Pesquisar este blog

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Hebreus 9:23

Hebreus 9:23 - De sorte que, era bem necessário que as figuras das coisas que estão no céu assim se purificassem; mas as próprias coisas celestiais com sacrifícios melhores do que estes.
DE SORTE QUE, ERA BEM NECESSÁRIO. O autor até então vinha demostrando as realidades dos rituais e cerimônias celebrados pelos líderes religiosos dos judeus, bem como a importância dos objetos de culto para os israelitas. Porem, a partir de agora, até o final deste mesmo capítulo o escritor mostra como Cristo se tornou o Sumo Sacerdote de um melhor pacto ou aliança, porque o seu sacrifício foi perfeito e produziu melhores resultados do que as práticas dos sacerdotes ou do sumo sacerdote da linhagem de Arão.

QUE AS FIGURAS. O fato é que, tudo que envolvia a vida religiosa dos judeus desde a construção do tabernáculo com seus vários objetos de culto, bem como os serviços prestados pelos sacerdotes, eram todos figuras das coisas futuras. A vinda do Messias de Deus, como sendo o Sacerdote eterno, segundo a ordem de Melquisedeque, substituiu o que era simbólico por uma nova realidade. O que era terreno figurava o celestial.

DAS COISAS QUE ESTÃO NO CÉU. O escritor não está dizendo que o santuário celestial tenha um tabernáculo de madeira como havia na tenda da congregação dos filhos de Israel, nem tão pouco ele está afirmando que os mesmos sacrifícios de animais irão acontecer no céu dos céus. No entanto, o que figurava como sombra do que há no céu, são as verdades sobre Cristo, como Sumo Sacerdote, e que seu sacrifício foi mais eficaz.

ASSIM SE PURIFICASSEM. O que os sacerdotes israelitas praticavam quanto à purificação do tabernáculo terreno, deles mesmo e seus familiares, do povo e de cada objeto de culto que havia na tenda da congregação tinha sua validade para a época. Mas que depois da manifestação do Sacerdote eterno, segundo a ordem de Melquisedeque, nada disto tem mais valia, como essência de purificação ou santificação.

MAS AS PRÓPRIAS COISAS CELESTIAIS. Não se sabe sobre que coisas esta se referindo o autor desta carta, mas era crença comum entre os judeus que nas mansões celestiais haveria um templo real, do qual os templos de Jerusalém era apenas uma figura ou cópia. Não se sabe se o escritor seguia esta crença dos judeus ou ele estava falando de algo mais profundo do que a nossa mente possa imaginar ou absorver sobre o céu de Deus.

COM SACRIFÍCIOS. O evangelho declara que a obra de redenção efetuada pelo Senhor Jesus teve um alcance universal, atingindo a terra e os céus, os seres humanos e os seres espirituais. Há um mistério em tudo isso, mas em termos de benefícios, podemos assegurar que todos os lugares e todas as coisas que existem foram favorecidas com os efeitos positivos da propiciação realizada pelo Cristo de Deus, quando se produziu a paz.

MELHORES DO QUE ESTES. Estes sacrifícios se referem a todas as dificuldades que o Senhor Jesus teve que enfrentar para prodigalizar a redenção de todo o cosmo. Não foi somente a crucificação, porque se ele houvesse falhado em seu ministério, tudo teria ido de água a baixo. Mas o conjunto da obra completa fazia parte do sacrifício de expiação feito pelo Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. O sacrifício foi perfeito e eficaz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário