Pesquisar este blog

terça-feira, 20 de junho de 2017

Hebreus 11:35-36

Hebreus 11:35-36 - As mulheres receberam pela ressurreição os seus mortos; uns foram torturados, não aceitando o seu livramento, para alcançarem uma melhor ressurreição. E outros experimentaram escárnios e açoites, e até cadeias e prisões.
AS MULHERES RECEBERAM PELA RESSURREIÇÃO. Como o autor está focado na literatura religiosa dos hebreus, Velho Testamento. Podemos dizer que ele se refere aos casos da mulher de Sarepta e a outra foi a Sunamita. No caso da mulher de Sarepta, aconteceu com o profeta Elias, que foi usado por Deus para ressuscitar o menino. Já no caso da mulher Sunamita o Senhor se utilizou do profeta Eliseu, que exerceu sua fé no seu Deus e o Senhor ressuscitou o filho daquela mulher, que tanto ajudou aquele homem de Deus.

SEUS MORTOS. Porem, se o escritor estiver falando de outros casos, já dentro do tempo da nova dispensação e que esteja dentro das páginas do Novo Testamento, então ele se referia também ao caso de Lázaro que Jesus ressuscitou e o entregou a suas irmãs. Temos também o caso do filho da viúva de Naim, em que o seu filho já era levado para ser sepultado. E por fim, temos ainda o caso de Êutico que caiu morto do terceiro andar, porem, Paulo tendo orado por ele foi ressuscitado de entre os mortos (Atos 20:9-12).

UNS FORAM TORTURADOS. Certamente, o autor pensa em alguns dos profetas da antiga dispensação que passaram por terríveis torturas físicas e psicológicas porque anunciavam as profecias vinda do coração de Deus para o povo. Como também, o autor pode estar pensando em muitos dos mártires do cristianismo que foram torturados pelas autoridades romanas, outros pelos judeus mais radicais e pelos inimigos do evangelho.

NÃO ACEITANDO O SEU LIVRAMENTO. No caso dos profetas da antiga dispensação, aceitar o livramento, era não exercer o ministério de profeta, e, portanto, não falar as verdades de Deus para as autoridades e também para o povo. Já no caso dos mártires do cristianismo, aceitar o livramento, seria negar a fé, deixar de confessar que Jesus era o Messias de Deus, assim sendo, não seriam torturados nem sofreriam as tribulações.

PARA ALCANÇAREM UMA MELHOR RESSURREIÇÃO. Tanto os homens de Deus da antiga dispensação, quanto os mártires da nova dispensação, que sofreram torturas e perseguições por conta da fé em Deus, mesmo sendo castigados e até mortos, assim suportavam as torturas, porque tinham dentro de seus corações a viva esperança de que mesmo se chegassem a morrer por conta da fé, seriam ressuscitados para a vida eterna.

E OUTROS EXPERIMENTARAM ESCÁRNIOS. Quantos dos profetas de Deus não foram escarnecidos pelas autoridades de Israel, bem como pelo próprio povo desobediente? Sem falar nos servos de Cristo, que simplesmente pelo fato de confessavam que Jesus era o Messias de Deus, eram desprezados, perseguidos pelos judaizantes, pelas autoridades romanas, como também pelos líderes das seitas heréticas do paganismo e pelo povo.

E AÇOITES, E ATÉ CADEIAS E PRISÕES. Temos o exemplo do próprio Cristo de Deus, que foi acoitado pelos soldados romanos, foi preso injustamente e morto na cruz do Calvário. E muitos dos líderes do Cristianismo tiveram também que passar por estas mesmas coisas, como foi o caso do grande apóstolo dos gentios, Paulo, que foi preso várias vezes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário