Pesquisar este blog

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Hebreus 13:24-25

Hebreus 13:24-25 - Saudai a todos os vossos líderes e a todos os santos. Os da Itália vos saúdam. A graça seja com todos vós. Amém.
SAUDAI A TODOS OS VOSSOS. No fechamento desta carta ou conclusão, certamente o autor se dar por satisfeito em ter tido o privilégio de repassar sua mensagem aos hebreus, povo de Deus que fizeram parte da antiga aliança da lei, e que agora também faziam parte da nova aliança por meio do cristianismo. Apesar de não ter iniciado com uma saudação de introdução, o que é comum nas cartas do Novo testamento, mas o escritor finaliza sua correspondência enviando saudações a todos.

LÍDERES. Estes líderes sobre os quais o autor se dirige dizem respeito a todos aqueles que estavam direta ou indiretamente envolvidos na obra de Deus e com a igreja de Cristo Jesus. De princípio, podemos dizer que eram os apóstolos, os bispos, os evangelistas, os doutores, os presbíteros e os pastores. A função pastoral, só teve o seu desenvolvimento de forma mais contundente após a reforma protestante.

E A TODOS OS SANTOS. A saudação do autor também é extensiva a todos os que faziam parte da igreja remida de Cristo Jesus, sejam das igrejas em Israel, ou daquelas espalhadas em todo o mundo da época. A palavra “santos” não se refere a pessoas mortas e canonizadas por um líder de uma instituição religiosa, mas são todos aqueles que estavam vivos e que faziam parte naquela época da igreja de Cristo Jesus.

OS DA ITÁLIA VOS SAÚDAM. Esta frase nos faz pensar na origem de onde foi enviada esta correspondência para os hebreus, que foi justamente de Roma. Roma é um país dentro de outro país, isto é, Roma que é um pequeno país, fica dentro do território do grande país chamado Itália. O que podemos conjecturar é que, o escritor que provavelmente se encontrava preso em Roma, enviava saudação aos leitores deste tratado em seu nome, como também dos que com ele estavam neste momento.

A GRAÇA. O fechamento desta carta favorece mais uma vez a autoria Paulina deste tratado, apensar de que ninguém tem como provar que isto seja realidade, por conta de ser uma correspondência anônima. A graça é um favor não merecido da parte de Deus para os remidos de Cristo. É paradoxal o autor ter colocado a palavra graça e não paz, que era a saudação comum entre os hebreus, desde o tempo do judaísmo.

SEJA COM TODOS VÓS. Em determinados momentos do conteúdo desta carta, o escritor nos deixa transparecer que havia a possibilidade real do desvio dos seus leitores, no sentido de deixarem o cristianismo e retornarem ao judaísmo. Neste sentido, o que os destinatários desta epístola precisavam mesmo era da graça de Deus para permanecerem nos caminhos do evangelho, fazendo parte da igreja de Cristo.

AMÉM. Na maioria das cartas de Paulo ele termina suas correspondências com esta palavra, ora como ponto final, ora como sendo a sua assinatura e ora por invocar a autoridade de Cristo, ele que é o Amém de Deus. Por fim, esta é uma das epístolas do Novo Testamento mais profunda, em termos de teologia orientada, no sentido de explicar a grande mudança que a nova dispensação da graça sobrepõe sobre a velha dispensação da lei. É realmente apaixonante o estudo mais profundo desta epístola.

Nenhum comentário:

Postar um comentário