Pesquisar este blog

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Hebreus 12:15

Hebreus 12:15 - Tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem.
TENDO CUIDADO. Tendo o autor falado no texto anterior sobre a santificação, que implica em um esforço pessoal de cada um dos servos de Cristo, para que cheguemos perante a presença de Deus. Agora, ele faz um alerta importante, que é sobre a graça de Deus. Tem que haver santidade de vida, porem, não se deve por isso, acima da graça de Deus, porque estamos no tempo da dispensação da graça de Deus, através da qual entramos a esta graça de Deus. Por isso está escrito, tendo cuidado, tendo cuidado.

DE QUE NINGUÉM SE PRIVE. Numa linguagem bem compreensível, podemos dizer que, muitos confundem santidade cristã com radicalismo da lei, em que os cristãos mais ortodoxos confundem a vida de santidade com o sentimento de santarrão, ao ponto de achar que vai ser salvo porque merece, por méritos pessoas, e não pela graça de Deus. Se privar da graça de Deus é um perigo, tanto quando deixar o cristianismo pelo judaísmo.

DA GRAÇA DE DEUS. A santidade de vida é necessária, tanto quanto a graça de Deus. Porem, não se pode deixar uma pela outra, porque o correto é trilhar estes caminhos maravilhosos. Os Hebreus, receptores desta carta, vieram do judaísmo para o cristianismo, pela força desta graça de Deus, e ela é tão importante, que o autor desta mesma carta, chama a presença de Deus de Trona da graça, porque é por ela que chegamos diante da presença majestosa do Deus de amor, bondade e misericórdia.

E DE QUE NENHUMA RAIS DE AMARGURA. Cristo veio, e muitos comentaristas são unânimes em dizer que, ele veio para fazer uma grande reforma do judaísmo, implantando assim o cristianismo. Por isso que houve da parte dos judaizantes muitas investidas contra a nova religião criada pelo Messias de Deus. Mas da parte dos cristãos, o autor recomenda que não guardassem ressentimentos contra os judeus, povo de Israel.

BROTANDO. Mais uma vez o escritor usa de suas metáforas para falar sobre o sentimento de amargura, que ele chama de raiz de amargura. Na Palestina, havia muitas planas venenosas ou plantas amargas, que muitas delas sendo ingeridas por alguém, ou a pessoa morria ou adoecia. Como o autor desejava a saúde espiritual dos seus leitores, ele recomenda que ninguém deixe brotar no coração sentimentos contrários.

VOS PERTURBE. Essa mesma preocupação teve o Senhor Jesus nos finais do seu ministério para com os seus amigos, e ele disse: João 14:1 – Não se turbe os vossos corações, crede em Deus, crede também em mim. O autor demonstra a mesma preocupação com os seus leitores, sabendo ele de que, os momentos eram difíceis para todos os seguidores de Cristo, principalmente para aqueles que saíram do judaísmo.

E POR ELA MUITOS SE CONTAMINEM. Nesta frase, ele retoma a metáfora, em que aqueles que eram contaminados com as plantas amargas, terminavam se prejudicando e até morrendo. No tocante a vida espiritual, não é diferente, se não tivermos cuidado, os sentimentos do homem natural entram em nossos corações para justamente prejudicar a nossa comunhão com Deus, causa de muitos se desviarem do evangelho de Cristo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário