Pesquisar este blog

domingo, 21 de maio de 2017

Hebreus 10:19

Hebreus 10:19 - Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus.
TENDO, POIS. Dentro do mesmo assunto, mas com outras pautas, o autor começa uma nova secção dentro deste capítulo, falando também a respeito da perseverança na fé cristã, e não no conjunto de normas e rituais do judaísmo. Ter é possuir alguma coisa, que neste caso quer dizer que, os remidos do Senhor Jesus passou a tomar posse depois que o Cordeiro de Deus, Jesus Cristo, conquistou o acesso direto ao trono da graça de Deus, para sua igreja amada, que ele comprou com seu perfeito e completo sacrifício de amor.

IRMÃOS. Desde os começos da humanidade, que os seres humanos se consideram irmãos uns dos outros por se encontrarem na arvore genealógica de Adão e Eva. Já os judeus se consideravam irmãos uns dos outros por pertencerem aos ilustres patriarcas Abraão, Isaque e Jacó. Por fim, os cristãos sempre se chamaram uns aos outros de irmãos, porque todos aqueles que aceitam a Cristo como Salvador, se tornam filhos de Deus (João 1:11).

OUSADIA. Esta palavra nos ensina sobre a liberdade que os remidos de Cristo têm para chegarem com confiança na presença de Deus. No tempo da lei, os hebreus comuns, não se achavam neste direito e precisavam dos sumos sacerdotes como intermediários. Mas já no tempo da nova dispensação da graça de Deus, todos aqueles que viverem dignamente para o Senhor, tem o direito de entrar no santuário celestial, isso porque o Senhor Jesus abriu o caminho de acesso ao trono da graça e da majestade celestial.

PARA ENTRAR. No tempo da antiga dispensação, os servos de Deus ficavam impedidos de se chegarem ao tabernáculo e também dentro do recinto dos templos. O povão não tinha o direito de entrar no tabernáculo, mas somente os sacerdotes. Nos templos, havia o átrio dos gentios, das mulheres, dos sacerdotes e do sumo sacerdote. Cristo removeu os obstáculos e os seus remidos chegam diante da presença de Deus, no santuário celestial.

NO SANTUÁRIO. No caso dos santuários terrenos, que de início era o tabernáculo, e depois foram construídos três grandes templos em Jerusalém, que também eram considerados santuários de Deus. Neste texto, o autor nos fala do santuário celestial, que é na verdade o céu dos céus, a morada de Deus, o trono da graça ou o trono da majestade celestial, onde Cristo está assentado à destra de Deus intercedendo por nós.

PELO SANGUE. No caso do tabernáculo, diversos sacrifícios de animais eram feitos, com muito derramamento de sangue, para expiação dos pecados do povo. O sumo sacerdote entrava no santo dos santos com sangue de um bezerro para fazer expiação por ele e seus familiares e também com o sangue de um cordeiro para fazer expiação pelos pecados do povo. Na nova dispensação é o sangue de Cristo que tem valor expiatório.

DE JESUS. Cristo Jesus, o Messias de Deus veio como o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, para por meio do seu sangue, vertido na cruz do Calvário, substituir todos os sacrifícios da antiga aliança. Além do mais, ele substituiu também o sacerdócio do antigo pacto, como sendo nosso sumo sacerdote. E por fim, ele substituiu os santuários terrenos, o tabernáculo e os templos, pelo santuário celestial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário