Pesquisar este blog

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Hebreus 9:8

Hebreus 9:8 - Dando nisto a entender o Espírito Santo que ainda o caminho do santuário não estava descoberto enquanto se conservava em pé o primeiro tabernáculo.
DANDO NISTO A ENTENDER. A partir de então, o autor começa a acender luzes em direção a nova dispensação da graça, envolvendo o Sumo Sacerdote Jesus Cristo, como Mediador desta nova aliança da graça de Deus. Em todos os elementos do tabernáculo, bem como em muitos dos objetos de culto da antiga aliança, já apontavam para o novo tempo, em que a operação do Espírito de Deus na vida das pessoas era mais importante do que o ritualismo e o cerimonialismo do judaísmo e da legislação de Moisés.

O ESPÍRITO SANTO. Verdade é que estamos na dispensação, onde o Espírito Santo é o agente direto de Cristo, agora, quando ele está preparando a igreja remida para o grande dia do arrebatamento. Todavia, o Espírito do Senhor sempre esteve em ação para fazer com que os filhos de Israel compreendessem os planos superiores de Deus. No entanto, no tempo da velha dispensação, as pessoas não entendiam estas revelações.

QUE AINDA O CAMINHO. O escritor está falando do caminho de acesso a Deus com seus vários obstáculos. Fala-se em um ambiente fora do tabernáculo em que havia os altares dos holocaustos, depois vinha o primeiro véu, onde depois do qual estava o lugar santo, em que os sacerdotes ofereciam as ofertas de manjares. Mas depois deste havia ainda um outro véu, que separava o lugar santo do santo dos santos, no interior.

DO SANTUÁRIO. Este santuário fala sobre o primeiro compartimento, onde serviam os sacerdotes da tribo de Levi, com seus objetos e cerimônias até chegar ao segundo, onde estava à presença mesma de Deus. Entre os objetos que havia dentro do santuário, podemos citar: O candelabro, a mesa, onde ficavam os pães da proposição e a bacia onde os sacerdotes lavavam as mãos e os pés, e o próprio sumo sacerdote se purificava.

NÃO ESTAVA DESCOBERTO. Existia um grande elaborado de cerimônias e rituais executados pelos sacerdotes e pelo próprio sumo sacerdote, até que somente o principal líder religioso tivesse acesso a presença de Deus, no santo dos santos ou lugar santíssimo. Sem contar que os sacerdotes comuns não podiam entrar no santo dos santos, mas somente o sumo sacerdotes no dia da expiação para oferecer sacrifícios pelo povo.

ENQUANTO SE CONSERVAVA EM PÉ. O autor não está se referindo ao fato de quando das peregrinações do povo pelo deserto, sobre o momento em que o tabernáculo era desmontado. Mas ele se refere ao primeiro tabernáculo que esteve no deserto, entrou com os filhos de Israel na terra de Canaã, e que se manteve de pé até o tempo de Davi. Mas que já no tempo de Salomão e até os anos setenta d.C foi substituído pelos templos.

O PRIMEIRO TABERNÁCULO. Este primeiro tabernáculo foi deveras muito importante para a nação de Israel, porque enquanto ele estava de pé mantinha o povo unido na fé monoteísta dos patriarcas Abraão, Isaque e Jacó. Este primeiro tabernáculo também assumiu papel preponderante no que diz respeito à fidelidade do povo a legislação de Moisés, porque todas as cerimônias em torno deste monumento focava o povo em Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário