Pesquisar este blog

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Hebreus 10:17-18

Hebreus 10:17-18 - E acrescenta: Jamais me lembrarei de seus pecados e de suas iniquidades. Ora, onde há remissão destes, não há mais oblação pelo pecado.
E ACRESCENTA. Esse é a secção mais longa da carta, ocupando quase três capítulos dentro de assuntos importantes para o escritor, para os leitores, os hebreus e também dentro da economia do reino de Deus. Mas o escritor fecha estes temas sobre o tabernáculo e tudo que envolve os sacerdotes e seus serviços, mostrando justamente para seus leitores que a nova aliança da graça de Deus é superior a antiga aliança, porque a lei de Moisés se tornou obsoleta, quando surgiu o evangelho das boas novas.

JAMAIS ME LEMBRAREI. As Escrituras afirmam que, Deus lança os nossos pecados no mar do esquecimento. Não é que a amnésia possa alcançar a mente e o coração de Deus, mas o autor fala dos efeitos positivos em favor dos remidos, pela expiação realizada por Cristo. Os sacrifícios, ofertas, holocaustos e oblações da antiga dispensação só faziam cobrir os pecados do povo, que era purificado e não santificado, como faz a nova aliança.

DE SEUS PECADOS. A antiga aliança era implacável contra o pecado, uma vez que, quem errasse o alvo, ou seja, quem transgredisse os mandamentos da legislação de Moisés, dependendo da gravidade do pecado, podia ser morto imediatamente apedrejado. A nova dispensação da graça de Deus lança tudo na conta de Cristo, ele que já pagou o alto preço em favor dos seus remidos, por isso que, Deus não se lembra dos nossos pecados.

E DE SUAS INIQUIDADES. No texto de (Hebreus 8:12) nos ensina o mesmo autor, usando a citação do profeta Jeremias, que o remédio para as iniquidades do povo, conforme a nova aliança da graça é justamente a misericórdia de Deus. Iniquidade é a tendência do ser humano a praticar deliberadamente suas maldades, porque é dominado pelo mal. Na nova dispensação da graça de Deus, o Espírito Santo trabalha no homem interior para transformar, o velho homem em uma nova criatura, pela regeneração espiritual.

ORA, ONDE HÁ REMISSÃO DESTES. Nos tempos antigos, a redenção de alguém carecia de um preço a ser pago. No caso de Cristo, ele efetuou a redenção da sua igreja, quando pagou o preço de expiação, que tipifica o sacrifício de si mesmo, pelos nossos pecados. Além do mais, a redenção feita por Cristo envolveu a propiciação dos pecados do seu povo, porque com seus sofrimentos ele aplacou a ira de Deus contra a humanidade.

NÃO HÁ MAIS OBLAÇÃO. Todos aqueles que aceitam a Cristo, como Senhor e Salvador são, chamados pelo evangelho da graça de “remidos de Cristo”. Portanto, os remidos de Cristo, não mais precisam oferecer qualquer tipo de oblação pelos seus próprios pecados, porque o Cordeiro de Deus já foi imolado em nosso lugar. O preço já foi pago, e por isso, que o autor desta carta se demorou escrevendo sobre a superioridade de Cristo.

PELOS PECADOS. No tempo da velha dispensação da lei, os pecados dos filhos de Israel tinham efeitos cumulativos, quanto mais o povo pecava, mais a ira de Deus se acendia contra eles, eis a razão da necessidade de mudança. E a mudança se deu justamente com a implantação da nova dispensação da graça, em que Deus, em Cristo Jesus, já nos perdoou os nossos pecados e iniquidades, por conta de sua graça e grande misericórdia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário