Deus o constituiu como ministro da nova aliança.

TANTO MAIS EXCELENTE. Os sacerdotes levíticos e principalmente os sumos sacerdotes que eram da linhagem de Aarão tiveram importâncias fundamentais no campo religioso para os hebreus, porque ministravam as bênçãos de Deus ao povo. O autor está clareando a visão dos seus leitores que, o ministério de Cristo é mais excelente do que todos os sacerdotes que se levantaram sobre Israel, porque seu sacerdócio é eterno.

QUANTO É MEDIADOR. O sacerdote e principalmente o sumo sacerdote, também chamado ministro de Deus era considerado pelos hebreus como mediador entre Deus e os filhos de Israel. Cristo muito mais, porque ele veio como sendo o “único Mediador” entre Deus e os homens, Jesus Cristo Homem” (2 Timóteo 2:5). E neste ponto, o autor também fala da superioridade de Cristo ao próprio Moises, ele que foi um dos mediadores entre Deus e o antigo pacto de Deus com Israel, Cristo é superior a Moisés.

DE UMA MELHOR ALIANÇA. A bíblia registra várias alianças de Deus com os filhos dos homens, porem, é certo conjecturar que, o pensamento do escritor se posiciona sobre a aliança de Deus com Israel, por meio da lei de Moisés. Para então declarar que, a nova aliança de Deus por meio de Cristo com sua igreja remida é melhor que o pacto de Moisés. É tanto que, os hebreus, leitores desta melhor aliança foram alcançados por ela.

QUE ESTÁ CONFIRMADA. Todas as referências das Sagradas Escrituras dos hebreus usadas pelo escritor neste tratado, bem como seus argumentos foram para comprovar que esta nova aliança e tudo que envolveu a vinda, a vida e o ministério do Senhor Jesus, havia sido confirmado por Deus e que estava de conformidade com os planos e projetos do Criador. O Messias veio e cumpriu com sucesso tudo o que dele estava escrito.

EM MELHORES PROMESSAS. O pacto de Moisés era baseado em promessas temporárias, portanto, sobre coisas voltadas para esta existência terrena, até porque no tempo em que os filhos de Israel entraram na terra de Canaã, Moisés não tinha a mesma visão que Cristo teve das coisas eternas de Deus. A nova aliança de Cristo tem promessas para esta vida, mas principalmente para a vida eterna, que é a salvação dos remidos por ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário