Pesquisar este blog

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Hebreus 10:34

Hebreus 10:34 - Porque também vos compadecestes das minhas prisões, e com alegria permitistes o roubo dos vossos bens, sabendo que em vós mesmos tendes nos céus uma possessão melhor e permanente.
PORQUE VOS COMPADECESTES. Os hebreus sempre foram pessoas que se moviam facilmente pelo sentimento de compaixão uns pelos outros, principalmente quando defendia causas comuns. No caso da igreja primitiva, os seguidores do senhor Jesus achavam de que não mais tinham tempo para viverem para este mundo, e assim sendo, usavam seus bens para ajudarem uns aos outros. É tanto que a igreja primitiva criou um fundo comum de bens, para ajudar aos que mais estavam precisando naquele tempo.

DAS MINHAS PRISÕES. Essa expressão usada pelo autor leva a alguns comentaristas a pensarem de que se trata do apóstolo Paulo, pelas suas várias prisões que ele teve que enfrentar por ser um pregador das boas novas do evangelho e por defender de que Jesus de Nazaré era realmente o Messias de Deus. Além do mais, ele declarava que o surgimento do cristianismo era o fim do judaísmo tradicional do povo judeu.

E COM ALEGRIA PERMITISTES. Pode-se falar de aprisionamento de Paulo em Jerusalém, em Éfeso, Cesaréia e em Roma. Mas não se tem como provar efetivamente que tenha sido de fato o apóstolo Paulo que tenha escrevido este tratado. O que temos diante do quadro é que os leitores desta carta se importaram com as prisões do escritor e não ficaram tristes por estarem sendo prejudicados financeiramente, por seguirem a Cristo.

O ROUBO DOS VOSSOS BENS. O autor fala em espólio dos bens daqueles que seguiam o cristianismo. Na verdade os judeus eram cruéis em termos de tratamento religiosos com aqueles seus compatriotas que eles consideravam hereges quanto ao judaísmo. Com isso, muitos dos que deixaram o judaísmo pelo cristianismo sofreram o espólio dos seus bens. Já o estado romano confiscava os bens dos que deixavam suas religiões oficiais.

SABENDO QUE EM VÓS. Por traz da força que levantava a cabeça dos seguidores de Cristo, que perdiam seus bens, mas de cabeça erguida, estava a fé inabalável de que promessas maiores e melhores lhes aguardavam nas mansões celestiais. O que norteava a mente dos que eram perseguidores por amor a Cristo eram as convicções da alma, segura e firme de que os bens terrenos são passageiros, mas a salvação é eterna.

TENDE NOS CÉUS UMA POSSESSÃO. As promessas feitas por Deus em Cristo Jesus, de acordo com a nova dispensação da graça, é a salvação e a vida eterna, que é uma modalidade de vida completa e abundante, sem problemas nem dificuldades. A salvação em Cristo Jesus é a possessão de um modo de vida em que não se tem como comparar com as coisas terrenas desta vida passageira e temporárias. A nova Jerusalém é nossa.

MELHOR E PERMANENTE. Todas quantas promessas foram feitas aos filhos de Israel não tinham pano de fundo permanente, porque se baseavam em propostas para esta vida. A melhor delas foi à promessa da terra de Canaã, que não durou muito e perderam sua independência. No entanto, as promessas proposta pela nova dispensação da graça de Deus são eternas e de maior e melhor valor, sem igual para a igreja remida de Cristo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário