Pesquisar este blog

terça-feira, 30 de maio de 2017

Hebreus 10:37-38

Hebreus 10:37-38 - Porque ainda um pouquinho de tempo, E o que há de vir virá, e não tardará. Mas o justo viverá da fé; E, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele.
PORQUE AINDA UM POUQUINHO DE TEMPO. Nos textos anteriores o autor pediu que os seus leitores não rejeitassem a sua confiança na obra perfeita de Cristo e que tivessem paciência, a fim de não perderem o seu galardão. Agora, ele aponta para o relógio do tempo e afirma que, aquilo que Deus estava programando para acontecer já estava nos últimos segundos do relógio do Senhor. Por isso é que, o momento seria de perseverar nos pés de Cristo, a fim de receber o cumprimento de todas as suas promessas.

E O QUE HÁ DE VIR VIRÁ. Para a igreja do primeiro século de nossa era cristã e principalmente para os líderes e escritores do cristianismo, não haveria um tão grande hiato de tempo entre a ascensão de Cristo para se assentar a destra de Deus e o seu retorno para arrebatar os seus remidos. Os seguidores de Cristo daquela época viviam sob a expectativa da volta do Mestre amado a qualquer momento e em qualquer hora.

E NÃO TARDARÁ. Os acontecimentos que envolvia a igreja de Cristo em seus primórdios dizia que Cristo já estava às portas. Praticamente todos os seguidores do cristianismo enfrentavam problemas de perseguição, principalmente as igrejas em Israel, composta de judeus convertidos ao cristianismo. Porque os judeus rejeitaram a Jesus como sendo o Messias e estavam dispostos a acabarem também com o cristianismo na terra.

MAS O JUSTO. Como o autor estava escrevendo para hebreus, que conheciam as literaturas religiosas de Israel, e davam muito valor aos escritos antigos. Então, ele se utiliza de mais uma citação do Velho Testamento em (Habacuque 2:4). O justo, conforme a antiga aliança da lei era aquele que guardava e obedecia a todos os mandamentos da legislação de Moisés. Já na nova dispensação da graça de Deus por meio de Cristo, justo é todo aquele que é justificado perante a justiça divina pela redenção feita por Cristo.

VIVERÁ DA FÉ. A fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se veem (Hebreus 11:1). Na nova dispensação da graça de Deus o homem entra com a sua fé em Cristo, que é justamente a entrega total da alma aos cuidados de Cristo. E é por esta fé que se cria o vínculo da filiação com Deus (João 1:11). Esta fé cristã é tão importante que o escritor dedica o próximo capítulo a falar sobre seu valor.

E SE ELE RECUAR. Neste ponto, o autor aponta para a possibilidade da perda da salvação, por parte daqueles que se converteram ao cristianismo, mas que por algum motivo recuou da sua fé. Na maioria das vezes isso ocorre por conta da rebelião ou apostasia. No caso da igreja primitiva, muitos recuaram por não suportarem as pressões dos judeus, dos líderes de suas antigas religiões ou do próprio império político de Roma.

MINHA ALMA NÃO TEM PRAZER NELE. Seja qual for o motivo pelo qual alguém rejeita a vida de fé, Deus não terá prazer nele. Por isso é que se deve empregar todas as forças possíveis para se manter na fé e de pé. Os prejuízos serão incalculáveis para aqueles que abandonam os caminhos do evangelho. Recuar da fé é rejeitar a Cristo, e rejeitar a Cristo significa dizer, perder os galardões e as promessas propostas para a vida eterna.

Nenhum comentário:

Postar um comentário