Pesquisar este blog

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Hebreus 10:11

Hebreus 10:11 - E assim todo o sacerdote aparece cada dia, ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca podem tirar os pecados.
E ASSIM TODO O SACERDOTE. Grande parte dos comentaristas do Novo Testamento defendem que, quando esta carta foi escrita, o templo de Jerusalém ainda estava de pé. Portanto, se assim for, esta carta foi então escrita antes do ano setenta, quando Jerusalém foi destruída e com ela o templo que foi construído por Herodes para os judeus. Este sacerdote sobre o qual fala o autor era da tribo de Levi, mas não era sumo sacerdote que linhagem de Arão. Isso porque o escritor fala do lugar santo.

APARECE CADA DIA. No caso do sumo sacerdote, que era da linhagem de Arão, ele só ministrava no santo dos santos, que ficava depois do segundo véu, uma vez no ano, que era chamado de dia da expiação. Mas no lugar santo, em que os sacerdotes comuns serviam, eles ministravam todos os dias, servindo nos rituais de ofertas de manjares, oblações, holocaustos e outros serviços que envolviam a gratidão do povo a Deus.

MINISTRANDO E OFERECENDO. A palavra ministrando, se refere aos serviços prestados pelos muitos sacerdotes comuns da tribo de Levi, que no lugar santo, também serviam de serviçais também do povo, além dos muitos que apresentavam os louvores ao Senhor. O fato de que eles ofereciam alguma coisa, nos ensina sobre tudo aquilo que o povo levava até ao templo em gratidão a Deus pelas bênçãos recebidas, em ações de graças.

MUITAS VEZES. Essas repetições citadas pelo escritor falam a respeito da necessidade de se renovar os votos de gratidão a Deus, quando o povo era beneficiado pelo Senhor de Israel. Como também, no caso da novilha vermelha que era sacrificada, se referia à purificação daquelas pessoas que tocavam em algum morto, bem como eram sacrifícios de purificações por outros tipos de contaminações menos graves que o povo cometia.

OS MESMOS SACRIFÍCIOS. Neste ponto, o autor volta a falar sobre o sacrifício pelos pecados, que não eram celebrados pelos sacerdotes comuns da tribo de Levi, mas sim pelos sumos sacerdotes da linhagem de Arão. A não ser que no tempo em que esta carta foi escrita, as coisas haviam mudado e os sacerdotes comuns também ofereciam sacrifícios pelos pecados do mundo, se assim o era, não estava de acordo com a lei.

QUE NUNCA PODEM TIRAR. No caso dos sumos sacerdotes que entravam no santo dos santos uma vez no ano, especificamente no dia da expiação, no dia dez do sétimo mês, do calendário judaico. Da forma que era feito este ritual, nunca serviu para tirar os pecados do povo, porque segundo o que nos declara o evangelho, estes sacrifícios apenas cobriam os pecados do povo, por isso a necessidade de sua repetição sempre.

OS PECADOS. Até porque, a finalidade não era tirar o pedado do sumo sacerdote, nem de seus familiares, muito menos do povo de Israel, isso porque apenas cobria os pecados do povo. Por isso que, no momento, havia o alívio da consciência da culpa de pecado, mas logo depois rebentava, porque as marcas da desobediência estavam cravadas na alma de cada um daqueles que supostamente haviam oferecido seus sacrifícios. Com Cristo é diferente, ele tira o pecado do homem e remove a culpa da consciência dos seus remidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário