Pesquisar este blog

terça-feira, 9 de maio de 2017

Hebreus 9:20-21

Hebreus 9:20-21 - Dizendo: Este é o sangue do testamento que Deus vos tem mandado. E semelhantemente aspergiu com sangue o tabernáculo e todos os vasos do ministério.
DIZENDO. Como o autor estava escrevendo para um povo que conhecia bem a legislação de Moisés, então, ele usa mais um texto de prova para defender seus argumentos de que tudo que ele está falando sobre o Cristo de Deus e sobre a nova dispensação da graça tem base nas literaturas religiosas dos hebreus. Muito do material usado na escrita do Novo Testamento tem pano de fundo no Velho Testamento, até porque, tem um jargão no meio cristão que, o cristianismo é filho do judaísmo, o que não deixa de ser verdade.

ESTE É O SANGUE. O escritor cita Êxodo 24:8 - Então tomou Moisés aquele sangue, e espargiu-o sobre o povo, e disse: Eis aqui o sangue da aliança que o Senhor tem feito convosco sobre todas estas palavras. Este sangue estava misturado com água, com lã purpúrea e hissope, o que se tornou um ritual por longos anos em Israel. Conforme as tradições dos hebreus foram espargidos sobre o livro da lei, o povo e o tabernáculo.

DO TESTAMENTO. O testamento também podia ser chamado de pacto, aliança ou tratado, e assim sendo, o escritor chama o livro da lei de um contrato entre Deus e os filhos de Israel, em que de uma parte estava o Senhor Deus e do outro estavam os herdeiros de Deu que eram os descendentes de Abraão, Isaque e Jacó. Neste testamento havia as promessas da parte de Deus, bem como as garantias, e com isso, os herdeiros achavam que com a morte dos animais que eram sacrificados tomavam posse da herança.

QUE DEUS NOS TEM MANDADO. Nem Moisés, nem os filhos de Israel tinham dúvidas de que, a legislação de Moisés era de fato e na verdade orientada por Deus. Efetivamente, os dez mandamentos foram escritos por Deus e entregues a Moisés, como também era crença comum, ainda no tempo da velha dispensação, que todo o restante da legislação de Moisés foi revelada e inspirada por Deus para que Moisés escrevesse toda a lei.

E SEMELHANTEMENTE ASPERGIU COM SANGUE. A partir de então passou a ser um ritual em todas as celebrações dos sacerdotes da tribo de Leve e principalmente dos sumos sacerdotes que todas as coisas fossem purificadas com sangue. O que não podemos deixar de lembrar é que isso foi coisa do passado, do tempo da velha dispensação, uma vez que, o sacrifício expiatório de Cristo aboliu todos estes rituais praticados pelos judeus.

O TABERNÁCULO. Novamente o autor volta a falar sobre o tabernáculo, que o texto do capítulo vinte e quatro de Êxodo não cita, mas que era uma tradição oral dos judeus, de que assim foi. Este tabernáculo estava dividido em dois compartimentos, o que este escritor chama de primeiro e segundo tabernáculo, e dentro dos mesmos havia seus objetos de culto, conforme o modelo que Deus havia relevado no Monte Sinai a Moisés.

E TODOS OS VASOS DO MINISTÉRIO. Certamente o autor escreve sobre todos os objetos que estavam dentro do lugar santo como também no lugar santo dos santos. Quando se fala sobre os vasos do ministério, esta se reportando a todos os mesmos objetos que eram utilizados pelos sacerdotes e pelo sumo sacerdote para a realização das cerimônias e dos rituais praticados no tabernáculo e em todas as celebrações religiosas de Israel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário